Você está na página 1de 19

O que ouvir?

Um a da s maiores necessidades do músico é ser um bom ouvinte. Eis porque um dos principais papéis da Musicalização é a formação de público. Atualmente, convivemos com uma verdadeira explosão de conteúdo musical que nos chega através das mais diversas maneiras como Youtube, Facebook, Instagram, plataformas digitais de streaming, até lives de artistas consagrados, sem contar com discografias completas dos ídolos que podem ser baixadas em poucos minutos tudo isso nos leva a uma questão bastante pulsante: Por onde começar? O que ouvir?

Bem, vou relatar minha história. Quando comecei a estudar violão clássico, com 11 anos, meu professor, o mestre Sérgio Belluco, além de grande pedagogo era um educador por excelência. Era por seu intermédio que eu tinha acesso às gravações. Primeiramente de violão clássico e depois de choro. Ao perceber meu interesse no bandolim – e ele precisava de um solista para seu conjunto – começou a me incentivar a decorar os choros. Semanalmente ele me dava uma fita K7 com uns 10 choros em média. Não tínhamos vitrola em casa, somente meu rádio toca- fitas. Nessa equação havia dois fatores que foram vitais para minha formação:

1) Eu amei profundamente aquele mundo de melodias novas e quis mergulhar de cabeça 2) Minha única fonte de música novas era meu mestre, pois em casa não tínhamos acesso a choro. Embora eu ansiasse por mais choros, não havia que me “fornecesse” Aquilo me fez ouvir a exaustão todos os choros de cada fita até memoriza - los. Com o tempo cheguei a tocar 400 choros de cor.

Talvez o fato mais importante é que eu fazia aquilo como uma brincadeira. Muitas vezes realmente brincava de ser chorão. Dizia que estava tocando com os mestres como um deles, embora não tivesse a mínima ideia do que fazia. Mas de algum a forma ia propondo para o inconsciente que aquilo fazia parte de mim. Acabou funcionando! Frente a essa “equação” eu aconselho que você ouça muito, brinque também.

Na medida do possível e vá catalogando as músicas que gosta para também as ir memorizando.

Abaixo segue uma lista variada contendo um resumão de obras músicas ou discos que acho mais relevantes para a formação de um violonista brasileiro. Alguns casos cito a o álbum completo, outras vezes somente a obra.

Para maiores informações, recomendamos os sites www.discosdobrasil.com.br (Discos do Brasil) www.dicionariompb.com.br (Dicionário Cravo Albin)

 

Violão Brasileiro – Primeiros Solistas e Composito res

 

Américo Jacomino (Canhoto)

Obra / Álbum

gênero

Intérprete / Compositor

Obs.

Canhoto – Américo Jacomino – Violão Imortal

gravações originais do autor selo Revivendo

Américo Jacomino

Violonista exímio que curiosamente tocava como canhoto – sem inverter as cordas, Américo Jacomino foi considerado o Rei do Violão Brasileiro, seus concertos eram lotados e aguardados. Foi amigo de Agustín Barrios. Sua obra foi regravada por diversos violonistas como: Dilermando, Baden, Raphael, Antonio Rago, Waldir Azevedo, Copinha, Duo Assad, Paulo Bellinati, Gilson Antunes

Abismo de Rosas

valsa

O

autor, Dilermando. Baden

Marcha dos Marinheiros

marcha

O

autor, Dilermando. Baden

Marcha triunfal brasileira

marcha

Dilermando, Gilson Antunes

Obras para violão de Américo Jacomino - Canhoto

Álbum 2002

por Gilson Antunes

     
 

João Teixeira Guimarães (João Pernambuco)

 

Sons de Carrilhões

choro

Dilermando, Baden, Raphael

Um dos pilares do violão brasileiro, João Pernambuco foi grande compositor e violonist a exímio. Sua obra já foi gravada por inúmeros músicos ao redor do mundo, tais como: Baden, Dilermando, Raphael, Jacob, Garoto, Pixinguinha, Turíbio Santos, Leandro Carvalho, Nó em pingo d’água, Caio Cezar, Yamandú

Interrogando

maxixe

Dilermando, Baden , Raphael

Dengoso

choro

Dilermando, Raphael

Graúna

choro

Dilermando, Raphael, Yamandú

Sonho de magia

valsa

Dilermando, Raphael e Dino

     

No álbum “Revivendo o Choro”, da série Revivendo, podemos ouvir João Pernambuco tocando o choro Magoada.

