Você está na página 1de 48

CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

[2]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Março, mais precisamente dia 08 de Março,


comemoramos o Dia Internacional da
Mulher: escritora, leitora, guerreira, mãe,
companheira... Não poderíamos deixar de
destacar esta bela imagem em nossa capa
que também remete aos livros de Literatura
Fantástica, tema destaque desta edição,
com matéria exclusiva da qual você poderá
conferir nas próximas páginas.

Anuncio que já está na pauta os destaques


das duas próximas edições. E digo mais,
serão incríveis.

Entrevistas, contos, resenhas, dicas de


livros e muito mais lhe aguardam nas
linhas das páginas desta edição.

Para participar ou anunciar em nossa


próxima edição de nº 34 (abril, 2018),
acesse a página em nosso site:
http://www.revistaconexaoliteratura.com.
br/p/midia-kit.html

Tenham uma ótima leitura e até a próxima


edição!

PARA REFLETIR:
"Ele (Paulo Freire) dizia que era pequeno, para poder crescer. Gente grande de verdade
sabe que é pequeno e, por isso, cresce. Gente muito pequena acha que já é grande e o
único modo de ela crescer é rebaixando os outros."
Mario Sergio Cortella

Ademir Pascale
Editor da Revista Conexão Literatura. Membro Efetivo da Academia de Letras José de Alencar.
Já publicou contos no Brasil, França, Portugal e México. Autor dos romances “O Desejo de
Lilith”, “Caçadores de Demônios” e “Crossroads – Quando os destinos se cruzam”, além de
organizador do livro “Possessão Alienígena”, a ser lançado pela Editora Devir ainda esse ano.
Fã n° 1 de Edgar Allan Poe, adora pizza, séries televisivas, heróis da Marvel, DC e HQs. E-mail:
ademirpascale@gmail.com

[3]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

[4]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Livros que usam este gênero carregam uma legião de leitores e fãs pelo
mundo e muitas destas obras acabam até indo para as grandes telas do
cinema e das séries televisivas, como os já citados Harry Potter, As
Crônicas de Nárnia e O Senhor dos Anéis.
– Ademir Pascale

F ANTÁSTICO, expressão
que procede do grego
"Phantastikós". Quando
pensamos em Literatura
Fantástica, logo recordamos de
fantasia, assim como "As
Crônicas de Nárnia", de C. S.
Lewis e "Harry Potter", da
autora britânica J. K. Rowling.
Encontramos elementos
"O Senhor dos Anéis", de J. R. sobrenaturais em livros de
R. Tolkien, uma obra de alta Literatura Fantástica: magia,

[5]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

bruxas, duendes, etc., assuntos destacando escritores (novos ou


que fogem do realismo estrito não) e trazendo cada vez mais
com histórias fantasiosas, informações sobre os livros e
inverossímeis e ficcionais, seus autores.
embora muitas delas mesclam
realismo com ficção. Livros que Ficção científica, fantasia e
usam este gênero carregam uma horror. Antigamente, obras como
legião de leitores e fãs pelo Frankenstein, O Médico e o
mundo e muitas destas obras Monstro, Drácula, e até a obra
acabam até indo para as grandes de FC A Guerra dos Mundos,
telas do cinema e das séries tentavam (e conseguiam) causar
televisivas, como os já citados aflição e medo nos leitores. Com
Harry Potter, As Crônicas de o tempo, histórias fantasiosas e
Nárnia e O Senhor dos Anéis. mais leves foram sendo criadas,
Mas não esqueçamos dos muitas abordando o romance
zumbis, vampiros e lobisomens, entre humanos e seres
personagens que nunca saem de sobrenaturais, como os da série
moda e que fazem parte da Crepúsculo, de Stephenie Meyer.
Literatura Fantástica.
No Brasil, nomes como Rodrigo
Podemos dizer que as obras do de Oliveira (já citado várias vezes
gênero Literatura Fantástica, em nossas edições anteriores),
conseguiram trazer mais leitores André Vianco, G. Brasman e G.
para o mundo. Hoje, é fácil Norris, Eduardo Spohr e Leonel
encontrarmos blogs, grupos e Caldela, vem se destacando e
sites criados por jovens elevando o gênero. E se você
dedicados ao gênero. Algo que nunca leu um dos livros destes
vem crescendo dia após dia. Um autores, procure ler, pois
bom exemplo é o site certamente se tornara fã.
“Intocados”
(http://www.intocados.com) Fica a dica.
que foi criado e vem se
dedicando cada vez mais ao
gênero. Periódicos, como o da
nossa própria revista, elevam
cada vez mais o gênero,
Ademir Pascale
ademirpascale@gmail.com

