Você está na página 1de 15

A chave de cada degrau é o próprio aspirante.

Não é o temor a Deus que representa o


começo da Sabedoria, mas o conhecimento do Eu, que é a própria Sabedoria.
Professor Henrique José de Souza

A
brimos esta edição parabenizando a todos da família verdadeiros balcões de interesses pessoais, que apadrinham
Revista Arte Real, composta por leitores, profanos com o objetivo de se beneficiarem comercial ou
colaboradores e patrocinadores, que, nesses três anos profissionalmente, que, ostentando botons e insígnias na lapela,
de convivência, direta ou indiretamente, puderam, de forma tentam abrir caminho em empresas e órgãos públicos, são os
muito positiva, contribuir nessa breve, porém profícua grandes responsáveis por essa dura realidade.
caminhada. Auguramos vida longa para este veículo de O incentivo ao estudo e à pesquisa, a conscientização do
informação, que, por vir cumprindo, fidedignamente, com nosso papel dentro e fora de nossos Templos têm sido a bandeira
seus propósitos, tem conquistado o carinho e a confiança de que ousamos empunhar nessa Trajetória de Luz.
todos. Muitas Lojas, ainda, estão repousando em seus recessos
A ousadia de se criar uma revista, comprometida com maçônicos, como preparação para mais um ano de atividades,
a cultura maçônica, surgiu na tentativa de conscientização de que ora se inicia. Um bom momento para refletirmos sobre nossa
que nossa Ordem, fundamentalmente, é uma Escola de postura como Maçom, nossa imensa responsabilidade na
Iniciação, tendo como propósito a elevação do estado de avaliação de novos membros para a Ordem, e a singular
consciência de seus membros. oportunidade para nos conscientizarmos, de fato, quanto ao
Influenciados por uma sociedade capitalista, que nosso papel de iniciados.
exalta o material e incentiva o consumismo desvairado, Nesta edição de aniversário, a coluna Matéria da Capa
muitos de nossos Irmãos desprovidos do traz “Uma Trajetória de Luz”, uma narração
espírito maçônico têm feito de nossa sobre a origem e os propósitos de nossa
“Sigo impávido na certeza de
Sacrossanta Instituição um “clube de Revista nesses três anos de existência, que se
que posso e devo deixar um
serviços”, a fim de atender seus interesses completam em 24 de fevereiro.
mundo bem melhor do que
comerciais, profissionais e pessoais. Corroborando com o que já falamos sobre
encontrei. Louco sonhador? iniciação, destaco duas matérias: “A Iniciação
Lamentavelmente, esses pseudoiniciados
têm trazido outros tantos que adentram à
Talvez. Omisso, jamais!” Real” e “Desvelando a Verdadeira
Maçonaria sem o menor propósito de Revista Arte Real Iniciação”, respectivamente, de José Inácio
aprendizado moral, sequer filosófico e da Silva Filho e Antonio Castaño Ferreira.
espiritual. A matéria “A Inteligência Espiritual”, na coluna
Já não bastassem as profanações que fazem na Destaques, mostra-nos o encontro de duas paralelas, ciência e
ritualística, algumas Lojas, definitivamente, aboliram o Quarto religião, aspectos do dealbar da Era de Aquarius, a inédita
de Hora de Hora de Estudos, preferindo usá-lo naquilo que aceitação científica de conceitos que, antes, eram-lhe totalmente
ficou popularmente conhecido, por “Momento Etílico”, após a antagônicos.
Sessão. Fruto disso são Aprendizes e Companheiros O crescimento nos últimos anos do sistema de Rito
desmotivados, Mestres despreparados, e Veneráveis Mestres e inglês, no Brasil, levou-nos a publicar a matéria do Irmão Rui
Vigilantes, Luzes da Loja, administrando na mais densa Ferreira da Silva, intitulada “Real Arco – Supremo Grande
escuridão da ignorância maçônica. Capítulo”, a fim de elucidar nossos leitores.
Esse quadro atual muito nos preocupa, pois Desejamos que, no retorno das atividades de nossas
entendemos que Iniciação é o passo mais sério que se pode Lojas maçônicas, possamos, de fato, exercer nossa função de
dar na vida, contraindo-se, com sua profanação, construtores sociais e, principalmente, de verdadeiros Iniciados.
conscientemente ou não, carma terrível. É o ato de “Iniciar Permitam-me encerrar este Editorial parafraseando, na
uma Ação” de transformação interna, de superação de nossas versão maçônica, o grande presidente americano John Fitzgerald
tendências negativas, transmutando-as em positivas, a fim de Kennedy: “Não pergunte o que a Maçonaria poderá fazer por
encontrarmos nosso Mestre interno, nosso verdadeiro “Eu”. você, mas o que você poderá fazer pela Maçonaria”. Por
Mas, para tanto, durante nossa vereda iniciática, precisamos consequência, o que você poderá fazer pela humanidade, por um
nos conhecer profundamente, à guisa da frase pitagórica: mundo mais justo e digno, mesmo que os frutos de suas ações
“Homem, conhece-te a ti mesmo!” sejam tardios e saboreados pelas gerações vindouras.
Esses pseudoiniciados, que fazem de suas Lojas Temos dito! ?
a b
Capa – Uma Trajetória de Luz – 3 Anos........................Capa Ritos Maçônicos - Real Arco – Supremo Grande Capítulo10
Editorial.....................................................................................2 Trabalhos
Matéria da Capa – Uma Trajetória de Luz...........................3 - Desvelando a Verdadeira Iniciação........................................11
Destaques - O Segredo Maçônico e a Via de Dignificação do Homem.13
– A Iniciação Real.....................................................................5 - O Poder da Criação do Homem...........................................14
– Inteligência Espiritual..........................................................6 Reflexões - Ontem e Amanhã.................................................15
– Sócrates e a Metafísica..........................................................7 Boas Dicas - Eventos Culturais / Edições Anteriores..........15
Os Grandes Iniciados - Odin..................................................8