 

Dilermando Reis

Se ela perguntar

valsa

 

Dilermando, além de compositor inspirado, foi um grande intérprete. Suas gravações das músicas de Américo Jacomino, João Pernambuco,

Noite de Lua

valsa

 

Gotas de Lágrimas

valsa

 

Magoado

choro

 

Nazareth, são memoráveis. Também executou e transcreveu peças de comp ositores clássicos como Chopin, Beethoven além de compositores espanhóis como Francisco Tárrega. Seu estilo era firmado nas cordas de aço regado de vibratos, pizzicatos perfeitos e muito lirismo. Um álbum obrigatório é Abismo de Rosas.

Xodó da Baiana

choro

 

Conversa de Baiana

choro

 

Dr. Sabe tudo

choro

 

Uma valsa e dois amores

valsa

 

Saudades de Ouro Preto

valsa

 

O despertar da montanha

tango

 

Tempo de criança

choro

   

Brejeiro (E. Nazareth)

tango brasileiro

 
 

Aníbal Augusto Sardinha (Garoto)

Garoto, o gênio das cordas

Álbum

Além de fenomenal compositor, muito à frente de seu tempo, Garoto tocou magistralmente os instrumentos de cordas dedilháveis como violão, violão tenor, bandolim, cavaquinho, banjo, guitarra havaiana. Suas composições influenciaram todas as gerações posteriores de violonistas, além de contribuir diretamente para o surgimento da Bossa - Nova. Ele excursionou com Carmen Miranda pelos Estados Unidos, sendo aclamado pela crítica como Sua obra foi gravada e regravada por diversos violonistas como Baden, Powell, Paulo Bellinati, Marco Pereira, Raphael Rabello, Toquinho, Paulinho Nogueira, Zé Menezes, Luiz Bonfá, até os mais recentes como Yamandú Costa. Garoto também fez parte do célebre Trio Surdina, junto com Chiquinho do Acordeom e Fafá Lemos, no violino. Os álbuns gravados foram:

(2003)

Jorge do fusa

choro

Desvai rada

valsa

Tristezas de um violão

choro

Lamentos do morro

samba

Duas contas

 

Quanto dói uma saudade

choro

Gente humilde

choro

Nosso choro

choro

Vivo sonhando

 

Choro triste

choro

Gênios do violão (1957)

Álbum

Trio Surdina interpreta Noel Rosa e Dorival Caymmi Ary Barroso - Trio Surdina e Léo Peracchi

Viva Garoto (1993)

 

Garoto (1979)

   
 

Violão Brasileiro - Acompanhantes

 

Tute e China (irmão de Pixinguinha) – Pioneiros do violão de 7 cordas)

Memórias Musicais (vários volumes)

vários

Gravações históricas da Casa Edison do início do século XX. Relançada pelo selo Biscoito Fin o.

Luiz Americano – 50 anos de saudade vol. 1, 2, e 3

choros (Tute)

vários choros acompanhados por Tute (Arthur de Souza Nascimento)

Oito Batutas

choro e samba (China)

Vários sambas e choros acompanhados por Otávio da Rocha Vianna (China)

 

Horondino José da Silva (Dino 7 cordas)

Dilermando Pinheiro e Ciro Monteiro

samba

Telecoteco Opus 1 (com Reg. Canhoto)

Dino 7 cordas participou do célebre Regional do Canhoto (antigo Regional de Benedito Lacerda), conjunto que acompanhou todos os artistas da Era de Ouro do Rádio. Fez parceria com Jayme Florence, o Meira (que foi professor de Baden, Raphael ) Há uma infinidade de álbuns que ele participa, entre os quais citamos alguns poucos. Além do Regional do Canhoto, ele participou do Conjunto Época de Ouro.