[6]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

[7]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

As crianças ricas brincam nos jardins com seus brinquedos prediletos.


E as crianças pobres acompanham as mães a pedirem esmolas pelas
ruas. Que desigualdades trágicas e que brincadeira do destino.
– Carolina Maria de Jesus

C arolina de Jesus (Carolina


Maria de Jesus, 1914-
1977), está entre as
primeiras e mais importantes
justamente nessa época que
começou a ter gosto pela leitura
e escrita. Em seus manuscritos é
fácil notar referências religiosas,
escritoras negras do Brasil. Com mas Carolina foi expulsa da
problemas familiares desde a Igreja Católica, pois sua mãe
infância, era filha ilegítima e foi tinha dois filhos ilegítimos. Já
maltratada. Com muito sacrifício em sua fase adulta, também não
e apoio da mãe, frequentou a foi readmitida na congregação,
escola até o segundo ano, mesmo sendo católica devota.
aprendeu a ler e a escrever e foi Com pouco estudo, foi uma

[8]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

mulher brilhante, sábia e pobres que residíamos nas


visionária. habitações coletivas, fomos
Sem dinheiro, Carolina só despejados e ficamos residindo
conseguia ler algo novo quando debaixo das pontes. É por isso
encontrava um livro ou revista que eu denomino que a favela é
que já tinham sido descartados o quarto de despejo de uma
por outras pessoas. Apaixonada cidade.
pela leitura passou a escrever Nós, os pobres, somos os trastes
sobre o dia-a-dia na favela onde velhos.
morava. Desempregada e Carolina Maria de Jesus
grávida, isso em 1947, morando
na favela do Canindé, em São 2 - Escrevo a miséria e a vida
Paulo, conseguiu emprego na infausta dos favelados. Eu era
casa de um famoso médico que revoltada, não acreditava em
liberou a leitura de seus livros de ninguém.
sua biblioteca particular, já que Odiava os políticos e os patrões,
notou a paixão da empregada. porque o meu sonho era escrever
Depois de ter mais dois filhos, e o pobre não pode ter ideal
passou a ser catadora de lixo, nobre.
época em que voltou a registrar o Eu sabia que ia angariar
seu cotidiano, somando vinte inimigos, porque ninguém está
cadernos, sendo que um deles habituado a esse tipo de
virou livro, intitulado “Quarto de literatura. Seja o que Deus
Despejo – Diário de uma quiser. Eu escrevi a realidade.
Favelada”, publicado em 1960. O Carolina Maria de Jesus
livro foi um sucesso, tendo
rapidamente três edições que 3 - As crianças ricas brincam nos
somaram 100 mil exemplares jardins com seus brinquedos
vendidos e tradução para 13 prediletos. E as crianças pobres
idiomas, sendo vendido em mais acompanham as mães a pedirem
de 40 países. esmolas pelas ruas.
Que desigualdades trágicas e
7 citações da escritora que brincadeira do destino.
Carolina Maria de Jesus: Carolina Maria de Jesus

1 - Em 1948, quando começaram 4 - Antigamente o que oprimia o


a demolir as casas térreas para homem era a palavra calvário;
construir os edifícios, nós, os hoje é salário.