Uma Trajetória de Luz


Francisco Feitosa

A
o criarmos a Revista Arte Real, jamais poderíamos qualquer Loja ou Obediência Maçônica, pôde, muito bem,
imaginar a trajetória que a mesma encetaria ao utilizar-se da liberdade para abordar os mais variados temas,
longo desses três anos de existência. muitos deles polêmicos, mantendo, sempre, uma postura
A Revista que, desde sua criação, tem tratado a imparcial.
cultura maçônica com a seriedade que merece, nasceu Seu principal objetivo é estimular o estudo e a
pouco tempo depois de nossa chegada, em definitivo, ao pesquisa no seio das Lojas maçônicas, além de servir de
Sul de Minas, onde, buscando melhor qualidade de vida e fonte de consulta aos nossos diletos leitores. Durante essa
aspirando a dedicar maior parte de tempo à nossa vereda curta, porém próspera existência, transformou-se em um
iniciática, trocamos a cidade maravilhosa do Rio de referencial dentre as diversas revistas maçônicas existentes,
Janeiro, título, que nos leva a refletirmos se, nos dias as quais, também, muito têm contribuído para a exaltação da
atuais, ainda, merece ostentar, devido à lamentável cultura.
violência em todos os sentidos, pela A seriedade e o alto grau de
tranquilidade da sacrossanta cidade responsabilidade com que os temas são
de São Lourenço, nas Minas Gerais. tratados, além do respeito aos nossos
As experiências, adquiridas leitores, levaram a Revista Arte Real a
durante outros três anos em que conquistar espaço considerável na
tivemos a oportunidade de produzir imprensa maçônica. Fato, que veio a se
o periódico “InforMaçons”, que se concretizar, em 15 de dezembro de
tornou órgão oficial de divulgação de 2007, antes mesmo de completar seu
nossa Loja de origem (A∴R∴B∴L∴ primeiro ano de existência, quando
S∴ Igualdade nº 93, GLMERJ, recebeu o reconhecimento e registro na
Oriente do Rio de Janeiro), além de respeitável ABIM – Associação
mais cinco, produzindo o Brasileira de Imprensa Maçônica –
informativo “O Arauto”, ligado à Sociedade Brasileira de presidida pelo incansável Antônio Carmo Ferreira, escritor,
Eubiose-RJ, foram fundamentais para que, em 24 de acadêmico e atual Grão-Mestre do GOIPE.
fevereiro de 2007, sentíssemo-nos seguros para criarmos a De publicação mensal, chega a 36 edições
Revista Maçônica Virtual Arte Real. Às vésperas das ininterruptas, que bateram à caixa de e-mails de nossos
calendas da antiga Roma, portanto, antecedendo a 1º de diletos leitores, sempre, às vésperas do início do mês. Desses,
março daquele ano, distribuímos sua primeira edição pela recebemos, mensalmente, inúmeras mensagens, em que
Internet, através de nossa, então, modesta carteira de fazem questão de expressar suas opiniões, críticas e
pouco mais de 2.000 e-mails de Irmãos maçons. considerações, que muito nos auxiliam no aprimoramento
Por ser uma Revista, que não possui vínculo com desse nobre trabalho.
O resultado de tudo isso se traduziu em números parte dos custos de sua produção.
e nos chegou como uma avalancha. Dos cerca de 2.000 Tivemos a honra de anunciar vários lançamentos de
leitores na primeira edição, antes de fecharmos o ano de livros, em sua maioria de cunho maçônico, abrindo um
2009, tivemos a grata alegria e a responsabilidade de espaço cultural para escritores exporem suas obras. Criamos
ostentar a invejável carteira de mais de 14.026 e-mails, que a coluna Boas Dicas, a fim de indicar sites, livros e distribuir
nos recebem diretamente. alguns e-books. A coluna Informe Cultural foi criada, a fim
Devido a esse grande sucesso, muitos Irmãos nos de servir de espaço para divulgar eventos em prol da
solicitaram disponibilizar nossa Revista para download, cultura, campanhas sociais e a publicação de matérias que
como atrativo, em seus sites maçônicos, o que temos venham estimular o trabalho altruístico e o interesse pelo
atendido com enorme prazer. Várias listas de discussão estudo e pela pesquisa.
maçônica, pela Internet, também, distribui nossa Revista Com a criação da coluna Ritos Maçônicos, na 4ª
aos seus membros, o que faz sua abrangência, em todo edição, pudemos enveredar em pesquisas sobre uma
Brasil e no exterior, chegar a números incalculáveis. infinidade de Ritos praticados por nossa Ordem, levando,
Ousadamente, mas convicto de que se trata de um com isso, nossos leitores a entenderem melhor o Rito
trabalho altruístico, abraçamos, denodadamente, seus praticado em suas Lojas, induzindo-os a pesquisarem quanto
custos e a grande responsabilidade de sua produção, no à origem de algumas modificações que os mesmos vieram
que se refere a pesquisas, diagramação, editoração gráfica sofrendo.
e de imagens. A partir da edição nº 10 (dez/07), recebemos Em meio à entrada da Era de Aquarius, fomos
o inestimável reforço do nosso querido parceiro em vários intuitivamente levados a criar, desde a 10ª edição, a coluna
projetos culturais, nosso Irmão João Camanho, “expert” Os Grandes Iniciados, a fim de facilitar a compreensão de
na língua portuguesa, o qual tem elevado o grau de todos com relação ao surgimento cíclico de um Mestre de
excelência desse trabalho, sempre, com olhar atento e Sabedoria, um Avatara, apresentando-O, através de sua Vida
precisão cirúrgica em suas correções ortográficas. e Obra e retirando os tênues véus que cobrem a manifestação
Temos convicção de que o mérito desse crescente da Divindade no plano físico, em auxílio à evolução humana.
sucesso não pertence só a nós. Os Irmãos colaboradores, Assim, chegamos à 36ª edição, em sendo vontade do
que nos enviam seus textos, os quais passam por criterioso G∴A∴D∴U∴ e dos Mestres de Sabedoria, para cujos
processo de seleção, merecem uma generosa e merecida desígnos essa Revista busca ser um canal, alçaremos voos
fatia. bem mais altaneiros.
O objetivo de nossa Revista é, e sempre será, a O aniversário é nosso, mas o presente pertence a
exaltação da cultura, portanto a distribuímos todos nós que, direta ou indiretamente, esforçamo-nos para a
gratuitamente. É óbvio que, mesmo se tratando de uma construção de um mundo melhor, para edificação de uma
revista eletrônica, sua produção gera certos custos, que Ordem mais atuante e digna de um glorioso passado.
optamos por absorver.. Já, em sua segunda edição, três A Revista Arte Real acredita e trabalha por dias
Irmãos firmaram conosco uma parceria, anunciando suas melhores, pois, jamais, permitiu, ao longo de sua existência,
empresas; vale citar que dois deles se mantêm como que o desânimo, a fraqueza e a omissão tomassem parte em
nossos parceiros culturais, até hoje. suas linhas. Acreditamos, piamente, que, para que não
Nossos patrocinadores, entendendo que a Revista sejamos parte do problema, mister se faz que sejamos parte
Arte Real é de fundamental importância como veículo de da solução!
divulgação da cultura maçônica e, devido a sua enorme Feliz aniversário a todos nós, e que venham novos
abrangência, uma ótima vitrina para divulgar suas desafios, pois deles fazemos a razão de nossa existência,
empresas, produtos e serviços, têm sido solidários e consequentemente, escrevendo nossa história nessa
fraternos, contribuindo através de seus anúncios, com Trajetória de Luz! ?
a b
A Iniciação Real
José Inácio da Silva Fº

A
Maçonaria adquiriu o seu aspecto iniciático a partir do dado por JULES BOUCHER, no livro "Simbólica Maçônica", o
século XVIII. A singela recepção das Lojas operativas foi "iniciado" é aquele que foi "colocado no caminho". Paul Naudon, em
transformando-se, o ritual foi enriquecendo-se e "La Franc-Maçonnerie", referindo-se à iniciação simbólica, assim
complicando-se a Liturgia, durante todo o século XIX, até chegar escreve:
à Iniciação Maçônica atual com o seu brilhante cortejo simbólico. "O objetivo da iniciação formal é conduzir o indivíduo ao
Na verdade, o que a Ordem Maçônica pretende, através Conhecimento por uma iluminação interna. É a razão pela qual a
da Iniciação, é dar ao iniciado uma responsabilidade maior não Maçonaria usa símbolos para provocar essa iluminação, por aproximação
somente como ser humano com vida espiritual, mas também analógica. Vemos, assim, que os verdadeiros segredos da Maçonaria são
como homem e cidadão. E isso os antigos o faziam por meio de aqueles que não se dizem ao adepto e que ele deve aprender a conhecer pouco
ritos iniciáticos. Os iniciados eram submetidos a exercícios a pouco, soletrando os símbolos".
mentais e intelectuais e, pela meditação e a concentração, eram Não existe nisso nenhum incitamento à pura
conduzidos paulatinamente, ao despertar de uma vida interior contemplação interior, à êxtase, ao misticismo... "Cabe ao neófito
intensa e, assim, a uma compreensão melhor da vida. descobrir o segredo. Dentro da noite de nossas consciências, há
Diz Aryan, na introdução ao Livro "La Masoneria Oculta uma centelha que nos basta atiçar para transformá-la em luz
y la Iniciacion Hermética", de J. M. Ragon, que "os ritos não teriam esplêndida. A busca dessa Luz é a Iniciação".
nenhuma utilidade se os seus ensinamentos caíssem como água "Nessa marcha ascensional em direção à Luz, onde a via
numa ânfora quebrada”. O seu objetivo consiste em relembrar ao intuitiva parece primordial, é evidente que a razão não pode ser
iniciado que deve dar, cada vez mais, predomínio à vida interior afastada. Em todos os ritos, a Maçonaria a evoca sem cessar. É a
do que à atração dos sentidos. A promessa do Maçom de ser bom lição dos símbolos, entre outras, a do compasso, que se aplica,
cidadão, de praticar a fraternidade não quer dizer outra coisa. particularmente, ao volume da Lei Sagrada, símbolo da mais alta
Diodoro da Sicília dizia que "aqueles que participavam dos espiritualidade, à qual aspira o Maçom."
Mistérios tornavam-se mais justos, mais piedosos e melhores em Essas ideias e pensamentos têm o objetivo fraterno e leal
tudo". Por isso, o primeiro passo da vida iniciática é a entrada em de incutir nos recém-iniciados o verdadeiro espírito maçônico; de
câmara ou cripta onde hão de morrer as paixões, para que o fazê-los ver a responsabilidade assumida perante a família dos
aspirante possa ser admitido no reino da Luz. Como dizia, há Irmãos conhecidos e desconhecidos espalhados pelo orbe da Terra.
séculos, Plutarco: "Morrer é ser iniciado". Que todos nós, indistintamente, aprendamos a conhecer o
Há duas espécies de iniciação: a Real e a Simbólica. A espírito maçônico, afastando-nos da falsa ciência e do sectarismo,
primeira, segundo escreve A. Gédalge no "Dicionário Rhea", é o combatendo e esclarecendo todo cérebro denegrido pelo
resultado de um processo acelerado de evolução que leva o obscurantismo, para que possamos tornar-nos dignos de ser uma
Iniciado a realizar, em si mesmo, o que o homem atual deverá dessas Luzes ocultas que iluminam a humanidade. Os verdadeiros
ser num futuro, que não pode ser calculado. A segunda é, sinais pelos quais se reconhece o Maçom não são outros senão os atos
apenas, a imagem da iniciação real. da vida real, já nos ensinava o Irmão Oswald Wirth. O Maçom há que
Referindo-se à Iniciação Simbólica, o Manual de agir equitativamente como homem que cuida de se comportar para
Instrução do Primeiro Grau da Grande Loja de França, citado com outrem, como deseja que se proceda a seu respeito. O Maçom
por Paul Naudon em "La Franc-Maçonnerie et le Divin", assim distingue-se dos profanos por sua maneira de viver. Se não viver
se expressa: "Os ritos iniciáticos não têm nenhum valor sacramental. melhor que a massa frívola ou devassa, a sua pretensa iniciação na
O profano que foi recebido Maçom, de acordo com as formas arte de viver revela-se fictícia, a despeito das belas atitudes que finge.
tradicionais, não adquiriu, só por esse fato, as qualidades que Esforcemo-nos para que sejamos reconhecidos não pelo
distinguem o pensador esclarecido do homem ininteligente e grosseiro. toque, pelo sinal ou pela palavra, mas por nossas ações no âmbito
O cerimonial de recepção tem valor, unicamente, como encenação de maçônico, social e profissional. "Sejamos homens de elite, sábios ou
um programa que importa ao Neófito seguir, para entrar na posse de pensadores, erguidos acima da massa que não pensa", porque
todas as suas faculdades". somente desse modo é que poderemos alcançar a Iniciação Real,
Pela iniciação simbólica, segundo o sentido etimológico digna de poucos. ?
a b
Sócrates e a Metafísica
Raimundo Rodrigues