Cartola

samba

dois álbuns com Reg. Canhoto

Espelho

samba

João Nogueira

Choros imortais 1 e 2

choro

Altamiro Carrilho (Reg. Canhoto)

     
     
     

Dino acompanhou praticamente todos os artistas brasileiros de seu tempo. Poderíamos citar: todos os cantores da Era de ouro do Rádio

(Chico Alves, Silvio Caldas, Orlando Silva todos os principais chorões da época além de artistas como Luiz Gonzaga, Clara Nunes, Beth

),

Carvalho, Alcione, Adoniran, Jair Rodrigues, Altemar Dutra, Nelson Gonçalves, Ney Matogrosso, Roberto Carlos, João Bosco, Chico Buarque, Caetano, Gil, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Elis, Gonzaguinha, Tom Jobim, Leila Pinheiro, Marisa Monte

Jacob Pick Bittencourt (Jacob do Bandolim) Regional do Canhoto e Conjunto É poca de ouro

 

choro

Jacob foi um dos mais importantes músicos brasileiros de todos os tempos. Seja por suas magistrais interpretações, composições, pesquisas e extremo zelo com a música, suas gravações são obrigatórias a todo chorão. Sua personalidade forte exerceu influência até mesmo no acompanhamento, fazendo

Noites cariocas

Choro

Santa morena

Valsa

Doce de coco

Choro

O

vôo da mosca

Valsa

surgir um estilo próprio de regional. Ele gravou majoritariamente com Regional do Canhoto e Conjunto Época de Ouro , além de orquestras e outros conjuntos esporadicamente. Assim sendo, Dino 7 cordas foi um de seus mais constantes violonistas. Vibrações é um dos álbuns mais importantes de Jacob do Bandolim. O Conjunto Época de Ouro é um primor à parte, no acompanhamento. Músicos: Dino 7 cordas, César Farias e Carlinhos aos violões, Jonas Pereira da Silva no cavaco, Jorginho no pandeiro.

Nostalgia

Choro

Remelexo

Choro

Benzinho

Choro

Migalhas de amor

Choro

Gostosinho

Choro

Bir uta

Choro

Bole bole

Choro

 

Bola preta

Choro

Os demais choros e valsas listados aqui são um curtíssimo resumo de suas obras mais conhecidas de Jacob. Elas pertencem a vários álbuns como: Assanhado, Chorinhos e Chorões, Primas e Bordões, Na Roda de Choro, Isto é nosso, Jacob revive músicas de Ernesto Nazareth, Choros e valsas evocativas, entre outros

A

ginga do Mané

Choro

Diabinho Maluco

Choro

Bonicrates de muletas

choro

Simplicidade

Choro

 

Dolente

Choro

Formações:

Regional do Canhoto : Dino 7 e Meira (violões), Canhoto (cavaco), Gilson (pandeiro),

 

Feia

Valsa

Sempre teu

Choro

Conjunto Época de Ouro : Dino 7 cordas, César Farias e Carlinhos Leite (violões), Jonas P. Silva (cavaco), Jorginho do pandeiro.

Tatibitate

Choro

Teu beijo

Choro

Atlântico

Tango brasileiro

   

Brejeiro

Tango brasileiro

   

Odeon

Tango brasileiro

   

Receita de samba

     
 

Alfredo da Rocha Vianna Filho (Pixinguinha) (com Regional do Canhoto)

Vou vivendo

choro

Pixinguinha é considerado um dos pilares do choro, pois através de suas centenas de composições se consolida a forma clássica do choro (ABACA). Maestro, arranjador, exímio flautista, ele também foi um dos responsáveis pela inserção da percussão no choro, anteriormente somente acompanhado por violões e cavaquinho.

Proezas de Sólon

choro

Os cinco companheiros

choro

Urubatã

choro

Um a zero

choro

Seus choros são considerados clássicos e por isso, obrigatórios a todos os chorões. Suas primeiras gravações, como flautista, ele atua com os violonistas Tute ou mesmo, seu irmão, China. Ambos tocavam violão de 7 cordas.

Ainda me recordo

choro

Acerta o passo

choro

A

vida é um buraco

choro

 

Segura ele

choro

Mais tarde, migrando para o saxofone tenor, Pixingu inha forma ao lado de outro grande flautista, um dos mais célebres duos de solistas do Brasil: Pixinguinha & Benedito Lacerda. Com o acompanhamento do Regional do Canhoto, a dupla gravou dezenas de seus clássicos, como: Vou vivendo, Proezas de Sólon, Sofres porque queres, Um a zero, etc. Para Jacob do Bandolim, Radamés Gnattali, Villa - Lobos, Tom Jobim, Pixinguinha foi o maior compositor de choros.

