Você está na página 1de 295

e F F# G G# A A# B C C# D D# e

B C C# D D# E F F# G G# A A# B C

G G# A A# B C C# D D# E F F# G DO

D D# E F F# G G# A A# B C C# D

A A# B C C# D D# E F F# G G# A

E F F# G G# A A# B C C# D D# E

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

# sustenido todas as notas tem sustenido exceto Mi e Si

b todas as notas recebem bemol exceto Do e Fa


D E F G A B C E A D G B e
RE MI FA SOL LA SI DO F A# D# G# C F
F# B E A C# F#
G C F A# D G
G# C# F# B D# G#
A D G C E A
A# D# G# C# F A#
B E A D F# B
C F A# D# G C
C# F# B E G# C#
D G C F A D
D# G# C# F# A# D#
E A D G B e
E A D G B e E A D G B e e F

F A# D# G# C F F A# D# G# C F B C

F# B E A C# F# F# B E A C# F# G G#

G C F A# D G3 G C F A# D G3 D D#

G# C# F# B D# G# G# C# F# B D# G# A A#

A D G C E A5 A D G C E A5 E F

A# D# G# C# F A# A# D# G# C# F A# 1
B E A D F# B7 B E A D F# B7
C F A# D# G C C F A# D# G C
C# F# B E G# C# 9 C# F# B E G# C# 9
D G C F A D D G C F A D
D# G# C# F# A# D# D# G# C# F# A# D#
E A D G B e 12 E A D G B e 12
F# G G# A A# B C C# D D# e

C# D D# E F F# G G# A A# B

A A# B C C# D D# E F F# G

E F F# G G# A A# B C C# D

B C C# D D# E F F# G G# A

F# G G# A A# B C C# D D# E

2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Mi Re# Re Do# Do Si La# La Sol# Sol

La Sol# Sol Fa# Fa Mi Re# Re Do# Do

Re Do# Do Si La# La Sol# Sol Fa# Fa

Sol Fa# Fa Mi Re# Re Do# Do Si La#

Si la# La Sol# Sol Fa# Fa Mi Re# Re

Mi Re# Re Do# Do Si La# La Sol# Sol


12 11 10 9 8 7 6 5 4 3

CORDA/CA
# sustenido todas as notas tem sustenido exceto Mi e Si

b todas as notas recebem bemol exceto Do e Fa


Fa# Fa Mi

Si La# La C D E F G A B C

Mi Re# Re DO RE MI FA SOL LA SI DO

La Sol# Sol

Do# Do Si

Fa# Fa Mi
2 1

CORDA/CASA
53
40
10
11
63
32
20
21
ESCALA DAS NOTAS PARA ACORDES

GRAU
TOM 1 2 3 4 5 6 7 8 •         Na escala acima, estão relacionadas notas su
A A B C# D E F# G# A entendemos ser a de C#.
F#m F# G# A B C# D E F#
B B C# D# E F# G# A# N •         Olhando as escalas de A e F#m, podemos no
outra escala tem essa semelhança, nem mesma A
G#m G# A# B C# D# E F# G# primos, assim como C e Am. Cada acorde maior te
C C D E F G A B C na ordem maior e menor na tabela acima.
Am A B C D E F G C
D D E F# G A B C# D •         As escalas de C e Am não têm nenhuma nota
Bm B C# D E F# G A B •         Repare que a nota 8 é sempre igual à 1 a nota
E E F# G# A B C# D# E à 2a, a 10a à 3a, etc.
C#m C# D# E F# G# A B C#
F F G A Bb C D E F
Dm D E F G A Bb C D
G G A B C D E F# G
Em E F# G A B C D E
A# A# C D D# F G A A#
Gm G# A A# C D D# F G#
C# C# D# F F# G# A# C C#
A#m A# C C# D# F F# G# A
D# D# F G G# A# C D D#
Cm C D D# F G G# A# C
F# F# G# A# B C# D# F F#
D#m D# F F# G# A$ B C# D#
G# G# A# C C# D# F G G#
Fm F G G# A# C C# D# F

PRA FORMAR A NOTA , ELES FAZEM UMA JUNÇÃO DE TONS


Podemos dizer então que, formamos o acorde C com a união das notas C, E e G. Deste mesmo procedimento formamos todos os acordes
F# (Fá sustenido) é formado pelas notas F#, A# e C#. Lembrando ainda que F# é o mesmo que Gb.

Para executar um acorde maior no violão, devemos simplesmente juntar suas três notas básicas e tocá-las ao mesmo tempo. Como
corda), podemos repetir um ou mais notas básicas para formar uma posição de acorde maior. Apenas há uma condição para isto; a nota m
acorde.

Acompanhe o sistema de formação de acordes no violão:

♦ Escolhamos um acorde para exemplificar; digamos D.


♦ Selecionando suas notas básicas chegaremos a D, F# e A.
♦ Agora, vamos procurar estas notas no braço do violão a começar pelas cordas-base (cordas 1, 2 e 3). Elas devem estar juntas para facil
♦ Após, devemos acrescentar o baixo que deve ser a nota do próprio acorde (D).
♦ Escolha os dedos para apertar cada casa e pronto!

Você não deve ter encontrado dificuldades para formar um acorde de D. Até porque percebeu que no braço do violão, existem vária

Compare o modelo que encontrou com o nosso apresentando abaixo:

Mi Re# Re Do#

La Sol# Sol Fa#


Encontramos na 1a corda a nota F# na casa 2.
Re Do# Do Si
Na corda 2 achamos D na 3a casa.
Sol Fa# Fa Mi

Completamos a base com a nota A que conseguimos na 3 corda, casa 2.


Si la# La Sol#
O baixo D ficou na 4 corda solta.
a
Mi Re# Re Do#
Enumeramos também os dedos para cada casa. 12 11 10 9
O x indica que o polegar direito toca o baixo.

Os pontinhos sobre as cordas 1,2 e 3 indica as cordas que devem ser tocadas.
ão relacionadas notas sustenidos (#) também como as bemóis (b). Deste modo, a escala de Db por exemplo,

de A e F#m, podemos notar que as notas são as mesmas, apenas estão em ordem diferentes. Mas, nenhuma
melhança, nem mesma A ou F#. Tem sempre uma nota diferente entre as escalas. A e F#m são acordes
m. Cada acorde maior tem um acorde menor primo cujas tonalidades são semelhantes. Suas escalas estão
na tabela acima.

m não têm nenhuma nota sustenido (ou bemol). São escalas de notas perfeitas.
é sempre igual à 1 a nota da escala. Essa escala também é contínua e a partir da 8 a nota que é igual à 1a, a 9a

mamos todos os acordes maiores; selecionando as notas 1, 3 e 5 de sua escala. Outro exemplo; acorde de

ao mesmo tempo. Como o violão tem capacidade de tocar até seis notas ao mesmo tempo (uma em cada
ndição para isto; a nota mais grave deve ser a do acorde. Esta nota mais grave é o baixo (o bordão) do

em estar juntas para facilitar que sejam apertadas.


o do violão, existem várias notas iguais às que procurava, possibilitando assim, diversas maneiras de formar um mesmo acorde de D.

Do Si La# La Sol# Sol Fa# Fa Mi

Fa Mi Re# Re Do# Do Si La# La

La# La Sol# Sol Fa# Fa Mi Re# Re

Re# Re Do# Do Si La# La Sol# Sol

Sol Fa# Fa Mi Re# Re Do# Do Si

Do Si La# La Sol# Sol Fa# Fa Mi


8 7 6 5 4 3 2 1
La Sol# Sol Fa# Fa Mi E La Sol#

Re Do# Do Si La# La A Re Do#

Sol Fa# Fa Mi Re# Re D Sol Fa#


RE RE
MAIOR Do Si La# La Sol# Sol G MAIOR Do Si

Mi Re# Re Do# Do Si B Mi Re#

La Sol# Sol Fa# Fa Mi E La Sol#


Sol Fa# Fa Mi E

Do Si La# La A

Fa Mi Re# Re D

La# La Sol# Sol G

Re Do# Do Si B

Sol Fa# Fa Mi E
NOTE QUE:  Quando você aprende uma escala maior, já aprendeu uma menor. E quando aprendeu um campo

Para achar uma escala relativa de uma escala maior (que será sempre uma escala menor), basta começar a escala relati
C, D, E, F, G, A, B, C, D, E, F, G, A, B
Em negrito, a escala de C. Com fundo amarelo, a escala de Am, relativa da escala de C.
Escala C = C, D, E, F, G, A, B
Escala Am = A, B, C, D, E, F, G
O que vai acontecer então com o campo harmonico MENOR?  terá os mesmos acordes, porém começando do 
C, Dm, Em, F, G, Am, Bº, C, Dm, Em, F, G, Am

Campo harmonico C = C, Dm, Em, F, G, Am, Bº


Campo harmonico Am =    Am,  Bº,  C,  Dm,  Em,  F,  G

Portanto, é simples definir um campo harmonico menor a partir de um maior. E vice-versa. Porém segue abaix
campo harmonico menor, a partir da escala:

Campo harmonico menor


A primeira nota da escala – gera um acorde menor: Ex: Am
A segunda nota da escala – gera um acorde diminuto: Ex: Bº
A terceira nota da escala – gera um acorde maior: Ex: C
A quarta nota da escala – gera um acorde menor: Ex: Dm
A quinta nota da escala – gera um acorde menor: Ex: Em
A sexta nota da escala – gera uma acorde maior: Ex: F
A sétima nota da escala – gera um acorde maior: Ex: G

OBS:     Evidentemente a regra acima vale para qualquer escala menor.
aprendeu um campo harmonico maior, já aprendeu um menor também.

omeçar a escala relativa da sexta nota da escala maior. Assim:

orém começando do sexto acorde. 

. Porém segue abaixo a regra para definir os acordes do 
“Como músico competente, espera-se que tenha familiaridade com o braço ou a escala de seu instrumento. Além di

Vamos usar alguns desenhos para visualizarmos as relações entre as cordas…

Índice

Luciano Menezes é guitarrista e professor de guitarra, violão e teoria musical em São Paulo e São Bernardo do Campo.
Memorize as casas 1 (nota F), 3 (nota G), 5 (nota A), 7 (nota B), 9 (nota C#) e 12 (mesmo nome da corda solta = E) d

Assim que tiver memorizado a 6ª corda você automaticamente memorizou a 1ª corda, pois as duas possuem a mesm

Persistência…

Quando precisar descobrir o nome de qualquer nota que esteja na quinta corda (corda lá), basta subir para a corda m

Na corda Ré (4ª corda), basta subir duas cordas e andar dois semitons para trás, para obter o nome da nota.Ou seja

Na corda sol (3ª corda), basta subir três cordas (chegando na 6ª corda) e avançar 3 casas. Ou seja, a casa 5 da corda

Na corda Si (2ª corda), basta descer uma corda (chegando na 1ª corda – mizinha) e andar 5 casas para trás. Como es

Ebook GRATUITO! 600 acordes cifrados, todos acordes possíveis

Enfim, confira cada uma destas dicas no gráfico do braço e não tenha pressa. Passe para a próxima dica ou corda, assim

Desse principio das cordas solta que vamos iniciar a nossa escala no violão.

6-E

5-A

4-D

3-G
2-B

1-E

Pronto já podemos avançar depois dessas informações, Lembrando bem que entre o E ao F, e também do B ao C não

4:Como aprender as notas do Braço do Violão, veja as notas

Você deve se pergunta, Nossa como vou decorar isso tudo no braço do violão? Calma logo a baixo vou mostrar alguns p

Aqui eu estou abordando a escala cromática que aparece no braço do violão, os acidentes das notas, o famoso sustenid

Assim serve para os bemóis, só que repare na tabela que o Db e o C# são exatamente iguais na teoria, a unica diferença

Vejamos que, se eu falar na teoria C – C# – D – D# – E – F… estou indo para frente, agora se eu ir para trás eu posso fala

Lembrando que entre o E ao F e do B ao C não tem sustenido e bemol. Sabendo essa teoria bem, podemos ir para o br
instrumento. Além disso, saber encontrar as notas na escala de seu instrumento é imprescindível para o andamento de qualquer curso.”

Bernardo do Campo. Aulas presenciais, em domicílio e pelo SKYPE.


e da corda solta = E) da corda Mi (6ª corda).Em breve você perceberá que não há necessidade de memorizar as notas que estão nas cordas

duas possuem a mesma sonoridade, mas lembre-se que as tonalidades são diferentes. Essa corda deve estar bem memorizada, pois o que

ta subir para a corda mi (6ª corda) e contar 5 casas para frente.Faça isso e observe na imagem que as duas notas terão o mesmo nome.Des

nome da nota.Ou seja, a casa cinco da corda Ré (4ª corda) é a mesma nota, (porém em oitava diferente) da casa 3 da corda Mi (6ª corda). E

eja, a casa 5 da corda Sol (3ª corda) representa a mesma nota, (também em oitava diferente) da casa 8 da corda Mi (6ª corda).

as para trás. Como esta corda tem o mesmo nome da corda que você memorizou (6ª corda), ficará fácil de saber o nome da nota.

a dica ou corda, assim que tiver bem entendida a dica anterior.


ambém do B ao C não haverá # no braço do violão.

o vou mostrar alguns passos para memorizar naturalmente.

tas, o famoso sustenido (#) e bemol (b). Repare que a cada sustenido ou bemol, eu estou avançando um semi tom, Ex: C – C# – D – D#… ca

oria, a unica diferença na pratica é que os # anda para frente, e os b anda para trás.

para trás eu posso falar F – E – Eb – D – Db – C, assim vice verse. A diferença é que se eu andar para frente é meio tom a cima, se eu andar p

podemos ir para o braço do violão.


de qualquer curso.”
que estão nas cordas 2 (corda si), 3 (corda sol), 4 (corda re) e 5 (corda la), pois com o passar do tempo isso irá acontecer de forma natural.

emorizada, pois o que faremos na sequencia é aprender algumas formas de jogar as notas para ela, afim de não ter que gravar na memória

o o mesmo nome.Dessa forma, não será necessário memorizar a corda Lá.

corda Mi (6ª corda). Essa mesma dica vale para qualquer casa ou nota nesta corda!

6ª corda).

ome da nota.
x: C – C# – D – D#… cada passagem é um semi tom no violão.

m a cima, se eu andar para trás, é meio tom a baixo.


ecer de forma natural.

ue gravar na memória todas as demais cordas.


C Fm6/C Am F Fm

Fm7/C Fm6/C

1 1

2 3 2 3 4
4
G Bb9 Dm
Vamos montar os acordes das notas naturais, ou seja, a sequencia de acordes Dó, Ré, Mi, Fá… Alguns serão maiores, outros m

O assunto Campo Harmônico faz uso do conhecimento dos intervalos e graus da escala, que já vimos em capítulo anterior da
tirar as canções de ouvido, possibilita também a você começar a compor suas próprias canções ou harmonizar melodias, e ain
fiquem mais confortáveis ao cantá-las.
A montagem de um acorde natural segue a regra: 1 3 5. Significa que você vai pegar uma nota + a sua terça + a sua quinta.
Por exemplo: Dó. Para formar o acorde de Dó nós pegaremos a nota Dó + Mi(terça de Dó) + Sol(Quinta de Dó). Para formar o a
Lá(quinta de Ré). Para formar o acorde de Mi pegaremos a nota Mi + Sol + Si.

Por isso é importante termos praticado aquele exercício da aula de graus e intervalos, o círculo das terças. Vamos recapitular

DÓ -> MI -> SOL -> SI -> RÉ -> FÁ -> LÁ -> DÓ…

De posse da informação acima, fica muito fácil a montagem da sequencia de acordes da escala natural. Veja o quadro abaixo:

ACORDE CIFRA NOTAS 1, 3, 5


Dó Maior C Dó, Mi, Sol
Ré Menor Dm Ré, Fá, Lá
Mi Menor Em Mi, Sol, Si
Fá Maior F Fá, Lá, Dó
Sol Maior G Sol, Si, Ré
Lá Menor Am Lá, Dó, Mi
Si Diminuto Siº Si, Ré, Fá

Ou seja, acordes maiores nos graus I, IV e V, e os demais (II, III, VI) todos menores a exceção do grau VII, que forma um acorde
resultando no acorde Bº. No violão, fica melhor utilizar no lugar de Bº o acorde Bø (Si meio diminuto), onde se acrescenta a no

Muito importante observar o seguinte: o violão não possui as notas em sequencia como o teclado, por isso são necessárias ad
que nem sempre encontraremos as notas perfeitamente na sequencia 1 3 5. Não tem problema. O acorde poderá ser formado
vontade. Por exemplo o acorde de Dó vai ficar 1 3 5 1 3 e acorde Dó com pestana na terceira casa da quinta corda ficará 1 5 1
ré, fá). O Lá menor montado na corda 5 solta fica 1 5 1 3 5 (lá, mi, lá, dó, mi).

A única nota que não poderemos mexer será o 1 inicial, pois trocá-lo pelo 3 ou 5 resultaria numa inversão de acorde, assunto

Vamos então praticar a sequencia de acordes. Leia-os na tablatura abaixo. Vamos tocar a sequencia:

C | Dm | Em | F | G | Am | Bø | C |

E a sequencia inversa:

C | Bø | Am | G | F | Em | Dm | C |

C Dm Em F G Am Bø

--0---1---0---1---1---0-------
--1---3---0---1---0---1---3---
--0---2---0---2---0---2---2---
--2---0---2---3---0---2---3---
--3-------2---3---2---0---2---
----------0---1---3-----------

O campo harmônico que acabamos de montar gera um modelo, da mesma forma que a escala diatônica gerou o modelo T T S

O nosso modelo de campo harmônico, em graus, será, então:

I IIm IIIm IV V VIm VIIº

Ou seja:

Acorde do Grau I -> acorde maior -> I


Acorde do Grau II -> acorde menor -> IIm
Acorde do Grau III -> acorde menor -> IIIm
Acorde do Grau IV -> acorde maior -> IV
Acorde do Grau V -> acorde maior -> V
Acorde do Grau VI -> acorde menor -> VIm
Acorde do Grau VII -> acorde diminuto -> Bº

UTILIZANDO EM OUTROS TONS

Já sabemos que existem os acidentes #(sustenido) e b(bemol) nos outros tons. Os sinais # e b são necessários para adequar o
sustenidos e bemóis e também em graus e intervalos. Vamos agora montar o campo harmônico de todos os outros tons que c
regras: os sustenidos e bemóis e o modelo de acordes do campo harmônico de Dó Maior, ou seja, acordes maiores e menores

Segue o quadro resumo das sequencias de acordes ou campo harmônico dos tons mais utilizados:

TOM ACIDENTES NA ESCALA ACORDES DO CAMPO HARMÔNICO


G Fá# G | Am | Bm | C | D | Em | F#º
D Fá# Dó# D | Em | F#m | G | A | Bm | C#º
A Fá# Dó# Sol# A | Bm | C#m | D | E | F#m | G#º
E Fá# Dó# Sol# Ré# E | F#m | G#m | A | B | C#m | D#º
B Fá# Dó# Sol# Ré# Lá# B | C#m | D#m | E | F# | G#m | A#º
F Sib F | Gm | Am | Bb | C | Dm | Eº
Bb Sib Eb Bb | Cm | Dm | Eb | F | Gm | Aº
Eb Sib Eb Ab Eb | Fm | Gm | Ab | Bb | Cm | Dº

DISSONÂNCIA DE SÉTIMA NO ACORDE V

Teremos um módulo especial para falar de dissonâncias nos acordes mais à frente. Porém, não posso deixar de acrescentar um

O acorde de V grau poderá, sempre que a função dele for resolver o trecho musical no grau I, conhecido como “cadência Dom
Já vimos isso nas cantigas de dois acordes, que usam esta cadência, você de estar lembrado, foram exemplos de A7->Ré.

A montagem do acorde de sétima segue a seguinte fórmula: 1 3 5 7. Assim, o acorde G7, que é o quinto grau do campo harmô

Com esta nova informação, nosso modelo de campo harmônico poderá ficar assim:

I IIm IIIm IV V7 VIm VIIº


Pratique a sequencia | I -> V7 | V7 -> I |, que é a sequencia mais básica em música popular. Siga o quadro abaixo, para tocá-la

TOM SEQUENCIA | I | V7 | V7 | I |
C C | G7 | G7 | C
G G | D7 | D7 | G
D D | A7 | A7 | D
A A | E7 | E7 | A
E E | B7 | B7 | E
B B | F#7 | F#7 | B
F F | C7 | C7 | F
Bb Bb | F7 | F7 | Bb
Eb Eb | Bb7 | Bb7 | Eb

Com a informação acima, você já pode tocar todas as cantigas infantis em todos os tons disponíveis. Basta para isso substituir
e I IV e V7 nas cantigas de três acordes. As cantigas estão todas em Ré. Transpor para outros tons é um excelente exercicio par
Observe que a melodia também terá que acompanhar a mudança de tonalidade. Se a melodia começa na terça do acorde Ré,
deverá mudar e começar na terça do acorde de tônica da nova tonalidade que você escolher.

Não tem magia. É uma matemática. É um encadeamento lógico. A sequencia de estudos que recomendo é a seguinte, os conc
ordem como eu os coloco no site, mas não se pode atacar este conteúdo sem antes saber o nome de todas as notas em cada

1. A escala diatônica – é preciso compreender a forma desta escala, os intervalos T T ST T T T ST, que estão divididos em dois t
dó+ré+mi+fá, tetracorde 1, e sol+lá+si+dó, tetracorde 2). Os dois tetracordes são iguais: T T ST. O que une os dois tetracordes é
(distancia de duas casas no violão, por exemplo, casa 1 até casa 3, na corda 6 fica fá -> sol, isto é uma distancia de 1 Tom inteir
exemplo na corda 5, casa 2 até casa 3, notas si -> dó).

2. Os intervalos – no que se refere ao entendimento do campo harmônico, os intervalos mais importantes são a terça e a qu
dominante, o dominante é o quinto grau, a quinta nota da escala, no caso de Dó, o dominante é o Sol, este acorde vai usar a
dominante). Então comece colocando as notas no papel, dó ré mi fá sol lá si dó. Em seguida, coloque as terças acima de cad
terça de fá = lá, terça de sol = si, terça de lá = dó, terça de si = ré (oitava acima). Proximo passo observar quais destas distânc
são menores, e aqui você já tem o campo harmômico quase resolvido, pois já saberá quais acordes são maiores e quais são

3. Temperamento da escala – Isso se refere a colocar sustenidos e bemóis de forma a obter escalas exatamente iguais ao mod
naturais do+ré+mi+fa+sol+la+si+do. Se eu construir uma escala de sol a sol vai ficar: sol la si do re mi fa sol. Esta escala de sol t
que não, porque os semitons estão em locais diferentes, enquanto que na escala de Dó os semitons estão entre a terceira e qu
nessa montagem de Sol que escrevi, o primeiro semitom está ok, entre a terceira e quarta nota (si e dó), mas o segundo semit
(Mi e Fá estão na sexta e sétima posição), quando deveria estar entre a sétima e oitava posição, Fá e Sol. Justamente aí coloca
semitom fique localizado entre a sétima e oitava notas, característica do modelo de Dó, que precisará ser mantido em todas a
poderá montar o campo harmônico do mesmo jeito que expus em Dó, as terças, as quintas e a sétima de dominante. Isso tud
Por mais que o cifraclub tenha sistema que faz isso automático, é bom saber como as coisas são construídas em música.
3. Temperamento da escala – Isso se refere a colocar sustenidos e bemóis de forma a obter escalas exatamente iguais ao mod
naturais do+ré+mi+fa+sol+la+si+do. Se eu construir uma escala de sol a sol vai ficar: sol la si do re mi fa sol. Esta escala de sol t
que não, porque os semitons estão em locais diferentes, enquanto que na escala de Dó os semitons estão entre a terceira e qu
nessa montagem de Sol que escrevi, o primeiro semitom está ok, entre a terceira e quarta nota (si e dó), mas o segundo semit
(Mi e Fá estão na sexta e sétima posição), quando deveria estar entre a sétima e oitava posição, Fá e Sol. Justamente aí coloca
semitom fique localizado entre a sétima e oitava notas, característica do modelo de Dó, que precisará ser mantido em todas a
poderá montar o campo harmônico do mesmo jeito que expus em Dó, as terças, as quintas e a sétima de dominante. Isso tud
Por mais que o cifraclub tenha sistema que faz isso automático, é bom saber como as coisas são construídas em música.

Isso é o básico. Tem muito mais coisa que se pode aferir após dominar este básico, principalmente a matéria que fala de substi
em combinação com campos harmônicos geram muita riqueza e sabedoria na hora de harmonizar uma canção ou criar melod
erão maiores, outros menores, depende do intervalo de terça.

em capítulo anterior da teoria musical. O domínio do campo harmônico possibilita


monizar melodias, e ainda mudar o tom das musicas que você gosta, para que

terça + a sua quinta.


de Dó). Para formar o acorde de Ré nós pegaremos a nota Ré + Fá(terça de Ré) +

ças. Vamos recapitular a sequencia do ciclo das terças:

. Veja o quadro abaixo:

CARACTERISTICA
Terça Maior, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Justa
Terça Maior, Quinta Justa
Terça Maior, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Diminuta

I, que forma um acorde diminuto porque tem terça menor + quinta diminuta,
onde se acrescenta a nota lá no acorde, conforme veremos mais abaixo.

r isso são necessárias adaptações para montagem dos acordes. Isso significa dizer
orde poderá ser formado com 1 5 1 3 ou 1 5 1 3 5 1. As notas podem se repetir a
uinta corda ficará 1 5 1 3 5 (dó, sol, dó, mi, sol). O Ré menor vai ficar 1 5 1 3 (ré, lá,

são de acorde, assunto que abordarei mais adiante em tópico específico.


ca gerou o modelo T T ST T T T ST, já estudado antes.

essários para adequar o modelo diatônico T T ST T T T ST, conforme vimos na aula


dos os outros tons que conhecemos: G, D, A, E, B, F, B b, Eb. Basta respeitar duas
rdes maiores e menores nos graus determinados: I IIm IIIm IV V VIm VIIº.

deixar de acrescentar uma informação básica aqui neste módulo.

do como “cadência Dominante/Tônica”, receber a dissonância de sétima.


emplos de A7->Ré.

o grau do campo harmônico de Dó, será formado pelas notas: Sol, Si, Ré, Fá.

dro abaixo, para tocá-la nos tons mais utilizados:

asta para isso substituir os acordes I e V7 nas de dois acordes


excelente exercicio para praticar o campo harmônico.
a na terça do acorde Ré, no caso a nota Fá#, então você

do é a seguinte, os conceitos a serem dominados, nessa ordem, que não difere da


odas as notas em cada corda e casa, pelo menos até a quinta casa do violão, ok?

stão divididos em dois tetracordes (agrupamentos de quatro notas em sequencia:


une os dois tetracordes é uma distância de 1 tom, fá -> sol. Onde T = Tom
distancia de 1 Tom inteiro), e ST = semitom (distancia de uma casa no violão, por

antes são a terça e a quinta (em todos os acordes), e a sétima (no acorde de
l, este acorde vai usar a sétima, passando este acorde a se chamar sétima de
as terças acima de cada uma: terça de dó = mi, terça de ré = fá, terça de mi = sol,
var quais destas distâncias de tônica (primeira nota) e terça são maiores e quais
ão maiores e quais são menores.

atamente iguais ao modelo de Dó: T T ST T T T ST, que foi construído pelas notas
a sol. Esta escala de sol terá os mesmos intervalos da escala modelo Dó? Evidente
tão entre a terceira e quarta nota, e entre a sétima e oitava nota, diferente disso,
ó), mas o segundo semitom encontra-se entre a sexta e sétima nota a partir de Sol
ol. Justamente aí colocamos um sustenido para que o Fá se aproxime de Sol e o
ser mantido em todas as escalas construídas. Após “corrigidas” as distancias se
de dominante. Isso tudo serve para você tocar a mesma música em outro tom.
ruídas em música.
matéria que fala de substituições de acordes, e também os modos de escalas, que
a canção ou criar melodias.
Campo harmonico de outras tonalidades
Agora sim… você quer uma tabela… Hummm… não. É… eu sou malvado. Tabela não serve pra nada. A não ser pra
24 tonalidades, com 7 acordes cada uma? Nem tente. Bote a cachola pensante pra funcionar…

A partir do exposto acima, o resto é pura matemática. Escalas e tonalidades “crescem” de 1/2 em 1/2 tom. 
Por exemplo: Uma nota C, 1/2 tom acima é C#, certo? E depois vem o que? D, D#, E… e assim por diante, segundo 

C, C#, D, D#, E, F, F#, G, G#, A, A#, B C

O que você deduz daí? É claro:
·       A partir da escala de C você encontra qualquer outra escala maior bastando aumentar tod
·       A partir do campo harmonico de C, você encontra os demais campos harmonicos, bastan
Mas vamos a um exemplo, para ficar mais claro. Você tem a escala e o campo harmonico de C. E quer saber a escala
Olhe a distância entre C e D na escala cromática:

C, C#, D, D#, E, F, F#, G, G#, A, A#, B


A partir do C# contei: 1, 2 e achei o D. Então… dois semitons que é = a 1 tom.
Basta fazer a mesma coisa com as outras notas e acordes. Então…
C, C#, D, D#, E, F, F#, G, G#, A, A#, B
D, D#, E, F, F#, G, G#, A, A#, B

Onde você tinha C, agora tem D
Onde você tinha D, agora tem E
Onde você tinha E, agora tem F#
E assim também com o campo harmonico:

Onde você tinha C, agora tem D
Onde você tinha Dm, agora tem Em
Onde você tinha Em, agora tem F#m
E como funciona isso no violão?
Pois é… não se toca violão no papel ou na tela do computador… É preciso passar tudo isso para o violão, o instrume
A primeira coisa que você precisa ter em mente: As casas do violão “caminham” de 1/2 em 1/2 tom. Portanto, tudo o
– na casa 2, estará 1/2 tom acima na casa 3. E 1 tom acima na casa 4. E assim por diante.

Localizando os acordes de um campo harmonico a partir de C


Tenha em mente que aqueles acordes abertos, sem pestana, não podem ser feitos da mesma maneira nas casas mais a
não são apertadas ficariam com as notas erradas.

Portanto, para descobrir acordes de outro campo harmonico, use acordes com pestana.
Seguindo o mesmo exemplo, de C para D, bastaria fazer todos os acordes com pestana e depois passá-los uma casa (1
Então você faria um acorde C com pestana na casa 3. O acorde D com pestana na casa 5.
O acorde Dm com pestana na casa 5. E acharia Em com pestana na casa 7.
E assim por diante. Depois de achar os acorde desejados, você pode tocar em qualquer outra possição, sem usar a pes
acorde Em na casa 1… etc. O uso da pestana aí no caso é somente para localizar os novos acordes.

É claro que o método serve para qual ponto de partida. Partindo de D, por exemplo, para achar E.
da. A não ser pra tentar decorar. Você vai tentar decorar 

 tom. 
diante, segundo a escala cromática. Tá bom, aí vai a escala cromática:

ndo aumentar todas as notas em 1/2 tom, 1 tom, 1 1/2 tom… etc.
rmonicos, bastando aumentar todos os acordes em 1/2 tom, 1 tom… etc.
er saber a escala e o campo harmonico de D. 

iolão, o instrumento em si.
 Portanto, tudo o que você fizer – por exemplo 

nas casas mais adiante. Porque as cordas que 
á-los uma casa (1 tom) adiante.

o, sem usar a pestana, é claro. Por exemplo, o 
Usando o campo harmonico para “tirar” músicas
É claro… pra que aprender tudo isso e depois continuar indo a um site de cifras para tocar uma música que só tem 4 ac
Para descobrir os acordes de uma música por si mesmo, é preciso aprender teoria. Pelo menos o básico. Muita gente p
Quando você vê alguém “tirando” o acompanhamento de uma música com a maior facilidade, pode acreditar… A pess
Estudar e praticar. É isso.

O que você pode fazer


Conhecendo o campo harmônico, você pode descobrir os acordes de uma música. Comece com músicas bem simples,
acordes naturais (ou até com sétima). Geralmente músicas populares são assim. Sertanejo, pop, etc.
Aprenda a cantar a música.
Tente definir uma tonalidade. Não é preciso que seja a tonalidade original. Toque o primeiro acorde da tonalidade que 
trecho da melodia. Normalmente a sua voz deverá acompanhar o som do violão.
Quando conseguir harmonizar o primeiro trecho com o primeiro acorde, tente seguir em frente. Você deverá sentir qua
Deverá ser hora de trocar de acorde.

A partir daí, você vai usar o campo harmonico. Infelizmente não há regras. Mas há tendências. Numerando os acordes

Acordes 1, 4 e 5 (Exemplo: C, F, G)
Acordes 1, 6, 4 e 5 (Exemplo: C, Am, F, G)
Acordes 1, 5 e 4 (Exemplo: C, G, F)
Acordes 1, 2 e 5 (Exemplo: C, Dm, G)
Não apresse as coisas… Não é logo de cara que se consegue fazer isso. Vá devagar. E seja persistente. Você praticame
acordes para tentar colocar na música. Porque o acorde diminuto raramente aparece em músicas mais simples.
Então, em algum momento, a coisa vai se encaixar. É só ir tentando. Uma boa idéia é ir fazendo suas tentativas e depo
Mas só depois de insistir bastante. Assim você consegue ver onde estava errando. Mas tome cuidado… eu já vi cifras e
Conhecendo o campo harmonico em teoria e no violão, você saberá se os acordes ali estão certos ou não.
ca que só tem 4 acordes? É preciso usar o conhecimento.
co. Muita gente pensa que há truques e fórmulas mágicas… Não Não há.
acreditar… A pessoa estudou. Sabe teoria. E tem muita prática. 

icas bem simples, com poucos acordes e somente com 

da tonalidade que escolheu e tente cantar um pequeno 

ê deverá sentir quando o acorde já não harmoniza bem. 

erando os acordes do campo harmonico de 1 a 7, você pode tentar:

e. Você praticamente, em músicas simples, só tem 6 
s simples.
s tentativas e depois conferir os acordes num site de cifras. 
… eu já vi cifras erradas nos sites. 
I II III IV V VI VII VIII
Maior Menor Menor Maior Maior Menor Dim Maior
C Dm Em F G Am B / Bm5-
o
C A primeira nota da e
C# D#m Fm F# G# A#m Co C# A segunda nota da e
D Em F#m G A Bm C# o D A terceira nota da es
D# Fm Gm G# A# Cm Do D# A quarta nota da esc
E F#m G#m A B C#m D# o E A quinta nota da esc
F Gm Am A# C Dm E o / Em5b F A sexta nota da esca
F# G#m A#m B C# D#m Fo F# A sétima nota da esc
G Am Bm C D Em F# o G Evidentemente a reg
G# A#m Cm C# D# Fm Go G#
A Bm C#m D E F#m G# o A
A# Cm Dm D# F Gm Ao A#
B C#m D#m E F# G#m A# o B

1 TOM 1 TOM TOM TOM TOM Regra MAIOR TOM -

C D E F G A B C

MEIO TOM MEIO TOM


semi Tom semi Tom

F G A Bb C D E F
Os acordes do campo harmonico de F são formados seguindo regra basica que determina que pelo 1. grau F pelo 3. grau e pelo 5
O segundo acorde será formado seguindo a mesma regra só que começando pela segunda nota G

1.o MAIOR
2.a Menor
3.a Menor
4.a Maior
5.a Maior
6.a Menor
7.a Menor Diminuta

Escala menor
A chamada “escala menor” é formada a partir da seguinte sequência: tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom…re

Vamos construir então a escala de dó menor. Você já é capaz de construir essa escala. Basta seguir essa sequência dad
dó, ré, ré#, fá, sol, sol#, lá#, dó… repetindo o ciclo.

