Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO - UFRJ

CENTRO DE LETRAS E ARTES


ESCOLA DE BELAS ARTES
DEPARTAMENTO: BAH
PROFESSOR: Dr. Vinicios Ribeiro
Quinta-Feira: 13 às 15 horas – Escola de Comunicação

CÓDIG Disciplina CRÉDITOS CARGA HORÁRIA


O
BAH Tópicos Especiais em Arte T P 2 30 HORAS
480 Brasileira: Cinema, Sexualidades
e Marcadores Sociais da
Diferença
EMENTA
“Fiquei um tempão passando uma das mãos na outra e me olhando no espelho. E gostei de me olhar.
Não por vaidade embora eu sempre tenha sido isso. É que já me olhava 28 anos e na maioria das
oportunidades tinha me visto miserável e com fome e sem futuro (Madame Satã) ”. Como falar em pós-
colonial se a expropriação física e afetiva da população negra ainda é um projeto vigente no Brasil? De
que maneira sonhar, quando machos brancos embolorados assaltam o poder e tentam nos colocar cada
um em “seu lugar”. E qual o lugar dos nossos corpos, mentes e corações na necropolítica instaurada? De
que modo podemos habitar e resistir no presente, para sonhar outros mundos? A proposta do curso é
buscar nos caminhos da teoria social, das artes visuais e do cinema um diálogo interseccional sobre
corpo, gênero, sexualidades e relações raciais para além de um escopo acadêmico colonizador.
OBJETIVO:
Possibilitar a análise de questões urgentes para o cinema e o audiovisual, em suas intersecções com os
marcadores sociais da diferença.

CONTÉÙDO PROGRAMÁTICO
O curso não será dividido em unidades, de maneira que as questões propostas permearão os debates de
cada aula, em uma perspectiva transversal.
METODOLOGIA E AVALIAÇÃO
Aula afetivas, colaborativas e participativas. Proposição e orientação para um Ensaio Audiovisual.
Ensaio Audiovisual:
Um trabalho de investigação levando em consideração as discussões em sala e as afecções da sala de
aula e fora dela. A turma será dividida em grupos, devendo a divisão ser equilibrada. A duração mínima
é de 1 minuto e no máximo 10 minutos. A proposta é que o trabalho seja processual, desde o início do
semestre. Para tanto, estarei disponível para orientações e vou acompanhar as etapas de produção.
Trabalhos com cara de que foram feitos na semana da apresentação, sem um evidente processo de
pesquisa e sem assimilação dos conceitos serão desconsiderados. O objetivo não é avaliar as habilidades
técnicas de produção, edição e finalização e sim a capacidade de diálogo com a bibliografia, o processo
de pesquisa e assimilação de conceitos. Além, claro, da criatividade. (5,0)

Exemplos: https://vimeopro.com/filmstudiesff/audiovisual-film-studies-for-free/page/7

Texto sobre o processo de criação do ensaio audiovisual (Máx 5 páginas, 3,0)

Exercício escrito em aula (2,0)


PLANO DE CURSO
Aula 1 – 22/03: Apresentação de curso.

Aula 2 – 29/03: BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Disponível em:


http://www.scielo.br/pdf/cpa/n26/30396.pdf

Aula 3 - 05/04: BIANCHI, Naiade. Em busca de um cinema lésbico nacional. Disponível em:
https://www.portalseer.ufba.br/index.php/revistaperiodicus/article/view/21669/14309

Aula 4 – 12/04: CAMPUZANO, Giuseppe. Recuperação das histórias travestis. Disponível em:
http://www.ids.ac.uk/files/dmfile/questoesdesexualidade.pdf#page=81

Aula 5 – 19/04: DE OLIVEIRA, Jusciele. “Epa, Meu Futuro Fica A Cada Dia Mais Incerto”:
Perspectivas De Futuro Através Da Trilha Sonora E Do Discurso Da Criança Nas Representações Pós-
Coloniais Do Filme Os Olhos Azuis De Yonta (1992), De Flora Gomes. Disponível em:
https://revistas.ufrj.br/index.php/mulemba/article/view/14614/9792.

PRECIADO, Paul. Quem defende a criança queer? Disponível em: http://revistageni.org/10/quem-


defende-a-crianca-queer/

Aula 6 – 26/04: SOUZA, Edileuza Penha de. Cinema na panela de barro: mulheres negras, narrativas de
amor, afeto e identidade. Disponível em: http://www.repositorio.unb.br/handle/10482/17262

Aula 7 – 03/05: MAIA, Carla. Sob o risco do gênero: clausuras, rasuras e afetos de um cinema com
mulheres. Tese de Doutorado, PPGCOM/UFMG, 2015. Disponível em:
http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUBD-AB6EQP

Aula 8 – 10/05: Una entrevista con Cherríe Moraga, de Montserrat Borrego Ruano. Disponível em:
https://dialnet.unirioja.es/ejemplar/8122

Aula 9 – 17/05: Entrega da sinopse do ensaio audiovisual e discussão sobre os temas.

Aula 10 –24/05: DE PERRA, Hija. Interpretações imundas de como a Teoria Queer coloniza nosso
contexto sudaca1 , pobre de aspirações e terceiro-mundista, perturbando com novas construções de
gênero aos humanos encantados com a heteronorma. Disponível em:
https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaperiodicus/article/view/12896/9216

Aula 11 –07/06: KUMAR, Preeti. Masculinidade hegemônica em dois filmes de comédia malaialos:
Meesa Madhavan e Rajamanikyam. Disponível em:
http://www.artcultura.inhis.ufu.br/PDF30/7_masculinidade_hegemonica.pdf

Aula 12 - 14/06: BUTLER, Judith. Corpos que importam. Disponível em:


https://drive.google.com/drive/folders/0B5DQ4DwbQedTM1NpLWhDdGRzbEU.

Aula 13 - 21/06: Entrevista Esas papitas me están mirando! Silvia Rivera Cusicanqui y la textura ch’ixi
de los mundos. Disponível em: http://www.rau.ufscar.br/wp-content/uploads/2017/12/14_Entrevista.pdf

Aula 14 - 28/06: Entrega de notas.


Visita técnica à exposição “Queermuseu”, caso aconteça no Parque Lage.