[9]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Carolina Maria de Jesus rodo tanto para arranjar dinheiro


para comer.
5 - Eu cato papel, mas não gosto. Carolina Maria de Jesus
Então eu penso: faz de conta que
eu estou sonhando. 7 - A tontura da fome é pior do
Carolina Maria de Jesus que a do álcool. A tontura do
álcool nos impele a cantar. Mas a
6 - Tem pessoas que, aos da fome nos faz tremer. Percebi
sábados, vão dançar. Eu não que é horrível ter só ar dentro do
danço. Acho bobagem ficar estômago.
rodando pra aqui, pra ali. Eu já Carolina Maria de Jesus

Ademir Pascale
ademirpascale@gmail.com

[ 10 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

[ 11 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

“Amor e tragédia tinham o péssimo hábito de caminhar de mãos dadas,


tão unidos quanto a palha entrelaçada de um cesto.”
– Danilo Sarcinelli

P assagem para

Sarcinelli foi publicado


em 2016 (293 páginas), pela
Editora Verve. Trata-se do livro
a
Escuridão, livro de Danilo
Sentia-se feliz com seus amigos
e com a família e, sobretudo,
encontrava acalento em seu
amor por Pandora, uma plebeia,
servente do palácio. Tal situação,
um de uma série de fantasia dentro de um reino, certamente
medieval. causa desconforto e traz a não
Lúcio Dante, príncipe de um aceitação por parte da família do
reino, está prestes a completar príncipe. Lúcio “tinha tudo que
dezoito anos de idade e não se precisava para ser feliz”. E por
interessa em fundar impérios. falar em família... Na história o

[ 12 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

leitor vai conhecer também o tio manteve o desejo de encontrar


de Lúcio, César, que no passado um modo de abrir o Portão do
fora exilado do reino, após alegar Submundo. E há seus
que ali haviam hereges, adoradores. O mal e o bem que
adoradores do demônio. Seu outrora disputaram espaço,
próprio pai, o Rei podem estar
Augusto Dante, diante de uma
fora o responsável nova batalha.
por afastá-lo de
sua terra. Ele, No reino, por
que de certo séculos e séculos,
modo, aventureiros
ambicionava lançaram-se na
ocupar o trono, busca de um livro
acabara sagrado, o
destituído de sua Grimório. Havia
própria terra. também um
outro artefato
Lúcio, o sobrinho bastante
e príncipe, às procurado, a
vésperas de seu espada solar. Os
aniversário, sofre objetos em
um acidente, ou questão causam
melhor, é atacado furor e despertam
por alguns desejo em vários
homens, e passa homens que
a ter pesadelos com uma figura visam possuí-los. Isso,
sombria. naturalmente, rende intrigas,
conflitos, conchavos, ações
“As noites de terror se sucediam, efetuadas na surdina entre as
cada uma pior que a anterior.” paredes do palácio e em todo o
reino
Na história pretérita daquele
reino havia Arkmal, um Aparentemente a família Dante,
demônio. O ser havia caído, que tornou a Tibéria um reino
diante da crença que os próspero, não tem inimigos.
habitantes tinham no deus sol- Será? Eis que já temos todos os
Ravi, mas o ente demoníaco elementos necessários para o