As notas ré#, sol# e lá# equivalem, respectivamente, a mib, láb e sib. Poderíamos reescrever então a sequência acima c

dó, ré,
Note quemib, fá, sol,éláb,
a escala sib, dó.
absolutamente a mesma; a única diferença é que antes ela estava escrita com sustenidos (#), e ago
escala menor de dó é escrita da segunda forma e não da primeira. Por quê? Simplesmente porque nela todas as 7 nota
No primeiro caso, a nota si não aparece. Isso muda alguma coisa? Faz diferença? Não. Mas nas literaturas você provave
mencionado.
Na realidade, a preferência pela segunda descrição tem um sentido mais profundo, pois facilita a observação das funçõ

Confira então as digitações (em partitura e tablatura) da escala maior e da escala menor de Dó:
Obs: No braço do violão/ guitarra, para se obter a escala de outra nota (além da nota “dó” que mostramos), basta deslo

Isso é ótimo, não? Significa que só precisamos decorar um desenho para cada escala! No teclado, não temos esse privil
facilitadoras. Cada instrumento tem seus prós e contras!

Escala menor natural


A escala menor natural é aquela formada pela sequência de intervalos: tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom…r

Confira abaixo uma tabela contendo todas as escalas meno


O nome “escala menor” costuma ser utilizado como abreviação para “escala menor natural“. Não confunda essa escala
elas são diferentes. Você pode aprender todos esses assuntos com detalhes exclusivos em nossa apostila completa de t

Já falamos um pouco sobre essa escala quando estávamos apresentando o conceito de escalas musicais, mas vale a pen
Por enquanto, entenda que a diferença entre uma escala maior e uma escala menor está nos graus 3º, 6º e 7º.

Qual o motivo das escalas musicais serem chamadas de maiores e men


Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é u

Escalas naturais
Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é u
 primeira nota da escala – gera um acorde maior: Ex: C
 segunda nota da escala – gera um acorde menor: Ex: Dm
 terceira nota da escala – gera um acorde menor: Ex: Em
 quarta nota da escala – gera um acorde maior: Ex: F
 quinta nota da escala – gera um acorde maior: Ex: G
 sexta nota da escala – gera uma acorde menor: Ex: Am
 sétima nota da escala – gera um acorde diminuto: Ex: Bº
videntemente a regra acima vale para qualquer escala maior.

egra MAIOR TOM - TOM - SEMI TOM - TOM - TOM - TOM - SEMI TOM

pelo 3. grau e pelo 5. grau da escala.

mitom, tom, tom…repetindo o ciclo.

essa sequência dada começando pela nota dó. Fica assim:


a sequência acima como:

sustenidos (#), e agora ela foi escrita com as alterações bemóis (b). Geralmente a
nela todas as 7 notas apareceram (com ou sem alterações – sustenidos/bemóis).
aturas você provavelmente vai encontrar a segunda descrição, pelo motivo

bservação das funções harmônicas, mas não se preocupe com isso agora.

tramos), basta deslocar esse mesmo desenho para a nota que se deseja. Experimente testar fazendo esse mesmo desenho (mesmo shape

ão temos esse privilégio. Porém, o teclado apresenta outras inúmeras vantagens

mitom, tom, tom…repetindo o ciclo. Por exemplo, a escala de dó menor é formada pelas notas: C D Eb F G Ab Bb

calas menores das 12 notas:


onfunda essa escala com as escalas menor harmônica e menor melódica, pois
ostila completa de teoria musical, do básico ao avançado.

icais, mas vale a pena destacar que nos próximos artigos mostraremos que as escalas menores possuem uma íntima relação com as escala
3º, 6º e 7º.

iores e menores?
e você está lendo é um artigo parcial.

e você está lendo é um artigo parcial.


Para que servem as escalas musicais
Ok, tudo muito legal, muito bonito, mas para que serve cada escala?? onde elas são utilizadas?! Meu amigo, é aí que mora o se
em livros e na internet mostrando diversas escalas, mas duvido que alguém explique onde aplicar cada uma.

Felizmente, você está no lugar certo! Organizamos todos os conteúdos aqui do site de maneira que você consiga ter toda a base
Falaremos de cada escala musical especificamente mostrando como aplicá-las e tudo o mais. Esses segredos não são revelados
Descomplicando a Música você vai aprender tudo o que precisa.
Acredite. Não é à toa que tão poucos músicos sabem teoria musical de verdade. Nossos materiais foram construídos para derru
cada vez mais fazendo sua avaliação sobre os conteúdos, inscrevendo-se em nosso canal e divulgando para seus amigos. Para n
seu apoio!

Qual o motivo das escalas musicais serem chamadas de maiores e menores?


Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é um artig

Escalas naturais
Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é um artig
Escala diatônica
Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é um artig
é aí que mora o segredo! Isso ninguém fala. Você vai encontrar textos
.

siga ter toda a base necessária para deslanchar esse assunto.


não são revelados assim de bandeja em lugar algum, mas aqui no

struídos para derrubar essa barreira. Aproveite e ajude-nos a melhorar


seus amigos. Para nosso site crescer e ser ainda mais útil, precisamos do

e menores?
tá lendo é um artigo parcial.

tá lendo é um artigo parcial.


tá lendo é um artigo parcial.
É OBRIGATÓRIO PARA TODOS OS INSTRUMENTISTAS QUE DESEJAM TIRAR MÚSICAS SOMENTE OUVINDO OU OS

Campo Harmônico
A música popular é construída com base em uma tonalidade. Geralmente dizemos o tom da músi
determina UMA ESCALA e esta escala determina uma sequência de acordes que serão utilizados na
Ex: O Tom - DÓ MAIOR determina a ESCALA DE DÓ MAIOR, e a partir das notas desta escala
DÓ MAIOR
Os campos Harmônicos mais usados são o Maior e Menor. Conhecendo o Tom de uma música e o
ouvido ou compor nossas próprias músicas! Trabalharemos inicialmente com o Campo Harmônico M
Acordes (graus) /
I II III IV V(7)
Campo harmônico de:

Dó maior C Dm Em F G(7)
Ré maior D Em Fm G A(7)
Mi maior E F#m G#m A B(7)
Fá maior F Gm Am Bb C(7)
Sol maior G Am Bm C D(7)
Lá maior A Bm C#m D E(7)
Si maior B C#m D#m E F#(7)

Sib maior Bb Cm Dm Eb F(7)


Mib maior Eb Fm Gm Ab Bb(7)
Láb maior Ab Bbm Cm Db Eb(7)
Réb maior Db Ebm Fm Gb Ab(7)
Solb maior Gb Abm Bbm C Db(7)
O CAMPO HARMÔNICO MAIOR POSSUI UMA 2 FÓRMULAS QUE ACONTECERÃO EM TODOS O
1º REGRA - Do acorde I para o acorde II temos a distância de 1 tom.
Do acorde II para o acorde III temos a distância de 1 tom.
Do acorde III para o acorde IV temos a distância de 1 tom.
Do acorde IV para o acorde V temos a distância de ½ tom.
Do acorde V para o acorde VI temos a distância de 1 tom.
Do acorde VI para o acorde VII temos a distância de 1 tom.
Do acorde VII para o acorde VIII temos a distância de 1 tom.

2º REGRA O Acorde I será sempre MAIOR.


O Acorde II será sempre MENOR
O Acorde III será sempre MENOR
O Acorde IV será sempre MAIOR
O Acorde V será sempre MAIOR OU MAIOR COM 7
O Acorde VI será sempre MENOR
O Acorde VII será sempre DIMINUTO

Obs: o qunto (V) acorde do campo harmônico maior pode ser simplesmente maior ( V )ou maior com sétima( V 7 ). Uma forma
sequência de acordes e desjamos retornar ao tom principal. Neste momento podemos usar o V7 para preparar o acorde da to
Exemplo em dó maior: C / Am / Dm / F / G7 / C
Dó maior C Dm Em F G(7)
A partir daí, você vai usar o campo harmonico. Infelizmente não há regras. Mas há tendências. Numerando os acorde

Acordes 1, 4 e 5 (Exemplo: C, F, G) C D E F G A B C
Acordes 1, 6, 4 e 5 (Exemplo: C, Am, F, G)
Acordes 1, 5 e 4 (Exemplo: C, G, F)
Acordes 1, 2 e 5 (Exemplo: C, Dm, G)

Tabela de Acordes do Campo Harmônico


para Violão / Guitarra

Afinação – (1 ª)Mi (2 ª)Si (3 ª)Sol (4 ª)Ré (5 ª)Lá (6 ª) Mi

Estes são acordes básicos para torcarmos muitas canções populares. Reconhecer as cifras pelos nomes corretos
tocar violão ou guitarra com independência.

Os sinais 1, 2, 3, 4 e a Pestana ( ) são executados com a mão esquerda. A pestana é executada com o ded
Os sinais P, I, M, A indicamos dedos da mão direita (polegar, indicador, médio e anular) e quais cordas eles devem
tocar todas as cordas priorizando as cordas que foram marcadas com PIMA.

Obs:
·      Faça os acordes sempre seguindo a ordem dos dedos da mão esquerda: dedo 1, 2 3 e 4.
·      Exercite a mão direita dedilhando os acordes repetindo cada sequência:
1) P I M A M I P - 2) P A M I M A P - 3) P I A I M I P
MENTE OUVINDO OU OS QUE DESEJAM COMPOR SUAS PRÓPRIAS CANÇÕES.

zemos o tom da música é Dó maior, ou Ré menor, ou Si bemol maior, etc. Este tom
ue serão utilizados na construção da harmonia desta música.
das notas desta escala são construídos os acordes do CAMPO HARMÔNICO DE

m de uma música e o seu Campo Harmônico poderemos tirar músicas de


o Campo Harmônico Maior de cada tom.

VI VII

Am B°
Bm C#°
C#m D#°
Dm E°
Em F#°
F#m G#°
G#m A#°

Gm A°
Cm D°
Fm G°
Bbm C°
Ebm F°
ERÃO EM TODOS OS CAMPOS:
m sétima( V 7 ). Uma forma de usar o acorde V7 é quando construímos uma
ara preparar o acorde da tonalidade ( I ).

Am B°
as. Numerando os acordes do campo harmonico de 1 a 7, você pode tentar:

as pelos nomes corretos e saber reproduzir estes acordes são o primeiro passo para

na é executada com o dedo 1 apertando todas as cordas indicadas.


quais cordas eles devem dedilhar. Caso a música seja tocada com batidas, deveremos

edo 1, 2 3 e 4.
Capítulo 5: Formação dos Acordes (Maiores) e do CAMPO HARMONICO
Acorde é um conjunto de notas tocadas ao mesmo tempo, formando uma composição perfeita. Os acordes são usados para
começaremos o nosso estudo! Nós estudaremos acordes no padrão universal, pelo que chamamos de CIFRAS.
Por exemplo o acorde Dó é uma composição perfeita pois é formado pelas notas: Dó, Mi, Sol.
A maioria dos acordes são formados basicamente por 3 notas, o que chamamos de Tríade.
Quer saber como os acordes são formados?
Fazendo uma escala Diatônica (Entende-se por Escala Diatônica, o que seria uma escala variando de 1 em 1 tom, porém is
para o Dó também, por isso a escala Diatônica possui a seguinte variação: 1, 1, 1/2, 1, 1, 1, 1/2)

I II III IV V VI VII VIII


Dó Ré Mi Fá Sol Lá Si Dó
Ré Mi Fa# Sol La Si Do# Ré
Mi Fa# Sol# La Si Do# Re# Mi
Fá Sol La La# Do Re Mi Fa CH
Sol La Si Do Re Mi Fa# Sol
La Si Do# Re Mi Fa# Sol# La
Si Do# Re# Mi Fa# Sol# La# Si
Resumindo:
Mi + 1 tom = Fa#, porque Mi + 1/2 tom = Fa.
Si + 1 tom = Do#, porque Si + 1/2 tom = Do.
A primeira coisa que podemos notar é que você não entendeu nada do que nós fizemos na tabela acima! O que é nor
Os números em romano significam o grau da escala, cada grau corresponde a um tom, menos do II para o III, qu
Um acorde é formado pela PRIMEIRA, TERÇA e a QUINTA notas do quadro acima!
Ou seja, Lá é formado por: La, Do e Mi.

O Sol é formado por: Sol, La# e Re.

"Essa é a fórmula dos acordes maiores"

Outro ponto importante que podemos notar é que a I e a VIII são sempre iguais, isso é super importante, pois é um

Treine bastante a tabela acima, tente faze-la numa folha de papel sem olhar, depois confira, essa tabela é

Capítulo 6: Formação dos Acordes (Menores)


Neste capítulo iremos introduzir um outro tipo de acorde, os acordes menores. Os acordes menores são representados pela

Assim como os acordes maiores, os menores também são formados por conjuntos de notas, porém a tabela que teremos q
que da III para IV e da VII para a VIII aumentávamos 1/2 tom? (Se não se lembra dê uma olhada na tabela do cap. 4). Pa
abaixo e veja que agora temos da II para III e da V para VI aumentos de 1/2 tom.
I II III IV V VI VII VIII
DOm RE RE# FA# SOL# LA SI DOm
REm MI FA SOL LA LA# DO REm
MIm FA# SOL LA SI DO RE MIm
FAm SOL SOL# LA# DO DO# RE# FAm
SOLm LA LA# DO RE RE# FA SOLm
LAm SI DO RE MI FA SOL LAm
SIm DO# RE MI FA# SOL LA SIm
Lembrete:
Mi + 1 tom = Fa#, porque Mi + 1/2 tom = Fa.
Si + 1 tom = Do#, porque Si + 1/2 tom = Do.
Se pegarmos a PRIMEIRA, a TERÇA e a QUINTA obteremos qualquer acorde menor!
Ou seja:
REm é formado pelas notas: REm, FA e LA
SOLm é formado pelas notas: Sol, La# e Ré
(O m na tabela só consta a título de demostração)
Capítulo 7: Introdução a notação de CIFRAS
Cifra é apenas uma notação diferente para os acordes, muitos a consideram um método, e na verdade realmente é. Existem
o método da Pauta Músical, que é bem mais preciso, pois contém a oitava que a nota deve ser tocada assim como o seu te
exatamente como seu criador a compos. No método das cifras, o processo foi simplificado, porém depende muito mais da s
música lembre a original. Por ser mais simples de entender, as cifras foram se tornando o padrão mais conhecido e utilizad
parecido com isso:

Garçom (Reginaldo Rossi)


Dm Gm
Garçom, aqui, nesta mesa de bar
A Dm A
Você já cansou de escutar, centenas de casos de amor
Dm Gm
Garçom, no bar, todo mundo é igual
A Dm D7
Meu caso é mais um, é banal, mas preste atenção por favor
Nota Nota
Cifra correspon Cifra correspon
dente dente
A Lá Am Lá menor
B Si Bm Si menor

C Dó Cm Dó menor

D Ré Dm Ré menor

E Mi Em Mi menor
F Fá Fm Fá menor
Sol
G Sol Gm
menor
Capítulo 8: Acordes com 7ª
Existem notas que além de serem formados pela PRIMEIRA, TERÇA e a QUINTA são formados também pela SÉTIMA. Estes
aprenderemos a fazer os acordes com 7ª apartir das tabelas dos capitulo 4 e 5.

Para acharmos a sétima menor de uma nota devemos pegar a primeira (que é sempre ela própria) e diminuir um tom intei
diminuimos 1/2 tom!
Portanto a notação é:
X7 - Leia X com 7ª menor ou apenas, X com sétima
X7M - Leia X com 7ª maior.
Por Exemplo:
A7 (La com 7ª), pegamos o próprio Lá (nota), que é a primeira de A (acorde) e diminuimos 1 tom inteiro.
ou seja, o A era formado por, La, Do e Mi daí pegamos a primeira de A que é Lá e diminuimos 1 tom, então A7 é formado p
Por que pegar a primeira e diminuir 1 tom para achar a sétima menor, qual é a lógica?
Muito simples, um acorde com sétima é formado pela TERÇA, QUINTA e a SÉTIMA, para encontrarmos a sétima, é mais fác
mesmo? É, exatamente o que nós fizemos, lembra que a 1ª a a oitava são iguais! Baixamos direto da primeira porque já sa
Vamos a outro exemplo:
Como achar D7 (Ré com 7ª)?
Primeiro passo: Quais as notas que formam D?
Elas são: Ré, Fa# e Lá (Consulte o capítulo 4 se tiver dúvidas)
Sabemos que a primeira de qualquer nota é ela mesma, então a primeira do acorde Ré é a nota Ré, então vamos achar a s
Então, D7 é formada por: Do, Fa# e Lá.
(Cuidado quando for diminuir 1 tom de Fa e Dó, pois Dó - 1 tom = La# e Fá - 1 tom = Ré#)
Podemos lembrar também todos os acordes se apresentam conforme as seguintes denominações:
a) ACORDES CONSONANTES: Representam a série de acordes que ao serem tocados transmitem uma sensação repousa
de serem tocadas Portanto, nesta fase do curso, vamos usar principalmente estes acordes.
b) ACORDES DISSONANTES: Ao contrário dos anteriores, estes transmitem uma sensação mais tensa, mais chocante (da
Estes acordes são utilizados principalmente na execução da "Bossa Nova" e do "Jazz". Muitas vezes, quando estes acordes
"erro", porém, no contexto geral da música tornam-se agradáveis.
Podemos lembrar também que stes símbolos abaixo são utilizados para nomear acordes:
M ou + Lê-se maior
+5 " com quinta aumentada
6 " com sexta maior
7 " com sétima (menor) - da dominante
7M " com sétima - Maior
9 " com nona - Maior
m " menor
m6 " menor com sexta
dim ou o " sétima diminuta
m7 " menor com sétima
-9 " com nona menor
Capítulo 9: Acordes Relativos
Existem alguns acordes que são bem difíceis de serem feitos, alguns usam pestana outros exigem uma abertura de dedo m
de vocês, existem acordes que possuem som bem parecido com outro acorde!

Como os acordes são formados pela PRIMEIRA, TERÇA e a QUINTA, acordes que possuam a terça e a quinta iguais sãs cha
primeira de qualquer nota é ela mesma, além disso, se fosse igual seria a mesma nota).
Vejamos as principais notas relativas.
Suas
Cifras Relativ
as
A F#m
B G#m
C Am
D Bm
E C#m
F Dm
G Em
Capítulo 10: Inversões
Fazer a inversão de um acorde significa colocar na base desse acorde, ao invés da nota fundamental, a mediante ou a dom
primeira inversão, é em Mi, sua segunda Inversão é em Sol e sua Terceira Inversão é em Si, e o que isso significa?
Mi, Sol e Si correspondem, respectivamente à TERÇA, QUINTA e a SÉTIMA de Dó.
As inversas devem ser adicionadas às notas originais, ou, as notas originais devem ter o baixo na nota inversa.
Exemplos: Existem duas notações:
1ª Notação2ª Notação
Quando temos
Quando
algotemos
parecido
algocom
parecido
X/Y, com
ondeX/N
X é uma
ondenota
X é uma
qualquer
nota qualquer
e Y é outra
e nota
N é um
qualquer.
número qualquer.
Exemplo Exemplo
s: s:
G/A C/7
Em/B D7/9
Fa#/E E7/11
Você já deve ter visto algo parecido com isso:
Tempos Modernos
De: Lulu Santos
Introdução: (G/D D) A Em
G D A7 A6
Eu vejo a vida melhor no futuro
Em G D A7
Eu vejo isto por cima de um muro
G Em/B
De hipocrisia
Em C7+ C/D
Que insiste em nos rodear
Na introdução, temos logo de cara um Sol com baixo em Ré, analizando a nota, através da tabela do cap. 5, descobrimos
Depois temos Mi menor com baixo em Si, Si também é a Quinta de Mi menor, portanto também é a 2ª inversão.
Já o Dó com baixo em Ré, na última linha, é uma outra nota, não é uma inversa, pois a inversa deve ter baixo ou na TE
a conclusão que o Ré, é a NONA de Dó. (ou SEGUNDA, mas a notação mais usual é a oitava superior)

Por que Ré é a Nona de Dó?


Sabemos que a PRIMEIRA e a OITAVA são iguais, por que? Uma oitava é constituída por 8 notas, por exemplo: Do, Re, Mi,
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
Capítulo 11:Cifrado
Cifrado é a nomenclatura universal moderna de hamonização . Onde os nomes das notas são substituídos por letras .
A (lá) B (si) C (dó) D (ré) E (mi) F (fá) G (sol)
Acidentes: # (sustenido) aumenta anota meio tom
b (bemol) diminui a nota meio tom
Códigos: m (acorde menor) + ou M (acorde maior)
° (acorde diminuto) / (acorde com o baixo alterado)
- (acorde diminuído) Ex. (E/D = Mi maior com o baixo em Ré)
Capítulo 12:Transporte
O transporte é utilizado para modificar a tonalidade da música para mais aguda ou para mais grave.
Se a música estiver cifrada muito baixa na marcação original encaminha-se para a direita até achar o tom ideal . Quando e
Para a direita ----------: mais alto
Para esquerda :--------: mais baixo
Capítulo 13: Baixo
O baixo tem função de reforçar harmoniosamente as notas graves dos acordes .
Todo acorde é formado pôr três ou mais notas.
1º Tônica 2º Terça 3º Quinta 4º Dissonância
No baixo contasse as notas da corda MI para a corda sol . No sentido de aumento de tom. . Na maior parte dos acompanha
como a nota preponderante , portanto as outras notas podem ser utilizadas para fazer um desenho melódico , e com isso o

DÓ = 33 RÉ = 35 MI = 40 FÁ = 41 SOL = 43 LÁ = 45 SÍ = 32
Esse é um sistema de números que facilita a identificação da nota , ele procede da
Seguinte maneira ,contasse as cordas de baixo para cima dando números decimais como nome ...
Corda 1 solta = 10 Corda 2 solta = 20 Corda 3 solta = 30 Corda 4 solta = 40
Se a corda 1 estiver pressionada na primeira casa será 11 se estiver pressionada
Na Segunda será 12 e assim sucessivamente com as outras cordas.....
Capítulo 14: Escalas
Vamos aprender a construir uma escala de Dó a Dó e com todos os seus acidentes.
Para isto precisamos saber que entre Mi e Fá - Si e Dó não há sustenido (#) ou bemol (b),
e que o # e o b ocupam a mesma casa ou seja um Fá # está localizado na mesma casa
Em que vamos encontrar o Sol b.

Logo temos.

Dó|#|Ré|#|Mi|Fá|#|Sol|#|Lá|#|Si|Dó
ou
Dó|b|Ré|b|Mi|Fá|b|Sol|b|Lá|b|Si|Dó
Mi--|Fá-|#-b|Sol|#-b|Lá-|#-b|Si-|Dó-|#-b|Ré-|#-b|Mi-|
Lá--|#-b|Si-|Dó-|#-b|Ré-|#-b|Mi-|Fá-|#-b|Sol|#-b|Lá-|
Ré--|#-b|Mi-|Fá-|#-b|Sol|#-b|Lá-|#-b|Si-|Dó-|#-b|Ré-|
Sol-|#-b|Lá-|#-b|Si-|Dó-|#-b|Ré-|#-b|Mi-|Fá-|#-b|Sol|
Si--|Dó-|#-b|Ré-|#-b|Mi-|Fá-|#-b|Sol|#-b|Lá-|#-b|Si-|
Mi--|Fá-|#-b|Sol|#-b|Lá-|#-b|Si-|Dó-|#-b|Ré-|#-b|Mi-|
Capítulo 15: Transposição de Tons
A transposição de tonalidade é o meio de fazer com que uma música que você já tenha
cifrada em casa, mas não consegue cantar por não conseguir alcançar a tonalidade,
possa ser baixada ou aumentada, em sua tonalidade, de acordo com as suas necessidade,
servindo também para facilitar o trabalho de outros instrumentistas evitando que
tenha que tocar em tonalidades difíceis de ser executadas.

Para isso utilizamos a escala.


Dó|#|Ré|#|Mi|Fá|#|Sol|#|Lá|#|Si|Dó

Faremos dois exemplos para a sua compreensão.


EXEMPLO 1
Digamos que, uma música foi feita originalmente nos acordes Dó - Fá - Sol, mas
quando você a executa a sua voz não alcança algumas notas por serem muito agudas,
é nesta situação que recorreremos ao uso da transposição de tonalidade, e trocaremos
os acordes por outros mais graves logicamente.

Usando a escala acima vamos diminuir meio tom ou seja vamos localizar os acordes
Dó - Fá - Sol na escala e voltar um acorde.

Resultado o acorde Dó passará a ser Si, o acorde Fá passará a ser Mi e o acorde


Sol passará ao acorde Fá #.
EXEMPLO 2
Digamos que o caso seja inverso, que a música que você pretende executar é muito grave
e você quer que a melodia se torne mais aguda.

Tomaremos como base os acordes Mi - Lá - Ré, e usando a escala alteraremos um tom,


ou seja duas notas para frente.

Resultado o acorde Mi passará a ser o Fá # o acorde Lá passará a ser o acorde Si


e o acorde Ré a Mi.
s são usados para tocarmos a música propriamente dita, e a partir de agora
FRAS.

m 1 tom, porém isso não acontece pois do Mi para o Fá temos 1/2 tom e do Si

I II III IV V VI VII VIII


C D E F G A B C

G A B C D E F G
G Am Bm C D Em F# ou o
G
TOM TOM SEMITOM TOM TOM TOM SEMITOM
OBS: primeiro grau, quarto e quinto sempre forman acordes maiores

cima! O que é normal, pois você ainda não sabe umas coisinhas:
II para o III, que temos 1/2 tom e do VII para o VIII que também temos 1/2 tom.

rtante, pois é um modo de você saber se está fazendo a tabela certo ou não!

ra, essa tabela é o ponto chave para entendermos o que vem pela frente!

epresentados pela letra m em minúscula. Ex: DOm, REm, FAm e etc!

ela que teremos que fazer será um pouco diferente. Lembra que no capítulo 4
ela do cap. 4). Para os acordes menores, os graus vão mudar, confira a tabela
almente é. Existem dois métodos mais conhecidos para aprender e tocar violão,
sim como o seu tempo e todos os detalhes para que a música seja tocada
de muito mais da sua habilidade e criatividade para conseguir fazer com que a
onhecido e utilizado pelos músicos amadores, você já deve ter visto algo

ela SÉTIMA. Estes acordes são chamados de Acordes com 7ª. Neste capítulo

nuir um tom inteiro e para charmos a 7ª Maior (Ex. D7M) pegamos a primeira e

ão A7 é formado por Sol, Do e Mi.


sétima, é mais fácil você pegar a OITAVA e diminuir 1 tom inteiro, não é
meira porque já sabemos que a primeira de qualquer nota é ela mesma!

o vamos achar a sétima diminuindo 1 tom da primeira. Ré - 1 tom = Dó

sensação repousante e harmoniosa. Geralmente são as "posições" mais fáceis

mais chocante (dando a impressão de pouco harmoniosa).


do estes acordes são tocados separadamente, transmitem uma sensação de

bertura de dedo muito grande, ou seja, tudo que os iniciantes fogem! Para sorte

nta iguais sãs chamados de relativas (A primeira nunca será igual, pois a

ediante ou a dominante. Por exemplo: C é formado por: Dó, Mi e Sol. Sua


significa?
ap. 5, descobrimos que Ré é a Quinta de Sol, ou seja, sua 2ª inversão!
inversão.
ter baixo ou na TERÇA, na QUINTA ou SÉTIMA. Analizado esta nota, chegamos

mplo: Do, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si. (1ª Oitava).Do, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si, Do. (2ª Oitava)

s por letras .

m ideal . Quando estiver cifrada muito alta encaminha-se para esquerda .

te dos acompanhamentos , o baixo utiliza a tônica


dico , e com isso obter um resultado mais colorido no acompanhamento....
Técnicas
* Ligaduras (Legato)
É a ligação de som que aparece entre uma nota fixa e uma nota solta. Também conhecida como legato, é uma técnica am
dois tipos de ligaduras: uma ascendente e outra descendente, conhecidas respectivamente como Hammer-on e Pull-of.

Hammer-on (h)
Consiste basicamente em tocar uma nota e fazer a outra soar sem auxílio da mão direita. A nota ligada será martelada co
primeira, vai estar sempre na mesma corda é em qualquer uma casa acima (ligadura ascendente).

Abaixo temos um exemplo de aplicação de hammer-ons feito sobre uma escala pentatônica.
e:|--------------------8h10--12----------------|
B:|--------------8h10---------------------------|
G:|---------7h9---------------------------------|
D:|---7h10--------------------------------------|
A:|-----------------------------------------------|
E:|-----------------------------------------------|

Di: 14 13 2 4 2 4 4

Execução
Para executar o trecho acima, siga a digitação da mão esquerda representada por "Di". Toque a nota da corda (D) 7ª casa
martelada com o dedo 4. A martelada deve ser feita sem soltar o dedo 1 da 7ª casa. Depois temos uma ligadura na corda
com
o dedo 3. As outras ligaduras serão executadas da mesma forma.

Representação
Na tablatura acima temos quatro ligaduras do tipo "Hammer-on", representadas pela letra "h". Note que o primeiro
Em outras formas de representação em tablaturas, encontraremos as ligaduras representadas pelo símbolo (_) entre dois
ligadura (hammer-on ou pull-of).

Abaixo temos outro exemplo de aplicação de hammer-ons feito sobre a escala maior de G.
e:|--10_12--8_10--7_8--5_7--3_5--2_3_2_0--|
B:|-------------------------------------------------|
G:|-------------------------------------------------|
D:|-------------------------------------------------|
A:|-------------------------------------------------|
E:|-------------------------------------------------|

Di: 1 3 1 3 12 13 13 121

Analisando o exemplo acima, nota-se no trecho final (2_3_2_0) um conjunto de ligaduras, onde (3_2_0) são descen

Pull-of (p)
Pull-off é de certa forma o inverso de um hammer-on, consistem em soltar rapidamente uma nota fazendo com que a me
da mão direita. Esta nota que vai soar solta, vai estar sempre na mesma corda é em qualquer uma casa abaixo (ligadura

Neste exemplo temos a aplicação de pull-ofs feito sobre uma escala pentatônica.

e:|---10p8--------------------------------------|
B:|--------10p8---------------------------------|
G:|-------------9p7------7----------------------|
D:|------------------10--------------------------|
A:|-----------------------------------------------|
E:|-----------------------------------------------|

Di: 42 42 31 4 1

Execução
Para executar o trecho acima siga a digitação da mão esquerda representada por "Di". Para executar (10p8) o dedo 2 da m
da corda (e) 10ª casa (pressionada pelo dedo 4) é puxe soltando a nota com o mesmo dedo. O importante é sempre estar

Representação

Na tablatura acima temos três ligaduras do tipo "Pull-of", representadas pela letra "p". Note que o número antes do

No próximo exemplo temos a aplicação de pull-ons feito sobre a escala maior de G.


e:|--12_10--10_8--8_7--7_5--5_3--3_2_0-----|
B:|-------------------------------------------------|
G:|-------------------------------------------------|
D:|-------------------------------------------------|
A:|-------------------------------------------------|
E:|-------------------------------------------------|

Di: 3 1 3 1 21 31 31 21
Obs.:
No início é difícil conseguir um som satisfatório das notas marteladas ou puxadas, a técnica de ligaduras exige um b

Lick de exemplo

No exemplo abaixo temos a aplicação de hammer-ons e pull-ofs em uma escala de D maior (desenvolvimento do Ag

Ag3 Ag2

e:|--7h9p7-10--9-7----7-----------------------------------------|
B:|----------------10---10-8-7h8p7---7-------------------------|
G:|--------------------------------9-----9-7h9p7-/6~-----------|
D:|----------------------------------------------------------------|
A:|----------------------------------------------------------------|
E:|----------------------------------------------------------------|

Di: 1 3 1 4 3 1 4 1 4 2 1 2 1 3 1 31311

Ag2

e:|---------------------------------------------------------------|
B:|---------------------------------------------------------------|
G:|--6h7p6-9--7-6---6-----------------------------------------|
D:|---------------9-----9-7h9p7-/5--5h7p5-4~---------------|
A:|---------------------------------------------------------------|
E:|---------------------------------------------------------------|

Di: 1 2 1 4 2 1 4 1 4242 2 2421


Capítulo 16:Técnicas
*Trinados (Trill)
É um tipo de ligadura que envolve uma combinação de Hammer-ons e Pull-ofs em seqüência. Os trinados são classificados

Trinado simples

O exemplo abaixo contém 3 trinados simples de curta distância.

trill trill trill


e:|--5h8p5----8h10p8----10h12p10----------|
B:|-------------------------------13--10--------|
G:|----------------------------------------------|
D:|----------------------------------------------|
A:|----------------------------------------------|
E:|----------------------------------------------|

Di: 1 4 1 131 1 3 1 4 1

O trinado simples contém somente uma nota solta, no exemplo acima os trinados são classificados como de curta distânci
que neste caso não foi mostrado a quantidade de vezes que foi executado cada trinado, como no exemplo abaixo, outro tr
Trill
e:|--5h7p5h7p5h7---/9--7p5---5-------------|
B:|------------------------7---------------------|
G:|----------------------------------------------|
D:|----------------------------------------------|
A:|----------------------------------------------|
E:|----------------------------------------------|
Di: 131313 3 3131

No próximo exemplo uma situação comum, um trinado simples usando uma nota obtida em uma corda solta:
Tr ~~~~~~
e:|------------------------------------------------|
B:|------------------------------------------------|
G:|------------------------------------------------|
D:|------------------2-----------------------------|
A:|-----0-(2)--------------------------------------|
E:|--0----------------------------------------------|

Di: 3 3

Obs.: Nos trinados a curta distância somente a primeira nota será ferida com a paleta, as outras serão obtidas através das
da mão esquerda.