Descendo a serra

choro

Naquele tempo

choro

Os oito batutas

choro

Cochichando

choro

Sofres porque queres

choro

O

gato e o canário

choro

Ingênuo

choro

 

Oscarina

valsa

Devagar e sempre

choro

   

Soluços

choro

   

Diplomata

choro

   

Carinhoso

choro

   

Lamentos

choro

   

Rosa

valsa

   

Desprezado

choro

   
 

Waldir Azevedo (Jorge Santos : violão 6 cordas aço)

Carioquinha

choro

Waldir Azevedo foi um grande compositor e instrumentista, responsável pela consagração do cavaquinho como instrumento solista. Antes dele, esse instrumento tinha função estritamente de acompanhante. Suas gravações iniciais até meados da década de 1960 contaram com o acompanhamento magistral de Jorge Santos, violonista de 6 cordas (aço) que sozinho,

Delicado

baião

Vê se gostas

choro

Pisa mansinho

choro

Pedacinhos do céu

choro

Camundongo

 

choro

fazia as levadas e baixarias,. Sua condução era cheia de suingue e malícia, verdadeiras aulas de acompanhamento. Tentamos listar aqui as gravações mais representativas de seu violão.

Você, carinho e amor

 

valsa

Queira - me bem

 

choro

Amigos do samba

 

samba

 

Na baixa do sapateiro

 

samba

Brasileirinho

 

choro

 

Outros Chorões importantes

 

Abel Ferreira

Chorando baixinho

 

choro

Compositor, saxofonista e clarinetista virtuoso, com obras gravados por vários chorões. Gravou com Regional do Canhoto , entre outros.

Luar de Coromandel

 

valsa

Acariciando

 

choro

 

Doce melodia

 

choro

   

Sai da frente

 

choro

   

Brasil, sax e clarineta

 

álbum

   
 

Luiz Americano

Intrigas

no

boteco

do

choro

Compositor, saxofonista e clarinetista virtuoso, com obras gravados por vários chorões, incluindo Jacob, Waldir Gravou com Regional do Canhoto , entre outros.

Padilha

 

É

do que há

choro

Numa seresta

 

choro

 

Assim mesmo

 

choro

   
 

Bonfiglio de Oliveira (vários conjuntos)

 

Mar de Espanha

 

valsa

o

autor, Jacob, Luperce Miranda

Bonfiglio de Oliveira foi trompetista e contrabaixista, contemporâneo de Pixinguinha. Autor de célebres choros e valsas. Há gravações históricas com o próprio autor interpretando seus temas.

Glória

 

valsa

o

autor, Jacob , Luperce Miranda

Flamengo

 

choro

o

autor, Jacob do Bandolim

O

bom filho a casa torna

 

choro

autor, Silvério Pontes e Zé da Velha.

o

Amor não se compra

choro

Garoto e Bola 7 (Garoto, o gênio das cordas)

 

Triste alegria

choro

Garoto (bandolim) (Garoto, o gênio das cordas)

 

Luperce Miranda (Regional do Canhoto)

Farrula (Anacleto Medeiros)

valsa

Luperce foi o mais impressionante bandolinista de seu tempo, além de compositor muito inspirado, com mais de 700 músicas.

Quando me lembro

valsa

Flores

valsa

 

Capricho

valsa

Gravou com Regional do Canhoto e também com regional formado somente por seus filhos. Alguns discos importantes de sua obra são: “O bandolim e o mestre” , “História de um bandolim”, Acervo da Rádio Mec,

Picadinho a baiana

choro

Na casa do Athayde

choro

Martelando

choro

História de um bandolim

choro

 

Norival aos 60

choro

Neusa

mazurca

   

Cab oco zangado

choro

   

Bate Palmas

choro

   

Foi um sonho

valsa

   

Alma e coração

valsa

   

Domingo Alegre

choro

   

Itapagibe

choro

   

Responde Moacyr

choro

   
 

Zé Menezes

   

José Menezes de França, arranjador, compositor e executante virtuoso de violão tenor, bandolim, cavaquinho, violão, viola. Foi amigo e parceiro de Garoto, além de ter sido integrante do célebre Sexteto Radamés.