[ 13 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

desenrolar de uma boa trama: intrigando os leitores, as ações


um príncipe aparentemente vão se desenrolando e as
desconectado das questões de características de tais
poder, mas que carrega sonhos personagens vão sendo
de um jovem apaixonado; um tio reveladas. O autor utilizou bem
que desejava o poder, mas se vê esse jogo, deixando o leitor “com
mitigado pela sua percepção do a pulga atrás da orelha”, numa
passado; e a existência de coisas trama intrincada
sobrenaturais rondando o reino,
rodando a tudo e a todos. Os A Cípria acaba se vendo
homens, com sua obsessão pelo soterrada pelo desejos humanos
poder, são capazes de coisas o que coloca o reino em guerra
inimagináveis. civil. Dividida, as lutas e
conflitos acontecem. Além da
A história criada por Danilo força humana que é empregada
Sarcinelli usa bem de tais na guerra, com o uso de
elementos e traz personagens estratégias, alianças e
despertados pela cobiça, pelo manipulações, há ainda o
poder e por suas ambições espreitar da escuridão,
pessoais (sejam elas quais atormentando e manipulando o
forem). lado sombrio de alguns
personagens. A
Passagem para a escuridão é um sobrenaturalidade explanada na
livro de literatura medieval obra deve render muito ao longo
fantástica que tem uma trama dos próximos livros.
envolvente, com segredos e
mistérios que vão tomando conta A trama montada pelo autor é
das páginas. Interessante bem arquitetada, explora todo o
observar o viés de ação dos reino criado, posto que não fica
personagens, posto que alguns limitado ao ambiente palaciano,
trazem consigo uma dualidade e traz boas cenas de ação com os
nos atos que nos faz pensar se personagens. Nesse primeiro
estão a favor ou contra o reino, livro temos segredos e conflitos
se estão imbuídos de interesse colocados diante do leitor e
coletivo ou se mascarando para possibilitando-o tomar
conseguir atingir os seus conhecimento sobre as agentes
objetivos particulares. Aos da história. O leitor conhecerá o
poucos, em dosagens que vão reino, os súditos, os líderes, as

[ 14 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

famílias que detém o poderio. Sobre o autor:


Lúcio, o príncipe que ansiava
apenas em viver ao lado de sua Danilo Sarcinelli formou-se em
amada, terá sua vida modificada engenharia pela Universidade
pelos acontecimentos. Federal do Rio de Janeiro, mas
sempre teve a literatura ao seu
Vale mencionar que no final da lado. Primeiro foram os livros
história tem um mapa da Cípria infanto-juvenis de Pedro
e a árvore genealógica das Bandeira e a série de livros-jogo
famílias. No início da leitura, de RPG Aventuras Fantásticas,
ajudou a fixar o entendimento da de Steve Jackson e Ian
relação familiar de alguns Livingstone. Evoluiu para os
personagens. clássicos de Tolkien, Margaret
Weis e R. A. Salvatore. Depois
Passagem para a Escuridão tem vieram as ficções histórias de
uma boa história e deixa um James Clavell, Bernard Cornwell
ótimo gancho para a e Conn Iggulden, e também a
continuidade. Esperemos o fantasia sombria de George R. R.
próximo volume para Martin. Há quinze anos escreve
acompanhar o desenrolar de história inspirada nessas leituras
personagens que podem galgar e Passagem para a escuridão é
espaço na trama e apresentar seu primeiro romance.
boas surpresas. Vale a pena ler,
sobretudo para o público que
anseia por fantasia nacional de
qualidade.

Ficha Técnica
Título: Passagem para a escuridão
Escritor: Danilo Sarcinelli
Editora: Verve
Número de Páginas: 293
Ano: 2017 - Edição: 1ª
Assunto: Fantasia brasileira

Resenhista:
Eudes Cruz é paulistano. Gestor de processos atuou como coordenador de desenvolvimento de
produtos. É apaixonado por livros desde a infância e se aventura por todos os gêneros literários,
embora tenha predileção por suspense, terror e policial. Adora animais e reside na capital
paulista. Blog: tomoliterario.blogspot.com.br. E-mail: tomoliterario@gmail.com.

[ 15 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Cole (Judah Lewis) é loucamente apaixonado por Bee (Samara


Weaving), sua babá. Até que o garoto acaba descobrindo que ela na
verdade é uma assassina adoradora do Diabo. Com isso, para que não
revele o segredo, Cole está na mira da babá e seus amigos.

S
audações cinematográficas, mistura de terror e comédia
queridos leitores da Revista pastelão.
Conexão Literatura, tudo O protagonista é o jovem Cole
bem com vocês? Espero que sim! de 14 anos, que está naquela
Mais uma edição chegando e transição da infância para
não poderíamos deixar de falar adolescência! Os pais de Cole
de mais um filme original da contratam uma babá para tomar
nossa querida e amada Netflix, o conta dele, enquanto eles saem
filme escolhido é “A Babá”, uma para uma viagem.