Representação

Como exemplificado acima os trinados sempre estão contidos em seqüências de ligaduras que podem vir acompanhadas d

Trinado composto

É o trinado que contém mais de uma nota solta:

Tr ~~~~ Tr ~~~~
e:|--8p7p5----10p8p7----10h12-8h10--7h8p7--5---------|
B:|--------------------------------------------------|
G:|--------------------------------------------------|
D:|--------------------------------------------------|
A:|--------------------------------------------------|
E:|--------------------------------------------------|

Di: 4 3 1 421 1 3 13 121 1


Obs.:
Os trinados simples são repetições de ligaduras entre duas notas;
Os trinados compostos são repetições de ligaduras entre três ou mais notas;

Trinado à longa distância (Two Hands)


Técnica também conhecida como "Two Hands" utiliza-se as duas digitações. Utilizar duas digitações significa tocar a escala

Abaixo temos um exemplo onde a nota indicada por "T" (Tap) e um "martelado" com o dedo médio da mão direita. A seqü

T T T T T
e:|-12-_2h3p2---10-_2h3p2---9-_2h3p2---7-_2h3p2--5-_2h3p2-----|
B:|----------------------------------------------------------- |
G:|-----------------------------------------------------------|
D:|-----------------------------------------------------------|
A:|-----------------------------------------------------------|
E:|-----------------------------------------------------------|

Di: (2) 1 2 1 (2) 1 2 1 (2) 1 2 1 (2) 1 2 1 (2) 1 2 1

Execução
Note que as notas marteladas são pull-ofs executados a longa distância, uma nota na 12ª casa e a outra na 2ª. Para exec
a nota fazendo-a soar, semelhante ao pull-of.

Representação

Além do símbolo "T" temos também na linha (Di) digitação da mão esquerda, a indicação (2) do dedo médio da mão direit

Neste outro exemplo temos vários trinados compostos a longa distância, os três primeiros são executados 4 vezes cada:

___4x___ ___4x___ ___4x___


T T T
e:|--15p5h7p5-------------------15p5h7p5-------------|
B:|----------------15p5h7p5-----------------------------|
G:|--------------------------------------------------------|
D:|--------------------------------------------------------|
A:|--------------------------------------------------------|
E:|--------------------------------------------------------|

Di: (2) 1 3 1 (2) 1 3 1 (2) 1 3 1

T T T T T
e:|--13p5h7p5---15p5h7p5---17p5h7p5---18p5h7p5---20p5h7p5--|
B:|--------------------------------------------------------|
G:|--------------------------------------------------------|
D:|--------------------------------------------------------|
A:|--------------------------------------------------------|
E:|--------------------------------------------------------|

Di: (2) 1 3 1 (2) 1 3 1 (2) 1 3 1 (2) 1 3 1 (2) 1 3 1


Lick de exemplo

Lick construído sobre uma escala pentatônica, observe a utilização dos hammer-ons, pull-ofs e trinados.

-5-------------------------------------------------- -|
---8--5--8--5-----5---------------------------------|
---------------7-----7--5h7p5---5------------------|
------------------------------7-----5h7p5----5-----|
------------------------------------------7--------- |
----------------------------------------------------- |

4 14 1 4 1 3 1 3 13131 131 31

Tr ~~~~
-------------------------------5----5h8p5---------|
---------------------5----5--8---8-----------------|
----------5----5--7----7---------------------------|
5----5--7----7--------------------------------------|
--7------------------------------------------------- |
--------------------------------------------------- |

313 1 3 13 1 3 13 1 414 141

0h8-------------------------------------------------|
--10--8h10p8------8-10~------------------------|
---------------9b-----------------------------------|
----------------------------------------------------|
----------------------------------------------------|
----------------------------------------------------|

Di: 4 4 2 4 24 2 3 2 4
Capítulo 16:Técnicas
Trêmulo
Técnica conceituada como oscilação vertical da palheta, que consiste em "tremer" executando paletadas rápidas e constan
guitarristas virtuosos. Escute e veja o exemplo abaixo:
Trêmulo *****************************************************>
e:|------------------------------------------------------------------|
B:|------------12--10--------10-12-10----------------------------|
G:|--12--11-12---------12-------------12-11--9--11--12--------|
D:|------------------------------------------------------------------|
A:|------------------------------------------------------------------|
E:|------------------------------------------------------------------|
Di: 3 23 4 2 4 2 4 2 4 3 1 3 4

Trêmulo *****************************************************>
e:|--------------------------------------------------------------------------|
B:|-12-10-----------12/-14--12--10---------------------10--------------|
G:|-------12-11--9---------------------12/-14----11-12----12-11-9----|
D:|-------------------------------------------------------------------------|
A:|-------------------------------------------------------------------------|
E:|-------------------------------------------------------------------------|
Di: 4 2 4 3 1 4 4 4 1 4 4 3 4 3 4 31

Execução

Segure mais no centro da paleta com firmeza, procure ferir a corda somente com a ponta da paleta, mantenha o ritmo do
Trêmulo ********************************************************>
e:|--12-10-12-------------------------------------------------------------------- |
B:|-----------13-12--13-12-10---12-13-12-10/-8----8-10/-12\-10-8---------|
G:|--------------------------------------------9-----------------9-7-9------------|
D:|-------------------------------------------------------------------------------- |
A:|---------------------------------------------------------------------------------|
E:|---------------------------------------------------------------------------------|

Trêmulo ********************************************************>
e:|-------------------------------------------------------------------------|
B:|-------------------------------------------------------------------------|
G:|-----7-9-7/-5-7-5/-4-5-4---4-----------------------------------------|
D:|--10---------------------7---7-5-7-5-4-5-4---4-----------------------|
A:|-------------------------------------------7---7-5-7--------------------|
E:|--------------------------------------------------------------------------|

Trêmulo ********************************************************>
e:|---------------------------9-11-12------------------------------------ |
B:|--------------------10-12----------------------------------------------|
G:|---------------9-11----------------------------------------------------|
D:|-------7/-9-11---------------------------------------------------------|
A:|--7-9-------------------------------------------------------------------|
E:|-------------------------------------------------------------------------|

No próximo exemplo, a técnica de trêmulo foi aplicada em um trecho que se repete na mesma corda:
--->
e:|----------------------------5------5----8--------------------- |
B:|----------------6-----6--8-----8------------------------------|
G:|-----5----5--7-----7----------------------------------------- |
D:|--/7---7------------------------------------------------------ |
A:|--------------------------------------------------------------- |
E:|--------------------------------------------------------------- |

Di: 313 1 3 2 3 2 4 1 4 1 4

Trêmulo *******************************************>

e:|---10-8-10-12-10-12-13-12-13-15-13-15-17-15-17-18-17-18-20-\---|
B:|---------------------------------------------------------------|
G:|---------------------------------------------------------------|
D:|---------------------------------------------------------------|
A:|---------------------------------------------------------------|
E:|---------------------------------------------------------------|

Di: 42 44 2 44 3 4 4 2 4 4 2 4 4 3 4 4

É comum encontrar o trêmulo em trechos de solos e arranjos, ou até mesmo aplicado em melodias inteiras em peças de m

1º Exercício

Este exercício é específico para treinar as paletadas com a mão direita.

Trêmulo *******************************************>

e:|--*-*-*)-(*-*-*--------------------------------------------------|
B:|------------------*-*-*)-(*-*-*----------------------------------|
G:|----------------------------------*-*-*)-(*-*-*------------------|
D:|--------------------------------------------------*-*-*)-(*-*-*--|
A:|--------------------------------------------------------------------|
E:|--------------------------------------------------------------------|
Neste exercício a mão esquerda tem o papel de abafar as cordas. Comece deslizando os dedos (mantenha o dedo apenas
braço na 1ª corda, realizando o trêmulo com a mão direita. Depois repita o movimento voltando para a primeira casa. Rep

As paletadas devem ser constantes, sem atrasos ou paradas nas notas. Segure a paleta com firmeza procure paletar some
espessura e textura diferentes, uma boa paleta facilita muito na execução de certas técnicas.
Capítulo 17: Dúvidas Cruciais: Tom, Batida e Ouvido
Muitos usuários me enviam e-mail com diversas dúvidas, e dentre elas irei enumerar e explica explicar aqui as principais q
preciso bastante treinamento e paciência para se ter êxito na execução destas técnicas. Nada se aprende de uma hora pra
1) Como identificar o tom de uma música,
2) Como saber a batida de determinada música

3) Como treinar meu ouvido para uma cifragem correta.


Identificando o Tom
Bom, isso é uma questão meio complicada de explicar, pois isso depende exclusivamente de você músico. Para se identific
dominar os acordes suas dissonantes e principalmente ter um ouvido bem apurado. Se você não saber os acordes e suas
de uma canção.

A dica que dou é que depois de fazer um estudo detalhado dos acordes, procure pegar um CD, escolha uma música e já n
quando começá-la ficar mais fácil a identificação. Geralmente as músicas começam com acordes puros, tipo C G D E F D#
acordes simples até você perceber com seu ouvido que o tom está batendo com o acorde que você utilizou.

Mas lembre-se: Você só terá êxito nessa operação, se o seu violão estiver bem afinado. Caso contrário, será perda de te
o legato, é uma técnica amplamente empregada em aranjos e solos. Existem basicamente
mo Hammer-on e Pull-of.

ta ligada será martelada com um dedo da mão esquerda. Esta nota que vai soar depois da
te).

a nota da corda (D) 7ª casa com o dedo 1, a nota da 10ª casa será obtida através de uma
mos uma ligadura na corda (G) 7ª casa ligada com a 9ª casa, a martelada agora é feita

a "h". Note que o primeiro número antes do "h" é sempre inferior ao segundo (ligadura para cima).
pelo símbolo (_) entre dois ou mais números. Neste formato não temos indicado o tipo de

s, onde (3_2_0) são descendentes (Pull-of).


ota fazendo com que a mesma soe solta ou apertada em um traste anterior, sem auxílio
uma casa abaixo (ligadura descendente).

ecutar (10p8) o dedo 2 da mão esquerda deve estar posicionado na 8ª casa, toque a nota
importante é sempre estar com o dedo da nota anterior posicionado.

ote que o número antes do "p" é sempre superior (ligadura para baixo).

ca de ligaduras exige um bom instrumento, agilidade e treinamento.

or (desenvolvimento do Ag2 no 5º Tr. dedo 2 na 5ª corda).


Os trinados são classificados em simples e compostos podendo ser de curta ou de longa distância.

dos como de curta distância, por que são executados somente com a mão esquerda. Note
no exemplo abaixo, outro trinado simples a curta distância:
ma corda solta:

as serão obtidas através das ligaduras (Hammer-ons e Pull-ofs) usando somente os dedos

podem vir acompanhadas da palavra "Trill" ou do símbolo "Tr ~~~~ ".


ções significa tocar a escala no braço do instrumento com a mão esquerda e direita.

édio da mão direita. A seqüências de trinado abaixo são todas compostas, possuem três notas ligadas.

e a outra na 2ª. Para executar o martelado, martele a nota é realize uma puxada soltando

o dedo médio da mão direita (martelada).

executados 4 vezes cada:


trinados.

paletadas rápidas e constantes sobre as notas. E uma técnica bastante difundida entre
aleta, mantenha o ritmo do movimento sempre igual, veja outro exemplo:
dias inteiras em peças de música instrumental.

(mantenha o dedo apenas encostado na corda) a partir da primeira casa até o fim do
o para a primeira casa. Repita este procedimento para todas cordas.

rmeza procure paletar somente com a ponta. Uma boa dica é experimentar paletas de

explicar aqui as principais que atormentam bastante a vida deles. Mas lembre-se que é
e aprende de uma hora pra outra. Vamos a elas:
ocê músico. Para se identificar o tom de uma música, é necessário, antes de mais nada,
o saber os acordes e suas ramificações de nada vai adiantar você querer identificar o tom

escolha uma música e já na introdução dela tente perceber os acordes usados, para
es puros, tipo C G D E F D# Bb e por ai vai. Vai tocando junto com as músicas todos esses
você utilizou.

contrário, será perda de tempo


Batidas
Esse é outro quesito com bastante dúvidas. Todos devem lembrar inicialmente, que hoje em dia não existem mais m
exemplo: Atualmente, não tem regra de que uma música sertaneja tem que ser tocada com a batida sertaneja e po
Os ritmos estão muito misturados. Hoje, um pagode é tocado em arpeggio, que é uma batida especialmente pra mú
regra. Procurem utilizar a batida pra música que está sendo tocada. Não liguem se o grupo é de forró e tem que toc
comerciais os ritmos ficam misturados, e o que é forró, pode ser algo romântico. Sei que é difícil você entenderem n
perceberem a batida que será utilizada.
Inventar também é preciso! Não pensem que só existem aquelas batidas que coloquei no site. Existem muitas outra
acordes? E porque não devemos inventar as batidas? Seja original antes de tudo. Mas quando for criar uma batida,
acordes.

Treinando meu Ouvido


Essa é uma parte que também depende de cada um. Ter um ouvido bem apurado é resultado de bastante treinamen
os acordes com mais facilidade, pois muitas vezes você pode estar reunido com amigos em alguma roda de música
execução da canção, você ficará perdido.
Lembre-se que não é só pra cifrar músicas que precisa ter um ouvido bom, mas também pra saber tocar junto com
improviso. Já imaginou se o público pede uma música fora do repertório e ai um dos integrantes sabe os acordes e
pode pensar muito.
Tão logo comece a canção, tente imediatamente identificar os acordes. Sei que é complicado, mas é preciso. Faça tr
teclado que têm bastante ligação.

Capítulo 18:Agilidade nos Dedos


Estamos de Volta! A partir de agora entraremos na fase final do Curso de Violão. Nossa intenção não é apresentar a
confunda e sim apresentar de forma resumida e básica todo um estudo do Violão para que você saia daqui tocando

Estamos preparando uma apostila virtual de Violão. Esta apostila terá mais de 100 páginas feitas no word com um C
forma mais detalhada, com imagens, demonstrações e outros diferentes tópicos que vale a pena conferir.Seria impo
personalizar a apostila da maneira que quiser e terá em mãos um material rico que vai ajudar pra caramba nos seus
coisa muito mais organizada e rica em informações. E por apenas Dez Reais. Aguarde que em breve estará a venda

Bem, mas nesse capítulo tentaremos dar início a uma série de atividades para que você adquira mais agilidade nos
acordes complicados é importantíssimo que seja bastante ágil.
Veja abaixo os exercícios que proponho.
Então aí estão :
Este 1° exercício é puramente de digitação.
Use os dedos 1, 2, 3 e 4 (mão esquerda) alternando a ordem em que eles são tocados. Na mão direita, use os dedo
Exemplo:
-----------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------
----------------------------------------(1)--(4)--(2)--(3)-------
--------------------(2)--(3)--(4)--(1)---------------------------
(1)--(3)--(2)--(4)-----------------------------------------------
Continue o exercício trocando a ordem dos dedos.
Tente as seguintes combinações:
1243213431244123
1342214331424132
1432231432144213
Dica
Faça uma série da 6ª corda até a 1ª indo do começo ao fim do braço do violão. Comece lentamente e vá aumentand
Voltando agora para a mão direita, faça o seguinte:
Deixe as cordas soltas e toque dessa maneira
----------A----
-------M-------
-----I---------
---------------
---------------
-P-------------
Toque o polegar na 6° corda e depois seguidamente os dedos I, M, e A nas 3°, 2° e 1° cordas respectivamente.
O Polegar é tocado de cima para baixo e o restante dos dedos de baixo para cima, "puxando" as cordas.
Dica
Quando tocar o Polegar faça como se estivesse "empurrando" a corda para frente e não apertando-a para baixo.
Toque primeiro o polegar na 6° corda mas depois faça o exercício usando a 5° e 4° cordas.
Comece lentamente e aumente a velocidade quando estiver seguro.
Tente manter um ritmo ao fazer esse exercício.
Faça também desta maneira:
PIMAMI
Partiremos então para a escala maior:
Outras digitações: Em E (Mi Maior)
----------------------------------------------------2--4--5-----
-------------------------------------------2--4--5--------------
----------------------------------1--2--4-----------------------
-------------------------1--2--4--------------------------------
----------------0--2--4-----------------------------------------
-------0--2--4--------------------------------------------------
Este próximo é em C(dó Maior) e está dividido em terças, toque uma nota e a próxima será uma terça acima dela.
-----------------------------------------------------------------
---------------------------------------------------------3-----5-
---------------------------------2------4----2----5----4-----5---
----------2------3---2---5---3-------5---------------------------
---3---------5---------------------------------------------------
-----------------------------------------------------------------
Faça esses dois últimos exercícios em todos os tons indo e voltando
Capítulo 19:Batidas
Você já deve ter visto em nosso site uma forma de fazer as batidas do violão, né? Mas muitas pessoas não entendem
alguns que sentem facilidade aprendendo daquela maneira, outros já sentem facilidade com uma outra forma.
Então irei colocar aqui uma forma que também pode ser ensinada. é um pouco mais complicada, mas quem já poss

Para indicar estas batidas usaremos um sistema muito simples veja:

B /\ || /\ B...
|| \/ ||

Esta batida é um acompanhamento muito comun em musicas populares.


Observe abaixo alguns dos simbolos usados e seus significados:

B - Baixo

Representa um toque com o polegar no baixo do acorde formado

/\ - Marcação curta para cima


||
Representa o toque para cima nas cordas inferiores
do acorde formado (1º para 3º cordas) usando o dedo indicador

|| - Marcação curta para baixo


\/
Representa o toque para baixo nas cordas inferiores
do acorde formado (3º para 1º cordas) usando o dedo indicador

|| - Marcação prolongada para baixo


||
\/ Representa o toque para baixo em toadas as cordas
do acorde formado, usando o dedo indicador

|| - Marcação prolongada para baixo com abafamento


||
\/ Representa o toque para baixo em toadas as cordas
~~ do acorde formado, usando o dedo indicador adicionado
um abafamento coma a palma da mão direita

O abafamento consiste em dar um tapa com a palma da mão sobre as


cordas, com a finalidade de parar sua vibração.

Representação da mão direita nos gráficos dos acordes

C                              G
     |-----|-----|-----|:E        b |--2--|-----|-----|:E
   b |--3--|-----|-----|:A          |-----|--1--|-----|:A
     |-----|--2--|-----|:D          |-----|-----|-----|:D
   . |-----|-----|-----|:G        . |-----|-----|-----|:G
   . |-----|-----|--1--|:B        . |-----|-----|-----|:B
   . |-----|-----|-----|:e        . |--3--|-----|-----|:e

Lembrando dos gráficos de acorde, note que são indicados com


a letra b do baixo e os três pontos nas cordas inferiores, que
representam as marcações da mão direita. Os pontos indicam as
cordas que devem ser batidas.

Agora veja abaixo alguns exemplos de batidas:

B /\ || /\ B...
|| \/ ||

B /\ || /\ || /\ || /\ B...
|| \/ || || || \/ ||
\/
~~

B /\ || B...
|| ||
\/
~~

B || B /\ || B...
|| || ||
\/ \/

B || B...
||
\/
~~

B /\ || /\ || /\ B...
|| \/ || || ||
\/
~~
B /\ || /\ B /\ || /\ || /\ B...
|| || || || \/ || || ||
\/ \/
~~ ~~

B /\ || /\ B...
|| || ||
\/
~~

Número de Batidas

Algumas das cifras publicadas neste site indicam através de números mostrados
acima do acorde a quantidade de vezes que deve ser usada a batida completa
na presente posição. Isto facilita a percepção e o acompanhamento para os
iniciantes.    
Um grande abraço à todos, bom estudo e até breve com mais novidades!
Marcus Vinicius

Dúvidas, sugestões e maiores informações sobre o curso completo:


mvhp@mvhp.com.br
a não existem mais músicas que devem ser tocadas por aquela determinada batida. Por
batida sertaneja e por aí vai.
especialmente pra músicas românticas. Então o que vocês devem pensar, é nunca seguir a
e forró e tem que tocar a batida de forró. Hoje, como todas as músicas estão meio
cil você entenderem no início, mas tente ir tocando junto com a música para vocês

Existem muitas outras e nós devemos ser criativos. Vários cantores não inventam
or criar uma batida, crie algo em que haja sincronização com o tempo da música e com os

de bastante treinamento e vontade. Para ser um músico completo, você precisa identificar
uma roda de música e ai quando for pedido pra se acompanharem eles durante a

aber tocar junto com os outros em grupos, principalmente quando for feito algum
es sabe os acordes e você não sabe. É nessas horas que o ouvido entra em ação. Vc não

mas é preciso. Faça treinamento com todos os instrumentos principalmente violão e

o não é apresentar aqui uma infinidade de assuntos pra fazer com que você iniciante se
ê saia daqui tocando alguma coisa da melhor forma possível.

as no word com um Curso Completo de Violão com os assuntos abordados aqui de uma
na conferir.Seria importante você comprar esse valioso material pois você pode
pra caramba nos seus estudos ao lado de um professor ou na escola. Até porque é uma
breve estará a venda em nosso site!

a mais agilidade nos dedos e nas mãos. Pois lembre-se: Pra você solar, fazer pestanas e

o direita, use os dedos I , M e A.


mente e vá aumentando gradativamente a velocidade à medida que não haja erros.

respectivamente.
s cordas.

ndo-a para baixo.

ma terça acima dela.

pessoas não entendem daquela forma, pois isso depende de usuário para usuário. Tem
ma outra forma.
a, mas quem já possuir um pouco mais de afinidade com o instrumento vale a pena aprender.
Mi E

C La A

E Re D
DÓ RÉ
MAIOR Sol G MENOR
C Si B

Mi E

Mi E

B La A

E Re D FA
MI MAIOR
MENOR Sol G
4.a Nota
Si B

Mi E

Sol Mi E

Do La A

Fa E Re D SOL
DÓ MAIOR
Maior 7 La# Sol G
5.a Nota
Re C Si B

Sol Mi E

Fa Mi E

La# La A

LÁ E Re# Re D

MENOR A Sol# Sol G


6.a Nota
Do Si B

Fa Mi E
Mi E

La A

Re D

A Sol G

D Si B

F Mi E

Fa Mi E

C La# La A

F Re# Re D

A Sol# Sol G

Do Si B

Fa Mi E
1

Sol Fa# Fa Mi E

Do Si La# La A

Fa Mi Re# Re D

La# La Sol# Sol G

Re Do# Do Si B

Sol Fa# Fa Mi E
1
Campo harmônico
Campo harmônico é um conjunto de acordes formados a partir de uma determinada escala. Tome como exemplo a escala d

Como formar um campo harmônico


Para cada nota dessa escala, iremos montar um acorde. Vamos ter, portanto, sete acordes, que serão os acordes do campo h

Como faremos isso?


Para cada nota da escala, o acorde respectivo será formado utilizando o primeiro, o terceiro e o quinto graus (contados a pa

Acordes do campo harmônico de dó maior


O primeiro acorde do campo harmônico de dó maior é formado então pelas notas C, E, G (repare que esse é o acorde de dó
Agora vamos montar o acorde da próxima nota da escala, que é D. O primeiro grau é o próprio D. O terceiro grau, contando

Você deve estar percebendo até aqui que estamos montando os acordes do campo harmônico pensando nas tríades e utiliz

Depois de montar a tríade, observamos se a terça de cada acorde ficou maior ou menor. Você pode também conferir a quin

Muito bem, você acabou de aprender como se forma um campo harmônico. Mas para que isso serve afinal?
Bom, um campo harmônico serve para muitas coisas, e nesse momento vamos nos focar no ponto mais básico: ele serve pa
você já deve ter ouvido a pergunta: “Em que tom está essa música?”. Pois bem, a tonalidade de uma música depende dos a
Se uma música contém os acordes do campo harmônico maior de dó, significa que a música está em dó maior. Com isso, sab
improvisar, criar riffs, etc. em cima da música é a escala de dó maior.
Portanto, conhecer os campos harmônicos tem uma grande utilidade: esse conhecimento permite que saibamos as notas q
determinada música. Conhecendo bem os desenhos das escalas, nada impede que possamos criar solos e arranjos automati

Espero que isso tenha motivado você a continuar nosso estudo de campo harmônico, tendo visto a importância e utilidade
Campo harmônico com tétrades
Já construímos um campo harmônico utilizando tríades, e agora vamos estender esse conceito para as tétrades.

A regra utilizada para montar os acordes, apenas recapitulando, foi pegar o primeiro, o terceiro e o quinto graus da escala em
Faremos a mesma coisa agora, porém incluindo o sétimo grau, o que caracteriza uma tétrade. Teremos assim um campo har
vez de tríades.
Analisando a mesma escala de dó maior, começando pela nota dó, temos que o sétimo grau da escala, contando a partir de
quais são. Portanto, o primeiro acorde desse campo harmônico será formado pelas notas C, E, G e B. Esse é o acorde de C7M

Aplicando a mesma regra para a próxima nota (D), veremos que o sétimo grau é C. Assim, o acorde será formado pelas nota

Montando a tabela completa, ficamos com:

Talvez você esteja se perguntando qual é a diferença, do ponto de vista prático, desses dois campos harmônicos que montam

Pois bem, a única diferença é que esse último contém uma nota a mais em cada acorde, deixando-os mais “cheios”. Do pont
qual a tonalidade da música, nada se altera.
Veremos alguns exemplos desse assunto (descobrir a tonalidade da música) em breve. Antes, lembre que nós utilizamos com

Agora, em vez de especificar a tonalidade (dó), vamos deixar um pouco mais genérico: “campo harmônico de uma escala m

I7M IIm7 IIIm7 IV7M V7 VIm7 VIIm(b5)

Você pode verificar isso montando o campo harmônico das demais tonalidades (além de Dó, que já fizemos).

Tome como exemplo a escala maior de Mi e o seu campo harmônico associado:


Note como o primeiro grau ficou maior com sétima, o segundo grau ficou menor com sétima, etc. Seguindo a formação que

I7M IIm7 IIIm7 IV7M V7 VIm7 VIIm(b5)

Isso facilita muito a nossa vida, pois significa que memorizando apenas essa sequência acima você já sabe o campo harmôn
respectivas da escala maior em questão no lugar dos graus.
Por exemplo: Qual o campo harmônico maior de Ré?

D7M Em7 F#m7 G7M A7 Bm7 C#m(b5)

Obs: A escala maior de ré é: D, E, F#, G, A, B, C#.

Como exercício, tente montar o campo harmônico maior de todas as notas. Confira depois com a tabela abaixo:

Obs: para formar os campos harmônicos utilizando apenas 3 notas (tríade), basta retirar a sétima de todos os acordes dessa
sétima apenas no último acorde, pois os acordes com quinta bemol raramente aparecem sem a sétima na prática:

1.200 palavras depois…

Agora que sabemos o campo harmônico maior de todas as notas, podemos aplicar esse conhecimento para descobrir a tona
Exercícios de campo harmônico
Os exercícios podem ser encontrados em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é um a

Músicas com mais de uma tonalidade


É importante destacar que algumas músicas possuem mais de uma tonalidade. Nesse caso, parte da música está em uma to
é muito comum nos estilos jazz, mpb, bossa nova, fusion, entre outros.
Improvisar adequadamente em músicas que possuem várias alterações de campo harmônico (modulações) é um desafio e
nos assuntos de maneira que você possa explorar mais recursos. Com empenho e dedicação, você irá (em pouco tempo) se
sons mais sofisticados. Estamos trabalhando para isso!
Escala de C:
C - G - F - C7 - Am - Dm - Em C Dm Em F G Am

Escala de D:
D - A - G - D7 - Bm - Em - F#m D Em F#m G A Bm

Escala de E:
E - B - A - E7 - C#m - F#m - G#m E F#m G#m A B C#m

Escala de F:
F - C - Bb - F7- Dm - Gm- Am F Gm Am A# C Dm

Escala de G:
G - D - C - G7 - Em - Am - Bm G Am Bm C D Em

Escala de A:
A - E - D - A7 - F#m - Bm - C#m A Bm C#m D E F#m

Escala de B:
B - F# - E - B7 - G#m - C#m - D#m B C#m D#m E F# G#m

Isso é o básico do básico.

Por exemplo, se a pessoa te "pede" um G no início da música, se você não conhece-la, basicamente usará os acordes da esc

Geralmente, para músicas no estilo sertanejo, rock pop, enfim, com essas escalas você consegue tocar quase tudo. A regra n
exploram bastante as escalas musicais, não se atendo apenas aos acordes das escalas básicas.

Eu não entendi muito bem sua dúvida. Se você não consegue transpor o tom ou se não consegue tocar uma música que nun
tocar uma música sem nunca te-la ouvido; você pega o tom e vai tentando acompanhar conforme a melodia da canção; eu,
é muito corriqueira - geralmente na segunda vez em que se volta ao início da música eu já consigo tocá-la; todavia em outra
sequência de acordes, por se tratar de uma canção mais complexa; se a sua dúvida for aquela, é só decorar as escalas e tran
que a sequência é A, F#m, D, Bm e E. Se o cantor pede para você tocar essa mesma música em D, você pegará os acordes co
Bm, G, Em e A.
Eu não entendi muito bem sua dúvida. Se você não consegue transpor o tom ou se não consegue tocar uma música que nun
tocar uma música sem nunca te-la ouvido; você pega o tom e vai tentando acompanhar conforme a melodia da canção; eu,
é muito corriqueira - geralmente na segunda vez em que se volta ao início da música eu já consigo tocá-la; todavia em outra
sequência de acordes, por se tratar de uma canção mais complexa; se a sua dúvida for aquela, é só decorar as escalas e tran
que a sequência é A, F#m, D, Bm e E. Se o cantor pede para você tocar essa mesma música em D, você pegará os acordes co
Bm, G, Em e A.
tipo se tem uma musica bem conhecida como ( Proibida pra mim ) de Charlie Brown Jr. ela eu toco em G D C E ENTÃO : o tom

Correto, isso mesmo (só acho que você esqueceu de colocar o "m" na frente do E, que eu acho que é um Em).

no caso se eu for passa pro tom de Do seria : C - G - F - Am


isso no caso ??

Perfeito!

Decore as escalas; é decoreba mesmo, é saber cada uma de trás para frente. Com isso, seus problemas em mudar tons de m

Mas lembre-se, isso é o básico; depois de decorar essas escalas, parta paras as escalas # e b, é só subir/abaixar meio tom de

Escala de D#
D - A# - G# - D#7 - Cm - Fm - Gm
Geralmente, quando alguém quer pegar o tom de uma música, utiliza-se a 6° corda do violão como se fosse um contrabaixo
complicado; prefiro fazer os acordes direto. Isso é prática, com o tempo fica muito mais fácil.

Para iniciar, você poderia tentar encontrar o 1° acorde da canção. Vá tentando tocar junto com o início da canção até encont
padrão). Depois de encontrado o 1° acorde, é só utilizar a escala correspondente e ir tentando pegar os demais (nem sempr
música pode começar em C e estar na escala de F ou G; nem sempre a canção irá se ater apenas aos acordes da escala; pod
escala de C ou aparecer um C# na escala de A).

mas tem alguma sequencia ? dos gruas ??

Não, não há uma sequência determinada. Uma música pode ser tocada em C - G - F enquanto outra pode ser em F - G - Am

por que tem musica que só tem 3 notas voce toca ela toda só com 3 notas ... G C D ....
E ja tem musica que tem mas notas correto? teria alguma tabela alguma regra ??

Não, não há regras tampouco tabelas. A composição é livre; eu posso utilizar o acorde que eu quiser, no momento em que e
O compositor não está preso à regras. Por isso não é tão fácil tocar uma música sem nunca te-la ouvido; música sertaneja, n
dito de uma MPB.
O que são escalas musicais?
Escalas musicais são sequências ordenadas de notas. Por exemplo: dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, dó…repetindo esse ciclo. Nessa e
sequência bem definida de intervalos até o retorno para a nota dó novamente. Essa sequência de distâncias foi: tom, tom, s

Escala maior
Essa escala que mostramos é chamada de “escala maior”. Poderíamos utilizar essa mesma sequência (escala maior) começa
escala então seria sol, lá, si, dó, ré, mi, fá#, sol… Note como a mesma lógica foi seguida (tom, tom, semitom, tom, tom, tom
No primeiro caso, formamos a escala maior de dó. No segundo caso, a escala maior de sol.

Seguindo a mesma lógica podemos montar a escala maior de todas as 12 notas que conhecemos. Faça isso como exercício
notas básicas:

Escala menor
A chamada “escala menor” é formada a partir da seguinte sequência: tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom…repetin

Vamos construir então a escala de dó menor. Você já é capaz de construir essa escala. Basta seguir essa sequência dada co

dó, ré, ré#, fá, sol, sol#, lá#, dó… repetindo o ciclo.

As notas ré#, sol# e lá# equivalem, respectivamente, a mib, láb e sib. Poderíamos reescrever então a sequência acima como

dó, ré, mib, fá, sol, láb, sib, dó.

Note que a escala é absolutamente a mesma; a única diferença é que antes ela estava escrita com sustenidos (#), e agora el
escala menor de dó é escrita da segunda forma e não da primeira. Por quê? Simplesmente porque nela todas as 7 notas apa
No primeiro caso, a nota si não aparece. Isso muda alguma coisa? Faz diferença? Não. Mas nas literaturas você provavelmen
mencionado.

Na realidade, a preferência pela segunda descrição tem um sentido mais profundo, pois facilita a observação das funções ha

Confira então as digitações (em partitura e tablatura) da escala maior e da escala menor de Dó:

Obs: No braço do violão/ guitarra, para se obter a escala de outra nota (além da nota “dó” que mostramos), basta deslocar e

Isso é ótimo, não? Significa que só precisamos decorar um desenho para cada escala! No teclado, não temos esse privilégio
facilitadoras. Cada instrumento tem seus prós e contras!

Escala menor natural


A escala menor natural é aquela formada pela sequência de intervalos: tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom…repeti
A escala menor natural é aquela formada pela sequência de intervalos: tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom…repeti

Confira abaixo uma tabela contendo todas as escalas menore

O nome “escala menor” costuma ser utilizado como abreviação para “escala menor natural“. Não confunda essa escala com
são diferentes. Você pode aprender todos esses assuntos com detalhes exclusivos em nossa apostila completa de teoria mu

Já falamos um pouco sobre essa escala quando estávamos apresentando o conceito de escalas musicais, mas vale a pena de
Por enquanto, entenda que a diferença entre uma escala maior e uma escala menor está nos graus 3º, 6º e 7º.

