Você está na página 1de 3

1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO


FACULDADE DE LETRAS
LINGUÍSTICA III
PROFESSORA: Adriana Leitão Martins

AULA 19: MOVIMENTO DE VERBOS

1. Verbos lexicais

⇒ Objetivo: analisar a diferença na ordem dos verbos em relação aos


advérbios de modo no inglês e no francês a partir do movimento dos
verbos.
◊ Ex 1 : Jean embrasse souvent Marie.
◊ Ex 2 : John often kisses Mary.
◊ OBS: verbos sublinhados e advérbios em negrito.

TP

NP T’

T NEGP

NEG’

NEG AGRP

AGR’

AGR VP

Adv / V
Quant

⇒ Em todas as línguas, os verbos sofrem movimento para que haja


checagem dos dados da flexão (AGR e T) do verbo com os traços desses
nódulos flexionais (já que os itens lexicais já vêm flexionados do léxico).
⇒ A checagem dos traços flexionais dos verbos permite que sejam
eliminados os traços presentes nas categorias flexionais. Se o traço é
forte, deve ser eliminado na sintaxe aberta (antes da forma fonética); se o
traço é fraco, pode ser eliminado depois da sintaxe aberta (na forma
lógica).
⇒ OBS: Sintaxe aberta: Operações que ocorrem na sintaxe aberta são
aquelas que ocorrem antes da bifurcação entre forma fonética (que geram
representações fonéticas) e forma lógica (que geram representações
semânticas). Apenas quando ocorrem na sintaxe aberta, as operações
geram resultados nas representações fonética e semântica.

FL Léxico

sintaxe
spell-out
aberta

FF FL

sistema sistema
articulatório- conceptual-
perceptual intencional

⇒ O que há de diferente entre as línguas é o local onde ocorre a checagem:


na sintaxe aberta ou na forma lógica.
◊ Quando a checagem ocorre na sintaxe aberta, há repercussão na
representação fonética, ou seja, na ordem dos constituintes.
◊ Quando a checagem ocorre na forma lógica, não há repercussão na
representação fonética, ou seja, na ordem dos constituintes.
⇒ OBS:
a) No italiano e no francês, o movimento para a checagem dos dados
flexionais do verbo ocorre na sintaxe aberta. Nessas línguas, os
traços dos verbos, que são fortes, precisam ser eliminados antes da
forma fonética posto que o sistema articulatório-perceptual não
seria capaz de “interpretar” esses traços.
b) No inglês, o movimento para a checagem dos dados flexionais do
verbo ocorre na forma lógica. Nessa língua, os traços dos verbos,
que são fracos, não precisam ser eliminados antes da forma
fonética posto que traços fracos não são ilegíveis pelo sistema
articulatório-perceptual.
⇒ Evidência de que as palavras já vêm flexionadas do léxico e o movimento
para a checagem dos dados da flexão pode acontecer depois da sintaxe
aberta, ou seja, na forma lógica: sentenças do inglês com ordem
“advérbio + verbo” e com verbo com marcação de concordância (Ex 2 :
John often kisses Mary).
⇒ Checagem dos traços da flexão do verbo nos nódulos flexionais (V to I
movement):
◊ O constituinte movido deixa um traço na posição de origem.

2. Verbos auxiliares
◊ Ex 3 : J’ai déjà mangé le pomme.
◊ Ex 4 : I have already eaten the apple.
◊ Ex 5 : Je n’ai pas mangé le pomme.
◊ Ex 6 : I have not eaten the apple.
⇒ OBS: auxiliares em negrito, partícula de negação em itálico, verbo no
particípio sublinhado e advérbio riscado.
⇒ O auxiliar (que vem flexionado do léxico) aparece na árvore sintática no
núcleo do sintagma temporal (acima do nódulo da negação).

TP

NP T’

T NEGP

NEG’

NEG AGRP

AGR’

AGR VP

Adv / V
Quant

⇒ Inversão de auxiliar (I to C movement)


◊ Ex 7 : John will write a book.
◊ Ex 8 : Will John write a book?
⇒ O verbo move-se do núcleo do sintagma flexional (TP) para o núcleo do
sintagma complementizador (CP).
⇒ O constituinte movido deixa um traço na posição de origem.
⇒ Os traços de tempo e de concordância estão no auxiliar.
⇒ Quando não há modais para transportar os traços da flexão, o inglês faz
uso da operação conhecida como do-support:
◊ Ex 9 : Did John see Mary?