P
rimeiro, façamos a pergunta: O que é metafísica? apresentam aos seres, no
Quem nos responde é o filósofo espanhol Garcia mundo moral.
Morente: “Metafísica é a parte da filosofia que responde Que faz então?
ao problema da existência, da autêntica e verdadeira existência, Procura reduzir ao mínimo
da existência em si”. esses propósitos, de
Se a metafísica é a parte da filosofia que responde resoluções, colocando a
ao problema da existência, não é difícil deduzir-se que clareza do seu pensamento
metafísica nada mais é que uma “ciência” construída pela acima dos meandros da
razão. Por isso é que a razão, partindo dos conceitos linguagem, que nem sempre
metafísicos, pretende conhecer todos os seres da natureza. reflete o pensamento com
Através de Sócrates, percebe-se que o que há de objetividade.
mais importante na metafísica é a origem e a função dos Quando Sócrates
conceitos. pergunta o que é a verdade, ou o que é a coragem, ou o que é
O ser precisa ser expresso em esquema conceitual a justiça, deseja saber, conceitualmente, o que é a justiça, o
a fim de que fique clara a sua evidência para a razão. Cada que é a coragem, o que é a verdade.
vez que a razão conceitua, parte para a elaboração de uma Para os gregos, quando se indaga “o que é”, pede-se
nova realidade do ser. que se “dê a razão de”. Para tanto, é necessário que se
Os conceitos primordiais da metafísica são as aplique o entendimento, a intuição intelectual, para que se
categorias: substância, quantidade, qualidade, relação, possa chegar à razão que explique o que é a verdade, o que é
lugar, tempo, ação e paixão. Portanto, as categorias a coragem, o que é a justiça, encontrando uma fórmula
significam os conceitos que a razão adota para conhecer, racional que seja capaz de abarcar, completa e inteiramente,
apreender e julgar a realidade. a palavra justiça, a palavra coragem, a palavra verdade, sem
Segundo Aristóteles, Sócrates é o inventor do deixar um ângulo sequer fora do estudo.
raciocínio indutivo, sendo, assim, o iniciador da É isso que Sócrates faz; razão por que, a partir dele, a
metafísica. Com ele, o pensamento encaminha-se para a filosofia assume não só uma forma variável, mas também um
aprendizagem do conhecer mediante conceitos: indução e o caráter de racionalidade até ali, ainda, não alcançado.
conceitos, duas coisas que se referem ao ponto de partida da Não nos podemos esquecer de que, dessa forma,
ciência. Sócrates se opõe às artimanhas dos sofistas que,
Daqui se infere que o grande processo filosófico de habitualmente, conforme pregam, usam as palavras para
Sócrates procura aparar todas as arestas que a ideia da substituir os conceitos. Vamos repetir fórmula velha e
coisa possa conter, a fim de poder atribuir-lhe aquilo que conhecida, mas nem sempre examinada com cuidado:
seja meramente acidental. Sócrates estuda, sempre e meticulosamente, a essência de
O entendimento imediato ou mediato da coisa cada coisa. Ora, se seu ponto de partida é a conceituação,
depende da clareza maior ou menor do conceito. isso significa que a “teoria dos conceitos” leva à “teoria das
Conceituar é uma arte, e Sócrates usou-a de maneira essências”, tornando quaisquer processos pesquisados,
genial. Ele se socorre das mais variadas formas de lógicos, arrimados na razão e no raciocínio. Aí chegamos à
definição, sem nunca perder de vista a lógica conceitual. chamada “teoria do conhecimento”.
Daí a meticulosidade de que ele lança mão para A teoria do conhecimento, até certo ponto, é de uma
conhecer bem a coisa a ser definida. Quando define um simplicidade a toda prova. Que significa conhecer? Já vimos
objeto, ocorre-lhe o mesmo propósito de fazer, com o que conhecer significa formar conceitos. Mas... e o que é
mundo moral, o que os geômetras fazem com o mundo conceito? Seria bom, nesse ponto em que nos encontramos,
das figuras físicas. Em primeiro plano, Sócrates examina fazer uma análise perfunctória do que seja conceito. Tudo
cuidadosamente o objeto em estudo, tendo por mira aquilo que o espírito concebe, tudo aquilo que o espírito
analisá-lo sob todos os aspectos, procurando visualizá-lo entende é conceito. Assim, de imediato, entende-se que
de todos os ângulos possíveis, separando o que é conceito é ideia, é juízo, é opinião formada. Transportando-
meramente acidental daquilo que é objetivo e realmente nos aos oásis da filosofia, concluímos que conceituar é
essencial. Ele tem uma visão muito ampla de enorme estabelecer características determinadas para aquilo que
quantidade de propósitos, de resoluções e de ações que se cada uma das essências vê realizar-se na substância.
Não se pode e não se deve desfitar os olhos de que há afirma que ideia é um conceito necessário de razão.
dois tipos de conceito: conceito empírico, próprio da Por isso, o filósofo busca fazer com que ocorra a união
experiência, e o conceito puro, próprio da filosofia. O entre o pensamento e a realidade. Quando se filosofa, a ideia
conceito empírico tem uma medida para cada elemento da está, obrigatoriamente, em tudo o que pensamos. À medida que
realidade que ele classifica. Já o conceito puro é a percepção o pensamento aumenta seu poder de conhecimento, ele se
da realidade na intuição do sentido. O conceito demonstra transforma em ideia. Ter ideia é ter o conhecimento da
que o interesse do pensamento se dirige imediatamente para realidade. Todo homem que pensa é sempre um homem de
a coisa intuída. Cabe ao pensamento a busca da realidade ideias. O que não pensa é vazio delas. O saber nada mais é que
intuída. Assim, as imagens criadas pelo pensamento em o armazenamento espiritual de uma gama extraordinária de
junção com a realidade recebem o nome de ideias. Kant conceitos. Quem os possuiu mais que Sócrates? ?
a b
Inteligência Espiritual
Francisco Feitosa