Qual o motivo das escalas musicais serem chamadas de maiores e menore


Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é um a
Escalas naturais
Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é um a

Escala diatônica
Essa explicação pode ser encontrada em nossa apostila completa de teoria musical. Essa página que você está lendo é um a

Para que servem as escalas musicais


Ok, tudo muito legal, muito bonito, mas para que serve cada escala?? onde elas são utilizadas?! Meu amigo, é aí que mora o
livros e na internet mostrando diversas escalas, mas duvido que alguém explique onde aplicar cada uma.

Felizmente, você está no lugar certo! Organizamos todos os conteúdos aqui do site de maneira que você consiga ter toda a b
Falaremos de cada escala musical especificamente mostrando como aplicá-las e tudo o mais. Esses segredos não são revela
Descomplicando a Música você vai aprender tudo o que precisa.
e como exemplo a escala de dó maior: C, D, E, F, G, A, B.

rão os acordes do campo harmônico de dó maior.

uinto graus (contados a partir dessa nota, em cima dessa mesma escala). Vamos começar com a nota C. O primeiro grau é o próprio C. O te

que esse é o acorde de dó maior, pois E é a terça maior de Dó).


O terceiro grau, contando a partir de D, nessa escala, é F. O quinto grau, contando a partir de D, é A. Portanto, o segundo acorde do nosso

nsando nas tríades e utilizando somente as notas que aparecem na escala em questão (escala de dó maior).

de também conferir a quinta de cada acorde, mas vai notar que ela sempre vai acabar sendo a quinta justa, exceto no último acorde, que v

erve afinal?
o mais básico: ele serve para definir a tonalidade de uma música. Provavelmente
ma música depende dos acordes presentes nessa música.
em dó maior. Com isso, sabemos que a escala a ser utilizada para fazer um solo,

e que saibamos as notas que podemos usar para fazer arranjos em cima de uma
r solos e arranjos automaticamente (habilidade conhecida como improviso).

a importância e utilidade desse conhecimento.


ra as tétrades.

o quinto graus da escala em questão.


emos assim um campo harmônico igual ao anterior, porém formado por tétrades em

scala, contando a partir de Dó, é Si. Os demais graus (terceiro e quinto) nós já vimos
e B. Esse é o acorde de C7M, pois B é a sétima maior de Dó.

e será formado pelas notas D, F, A, C. Esse é o acorde de Dm7. Note que aqui temos a sétima menor de Ré, por isso o símbolo “7”, em vez d

os harmônicos que montamos.

o-os mais “cheios”. Do ponto de vista de improvisação, no que se refere a descobrir

bre que nós utilizamos como exemplo a escala maior de dó.

rmônico de uma escala maior”, pois se aplicarmos essa regra na escala maior de sol, na escala maior de lá, ou na escala maior de qualquer

já fizemos).
Seguindo a formação que havia sido apresentada antes:

ê já sabe o campo harmônico maior de qualquer nota. Basta colocar as notas

tabela abaixo:

de todos os acordes dessa tabela, como fizemos na tabela abaixo. Deixaremos aqui a
étima na prática:

mento para descobrir a tonalidade das músicas.


que você está lendo é um artigo parcial.

da música está em uma tonalidade e parte da música está em outra tonalidade. Isso

odulações) é um desafio e tanto, mas não se preocupe. Aos poucos iremos evoluir
ê irá (em pouco tempo) se sentir confortável até mesmo quando se deparar com

B o / Bm5- C

C# o D

D# o E

E o / Em5b F

F# o G

G# o A

A# o B

te usará os acordes da escala de G (não naquela ordem).

tocar quase tudo. A regra não vale para bossa por exemplo, em que os músicos

tocar uma música que nunca ouviu; se a sua dúvida for esta, saiba que não é fácil
e a melodia da canção; eu, por exemplo, quando encontro uma situação dessa - que
o tocá-la; todavia em outras ocasiões chega-se ao final e eu não consegui pegar a
ó decorar as escalas e transpor os acordes. Exemplo: você conhece a música e sabe
você pegará os acordes correspondentes das escalas e irá transpor o tom, ficando D,
o em G D C E ENTÃO : o tom dela tah em Sol correto ?

ue é um Em).

emas em mudar tons de músicas se acabarão.

subir/abaixar meio tom de cada, por exemplo:

o se fosse um contrabaixo para encontrar os acordes. Eu acho esse método mais

nício da canção até encontrar o acorde correto (seu violão tem que estar na afinação
gar os demais (nem sempre o 1° acorde será o da escala utilizada; por exemplo, a
aos acordes da escala; pode haver, por exemplo, um Bb em uma canção que está na

tra pode ser em F - G - Am e mesmo assim estaria na mesma escala da anterior.

ser, no momento em que eu bem entender e ainda utilizar acordes de outras escalas.
uvido; música sertaneja, na maioria delas, é bem previsível, o mesmo não pode ser

petindo esse ciclo. Nessa escala, começou-se com a nota dó e foi-se seguindo uma
distâncias foi: tom, tom, semitom, tom, tom, tom, semitom…repetindo o ciclo.

ncia (escala maior) começando de uma nota que não fosse dó, por exemplo, sol. A
m, semitom, tom, tom, tom, semitom).
Faça isso como exercício e depois confira abaixo. Mostraremos a escala maior das 7

emitom, tom, tom…repetindo o ciclo.

uir essa sequência dada começando pela nota dó. Fica assim:

o a sequência acima como:

m sustenidos (#), e agora ela foi escrita com as alterações bemóis (b). Geralmente a
e nela todas as 7 notas apareceram (com ou sem alterações – sustenidos/bemóis).
eraturas você provavelmente vai encontrar a segunda descrição, pelo motivo

observação das funções harmônicas, mas não se preocupe com isso agora.

ostramos), basta deslocar esse mesmo desenho para a nota que se deseja. Experimente testar fazendo esse mesmo desenho (mesmo shap

não temos esse privilégio. Porém, o teclado apresenta outras inúmeras vantagens

semitom, tom, tom…repetindo o ciclo. Por exemplo, a escala de dó menor é formada pelas notas: C D Eb F G Ab Bb
calas menores das 12 notas:

confunda essa escala com as escalas menor harmônica e menor melódica, pois elas
tila completa de teoria musical, do básico ao avançado.

usicais, mas vale a pena destacar que nos próximos artigos mostraremos que as escalas menores possuem uma íntima relação com as esca
us 3º, 6º e 7º.

aiores e menores?
ue você está lendo é um artigo parcial.
ue você está lendo é um artigo parcial.

ue você está lendo é um artigo parcial.

Meu amigo, é aí que mora o segredo! Isso ninguém fala. Você vai encontrar textos em
da uma.

e você consiga ter toda a base necessária para deslanchar esse assunto.
es segredos não são revelados assim de bandeja em lugar algum, mas aqui no
Vamos montar os acordes das notas naturais, ou seja, a sequencia de acordes Dó, Ré, Mi, Fá… Alguns serão maiores

O assunto Campo Harmônico faz uso do conhecimento dos intervalos e graus da escala, que já vimos em capítulo a
tirar as canções de ouvido, possibilita também a você começar a compor suas próprias canções ou harmonizar melo
fiquem mais confortáveis ao cantá-las.
A montagem de um acorde natural segue a regra: 1 3 5. Significa que você vai pegar uma nota + a sua terça + a sua

Por exemplo: Dó. Para formar o acorde de Dó nós pegaremos a nota Dó + Mi(terça de Dó) + Sol(Quinta de Dó). Para
Lá(quinta de Ré). Para formar o acorde de Mi pegaremos a nota Mi + Sol + Si.
Por isso é importante termos praticado aquele exercício da aula de graus e intervalos, o círculo das terças. Vamos r

DÓ -> MI -> SOL -> SI -> RÉ -> FÁ -> LÁ -> DÓ…

De posse da informação acima, fica muito fácil a montagem da sequencia de acordes da escala natural. Veja o quad

ACORDE CIFRA NOTAS 1, 3, 5


Dó Maior C Dó, Mi, Sol
Ré Menor Dm Ré, Fá, Lá
Mi Menor Em Mi, Sol, Si
Fá Maior F Fá, Lá, Dó
Sol Maior G Sol, Si, Ré
Lá Menor Am Lá, Dó, Mi
Si Diminuto BO Si, Ré, Fá

Ou seja, acordes maiores nos graus I, IV e V, e os demais (II, III, VI) todos menores a exceção do grau VII, que form
resultando no acorde Bº. No violão, fica melhor utilizar no lugar de Bº o acorde Bø (Si meio diminuto), onde se

Muito importante observar o seguinte: o violão não possui as notas em sequencia como o teclado, por isso são nec
que nem sempre encontraremos as notas perfeitamente na sequencia 1 3 5. Não tem problema. O acorde poderá s
vontade. Por exemplo o acorde de Dó vai ficar 1 3 5 1 3 e acorde Dó com pestana na terceira casa da quinta corda fi
ré, fá). O Lá menor montado na corda 5 solta fica 1 5 1 3 5 (lá, mi, lá, dó, mi).
A única nota que não poderemos mexer será o 1 inicial, pois trocá-lo pelo 3 ou 5 resultaria numa inversão de acord

Vamos então praticar a sequencia de acordes. Leia-os na tablatura abaixo. Vamos tocar a sequencia:

C | Dm | Em | F | G | Am | Bø | C |

E a sequencia inversa:

C | Bø | Am | G | F | Em | Dm | C |

C Dm Em F G Am Bø

--0---1---0---1---1---0-------
--1---3---0---1---0---1---3---
--0---2---0---2---0---2---2---
--2---0---2---3---0---2---3---
--3-------2---3---2---0---2---
----------0---1---3-----------
O campo harmônico que acabamos de montar gera um modelo, da mesma forma que a escala diatônica gerou o m

O nosso modelo de campo harmônico, em graus, será, então:

I IIm IIIm IV V VIm VIIº

Ou seja:

Acorde do Grau I -> acorde maior -> I


Acorde do Grau II -> acorde menor -> IIm
Acorde do Grau III -> acorde menor -> IIIm
Acorde do Grau IV -> acorde maior -> IV
Acorde do Grau V -> acorde maior -> V
Acorde do Grau VI -> acorde menor -> VIm
Acorde do Grau VII -> acorde diminuto -> Bº

UTILIZANDO EM OUTROS TONS

Já sabemos que existem os acidentes #(sustenido) e b(bemol) nos outros tons. Os sinais # e b são necessários para
sustenidos e bemóis e também em graus e intervalos. Vamos agora montar o campo harmônico de todos os outros
regras: os sustenidos e bemóis e o modelo de acordes do campo harmônico de Dó Maior, ou seja, acordes maiores

Segue o quadro resumo das sequencias de acordes ou campo harmônico dos tons mais utilizados:

TOM ACIDENTES NA ESCALA ACORDES DO CAMPO HARMÔNICO


G Fá# G | Am | Bm | C | D | Em | F#º
D Fá# Dó# D | Em | F#m | G | A | Bm | C#º
A Fá# Dó# Sol# A | Bm | C#m | D | E | F#m | G#º
E Fá# Dó# Sol# Ré# E | F#m | G#m | A | B | C#m | D#º
B Fá# Dó# Sol# Ré# Lá# B | C#m | D#m | E | F# | G#m | A#º
F Sib F | Gm | Am | Bb | C | Dm | Eº
Bb Sib Eb Bb | Cm | Dm | Eb | F | Gm | Aº
Eb Sib Eb Ab Eb | Fm | Gm | Ab | Bb | Cm | Dº

DISSONÂNCIA DE SÉTIMA NO ACORDE V

Teremos um módulo especial para falar de dissonâncias nos acordes mais à frente. Porém, não posso deixar de acre

O acorde de V grau poderá, sempre que a função dele for resolver o trecho musical no grau I, conhecido como “cad

Já vimos isso nas cantigas de dois acordes, que usam esta cadência, você de estar lembrado, foram exemplos de A7

A montagem do acorde de sétima segue a seguinte fórmula: 1 3 5 7. Assim, o acorde G7, que é o quinto grau do cam

Com esta nova informação, nosso modelo de campo harmônico poderá ficar assim:

I IIm IIIm IV V7 VIm VIIº


Pratique a sequencia | I -> V7 | V7 -> I |, que é a sequencia mais básica em música popular. Siga o quadro abaixo, p

TOM SEQUENCIA | I | V7 | V7 | I |
C C | G7 | G7 | C
G G | D7 | D7 | G
D D | A7 | A7 | D
A A | E7 | E7 | A
E E | B7 | B7 | E
B B | F#7 | F#7 | B
F F | C7 | C7 | F
Bb Bb | F7 | F7 | Bb
Eb Eb | Bb7 | Bb7 | Eb

Com a informação acima, você já pode tocar todas as cantigas infantis em todos os tons disponíveis. Basta para isso
cantigas de três acordes. As cantigas estão todas em Ré. Transpor para outros tons é um excelente exercicio para pr
acompanhar a mudança de tonalidade. Se a melodia começa na terça do acorde Ré, no caso a nota Fá#, então você
tonalidade que você escolher.
Oi Danilo, de fato a força de vontade para aprender é tudo o que realmente precisa. Não tem mistério. Não tem ma
estudos que recomendo é a seguinte, os conceitos a serem dominados, nessa ordem, que não difere da ordem com
antes saber o nome de todas as notas em cada corda e casa, pelo menos até a quinta casa do violão, ok?

1. A escala diatônica – é preciso compreender a forma desta escala, os intervalos T T ST T T T ST, que estão dividido
dó+ré+mi+fá, tetracorde 1, e sol+lá+si+dó, tetracorde 2). Os dois tetracordes são iguais: T T ST. O que une os dois te
(distancia de duas casas no violão, por exemplo, casa 1 até casa 3, na corda 6 fica fá -> sol, isto é uma distancia de 1
exemplo na corda 5, casa 2 até casa 3, notas si -> dó).

2. Os intervalos – no que se refere ao entendimento do campo harmônico, os intervalos mais importantes são a ter
dominante, o dominante é o quinto grau, a quinta nota da escala, no caso de Dó, o dominante é o Sol, este acorde v
dominante). Então comece colocando as notas no papel, dó ré mi fá sol lá si dó. Em seguida, coloque as terças acim
terça de fá = lá, terça de sol = si, terça de lá = dó, terça de si = ré (oitava acima). Proximo passo observar quais desta
menores, e aqui você já tem o campo harmômico quase resolvido, pois já saberá quais acordes são maiores e quais

3. Temperamento da escala – Isso se refere a colocar sustenidos e bemóis de forma a obter escalas exatamente igua
naturais do+ré+mi+fa+sol+la+si+do. Se eu construir uma escala de sol a sol vai ficar: sol la si do re mi fa sol. Esta esc
que não, porque os semitons estão em locais diferentes, enquanto que na escala de Dó os semitons estão entre a te
nessa montagem de Sol que escrevi, o primeiro semitom está ok, entre a terceira e quarta nota (si e dó), mas o segu
(Mi e Fá estão na sexta e sétima posição), quando deveria estar entre a sétima e oitava posição, Fá e Sol. Justament
semitom fique localizado entre a sétima e oitava notas, característica do modelo de Dó, que precisará ser mantido e
poderá montar o campo harmônico do mesmo jeito que expus em Dó, as terças, as quintas e a sétima de dominant
Por mais que o cifraclub tenha sistema que faz isso automático, é bom saber como as coisas são construídas em mú

Isso é o básico. Tem muito mais coisa que se pode aferir após dominar este básico, principalmente a matéria que fa
em combinação com campos harmônicos geram muita riqueza e sabedoria na hora de harmonizar uma canção ou c
Grande abraço, qualquer coisa estamos à disposição, Danilo, boa sorte!

Oi Matheus, os acordes menores do Tom D são os seguintes: Em, F#m, Bm, sendo que você pode usar também aco

Amigo, depende, no caso o Sungha Jung, ele é um músico arranjador. No mínimo, você vai ter que saber ler partitur
tipo de música os compositores escrevem em partitura, não é um improviso apenas. Caso você seja um completo in
aprofundando. Boa sorte!
Oi Marcio, não obrigatoriamente a tablatura deverá vir com cifra em cima, pois a TAB dá conta de tudo sozinha, sen
apenas para facilitar o entendimento na hora da leitura. Eu recomendo a você passar para o aprendizado da partitu
sendo o material de TAB que está no site, no item 03, TABS de 01 a 42, são mais que suficientes. A gente sempre de
Inclusive pretendo publicar em breve exercícios de partituras para violão. Um abraço e boa sorte!

Boa tarde,
Lembro que quando eu iniciei meus estudos de violão, iniciei neste site, foi aonde tudo começou de uma forma bem
Agradeço ao criador do site Zé do Belo, pela gentileza de disposição de ajudar a todas as pessoas que querem apren
á… Alguns serão maiores, outros menores, depende do intervalo de terça.

ue já vimos em capítulo anterior da teoria musical. O domínio do campo harmônico possibilita


ções ou harmonizar melodias, e ainda mudar o tom das musicas que você gosta, para que

ota + a sua terça + a sua quinta.

+ Sol(Quinta de Dó). Para formar o acorde de Ré nós pegaremos a nota Ré + Fá(terça de Ré) +

culo das terças. Vamos recapitular a sequencia do ciclo das terças:

cala natural. Veja o quadro abaixo:

CARACTERISTICA
Terça Maior, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Justa
Terça Maior, Quinta Justa
Terça Maior, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Justa
Terça Menor, Quinta Diminuta

ção do grau VII, que forma um acorde diminuto porque tem terça menor + quinta diminuta,
meio diminuto), onde se acrescenta a nota lá no acorde, conforme veremos mais abaixo.

teclado, por isso são necessárias adaptações para montagem dos acordes. Isso significa dizer
blema. O acorde poderá ser formado com 1 5 1 3 ou 1 5 1 3 5 1. As notas podem se repetir a
ra casa da quinta corda ficará 1 5 1 3 5 (dó, sol, dó, mi, sol). O Ré menor vai ficar 1 5 1 3 (ré, lá,

numa inversão de acorde, assunto que abordarei mais adiante em tópico específico.

equencia:
cala diatônica gerou o modelo T T ST T T T ST, já estudado antes.

e b são necessários para adequar o modelo diatônico T T ST T T T ST, conforme vimos na aula
ônico de todos os outros tons que conhecemos: G, D, A, E, B, F, B b, Eb. Basta respeitar duas
ou seja, acordes maiores e menores nos graus determinados: I IIm IIIm IV V VIm VIIº.

não posso deixar de acrescentar uma informação básica aqui neste módulo.

u I, conhecido como “cadência Dominante/Tônica”, receber a dissonância de sétima.

o, foram exemplos de A7->Ré.

ue é o quinto grau do campo harmônico de Dó, será formado pelas notas: Sol, Si, Ré, Fá.
r. Siga o quadro abaixo, para tocá-la nos tons mais utilizados:

sponíveis. Basta para isso substituir os acordes I e V7 nas de dois acordes e I IV e V7 nas
celente exercicio para praticar o campo harmônico. Observe que a melodia também terá que
so a nota Fá#, então você deverá mudar e começar na terça do acorde de tônica da nova

em mistério. Não tem magia. É uma matemática. É um encadeamento lógico. A sequencia de


não difere da ordem como eu os coloco no site, mas não se pode atacar este conteúdo sem
do violão, ok?

T T ST, que estão divididos em dois tetracordes (agrupamentos de quatro notas em sequencia:
T ST. O que une os dois tetracordes é uma distância de 1 tom, fá -> sol. Onde T = Tom
isto é uma distancia de 1 Tom inteiro), e ST = semitom (distancia de uma casa no violão, por

ais importantes são a terça e a quinta (em todos os acordes), e a sétima (no acorde de
ante é o Sol, este acorde vai usar a sétima, passando este acorde a se chamar sétima de
a, coloque as terças acima de cada uma: terça de dó = mi, terça de ré = fá, terça de mi = sol,
asso observar quais destas distâncias de tônica (primeira nota) e terça são maiores e quais são
rdes são maiores e quais são menores.

r escalas exatamente iguais ao modelo de Dó: T T ST T T T ST, que foi construído pelas notas
si do re mi fa sol. Esta escala de sol terá os mesmos intervalos da escala modelo Dó? Evidente
semitons estão entre a terceira e quarta nota, e entre a sétima e oitava nota, diferente disso,
nota (si e dó), mas o segundo semitom encontra-se entre a sexta e sétima nota a partir de Sol
sição, Fá e Sol. Justamente aí colocamos um sustenido para que o Fá se aproxime de Sol e o
e precisará ser mantido em todas as escalas construídas. Após “corrigidas” as distancias se
s e a sétima de dominante. Isso tudo serve para você tocar a mesma música em outro tom.
as são construídas em música.

almente a matéria que fala de substituições de acordes, e também os modos de escalas, que
monizar uma canção ou criar melodias.

ê pode usar também acordes substitutos, por exemplo Am e Gm.

ter que saber ler partitura para tocar qualquer coisa parecida com o que ele faz. Pois esse
você seja um completo iniciante, comece pelo básico que tem aqui no site e depois vai se
onta de tudo sozinha, sendo desnecessárias as cifras estarem junto, mas quando vêm é
o aprendizado da partitura, pois não vale muito a pena investir tanto assim em tablaturas,
entes. A gente sempre deve avançar, e acredito que sua fase atual é de iniciar com a partitura.
a sorte!

meçou de uma forma bem didática. O mais interessante, são as dificuldades que surgiram e surgem quando se quer aprender a tocar v
essoas que querem aprender a tocar violão. Não toco muito, mas estou satisfeito pela minha dedicação e hoje colho os frutos do meu e
se quer aprender a tocar violão. Dedos doem, punhos esquentam, paciência falta, enfim, aparece um monte de obstáculo fazendo com
oje colho os frutos do meu esforço..
áculo fazendo com que a pessoa desista. Já se passaram 3 anos e hoje toco algumas musicas, lendo e acompanhando as cifras. Sei que
o as cifras. Sei que isso é um erro, mas sei que estou nessa sozinho sem nenhum acompanhamento de um profissional. Ser autodidata é
l. Ser autodidata é dificil, porque surgem muitas dúvidas. Todas as pessoas me diziam, “… a é muito fácil tocar violão..”, gente não caia
.”, gente não caia nessa, É DIFICIL PRA CARAMBA, SOFRI MUITO, PARA COORDENAR AS BATIDAS E FAZER OS ACORDES… RSRSRSRS
S… RSRSRSRS
COLOCAR A CIFRA DE UMA MUSICA
A primeira coisa é familiarizar-se com a música. Ouça a música várias vezes. Preste atenção nas mudanças de acorde.

Antes de sair tentando ver qual o primeiro acorde, afine o violão. Em seguida, tente descobrir qual é o primeiro acorde

Geralmente, a música começa com este acorde, mas tome cuidado. Nem sempre é assim. Por vezes o acorde vem na in
Outra dica para descobrir a tonalidade (o acorde principal) ao tirar uma música de ouvido, é – em alguns casos – o acor
que terminam assim. No caso de uma música que vai abaixando o volume aos poucos, isto não funciona.

A partir daqui, você tem duas opções:

1) Você descobriu a tonalidade da música – basta então ir cantando a música e colocando os acordes que seriam lógico

Acorde 1 – o que dá a tonalidade o I da escala

Acorde 2 – o IV da escala

Acorde 3 – o V da escala

Os acordes relativos dos três acordes acima.

Tomemos por exemplo a música New York, de Christian e Ralph.

Introdução G (I) Am (rel. de IV) C (IV) G

Am C G

Esta é a história de um novo herói

…. (a estrofe segue nesta sequencia)

CG

Tinha um sonho, ir pra Nova Iorque

….

Am

Saudade vai, vai, vai

Saudade vem, vem, vem

G
Te buscar
Como você pode ver, a tonalidade da música é G (I), mas ela começa com Am (relativo de C). São somente três acordes
relativa de C (IV). E nem usa o acorde V, que seria D.
Cifrar uma música destas, não é difícil. Mesmo que você descobrisse primeiro o acorde Am, a partir do momento em q
nesta tonalidade. Se a tonalidade fosse Am, o acorde IV deveria ser D e o V seria E.

2) Você não descobriu o acorde I, nem tampouco os outros.

A minha saída num caso destes, é aprender a cantar bem a música, praticando junto com a gravação original.
Depois, colocar um acorde em que a voz se encaixe (mesmo que não seja a tonalidade original) e tentar cantar a músic
faltando alguma coisa (e fica mesmo… o próximo acorde).

Basta então seguir a regra: I, IV, V e seus relativos, para achar pelo menos os acordes principais. Lembre-se que não há
Uma vez que você consiga tocar todas as partes da música, fica fácil comparar com a gravação. Você perceberá se a ton
já é mais simples. Ou não, se você estiver satisfeito com a tonalidade em que cifrou a música.
Algumas coisas podem nos atrapalhar um pouco ao aprender como cifrar uma música. Por exemplo: às vezes parece qu
imagináveis e nada bate. Pode ser que não venha nada. Fique no acorde em que estava.

Outras vezes colocamos um acorde e parece que é aquele, está perto, mas falta alguma coisa. Geralmente é o acorde re
Pequenas sequencias podem aparecer também. Três ou quattro acordes num só compasso podem dificultar um pouco
de se deduzir, se você sabe o que vem antes e depois. Por exemplo:

Antes – G

Depois – C

Mas havia algo no meio, uma “caída”. Provavelmente é: G D/F# Em C.

Outro pequeno truque, é colocar repetidamente o mesmo pedaço da música e tentar achar o baixo, tocando as notas n

Não há uma só resposta para a pergunta “como cifrar uma música”. Mas uma coisa é certa: é preciso ter paciência e pra
costuma tocar as músicas lendo a letra e as cifras, provavelmente vai ter dificuldade, por falta de treinar o ouvido. Mas
Artigos relacionados:
Acordes nada mais são – dito de uma forma simples – do que o agrupamento de notas musicais de maneira harmonios

Se você é leigo no assunto, mas já observou alguém tocando violão um pouco mais de perto, deve ter reparado que o i
tempo. A menos que estivesse fazendo um solo. Ele estava então fazendo acordes.
Para o simples acompanhamento de uma música, os acordes são suficientes.

O estudante principiante irá começar aprendendo os acordes chamados “naturais”. Estes são os acordes básicos, que se

Agora complicou. Porque “maiores e menores”? É claro que isto nada tem a ver com o “tamanho” dos acordes.

Ocorre que os acordes naturais são formados por três graus da escala de cada tonalidade. O primeiro, o terceiro e o qu
Acontece que a música tem escalas, que são compostas por notas musicais. Por exemplo, a escala de C (dó maior), é co

1) C, 2) D, 3) E, 4) F, 5) G, 6) A, 7) B, 8) C

dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, dó

Portanto, um acorde de C (dó maior) é composto pelas notas 1)C 3) E 5) G

fotos de acordes

O que um violonista faz então, ao apertar aquelas benditas cordas, naqueles exatos lugares?

Ele aperta as cordas nas casas do braço do violão que correspondem às notas necessárias para formar o acorde desejad

Já sei. Você está aí pensando: “mas o violão tem seis cordas”. É verdade. Se o sujeito apertou somente três, o que acon
Mas nem tanto.
Em alguns casos, uma ou mais cordas que não foram apertadas fazem parte do acorde, por estarem repetindo as notas
deverão ser tocadas.
Vamos continuar com o acorde de C (dó maior). Há várias maneiras de se fazer acordes no braço do violão. A mais popu

Segunda corda – primeira casa – nota C (primeiro grau)

Quarta corda – segunda casa – nota E (terceiro grau)

Quinta corda – terceira casa – nota C (repetida)

As demais cordas:

Primeira corda solta – nota E (repetida)

Terceira corda solta – nota G (quinto grau)

Sexta corda solta – nota E (repetida)

E esta história toda se repete ao longo do braço do violão, para uma infindável quantidade de acordes, maiores e meno

Só para que se tenha uma idéia: quando estava começando a aprender violão – e lá se vão mais de trinta anos – não ha
verdade, eu nunca tinha visto um computador.
O negócio então eram as revistas, livros de música, etc. Um belo dia, deparei-me com uma revista que alegava ter ali, im
com um ligeira impressão de que jamais iria saber tocar todos aqueles acordes.

Bem, eu estava certo. Creio não saber mesmo. Optei sempre pelo caminho mais simples (preguiçoso…), que é o de usa
tocar incontáveis músicas.

O interessante, é que aqueles setecentos acordes não são nem de longe todos os acordes possíveis. Entre as variações,
são milhares e milhares de acordes possíveis.
É claro que não é necessário aprender todos eles. O que ocorre é que um violonista profissional, com pleno domínio do
sequencias de notas de cada parte do braço e as diversas escalas, fazendo uso destes conhecimentos para executar aco
infinita de acordes.

Violão – acordes relativos


Os acordes relativos, como você verá a seguir, acabam por si só, explicando muito das escalas maiores e menores. E tam

Dizemos que um ACORDE É RELATIVO DE OUTRO quando as duas tonalidades (uma maior e uma menor) possuem as m
mas descomplicaremos já. Repare na tabela abaixo:

Obs: Algumas notas deveriam ser representadas em suas escalas com o simbolo b (bemol), porém para efeitos práti
As linhas em branco são as tonalidades maiores e as linhas em cinza, as menores. No primeiro campo temos o nome da
grau de cada nota na escala.
Muito bem. Olhe a primeira linha, tonalidade C (dó maior). A linha cinza logo abaixo é a tonalidade Am (lá menor). As d
Porque possuem as mesmas notas em suas escalas. E assim sucessivamente com as outras tonalidades.

Como encontrar acordes relativos no violão


No violão, acordes relativos são facilmente encontráveis, sem consultar a tabela. Para um determinado acorde maior, b
baixo, ou seja, três casas para baixo.

Por exemplo: suponhamos que você faça o acorde C e a tônica (C) está na terceira casa da quinta corda. Três casas para
de C é Am. Um acorde relativo de um dado acorde maior sempre será um acorde menor. E vice-versa.
Evidentemente, para achar no violão o acorde relativo de um acorde menor, “viajaremos” três casas para frente.

Suponhamos, por outro lado, que você esteja fazendo o acorde D (ré maior), na posição em que a quarta corda (D) fica
Simplesmente encontre a nota ré em outra corda. Quinta corda, casa cinco, por exemplo. Andando três casas para trás,
tabela).
Como achar a escala menor relativa a partir da escala maior

Dada uma escala maior, achar a escala relativa daquela tonalidade é muito fácil. As notas se repetem a partir do sexto g

Tonal 1 2 3 4 5 6 7 8
C C D E F G A B C
Am A B C D E F G A
C# C# D# F F# G# A# C C#
A#m A# C C# D# F F# G# A#
D D E F# G A B C# D
Bm B C# D E F# G A B
D# D# F G G# A# C D D#
Cm C D D# F G G# A# C
E E F# G# A B C# D# E
C#m C# D# E F# G# A B C#
F F G A A# C D E F
Dm D E F G A A# C D
F# F# G# A# B C# D# F F#
D#m D# F F# G# A# B C# D#
G G A B C D E F# G
Em E F# G A B C D E
G# G# A# C C# D# F G G#
Fm F G G# A# C C# D# F
A A B C# D E F# G# A
F#m F# G# A B C# D E F#
A# A# C D D# F G A A#
Gm G A A# C D D# F G
B B C# D# E F# G# A# B
G#m G# A# B C# D# E F# G#
Como você pode ver, as notas se repetem. Porém, é claro, começando pela nota que dá nome à nova tonalidade. Veja p
sustenido). A linha abaixo, da tonalidade G#m começa então com a nota G#. Repare que, continuando em frente, temo
nota do primeiro, podemos ver claramente a repetição, na seguinte sequencia: 6,7,1,2,3,4,5 da tonalidade B.

Uma das muitas utilidades de saber que uma determinada escala maior é igual a uma outra menor, é na hora de impro
Utilidades dos acordes e escalas relativos
Para “tirar” uma música de ouvido, também é bastante útil conhecer os acordes relativos. Uma vez que você saiba a to
seguintes graus e seus relativos, para começar:

I, IV e V

Na escala de C (dó maior), teríamos:

I – C e Am

IV – F e Dm

V – G e Em
É claro que podem aparecer outros acordes, mas seguindo esta diretriz, você com certeza já estará com meio caminho
outras peculiaridades nas escalas.

em primeiro lugar vale dizer que você deve possuir um conhecimento mínimo sobre teoria musical.

A arte de cifrar uma música envolve conceitos tais como acordes e escalas. É válido dizer também que iniciantes em mú
Enfim, vamos ao que nos interessa na aula de hoje, como já dizemos, começe usando o bom senso, escolha uma músic
um cd ou outro meio de se reproduzir a música (MP3, Ipods, etc) que se quer cifrar (nada de tentar cifrar uma música s
introdução. Geralmente uma sequência de acordes usados na introdução se repete ao longo da canção, ex: na música "
(Fá); Dm (Ré menor); G (Sol). Isso se repete e a partir daí começa a música usando exatamente estes acordes. Porém, n
música ou vice-versa. Outra coisa que irá auxiliá-lo é o conhecimento das escalas, vamos nos lembrar do exemplo anter
sobre escalas no site, vamos deixar aqui a dica sobre a escala de Dó.

Esta escala é formada pelas seguinte notas: Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si, então cada nota dará origem a um acorde: o acor
isso esse acorde entra na música, já o acorde F# (Fá sustenido) não entrará no exemplo, ao saber que uma música perte
procurar os acordes, vá testando de ouvido, com o instrumento e com o aparelho de som, quais os acordes são iguais a
escala(existe exceções mais não entraremos nisso), vá procurando até ter certeza.

Se a escala de dó é (C D E F G A B), pq na música PODEROSO DEUS que está na escala de dó, entrou Am e Dm? não con
A escala de Dó é formada pelas notas (Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si), no caso Am e Dm são acordes formados por notas que
Espero ter ajudado.

acorde de Sol (G) é formado pelas notas Sol, Si e Mi.


realmente coloquei errado mesmo, o acorde de Sol (G) é formado pelas notas Sol, Si e Ré, e não Dó, mi e sol como tava
abençoe a todos.
udanças de acorde.

al é o primeiro acorde da música, aquele que dá nome à tonalidade.

es o acorde vem na introdução e no começo da música já aparece outro.


alguns casos – o acorde final da música. Somente – é claro – naquelas canções
nciona.

des que seriam lógicos de se colocar ali.

e
somente três acordes. Nesta música acontece o que já mencionei. Ela começa na

tir do momento em que descobrisse os outros, saberia que a música não está

ção original.
tentar cantar a música. Você vai sentir a hora de mudar o acorde. Parece que fica

embre-se que não há um padrão para a ordem dos acordes.


cê perceberá se a tonalidade está acima ou abaixo. Basta então transportar, o que

plo: às vezes parece que vem um novo acorde. Você tenta todos os possíveis e

ralmente é o acorde relativo.


m dificultar um pouco a guerra. Porém há umas sequencias muito utilizadas, fáceis

xo, tocando as notas na sexta ou quinta cordas.

iso ter paciência e praticar. Alguns têm mais facilidade, outros não. Se você
treinar o ouvido. Mas isto é outro assunto.

e maneira harmoniosa.

e ter reparado que o instrumentista apertava várias cordas do violão ao mesmo

cordes básicos, que se dividem em acordes maiores e menores.