Chorinho in concert – á lbum

choro

   

1995

 

Valter e Valdir Silva (violão 7 cordas)

Roberto Ribeiro – álbum

samba (Valdir)

Os gêmeos idênticos, Valter e Valdir Silva, são descendentes diretos da escola de Dino 7 cordas. Ambos virtuosos instrumentistas que acrescentaram um legado técnico ao instrumento. O violão vigoroso de Valdir ficou imortalizado com suas baixarias hipercriativas e levadas suingadas nas gravações do sambista Roberto Ribeiro. Gravou também com Donna Ivone Lara, Nelson Sargento, entre outros. Suas atuações com Roberto Ribeiro vão de 1973 até 1982, quando em virtude de um acidente ele deixa de tocar violão e é sub stituído por Rafael Rabello. Participou também do grupo de choro, Chapéu de Palha. Valter foi integrante do Grupo Fundo de Quintal, toca com Zé da Velha e Silvério Pontes, além de ter gravado um álbum em duo com Yamandú Costa (2010).

1973

Poeira Pura álbu m 1977

samba (Valdir)

Arrasta Povo – álbum 1976

samba (Valdir)

Fala meu povo – álbum 1980

samba (Valdir)

Massa, raça, emoção – álbum 1981

samba (Valdir)

Molejo – álbum 1975

samba (Valdir)

Coisas da vida – álbum 1979

samba (Valdir)

Roberto Ribeiro – álbum

samba (Valdir)

1978

 

Fantasias – álbum 1982

samba (Valdir)

Samba é no Fundo de Quintal vol. 2– álbum 1981

samba (Valter)

Yamandú & Valter – álbum

choro (Valdir)

(2010)

Grupo Chapéu de palha – álbum 1977

choro (Valdir)

Grupo Chapéu de pa lha vol2

choro (Valdir)

álbum 1979

Sempre (Chapéu de palha) – álbum

choro (Valdir)

Tudo dança (c/ Zé da Velha

choro (Valter)

e

Silvério) – álbum 1988

Diálogos de um chorão – álbum (2011)

choro (Valter)

 

Só gafieira (c/ Zé da Velha e Silvério) – á lbum 1995

choro (Valter)

 

Baden Powell

Baden Powell ao vivo no Teatro Santa Rosa

violão brasileiro

Baden Powell de Aquino, um dos maiores ícones do violão brasileiro de todos os tempos. Foi aluno de Meira, com quem aprendeu violão clássico e choro. A obra de Baden Powell é muito extensa, abrangendo solos e canções. Sendo assim, destacamos alguns temas importantes, mas a discografia também é obrigatória. Suas parcerias deixaram obras inesquecíveis como os Afro sambas, em parceria com Vinícius de Morais, e Vou deitar e rolar, com Paulo César Pinheiro.

Afro sambas

violão brasileiro

Baden Powell à Paris

violão brasileiro

27 horas de estúdio

violão brasileiro

Baden Powell - 1971

violão brasileiro

 

Irmãos Assad

Sérgio e Odair Assad toca m Piazzolla – álbum 2001

violão brasileiro

Os irmãos Sérgio e Odair Assad, formam o duo de violões mais famoso do mundo, comparados somente com o Duo Abreu, dos também irmãos Sérgio e Eduardo. Os Assad possuem uma vasta discografia na qual destacamos a obra completa de Heitor Villa - Lobos, o álbum sobre Piazzolla e Radamés Gnattali. Os dois últimos compuseram as obras especialmente para o duo. A brilhante violonista, compositora e cantora Badi Assad , é irmã do duo.

Heitor Villa - Lobos: Obra completa para violão – álbum (1978)

erudito

Saga dos Migrantes – álbum

violão brasileiro e erudito

(1996)

 

Gnattali, Rodrigo e Piazzolla – álbum (1984)

violão brasileiro e erudito

 

Francisco Soares (Canhoto da Paraíba)

O

violão brasileiro tocado

Álbum

Canhoto foi um dos mais incríveis violonistas pela sua criatividade e capacidade de tocar como canhoto, sem inverter as cordas do instrumento. Jacob do Bandolim, Paulinho da Viola e Raphael Rabello foram grandes amigos e admiradores de sua arte. Seu álbum de 1993 contou participações de Raphael Rabello.

pelo avesso (1973)

Pisando em brasa (1993)

álbum

   
 

Paulinho da viola

Choro negro

choro

Grande sambista e chorão, filho de César Farias, violonista do Conjunto Época de Ouro, que acompanhava Jacob do Bandolim. Paulinho tem vários choros que se tornaram clássicos em todas as rodas.