[ 16 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

O longa começa de uma forma com seus próprios olhos à


leve e descolada, uma comédia verdadeira e sinistra Bee.
bem fluída e sem pretensão Cole assiste um ritual satânico
alguma e com toques de humor do qual sua babá mata friamente
negro, notamos todo o uma vítima para beber o seu
sofrimento do jovem Cole por ser sangue, junto com seus colegas
covarde e medroso, sofrendo de seita, infelizmente o jovem
bullying dos amigos. acaba sendo descoberto e inicia-
Uma pequena se uma
observação, o perseguição
filme fez lembrar para matar Cole,
da franquia afinal, acabou
“Todo Mundo vendo coisas
em Pânico”, algo demais.
bem trash e com Da comédia,
referências dos partimos para o
anos 80. Em “A bizarro, uma
Babá” você vai perseguição
dar mais risadas implacável
com tantas contra Cole,
bizarrices. cenas
Cole tem sua divertidíssimas
vida de sangue
transformada jorrando de
quando uma forma absurda
babá super sexy para todos os
fica para cuidar lados, o que era
dele enquanto para ser
seus pais ficam fora em um assustador e tenebroso, passa a
compromisso super importante. ser engraçado, um misto de
O laço de amizade entre Cole e terror pastelão.
sua babá torna-se inevitável, Toda coerência de um bom filme
intenso, sincero e duradouro. passa longe, muito longe,
Cole acaba tendo uma queda mesmo! Diálogos bizarros e sem
pela Bee, sua babá. sentido entre os personagens
Instigado pela sua amiga, Cole principais deixa tudo mais
decide investigar e vigiar sua divertido por conta de tantas
babá à noite, quando percebe idiotices e mortes bizarras.

[ 17 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

O longa conseguiu cumprir em alguns momentos deixa o


partes o seu papel, ser um terror telespectador naquela ansiedade
bem trash e uma comédia sem do que vai acontecer logo em
noção, até aí ok. O ponto seguida.
negativo foi com o roteiro, em Um filme despretensioso, com o
algumas cenas tornam-se típico clichê de adolescentes e
ilógicas determinadas ações dos pitadas generosas e engraçadas
personagens principais. dos anos 80. Fica nossa dica de
Destaco toda atuação dos atores, filmes da Netflix. Até a próxima.
souberam levar toda energia da
comédia de uma forma séria, em
cenas absurdas e diálogos fora
do comum.
O fator medo passa longe do
filme, mas um ar de tensão em

Ficha Técnica
Título Original: The Babysitter
Direção: McG
Duração: 01h30min
Lançamento: 13 de Fevereiro de 2017
Elenco: Judah Lewis, Hana Mae Lee, Bella Thorne, Leslie Bibb e Robbie Amell
Gênero: Terror e Comédia
Origem: Estados Unidos

Resenhista:
Rafael Botter vive em Ibitinga (São Paulo). Escreve para o blog Livreando:
http://www.livreando.com.br e Traveling Between Pages:
http://travelingbetweenpages.blogspot.com.br. E-mail: botter.rafael@gmail.com.

[ 18 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

[ 19 ]
“O meu livro de estreia é justamente a representação das fibras de
nossos corações eternizadas nas páginas de um livro. Tem angústia,
dor, aflição. Mas, ao mesmo tempo, tem uma alegria genuína,
momentos bonitos e uma saudade única que faz sorrir.”

Conexão Literatura: Poderia relacionamentos e


contar para os nossos leitores comportamento, eu já me
como foi o seu início no meio aventurava nas crônicas
literário? esportivas. Nos primeiros anos
da adolescência, eu costumava
Júlio Hermann: As palavras escrever todos os dias, ainda que
sempre fizeram parte de mim. somente para mim. Em 2015, fui
Antes de eu escrever sobre convidado a escrever
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