” dos acordes.

meiro, o terceiro e o quinto graus. Tá legal, agora pegou mais ainda. Vamos seguir adiante.
de C (dó maior), é composta das seguintes notas:

rmar o acorde desejado.

ente três, o que acontece com as outras três? Pois é… complicou mais um pouco.

em repetindo as notas do mesmo. Outras, não fazendo parte do acorde, não

do violão. A mais popular, para o acorde de C é apertando-se as seguintes cordas:

rdes, maiores e menores, com variações e assim por diante.

e trinta anos – não havia internet (ah, meu Deus, não havia celular também). Pra dizer a

que alegava ter ali, impressos, mais de setecentos acordes! Uau! Comprei na hora, mas já

oso…), que é o de usar os acordes naturais e as variações mais simples. O suficiente para

is. Entre as variações, menores e maiores, diferentes formações para os mesmos acordes,
com pleno domínio do instrumento, conhece profundamente o braço do violão, as
ntos para executar acordes em qualquer lugar do braço, sem ter que decorar uma quantidade

ores e menores. E também da formação de acordes.

menor) possuem as mesmas notas em suas escalas. Fácil, certo? Ok, complicou um pouco,

rém para efeitos práticos utilizamos apenas # (sustenido).


mpo temos o nome da tonalidade e a seguir as notas de sua escala. A numeração indica o

e Am (lá menor). As duas tonalidades são relativas. Os dois acordes (C e Am) são relativos.
dades.

nado acorde maior, basta trazer a nota tônica (que dá nome ao acorde) três semitons para

corda. Três casas para trás, teremos a quinta corda solta, que é A. Portanto, o acorde relativo
ersa.
sas para frente.

quarta corda (D) fica solta. É claro que não é possível andar três casas para trás neste caso.
o três casas para trás, teremos a nota B. O acorde relativo de D é então Bm (consulte a

em a partir do sexto grau. Veja a tabela abaixo:


ova tonalidade. Veja por exemplo o sexto grau da escala de B (si maior). É a nota G# (sol
ando em frente, temos a repetição do sétimo e oitavo graus. Como o oitavo grau é a mesma
nalidade B.

or, é na hora de improvisar um pequeno solo, por exemplo. Se você sabe tocar a escala maior e a tonalidade da música é menor, voilá! As n

ez que você saiba a tonalidade em que a música está, saberá que poderão aparecer os

á com meio caminho andado – ou mais! Estude um pouco a tabela e com certeza achará

que iniciantes em música, ou seja, aqueles que não possuem nenhuma experiência musical anterior terão mais dificuldades em cifrar uma
o, escolha uma música de pouca dificuldade. É bom que se possua um aparelho de som e
ar cifrar uma música somente pela lembrança), tente identificar o primeiro acorde tocado na
anção, ex: na música "Poderoso Deus" a sequência de acordes é: C (Dó); Am (Lá menor); F
tes acordes. Porém, nem sempre os acordes da introdução vão estar todos presentes na
brar do exemplo anterior, a música "Poderoso Deus" está na escala de Dó, consulte um artigo

m a um acorde: o acorde G (Sol) é formado pelas notas Sol, Si e Ré, ambas estão na escala por
que uma música pertence a determinada escala, use a mesma para economizar tempo ao
s acordes são iguais ao da música, se mais grave ou mais agudo sempre obedecendo a

ou Am e Dm? não conseguir entender o porquê.Tem alguma explicação?


rmados por notas que compõe a escala de Dó, ex: Am= Lá + Dó + Mi e Dm= Ré + Fá + Lá.
Dó, mi e sol como tava no texto, esse é o acorde de Dó (C). Valeu pela sugestão, Deus
TOM
por Junior Guitarrista • 39.262 visitas desde 30/01/07

TOM, CAMPO HARMÔNICO E PROGRESSÕES


======================================

Muitos anos atrás, cismei em aprender teclado popular - para quem nunca tocou e conhece violão/guitarra, funciona +
enquanto a Mão Direita leva a "voz" ou "lead". Com alguma prática auditiva musical, logo eu estava facilmente "soland
(que era o meu problema na época) me impedia de saber quais os acordes do acompanhamento. Quando eu pergunte
melodia?" ele me disse que eu viesse à todas as aulas, e, TALVEZ, na última aula do 4o. ano ele me ensinaria este "pulo
É claro que eu nunca mais apareci....

Ele sabia que se eu conseguisse transcrever a "voz" para a Mão Direita e soubesse encaixar os acordes, eu não voltaria
curso do tipo "Popular" - o professor não busca aprimorar a teoria musical, e sim, fazer com que o aluno toque música,
decorrido. É o intento das cifras - elas são simples e eficientes, por isso invadiram o mundo musical universalmente com
dedilhados, pestanas, agilidade nas mãos, etc.... mas o conhecimento teórico fica completamente estagnado!!!
E você - se você quizer "tirar" (transcrever) uma música que ouviu, seja por cifras, seja por TAB?
Vamos ver e rever neste artigo vários conceitos, que serão complementados e acrescidos nos próximos. Este talvez tenh
de um assunto muito pedido, e infelizmente, muito pouco abordado através da WEB - tentei ser o mais claro possível, m
às dúvidas, que responderei na medida do possível, OK?

Recebo infinitos e-mail perguntando como tirar músicas, como achar o Tom delas, o que é o Tom e como reconhecer o
Quando falamos em TOM, temos que entender o seguinte: existe uma nota, a TÔNICA, que "rege" tudo o que fazemos
gira em torno do TOM dado por esta nota tônica. Por isso é tão importante saber qual o Tom - daí podemos começar co
música.

Voltemos um pouco na História: quando os mestres da música sentaram-se num boteco para tomar umas e formular p
ou tudo viraria uma bagunça. A música "escrita" era como uma ciência: para que fosse difundida através de um pedaço
gravassem e reproduzissem a música, logo, para ouví-la, você teria de tocá-la através de um pedaço de papel...). Daí na

Obviamente, não estaremos utilizando sempre C (dó maior) em todas as músicas; logo, teremos que enfrentar alguns a
somente a escala de C (dó maior) é isenta de acidentes?

Portanto, quando estamos escrevendo música em um pentagrama (ou pauta), temos que seguir uma regra pré-estabele
definiram uma ordem para que estes sinais fossem inseridos: eles ficam ao lado da clave (que é o símbolo que define u
estratégica. A regra é a seguinte:

Os sustenidos são : F - C - G - D - A - E - B
(os gringos decoram assim: Fat Charlie Gets Drunk After Every Beer - "Charlie gordo fica bêbado depois de qualquer cer

Os bemóis são: B - E - A - D - G - C - F
(exatamente o contrário da sequência de sustenidos)
Decorando isto, você pode montar uma tabela que define o número de acidentes representados em cada escala. Come
acidentes. Olhe como fica:

sustenidos:
C - G - D - A - E - B - F# - C#
0 1 2 3 4 5 6 7

bemóis:
C - F - Bb - Eb - Ab - Db - Gb - Cb
0 1 2 3 4 5 6 7

Analisando isto, teremos, por exemplo, usando a escala de A, 3 sustenidos. (confira na tabela de sustenidos). Não acred
A - B - C# - D - E - F# - G# - A
Viu? Estão os 3 aí: C#, F# e G#.
(se vc. não entendeu como formamos a escala, relembre o artigo!)

Vamos tentar a de E? São 4 sustenidos:


E - F# - G# - A - B - C# - D# - E
Estão todos presentes! São: F#, G#, C#, D#.
Sei que tem gente perguntando como é que eu sabia onde colocar as escalas de F# e C# e onde colocar as escalas natu
algumas escalas são naturais, outras sustenidas e outras bemóis. Vou explicar tudo com um exemplo.

Vejamos a escala de fá maior (F):


F - G - A - A# - C - D - E - F
Notaram que teríamos dois lá: A e A#? No pentagrama só existe uma linha (ou espaço) para o A. Então foi estipulado qu
clave. Então a escala de F ficou assim:
F - G - A - Bb - C - D - E - F
Confira na regra lá em cima: F = 1 bemol (que é o Bb).

Quem ficou representada pelos sustenidos foi a escala de F#:


F# - G# - A# - B - C# - D# - F - F#
Êpa!!! Mas também ficou com 2 Fá: F e F#!!!! E agora?
Agora vem a "manha": o F é representado no pentagrama pelo E#!
A escala ficaria assim:
F# - G# - A# - B - C# - D# - E# - F#
Vamos conferir: escala de F# = 6 sustenidos!!! (os caras eram bons, hein?)

O mesmo ocorre com a de C#:


C# - D# - F - F# - G# - A# - C - C#
(E#) (B#)

Embora não se escreva E# e B#, como notação em pentagrama é utilizado, justamente para evitar um monte de sinais n
escala escolhida para compor a peça.
Na prática, é só contar os símbolos na pauta para saber qual a escala utilizada.
exemplos:
pentagrama com 3# ao lado da clave: escala de A
pentagrama com 2b ao lado da clave: escala de Bb
Mesmo sendo muito simples, é determinada a ESCALA utilizada, e não TOM. Para determinar o Tom, teríamos que ana
acordes, se menor ou maior, além de outros conceitos que analisaremos no futuro (como MODOS, por exemplo).
Se você está me xingando neste momento, já que tudo o que vimos em nossos artigos NUNCA foi baseado em pentagra
onde vieram as coisas... Além disso, alguns artigos atrás eu fiz uma piadinha acerca de sustenidos e bemóis, dizendo qu
onde vieram as coisas... Além disso, alguns artigos atrás eu fiz uma piadinha acerca de sustenidos e bemóis, dizendo qu
sacanagem - mas tudo tem uma explicação bem lógica: seria impossível representar músicas em pentagramas sem a uti

Esquecendo as pautas, com TAB's e cifras a coisa muda um pouco. Vamos lembrar que sabendo qual o Tom será infinita
solos e improvisos.
Sabendo que os acordes derivam das escalas (já vimos isto antes), é fácil perceber que as notas da escala utilizada DEV
formado pelas notas da escala soará incrivelmente agradável quando esta for utilizada.
Normalmente os acordes são formados através da harmonização em terças diatônicas. Vamos relembrar este tipo de h
A escala de C (dó maior) é

C-D-E-F-G-A-B

Começando por C, conte 2 notas para a direita. teremos E. Mais 2 para a direita. Teremos G. Reconhecem a nossa tríad
mera coincidência que ele é perfeitamente compatível com a escala de C...
Se fizermos isto com todas as notas da escala, teremos 7 tríades:

C-E-G = C (dó maior)


D-F-A = Dm (ré menor)
E-G-B = Em (mi menor)
F-A-C = F (fá maior)
G-B-D = G (sol maior)
A-C-E = Am (lá menor)
B-D-F = Bº (si diminuto)

Esta seria a "família" de acordes de 3 notas (ou tríades) compatíveis com a escala de C, ou seja, estes acordes pertence
Quando utilizada uma escala de C, ou composta uma melodia neste TOM, utilizando combinações destes acordes perte
agradável aos ouvidos.
Pode-se ainda harmonizar desta mesma forma, utilizando as mesmas notas da escala, acordes com 4 notas, gerando ac
chegar aos acordes de 5 e 6 notas, que embora não tão usuais, são de grande valia para composições ecléticas e origina
Abaixo temos uma tabela com as 3 famílias de acordes (3,4,5 notas) derivadas da escala de C maior, determinando um
formam cada acorde).

+----------------------------------------------------+
| CAMPO HARMÔNICO DE: C (dó maior) |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
|nota| 3 | 4 | 5 | 3 | 4 | 5 |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| C | C | Cmaj7 | Cmaj9 | CEG | CEGB | CEGBD |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| D | Dm | Dm7 | Dm9 | DFA | DFAC | DFACE |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| E | Em | Em7 | Em7b9 | EGB | EGBD | EGBDF |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| F | F | Fmaj7 | Fmaj9 | FAC | FACE | FACEG |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| G | G | G7 | G9 | GBD | GBDF | GBDFA |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| A | Am | Am7 | Am9 | ACE | ACEG | ACEGB |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| B | Bmb5 | Bm7b5 |Bm7b5b9| BDF | BDFA | BDFAC |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+

Gostaram? Só com estas 3 "famílias" já temos 21 acordes que se encaixam perfeitamente no Tom da escala original, qu

Antes de prosseguir, vamos recapitular tudo:

1.) O TOM representa a ESCALA utilizada na composição;


2.) Os ACORDES derivam da ESCALA escolhida;
3.) Os ACORDES são formados pela HARMONIZAÇÃO da ESCALA (no nosso exemplo, em TERÇAS DIATÔNICAS);
4.) Os ACORDES RESULTANTES formam o CAMPO HARMÔNICO do TOM escolhido.

Tudo entendido, vamos prosseguir.


Tá bom, mas o que vamos fazer com este monte de acordes? Teremos que compreender um novo conceito: PROGRESS
acordes harmonizados, ou seja, um trecho de qualquer música é uma progressão harmônica.
A música "Ainda é Cedo", do Legião Urbana, regravada por Marina Lima, é baseada inteirinha em uma só progressão de
que os acordes Dm-C criam uma "tensão" que é "relaxada" quando chegamos ao acorde de Am. Este "clima" é a arma
as progressões tem características próprias, dependendo de como o compositor as utiliza. Vamos analisar os acordes do
algumas progressões (você certamente reconhecerá algumas - de músicas muito familiares...)

[1] C - F - G7 - C
[2] C - F - C - G7 - F - C
[3] C - Am - F - G7 - C
[4] C - Am - Em - Am - Dm - G - C
[5] Dm - G7 - Cmaj7 - Fmaj7 - Bm7b5 - G7 - C
começa ou termina no tom dominante, se você for compor é só escolher o tom e sair encaixando os acordes, tirados d
Harmônica. Para "tirar" uma música, verifique a nota inicial/final da maior parte dos trechos (primeiros versos, versos fi
acordes pertencerão àquele campo harmônico - geralmente usando as mesmas progressões que estudamos.
É claro que para isto você deverá analisar o Campo Harmônico no tom da música, ou seja, em todas as escalas - e para
elas. Comece montando para as 7 maiores - lembre-se que você poderá usar os acordes para o Tom Menor relativo (lem
são as mesmas, os acordes serão os mesmos para os dois campos Harmônicos - só muda a ordem dos acordes nas prog
Voltemos às progressões - analisando as 5 acima, notaremos:
[1] e [2] usam somente 3 acordes: C-F-G7. De fato, é incrível como existem tantas músicas, tradicionais e contemporâne
qualquer outro tom). Esta progressão é chamada I-IV-V, porque usa estes graus da escala.
[3] e [4] tem um "sabor" mais "down" por usarem acordes menores - Am, Dm e Em. Estas duas progressões aparecem
muito utilizada no rock desde os anos 60 até os dias atuais. É conhecida como "turnaround" (ou retorno) porque soa co
A [5] é a mais rica harmonicamente, criando um som interessante pelo uso de acordes com 4 notas. O som sofisticado
utilizada em jazz. Note que embora a frase não comece pela tônica (C), ela reaparece para "fechar"a progressão em seu
Outro exemplo de progressão simples muitíssimo usada é a I-III-V (note que são os acordes correspondentes às notas f
músicas utilizam esta progressão (e suas correspondentes em outros tons).

As progressões dentro de um Campo Harmônico são a base para trascrever/compor músicas, devido às suas propriedad
mente, entretanto, que a música é uma arte, e não existem regras fixas para fazer arte - existem padrões teóricos, que p
fora de uma escala numa melodia, é permitido utilizar acordes fora do campo harmônico numa composição, desde que
Vários músicos inovadores e excelentes frequentemente fogem dos padrões da teoria musical, e acresentam muito a es
você quiser partir para um novo campo, tudo bem, mas primeiro saiba onde está pisando, e só depois escolha caminho
Vamos aumentar nossos conhecimentos?
Vimos o campo harmônico e as progressões para o acorde de C (dó maior), que pode ser aplicado a todas as escalas ma
campos harmônicos podem ser obtidos da mesma forma sobre outras escalas. Veremos abaixo as Escalas menores de C

Lembra-se como construir uma escala Menor?


Tom - semitom - tom - tom - semitom - tom - tom
No nosso caso, Cm C - D - Eb - F - G - Ab - Bb - C

Vejamos o Campo Harmônico:


+-------------------------------------------------------+
| CAMPO HARMÔNICO DE: Cm (dó menor) |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
|nota| 3 | 4 | 5 | 3 | 4 | 5 |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
| C | Cm | Cm7 | Cm9 | CEbG |CEbGBb |CEbGBbD |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
| D | Dmb5 | Dm7b5 |Dm7b5b9 | DFAb |DFAbC |DFAbCEb |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
| Eb | Eb | Ebmaj7 | Ebmaj9 | EbGBb |EbGBbD |EbGBbDF |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
| F | Fm | Fm7 | Fm9 | FAbC |FAbCEb |FAbCEbG |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
| G | Gm | Gm7 | Gm9 | GBbD |GBbDF |GBbDFAb |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
| Ab | Ab | Abmaj7 | Abmaj9 | AbCEb |AbCEbG |AbCEbGBb|
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+
| Bb | Bb | Bb7 | Bb9 | BbDF |BbDFAb |BbDFAbC |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+--------+

Algumas progressões muito interessantes podem ser construídas:


[1] Cm - Fm - Bb7 - Cm
[2] Cm - Cm7 - Ab - Gm7 - Cm
[3] Cm - Fm - Gm7 - Cm
[4] Cm - Fm7 - Dm7b5 - Ab - Gm7 - Gm
[5] Cm - Eb - Cm - Gm7 - Fm7 - Dm7b5 - Gm7 - Cm
As Escalas Menores Melódicas são idênticas às Maiores, trocando-se somente o III grau (no caso de C, seria E) pelo IIIb
C - D - Eb - F - G - A - B - C

Veja o Campo Harmônico pronto: (harmonizado em 3as. Diatônicas)

+------------------------------------------------------+
|CAMPO HARMÔNICO DE: Cm MELÓDICO (dó menor) |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
|nota| 3 | 4 | 5 | 3 | 4 | 5 |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| C | Cm |Cm(maj7)|Cm(maj9)| CEbG | CEbGB |CEbGBD |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| D | Dm | Dm7 | Dm7b9 | DFA | DFAC |DFACEb |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| Eb | Eb+ |Ebmaj7#5|Ebmaj9#5| EbGB | EbGBD |EbGBDF |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| F | F | F7 | F9 | FAC | FACEb |FACEbG |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| G | G | G7 | G9 | GBD | GBDF | GBDFA |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| A | Amb5 | Am7b5 | Am9b5 | ACEb | ACEbG |ACEbGB |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| B | Bmb5 | Bm7b5 |Bm7b5b9 | BDF | BDFA | BDFAC |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+

Esta escala tem progressões menos comuns ( na verdade, ela é mais utilizada para solos). Mas podemos formar alguma
[1] Cm - F - G - Cm
[2] Cm - Cm(maj7) - Dm7 - G7 - Cm

As Escalas Menores Harmônicas são idênticas às Menores Melódicas, trocando-se somente o VI grau (no caso de C, ser
C - D - Eb - F - G - Ab - B - C

Veja o Campo Harmônico pronto: (harmonizado em 3as. Diatônicas)

+------------------------------------------------------+
|CAMPO HARMÔNICO DE: Cm HARMÔNICO (dó menor) |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
|nota| 3 | 4 | 5 | 3 | 4 | 5 |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| C | Cm |Cm(maj7)|Cm(maj9)| CEbG | CEbGB |CEbGBD |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| D | Dmb5 | Dm7b5 |Dm7b5b9 | DFAb | DFAbC |DFAbCEb|
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| Eb | Eb+ |Ebmaj7#5|Ebmaj9#5| EbGB | EbGBD |EbGBDF |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| F | Fm | Fm7 | Fm9 | FAbC |FAbCEb |FAbCEbG|
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| G | G | G7 | G7b9 | GBD | GBDF |GBDFAb |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| Ab | Ab | Abmaj7 |Abmaj7#9| AbCEb |AbCEbG |AbCEbGB|
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| B | Bmb5 | Bdim | Bdimb9 | BDF | BDFAb |BDFAbC |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+

Podemos montar várias progressões sobre o Campo Harmônico de Cm Harmônico - e elas são muito úteis (e muito con
[1] Cm - Fm - G - Cm
[2] Cm - G - Fm - G - Fm - G - Cm
[3] Cm - Fm7 - Bdim - Cm - G - Fm - Cm
[4] Cm - Ab - G7 - Cm - Dm7b5 - G7b9 - Cm

Acredito que deu pra ter uma idéia bem estruturada dos conceitos - mas lembre-se: tudo o que vimos é como um map
DENTRO das cidades, que seriam as músicas, você vai ter que usar outros artifícios: seu ouvido, muita prática e a capac
-----------------------------------------

1)Guia de construção do Campo Harmônico Passo-a-passo:


=========================================================

Para você que é iniciante, ou achou a coisa muito complicada, ou é preguiçoso mesmo (!?!?), aí vai um guia bem explic
encontrados. Se depois disso você não entender, volte ao artigo 1.) e comece tudo de novo!!!!!!!
Este procedimento deverá ser feito para as 12 ESCALAS (é isso mesmo - mão na massa!)
A, Bb, B, C, C#, D, Eb, E, F, F#, G, G#

1o.passo) copie e imprima (de preferência aumente um pouco a fonte) esta tabelinha de campo harmônico abaixo:

+------------------------------------------------------+
|CAMPO HARMÔNICO DE: _____________(________) |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
|nota| 3 | 4 | 5 | 3 | 4 | 5 |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| | | | | | | |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| | | | | | | |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| | | | | | | |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| | | | | | | |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| | | | | | | |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| | | | | | | |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+
| | | | | | | |
+----+-------+--------+--------+-------+-------+-------+

2o.passo) escolha o TOM do campo harmônico e preencha o título:


vou escolher a de C (dó maior) para poder explicar como montei a do artigo (assim você poderá acompanhar meu racio

3o.passo) construa a ESCALA correspondente ao TOM:


(estaremos trabalhando primeiro com as 12 acima - todas são MAIORES - caso tenha dúvidas em construção de escalas
tom-tom-semitom-tom-tom-tom-semitom
C-D-E-F-G-A-B-C

4o.passo) escreva na tabela (coluna de notas), de cima para baixo, as notas da escala;

5o.passo) Vamos começar a harmonizar as notas em acordes de 3, 4 e 5 notas (vc. Pode ir até 6, se quiser): para achar o
Para harmonizar o de 4 notas, é o mesmo procedimento, só que adicionamos mais um "pulo": C-E-G e mais 2 à direita (

6o.passo) identificação e nomeação dos acordes. Talvez essa seja a parte mais chata da coisa toda... Existem tantas técn

Vou tentar ser bem claro (e não se assuste com os nomes encontrados; mesmo que você conheça o acorde por outro n

Para "batizar" os acordes, precisaremos relembrar uma Tabela de Intervalos, que já vimos em "Dominando Acordes" - p

TABELA DE INTERVALOS:
----------------------------------------------------------------------------------
Nome Nota (utilize este espaço para suas escalas!)
---------------------------------------------------------------------------------
unison - - - - - C
2a. menor - - - C#/Db

2a. Maior - - - D

3a. menor - - - D#/Eb

3a. Maior - - - E

4a. perfeita - - F

4a. aumentada
ou 5a. diminuta- F#/Gb

5a. perfeita - - G

5a. aumentada ou
6a. menor - - - G#/Ab

6a. Maior ou
7a. diminuta - - A

7a. menor - - - A#/Bb

7a. Maior - - - B

oitava - - - - C
---------------------------------------------------------------------------------

Vamos começar com C-E-G:


C - é a Tônica, que dá a letra do acorde = C
E - é a terça, que define o acorde como Maior ou menor; no caso, como é maior, não se acrescenta nada ao nome (se fo
G - é a 5a. perfeita, que define o acorde como o acorde natural de C maior (lembra-se que o acorde Maior é formado d

O segundo tem uma nota a mais C-E-G-B:


B - é a 7a. Maior. Temos que colocar um 7 aí no acorde, mas existem vários acordes com 7a.... então aprenderemos um

3a. menor (+) 7a. menor = X m7


3a. menor (+) 7a. Maior = X m(maj7)
3a. Maior (+) 7a. menor = X 7
3a. Maior (+) 7a. Maior = X maj7

(onde "X" é a Tônica)

Logo, o nosso acorde C-E-G-B, como tem a 3a. Maior e a 7a. também, vai se chamar Cmaj7.

O último acorde com tônica C, de 5 notas, é C-E-G-B-D:


D - é a 2a. Maior, certo? Mas como já demos a volta na escala, esta nota está uma oitava acima; logo, ela é a 9a. Maior.

ATENÇÃO:
Os acordes com 9a. devem basear-se, para nomenclatura, na 9a. Maior!

Quando existir 7a. (maior ou menor) e a 9a. for maior, simplesmente substituimos o 7 por 9 no nome.
Ex.: G7 -> G9; Dm7 -> Dm9; Cmaj7 -> Cmaj9 (todas as 9as. São Maiores!)

Quando a 9a. for menor, usa-se "b9" (ou seja, a 9a. Maior 1 intervalo abaixo), ao final do nome, sem tirar a nomenclatu
Ex.: Em7 -> Em7b9; G7 -> G7b9

O mesmo ocorre quando a 5a. nota obtida no acorde corresponder à 3a.menor uma oitava acima: usa-se #9 (ou a 9a. M
Ex.: Abmaj7 -> Abmaj7#9

OBS.: O mesmo procedimento é tomado em relação à 5a. - usa-se #5 e b5 ao final do nome para representar notas 1 in
Ex.: um Bm com a 5a.diminuta é um Bmb5;
Ex.: Um Bm com a 7a. menor e a 5a. diminuta é um Bm7b5;
Ex.: Um Bm com a 5a. e a 7a. diminutas é um Bdim.

OBS2.: algumas publicações escrevem:


5+ ou 5aug ao invés de #5;
5- ou 5dim ao invés de b5; (o mesmo para as 9as.)
Não gosto muito do sistema por confundir (+) com (add) ou (maj), e por confundir (-) com (sus) ou (m). Fica como regis

Estou escutando risadas de alegria????? É muito fácil!

Pulemos para uma diferente: vamos fazer a harmonização de E.

O primeiro acorde achado é E-G-B.


E - é a tônica, Mi. Nosso nome por enquento é E.
G - é a 3a. menor (monte a tabela de intervalos para E e confira!) - Nosso acorde virou Em.
B - é a 5a. perfeita, formadora dos acordes menores. Nosso acorde é Em.

O segundo acorde acrescenta o D: E-G-B-D.


D - olhe novamente a Tabela de intervalos: B é a 7a. menor. Se temos também a 3a. menor, conforme a regra acima o a

E o último acorde, E-G-B-D-F:


F - na nossa tabela de acordes, corresponde à 9a. menor. Como vimos acima, chamamos a 9a. menor de "b9". E como e

Sua tabela deve estar assim, com as linhas de C e E completas:


+----------------------------------------------------+
| CAMPO HARMÔNICO DE: C (dó maior) |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
|nota| 3 | 4 | 5 | 3 | 4 | 5 |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| C | C | Cmaj7 | Cmaj9 | CEG | CEGB | CEGBD |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
|D | | | | DFA | DFAC | DFACE |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
| E | Em | Em7 | Em7b9 | EGB | EGBD | EGBDF |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
|F | | | | FAC | FACE | FACEG |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
|G | | | | GBD | GBDF | GBDFA |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
|A | | | | ACE | ACEG | ACEGB |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+
|B | | | | BDF | BDFA | BDFAC |
+----+-------+-------+-------+-------+-------+-------+

Vou fazer mais uma linha: a de B (si)

O primeiro acorde é B-D-F.


B- é a tônica = B
D- 3a. menor = Bm
F- 5a diminuta. Como nomeamos dim somente o acorde com 5a. e 7a. diminutas, e não incluímos a 7a. neste caso, tem

O segundo é B-D-F-A.
A- é a 7a. menor. Como já temos a 3a. menor, o acorde é Bm7b5.

O terceiro, B-D-F-A-C.
C- é a 9a. menor. Seguindo nossa regra das 9as., a 9a. menor é considerada como 9a. Maior 1 intervalo abaixo, ou seja,

Embora os acordes tenham nomes "escabrosos", na realidade a nomenclatura é simples, se vemos desta forma: sabem

Pô, só isto? Eu sei que alguns dirão que o acorde fica meio complicado de fazer - mas aí eu dou uma dica: se você soube

Agora, se você não conseguir fazer o de 3 notas, VÁ TOCAR CHOCALHO, que só tem UMA nota...

7o. passo (e último...UFA!): montar progressões harmoniosas ao seu ouvido, e anotá-las para referência.
As mais comuns são (os números correspondem aos Graus da escala):
I - III - V
I - IV - V
I - VI - IV - V (turnaround)

Você pode construir várias outras; tente começar com a tônica, "sentir" que forma-se uma tensão e então quebrá-la, vo

Ah... tava esquecendo! Uma boa notícia: lembram que as Escalas Menores derivam das Maiores a partir do VI grau? En

Outra dica: as Escalas menores Harmônica e Melódica só tem poucoas notas diferentes. Outra barbada: com o campo
o/guitarra, funciona + ou - assim: a Mão Esquerda faz o trabalho de "base",
va facilmente "solando" com a Mão Direita, mas a falta de conhecimento teórico
Quando eu perguntei ao meu professor: "Como colocar os acordes sobre a
e ensinaria este "pulo do gato"!

ordes, eu não voltaria mais às aulas - que fique bem claro: por se tratar de um
o aluno toque música, da maneira mais simples possível, no menor tempo
al universalmente com tanta força. Você acaba aprimorando técnicas - arpejos,
estagnado!!!

ximos. Este talvez tenha sido o mais complicado para mim escrever, por se tratar
mais claro possível, mas o próprio contexto é complexo. Meu e-mail está aberto

e como reconhecer o Tom tocando ou lendo partituras/cifras/TAB.


" tudo o que fazemos durante aquela música. Os solos, o clima, os acordes, tudo
podemos começar com mais facilidade o trabalho de compor ou tirar uma

ar umas e formular padrões a serem seguidos, tiveram que definir certas regras,
através de um pedaço de papel (afinal, não existiam na época aparelhos que
ço de papel...). Daí nasceu a Teoria Musical.

ue enfrentar alguns acidentes (sustenidos-# e bemóis-b) -> lembram-se que

ma regra pré-estabelecida pelos nossos amigos do boteco lá de cima, que


símbolo que define uma nota chave na pauta - sol, fá, dó...), numa sequência

epois de qualquer cerveja"...)

em cada escala. Comece pelo C, que é 0(zero) nos dois casos, já que não tem
ustenidos). Não acredita? Verifiquemos na escala:

olocar as escalas naturais de F e C. Aliás, deve ter gente perguntando porque


plo.

Então foi estipulado que a escala de F seria representada por bemóis (b) ao lado da

um monte de sinais no meio da pauta e para facilitar o músico na identificação da

om, teríamos que analisar as notas da maneira como são utilizadas, com que
S, por exemplo).
baseado em pentagramas, acalme-se... Gosto do estilo Mister "M" : mostrar de
e bemóis, dizendo que a invenção de 2 nomes para a mesma coisa era pura
ual o Tom será infinitamente mais fácil determinar os acordes, além da tônica dos

a escala utilizada DEVEM estar contidos nos acordes. Logo, qualquer acorde

embrar este tipo de harmonização (que fizemos em Dominando Acordes).

nhecem a nossa tríade (acorde de 3 notas)? É o C-E-G, ou dó maior (C). Não é por

tes acordes pertencem a um "CAMPO HARMÔNICO" no TOM de C (dó maior).


s destes acordes pertencentes ao Campo Harmônico, o resultado será com certeza

m 4 notas, gerando acordes mais ricos e sofisticados; indo mais longe, podemos
ões ecléticas e originais.
or, determinando um vasto campo harmônico (do lado direito, as notas que
da escala original, que é C (dó maior).

DIATÔNICAS);

o conceito: PROGRESSÃO HARMÔNICA. Progressão Harmônica é uma sequência de

uma só progressão de 3 acordes: Am-Dm-C. Toque esta progressão e você notará


Este "clima" é a arma que os músicos tem para quebrar a monotonia da música -
analisar os acordes do nosso campo harmônico de C (dó maior) e construir

os acordes, tirados de dentro do Campo Harmônico, e formar uma Progressão


meiros versos, versos finais ou refrão) e na maioria das vezes (99%) todos os
estudamos.
as as escalas - e para isto, você deverá montar os Campos Harmônicos para todas
m Menor relativo (lembram-se que a relativa de C é Am? Se as notas das 2 escalas
dos acordes nas progressões!)

onais e contemporâneas, que utilizam este tipo de progressão (seja em C ou em

ogressões aparecem frequentemente em várias músicas, e principalmente a [3] é


etorno) porque soa como uma tensão indo e vindo.
as. O som sofisticado obtido é uma das vantagens destas progressões, muito
r"a progressão em seu final.
spondentes às notas formadoras da tríade maior de C = C-E-G). Milhares de

ido às suas propriedades derivadas das sequências de acordes. Devemos ter em


adrões teóricos, que podem, e devem ser quebrados. Assim como tocar notas
omposição, desde que seus ouvidos julguem a progressão agradável.
acresentam muito a este contexto, com resultados incrivelmente satisfatórios. Se
pois escolha caminhos alternativos.

a todas as escalas maiores e suas menores relativas (no caso de C, Am). Outros
Escalas menores de C: Cm, Cm Melódico e Cm Harmônico.
de C, seria E) pelo IIIb (Eb). Ficaria assim:

demos formar algumas:

rau (no caso de C, seria A) pelo VIb (Ab). Ficaria assim:


ito úteis (e muito conhecidas!):

imos é como um mapa rodoviário - que leva você de cidade em cidade; para andar
muita prática e a capacidade humana de inovar!

ai um guia bem explicadinho desde a escolha da escala até nomear os acordes

harmônico abaixo:
companhar meu raciocínio olhando na tabela já pronta);

construção de escalas, volte ao artigo e dê uma lida!); a escala MAIOR é formada a partir da Tônica desta forma:

e quiser): para achar o primeiro acorde da linha do C, começamos pela tônica (C) contamos 2 à direita (E) e mais 2 à direita (G). Encontram
E-G e mais 2 à direita (B). Teremos então o acorde formado por C-E-G-B. E com mais um pulo (D), teremos o de 5 notas: C-E-G-B-D. Fácil, nã

a... Existem tantas técnicas e tantas maneiras (certas e erradas) encontradas em revistas, TABS, na WEB, que às vezes você acaba decorando

o acorde por outro nome, esta nomenclatura é bem fácil de entender, e não deixa dúvidas sobre quais as notas utilizadas).

minando Acordes" - para facilitar, vou colocá-la de novo aqui, ,com uma coluna em branco do lado para você poder utilizar com outras not
a nada ao nome (se fosse menor, adicionaríamos um "m" após a letra da tônica).
de Maior é formado de Tônica, 3a.Maior e 5a.perfeita?). Então o nosso acorde é simplesmente "C" (dó maior);

ão aprenderemos uma regra:


ogo, ela é a 9a. Maior. Teríamos então um acorde Cmaj7maj9 - mas como todos os acordes com 9a. incluem a 7a., não temos necessidade d

em tirar a nomenclatura da 7a.

