Você está na página 1de 45

ICMS

NOÇÕES BÁSICAS

Coordenação: Alexandre A. Gomes


O que é Tributo?
- Art. 3º do CTN – “Toda prestação
pecuniária compulsória em moeda ou
cujo valor nela se possa exprimir que
não constitua sanção de ato ilícito
instituída em lei e cobrada mediante
atividade administrativa plenamente
vinculada.”
O que é Tributo?
- Art. 3º do CTN – “Toda prestação
pecuniária / compulsória / em moeda
ou cujo valor nela se possa exprimir /
que não constitua sanção de ato ilícito
/ instituída em lei / e cobrada mediante
atividade administrativa plenamente
vinculada.”
Classificação dos tributos

Quanto à Espécie:
• Imposto
• Taxa
• Contribuição de Melhoria
• Contribuições
• Empréstimo Compulsório
Imposto

- Tributo cuja obrigação tem


por fato gerador uma situação
independente de qualquer
atividade estatal específica
relativa ao contribuinte
Quanto à competência impositiva

• Federais

• Estaduais

• Municipais
Função dos tributos

• Fiscal

• Extrafiscal
Princípios Constitucionais Tributários

• Princípio da Legalidade

• Princípio da Isonomia

• Princípio da Anterioridade

• Princípio da Anterioridade nonagesimal

• Princípio da Irretroatividade
• Princípio da Capacidade Contributiva
Diferenças entre:

• Imunidade

• Isenção

• Não-incidência
Competência para criar e alterar
tributos

- Pessoas Jurídicas de Direito


Público, dotadas de Poder
Legislativo
Hierarquia das normas

C. F. / 88

Emenda Constitucional

L. C.

Leis e M.P.

Decretos

Portarias, IN,
Comunicados, etc.
Distinção entre:

• Lei Complementar

• Lei Ordinária
Requisitos para criação de tributos

• Hipótese de incidência – descrição genérica


e hipotética do fato tributado
• Fato gerador / imponível – fato concreto
• Descrição do fato tributável

• Definição da Base de Cálculo e Alíquota


• Identificação do sujeito passivo

• Sujeito Ativo
Sujeito Ativo
• Pessoa Jurídica de Direito Público titular
da competência para exigir o seu
cumprimento

• Não confundir condição de sujeito ativo


com a destinação do produto da
arrecadação

• Pessoa Jurídica de Direito Privado –


função de arrecadar
Sujeito Passivo

• Sempre definido em Lei

• Sujeito Passivo direto - contribuinte

• Sujeito Passivo indireto - responsável

• Capacidade tributária – independe da


capacidade civil – Art. 126 CTN
Alíquota

• É a quota, fração ou parte da grandeza


contida no fato gerador

• Critério para atribuir ao estado uma


soma de dinheiro

• Sem finalidade em tributos fixos


Obrigação tributária

- Relação jurídica em virtude da qual o


particular (sujeito passivo) tem o dever
de prestar dinheiro ao Estado (sujeito
ativo), ou de fazer, não fazer ou tolerar
algo no interesse da arrecadação ou
fiscalização dos tributos, e o Estado
tem o direito de constituir um crédito
Obrigação principal

• Obrigação de dar

• Sempre de natureza patrimonial

• Definida em Lei
Obrigação Acessória

• Sempre não patrimonial

• Obrigação de:
- Fazer – emitir nota fiscal
- Não fazer – merc. irregulares
- Tolerar – admitir o exame de livros
Lançamento

• Atividade administrativa
vinculada e obrigatória, sob pena
de responsabilidade funcional

• Constitutivo do crédito tributário


Modalidades de lançamento

• De Ofício – quando feito por iniciativa


da autoridade administrativa

• Por declaração – feito em face de


declaração fornecida pelo contribuinte

• Por homologação – o sujeito passivo


tem o dever de antecipar o pagto. Sem
prévio exame de autoridade
ICMS – Legislação básica
• Art. 155, II, § 2º da C.F./88
• L.C. 87/96

• Lei Estadual 6.374/89

• Decreto Estadual 45.490/2000


• Resoluções, Portarias, Comunicados

• Convênios e Protocolos
Convênios x Protocolos

- Previsão

- Formalização

- Funções

- Espécies
Principais características
• Não-cumulatividade

• Poderá ser seletivo

• Alíquotas interestaduais fixadas pelo


Senado

• Alíquotas internas – Máx. e mín. –


fixados pelo Senado
ICMS – Fato gerador
• Irrelevantes a natureza jurídica, o título
jurídico, a validade jurídica dos fatos ocorridos

• Tributo com vários fatos geradores

- Circulação de mercadorias

- Serviços de transporte
- Serviços de comunicação
Base de Cálculo

• Valor da operação, incluindo

- Seguro, juros, descontos


condicionais

- Frete – CIF e FOB


Base de Cálculo
Fob e CIF fazem parte dos "INCOTERMS – International Commercial terms” são
regras de caráter uniforme, plenamente reconhecidas em todo mundo e aplicáveis em
contratos de compra e venda internacional, as quais, pela sua praticidade, foram
adaptadas às normas internas de muitos países, inclusive o Brasil:

A legislação do ICMS utiliza os termos:

- CIF (Cost, Insurance and Freight - Custo, Seguro e Frete) – é utilizado para
denominar o preço da mercadoria com a inclusão dos valores correspondentes a frete e
seguro. Também conhecido usualmente como o preço da mercadoria entregue pelo
vendedor no estabelecimento do adquirente. Remetente

- FOB (Free on Board - livre a bordo) – para determinar o preço da mercadoria sem a
inclusão do frete e seguro (que fica a cargo do comprador). Também conhecido
usualmente como o preço da mercadoria a ser retirada no estabelecimento do
comprador. Destinatário
Base de Cálculo
• Mercadorias em bonificação

• Valor do IPI – Ativo / Uso / Consumo

• Montagem e instalação

• Operações sem valor

• Valor Simbólico
Base de Cálculo
• Frete

• Transferência interna

• Transferência interestadual

• Pauta fiscal – Valor mínimo

• Cálculo do ICMS por dentro


Base de Cálculo
Cálculo do imposto por dentro Art. 49 Ricms/SP
Base de cálculo do ICMS = P ÷ (100 – AL ÷ 100)

P – preço da mercadoria sem o ICMS;


AL – alíquota do ICMS (7%, 12%, 18% ou 25%)

Exemplo:

R$ 100,00 ÷ [(100 – 18%) ÷ 100]


R$ 100,00 ÷ [ 82 ÷ 100]
R$ 100,00 ÷ 0,82
R$ 121,95 – preço de mercadoria com o ICMS embutido em sua própria base de cálculo

R$ 121,95 x 18% = R$ 21,95 (valor do ICMS a ser destacado na Nota Fiscal)

Quadro Resumo: Alíquota Fator para inclusão


7% / 0,93
12% / 0,88
18% / 0,82
25% / 0,75
Base de Cálculo

•Isenção ou Redução de base de cálculo –


Anexo I e II Ricms/SP.

•Dec. Est. SP 56.338/10 – Isenções para o


Simples Nacional
- Prazo determinado
- Prazo indeterminado
Alíquotas
• Internas

- 7%

- 12%

- 18%

- 25%
Alíquotas
• Interestaduais
- 4% - Transporte aéreo – Destinatário Contrib.

- 4% - Mercadorias Importadas – Resolução 13/12


- 7% - Operações com contribuinte – Região
Norte, Nordeste, Centro-oeste e Estado do ES

- 12% - Operações com contribuinte - Regiões Sul


e Sudeste, exceto o Estado do ES
Alíquotas

• Diferencial de alíquota

- Previsão constitucional
- Empresa RPA

• Ajuste da carga tributária - Simples


Nacional
Sujeito Ativo

• Estados e Distrito Federal

- Competência atribuída pela C.F./88

- Distrito Federal – Status de Estado


Sujeito Passivo

• Qualquer pessoa física ou jurídica

• Habitualidade ou volume que


caracterize intuito comercial

• Importador de mercadoria
Sujeito Passivo

• A inscrição por si só não caracteriza


uma pessoa, física ou jurídica, como
contribuinte
•Ex: Construção Civil
•Responsável – determinação legal
Não-cumulatividade
• C.F./88 – Art. 155,§ 2º, I

• Compensa-se o que for devido em


cada operação com o montante
cobrado nas anteriores, pelo mesmo
ou outro Estado
Não-cumulatividade

• Requisitos básicos
- Mercadoria entrada ou serviço recebido

- Operação com documento fiscal hábil

- Contribuinte em situação regular perante


o fisco
Crédito de ICMS na aquisição
de Simples Nacional
• RPA adquire mercadoria de contribuinte
optante pelo Simples Nacional

• Destino: Industrialização ou comercialização


• "Permite o aproveitamento do crédito de
ICMS no valor de R$ ...; correspondente à
alíquota de ...%, nos termos do art. 23 da LC
123/2006".
Não-cumulatividade
• Mercadorias destinadas ao ativo
• Material de uso e consumo
• Exportação
• Crédito acumulado – distinção
entre saldo credor
• Estorno de crédito – Art. 67 do
RICMS/2000
Tributações especiais
• Suspensão

• Substituição tributária
- Operações anteriores

- Operações concomitantes

- Operações subsequentes
Documentos fiscais
• Nota fiscal, modelo 1 ou 1-A
- Entrada e saída

- Séries distintas - opção

- Vias – destinação

- Canhoto
Documentos fiscais

• Cupom fiscal
- Obrigatoriedade – art. 251
Documentos Fiscais

• Nota Fiscal Eletrônica – NF-e

• Obrigatoriedade – Portaria CAT 162/2008


• DANFE
• CTe – Portaria CAT 55/09