Você está na página 1de 11

Curso Profissional Técnico Auxiliar de Saúde

Agrupamento de Escolas de Arouca

Docente: Teresa Negrão

Disciplina: Físico-Química

Trabalho realizado por: Liliana Sousa Nº16, Magda Silva Nº17, Márcia Brandão Nº18 e
Mariana TavaresNº20. 11ºE

Arouca, outubro 2017


MÁQUINAS TÉRMICAS
O QUE SÃO MÁQUINAS TÉRMICAS?
As máquinas térmicas são máquinas capazes de converter calor em
trabalho. Elas funcionam em ciclos e utilizam duas fontes de temperaturas
diferentes, uma fonte quente, que é de onde recebem calor, e uma fonte fria
,que é para onde o calor que foi rejeitado é direcionado. (Fig.1)

A respeito das máquinas térmicas é importante saber que elas não


transformam todo o calor em trabalho, ou seja, o rendimento de uma máquina
térmica é sempre inferior a 100%.

Figura 1 - Funcionamento de uma


Máquina Térmica

EXEMPLOS DE MÁQUINAS TÉRMICAS

Máquina a Vapor

A máquina a vapor/motor a vapor/turbina a vapor é um tipo de máquina


térmica que explora a pressão do vapor. (Fig.2)
Figura 2 - Máquina a Vapor

Locomotiva a Vapor

A locomotiva a vapor é uma locomotiva propulsionada por um motor a


vapor que compõe-se de três partes principais: a caldeira, produzindo
o vapor usando a energia do combustível, a máquina térmica, transformando a
energia do vapor em trabalho mecânico e a carroçaria, carregando a
construção. (Fig.3)

Figura 3 - Locomotiva a Vapor

Turbina a vapor

A turbina a vapor é uma máquina térmica que utiliza a energia


do vapor sob forma de energia cinética. Quando a turbina é conectada a
um gerador, obtém-se a transformação da energia mecânica em energia
elétrica. (Fig.4)
Figura 4 - Turbina a Vapor

RENDIMENTO DE UMA MÁQUINA TÉRMICA


Em física, o rendimento de uma máquina térmica consiste na medida do
desempenho desta, sendo a razão entre a energia ou potência cedida e a
energia ou potência por ela recebida.

Nas máquinas, o rendimento consiste na relação entre a energia que estas


convertem em trabalho e a energia total que consomem para o efeito, sendo
geralmente expresso em percentagem. O rendimento das máquinas térmicas
pode ser, de uma maneira geral, a razão entre o trabalho total e o trabalho (ou
calor) necessário para que ela funcione, ou seja, é o que se obtém pelo que se
dá de trabalho:

Mas como:

Podemos melhorar a equação:

E por fim:
O rendimento é a eficiência com que uma máquina térmica funciona. Em
geral o rendimento das máquinas é baixo:

 Motores de automóveis rendem em média 22%;


 Motores a diesel rendem em média 25%;
 Grandes turbinas a gás da ordem de 33%;
 O motor de Stirling tem um dos maiores rendimentos, podendo chegar a
40%.

ELETRODOMÉSTICOS
O QUE SÃO ELETRODOMÉSTICOS?

Os eletrodomésticos são aparelhos elétricos (ou seja, funcionam è


electricidade, por essa razão não são máquinas térmicas) utilizados para
facilitarem várias tarefas domésticas, tais como: cozinhar e conservar
os alimentos, limpar a casa, tratar da roupa, na casa de banho e nos cuidados
de beleza e também como formas de entretenimento.

EXEMPLOS DE ELETRODOMÉSTICOS

Máquina Frigorífica

Uma máquina frigorífica é um tipo de máquina térmica geradora que


transforma algum tipo de energia, habitualmente mecânica, em energia
térmica para obter e manter em um recinto uma temperatura menor que a
temperatura exterior. A energia mecânica necessária pode ser obtida
previamente a partir de outro tipo de energia, como a energia elétrica mediante
um motor elétrico. (Fig. 5)
Figura 5 – Funcionamento de uma Máquina
Frigorífica

Deste modo, a energia sob a forma de calor que é transferida para a fonte
quente é igual à soma da energia sob a forma de calor retirada à fonte fria, com
o trabalho necessário para que ocorra esse fluxo de energia:

|Qq| = W + |Qf|

Este tipo de equipamento é utilizado, principalmente, no resfriamento de


água e ar em processos industriais, no entanto também pode ser utilizado em
grandes estruturas de construção como shoppings, grandes lojas,
supermercados, centros comerciais, edifícios e até mesmo em navios e
grandes estruturas móveis. Na indústria, é utilizado na produção de objetos de
plástico no resfriamento de líquido para injeção, extrusão, sopro e outros. Além
disso, também participa da carbonatação de bebidas no setor alimentício,
resfriamento de óleo no setor mecânico (usinagem, brasagem, metalurgia,
siderurgia) e muitos outros processos como os indicados abaixo:
 Construção e contratação;