: usa-se #9 (ou a 9a. Maior 1 intervalo acima).

representar notas 1 intervalo acima ou abaixo da 5a. perfeita - COM EXCEÇÃO dos acordes onde a 5a. e a 7a. são diminutas; neste caso o ac

u (m). Fica como registro...

rme a regra acima o acorde chamará Em7.

nor de "b9". E como ela é menor, não tiramos a nomenclatura da 7a. Logo, teremos Em7b9.
s a 7a. neste caso, temos que considerar a 5a. diminuta como a 5a. Maior 1 intervalo abaixo (vimos isto lá em cima!). Logo, acrescentaremo

ervalo abaixo, ou seja, "b9". Então chamaremos nosso acorde de Bm7b5b9.

s desta forma: sabemos quais as notas e porque elas fazem parte do acorde. Um Bm7b5b9 é, simplesmente, um Si menor com 7a. (que sa

ma dica: se você souber quais os acordes que formam o campo harmônico, e achar difícil fazer um acorde com 5 notas, faça o de 4 notas: e
e então quebrá-la, voltando ao tom inicial. Use primeiro os acordes de 3 notas, depois substitua alguns por seus correspondentes de 4 ou

a partir do VI grau? Então como as notas usadas nas duas são as mesmas, nos mesmos intervalos, os acordes também são os mesmos. Isto

rbada: com o campo harmônico Menor Natural pronto, vai ser "bico" montar os Campos Harmônicos das outras escalas menores. Já são 4
direita (G). Encontramos C-E-G. Vamos até as colunas mais à direita de nossa Tabela, e anotamos o acorde de 3 notas harmonizado a partir
s: C-E-G-B-D. Fácil, não? Faça isto com cada uma das notas, e vá anotando na Tabela.

você acaba decorando 3 ou mais nomes para o mesmo acorde...

utilizar com outras notas.


o temos necessidade de escrever a 7a. Fica, então: Cmaj9.

nutas; neste caso o acorde é acrescido de "dim" ao seu final.


Logo, acrescentaremos ao final do nome "b5". Nosso acorde é Bmb5.

enor com 7a. (que sabemos fazer de cor) mas com a 5a. e a 9a. bemóis. Isto significa que teremos que colocar o dedo da 5a. e da 9a. uma

s, faça o de 4 notas: ele soará muito bem no contexto da música. É claro que a harmonia vai empobrecer, pela diminuição da quantidade d
respondentes de 4 ou 5 notas, para enriquecer sua composição. Para tirar uma música, faça o contrário: encontre o tom, e então use os aco

m são os mesmos. Isto quer dizer que, se nós fizemos o Campo Harmônico de C (dó maior), os acordes são os mesmos do Campo Harmônico

las menores. Já são 48 campos harmônicos - dá pra começar a brincar!!!!!


harmonizado a partir de C. Não se preocupe com o nome dele ainda.
o da 5a. e da 9a. uma casa para trás.

uição da quantidade de notas, mas você nunca notou que quando vai ler certos TABs e cifras, em revistas ou na WEB, mesmo que a música
om, e então use os acordes de 3 notas para encaixar na música. Depois, substitua pelos de 4 ou 5 notas até ficar bem parecido com o origin

do Campo Harmônico de Am (lá menor). É só montar outra tabelinha, colocar as notas na sequência correta (a partir da tônica) e copiar os
mesmo que a música fique parecida não sai igual à gravação, ou ainda, diferente do jeito que o músico toca quando você vê o vídeo ou o s
parecido com o original.

da tônica) e copiar os acordes. Ou seja, fazendo as 12 maiores, você já tem as 12 menores quase prontas: é só copiar no lugar certo.
você vê o vídeo ou o show? É porque, embora os acordes estejam dentro do campo harmônico, e no tom original da música, eles foram SIM
r no lugar certo.
música, eles foram SIMPLIFICADOS para facilitar a execução (ou o cara que tirou era ruim, mesmo...). E se você achar difícil fazer o acorde d
difícil fazer o acorde de 4 notas, transcreva para 3.
ESCALA DE DÓ MAIOR PARA AS PRIMEIRAS CORDAS
e ---0--|e e ---1--|F e ---3--|G e ---5--|A e ---7--|B e ---8--|C
B ---1--|C B ---5--|D B ---5--|E B ---6--|F B ---8--|G B ---10--|A
e ---0---------------------1---------------------3-------------------5-------------------7------------------8------------------10--------------
B ---1---------------------3---------------------5-------------------6-------------------8------------------10------------------12------------
MACETE Fechado aberto aberto fechado fechado aberto

CH de DÓ C Dm Em F G Am

C a terça de Dó vai ser E --> C - D - E a proxima é achar a prox nota que é D que está na casa 3 corda 2, ent
11, ou seja, casa 1 corda 1 e assim nós caminhamos com corda 2 achando a terça dela que deverá estar na cord

ESCALAS COM A TERÇAS


### D F# Cada nota desta vai carregar mais um que é a terça adicionada
### E G A terça de D é F#, D - E - F porque é sustenido pq existe meio tom
### F# A entre o E e F
### G B FÁ É A TERÇA DE RÉ
### A C SOL É A TERÇA DE SI
### B D
### C E
### D F# OITAVOU OU SEJA ANDOU OITAVA ACIMA
C D E F G A

ESCALA DE RÉ MAIOR PARA AS PRIMEIRAS CORDAS


e ---2--|F# e ---3--|G e ---5--|A e ---7--|B e ---9--|C# e ---10--|D
B ---3--|D B ---5--|E B ---7--|F# B ---8--|G B ---10--|A B ---12--|B
e ---2---------------------3---------------------5-------------------7-------------------9------------------10------------------12------------
B ---3---------------------5---------------------7-------------------8------------------10------------------12------------------14-----------
MACETE Fechado aberto aberto fechado fechado aberto

ESCALA DE MI MAIOR PARA AS PRIMEIRAS CORDAS


e ----4--|G# e ---5---|A e ---7---|B e ------|C# e ---11---|D# e ---12---|E
B ----5--|E B ---7---|F# B ---9---|G# B ------|A B ---12---|B B ---14---|C#
e ---4---------------------5-----------------7-------------------9-----------------11-----------------12----------------14---------------16
B ---5---------------------7-----------------9------------------10----------------12-----------------14----------------16----------------17
MACETE fechado Aberto Aberto Fechado Fechado Aberto
C-D-E-F-G-A-B-C
A terça de E é G porém observe que de Mi para F só há meio tom, então a terça de MI vai ser G # SUSTENIDO
CH de MI E F#m G#m A B C#m

ESCALA DE SOL MAIOR PARA AS PRIMEIRAS CORDAS


G ---4--|B G ---5--|C G ---7--|D G ---9--|E G ---11--|F# G ---12--|G
CARREGAR AD ---5--|G D ---7--|A D ---9--|B D ---10--|C D ---12--|D D ---14--|E
G ---4---------------------5------------------7-----------------9-----------------11------------------12----------------14--------------16
D ---5---------------------7------------------9-----------------10----------------12------------------14----------------16--------------17
MACETE Fechado aberto aberto fechado fechado aberto
CH de SOL G Am Bm C D Em

ESCALA DE LA MAIOR PARA AS PRIMEIRAS CORDAS


B ---2--|C# B ---3--|D B ---5--|E B ---7--|F# B ---9--|G# B ---10--|A
G ---2--|A G ---4--|B G ---6--|C# G ---7--|D G ---9--|E G ---11--|F#
B ---2-------------------3-----------------5-----------------7-----------------9------------------10---------------12--------------14
G ---2-------------------4-----------------6-----------------7-----------------9------------------11---------------13--------------14
Junto Fechado Fechado Junto Junto Fechado

CH de Lá A Bm C#m D E F#m
A - A# - B - C -C# - D - D# - E - F - F# - G - G# - A
Como não tem tons menores apertando uma corda então pegamos as cordas com nota e seus acidentes como:

ESCALA DE FA MAIOR PARA AS PRIMEIRAS CORDAS

Junto Fechado Fechado Junto Junto Fechado

CH de FÁ F Gm Am Bb C Dm
F - F# - G - G# - A - A# - B - C - C# - D - D# - F

ESCALA DE DO MAIOR PARA AS PRIMEIRAS CORDAS

Junto Fechado Fechado Junto Junto Fechado

A - A# - B - C -C# - D - D# - E - F - F# - G - G# - A

solo de cama fria cristian e ralf


e|-------7-7--5--5--3-3--2-2-----|-3-5--3-2--3-2------------
B|--8-10-8----7-----5----3-3-----|-5-7--5-3--5-3----5-3-0-1-
G|-------------------------------|------------------5-4-0-2-
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
e ---10--|D e ---12--|E e F F# G G# A A# B C C# D D#
B ---12--|B B ---13--|C B C C# D D# E F F# G G# A A#
---------------10-------------------12 G G# A A# B C C# D D# E F F#
-----------------12------------------13 D D# E F F# G G# A A# B C C#
aberto fechado A A# B C C# D D# E F F# G G#
E F F# G G# A A# B C C# D D#
B o / Bm5- C

tá na casa 3 corda 2, então toca nela e ache a terça dela (RÉ) na corda 1, veja D - E - F opa achamos a terça do Ré que Fá e esta na
que deverá estar na corda 1

e meio tom

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
e ---12--|E e ---14--|F# e F F# G G# A A# B C C# D D#
B ---14--|C# B ---15--|D B C C# D D# E F F# G G# A A#
-----------------12----------------14 G G# A A# B C C# D D# E F F#
------------------14----------------15 D D# E F F# G G# A A# B C C#
aberto fechado A A# B C C# D D# E F F# G G#
E F F# G G# A A# B C C# D D#

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
e ---14---|F# e ---16---|G# e F F# G G# A A# B C C# D D#
B ---16---|D# B ---17---|E B C C# D D# E F F# G G# A A#
----------14---------------16 G G# A A# B C C# D D# E F F#
---------16----------------17 D D# E F F# G G# A A# B C C#
Aberto Fechado A A# B C C# D D# E F F# G G#
E F F# G G# A A# B C C# D D#
vai ser G # SUSTENIDO
D#O

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
e F F# G G# A A# B C C# D D#
B C C# D D# E F F# G G# A A#
G ---14--|A G ---16--|B G G# A A# B C C# D D# E F F#
D ---16--|F# D ---17--|G D D# E F F# G G# A A# B C C#
----------14--------------16 A A# B C C# D D# E F F# G G#
-----------16--------------17 E F F# G G# A A# B C C# D D#
aberto fechado
F#O ou F#m7
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
e F F# G G# A A# B C C# D D#
B ---12--|B B ---14--|C# B C C# D D# E F F# G G# A A#
G ---13--|G# G ---14--|A G G# A A# B C C# D D# E F F#
----12--------------14 D D# E F F# G G# A A# B C C#
----13--------------14 A A# B C C# D D# E F F# G G#
Fechado Junto E F F# G G# A A# B C C# D D#

G#O

e seus acidentes como: C#m pegar C#

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
e F F# G G# A A# B C C# D D#
B C C# D D# E F F# G G# A A#
G G# A A# B C C# D D# E F F#
D D# E F F# G G# A A# B C C#
A A# B C C# D D# E F F# G G#
E F F# G G# A A# B C C# D D#

Fechado Junto

GO

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
e F F# G G# A A# B C C# D D#
B C C# D D# E F F# G G# A A#
G G# A A# B C C# D D# E F F#
D D# E F F# G G# A A# B C C#
A A# B C C# D D# E F F# G G#
Fechado Junto E F F# G G# A A# B C C# D D#

-2---------------|---------------2--3-5--3-2-3-2-3---|------------------
-3----5-3-0-1-3--|-1-0--1-3--1---3--5-7--5-3-5-3-5---|-3-----------0---3
------5-4-0-2-4--|-2-0--2-4--2-----------------------|---5--4--2--0-----
12 13 14 15 16 17
E F F# G G# A
B C C# D D# E
G G# A A# B C
D D# E F F# G
A A# B C C# D
E F F# G G# A

é que Fá e esta na

12 13 14 15 16 17
E F F# G G# A
B C C# D D# E
G G# A A# B C
D D# E F F# G
A A# B C C# D
E F F# G G# A

12 13 14 15 16 17
E F F# G G# A
B C C# D D# E
G G# A A# B C
D D# E F F# G
A A# B C C# D
E F F# G G# A

12 13 14 15 16 17
E F F# G G# A
B C C# D D# E
G G# A A# B C
D D# E F F# G
A A# B C C# D
E F F# G G# A

12 13 14 15 16 17
E F F# G G# A
B C C# D D# E
G G# A A# B C
D D# E F F# G
A A# B C C# D
E F F# G G# A

12 13 14 15 16 17
E F F# G G# A
B C C# D D# E
G G# A A# B C
D D# E F F# G
A A# B C C# D
E F F# G G# A

12 13 14 15 16 17
E F F# G G# A
B C C# D D# E
G G# A A# B C
D D# E F F# G
A A# B C C# D
E F F# G G# A

---------------|
-------0---3---|
4--2--0--------|
1 2 3 4 5 6 7 8 9
e F F# G G# A A# B C C#
B C C# D D# E F F# G G#
escala de RÉ

G G# A A# B C C# D D# E
D D# E F F# G G# A A# B
A A# B C C# D D# E F F#
E F F# G G# A A# B C C#

1 2 3 4 5 6 7 8 9
e F F# G G# A A# B C C#
escala de SOL

B C C# D D# E F F# G G#
G G# A A# B C C# D D# E
D D# E F F# G G# A A# B
A A# B C C# D D# E F F#
E F F# G G# A A# B C C#

1 2 3 4 5 6 7 8 9
e F F# G G# A A# B C C#
B C C# D D# E F F# G G#
FA#/A#

G G# A A# B C C# D D# E
D D# E F F# G G# A A# B
A A# B C C# D D# E F F#
E F F# G G# A A# B C C#

F#/A#
1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B
10 11 12 13 14 15 16 17
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
F F# G G# A A# B C
C C# D D# E F F# G
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A

10 11 12 13 14 15 16 17
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
F F# G G# A A# B C
C C# D D# E F F# G
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A

10 11 12 13 14 15 16 17
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
F F# G G# A A# B C
C C# D D# E F F# G
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
CAMPO HARMONICO MAIOR

C Dm Em F G Am BO
D Em F#m G A Bm C#O
E F#m G#m A B C#m D#O
F Gm Am Bb C Dm GO
G Am Bm C D Em F#O ou F#m7
A Bm C#m D E F#m G#O
B C#m D#m E F# G#m A#O
CAMPO HARMONICO MENOR

Cm C D Eb F G Ab Bb C

Db m Db Eb Fb (E) Gb Ab Bb Cb Db

Dm D E F G A Bb C D

Ebm Eb F Gb Ab Bb Cb (B) Db Eb

Em E F# G A B C D E

Fm F G Ab Bb C Db Eb F

Gbm Gb Ab Bbb Cb (B) Db Ebb (D) Fb (E) Gb

Gm G A Bb C D Eb F G

Abm Ab Bb Cb (B) Db Eb Fb (E) Gb Ab

Am A B C D E F G A

Bbm Bb C Db Eb F Gb Ab Bb

Bm B C# D E F# G A B
EM VERDE SÃO AS NOTAS QUE COLOCA OS DEDOS PARA FORMAÇÃO DO ACORDE E AMARELO FORMAN RESTAN
1 2 3 3 4 5
e F F# G G G# A
DÓ MAIOR

B C C# D D D# E

SOL
MAIOR
G G# A A# A# B C
ACORDE

D D# E F F F# G

ACORDE
A A# B C C C# D
E F F# G G G# A

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
RÉ MAIOR

B C C# D D# E F F#

MAIOR

G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A

ACORDE
ACORDE

A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B

SI MAIOR
B C C# D D# E F F#
MAIOR
MI

G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
ACORDE

ACORDE
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
MAIOR
FA

G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
ACORDE

A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B
LO FORMAN RESTANTE QUE SÃO TOCADAS AS CORDAS JUNTO COM A VERDE
1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 7 8 9
e F F# G G# B C C#
B C C# D D# F# G G#
G G# A A# B D D# E
D D# E F F# A A# B
A A# B C C# E F F#
E F F# G G# B C C#
1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
DÓ MENOR

B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
ACORDE

D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
RÉ MENOR

B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
ACORDE

A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 7 8 9
e F F# G G# B C C#
MI MENOR

B C C# D D# F# G G#
G G# A A# B D D# E
D D# E F F# A A# B
ACORDE

A A# B C C# E F F#
E F F# G G# B C C#

1 2 3 4
e F F# G G#
FÁ MENOR

B C C# D D#
G G# A A# B
D D# E F F#
ACORDE

A A# B C C#
E F F# G G#
1 2 3 4 5 6 7 8
e F F# G G# A A# B C

SOL MENOR
B C C# D D# E F F# G
G G# A A# B C C# D D#
D D# E F F# G G# A A#
ACORDE

A A# B C C# D D# E F
E F F# G G# A A# B C

1 2 3 5 6 7 8
e F F# G A A# B C
LÁ MENOR

B C C# D E F F# G
G G# A A# C C# D D#
D D# E F G G# A A#
ACORDE

A A# B C D D# E F
E F F# G A A# B C

1 2 3 4 7 8 9
e F F# G G# B C C#
SI MENOR

B C C# D D# F# G G#
G G# A A# B D D# E
D D# E F F# A A# B
ACORDE

A A# B C C# E F F#
E F F# G G# B C C#
9
C#
G#
E
B
F#
C#
1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
DÓ # MAIOR

B C C# D D# E F F#

SOL #
MAIOR
G G# A A# B C C# D
ACORDE

D D# E F F# G G# A

ACORDE
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
RÉ # MAIOR

B C C# D D# E F F#

LÁ #
MAIOR
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A

ACORDE
ACORDE

A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
MI #

SI #
MAIOR

MAIOR
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
ACORDE

ACORDE
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
FA #
MAIOR

G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
ACORDE

A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B
1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B

1 2 3 4 5 6 7
e F F# G G# A A# B
B C C# D D# E F F#
G G# A A# B C C# D
D D# E F F# G G# A
A A# B C C# D D# E
E F F# G G# A A# B
Não tem nenhum segredo - é só escrever os acordes na seqüência, partindo do tom em que está a música para o to
transformar, seguindo a tabela abaixo. Assim, se uma música está em A e se quer transformar para F, pegue a linh
tabela abaixo. Uma seqüência A G A7 D/E será modificada para F D# F7 A#/C. Simples ;

1 2 3 4 5 6 7 8 9
a e F F# G G# A A# B C
b B C C# D D# E F F# G
c G G# A A# B C C# D D#
d D D# E F F# G G# A A#
e A A# B C C# D D# E F
f E F F# G G# A A# B C
g A# B C C# D D# E F F#
h C C# D D# E F F# G G#
i C# D D# E F F# G G# A
j D# E F F# G G# A A# B
k F F# G G# A A# B C C#
l F# G G# A A# B C C# D
G# A A# B C C# D D# E

Mi Fa Fa# Sol Sol# La La# Si Do Do#

Si Do Do# Re Re# Mi Fa Fa# Sol Sol#

Sol Sol# La La# Si Do Do# Re Re# Mi

Re Re# Mi Fa Fa# Sol Sol# La La# Si

La La# Si Do Do# Re Re# Mi Fa Fa#

Mi Fa Fa# Sol Sol# La La# Si Do Do#


1 2 3 4 5 6 7 8 9

Transposição (ou modulação) significa mudança de tonalidade. Apenas relembrando, nós já sabemos como descob
campo harmônico em questão e, portanto, informam qual escala podemos utilizar para improvisar ou fazer arranjo
Porém, muitas músicas possuem mais de uma tonalidade, ou seja, elas mudam de um campo harmônico para outro

Por exemplo, digamos que uma música possua os acordes C, Em, F, G, Am. Podemos concluir rapidamente que a ton
Gm e Dm. Esses acordes pertencem ao campo harmônico de Fá maior, não de Dó maior. Ou seja, no refrão a tonalid
Do ponto de vista da improvisação, utilizaríamos a escala de Fá maior no refrão, já que a tonalidade ali está em Fá m

Diferenças entre modulação e transposição


As modulações podem ser curtas, ou seja, duram pouco tempo e logo já retornam à tonalidade original; ou podem

Quando a música modula e não volta mais à sua tonalidade inicial, dizemos que houve uma transposição. Essa defi
vice-versa. O importante é entender que, na essência, modular ou transpor são a mesma coisa: mudar a tonalidade
Existem muitas maneiras de se fazer uma modulação, e iremos estudar isso em tópicos mais avançados. Nosso obje
para a frente.
Existem muitas maneiras de se fazer uma modulação, e iremos estudar isso em tópicos mais avançados. Nosso obje
para a frente.
Como você viu, não há nenhum mistério. Ao longo de nossos estudos você vai aprender muitos recursos e formas d

Para dominar estilos mais complexos como jazz ou bossa-nova, esse conhecimento vai ser fundamental. Até mesmo
é interessante.
Conhecimento nunca é demais, e quando ele vêm de maneira fácil, melhor ainda! Einsten já dizia: “A mente que se
estudando aqui no site, provavelmente você estará ouvindo e percebendo coisas que antes não notava. Isso aumen

1 4. COMO TRANSPOR AS CIFRAS NO VIOLÃO 4.1. Como Fazer A transposição de cifras no braço do violão deslocan
as notas das cordas mais graves do violão (6ª, 5ª e 4ª corda) descolando-se a posição dos dedos do acorde do violã
explicações abaixo para entender melhor Conhecendo o Braço do Violão desenho abaixo: Os Trastes e Casas Os tras
basicamente, até a 12ª casa (traste) e na guitarra até a 23ª casa (traste). Mas temos violões e também guitarras que

2 Cada casa do violão representa um semitom cromático. Cada vez que deslocarmos os dedos da posição do acorde
semitom cromático ascendente (sustenido) ou descendente (bemol) As Notas Nas cordas soltas do violão temos as
baixo para cima (1, 2, 3, 4, 5, 6), ou seja: das cordas mais finas para as cordas mais grossas. As notas naturais (abaix
são aquelas usadas pela escala de dó sem qualquer acidente (sustenido ou bemol), ou seja: dó, ré, mi, fá, sol, lá e s
violão. Veja:
3 Portanto, as notas vão avançando no braço do violão de meio em meio tom. Por exemplo, nas 6ªs, 5ªs e 4ªs corda
seguintes notas: NOTAS POR CORDA DO VIOLÃO 6ª Corda 5ª Corda 4ª Corda MI Corda Solta LÁ Corda Solta RÉ Cord
CASA SOL 3ª CASA DÓ 3ª CASA FÁ 3ª CASA SOL# 4ª CASA DÓ# 4ª CASA FÁ# 4ª CASA LÁ 5ª CASA RÉ 5ª CASA SOL 5ª C
CASA DÓ 8ª CASA FÁ 8ª CASA LÁ# 8ª CASA DÓ# 9ª CASA FÁ# 9ª CASA SI 9ª CASA RÉ 10ª CASA SOL 10ª CASA DÓ 10ª
CASA RÉ 12ª CASA Guarde bem essas notas, porque precisamos delas para fazer a transposição das cifras no braço
a transposição de cifras no braço do violão é o deslocamento da posição do acorde para a direita (sustenidos) ou pa
mesma posição dos dedos no violão. Vamos a alguns exemplos práticos.
4 a) Acorde de E = MI Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde de MI = E. Vamos usar a 6ª Corda d
corda como referência do acorde, formando as cifras dos acordes de E, F, F# e G. Veja nas notas acima do braço do
acorde vai mudando, porém a posição dos dedos continua a mesma. apenas avançando meio tom e fazendo a pe
rastilho, podemos encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. b) Acorde de A = LÁ Transposição
corda do Violão para formar os acordes.

5 A Bb B C 1ª casa 2ª casa 3ª casa Neste caso estamos usando a 5ª corda como referência do acorde, formando as c
que conforme avançamos nas casas da 5ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos contin
representar o rastilho, podemos encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. c) Acorde de F = FÁ T
usar a 4ª corda do Violão para formar os acordes. F F# G G#

6 Neste caso estamos usando a 4ª corda como referência do acorde, formando as cifras dos acordes de F, F#, G e G
casas da 4ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos continua a mesma. apenas avança
encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. d) Acorde de D7 = RÉ 7 Transposição Estou com os
Violão para formar os acordes. D7 D#7 E7 F7 Neste caso estamos usando a 4ª corda como referência do acorde, fo
braço do violão que conforme avançamos nas casas da 4ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posiçã

7 apenas avançando meio tom podemos encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. e) Acorde d
de LÁ menor = Am. Vamos usar a 5ª corda do Violão para formar os acordes. Am Bbm Bm Cm Neste caso estamos u
acordes de Am, Bbm, Bm e Cm. Veja nas notas acima do braço do violão que conforme avançamos nas casas da 5ª
continua a mesma. apenas avançando meio tom e fazendo a pestana para representar o rastilho, podemos encontr

8 f) Acorde de F7M = Fá com 7ª Maior Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde de F7M. Vamos usar
caso estamos usando a 5ª corda como referência do acorde, formando as cifras dos acordes de C7M, C#7M, D7M e
nas casas da 5ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos continua a mesma. apenas avan
com esta técnica CONCLUSÃO A transposição serve para qualquer espécie de acorde complicado e ou não. Pode-se
conhecer a nota do bordão do violão que define o acorde (CIFRA) no momento de fazer a transposição. Além do ma
tocar qualquer música em qualquer tonalidade.
a música para o tom que se quer
ra F, pegue a linha a e a linha i da

10 11 12
C# D D#
G# A A#
E F F#
B C C#
F# G G#
C# D D#
G G# A
A A# B
A# B C
C C# D
D D# E
D# E F
F F# G

Re Re# Mi

La la# Si

Fa Fa# Sol

Do Do# Re

Sol Sol# La

Re Re# Mi
10 11 12

mos como descobrir a tonalidade de uma música. Basta observar os seus acordes, pois eles dizem quem é o
r ou fazer arranjos.
mônico para outro.

damente que a tonalidade dessa música é Dó maior. Imagine agora que, no refrão, aparecessem os acordes Bb,
no refrão a tonalidade dessa música mudou, então dizemos que houve uma “modulação” nessa parte.
de ali está em Fá maior.

riginal; ou podem se estender por muito tempo, mudando definitivamente a tonalidade da música.

posição. Essa definição, porém, não é universal; muitos músicos chamam qualquer modulação de transposição e
udar a tonalidade.
çados. Nosso objetivo aqui é apenas introduzir o conceito, pois iremos mencionar essa palavra muitas vezes daqui
ecursos e formas diferentes de explorar esse tema.

mental. Até mesmo para quem só quer tocar músicas populares (que não costumam ter modulações) esse estudo

: “A mente que se abre a uma nova ideia jamais retorna ao seu tamanho original“. Depois de um tempo
otava. Isso aumentará sua percepção e seu prazer musical, sem dúvida.

o violão deslocando o acorde para a direita ou para a esquerda é muito fácil. Basta conhecer
o acorde do violão para a direita e para a esquerda para obter outra harmonia (cifra). Siga as
tes e Casas Os trastes e casas do violão são esses que aparecem no No violão o usual é tocar,
bém guitarras que vão além dessas casas.

posição do acorde do violão uma casa para a direita ou esquerda, isto representa um
o violão temos as seguintes notas: Conforme consta do desenho as cordas são contadas de
as naturais (abaixo representadas pelas cifras), no braço do violão são essas: Notas naturais
é, mi, fá, sol, lá e si. Por fim, o desenho abaixo, mostra todas as notas cromáticas do braço do

ªs, 5ªs e 4ªs cordas do violão (cordas mais grossa), temos pela seqüência (sustenidos) as
rda Solta RÉ Corda Solta FÁ 1ª CASA LÁ# 1ª CASA RÉ# 1ª CASA FÁ# 2ª CASA SI 2ª CASA MI 2ª
É 5ª CASA SOL 5ª CASA LÁ# 6ª CASA RÉ# 6ª CASA SOL# 6ª CASA SI 7ª CASA MI 7ª CASA LÁ 7ª
10ª CASA DÓ 10ª CASA RÉ# 11ª CASA SOL# 11ª CASA DÓ# 11ª CASA MI 12ª CASA LÁ 12ª
as cifras no braço do violão TRANSPOSIÇÃO DO ACORDE (CIFRA) Conforme informado acima
(sustenidos) ou para a esquerda (bemóis) alterando o nome do acorde porém mantendo a

usar a 6ª Corda do Violão para formar os acordes. E F F# G Neste caso estamos usando a 6ª
acima do braço do violão que conforme avançamos nas casas da 6ª corda do violão o
m e fazendo a pestana (DEDO ATRAVESSADO NA CASA DO VIOLÃO) para representar o
= LÁ Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde de LÁ = A. Vamos usar a 5ª

de, formando as cifras dos acordes de A, Bb, B e C. Veja nas notas acima do braço do violão
o dos dedos continua a mesma. apenas avançando meio tom e fazendo a pestana para
Acorde de F = FÁ Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde de FÁ = F. Vamos

rdes de F, F#, G e G#. Veja nas notas acima do braço do violão que conforme avançamos nas
ma. apenas avançando meio tom e fazendo a pestana para representar o rastilho, podemos
ão Estou com os dedos na posição do Acorde de RÉ 7 = D7. Vamos usar a 4ª corda do
ncia do acorde, formando as cifras dos acordes de D7, D#7, E e F. Veja nas notas acima do
o, porém a posição dos dedos continua a mesma.

cnica. e) Acorde de Am = LÁ menor Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde


te caso estamos usando a 5ª corda como referência do acorde, formando as cifras dos
s nas casas da 5ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos
podemos encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica.

F7M. Vamos usar a 5ª corda do Violão para formar os acordes. C7M C#7M D7M Eb7M Neste
7M, C#7M, D7M e Eb7M. Veja nas notas acima do braço do violão que conforme avançamos
sma. apenas avançando meio tom podemos encontrar vários acordes no braço do violão
e ou não. Pode-se tirar bom proveito desta técnica de transposição, bastando apenas
sição. Além do mais se gravar a posição dos principais acordes a transposição ajudará você a
1 4. COMO TRANSPOR AS CIFRAS NO VIOLÃO 4.1. Como Fazer A transposição de cifras no braço do violão deslocando o acorde
as notas das cordas mais graves do violão (6ª, 5ª e 4ª corda) descolando-se a posição dos dedos do acorde do violão para a dire
explicações abaixo para entender melhor Conhecendo o Braço do Violão desenho abaixo: Os Trastes e Casas Os trastes e casas
basicamente, até a 12ª casa (traste) e na guitarra até a 23ª casa (traste). Mas temos violões e também guitarras que vão além d

2 Cada casa do violão representa um semitom cromático. Cada vez que deslocarmos os dedos da posição do acorde do violão u
semitom cromático ascendente (sustenido) ou descendente (bemol) As Notas Nas cordas soltas do violão temos as seguintes no
baixo para cima (1, 2, 3, 4, 5, 6), ou seja: das cordas mais finas para as cordas mais grossas. As notas naturais (abaixo representa
são aquelas usadas pela escala de dó sem qualquer acidente (sustenido ou bemol), ou seja: dó, ré, mi, fá, sol, lá e si. Por fim, o d
violão. Veja:

3 Portanto, as notas vão avançando no braço do violão de meio em meio tom. Por exemplo, nas 6ªs, 5ªs e 4ªs cordas do violão
seguintes notas: NOTAS POR CORDA DO VIOLÃO 6ª Corda 5ª Corda 4ª Corda MI Corda Solta LÁ Corda Solta RÉ Corda Solta FÁ 1ª
CASA SOL 3ª CASA DÓ 3ª CASA FÁ 3ª CASA SOL# 4ª CASA DÓ# 4ª CASA FÁ# 4ª CASA LÁ 5ª CASA RÉ 5ª CASA SOL 5ª CASA LÁ# 6ª
CASA DÓ 8ª CASA FÁ 8ª CASA LÁ# 8ª CASA DÓ# 9ª CASA FÁ# 9ª CASA SI 9ª CASA RÉ 10ª CASA SOL 10ª CASA DÓ 10ª CASA RÉ# 1
CASA RÉ 12ª CASA Guarde bem essas notas, porque precisamos delas para fazer a transposição das cifras no braço do violão TR
a transposição de cifras no braço do violão é o deslocamento da posição do acorde para a direita (sustenidos) ou para a esquerd
mesma posição dos dedos no violão. Vamos a alguns exemplos práticos.

4 a) Acorde de E = MI Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde de MI = E. Vamos usar a 6ª Corda do Violão par
corda como referência do acorde, formando as cifras dos acordes de E, F, F# e G. Veja nas notas acima do braço do violão que
acorde vai mudando, porém a posição dos dedos continua a mesma. apenas avançando meio tom e fazendo a pestana (DEDO
rastilho, podemos encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. b) Acorde de A = LÁ Transposição Estou com
corda do Violão para formar os acordes.