C
om o dealbar da Era de Aquarius, a ciência dos filósofa americana Dana Zohar aborda um tema tão novo quanto
homens, a cada dia, apresenta uma nova descoberta polêmico: a existência de um terceiro tipo de inteligência que
no que se refere às potencialidades inerentes ao ser aumenta os horizontes das pessoas, torna-as mais criativas e se
humano. Está mais do que evidente a chegada do Novo manifesta em sua necessidade de encontrar um significado para a
Ciclo, rasgando conceitos do passado, quebrando tabus e vida. Ela baseia seu trabalho sobre Quociente Espiritual (QS) em
apresentando uma repaginação do “Livro da Vida” na pesquisas, só há pouco divulgadas, de cientistas de várias partes do
história da humanidade. Os tempos são chegados, à guisa de mundo, que descobriram o que está sendo chamado "Ponto de
uma preparação para uma nova época, para o surgimento de Deus" no cérebro, uma área, que seria responsável pelas
uma Nova Civilização, a qual terá experiências espirituais das pessoas.
como objetivo o despertar do estado O assunto é tão atual, que foi
de consciência focado no mental abordado em recentes reportagens de capa
abstrato, o quinto princípio. pelas revistas americanas Neewsweek e
Pelo menos, para a Fortune. Afirma Dana: "A inteligência
humanidade comum, já que, para os espiritual coletiva é baixa na sociedade
postulantes à Iniciação nas moderna. Vivemos numa cultura
verdadeiras Ordens Iniciáticas, espiritualmente estúpida, mas podemos
através dos processos nelas agir para elevar nosso quociente
praticados, o despertar desse espiritual". Aos 57 anos, Dana vive em
potencial é, absolutamente, normal, Inglaterra com o marido, o psiquiatra Ian
gradual e constante, durante seu Marshall, co-autor do livro, e com dois
processo evolutivo. filhos adolescentes. Formada em física pela
A ciência atual, antes, Universidade de Harvard, com pós-
motivada, pura e simplesmente, pelo graduação no Massachusetts Institute of
progresso material, começa a se curvar a esses novos Tecnology (MIT), ela, atualmente, leciona na universidade inglesa
valores, já, há muito, ensinados, nas Escolas de Mistérios de Oxford. É autora de outros oito livros, entre eles, O Ser
da Antiguidade que, visam à evolução do homem como Quântico e A Sociedade Quântica, já traduzidos para português.
um todo, principalmente, em seu aspecto espiritual. QS - Inteligência Espiritual já foi editado em 27 idiomas, incluindo
Essa terceira modalidade de avaliação da o português (no Brasil, pela Record). Dana tem sido procurada por
inteligência humana, juntando-se as anteriores (Quociente grandes companhias interessadas em desenvolver o quociente
de Inteligência e Inteligência Emocional), estão, espiritual de seus funcionários e dar mais sentido ao seu trabalho.
diretamente, relacionadas à trilogia que forma o ser Ela falou à Revista Exame, em Porto Alegre, durante o 300º
humano, em físico, psíquico e espiritual, respectivamente. Congresso Mundial de Treinamento e Desenvolvimento da
Abaixo transcrevemos uma matéria publicada em International Federation of Training and Development
vários sites na Internet sobre a “descoberta”, à luz da Organization (IFTDO), organização fundada na Suécia, em 1971,
ciência, de um novo tipo de inteligência, a Espiritual. que representa 1 milhão de especialistas em treinamento em todo o
“No livro QS - Inteligência Espiritual”, a física e mundo. Eis os principais trechos da entrevista:
O que é inteligência espiritual? É uma terceira espiritual.
inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto Qual a diferença entre QE e QS? É o poder transformador.
mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos. Ter alto A inteligência emocional me permite julgar em que situação eu me
quociente espiritual (QS) implica ser capaz de usar o espiritual encontro e me comportar apropriadamente dentro dos limites da
para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequado senso situação. A inteligência espiritual me permite perguntar se quero
de finalidade e direção pessoal. O QS aumenta nossos horizontes e estar nessa situação particular. Implica trabalhar com os limites da
nos torna mais criativos. É uma inteligência que nos impulsiona. É situação. Daniel Goleman, o teórico do Quociente Emocional, fala
com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e das emoções. Inteligência espiritual fala da alma. O quociente
valor. O QS está ligado à necessidade humana de ter propósito na espiritual tem a ver com o que algo significa para mim, e não
vida. É ele que usamos para desenvolver valores éticos e crenças que apenas como as coisas afetam minha emoção e como eu reajo a isso.
vão nortear nossas ações. A espiritualidade sempre esteve presente na história da
De que modo essas pesquisas confirmam suas ideias humanidade. No início do século XX, o QI era a medida definitiva
sobre a terceira inteligência? Os cientistas descobriram que da inteligência humana. Só em meados da década de 90, a
temos um "Ponto de Deus" no cérebro, uma área nos lobos descoberta da inteligência emocional mostrou que não bastava o
temporais que nos faz buscar um significado e valores para sujeito ser um gênio se não soubesse lidar com as emoções. A
nossas vidas. É uma área ligada à experiência espiritual. Tudo ciência começa o novo milênio com descobertas que apontam para
que influencia a inteligência passa pelo cérebro e seus um terceiro quociente, o da inteligência espiritual. Ela nos ajudaria
prolongamentos neurais. Um tipo de organização neural a lidar com questões essenciais e pode ser a chave para uma nova
permite ao homem realizar um pensamento racional, lógico. Dá era no mundo dos negócios. Dana Zohar identificou dez qualidades
a ele seu QI, ou inteligência intelectual. Outro tipo permite comuns às pessoas espiritualmente inteligentes. Segundo ela,
realizar o pensamento associativo, afetado por hábitos, “essas pessoas: praticam e estimulam o autoconhecimento
reconhecedor de padrões, emotivo. É o responsável pelo QE, ou profundo; são idealistas; têm capacidade de encarar e utilizar a
inteligência emocional. Um terceiro tipo permite o pensamento adversidade; são holísticas; celebram a diversidade; têm
criativo, capaz de insights, formulador e revogador de regras. É independência; perguntam sempre "por quê?"; têm capacidade de
o pensamento com que se formulam e se transformam os tipos colocar as coisas num contexto mais amplo; têm espontaneidade e
anteriores de pensamento. Esse tipo lhe dá o QS, ou inteligência compaixão”. ?
a b