Inesquecível

choro

Beliscando

choro

Sarau pra Radamés

choro

 

Memórias chorando (1976)

álbum (choro)

   
 

Egberto Gismonti

Água & vinho – álbum

 

Pianista, violonista, compositor, cantor, Egberto é um dos mais importantes músicos brasileiros de todos os tempos. Mundialmente conhecido, suas composições foram gravadas por artistas como Duo Assad, Hamilton de Holanda, Paco de Lucia, entre outros. Destacamos al gumas obras necessárias como Palhaço, Loro, Sete anéis, Baião malandro, entre outras

(1972)

Circense – álbum (1980)

 

Dança das cabeças – álbum

 

(1977)

 

Hermeto Paschoal

A

música livre de Hermeto

 

Multiinstrumentista, Hermeto é u m dos maiores expoentes da música brasileira. Dono de uma gigantesca obra, e com uma discografia tão grande quanto, destacamos algumas de seus álbuns mais conhecidos.

Paschoal – álbum (1973)

Só não toca quem não quer – álbum (1987)

 

Lagoa da canoa – álbum

   

(1984)

 

R aphael Rabello

Os carioquinhas no choro – álbum (1977)

choro

Raphael Rabello foi um divisor de águas para o violão de 7 cordas. Ele foi o primeiro a se celebrizar na categoria de violonista acompanhante e solista, colocando o violão de 7 cordas em lugar de destaque e criando uma legião de seguidores. Mas Raphael, como Dino, foi um grande acompanhante, tocou com todos os mais importantes artistas de seu tempo, tendo feito mais de 700 gravações, além de seus mais de 15 discos de carreira. Admirado por músicos como Paco de Lucia, Raphael deixa um legado imortal em detrimento de seu curto tempo de vida, 32 anos. Sua discografia completa é importantíssima.

Tributo a Jacob do Bandolim (part. Radamés e Camerata) – álbum (1979)

choro

Rafael 7 cordas – álbum

choro e violão brasileiro

(1982)

Todos os Tons (part. Paco de Lucia) – álbum (1992)

violão brasileiro

Raphael interpreta Radamés Gnattali – álbum (1987)

violão brasileiro

 

Raphael Rabello – álbum

violão brasileiro e choro

(1988)

Raphael Rabello & Dino 7 cordas – álbum (1991)

choro

Dois irmãos (part. Paulo Moura) – álbum (1992)

choro

Retratos – álbum (1990)

violão brasileiro

Relendo Dilermando Reis – álbum (1994)

violão brasileiro

Cry my Guitar – álbum (2005)

violão brasileiro

Shades of Rio (p art. Romero Lubambo) – álbum (1992)

violão brasileiro

Todo sentimento (part.

canções e violão

Elizeth Cardoso) – álbum

brasileiro

 

1991

 

Guinga

Cheio de dedos - álbum

 

Compositor e violonista carioca. Já trabalhou com grandes nomes como Clara Nunes, Beth Carvalho, João Nogueira, Cartola, Alaíde Costa. Suas composições, cheias de harmonias e acordes inusitados, são uma página a parte no violão brasileiro e já foram gravadas por artistas como Elis Regina, Cauby Peixoto, Michel Legrand, Sérgio Mendes, Chico Buarque, Ivan Lins, Leila Pinheiro, além de parcerias com Paulo César Pinheiro, Nei Lopes, Chico Buarque, Aldir Blanc, entre outros. Toda discografia de Guinga é importante e traz consigo verdadeiras aulas de arranjo. Os discos com participação do grande Lula Galvão são aulas de improvisação.

(1996)

violão brasileiro e canções

Suíte Leopoldina – álbum

violão brasileiro e canções

   

(1999)

Unha e carne – álbum

violão brasileiro

Interpretado pelo grande violonista Marcus Tardelli , que inova o violão brasileiro com o uso do polegar esquerdo

(2005)

Catavento e girassol – álbum

canções

Interpretado pela cantora Leila Pinheiro

(1996)

 

Paco de Lucia

Siroco – álbum (1987)

flamenco

Guitarrista flamenco mais importante de todos os tempos. Foi um dos maiores responsáveis pela divulgação da cultura flamenca no mundo. Suas gravações e interpretações são memoráveis e impressionantes, seja pelo grau técnico da execução ou pela profundidade das composições. Destacamos alguns álbuns importantes. Foi grande amigo de Raphael Rabello, tendo gravado com ele duas músicas no CD Todos os Tons (Samba do avião e Garota de Ipanema)