5 A Bb B C 1ª casa 2ª casa 3ª casa Neste caso estamos usando a 5ª corda como referência do acorde, formando as cifras dos aco
que conforme avançamos nas casas da 5ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos continua a mesm
representar o rastilho, podemos encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. c) Acorde de F = FÁ Transposição
usar a 4ª corda do Violão para formar os acordes. F F# G G#

6 Neste caso estamos usando a 4ª corda como referência do acorde, formando as cifras dos acordes de F, F#, G e G#. Veja nas
casas da 4ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos continua a mesma. apenas avançando meio to
encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. d) Acorde de D7 = RÉ 7 Transposição Estou com os dedos na po
Violão para formar os acordes. D7 D#7 E7 F7 Neste caso estamos usando a 4ª corda como referência do acorde, formando as
braço do violão que conforme avançamos nas casas da 4ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos

7 apenas avançando meio tom podemos encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica. e) Acorde de Am = LÁ m
de LÁ menor = Am. Vamos usar a 5ª corda do Violão para formar os acordes. Am Bbm Bm Cm Neste caso estamos usando a 5ª c
acordes de Am, Bbm, Bm e Cm. Veja nas notas acima do braço do violão que conforme avançamos nas casas da 5ª corda do vio
continua a mesma. apenas avançando meio tom e fazendo a pestana para representar o rastilho, podemos encontrar vários aco

8 f) Acorde de F7M = Fá com 7ª Maior Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde de F7M. Vamos usar a 5ª corda d
caso estamos usando a 5ª corda como referência do acorde, formando as cifras dos acordes de C7M, C#7M, D7M e Eb7M. Veja
nas casas da 5ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos continua a mesma. apenas avançando meio
com esta técnica CONCLUSÃO A transposição serve para qualquer espécie de acorde complicado e ou não. Pode-se tirar bom p
conhecer a nota do bordão do violão que define o acorde (CIFRA) no momento de fazer a transposição. Além do mais se gravar
tocar qualquer música em qualquer tonalidade.
eslocando o acorde para a direita ou para a esquerda é muito fácil. Basta conhecer
o violão para a direita e para a esquerda para obter outra harmonia (cifra). Siga as
Os trastes e casas do violão são esses que aparecem no No violão o usual é tocar,
ras que vão além dessas casas.

acorde do violão uma casa para a direita ou esquerda, isto representa um


mos as seguintes notas: Conforme consta do desenho as cordas são contadas de
(abaixo representadas pelas cifras), no braço do violão são essas: Notas naturais
l, lá e si. Por fim, o desenho abaixo, mostra todas as notas cromáticas do braço do

ªs cordas do violão (cordas mais grossa), temos pela seqüência (sustenidos) as


RÉ Corda Solta FÁ 1ª CASA LÁ# 1ª CASA RÉ# 1ª CASA FÁ# 2ª CASA SI 2ª CASA MI 2ª
SOL 5ª CASA LÁ# 6ª CASA RÉ# 6ª CASA SOL# 6ª CASA SI 7ª CASA MI 7ª CASA LÁ 7ª
DÓ 10ª CASA RÉ# 11ª CASA SOL# 11ª CASA DÓ# 11ª CASA MI 12ª CASA LÁ 12ª
braço do violão TRANSPOSIÇÃO DO ACORDE (CIFRA) Conforme informado acima
s) ou para a esquerda (bemóis) alterando o nome do acorde porém mantendo a

orda do Violão para formar os acordes. E F F# G Neste caso estamos usando a 6ª


braço do violão que conforme avançamos nas casas da 6ª corda do violão o
do a pestana (DEDO ATRAVESSADO NA CASA DO VIOLÃO) para representar o
posição Estou com os dedos na posição do Acorde de LÁ = A. Vamos usar a 5ª

ndo as cifras dos acordes de A, Bb, B e C. Veja nas notas acima do braço do violão
s continua a mesma. apenas avançando meio tom e fazendo a pestana para
F = FÁ Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde de FÁ = F. Vamos

#, G e G#. Veja nas notas acima do braço do violão que conforme avançamos nas
avançando meio tom e fazendo a pestana para representar o rastilho, podemos
om os dedos na posição do Acorde de RÉ 7 = D7. Vamos usar a 4ª corda do
orde, formando as cifras dos acordes de D7, D#7, E e F. Veja nas notas acima do
posição dos dedos continua a mesma.

corde de Am = LÁ menor Transposição Estou com os dedos na posição do Acorde


amos usando a 5ª corda como referência do acorde, formando as cifras dos
s da 5ª corda do violão o acorde vai mudando, porém a posição dos dedos
encontrar vários acordes no braço do violão com esta técnica.

os usar a 5ª corda do Violão para formar os acordes. C7M C#7M D7M Eb7M Neste
D7M e Eb7M. Veja nas notas acima do braço do violão que conforme avançamos
as avançando meio tom podemos encontrar vários acordes no braço do violão
ode-se tirar bom proveito desta técnica de transposição, bastando apenas
m do mais se gravar a posição dos principais acordes a transposição ajudará você a
Improvisação musical é a arte de compor e registrar ao mesmo tempo; ou seja, é inventar na hora!

Uma improvisação pode ser uma harmonia, uma melodia, um solo, um riff, um ritmo, etc.

Essa arte diferencia músicos criadores de músicos reprodutores. Músicos reprodutores são aqueles que apenas reprodu
possuem técnica e boa leitura, mas são completamente engessados musicalmente (dependentes de um repertório) e n
receita de bolo.

Músicos criadores não se limitam a apenas reproduzir músicas prontas; são capazes de alterá-las, incrementá-las, criar

Vantagens de saber improvisar


Resumindo, quem sabe improvisar:

Entende o que está se passando e tem ideias imediatas;


Possui facilidade para compor, pois tem muitas ferramentas e recursos em mente;
Possui um ouvido muito apurado;
Consegue se sair bem em situações inesperadas como: músicas novas, alterações de repertório de última hora, falha
Coloca sua própria identidade nas músicas.

Motivador, não?!

Para ser capaz de improvisar, é necessário conhecer o assunto em questão. Por exemplo, no ramo de palestras, qualque
“felicidade”, pois todos possuem algum conceito sobre esse tema.
Talvez o fato de ser um improviso prejudique a qualidade do discurso; muitos falariam sem utilizar palavras bonitas ou
um discurso sobre a importância da equação de Schrödinger no eletromagnetismo quântico?
Na música, é a mesma coisa, precisamos de um bom vocabulário (saber escolher palavras adequadas) e também precis
que as palavras façam sentido.
Essa conversa está boa, mas vamos falar de algo mais prático agora: como se aprende a improvisar afinal?

Bom, existem alguns segredos para se tornar um bom improvisador. Falaremos especificamente de solos aqui nesse tóp
improvisação na música.

Como fazer uma improvisação musical


Explicando de uma maneira bem simplista, basta conhecer as escalas básicas e saber identificar a tonalidade da música

Isso tudo nós aprenderemos aqui no Descomplicando a Música, não se preocupe. Porém, na prática, não basta apenas

Parece óbvio, mas não é. Um improvisador iniciante pode aprender a escala maior e entender onde aplicá-la, mas se el
cabeça, o improviso vai ficar horrível.

Ninguém gosta de ouvir uma escala digitada para cima e para baixo sem dinâmica. A beleza da música está justamente

Ele deve começar pegando frases prontas de outros músicos, decorando-as e aplicando-as em vários contextos. Assim,
músicas. Isso é essencial.
O próximo passo é pegar essas mesmas frases e fazer pequenas alterações, tentando colocar suas ideias a partir das ide
o improvisador começará a criar as suas próprias frases do zero, sem precisar se basear em alguma frase pronta.
O próximo passo é pegar essas mesmas frases e fazer pequenas alterações, tentando colocar suas ideias a partir das ide
o improvisador começará a criar as suas próprias frases do zero, sem precisar se basear em alguma frase pronta.

Muito bem, para quem nunca improvisou nada, adquirir essa habilidade leva tempo. É como tudo na vida: se o resultad

Recomendamos fortemente que o iniciante dedique-se bastante a pegar frases prontas e aplique elas em tonalidades m
maior, menor, pentatônica e escala blues. Esse deve ser o mundo inicial do improvisador. Ele precisa se sentir seguro ni
Nessa fase o iniciante vai adquirir feeling, vai aprender a colocar sua expressão na música.

Nós mostraremos, ao longo de nosso estudo sobre escalas, exemplos de aplicação de cada escala em cima de várias ha

Para que você possa exercitar o que falamos acima sobre aplicar frases prontas em diversas músicas diferentes, nós cria
coletânea de licks e exercícios para aprender a improvisar. Confira aqui a versão para guitarra e a versão para piano.
Se o Descomplicando a Música tem sido útil para você, ajude a divulgá-lo. Assim você estará colaborando com o crescim
referência para todo estudante de música, principalmente para aqueles que já tentaram por conta própria estudar e en
didático sobre o assunto.

o que é música afinal?


De uma maneira mais didática e abrangente, a música é composta por melodia, harmonia e ritmo.

Melodia
Melodia é a voz principal do som, é aquilo que pode ser cantado.

Harmonia
Harmonia é uma sobreposição de notas que servem de base para a melodia. Por exemplo, uma pessoa tocando violão
Obs: Vale a pena destacar que a melodia não necessariamente é composta por uma única voz; é possível também que e
frequente essa situação. Para diferenciar melodia de harmonia nesse caso, podemos fazer uma comparação com um na
dentro do navio representam a melodia. Tanto o navio quanto as pessoas estão se mexendo, e as pessoas se mexem de
o navio serve de base, suporte, para as pessoas. Elas têm liberdade para se movimentar apenas dentro do navio. Se um
melodia e harmonia, é a mesma coisa.

Ritmo
Ritmo é a marcação do tempo de uma música. Assim como o relógio marca as horas, o ritmo nos diz como acompanha

Cada um desses três assuntos precisa ser tratado à parte. Um conhecimento aprofundado permite uma manipulação il

Obs: esse site possui mais de 100 aulas gratuitas sobre teoria musical, de forma organizada e simplificada (do básico ao

O que é um riff?
Riff é uma gíria muito utilizada no mundo da guitarra para descrever um pequeno trecho executado nesse instrumento
(Guns N’ Roses) é um riff. Geralmente, o riff é um trecho repetido mais de uma vez na música.
Riff é uma gíria muito utilizada no mundo da guitarra para descrever um pequeno trecho executado nesse instrumento
(Guns N’ Roses) é um riff. Geralmente, o riff é um trecho repetido mais de uma vez na música.
Qualquer coisa pode ser um riff, até mesmo uma determinada levada rítmica sobre um acorde. Riff é um termo bem ge
Muita gente usa esse termo de maneira simplista, limitando o riff a uma coisa só. Por exemplo, alguns dizem que riff é a
power chord é apenas uma maneira de se tocar um acorde, enquanto o riff é a repetição de um pequeno trecho.
Ou seja, alguns power chords podem aparecer como riffs na música, mas nem todo power chord será um riff, e nem to
apareçam como trechos de solos, ou ainda como uma mescla de uma pequena frase musical com acordes no meio.

Cifra significado
Cifra é uma notação para representar os nomes dos acordes. Já aprendemos que a nomenclatura básica para as notas é

C –> dó D –> ré E –> mi F –> fá G –> sol A –> lá B –> si

Agora iremos destacar que os acordes também são identificados com essa notação. Em uma cifra, o nome do acorde ac
acorde. Por exemplo, um acorde formado pela tríade C, E, G é chamado de C (Dó). Confira nossa apostila de teoria mus

Geralmente, essa é a nota mais grave (que está no baixo) do acorde. Mas esse detalhe do baixo não é uma regra, pois o

Significado da cifra nas músicas


Bom, é por isso que existe o termo “cifrar” uma música: significa escrever os acordes na ordem em que eles aparecem
da música, mostrando o ponto certo em que o acorde deve ser tocado, como no exemplo abaixo:

C
Atirei o pau no gato – to
Dm
Mas o gato – to
C
Não Morreu – reu – reu
Procure decorar a simbologia das cifras que mostramos aqui caso ainda não saiba. Escreva num papel todas as notas uti
letra se refere. Em pouco tempo essa leitura já estará automática.
es que apenas reproduzem ou executam músicas prontas. Eles geralmente
de um repertório) e não sabem o que estão fazendo, estão apenas seguindo uma

incrementá-las, criar novas melodias ou harmonias automaticamente. Estes são músicos que sabem o que estão fazendo, são aqueles que

o de última hora, falha de memória (branco), etc.

de palestras, qualquer pessoa é capaz de improvisar um discurso sobre

r palavras bonitas ou reflexões profundas. Agora, quantas pessoas improvisariam

das) e também precisamos conhecer o contexto em que estamos inseridos, para

r afinal?

e solos aqui nesse tópico, mas o conceito é o mesmo para as demais vertentes de

tonalidade da música para se fazer um improviso.

ca, não basta apenas saber e entender as escalas e suas tonalidades, é preciso saber criar um solo com elas.

de aplicá-la, mas se ele não tiver algumas frases e licks prontos desenhados na

úsica está justamente em saber desenhar frases musicais com as notas. E como um improvisador iniciante conseguirá fazer isso?

ios contextos. Assim, ele vai desenvolver a habilidade de saber encaixar frases em

ideias a partir das ideias das próprias frases. Depois de certo tempo fazendo isso,
a frase pronta.
o na vida: se o resultado é bom, o esforço precisa fazer merecer esse resultado.

elas em tonalidades maiores e menores. Essas frases podem fazer parte da escala
isa se sentir seguro nisso, pois é a base para aperfeiçoamentos futuros.

em cima de várias harmonias. Você deve pegar esses riffs e frases e tocá-los também, compreendendo-os e inventando depois os seus.

cas diferentes, nós criamos um manual para o improvisador iniciante, com uma
versão para piano.
borando com o crescimento e aperfeiçoamento do site. Nossa meta é ser
a própria estudar e encontraram dificuldades devido à escassez de material

essoa tocando violão e cantando está fazendo harmonia com os acordes no violão e melodia com a voz. Cada acorde é uma sobreposição d
possível também que ela tenha duas ou mais vozes, apesar de ser menos
omparação com um navio no oceano. O navio representa a harmonia e as pessoas
pessoas se mexem dentro do navio enquanto ele trafega pelo oceano. Repare que
entro do navio. Se uma pessoa pular para fora do navio, será desastroso. Com

diz como acompanhar a música.

e uma manipulação ilimitada de todos os recursos que a música fornece, e é isso o que faz os “sons e silêncios” ficarem tão interessantes p

plificada (do básico ao avançado). Mas alguns artigos e conteúdos estão abreviados. Para ter acesso ao conteúdo completo e detalhado, co

do nesse instrumento. Por exemplo, a introdução da música Sweet Child O’ Mine


ff é um termo bem genérico e abrangente.
guns dizem que riff é a mesma coisa que power chord. Isso não está correto, pois
equeno trecho.
será um riff, e nem todo riff será um power chord. Aliás, é mais comum que os riffs
acordes no meio.

básica para as notas é a seguinte:

, o nome do acorde acaba recebendo o nome da nota fundamental (1º grau) do


apostila de teoria musical completa para entender melhor esse assunto.

ão é uma regra, pois o acorde pode estar invertido (não se preocupe com esse detalhe agora, pois estudaremos esse assunto profundamen

m que eles aparecem dentro da música. Geralmente isso é feito em cima da letra

apel todas as notas utilizando sua representação e mentalize a qual nota cada
Click com mouse sobre o circulo, gire o cir
irá achar as notas 1.a, 2.a,3.a,4.a, 5.a, 6.a, 7.a
descubra as notas da música dentro do cam
desejado. No violão tente encaixar as notas
musica SABES SENHOR. Depois faça isso em
Sabes Senhor TOM
4 5 Refrão:
X Xm X7
7dim
Sabes, Senhor, o que temos é tão
# ou 7
X X X7
6 Mas este pouco, nós queremos com
2 3 X Xm X7
1.Queremos nesta hora, diante dos
X7 Xm X7
Comprometer a vida, buscando a un
(Refrão)
X Xm X7
2.Sabemos que é difícil, os bens
X7 Xm X7
Mas com a tua graça, Senhor, quer
(Refrão)
X Xm X7
3.Olhando teu exemplo, Senhor, va
X7 Xm X7
Fazendo o bem a todos, sem nada e

Sabes Senhor Tom C

Refrão:
C Dm G7 C G7
Sabes, Senhor, o que temos é tão pouco pra dar.
C F G7 C
Mas este pouco, nós queremos com os irmãos compartilhar.
F Dm G7 Em
1.Queremos nesta hora, diante dos irmãos,
A7 Dm G7 C G7
Comprometer a vida, buscando a união.
(Refrão)
F Dm G7 Em
2.Sabemos que é difícil, os bens compartilhar;
A7 Dm G7 C G7
Mas com a tua graça, Senhor, queremos dar.
(Refrão)
F Dm G7 Em
3.Olhando teu exemplo, Senhor, vamos seguir,
A7 Dm G7 C G7
Fazendo o bem a todos, sem nada exigir.
re o circulo, gire o circulo até a nota (tom),
.a,3.a,4.a, 5.a, 6.a, 7.a C, Dm, Em, F, G, Am, A# ou A o
música dentro do campo harmonico do tom
ente encaixar as notas que compõem a
R. Depois faça isso em outros TONS.
C C, G7, Dm, F, Em, A7

X7 X X7
que temos é tão pouco pra dar.
X7 X
ós queremos com os irmãos compartilhar.
Xm X7 Xm
hora, diante dos irmãos,
X7 X X7
a, buscando a união.

Xm X7 Xm
ifícil, os bens compartilhar;
X7 X X7
ça, Senhor, queremos dar.

X7 Xm
mplo, Senhor, vamos seguir,
m X7 X X7
odos, sem nada exigir.
VIDEO COMO TOCAR MUSICA DE OUVIDO TONALIDAD 1.a 3.a 2.a 4.a
Acordes (graus) /
I II III IV V(7) VI VII
Campo harmônico de:
Dó maior C Dm Em F G(7) Am B°
Ré maior D Em Fm G A(7) Bm C#°
Mi maior E F#m G#m A B(7) C#m D#°
Fá maior F Gm Am Bb C(7) Dm E°
Sol maior G Am Bm C D(7) Em F#°
Lá maior A Bm C#m D E(7) F#m G#°
Si maior B C#m D#m E F#(7) G#m A#°

Graus/CADENCIA I V VIm IV
C C G(7) Am F
D D A(7) Bm G
E E B(7) C#m A
F F C(7) Dm Bb
G G D(7) Em C
A A E(7) F#m D
4 5

7dim

2 6 3
# ou 7

Sabes Senhor Tom C

Refrão:
C Dm G7 C G7
Sabes, Senhor, o que temos é tão pouco pra dar.
C F G7 C
Mas este pouco, nós queremos com os irmãos compartilhar.
F Dm G7 Em
1.Queremos nesta hora, diante dos irmãos,
A7 Dm G7 C G7
Comprometer a vida, buscando a união.
(Refrão)
F Dm G7 Em
2.Sabemos que é difícil, os bens compartilhar;
A7 Dm G7 C G7
Mas com a tua graça, Senhor, queremos dar.
(Refrão)
F Dm G7 Em
3.Olhando teu exemplo, Senhor, vamos seguir,
A7 Dm G7 C G7
Fazendo o bem a todos, sem nada exigir.
CAMPO HARMONICO DE DÓ C - Dm - Em - G - F - Am - Bm

ESCALAS DIATONICA DE DÓ O QUE É ESCALA DIATÔN


Primeiramente precisamos ente
mais básicas e primitivas no est

Dó – Ré – Mi – Fá – Sol –
Podendo ser maior ou menor, porém com

A Escala Diatônica é uma escala form


sons conjuntos, com cinco intervalos

Dó – Ré – Mi – Fá – Sol –

A escala é ascendente quando s


descendente quando do som ag
O nome “diatônica” significa “movimentar-s
da música. Dessa forma, a Escala Diatônica s
todas as notas, mas só pode repetir a nota t
Sempre que utilizarmos o termo “diatônico”
tonalidade natural; ou seja, a nota faz parte
naturais e os sete principais modos gregos s

TONS E SEMITONS EXIST


Cada nota da escala tem
I grau
II grau
III grau
IV grau
V grau
VI grau
VII grau
VIII grau

Os semitons se encontra
III Grau
VII Grau
Os tons são encontrados

I Grau

II Grau

IV Grau

V Grau

VI Grau

O I grau (Tônica) é geralmente o mais imp

Existem diversas outras escalas


sequência definida de tons e se
nota que se desejar. Simples as

Você sabia que a escala diatônica não é u

Portanto o mais correto é falar em Escala

Essas escalas são muito utilizadas pela im


assunto de forma bastante simples.
Semitom diatônico e semitom cromá

Antes de chegarmos na escala propriame


o Semitom Cromático envolve 2 notas qu

Por exemplo: La e La sustenido; Si e Si be

Já o Semitom Diatônico envolve 2 notas

Exemplos: Si e Dó; Fa sustenido e Sol, Mi

Você se lembra da Escala Cromática?


Ela é uma Escala que possui todas as 12 n

Dó, Dó#, Re, Re#, Mi, Fa, Fa#, Sol, Sol#, L

Perceba que fazem parte desta escala no


um acidente musical), como o dó e o dó
Na Escala Diatônica, por sua vez, não há

A Escala Diatônica

Sabe quais Escalas são Diatônicas??

As famosas Escala Maior e Escala menor

E digo mais!

Os 3 tipos de Escala menor (natural, harm

Além disso, os famosos Modos Gregos o


Diatônicas!
Notas da Escala Diatônica

As Escalas Diatônicas possuem 7 notas:

Dó, Re, Mi, Fa, Sol, La e Si

Algumas pessoas podem dizer que ela po


desnecessário pois a escala se repete ind
O que ocorre é que essas 7 notas sempre

Elas podem aparecer naturais, com suste

Vamos pegar como exemplo algumas esc

Escala de Dó Maior: Dó, Re, Mi, Fa, Sol, L

Escala de Dó menor natural: Dó, Re, Mi♭,

Escala de Dó menor harmônica: Dó, Re, M

Escala de Dó menor melódica: Dó, Re, M

Escala de Dó Dórico: Dó, Re, Mi♭, Fa, Sol,

Escala de Dó Frígio: Dó, Re♭, Mi♭, Fa, Sol,

Escala de Dó Lídio: Dó, Re, Mi, Fa#, Sol, L


Escala de Dó Mixolídio: Dó, Re, Mi, Fa, So

Escala de Dó Lócrio: Dó, Re♭, Mi♭, Fa, Sol

Todas elas possuem as 7 notas musicais,


sustenido, ou com bemol, e não há notas
É ESCALA DIATÔNICA?
ente precisamos entender o que são Escalas Naturais. Elas são as escalas
as e primitivas no estudo de música. Sendo:

– Mi – Fá – Sol – Lá – Si
maior ou menor, porém como existem outros tipos de escalas maiores e menores, essa escala básica que acabamos de ver recebe o no

tônica é uma escala formada por sete notas em sua estrutura com sucessão de oito
tos, com cinco intervalos de TOM, e dois intervalos de SEMITOM.

– Mi – Fá – Sol – Lá – Si

ascendente quando segue do som grave para o som agudo. E


nte quando do som agudo para o som grave.
nica” significa “movimentar-se pela tônica”, ou seja, pela nota de referência, a nota que define o tom
ssa forma, a Escala Diatônica são as sete notas naturais mais a repetição da nota tônica. Precisa ter
, mas só pode repetir a nota tônica uma única vez.
tilizarmos o termo “diatônico” ou “nota diatônica”, estamos dizendo que essa nota pertence à
ural; ou seja, a nota faz parte de uma escala maior ou menor natural. As escalas maiores, menores
ete principais modos gregos são exemplos de escalas diatônicas.

SEMITONS EXISTENTES NA ESCALA DIATÔNICA


ta da escala tem uma função de acordo com os graus.
TÔNICA
SUPERTÔNICA
MEDIANTE
SUBDOMINANTE
DOMINANTE
RELATIVO
SENSÍVEL
TÔNICA

itons se encontram do:


Para o IV Grau
Para o VIII Grau
são encontrados:

Para o II Grau

Para o III Grau

Para o V Grau

Para o VI Grau

Para o VII Grau

ca) é geralmente o mais importante da escala, pois, ele é quem dá nome a escala e que a termina de um modo completo sem deixar dú

versas outras escalas musicais, mas a ideia é sempre a mesma. Tem-se uma
definida de tons e semitons e, a partir disso, monta-se a escala começando da
e desejar. Simples assim.

ue a escala diatônica não é uma só escala, mas é um conjunto delas?

ais correto é falar em Escalas Diatônicas (no plural).

são muito utilizadas pela imensa maioria dos músicos ocidentais, e vamos abordar aqui o
rma bastante simples.
atônico e semitom cromático

garmos na escala propriamente dita, vamos ver a diferença entre semitom diatônico e semitom cromático.
omático envolve 2 notas que levam o mesmo nome.

La e La sustenido; Si e Si bemol; Fa sustenido e Fa dobrado sustenido etc…

Diatônico envolve 2 notas com nomes diferentes!

e Dó; Fa sustenido e Sol, Mi e Fa etc…

ra da Escala Cromática?
ala que possui todas as 12 notas da nossa música ocidental, todas separadas por semitom:

Re#, Mi, Fa, Fa#, Sol, Sol#, La, La#, Si

azem parte desta escala notas que levam o mesmo nome (porém com uma delas acrescida de
musical), como o dó e o dó sustenido, por exemplo.
tônica, por sua vez, não há notas com o mesmo nome.

calas são Diatônicas??

scala Maior e Escala menor.

Escala menor (natural, harmônica e melódica) são diatônicos.

s famosos Modos Gregos ou Modos Eclesiásticos também se encaixam no grupo das Escalas

ala Diatônica

atônicas possuem 7 notas:

, Sol, La e Si

oas podem dizer que ela possui 8 notas, mas isso incluiria a oitava da primeira nota, o que seria
o pois a escala se repete indefinidamente.
é que essas 7 notas sempre aparecerão nessas escalas, pode conferir!

parecer naturais, com sustenido ou bemol, mas estarão lá.

como exemplo algumas escalas tendo a nota Dó como fundamental:

Maior: Dó, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si.

menor natural: Dó, Re, Mi♭, Fa, Sol, La ♭, Si ♭.

menor harmônica: Dó, Re, Mi♭, Fa, Sol, La ♭, Si.

menor melódica: Dó, Re, Mi♭, Fa, Sol, La, Si.

Dórico: Dó, Re, Mi♭, Fa, Sol, La, Si♭.

Frígio: Dó, Re♭, Mi♭, Fa, Sol, La♭, Si♭.

Lídio: Dó, Re, Mi, Fa#, Sol, La, Si.


Mixolídio: Dó, Re, Mi, Fa, Sol, La, Si ♭.

Lócrio: Dó, Re♭, Mi♭, Fa, Sol♭, La♭, Si♭.

ssuem as 7 notas musicais, seja no seu estado natural (sem alterações ou acidentes) ou com
com bemol, e não há notas com o mesmo nome (não há Dó e Dó# por exemplo).
I
II III IV V VI VII
A escala pentatônica é o guru dos improvisadores. E não é difícil de descobrir o motivo pelo qual todo mundo usa e abusa de
Há umas décadas atrás, alguns músicos faturaram milhões apenas tocando essa escala. Hoje não é mais tão fácil de se ficar ri
já aprende a utilizar essa escala (e geralmente passa o resto da vida fazendo só isso).

O que é a escala pentatônica?


O conceito é muito simples: a escala pentatônica maior é um apanhado de notas da escala maior. Sabemos que a escala maio

Ok, essa escala não tem nada a ver com futebol, nem com títulos; mas convenhamos, ela é motivo de festa: a escala pentatô
agradável, mesmo que seja só a própria execução da escala pra cima e pra baixo.

Isso facilita a vida de todo mundo! Basta decorar a escala pentatônica e, quando você for improvisar uma música na tonalida

A escala pentatônica tocada de trás para frente é legal, de frente pra trás também é legal, do meio pro fim, do fim pro início,

Som da escala pentatônica


Muito bem, se você nunca ouviu a escala pentatônica na vida, vá até um teclado ou piano e toque as teclas pretas uma após
Existem muitos desenhos para escalas pentatônicas; esse exemplo das teclas pretas foi apenas um que facilita a observação p
desespere, já iremos explicar detalhadamente como se forma essa escala.

Escala pentatônica maior


A escala pentatônica pode ser maior ou menor. A pentatônica maior contém 5 notas da escala maior, e a pentatônica menor
de Dó maior pode ser:

*Notas tocadas: C, D, E, A, G

Escala pentatônica menor


Veja agora um desenho para a escala de Lá menor pentatônica:
*Notas tocadas: A, C, D, E, G
Compare essas escalas (Dó pentatônica e Lá menor pentatônica) com as escalas de Dó maior e Lá menor, respectivamente. N

Em outras palavras, ela retirou os graus 4 e 7! Já a pentatônica menor pegou os graus 1, 3, 4, 5 e 7 da escala menor. Em outra
Obs: O normal seria começar e terminar com a mesma nota no desenho de uma escala, mas preferimos terminar a escala co
entenda primeiro a lógica da escala.
Optamos por mostrar a pentatônica maior de Dó e a pentatônica menor de Lá porque essas duas escalas contém as mesmas
isso ainda não está no seu sangue, volte e estude a relativa menor, aplique, depois siga sua jornada, pois acumular conhecim
total! Valeria mais a pena gastar seu tempo assistindo a novela das 20:00 ou jogando Angry Birds…

Segue abaixo um exemplo das escalas pentatônicas maior e menor no teclado:

Pentatônica maior:

Tônica – 2º maior – 3º maior – 5ª justa – 6º maior

Como usar a escala pentatônica


Já comentamos que as escalas pentatônicas (maior e menor) podem ser usadas no mesmo lugar onde se usam as escalas ma
além de poder ser utilizada nesses contextos, ainda pode ser utilizada em outros contextos que as escalas maior e menor nat
Um exemplo é o blues. Em breve você verá no artigo “blues” que a escala pentatônica é a rainha mestre desse estilo. Mostra
maiores e menores aqui nesse artigo e, no artigo “blues”, mostraremos a utilização da escala pentatônica no blues.
Recomendamos fortemente que você já aproveite para praticar também a escala pentatônica dentro do blues, pois é muito d
tornará um improvisador nato.

Mas como você deve praticar a escala pentatônica para ter progresso e gostar do que está fazendo?

Siga esses passos para dominar a pentatônica:


Passo 1: Decore bem a escala pentatônica menor e aplique-a no contexto tonal. Ou seja, você pode brincar com essa escala d

Passo 2: Aplique a pentatônica menor no contexto blues, depois de ler o artigo “blues“. Faça isso bastante tempo.

Passo 3: Agora que você já está bem familiarizado com a pentatônica menor, decore a pentatônica maior e aplique também n

Passo 4: Se você toca um instrumento de cordas, toque a escala pentatônica começando de todos os graus. Faça o seguinte t

Iremos tocar a escala pentatônica na tonalidade de Dó maior, só que começando de outros graus (outras regiões do braço do
demais notas da pentatônica de Dó (isso vai gerar um desenho particular). Depois, vamos fazer essa mesma escala pentatôni
iremos tocar as mesmas notas que tocamos antes, apenas estaremos começando no Lá em vez de começar no Sol (pois nos i
faremos o mesmo para os demais graus.
Confira abaixo os desenhos e decore bem cada um:
Essa é a mesma ideia que tivemos para montar os modos gregos.

No caso dos modos gregos, há 7 notas na escala, portanto começar com cada grau resulta em 7 escalas. Aqui na pentatônica
Agora a missão é praticar da mesma forma que você já fez nos passos anteriores. Aplique esses desenhos nos contextos tona

Sua desenvoltura no improviso está se formando. Se você dominar só os conceitos que abordamos até aqui você já será capa

Mostraremos abaixo exemplos de aplicação da escala pentatônica completa (desenhos partindo de todos os graus), dentro d
tudo é pra te dar um empurrãozinho nas ideias! (os arquivos precisam ser abertos por meio do software Guitar Pro).

Já a aplicação da pentatônica no contexto blues será demonstrada no artigo “blues“.

O solo do arquivo no Guitar Pro abaixo está na tonalidade de Lá menor. A harmonia contém os acordes:

| Am | F | C | G |

Baixe o arquivo aqui: escalapentatonicatonal.gpro (obs: para abrir o arquivo é preciso ter o programa Guitar Pro instalado)

Se você gostou desse artigo, saiba que pode acompanhar nossas videoaulas exclusivas no canal Descomplicando a Música do

Ir para: Blues

Voltar para: Menu Módulo 5


todo mundo usa e abusa dessa escala: ela é fácil de fazer e fácil de aplicar.
é mais tão fácil de se ficar rico tocando escala pentatônica, afinal qualquer músico iniciante

Sabemos que a escala maior possui 7 notas. A escala pentatônica escolheu 5 dessas notas e criou uma outra escala. Quando a escala maio

o de festa: a escala pentatônica possui notas que quando tocadas geram uma melodia

sar uma música na tonalidade maior, em vez de “elaborar” uma frase com a escala maior você toca a escala pentatônica que já é sucesso g

o pro fim, do fim pro início, do início pro meio, legal, legal, legal.

e as teclas pretas uma após a outra. Esse é o som de uma escala pentatônica.
m que facilita a observação por ser bem prático. Se você não tem um teclado, não se

ior, e a pentatônica menor contém 5 notas da escala menor. Um desenho para a pentatônica
menor, respectivamente. Note que a pentatônica maior pegou 5 notas da escala maior, como já comentamos, e foram os graus 1, 2, 3, 5 e

7 da escala menor. Em outras palavras, ela retirou os graus 2 e 6!


erimos terminar a escala com outra nota aqui nesses desenhos para que você

escalas contém as mesmas notas. Lá menor é a relativa de Dó, você lembra?! Se


da, pois acumular conhecimento pra não utilizar e esquecer é perda de tempo

onde se usam as escalas maior natural e menor natural, respectivamente. Mas essa escala,
s escalas maior e menor natural não podem (temos mais um motivo pra você gostar dela!).
mestre desse estilo. Mostraremos exemplos de aplicação da escala pentatônica em contextos
tatônica no blues.
tro do blues, pois é muito divertido! Gaste horas e horas, dias e dias fazendo isso, e você se

de brincar com essa escala dentro de um campo harmônico menor ou em um campo harmônico maior (tocando a pentatônica da relativa m

bastante tempo.

a maior e aplique também no contexto tonal, como você fez no passo 1.

s os graus. Faça o seguinte treino, que irá expandir seu domínio sobre o braço do instrumento:

(outras regiões do braço do instrumento). Iremos partir primeiro da nota Sol, tocando as
sa mesma escala pentatônica, só que começando da nota Lá. Não tem nada de mágico nisso,
e começar no Sol (pois nos instrumentos de corda os desenhos são diferentes). Depois
scalas. Aqui na pentatônica tivemos 5 escalas.
esenhos nos contextos tonais e no contexto blues.

os até aqui você já será capaz de improvisar em cima da grande maioria das músicas que existem. Então não desperdice esse aprendizado!

de todos os graus), dentro do contexto tonal (campo harmônico maior e menor relativo). Isso
ftware Guitar Pro).

ama Guitar Pro instalado)

escomplicando a Música do Youtube. Inscreva-se aqui.