Odin

E
m todas as épocas e países, tem surgido esse Édipo, o mônada humana, durante
Manu, ou a potência espiritual, que preside o um sistema de evolução
complexo trabalho oculto de arregimentação e seleção Odin, considerado
das mônadas para a formação das raças. São os gigantescos como o condutor dos celtas
místicos e pensadores, os gênios de primeira grandeza da primitivos nos países nórdicos
Ciência e da Arte, as Altas Vozes da mente iluminada, que (Noruega, Dinamarca, Países
descortinam as renascenças, que lançam o germem das ideias Baixos, Irlanda, Bretanha,
impulsionadoras da grande roda do progresso. Gales e Islândia), é classificado
O termo “Manu” provém do radical sânscrito na categoria de Manu parcial,
“man”, que significa “aquele que pensa” e, portanto, dirige. como foram Jeoshua Ben
Dessa palavra, apossou-se a terminologia teosófica para Pandira, Orfeu, Menés e
designar o chefe de uma raça, o fundador de um povo, seu outros. Um Manu parcial tem
patriarca, o legislador máximo. O termo raça, tratado aqui, potencial de 25 a 75% da
não tem a ver com a pigmentação de pele, etnia, etc., e sim consciência divina no ciclo e,
com o conceito com que o estudo da antropogênese divide geralmente, inicia as sub-
em sete fases ou momentos (raças-raízes), a trajetória da raças.
Deixou gravadas, nas rochas, as mais puras e superioridade se afirmou sobre as demais divindades, ele
espirituais doutrinas científico-religioso-primitivas, aparece vestido com couraça brilhante (às vezes com
contendo as mesmas ideias da cosmogênese védica e da capacete de ouro) e armado da lança mágica.
ciência moderna. No Asgard (mundo dos deuses), junto ao seu trono,
Teria sido ele, então, o portador das sementes da 4ª estão dois corvos - Hugin, entendimento, e Munnin, a
sub-raça céltica para a 5ª sub-raça ariana (uma raça-raiz é memória - pousados em seus ombros, e que segredando-lhe
subdividida em sete sub-raças). tudo o que averiguavam durante o dia, quando percorriam o
No mito nórdico, conforme Moniz, Odin foi mundo. Vê-se, nessa citação, a ideia do Senhor das
gerado por Bor e Bestla, representando as ideias básicas de Eternidades, do Pai que de tudo toma conhecimento,
luz e trevas e do princípio andrógino. Foi, com a ajuda de servindo-se de um entendimento perfeito e de uma memória
seus irmãos Vili (vontade) e Vé (sacerdote do templo), que lúcida para agir com amor e justiça.
a tríade construiu o cosmo. Depois de criarem o cosmo, Conforme os Eddas, a "bisavó" dos cantos
verificando que sua obra estava incompleta, resolveram escandinavos, publicados em 1643, Odin é o principal
fazer o homem (ask) com a madeira deus na mitologia escandinava -
de um freixo, e a mulher (embla), O'din, o Deus, ciência ou sabedoria.
com um amieiro (ou com um olmo). Sendo o pai dos deuses e da divina
Odin deu-lhes a vida e a alma; Vili, a sabedoria, no panteão escandinavo, é
razão e o movimento, e Vé, os idêntico a Hermés ou Mercúrio da
sentidos, a fisionomia expressiva e o antiguidade romana; a Buda, no
dom da palavra. Aos dois foi dada orientalismo moderno, e ao Marte
como moradia Midgard, a Terra. A escandinavo.
humanidade descende deles. Além de deus da guerra, Odin-
Semelhantemente, Eliade, Wotan é, também, deus dos mortos.
referindo-se à cosmogonia dos Tinha o poder de se transformar à
antigos germanos, também, cita Odin vontade; podia assumir formas
como criador do primeiro casal diferentes e se misturava à vida dos
humano, partindo de duas árvores, mortais.
askr e embla. Foi ajudado por Protege, por meios mágicos, os
Hoenir, que lhe forneceu a grandes heróis. Entre os favoritos,
inteligência, e por Lodhur, os menciona-se a raça dos volsungs ou
sentidos e a feição antropomorfa. velsungos. Entretanto, apresenta
Ambas as versões têm a comportamento contraditório, por
representação da Divindade como abater os seus protegidos, explicado
uno-trino e o ser humano polarizado pela necessidade de reunir os
e constituído por vários veículos. combatentes mais temíveis, com vistas
Odin ou Vótan (Wotan, Wodan), na mitologia à batalha escatológica do Rägnarok. Esses guerreiros
germânica, é, talvez, a mais antiga figura, a mais conhecida. notáveis, tombados em combate, eram conduzidos ao palácio
Segundo Blavatsky, Odin "poderia ser o próprio nome de celeste, Valhalla (Wallallah - O Vale de Allah ou de Deus,
Deus que, com tanta alteração encontrada nas diversas para onde seus guerreiros e heróis eram conduzidos pelas
línguas, poderia ser decomposto em O'din, o Deus (ver Walkyrias). Valquírias, "aquelas que escolhem os mortos no
Eddas). Era chefe da sociedade divina; o mais sábio, mais campo de batalha", eram espíritos fornecedores dos mortos,
inteligente, o senhor da magia, da ciência suprema e da conforme Eliade. ?
poesia, mas, também, o deus da guerra.
No papel de "condutor da caça selvagem", era *compilação de matérias de autoria de Angelina Debesys e Noemy
representado como um sombrio cavaleiro vestido com um Martari e Silva Santos publicadas na Revista Dhâranâ, edição 242,
grande manto flutuante, cavalgando ora um ginete de fevereiro de 2003, órgão oficial da Sociedade Brasileira de
branco, ora um negro. Mais tarde, quando sua Eubiose.
a b
Real Arco – Supremo Grande Capítulo
Rui Ferreira da Silva

N
ovo, Porém Antigo. Esse foi o título do artigo
publicado sobre o Real Arco na Revista Engenho &
Arte, do verão de 2000, parodiando o lema do
Grande Oriente do Brasil. De lá para cá, muita coisa
aconteceu para acender o interesse dos Maçons brasileiros
sobre esse último caminho regular da Franco-Maçonaria.
a Maçonaria já estava estruturada nos Graus Simbólicos, não
A Grande Loja Unida da Inglaterra, no âmbito do
havia mais o que mexer. Assim, os Graus Capitulares, tanto
Grande Oriente do Brasil, está incentivando a criação de
do Rito de York quanto do Rito Escocês Antigo e Aceito,
Capítulos do Arco Real em língua portuguesa. A GLMESP
foram organizados numa estrutura simples e sequencial,
criou um Grande Capítulo do Arco Real inglês, através da
acima dos Graus de Aprendiz, Companheiro e Mestre. O
Grande Loja da Espanha, para o Estado de S. Paulo. Da
Lado Escocês da famosa ilustração da Escada Maçônica vai
mesma forma, os três Capítulos do Real Arco americano,
do 4º ao 33º, enquanto o Lado York vai de Mestre de Marca,
que haviam feito uma petição ao Grande Capítulo Geral
o primeiro Grau do Real Arco, a Cavaleiro Templário, o mais
de Maçons do Real Arco Internacional, receberam sua
elevado.
Carta Patente para o Supremo Grande Capítulo de
Real Arco ou Arco Real? Tanto faz. Desde os
Maçons do Real Arco do Brasil. Assim, de repente, os
primórdios do Real Arco americano no Brasil, foi mantida a
Maçons brasileiros estão recebendo notícias sobre algo
tradição do título adotado pelo Capítulo pioneiro, Jerusalém,
meio desconhecido, e é mais do que natural que estejam,
do Paraná. Como os Companheiros da versão inglesa
ao mesmo tempo, confusos e curiosos.
adotam Arco Real, a própria nomenclatura ao mesmo tempo
O Arco Real inglês já existia no Brasil há algum
guarda a semelhança e estabelece certa diferença. Vejamos
tempo, com seus Capítulos sempre vinculados a uma Loja
quais são: o Real Arco americano, de quatro graus, é
Simbólica. Isso porque, pelo Artigo II do Tratado de União
Maçonaria Capitular, com estrutura, liturgia e organização
de 1813, origem da United Grand Lodge of England, o
próprias. Forma um todo sequencial, cronológico e
Arco Real inglês é parte dos Graus Simbólicos,
harmonioso. Não está ligado às Lojas Simbólicas e nada tem
constituindo-se num Grau lateral, complemento do Grau
a ver, administrativamente falando, com as Obediências
de Mestre Maçom. Diz o Artigo que “a pura Maçonaria
Simbólicas, a não ser relações fraternas e respeitosas.
Antiga consiste de três graus e mais nenhum, isto é, os de
O Arco Real inglês é uma extensão lateral do Grau de
Aprendiz, Companheiro e Mestre Maçom, incluindo a
Mestre Maçom, complementa, estado ligado sempre a uma
Suprema Ordem do Sagrado Arco Real”.
Loja Simbólica, ficando, portanto, sujeito à Obediência
Foi a maneira sutil de harmonizar os pontos de
Simbólica que o abriga; apesar das diferenças estruturais,
vistas antagônicos para que as Grandes Lojas rivais
lembramos que tanto a essência como a origem de ambas as
(Antigos e Modernos), aceitassem a união. Os estudos,
versões é a mesma.
para unificar o ritual dos Graus Simbólicos, culminaram
O início do Real Arco Americano, no Brasil, deu-se
na primeira exibição do novo ritual simbólico inglês, em
com o Capítulo José Guimarães Gonçalves nº 1, de Maçons
23 de agosto de 1815. A primeira Loja de Instrução, The
do Real Arco, instalado pelo Capítulo Jerusalém em 8 de
Lodge of Stability, funcionou a partir de 1817. Mas o Arco
maio de 1993, um tributo à coragem e à capacidade de
Real inglês, em sua nova forma, só iria ganhar um ritual
realização do Irmão José Nunes dos Santos. Recebeu sua
impresso em 1834.
Carta Constitutiva definitiva em outubro de 1997,
O Real Arco americano, sem problemas, chegou à
diretamente do General Grand Chapter of Royal Arch
sua forma atual em 1797, ao mesmo tempo que os Graus
Masons International. Do Capítulo José Guimarães
Simbólicos, todos organizados por Thomas Smith Webb.
Gonçalves, surgiram mais dois Capítulos: Thomas Smith
Na verdade, os americanos tinham resolvido,
Webb, no Rio Grande do Sul, em 1997, e Keystone, no Estado
pragmaticamente, seus impasses bem antes de 1813. Como
do Rio de Janeiro, em 2000.
Embora antigo nos Estados Unidos, o Real Arco propício ao diálogo e ao aprendizado. Os ensinamentos são
americano é novo entre nós. Jóias, aventais, alfaias, rituais, discutidos livremente, sem qualquer imposição dogmática,
instruções e mais toda a parafernália, necessária à como é próprio a homens livres e de bons costumes. Até
realização das cerimônias, tudo teve que ser criado e porque – e esse é um dos motivos de fascínio do Real Arco –
produzido, seguindo a orientação do General Grand estamos todos aprendendo e construindo. Dentro desse
Chapter Americano. Além disso, organizaram-se princípio, o Brasil, único em sua pluralidade de Ritos
calendários anuais, preparam-se eventos litúrgicos e regulares – Adonhiramita, Francês ou Moderno, Escocês
sociais. Sem falar na preparação dos formulários para Antigo e Aceito, Schröder, York (ritual Emulação), Brasileiro
remessa da capitação anual, redigidos em inglês, em e, agora, também, Escocês Retificado – oferece uma
formulário próprio, trabalho para apavorar qualquer esplêndida oportunidade de aprendizado. Muitas vezes, o
Secretário. Por isso, para fazer crescer o Real Arco no Maçom percebe, em outro Rito, aquilo que não ficara de todo
Brasil, tornou-se imperioso criar uma estrutura central explicado no seu Rito de origem. Por isso, o Real Arco, no
nacional para ajudar na divulgação, na administração e na Brasil, não só está aberto a Maçons de todos os Ritos e de
liturgia, dando suporte efetivo na educação dos Maçons todas as Obediências regulares, como também incentiva o
do Real Arco e na criação de novos Capítulos. estudo e a análise.
Assim, no dia 15 de novembro de 2000, de acordo Os Graus do Real Arco - o Grau de Mestre de Marca
com as tradições maçônicas, os representantes dos três resgata uma das tradições operativas mais singelas e
Capítulos originais fizeram uma petição ao General Grand significativas da Idade Média. O Mestre de Marca passa a
Chapter para a criação do Supremo Grande Capítulo de identificar-se como o faziam nossos antepassados, que
Maçons do Real Arco do Brasil, cuja fundação, para os construíram as magníficas catedrais góticas.
efeitos legais, oficializou-se no dia 1º de janeiro de 2001. A O Grau de Past Master é um privilégio para o Mestre
Constituição e o Regulamento do Supremo Grande Maçom, porque, no começo, o Real Arco era prerrogativa
Capítulo foram registrados no Registro de Pessoas exclusiva de Mestres Eleitos ou Instalados.
Jurídicas do Rio de Janeiro. Tivemos, finalmente, a honra O Grau de Mui Excelente Mestre é o único Grau
de receber a Carta Constitutiva do Supremo Capítulo, Maçônico, de qualquer Rito, que fala da terminação do
outorgada no dia 24 de maio de 2001, assinada pelo Templo de Salomão e dedicação a Ele. Sua nobreza e carga
Grande Sumo Sacerdote Geral, Companheiro William emocional o tornam uma das mais belas etapas da Senda
Schoene. Atualmente, existem 40 Capítulos no Brasil. Maçônica.
O título de quem alcança o Grau de Maçom do O Grau de Maçom do Real Arco coroa, de forma
Real Arco é Companheiro, derivado Companion (termo grandiosa, os conhecimentos do Mestre Maçom. É o
inglês derivado do latim “cum panis” - aquele com quem momento em que a Lenda do Templo é concluída em
se reparte o pão). Ao terminar os três primeiros Graus, magnífico esplendor.
Mestre de Marca, Past Master e Mui Excelente Mestre, o O Real Arco traz a Maçons de todos os Ritos, uma
Mestre Maçom recebe um Certificado. Quando alcançar o nova compreensão do Simbolismo. Leva-nos a pensar, a
último Grau Capitular, receberá o Diploma e seu Cadastro comparar e a entender. Conduz-nos à emoção e ao
de Maçom do Real Arco. encantamento. Eleva-nos, cada um de nós, a uma dimensão
No Real Arco, estimula-se um clima de respeito, inteiramente nova. ?
a b