 Indústrias Alimentícias;

 Indústrias Farmacêuticas;

 Indústrias do petróleo e gás, petroquímica e refinarias;

 Hospitais;

 Indústrias de Químicos e Derivados;

 Mineração e tunelamento;

 Equipamentos de telecomunicações e locais da torre de controle das


células;

 Indústrias de transformação de Plástico;

 Indústria Metalomecânica.

Máquina de Lavar Roupa

A máquina de lavar roupa é uma máquina projetada para limpeza


de roupas. Geralmente o termo é empregado para equipamentos que usam
água como meio principal de limpeza. Consiste basicamente num recipiente
que se enche de água e no qual um sistema mecânico agita as peças de roupa
a serem lavadas. (Fig.6)

Figura 6 – Máquina de Lavar Roupa


Forno

Um forno é uma construção ou aparelho que se pode fechar e conservar o


calor em altas temperaturas, para assar pão, bolos ou outro tipo de alimento,
para secar peixe ou carne (neste caso, em temperaturas mais baixas), ou ainda
para “cozer” o barro ou o vidro ou para a transformação
de minérios ou metais em alto-fornos de indústrias e manufaturas. (Fig.7)

Figura 7 – Forno Moderno

Aquecedor

Um aquecedor é, de modo geral, um equipamento utilizado para aquecer


algum fluido (ar, água) e é utilizado para aquecerem o ambiente. (Fig.8)

Figura 8 – Aquecedor Elétrico


Televisão

A televisão ou televisor é um sistema eletrónico de reprodução de imagens


e som de forma instantânea. Funciona a partir da análise e conversão da luz e
do som em ondas eletromagnéticas e de sua reconversão. As câmeras e
microfones captam as informações visuais e sonoras, que são em seguida
convertidas de forma a poderem ser difundidas por meio eletromagnético ou
elétrico, via cabos; o televisor capta as ondas eletromagnéticas e através de
seus componentes internos as converte novamente em imagem e som. (Fig.9)

Figura 9 – Televisão Moderna

CLASSE ENERGÉTICA DE UM ELETRODOMÉSTICO

A classe energética/etiqueta energética foi criada com o objetivo de informar


o consumidor, no momento da compra, sobre determinadas características e
desempenho dos eletrodomésticos, utilizando uma escala de classificação para
identificar os mais e os menos eficientes energeticamente. Para além do
consumo de energia, apresenta informação sobre outras características dos
equipamentos como, por exemplo, a água que consomem ou o ruído que
produzem.

A rotulagem através desta etiqueta, regulamentada desde 1992, é já


obrigatória para lâmpadas e vários electrodomésticos: máquinas de lavar loiça,
lavar roupa e secar roupa, fornos eléctricos, equipamentos de refrigeração
(frigoríficos, combinados e arcas), aparelhos de ar condicionado e ainda
televisores.
Os primeiros grupos de aparelhos abrangidos pela nova regulamentação
são as máquinas de lavar roupa e louça, aparelhos de refrigeração e
televisores. Estes electrodomésticos são classificados de acordo com uma
escala, de 7 classes, de A+++ (mais eficiente) a D (menos eficiente). Duas
categorias de equipamentos de refrigeração apresentam 10 classes (de A+++ a
G): os aparelhos de refrigeração por absorção (ao contrário dos tradicionais de
refrigeração por compressão) e os aparelhos de armazenagem de vinho
(categoria criada de raiz). A etiqueta dos televisores, também criada de raiz,
tem uma classificação inicial de A a G, migrando para A+++ a D, de forma
faseada, até 2020. (Fig.10)

Figura 10 – Etiqueta Energética

A nova etiqueta, que deve ser colocada de forma bem visível em todos
os aparelhos expostos, é neutra quanto ao idioma e, portanto, igual para todos
os países da União Europeia, pois os textos dão lugar a pictogramas. Cada
aparelho é, obrigatoriamente, acompanhado por uma etiqueta energética e por
uma ficha de produto, incluída na brochura ou noutra documentação fornecida.
O material promocional também está sujeito à referência obrigatória da classe
energética do produto, sempre que forem fornecidas informações sobre o seu
preço ou energia.
Etiqueta energética de uma Máquina Frigorífica