Escala Pentatonica
Tom: C

E|-------------------------8-10------------------|
B|--------------------8-10-----------------------|
G|----------------7-9----------------------------|
D|-----------7-10--------------------------------|
A|------7-10-------------------------------------|
E|-8-10------------------------------------------|

E|-----------------------------10-12------------------
B|------------------------10-13-----------------------
G|-------------------9-12-----------------------------
D|-------------10-12----------------------------------
A|-------10-12----------------------------------------
E|-10-12----------------------------------------------

E|------------------------------12-15--------------|
B|------------------------13-15--------------------|
G|------------------12-14--------------------------|
D|-----------12-14---------------------------------|
A|------12-15--------------------------------------|
E|-12-15-------------------------------------------|

E|--------------------------------15-17------|
B|--------------------------15-17------------|
G|--------------------14-17------------------|
D|--------------14-17------------------------|
A|-------15-17-------------------------------|
E|-15-17-------------------------------------|

E|-------------------------------17-20-----|
B|-------------------------17-20-----------|
G|-------------------17-19-----------------|
D|-------------17-19-----------------------|
A|-------17-19-----------------------------|
E|-17-20-----------------------------------|
Tom: D Tom: E

E|----------------------------10-12---------------E|---------------------3-5------------------|
B|----------------------10-12---------------------B|-----------------3-5----------------------|
G|-----------------9-11---------------------------G|-------------2-4--------------------------|
D|------------9-12--------------------------------D|---------2-5------------------------------|
A|-------9-12-------------------------------------A|-----2-5----------------------------------|
E|-10-12------------------------------------------E|-3-5--------------------------------------|

E|------------------------------12-14-------------E|--------------------5-7-------------------|
B|-------------------------12-15------------------B|-----------------5-8----------------------|
G|-------------------11-14------------------------G|-------------4-7--------------------------|
D|-------------12-14------------------------------D|---------5-7------------------------------|
A|-------12-14------------------------------------A|-----5-7----------------------------------|
E|-12-14------------------------------------------E|-5-7--------------------------------------|

E|------------------------------14-17-------------E|-----------------------7-10--------------|
B|------------------------15-17-------------------B|------------------8-10-------------------|
G|------------------14-16-------------------------G|--------------7-9------------------------|
D|-----------14-16--------------------------------D|---------7-9-----------------------------|
A|------14-17-------------------------------------A|-----7-10--------------------------------|
E|-14-17------------------------------------------E|-7-10------------------------------------|

E|--------------------------------17-19------| E|------------------------------10-12------|
B|--------------------------17-19------------| B|------------------------10-12------------|
G|--------------------16-19------------------| G|-------------------9-12------------------|
D|--------------16-19------------------------| D|--------------9-12-----------------------|
A|-------17-19-------------------------------| A|-------10-12-----------------------------|
E|-17-19-------------------------------------| E|-10-12-----------------------------------|

E|-------------------------------19-22-----| E|-------------------------------12-15-----|
B|-------------------------19-22-----------| B|-------------------------12-15-----------|
G|-------------------19-21-----------------| G|-------------------12-14-----------------|
D|-------------19-21-----------------------| D|-------------12-14-----------------------|
A|-------19-21-----------------------------| A|-------12-14-----------------------------|
E|-19-22-----------------------------------| E|-12-15-----------------------------------|
Tom: F

----------| E|---------------------1-3------------------|
----------| B|-----------------1-3----------------------|
----------| G|-------------0-2--------------------------|
----------| D|---------0-3------------------------------|
----------| A|-----0-3----------------------------------|
----------| E|-1-3--------------------------------------|

----------| E|--------------------3-5-------------------|
----------| B|-----------------3-6----------------------|
----------| G|-------------2-5--------------------------|
----------| D|---------3-5------------------------------|
----------| A|-----3-5----------------------------------|
----------| E|-3-5--------------------------------------|

---------| E|--------------------5-8--------------|
---------| B|----------------6-8------------------|
---------| G|------------5-7----------------------|
---------| D|-------5-7---------------------------|
---------| A|----5-8------------------------------|
---------| E|-5-8---------------------------------|

-12------| E|---------------------------8-10------|
---------| B|----------------------8-10-----------|
---------| G|-----------------7-10----------------|
---------| D|------------7-10---------------------|
---------| A|------8-10---------------------------|
---------| E|-8-10--------------------------------|

2-15-----| E|-------------------------------10-13-----|
---------| B|-------------------------10-13-----------|
---------| G|-------------------10-12-----------------|
---------| D|-------------10-12-----------------------|
---------| A|-------10-12-----------------------------|
---------| E|-10-13-----------------------------------|
G
e---------------------------------------3--5--------------
B----------------------------------3-5--------------------
G--------------------------2-5----------------------------
D-------------------2-5----------------------------------
A-----------3--5------------------------------------------
E---3--5--------------------------------------------------

Am
e-----------------------------5--8-----------------------
B------------------------5--8----------------------------
G-------------------5--7---------------------------------
D--------------5--7--------------------------------------
A---------5--7------------------------------------------
E----5--8------------------------------------------------

DÓ MAIOR

D re maior
la maior

E mi maior e C#m
Escalas Pentatônicas

Escala pentatônica é uma escala de cinco notas, onde você pode combina-las em uma certa 
dificuldade, mas com o tempo você vai achar mais fácil. Estas escalas são boas para treinar,
serem complexos no começo são chamados por alguns "ginastica de dedos". (Mais para fren
Aqui vai uma escala que normalmente é tocada em um CONTRA BAIXO, mas pode ser toc
som estilo Blues, rock antigo.....)
e-----------------------------------------------------------------
B----------------------------------------------------------------
G-----------------------------------------2---3--2--------------
D------------2--3--2--------------2--5-------------5---2------
A-----2--5------------5---2---3--------------------------------
E---3------------------------------------------------------------ 

Toque e repita até você achar que já deu.
Agora sim vamos as pentatõnicas, para violão e guitarra:
Explicações: Tente sempre tocar e repetir ate decorar esta escala.

Escala de Fá:
E----------------------------------------------------------------3---5---7--
B-----------------------------------------------------3--4--6--------------
G---------------------------------------2---3---5-------------------------
D---------------------------2---3---5-------------------------------------
A---------------2---3---5-------------------------------------------------
E---1---3---5--------------------------------------------------------------

E--7---5---3--------------------------------------------------------------
B----------------6--4--3--------------------------------------------------
G--------------------------5---3---2--------------------------------------
D--------------------------------------5---3---2--------------------------
A---------------------------------------------------5---3---2-------------
E ---------------------------------------------------------------5---3---1-
em uma certa ordem, ao praticar estas escalas você vai sentir uma certa 
as para treinar, aquecer e dar agilidade aos dedos da mão esquerda e por 
(Mais para frente vamos ver melhor para que servem as escalas!!). 
as pode ser tocada no violão ou na guitarra.       (É uma escala com um 
1 Violao Profª Francis CUIDADOS COM O VIOLÃO! É importante que o aluno guarde adequadamente seu violão, pois o

2 também é responsável pela qualidade de som - com óleos naturais obtidos de frutos oleosos, como de amêndoa ou n

3 DEFINIÇÕES BÁSICAS 1. ESCALA - é uma série de sons ascendentes ou descendentes na qual o último som será a repe

4 OS NOMES DAS NOTAS Os nomes das sete notas musicais que usamos são: DÓ - RÉ - MI - FA - SOL - LA SI Para escreve
nte seu violão, pois o desempenho deste dependerá dos cuidados que tivermos com o instrumento. Vejamos as dicas: Mantenha sempre s

omo de amêndoa ou noz; E para finalizar, não se esqueça de manter o seu violão afinado, as cordas afinadas ajudam a manter uma tensão

ltimo som será a repetição do primeiro. 2. INTERVALO - é a distância entre dois sons. 3. SEMITOM (ou 1/2 tom)- é o menor intervalo entre

OL - LA SI Para escrevermos a música usamos a pauta ou pentagrama composta de 5 linhas e 4 espaços contados sempre de baixo para cim
: Mantenha sempre seu instrumento limpo e em lugar seguro, com estojo ou capa resistente, pois, no caso de acidentes comuns (pequena

a manter uma tensão apropriada, reduzindo a chance de o violão empenar. COMO TROCAR AS CORDAS DO VIOLÃO Parece fácil, não é? Tro

menor intervalo entre dois sons 4. TOM - é o intervalo formado por dois semitons. 5. SUSTENIDO (#) - eleva o som em um semitom. 6. BEM

pre de baixo para cima. As notas DÓ - RÉ - MI - FA - SOL - LA - SI, forma a escala de tom maior. As notas da escala também podem ser cham
tes comuns (pequenas quedas ou batidas) o instrumento correrá risco de rachaduras, e estas reduzem irreparavelmente, na maioria dos ca

arece fácil, não é? Trocar as cordas do violão, aparentemente não é uma coisa tão complicada. Basta arrancar o encordoamento velho, dar

um semitom. 6. BEMOL (b) - abaixa o som em um semitom. 7. MÚSICA - é uma arte cuja matéria fundamental é o som, que através dele fo

bém podem ser chamadas de graus. DÓ RÉ MI FA SOL LA SI I II III IV V VI VII Alguns países como a Alemanha, a Grã-Bretanha e os Estados U
nte, na maioria dos casos, a intensidade dos sons do violão. Não deixá-lo em lugar úmido ou em locais excessivamente quentes (ou exposto

rdoamento velho, dar um sopro na poeira que está por ali, enfiar as cordas novas e virar aqueles pininhos até as cordas ficarem esticadas, c

m, que através dele formamos a melodia, harmonia e o ritmo. 8. SOM - é o choque entre dois objetos sonoros, possui quatro qualidades b

etanha e os Estados Unidos, ainda hoje empregam estas notas. A B C D E F G LA SI DÓ RÉ MI FA SOL No Brasil, usamos as letras do alfabeto
e quentes (ou exposto ao sol). No caso de umidade, o violão ficará com o som abafado. Já em locais quentes, ou exposto várias horas aos r

as ficarem esticadas, certo? Errado. Retirando o encordoamento velho 1. Afrouxe as cordas girando suas tarraxas no sentido anti-horário, co

ui quatro qualidades básicas: altura, intensidade, timbre e duração. 9. ALTURA - é a propriedade que podemos distinguir os sons graves, mé

s as letras do alfabeto também para denominar as cifras, ou seja, os acordes.


osto várias horas aos raios solares, muito provavelmente este rachará. Sempre leve junto com o seu violão um pedaço de pano (pode ser um

entido anti-horário, começando pelas duas do meio (4D, 3G), depois 5A e 2B e, por fim, 6E e 1E. Esta sequência é importante, devido à ten

uir os sons graves, médios e agudos. 10. INTENSIDADE - é a força empregada na execução dos sons. As músicas poderão ser tocadas forte,
o de pano (pode ser um pedaço de camiseta velha de algodão), pois é sempre bom limpar as cordas do violão no intervalo de um treino e o

portante, devido à tensão das cordas sobre o braço. Como o tensor está bem no meio, começando por aí, alivia-se a tensão por igual, evitan

rão ser tocadas forte, fraco etc. 11. TIMBRE - é a qualidade pela qual podemos distinguir o corpo sonoro (instrumentos). 12. DURAÇÃO - é o
rvalo de um treino e outro resumindo, crie o hábito de sempre limpar as cordas do seu violão após utilizá-lo. Pois mesmo que você não per

ensão por igual, evitando assim um possível empenamento do braço. Se alguém lhe disser: ah, mas eu nunca fiz isto e o meu violão está in

os). 12. DURAÇÃO - é o tempo de prolongamento das notas. 13. TOM ou TONALIDADE refere-se a uma escala de valores que selecionam os
smo que você não perceba a marca de suor nas cordas do violão, passar um pano por elas garante uma durabilidade muito maior. Caso voc

e o meu violão está inteirinho!, você tem duas escolhas. Arriscar ou não. Você é que sabe quanto custou seu violão. 2. Após afrouxar as cor

es que selecionam os acordes que tenham relação entre si para formar a seqüência deles nas músicas. Por exemplo, cada acorde tem uma
muito maior. Caso você tenha algum problema com transpiração excessiva, é recomendado que execute esse processo de limpeza das cord

. Após afrouxar as cordas, você pode cortá-las com um alicate de corte (em hipótese alguma corte as cordas antes de afrouxá-las!!!), para f

cada acorde tem uma escala onde se encontram as notas que tem relação com ela, essas notas são como seus parentes (notas primas) e a
o de limpeza das cordas do violão várias vezes durante o estudo. Tenha sempre em mente que alguns minutos de suor excessivo sobre o in

afrouxá-las!!!), para facilitar a retirada. Não guarde cordas velhas, para ficarem de reserva no caso de quebra. Cordas velhas já perderam a

tes (notas primas) e a partir dessa escala, forma-se os acordes relativos à sua tonalidade. MÃOS Dedos da mão esquerda 1 - Indicador 2 - M
r excessivo sobre o instrumento, podem causar danos não só nas cordas, mas também no verniz. Antes de seu tocar violão, procure higien

s velhas já perderam a sonoridade e estão mais sujeitas à quebra. 3. Limpe todo o instrumento. O corpo com seu polidor preferido e a esca

rda 1 - Indicador 2 - Médio 3 - Anular 4 Mínimo Dedos da mão direita P - Polegar I - Indicador M - Médio A Anular
violão, procure higienizar bem as suas mãos, pois a oleosidade pode prejudicar o som do violão. Recomendamos que a troca de cordas sej

dor preferido e a escala, utilize um pano macio (flanela) ligeiramente úmido, secando tudo depois com um pano seco, principalmente os tr
a troca de cordas seja feita regularmente - no mínimo a cada semestre - ou sempre que as cordas perderem o seu 'brilho' sonoro original.

, principalmente os trastes e tarraxas, que podem oxidar. 4. Confira as tarraxas, para ver se não estão soltas, folgadas. Isto acontece muito e
rilho' sonoro original. No caso de necessidade, quando as tarraxas tornarem-se excessivamente duras, lubrifique-as com óleo fino. Caso nã

Isto acontece muito e prejudica a afinação. 5. Confira também a pestana, ponte e rastilho. Veja se não há desgaste excessivo, algo quebrad
om óleo fino. Caso não dê resultado, sempre substitua os dois mecanismos; Limpe seu instrumento com lustra-móveis comum, tomando c

xcessivo, algo quebrado. Verifique se a ponte está bem colada ao corpo. Acontece muito com violões expostos a excessivo calor, o descolam
s comum, tomando cuidado ao passar na escala do violão - sempre no mesmo sentido dos trastes. A cada ano, cuide do verniz de proteção

ssivo calor, o descolamento. Neste caso é melhor procurar ajuda profissional. 6. Após tudo verificado, hora de colocar o encordoamento no
do verniz de proteção do instrumento - que

r o encordoamento novo. Instale as cordas em sequência (6 a 1). Para violão com encordoamento de nylon Lembre-se: instale cada corda a
e: instale cada corda apertando-a somente o suficiente para mantê-la no lugar. A afinação deve seguir a mesma sequência de retirada do en
ncia de retirada do encordoamento velho. Primeiro 4D e 3G, depois 5A e 2B. Por fim, 6E e 1E. Novamente para evitar tensão desigual no b
tensão desigual no braço. Muitos violões com encordoamento de nylon não têm tensor, pois a tensão exercida pelas cordas não é tão gran
cordas não é tão grande. Porém não custa nada prevenir.
------------- ------------- -------------
------------- ------------- -------------
------------- ------------- -------------
------------- ------------- -------------
1---1---------0-3--0--3-0-3-0-3---- ------------- -------------
--0--0--1-0---------- ------------- -------------
E7 Am
Na hora do adeus, você olhou pra mim
E7 Am
E não acreditou, ao ver chegar o fim
Dm G7 C
Tentou me seduzir, chorando me agarrou
Am Dm E7 Am A7
Teu corpo ofereceu, pediu me suplicou

Dm G7 C
E perguntou por que,mas eu não respondi
Am Dm E7 Am A7
Só pra não te ofender, disse adeus e saí
Dm G7 C
Saí da tua vida eu só representava, cheque no final do mês
Am Dm
Você não respeitou quem te amou demais
E7 Am A7
Só abusou de mim e me passou pra trás
Dm G7 C
Saí da tua vida de cabeça erguida, coisa que você não fez
Am Dm
Eu já chorei demais agora vem a sua vez
E7 Am
Eu acho que vai ser melhor, melhor pros três

Am E7 Am E7 Am A7
Pra finalizar
E7 Am
Na hora do adeus, você olhou pra mim
E7 Am
E não acreditou, ao ver chegar o fim
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- E
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- S
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- G
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- D
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- B
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- e
Não Tem Pra Ninguém Michel Teló
11 10 9 8
Esse sorriso no seu rosto não me engana ------------- ------------- ------------- -------------
A9 ------------- ------------- ------------- -------------
Eu já to decidido te deixar ------------- ------------- ------------- -------------
Não vou olhar pra trás -----------3 ------------- ------------- -------------
F#m A9 ------------- ------------- ------------- -------------
Hoje eu acordei não te querendo ------------- ------------- ------------- -------------
B9
E nem to sofrendo mais 11 10 9 8
------------- ------------- ------------- -------------
Pré Refrão: ------------- ------------- ------------- -------------
A9 ------------- ------------- ------------- -------------
Agora já tem outra na minha cama ------------- ------------- 1 1
------------- ------------- ------------- -------------
Já tem outra no meu pensamento ------------- ------------- ------------- -------------
C#m
Eu não me arrependo de ter te trocado 11 10 9 8
A F#m ------------- ------------- ------------- -------------
Por um novo sentimento ------------- ------------- ------------- -------------
B9 ------------- ------------- ------------- -------------
Eu não me arrependo não ------------- ------------- ------------- -------------
------------- ------------- ------------- -------------
Refrão: ------------- ------------- ------------- -------------
E
Ela tem o que você não tem E
Ela faz o que você não fez
B9
Seu beijo é o melhor que tem
Sem ela eu não fico bem
F#m
O amor que ela faz, não tem pra ninguém
Am
O amor que ela faz, não tem pra ninguém... (2x)
------------- ------------- ------------- -------------
Intro: E B A Am (2x) ------------- ------------- ------------- -------------
2 6 ------------- -------------
A9 2 6 9 10
Agora já tem outra na minha cama 1 5 9 -------------
Já tem outra no meu pensamento ------------- ------------- ------------- -------------
C#m
Eu não me arrependo de ter te trocado
A
Por um novo sentimento
F#m A9
Eu não me arrependo não
7 6 5 4 3 2 1
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- e
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- B
------------- 2 ------------- ------------- ------------- 2 ------------- D
------------- 3 1 ------------- ------------- 3 ------------- G
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- 1 A
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- E

7 6 5 4 3 2 1
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- e
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- B
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- D
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- G
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- A
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- E

7 6 5 4 3 2 1
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- e
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- B
------------- ------------- ------------- ------------- 2------------------------- ------------- D
------------- 1 ------------- ------------- 3------------ 1 ------------- G
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- 1------------------------- A
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- E

------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- e


------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- B
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- D
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- G
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- A
------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- ------------- E
C Fm6/C Am F Fm G Bb9 Dm
C Fm6/C C Fm6/C
Fm6/C Bb9
Eu não quero mais mentir
C Fm6/C C Fm6/C
1
Usar espinhos que só causam dor
C Fm6/C 2 3 3 4
4
Eu não enxergo mais o inferno
C Fm6/C
que me atraiu
C Fm6/C
Dos cegos do Castelo
Am
me dispeço e vou
F
A pé até encontrar
Fm
Um caminho, o lugar
C Fm6/C
Pro que eu sou

C Fm6/C 3x
C Fm6/C C Fm6/C
Eu não quero mais dormir

De olhos abertos

Me esquenta o sol
TEMPO PERDIDO Tom: G

Intro: Em C Am7 Bm Em

C7M
E|-----------------------------------------| 10 1
B|------12-------12-------12-------12--|
G|---12-------12-------12-------12-----| 2 3
D|10-------10-------10-------10-------|
A|-----------------------------------------|
E|-----------------------------------------|

Am7 Bm7
E|-----------------------------------------| 7 1 9 1
B|----8-----8------8------8-------10-----10| 2 2
G|--9-----9------9------9------11------11--| 3 3
D|7-----7------7------7------9-------9-----|
A|-----------------------------------------|
E|-----------------------------------------|

E5
E|----------------------------------------------| 7 1
B|-----10------10-----------------------------|
G|--11------11-----------9-----9------9-----| 9 2 3
D|9-------9------------9---9------9------9---|
A|------------------7--------7-------7---------|
E|----------------0-----------------------------|

D5
E|-----------------------------------------| 5 1
B|-----------------------------------------|
G|--7--------------------------------------| 7 2 3
D|----7------------------------------------|
A|5----------------------------------------|
E|-----------------------------------------|
C Am7
Todos os dias quando acordo Estrofe:
Bm Em C Am7
Não tenho mais o tempo que passou E|-----------------------------------------|
C Am7 B|------1-1-1---0-1--------1-----3-----1---|
Mas tenho muito tempo G|----0------------------0---0-----0-----0-|
Bm Em D|--2---------2--------2-------------2----2|
Temos todo o tempo do mundo A|3------------------0---------------------|
C Am7 E|-----------------------------------------|
Todos os dias antes de dormir
Bm Em Bm7 Em
Lembro e esqueço como foi o dia E|--------------------------------2----3---|
C Am7 B|------0-3-----1-----------0-------0----0-|
Sempre em frente G|----2----2------2-----------0-0----0----0|
Bm Em D|--0--------0------0-----2----------------|
Não temos tempo a perder A|2-------------------2--------------------|
C Am7 E|----------------------0------------------|
Nosso suor sagrado
Bm Variação:
É bem mais belo que esse Am7
Em E|-----------------------------------------|
Sangue amargo B|------1---------3------------------------|
C Am7 G|----0---0-----0---0----------------------|
E tão sério D|--2-------2/4----------------------------|
A|0----------------------------------------|
Bm Em E|-----------------------------------------|
E selva____gem
Bm Em Passagem:
E selva____gem
Bm (passagem) H.N . . . .
E selva____gem E|-----------------------------------------|
B|----12----------7------------------------|
C Am7 Bm G|----12--------7---7----------------------|
Veja o sol dessa manhã tão cinza D|----12------7----------------------------|
Em C A|-----------------------------------------|
A tempestade que chega é da cor E|0----------------------------------------|
Am7
Dos teus olhos H.N
Bm Em E|-----------------------------------------|
Casta_____nhos B|7----------------------------------------|
C Am7 G|7----------------------------------------|
Então me abraça forte D|7----------------------------------------|
Bm A|-----------------------------------------|
E diz mais uma vez E|-----------------------------------------|
Em C Am7
Que já estamos distantes de tudo
Bm Em
Temos nosso próprio tempo
Bm Em
Temos nosso próprio tempo
Bm Em
Temos nosso próprio tempo
C Am7 Bm
Não tenho medo do escuro
Em C Am7
Mas deixe as luzes acesas
Bm Em
Ago_____ra
C Am7
O que foi escondido é o que se escondeu
Bm
E o que foi prometido
Em
Ninguém prometeu
C Am7
Nem foi tempo perdido
Bm Em
Somos tão jo_____vens
Bm Em Bm (passagem)
Tão jo_____vens tão jovens
-------|
---1---|
-----0-|
-2----2|
-------|
-------|

---3---|
0----0-|
-0----0|
-------|
-------|
-------|

-------|
-------|
-------|
-------|
-------|
-------|

-------|
-------|
-------|
-------|
-------|
-------|

-------|
-------|
-------|
-------|
-------|
-------|
Pais e Filhos
(1ª parte)

E|----------------8------5-----7------7-----| 1 1 3 2
B|-1--3--5----------------------------------|
G|-----------0-------0-----0------0---0---| 2 3 3
D|-------------0--------4------0-----------|
E|-------------------------------------------|

(Riff intro)

Estátuas e cofres
E paredes pintadas
Ninguém sabe
O que aconteceu...

Ela se jogou da janela


Do quinto andar
Nada é fácil de entender...

(Dedilhado - 2ª parte)
F9 Em C Bm
E|-3----3---3---3----3---3----0--0--0----2---2---2-----|
B|-1--1---1---1-0--0---0---0--1-1--1--1--3-3---3--3----|
G|-2------------0-------------0----------4-------------|
D|-3------------2-------------2----------4-------------|
A|----------------------------3----------2-------------|
E|-----------------------------------------------------|

(Dedilhado - 3ª parte)
Am7 Am7 D D
E|-3---3---3---3----3---3----5---5---5---5---5--5------|
B|-1-1---1---1-1--1---1---1--3--3--3---3-3-3---3--3----|
G|-0-----------0-------------2-----------2-------------|
D|-2-----------2-------------0-----------0-------------|
A|-0-----------0---------------------------------------|
E|-----------------------------------------------------|

F9 Em C
Dorme agora
Bm Am7
Uuummhum!

É só o vento
D
Lá fora...
C D
Quero colo!
G
Vou fugir de casa
C D
Posso dormir aqui
G
Com vocês
CD
Estou com medo
G
Tive um pesadelo
C D
Só vou voltar
G
Depois das três...

(C D)

F9 Em C
Meu filho vai ter
Bm
Nome de santo
Am7
Uummhum!

Quero o nome
D
Mais bonito

G C
É preciso amar as pessoas
Em C
Como se não houvesse amanhã
G C
Por que se você parar
Em7
Prá pensar
C G
Na verdade não há...

G
Me diz por que que o céu é azul
Explica a grande fúria do mundo

São meus filhos

Que tomam conta de mim...

Eu moro com a minha mãe

Mas meu pai vem me visitar

Eu moro na rua

Não tenho ninguém

Eu moro em qualquer lugar...

Já morei em tanta casa

Que nem me lembro mais


C
Eu moro com os meus pais

Huhuhuhu!...ouh! ouh!...

G C
É preciso amar as pessoas
Em C
Como se não houvesse amanhã
G C
Por que se você parar
Em7
Pra pensar
C G
Na verdade não há...

G C
Sou uma gota d'água
Em C
Sou um grão de areia
G
Você me diz que seus pais
C
Não entendem
Em C
Mas você não entende seus pais...
G
Você culpa seus pais por tudo
G
Isso é absurdo
G G
São crianças como você
G G
O que você vai ser
G
Quando você crescer?

(Solo final 2x)

E|-------8---------10------------7/-10--12-10---------------|
B|--------8----------10--------8-7/-10----------------------|
G|-7-7/9----9-9/11------11\7-7---7/-10----------------------|
D|----------------------------------------------------------|
A|----------------------------------------------------------|
E|----------------------------------------------------------|
Pais e Filhos
Tom: C Intro x4: C D G

C D G
Estátuas e cofres e paredes pintadas C
C D G Eu moro com a minha mãe
Ninguém sabe o que aconteceu D G
C D G Mas meu pai vem me visitar
Ela se jogou da janela do quinto andar C D
C D G CD Eu moro na rua
Nada é fácil de entender G
Não tenho ninguém
F Em C Bm Am C D G
Dorme agora Uhhhum... Eu moro em qualquer lugar...
D
É só o vento lá fora C D
C D Já morei em tanta casa
Quero colo! G
G Que nem me lembro mais
Vou fugir de casa C D F Em
C D Eu moro com os meus pais
Posso dormir aqui C Bm Am D
G Huhuhuhu!...ouh! ouh!...
Com vocês
C D G C
Estou com medo É preciso amar as pessoas
G Em C
Tive um pesadelo Como se não houvesse amanhã
C D G C
Só vou voltar Por que se você parar
G G CD Em
Depois das três... Prá pensar
C
F Em C Na verdade não há...
Meu filho vai ter
Bm G C
Nome de santo Sou uma gota d'água
Am Em C
Uummhum! Sou um grão de areia
G
Quero o nome Você me diz que seus pais
D C
Mais bonito... Não entendem
Em C
G C Mas você não entende seus pais...
É preciso amar as pessoas
Em C G
Como se não houvesse amanhã Você culpa seus pais por tudo
G C G
Por que se você parar Isso é absurdo
Em C G G
Prá pensar na verdade não há... São crianças como você
G G
C DG C D G O que você vai ser
Me diz por que que o céu é azul G
C D G Quando você crescer?
Explica a grande fúria do mundo
C
São meus filhos
D G (C D G)
Que tomam conta de mim...
E|-1-1-1-0-1-0-1--------------0---0---0-----------------------------------------------------
B|---------------1-0----0-1-3---3---3---------------------0-1-3-1-3-1-3---------0-1-0-1-2-3-
G|----------------------------------------2/4 2---------2---------------1/2-1-2-------------
D|------------------------------------------------------------------------------------------
A|------------------------------------------------------------------------------------------
E|------------------------------------------------------------------------------------------

E|-1-0-1-0-1-3/5-3---------0---0---0-1/3-1------------------------------------4-5/7-5-------
B|-------------------0-1-3---3---3------------------------0-1-3-1-3-1-3-5/6-5---------------
G|------------------------------------------------------2-----------------------------------
D|------------------------------------------------------------------------------------------
A|------------------------------------------------------------------------------------------
E|------------------------------------------------------------------------------------------
Am
--------------------0---------------| Doente de amor procurei remédio
--------0-1-0-1-2-3-----------------| G
1/2-1-2-----------------------------| Na vida noturna
------------------------------------| F
------------------------------------| Com a flor da noite
------------------------------------| E
Em uma boate aqui na zona sul

------4-5/7-5--------17-------------| Dm
5/6-5-------------------------------| A dor do amor é com outro amor
---------------------17-------------| Am
------------------------------------| Que a gente cura
-----------------------0------------| E
------------------------------------| Vim curar a dor desse mal de amor
Am A7
Na boate azul
Dm
E quando a noite vai se agonizando
Am
No clarão da aurora
E
Os integrantes da vida noturna
Am A7
Se foram dormir
Dm
E a dama da noite que estava comigo
Am
Também foi embora
F
Fecharam-se as portas
E
Sozinho de novo
A
Tive que sair

[Refrão]

A E
Sair de que jeito
D A
Se nem sei o rumo para onde vou
E
Muito vagamente me lembro que estou
D A
Em uma boate aqui na zona sul
E
Eu bebi demais
D A
E não consigo me lembrar sequer
E
Qual era o nome daquela mulher
D E A A7
A flor da noite na boate azul

[ Dm G C F ]
[ Dm E Am A7 ]

[Repete a Primeira Parte]


Dm
E quando a noite vai se agonizando
Am
No clarão da aurora
E
Os integrantes da vida noturna
Am A7
Se foram dormir
Dm
E a dama da noite que estava comigo
Am
Também foi embora
F
Fecharam-se as portas
E
Sozinho de novo
A
Tive que sair

[Refrão Final]

A E
Sair de que jeito,
D A
Se nem sei o rumo para onde vou
E
Muito vagamente me lembro que estou
D A
Em uma boate aqui na zona sul
E
Eu bebi demais
D A
E não consigo me lembrar sequer
E
Qual era o nome daquela mulher
D E A A7
A flor da noite na boate azul.
A E
Sair de que jeito,
D A
Se nem sei o rumo para onde vou
E
Muito vagamente me lembro que estou
D A
Em uma boate aqui na zona sul
E
Eu bebi demais
D A
E não consigo me lembrar sequer
E
Qual era o nome daquela mulher
D E A
A flor da noite na boate azul
LOVE OF MY LIFE CAPO CASA 2
E|-------------------------0---------------------0----0-0----|
B|---------3---------1-0-1-----------3-3-1-0--------3--------|
G|--0----0---0-------------------------------2-0-------------|
D|---4---------4--2------------2-0---------------------------|
A|-----------------------------------------------------------|
E|-----------------------------------------------------------|

COM O BAIXO FICA ASSIM


e|---------------------------0---------------------------0------0---0------|
B|---------3-----------1-0-1-------------3--3-1-0----------3---------------|
G|--0----0---0-------------------------------------2-0---------------------|
D|----4---------4--2--------------2-0--------------------------------------|
A|---------------------0-----------------5--------------------------3------|
E|--3-----------0--------------3----2-------0-2-3----------1---------------|

e|----------------------------------------------------------------0---------------------
B|-1--0--1-----0--------0----0--1--0---------------1-----------1-----3-----------1--1---
G|-----------------2-----------------------2--2--0----------0-----------2--0--2---------
D|------------------------------3------------------2--0---------------------------------
A|-------0------------------------------------3----------3--3--0--5-----------------3---
E|----------------------0--------------------------------1--------------3---------------

e|------------------------------------------------------------------------0-------------
B|-1--0--1-----0--------0----0--1--0-----------------------------------1--3---3---------
G|-------2---------2----0------------------2--0--2-0----------------0--0--0-------2--0--
D|-------2--------------2-------3--------------------2--3--2--0-----2--2--4-------0-----
A|-------0------------------------------------3------------------3--3--0--5-------------
E|----------------------0----------------------------------------1----------------3-----

G Em Am D Em D/F# G G7 C Am Em F C F C Am D G7 C
----------------|
---------1--1---|
2--0--2---------|
----------------|
------------3---|
3---------------|

--0----------------------|
--3---3-----------1--1---|
--0-------2--0--2----0---|
--4-------0----------2---|
--5----------------------|
----------3----------3---|
MALUCO BELEZA
e|--------------------0--3--0--------------------------1-----------0--|
B|---1--1----1--1--3----------3--1------------------------------------|
G|-0--------------------------------2---2--2--2--2--2-----0-0-0-0-0---|
D|--------------------------------------------------------------------|
A|--------------------------------------------------------------------|
E|--------------------------------------------------------------------|

e|--------------0--3--0------------------------1-----------0----------------------------
B|--1-1-1-1--3-----------3--1--------------------------------3--3--3--1--1--------------
G|-----------------------------2---2--2--2--2-----0-0-0-0-------------------------------
D|-------------------------------------------------------------------------2--2--0--0---
A|---------------------------------------------------------------------|
E|---------------------------------------------------------------------|

e|---------------0-------------0---4-0-0-0------------------------------0---|
B|--3-3-3-1-1-1----3-3---1-1-1--------------3--3-1-1-1-3-1-3----------------|
G|-----------------------------------------------------------0-0-0--0--0----|
D|--------------------------------------------------------------------------|
A|--------------------------------------------------------------------------|
E|--------------------------------------------------------------------------|

e|--4--0--0--0---------------------------------------------------------|
B|-------------3--1--1--1--3--1--3-------------------------------------|
G|----------------------------------0----------------------------------|
D|---------------------------------------------------------------------|
A|---------------------------------------------------------------------|
E|---------------------------------------------------------------------|
----------------|
-1--------------|
----------------|
---2--2--0--0---|