Desvelando a Verdadeira Iniciação


Antonio Castaño Ferreira

S
abem todos os Iniciados que não é possível alcançar a Suprema
Aspiração, a realização interior, se o discípulo não se apoiar numa
tradição organizada, que lhe sirva de base, a fim de poder enfrentar as
forças adversas do meio em que vive. Essa tradição não deve ser
exclusivamente de ordem social e moral, senão de ordem oculta.
Os que sabem as coisas secretas falam, veladamente, da Comunhão das
Almas Santas ou da Comunhão dos Santos, como diz a Igreja Católica,
servindo de eco a um conhecimento mais antigo, que ela, cujo sentido
verdadeiro lhe escapa completamente. Isso quer dizer que cada Aspirante à
Verdade, que tenta o Caminho Direto, mais fino que o fio de uma navalha,
precisa se apoiar numa força, criada através dos séculos pelos seus
inumeráveis predecessores nessa vereda espinhosa.
Cada homem, que se faz Mestre Perfeito, deixa, no ambiente terreno, o
resultado de seus tremendos e perseverantes esforços, com um poder espiritual
consciente, que se une aos dos demais Irmãos de todas as épocas, como
um influxo vivo, verdadeira torrente espiritual, dirigida para um determinado
sentido, constituindo o Poder Espiritual de determinada Série palavras e paixões de ordem inferior. Desse poder, servem-se
de Seres, que se sucederam ininterruptamente como Mestre e algumas criaturas para a realização de seus desejos, ódios,
Discípulo, o que constitui o elemento fundamental de todas as vinganças etc., quando aprendem os processos de entrarem em
iniciações. Esse influxo, essa torrente espiritual remonta à contato com essa força, através, também, de certas iniciações, tão
origem das coisas. conhecidas dos denominados Magos Negros. Esse Poder,
Os Gurus, perfeitos conhecedores das Leis da evolução, formado pela coletividade, pelos seus impulsos contrários à Lei,
dizem não ser possível ao homem alcançar a iluminação, sem considerado Mal pelos espiritualistas, também, tem uma
que esteja ligado a essa torrente ininterrupta, através da qual são consciência constituída pelos múltiplos agregados das ações
comunicados ao discípulo graus, que variam segundo as nocivas dos homens em todos os planos de sua atividade. Esse
iniciações ascendentes. Essas Consagrações são definitivas, Poder é o tão falado Guardião do Umbral, a terrível Potestade,
porque ligam o discípulo a um Poder infinitamente superior ao que deve ser vencida por todo candidato à Magia Branca. Como
que, nele, possa existir de mais elevado. Nessas iniciações, são- o discípulo, durante milênios sem conta, concorreu mais para
lhe dados símbolos, palavras e determinados gestos, linguagem esse Poder do que para a Torrente Espiritual da Boa Lei, é claro
veiculadora desse pacto, tacitamente assumido para com a que fica muito mais ligado a ele pelos poderosos laços das más
tradição iniciática a que se ligou. Assim, ninguém pode evoluir ações, que praticou, do que pelas suas vagas aspirações ao Bem
até a libertação, num curto período de tempo, sem esse auxílio Supremo, que caracterizava o outro polo. É esse o motivo pelo
indispensável. Tal auxílio é uma verdadeira transferência dessa qual se torna difícil ao homem libertar-se da soberania do
Torrente Espiritual, que o Mestre faz ao discípulo, quando lhe Guardião do Umbral.
confere determinada Iniciação. Por isso mesmo, o Mahatma Kut- É essa libertação preliminar a que visam as provas
Humi, diz que os discípulos são iniciáticas, impostas ao discípulo.
envolvidos pelo ambiente do Assim, o discípulo sozinho, tendo,
Mestre, para que todas as suas apenas, por apoio o Poder
possibilidades, boas ou más, se Espiritual da Tradição a que se
manifestem. filiou, deve cortar, um por um,
Certos Místicos do Oriente todos os laços que o prendiam ao
nos falam, como já foi dito, do Egrégora Negro.
Círculo das Almas Perfeitas, com Podemos, agora,
as quais os candidatos à Iniciação compreender por que os Iniciados
entram em contato, para não podem, de modo algum,
alcançarem proteção e auxílio em interferir nessa luta de vida ou
suas lutas sempre árduas e cheias morte em que o discípulo se
de perigo. Esse contato não é o empenha. Com o choque, que ele
resultado de nenhuma cerimônia estabelece com o Guardião do
de evocação de almas de seres falecidos, senão a elevação do Umbral, todas as más qualidades afloram ao campo consciente
Aspirante ao nível altíssimo das esferas espirituais onde do discípulo, do mesmo modo que o contato com a Torrente
gravitam essas Almas. Espiritual faz desabrochar as sementes do bem, que nele
Assim, quanto mais antiga for a tradição esotérica a porventura existam, de forma a despertar, na sua alma, as duas
que se liga o Postulante, mais fácil é sua luta pela conquista da tendências que se defrontam e se digladiam, até que uma delas
iluminação. Quando, entretanto, liga-se a tradições sucumba para sempre.
reconstituídas ou corrompidas, sua luta se torna mais árdua, Por isso disse Kut-Humi: “O discípulo deverá,
não conseguindo, na maior parte dos casos, chegar a seu unicamente entregue a seus próprios esforços, escolher o
elevado objetivo. caminho da direita ou da esquerda; fazendo-se por si só um
Cada grau, que o discípulo, alcança é expresso na Adepto da Boa Lei ou um Mago Negro, dependendo,
Linguagem Universal do Verbo, por uma palavra que sintetiza exclusivamente, de si próprio a escolha do Caminho”. ?
todo o Poder da Torrente Espiritual a que está ligado. São as *O autor pertenceu às fileiras da Sociedade Brasileira de Eubiose,
Palavras Sagradas, as Palavras de Passe. Elas são de um sendo um renomado instrutor e palestrante.
enorme poder no Mundo Oculto, por isso mesmo, são
comunicadas pelo Mestre ao Discípulo, de boca a ouvido, na
hora da Sagração. Todas palavras se derivam de uma única, da
Palavra Inefável, a Palavra Perdida, simbolizada pelo AUM. O
verdadeiro segredo ligado a tal Palavra constitui o fruto da
mais elevada iniciação. Mas, para que, um dia, o discípulo
possa alcançá-la, é indispensável o apoio espiritual da
Tradição Oculta, a fim de que, assim fortalecido, possa
enfrentar, com possibilidade de vitória, as forças antagônicas
que tentam afastá-lo de seu objetivo.
Como os iniciados criaram um Poder Espiritual Ativo,
a humanidade, na sua inconsciência, também, gera um poder
incomensurável, formado pelas suas ações, seus pensamentos,
a b
O Segredo Maçônico e a Via de Dignificação do Homem
Getúlio Medeiros