Zyryab – álbum (1990)

flamenco

Almoraima – álbum (1976)

flamenco

En vivo desde Teatro Real – álbum (1975)

flamenco

   
 

Luizinho 7 cordas

Chorando as Pitangas (c/ Vitor Lopes) - 2006

choro

Luiz Araújo Amorim, um dos maiores mestres do 7 cordas, fez parceria com o renomado Evandro do Bandolim, além de acompanhar e gravar com artistas como: Beth Carvalho, Sombrinha, Demônios da Garoa, Nelson Gonçalves, Silvio Caldas, Ângela Maria, Noite

50 anos de música (c/

choro

Danilo Brito) - 2010

 

Ilustrada, Carlos Galhardo, Cartola, Martinho da Vila, Alcione, Clara Nunes, Altamiro Carrilho. Tem grande papel no ensino do instrumento e suas partituras (sua letra) são muito conhecidas entre os músicos.

Remexendo ( c/ Euclides Marques) - 2006

 

Tributo a Mário Álvares -

choro

 

2014

 

Isaías Bueno de Almeida – Israel Bueno de Almeida

Pé na cadeira

choro

Isaías e Israel Bueno de Almeida, (bandolim e violão de 7 cordas) são dois dos maiores chorões. Virtuoses, compositores, foram contemporâneos e amigos de Jacob, Pixinguinha, Altamiro Carrilho. Participaram do Conjunto Atlântico, do violonista Antonio Dauria, que possuía um dos maiores acervos sobre choro de todos os tempos. Produziram por vários anos o programa “Alegria do Choro”, transmitido pela TV Cultura.

Quem não chora não ama

choro

O Choro e sua história

choro

Moderna Tradição

choro

 

Zé Barbeiro 7 cordas

Primeira Classe (Nosso Choro) - 2000

choro

José Augusto Roberto da Silva, violonista criativo de técnica vigorosa e extrema criatividade. Trabalhou como barbeiro mas foi no violão de 7 cordas que se popularizou. Gravou e acompanhou nomes renomados da MPB como Jamelão, Cauby Peixoto, entre outros. Foi integrante de grupos de choro importantes como o “Nosso Choro”, com os grandes solistas Milton Mori (bandolim), Stanley Carvalho (clarineta) e Antonio Bombarda (acordeom). Participou também do Grupo Choro Rasgado com Roberta (pandeiro), Rodrigo (flaut a) e Penezzi (violão). Seu estilo é inconfundível, com suas levadas super intrincadas.

Baba de Calango (Choro Rasgado) - 2006

choro

Segura a Bucha - 2009

choro

No salão do Barbeiro - 2011

choro

 

Edmilson Capelupi

Choro 2003 (Papo de anjo)

choro

Edmilson toca violão de 7 cordas e cavaquinho, além de compositor, arranjador e professor. Conhecedor profundo tanto do repertório quando das técnicas, Edmilson participa do Grupo Papo de Anjo e de Isaías e seus chorões. Participa de gravações com

Demônios da garoa ao vivo -

samba

2005

Sanfonema – 1998 (T. Ferragutti)

choro

diver sos artistas da MPB como Badi Assad, Antonio Nóbrega, Toquinho, Toninho Ferragutti, entre outros.

 

Marco Pereira

Violão popular brasileiro contemporâneo - 1985

violão brasileiro

A discografia de Marco Pereira também é obrigatória. Ele, além de exímio violonista, é grande compositor e arranjador. Atua também como educador e possui vários livros editados.

Valsas Brasileiras - 1999

valsa

Luz das cordas - 2000

violão brasileiro

 

Elegia - 1990

violão brasileiro

 

Sebastião Tapajós

Terra Brasis - 1992

violão brasileiro

Contemporâneo de Baden, o paraense Sebastião Tapajós foi um dos mais renomados violonistas brasileiros. Tem grande discografia gravada em diversos países tanto como intérprete como como compositor. Listamos dois importantes álbuns

Brasilidade - 1989

violão brasileiro

 

Hélio Delmiro

Chama - 1984

violão brasileiro

Violonista e guitarrista virtuoso, atuou na banda de Elis Regina entre outros. Dono de técni ca extrema e grande capacidade de improvisação jazzística, é considerado um dos pais da guitarra brasileira.