semanalmente em um blog e Conexão Literatura: Como foram


nunca mais parei, assinando as suas pesquisas e quanto
colunas em outros ao longo do tempo levou para concluir seu
tempo. Até que em 2016 acabei livro?
criando o site que leva o meu
nome e conheci a Faro, que Júlio Hermann: O processo de
apostou em um escrita do livro
guri que ainda durou um pouco
tinha 18 anos. menos de um
ano. O que eu
Conexão busquei passar
Literatura: Você é para quem o lê é
autor do livro a minha verdade.
“Tudo que
acontece aqui Eu sempre digo
dentro” (Faro que espero que
Editorial). as palavras
Poderia cheguem nas
comentar? pessoas tão
sinceramente
Júlio Hermann: O quanto saíram de
meu livro de mim. A pesquisa
estreia é passou por
justamente a analisar e
representação das compreender o
fibras de nossos que essa geração
corações eternizadas nas páginas tem sentido e passado em suas
de um livro. Tem angústia, dor, vidas.
aflição. Mas, ao mesmo tempo,
tem uma alegria genuína, Conexão Literatura: Poderia
momentos bonitos e uma destacar um trecho do qual você
saudade única que faz sorrir. acha especial em seu livro?
Depois de um tempo eu entendi
que acreditar no amor não tem Júlio Hermann: "Me disseram,
exatamente a ver com ser feliz veja bem, me disseram lá no
em um relacionamento, mas ter início que não valia a pena amar.
a profunda consciência de que Mas amor é tudo o que eu levo
sem eles somos só carne. depois de precisar desconstruir

[ 21 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

uma realidade inteira durante o Um livro: Amor de todo Amor


caminho." Um (a) autor (a): Joseph
Ratzinger, por ensinar sobre o
Conexão Literatura: Como o amor de uma maneira que eu
leitor interessado deverá nunca vi alguém o fazer.
proceder para adquirir o seu livro Um ator ou atriz: Mel Gibson
e saber um pouco mais sobre Um filme: Little Boy
você e o seu trabalho literário? Um dia especial: Eu gosto de
todos os dias 02.
Júlio Hermann: O Tudo que
acontece aqui dentro está Conexão Literatura: Deseja
disponível nas principais livrarias encerrar com mais algum
do país, tanto nas lojas físicas comentário?
como nas virtuais. Então, é fácil
encontrar. Para me acompanhar, Júlio Hermann: Tenham sempre
a melhor forma é acessando o em mente que o mais importante
www.juliohermann.com e na vida é o amor. Ele deve estar
curtindo minha página no na frente de tudo. Quando as
facebook. Lá, todas as semanas coisas dão errado, ele sustenta o
tem conteúdos inéditos. resto. Acima de tudo, ainda, ele é
correção e desejo de melhorar o
Conexão Literatura: Existem outro através de uma ternura que
novos projetos em pauta? não se expressa de outra forma.
É pegar o próprio coração e dizer
Júlio Hermann: Existe um “toma, eu sou só isso, mas estou
segundo livro em construção. aqui para ser para você”. Por
Uma história com conflitos mais que machuque às vezes,
novos em que nós, enquanto a vale a pena. O Papa Emérito,
lemos, poderemos reconstruir Bento XVI, dizia que “no
nossos mundos de um modo coração de todo homem existe o
novo, assim como as desejo de uma casa”. O amor, no
personagens. fim das contas, é justamente
isso: aquilo que nos dá abrigo.
Perguntas rápidas:

Para saber mais sobre o autor, acesse: www.juliohermann.com

[ 22 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

“Houve vezes que levei de dois até três anos para escrever um livro.
Esse eu levei apenas dois meses para escrever, devido a grande
inspiração pela qual estava tomada.”

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia livro infantil. Sempre fui muito


contar para os nossos leitores criativa e no momento em que a
como foi o seu início no meio inspiração aparece, é como se
literário? estivesse num transe hipnótico.
Fui inspirada por alguns autores
Andreia Camargo: Aos quatorze como: Monteiro Lobato, Oscar
anos eu escrevi o meu primeiro Wilde, William Shakespeare,

[ 23 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Agatha Christie e muitos outros. iria administrar toda sua fortuna