S
egredo é tudo aquilo que não pode ser revelado, a não direção ao escopo final.
ser sob a forma de contos, alegorias e parábolas de cunho A primeira delas é trabalhar no interior de suas Lojas,
genérico, ministrados de modo exotérico - termo aperfeiçoando o caráter de seus membros com o diuturno
derivado da raiz grega, ex (para fora) + odos (caminho) = saída - desbastar da Pedra Bruta, muito embora se saiba que, depois de
à massa popular (“não deem aos cães o que é santo, nem atirem polida, muitas voltam ao estágio inicial de brutalidade.
pérolas aos porcos; eles poderiam pisá-las com os pés e, virando-se, A segunda tarefa, ainda mais complexa, é relacionar-se com
despedaçar vocês”, Mateus 7:6). o mundo profano, propagando comedidamente seus atos sem
Para os poucos iniciados, contudo, o ensinamento impor-lhe os ideais maçônicos ou revelar-lhe a fonte secreta de onde
esotérico – es (para dentro) + odos (caminho) = entrada. Era se originam aqueles, ou melhor, a Maçonaria deve ser sentida por
individualista e místico: “Quando Jesus ficou sozinho, os que toda parte, mas em nenhum lugar ela deve ser desvelada.
estavam com ele, junto aos Doze, perguntaram o que significavam as A terceira tarefa, essa jamais poderá ser atingida, pois se
parábolas. Jesus disse para eles: Para vocês (os discípulos), foi dado o centra no campo da atividade política, com o objetivo de
mistério do Reino de Deus; para os que estão fora (os profanos), tudo aperfeiçoar o poder político governamental (executivo, legislativo e
acontece em parábolas, para que olhem, mas não vejam, escutem, mas judiciário), colocando-se Maçons (não profanos de avental) em
não compreendam, para que não se convertam e não sejam perdoados” posições de comando, sendo que, na medida do possível, o público
(Marcos 4:10-12). nunca deveria saber que são Maçons.
Já que a Maçonaria se define como “(…) sistema de Nesse aspecto, a atividade proposta, nunca antes
moral, velado por alegorias e ilustrado por símbolos”, nada mais justo alcançada, deveria preceder-se do segredo esotérico no interior das
do que lhe conferir o caráter secreto, inerente a qualquer ordem Lojas, e a ação política, no âmbito dos três poderes republicanos,
iniciática. Aliás, pela mesma razão, secretos eram os Mistérios de forma sutil e secreta.
Antigos, incluindo-se aqueles dos primitivos cristãos, que, para Em outras épocas, a Maçonaria Especulativa tomou as
se distinguir dos pagãos, tinham suas fórmulas de mútuo rédeas da política internacional, especialmente, nos principais
reconhecimento e, ademais, reuniam-se em células, o que, hoje, movimentos revolucionários que sacudiram a Europa e o mundo
pode ser denominado Capítulo ou Loja. desde 1789, com o louvor de que, sempre, houve o segredo cercando
Dentro desse aspecto hermético, nunca é demais todas essas atividades, uma vez que ela jamais foi mencionada na
lembrar a similitude entre o segredo iniciático da Maçonaria imprensa, e os livros de História são silentes quanto ao poder e à
Especulativa com os mistérios da doutrina, estabelecida pelo influência da Ordem. Reportagens sobre encontros e congressos
filósofo e matemático grego Pitágoras de Samos, cujas ideias maçônicos não são disponibilizados para o grande público.
originais incluem o significado vibracional e metafísico dos Hoje, sabe-se que o Tratado de Versalhes de 1919, assinado
números e o conceito abstrato de que a realidade, em que se pelas potências europeias depois de encerrada, oficialmente, a
incluem música e astronomia, é, em nível mais profundo, Primeira Guerra Mundial, em continuidade ao Armistício de 1918,
matemática por sua própria natureza; o uso da filosofia como firmado em Compiègne (França), foi, diretamente, inspirado pela
meio de purificação espiritual; o destino celestial do espírito e a Maçonaria. Suas cláusulas foram trabalhadas em uma grande
possibilidade de ascensão em união com esse princípio divino; a conferência internacional maçônica, que tomou lugar em 28, 29 e
atração de certos símbolos, por vezes místicos, tais como a 30 de junho de 1917, no Quartel General do Grande Oriente da
“tetraktys” (em grego: uma figura triangular consistente de dez França, na Rue Cadet, em Paris.
pontos ordenados em quatro filas, com uma, duas, três e quatro Essa conferência foi cuidada por representantes das
pontos em cada fila); a proporção áurea e a harmonia das principais Lojas de países aliados e neutros - Itália, Suíça, Bélgica,
esferas; o teorema pitagórico; a determinação no sentido de que Sérvia, Espanha, Portugal, Argentina, Brasil, Estados Unidos (de
os membros da ordem observassem a estrita lealdade e o onde duas Lojas em Arkansas e Ohio, não representadas,
segredamento. enviaram cordiais saudações) e assim por diante; somente a
Em seu esforço ingente para dignificar a existência Grande Loja da Inglaterra não esteve representada.
humana e incutir-lhe uma consciência reflexiva, forçando-o a A continuidade de todo esse trabalho depende de nós;
levantar templos à virtude e cavar masmorras aos vícios, o isoladamente, por nossos atos, ou, coletivamente, por intermédio
ideário maçônico especulativo responsabiliza-se por três tarefas, de uma intervenção maçônica segura em defesa da Pátria e da Lei:
que, individualmente, representam sucessivas etapas em
Et pluribus unum, (De todos, um). ?
a b
O Poder da Criação do Homem
Armando Corrêa de Siqueira Neto

