Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

UNIDADE ACADÊMICA CENTRO DE TECNOLOGIA

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA

Laboratório de engenharia química 2

Professor Jorge José de Brito Silva

Letícia Leite Machado – 13110476

PRÁTICA 3: CONTAGEM E CLASSIFICAÇÃO MORFOLÓGICA DE


MICROORGANISMOS

Maceió
2016

1. Introdução

Os microorganismos possuem extrema importância para diversos processos


industriais. Por isso, diversas pesquisas vem sendo realizadas. Para realizar essas
pesquisas é necessário o conhecimento de técnicas de cultivo microbiano, desde o
preparo do meio de cultura e a prévia esterilização dos materiais, já que num laboratório
de microbiologia a higiene é essencial para impedir a proliferação de microorganismos
indesejados. Neste relatório, descreve-se um experimento de preparo de meio de
cultura e esterilização de materiais.

2. Matériais e métodos

Foram utilizados diversos materiais:

Substâncias para o preparo dos meios, espátulas e bastões de vidro, Becker,


tubos de ensaio, placas de Petri, proveta e erlenmeyers, papel alumínio, papel kraft,
barbante, algodão e gase, além de balança, microondas e autoclave.

Primeiramente preparou-se o meio de cultivo, dissolvendo uma determinada


massa da substância utilizada para preparar o meio em 100mL de água, aquecendo em
forno microondas quando necessário, para facilitar a dissolução.

Após o preparo do meio de cultivo, procedeu-se com a embalagem das vidrarias


para posterior esterilização no autoclave. Agrupou-se as placas de Petri em pilhas,
enrolando-as em papel kraft e amarrando-as com papelão, bem como

3. Discussão

A esterilização é de importância fundamental aos processos microbiológicos.


Para tal, pode-se utilizar diversos métodos físicos como o calor, filtração ou radiações,
como também diversos métodos químicos(esterilização química) resultando em
diferentes tipos de procedimentos.

As esterilizações que se utilizam do calor são subdividas em dois grupos: As que


utilizam o calor úmido (ex. autoclavagem) e as que utilizam o calor seco(ex.
estufas) , sendo as de calor úmido aparentemente mais eficientes pois possuem maior
efetividade para destruir microorganismos ao associar alta temperatura e umidade,
desnaturando as proteínas componentes dos mesmos. No caso das esterilizações por
calor seco, os microorganismos são destruídos através da oxidação dos seus
constituintes, por ser mais lenta, só é indicada para materiais impermeáveis que sofrem
danos na presença de umidade.

A esterilização utilizada no experimento consistiu numa esterilização a vapor


sob pressão, num equipamento denominado autoclave. Os autoclaves utilizados para
esterilização por calor úmido constituem-se basicamente de uma câmara em aço inox,
com uma ou duas portas, possuem válvula de segurança, manômetros de pressão e um
indicador de temperatura. O efeito letal decorre da ação conjugada da temperatura e
umidade. O vapor, em contato com uma superfície mais fria, umedece, libera calor,
penetra nos materiais porosos e possibilita a coagulação das proteínas dos
microrganismos. Por trabalhar sob elevada pressão, o autoclave requer alguns cuidados
especiais, a exemplo da necessidade de esperar o manômetro acusar abaixamento de
pressão para o nível atmosférico para se abrir a tampa do mesmo e retirar os materiais
esterilizados, para evitar acidentes (explosão).

Outro tipo de esterilização é a feita por filtração, que consiste no processo


realizado por filtros bacteriológicos de materiais diversos, geralmente ésteres de
celulose ou amianto, empregados para esterilizar materiais termolábeis (soro,
antibióticos, enzimas).

Após a esterilização dos materiais, outro processo de extrema importância, é a


escolha do meio de cultura correto, bem como o cuidado para um preparo adequado do
mesmo. Os meios de cultura devem conter os nutrientes em quantidades e proporções
corretas para a manutenção e multiplicação dos microrganismos. A maior parte dos
microrganismos utiliza substâncias de baixo peso molecular que são, frequentemente,
derivadas da degradação enzimática de nutrientes complexos. Por isso, os nutrientes
indispensáveis ao organismo em causa devem estar sob forma assimilável.

Existem diversos meios de cultura, podendo estes ser sólidos, líquidos ou semi-
sólidos; naturais ou sintéticos, simples ou complexos, seletivos ou diferenciais, dentre
outros. Essa grande variedade de meios de cultura é consequência da grande
diversidade de microorganismos existentes, bem como de diferentes finalidades
daquele meio (um meio pode ser feito apenas para favorecer o crescimento de uma
espécie, mas também pode ser feito para, além de favorecer o crescimento de uma,
desfavorecer o crescimento de outra: é o caso os meios diferenciais). Durante o
experimento foram preparados três meios: PCA (ágar padrão para contagem), AMC
(ágar MacConkey) e AN (ágar nutriente).
4 . Conclusão

Através da aula experimental, foi possível aprender sobre a esterilização de


materiais, desde sua embalagem para realizar o procedimento até o funcionamento do
autoclave. Além disso, foi possível preparar os meios de cultivo microbiano.

5. Referências

 JORGE, A. O. C. Microbiologia: Atividades Práticas. 2ªedição. São Paulo:


Livraria Santos, 2001.