Emotiva - 1980

violão brasileiro

Hélio Delmiro in concert – Romã – 1991

Jazz brasileiro

Samambaia - 1981

violão brasileiro

 
 

Heraldo do Monte

   

Heraldo do Monte - 1980

jazz brasileiro

Guitarrista, compositor fecundo, com grandes influências do choro. Junto com Hermeto Paschoal, Théo de Barros e Airto Moreira formou o Quarteto Novo (1966).

Cordas vivas - 1983

jazz brasileiro

 

Alencar 7 cordas

Grupo choro Livre 1998 (c/ Reco do bandolim)

choro

Alencar 7 cordas foi um grande instrumentista, compositor e professor radicado em Brasília. Foi um dos fundadores do Clube do Choro de Brasília e professor da escola de Choro Raphael Rabello.

Pa ulinho Nogueira

Paulinho Nogueira 1967

violão brasileiro

Exímio violonista, compositor e professor. Teve ampla discografia e atuou com os mais importantes nomes da MPB como Baden, Chico Buarque, Vinícius de Morais, Toquinho, Jair Rodrigues, entre outros. Sua discografia é grande, porém listamos dois álbuns.

Tons e semitons - 1986

violão brasileiro

Luiz Bonfá

O violão de Luiz Bonfá Solo in Rio 1957

violão brasileiro

Com uma discografia extensa, Bonfá foi um dos mais importantes compositores e violonistas de sua época. Sua mais conhecida composição Manhã de Carnaval.

Paulo Bellinati

Garoto - 1984

violão brasileiro

The Works of Garoto - 1991

violão brasileiro

Violonista, compositor e arranjador, Iniciou seus estudos com Isaias Sávio, e chegou a lecionou no Conservatório de Lausanne (Suíç a). Além integrante do grupo Pau Brasil, Bellinati gravou toda a obra de Garoto para violão.

Alemão (Olmir Stocker)

Alemão bem brasileiro -

1992

violão brasileiro

Guitarrista gaúcho radicado em São Paulo. Grande compositor e professor da Universidade Livre de Música (ULM Tom Jobim), atual EMESP. Faz dupla com o violonista Zezo Ribeiro, com quem já gravou alguns álbuns.

Ulisses Rocha

Alguma coisa a ver com o silêncio

violão brasileiro

Violonista e com positor, professor da Unicamp. Integrou o Grupo D’alma, com quem participou de vários festivais internacionais de jazz Montreal, Paris, Quebec, Ottawa, Nova Iorque e São Paulo (Free Jazz) Já trabalhou com artistas como Gal Costa, Heraldo do Monte, Roberto Carlos, entre outros.

Yamandú Costa

Lida - 2007 Mafuá - 2008

violão brasileiro violão brasileiro

Yamandú, é um dos maiores violonistas brasileiros de todos os tempos. Assim como Baden, ou Raphael, ele inaugura uma nova escola para o instrumento. Sua discografia completa é obrigat ória. Listamos alguns discos

Yamandú e Rogério Caetano choro

2011

   

Yamandú + Dominguinhos

choro

El negro del branco 2004 (c/ Paulo Moura)

 

Continente 2013 (c/ Arthur Bonilla !!!)

violão brasileiro

 

Rogério Caetano

   

Virtuose do 7 cordas de aço, grande compositor e criador de um novo estilo para o instrumento. Rogerinho participa ativamente de gravações com artistas como Zeca Pagodinho, Monarco, Hamilton de Holanda, Yamandú, Gabriel Grossi, Hermeto Paschoal, entre outros.

Brasília Brasil - 2001

choro

Pintando o sete 2006

violão brasileiro

Rogério Caetano - 2009

violão brasileiro

 

Quarteto Maogani

Maogani – álbum (1997)

violão brasileiro

Um dos mais conceituados grupos instrumentais brasileiros, formado pelos violonistas Paulo Aragão, Carlos Chaves, Marcos Alves e Maurício Marques, o Maogani é a síntese de bom gosto para arranjos, boa sonoridade e repertório.

Cordas cruzadas – álbum

violão brasileiro

   

(2001)

Impressão de Choro – álbum

violão brasileiro

   

(2008)

Infelizmente é impossível nominar todos os músicos importantes que ajudaram a fundamentar o Violão Brasileiro e, com certeza, estarei cometendo injustiça com vários mestres, o que, desde já me desculpo No entanto, para a finalidade de iniciar uma discografia elementar, penso que já está de bom tamanho.

Espero que gostem !!!

Abraços