E
necessário ao homem entrar em contato consigo realizações. De um lado, há desejos concretizados
mesmo, de forma profunda e permanente, inadequadamente, e, de outro, existem aqueles que são
levando-o à libertação do atraso ao qual se abandonados durante a sua própria gestação.
submete, fruto tão somente das impressões autocriadas A questão, contudo, não se encerra. Deve-se considerar,
desde os primórdios. Para tanto, é prudente apreciar o que ainda, que as invenções geradas pelo homem podem ruir de
já se conquistou: do simples agrupar-se em bando modo igualmente poderoso, deixando-o à mercê do fracasso –
primitivo à complexa convivência na sociedade ainda que possa recuperar-se posteriormente e prosseguir a sua
contemporânea; do manuseio do fogo pré-histórico à jornada. Refiro-me ao fato de as invenções serem, apenas,
combustão que impulsiona os meios de transporte atuais; efeitos causados pelas ideias humanas, e, como tal, serem
da formação rudimentar da comunicação ao moderno e frágeis, pois elas são sólidas só na aparência. Basta analisar a
sofisticado sistema de informações online; da imagem falta de controle existente nas sociedades ao redor do mundo, a
animalesca natural que o precedeu à escultural silhueta, corrupção alastrada e a violência (maneira pela qual se expressa
deliberadamente manipulada e tão avidamente o nosso lado primitivo, ainda, muito presente) atestam,
perseguida; ou, resumidamente, do facilmente, tal descontrole e a pretensa
sonho à realização de tudo quanto solidez (além da infantilidade na escala
lhe foi possível empreender. Ele evolutiva). Tal autoengano é necessário
pode bem mais, todavia não em razão da esperança depositada na
acredita, porquanto não ousa pensar ordem das coisas. Do contrário, perder-
a respeito. Pois, a partir do momento se-ia a fé e o rumo. Apegamo-nos,
em que investir em impensados vigorosamente, ao jogo tecido pela teia
terrenos, ali certamente lhe renderão da autoilusão. No entanto, os exageros
novos e interessantes resultados. voltados ao conforto egoísta têm se
Assim procede-se desde o advento sobrepujado às necessidades
dos primeiros traços da inteligência. comunitárias, dificultando,
Logo, à exceção dos recursos exageradamente, a manutenção das
naturais, todo o resto foi inventado conquistas inventadas. Ou seja, muito
para fins da adaptação humana (e, desejo tanto egoísta quanto
também, atender à obsessão pelo inconsequente produziu-se nos últimos
conforto que, hoje, faz adoecer pela tempos, levando, doentiamente, o
acomodação física, intelectual e convívio social ao sufocamento.
espiritual), obedecendo às Entretanto, só o homem,
informações genéticas que, sempre, inventor da atual situação, pode
impuseram a sobrevivência, o modificar o cenário. Mas é preciso
aperfeiçoamento e a continuidade convencer-se disso primeiramente,
transmitida às gerações posteriores. Emerge, portanto, a pois, infelizmente, os poucos desejos de transformação
perspectiva de que o homem possui imenso poder de favorável, percebidos por hora, são abortados pela descrença
criação. Embora soe óbvia tal afirmação, ela é que se instalou ferozmente através de outros tantos
desconhecida ou duvidosa para grossa parte da inconsequentes. Reflexão, consciência e ação podem mudar,
população, haja vista poucos se darem conta de que profundamente, o que se tem em mira. Eis o poder de
carregam consigo tamanha capacidade criadora. Ela, criação do homem, que só pode ser percebido mediante o
ainda, permanece no campo do mistério. Muito do que se testemunho consciente do seu autor.
concretiza, ainda, diz respeito aos desejos inconsequentes, *Armando Corrêa de Siqueira Neto é psicólogo (CRP 06/69637),
sem a devida consciência daquilo que deve ser palestrante, professor e mestre em Liderança. Coautor dos livros
ambicionado, e do correspondente e necessário grau de Gigantes da Motivação, Gigantes da Liderança e Educação 2006.
empenho e persistência, levando muitos a desistir das suas E-mail: selfcursos@uol.com.br ?
a b
Ontem e Amanhã
“Só existem dois dias do ano sobre os quais nada pode ser feito: um deles se chama ontem;
o outro, amanhã. Portanto, hoje é o dia certo para você amar, sonhar, ousar, produzir e, acima de tudo, acreditar ...”
Dalai Lama

Hoje vou apagar do meu calendário dois dias: Ontem e Amanhã! Ontem foi para aprender! Amanhã será uma
consequência do que posso fazer hoje. Hoje enfrentarei a vida com a convicção de que este dia nunca mais retornará.
Hoje é a última oportunidade que tenho de viver intensamente, já que ninguém me assegura que amanhã verei o
amanhecer. Hoje terei coragem para não deixar passar as oportunidades que se apresentam, que são as minhas chances de
triunfar! Hoje aplicarei a minha riqueza mais apreciada: O meu tempo! Meu trabalho mais transcendental: A minha vida!
Passarei cada minuto apaixonadamente para transformar este dia num único e no melhor dia da minha vida! Hoje
vencerei cada obstáculo que surgir no meu caminho acreditando que vencerei!
Hoje resistirei ao pessimismo e conquistarei o mundo com um sorriso, com uma atitude positiva, esperando
sempre o melhor! Hoje farei de cada humilde tarefa uma sublime expressão!
Hoje terei meus pés sobre a terra compreendendo a realidade! E as estrelas cintilarão para inaugurar o meu futuro.
Hoje usarei o meu tempo para ser feliz! Deixarei as minhas pegadas e a minha presença nos corações queridos!
Venha viver comigo uma nova estação onde sonharemos que tudo a que nos propomos pode ser possível! E
ousaremos brindar a próxima manhã com a certeza de um dia melhor. ?
a b

a Eventos Culturais b
Vem aí o XV Encontro Nacional da Cultura Maçônica. De 8 a 10 de abril, em Brasília. Esse evento tem o apoio cultural da
Revista Arte Real.
a Arte Real – Edições Anteriores b
As edições anteriores se encontram disponíveis para download em vários sites maçônicos e, também, no site www.entreirmaos.net
a b

A
rte Real é uma Revista maçônica virtual, de publicação mensal, fundada
em 24 de fevereiro de 2007, com registro na ABIM – Associação Brasileira
de Imprensa Maçônica – 005-JV, que se apresenta como mais um canal de
informação, integração e incentivo à cultura maçônica, sendo distribuída,
diretamente, via Internet, para 14.158 e-mails de Irmãos de todo o Brasil e,
também, do exterior, além de uma vasta redistribuição em listas de discussões,
sites maçônicos e listas particulares de nossos leitores. Sentimo-nos muitíssimo
honrados em poder contribuir, de forma muito positiva, com a cultura maçônica,
incentivando o estudo e a pesquisa no seio das Lojas e fazendo muitos Irmãos
repensarem quanto à importância do momento a que chamamos de “¼ de Hora
de Estudos”. Obrigado por prestigiar esse altruístico trabalho.
Editor Responsável, Diagramação, Editoração Gráfica e Distribuição: Francisco Feitosa da Fonseca - M∴I∴ - 33º
Revisão Ortográfica: João Geraldo de Freitas Camanho - M∴I∴ − 33º
Colaboradores nesta edição:
Angelina Debesys – Antonio Castaño Ferreira – Armando Corrêa de Siqueira Neto - Getúlio Medeiros – José Inácio da
Silva Filho – Noemy Martari e Silva Santos – Raimundo Rodrigues – Rui Ferreira da Silva
Empresas dos Irmãos Patrocinadores:
Arte Real Software – Bisotto Imóveis - CH Dedetizadora – CONCIV - CFC Objetiva Auto Escola – Decisão Gestão Empresarial - Dirija
Rent a Car – Empório Bacellar - Formadores de Opinião - Gráfica Everesty – Ideal Despachos Aduaneiros Ltda – Kit
Market - López y López Advogados – Olheiros.com – Pousada Mantega - Qualizan – Reinaldo Carbonieri
Eventos – Saneartec - Santana Pneus – Studio Allegro - Sysprodata.
Contatos: MSN - entre-irmaos@hotmail.com E-mail – revistaartereal@entreirmaos.net Skype – francisco.feitosa.da.fonseca
( (35) 3331-1288 / 8806-7175
As edições anteriores estão disponíveis para download em vários sites maçônicos, assim como, em nosso
Portal Entre Irmãos - http://www.entreirmaos.net ?
a b