Sempre gostei muito de ler. seria seu tio, o Barão de
Recordo que na escola sempre Pinheiros. Tudo se transforma
tive ótimas notas em redação, quando a jovem é violada pelo
pela minha criatividade. próprio primo Felipe. A jovem
Vitoria foi oferecida ao primo em
Conexão Literatura: Você é matrimônio pelo tio para limpar
autora do livro “O Sopro do sua honra, mas se apaixona pelo
Vento”. Poderia comentar? escravo Tonho, que se torna seu
amante, arriscando a própria
Andreia Camargo: O Sopro do vida com essa relação.
Vento foi meu último trabalho, Na senzala a escrava Moema se
que está no momento sendo torna Marquesa de Casa Verde e
revisado pela brilhante faz escândalos na cidade.
profissional, a quem confio todos A esposa do Barão de Pinheiros,
os meus livros: Rosani Hoelz. Baronesa Elvira é assassinada no
Eu indico a todos os escritores o salão da casa grande e os
trabalho da Rosani, ela é suspeitos eram a criadagem.
excepcional! Esse livro conta a Ninguém poderia imaginar que
história do período da escravidão o assassino fosse alguém
no Brasil: próximo à Baronesa.
Na senzala, uma grande revolta
Em 1726 o Brasil era uma colônia dos escravos faz toda a plantação
Portuguesa, governada pelo vice- do canavial ser queimada. o
rei de Portugal, Conde de Barão de Pinheiros perde toda
Sabugosa,Vasco Fernandes fortuna, levando-o ao desespero.
César de Menezes. Vinganças, paixões, amores
Na fazenda “O sopro do vento”, perdidos e muitas emoções nesse
no Rio de Janeiro, de romance.
propriedade do Barão Rodolfo
de Pinheiros tudo estava para
acontecer, após a chegada de sua Conexão Literatura: Como foram
sobrinha, a jovem Vitoria de as suas pesquisas e quanto
vinte anos, que só poderia tempo levou para concluir seu
receber a herança de sua livro?
falecida mãe, depois que
completasse vinte e cinco anos. Andreia Camargo: Houve vezes
Nesse período de espera, quem que levei de dois até três anos

[ 24 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

para escrever um livro. Esse eu testemunhas vivas sobre a sua


levei apenas dois meses para existência. Teve uma nobre
escrever, devido a grande senhora que jurou que vira a
inspiração pela qual estava Marquesa negra nua passeando
tomada. Minhas pesquisas foram pela cidade de carroça. No meio
em bibliotecas, sites na internet, de tantas fofocas a tão esperada
para buscar os costumes e hora é chegada: o elegante
modos de falar da empregado do
época: século palácio anuncia:
XVIII. O século _ Marquês
das luzes na Manoel de Casa
Europa. Foi um Verde e sua
recorde para mim, acompanhante a
afinal, o livro tem Marquesa Moema
702 páginas. de Casa Verde.
Formou-se uma
Conexão multidão para
Literatura: olhar a mulher
Poderia destacar que estava
um trecho do qual movimentando
você acha especial todos os salões da
em seu livro? nobreza. A
Baronesa Elvira
Andreia Camargo: ao ver a entrada
Fiquei encantada da Marquesa
com o trecho Moema com o
onde a ex-escrava entra no salão mesmo modelo do seu vestido no
de festas do vice-rei do Brasil, corpo, não aguentou a vergonha
vestida como uma rainha, e desmaiou. O Barão Rodolfo,
criando estupor a todos os seu marido, a socorreu gritando:
presentes: ...As horas estavam tem um médico no salão?_
passando e os convidados rapidamente um senhor veio
começavam a se preocupar com acudir a Baronesa, que foi
a demora da Marquesa negra. imediatamente levada para casa
Alguns já estavam dizendo que pelo filho Felipe.
tudo não passava de uma lenda, Todos estavam boquiabertos
que ela nunca existira, outros com tamanha beleza e riqueza.
desmentiam dizendo que eram O vestido era o mesmo da

[ 25 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Baronesa de Pinheiros, com uma pouco mais sobre você e o seu


diferença, Moema tinha muito trabalho literário?
mais joias, uma tiara na cabeça
repleta de diamantes, pedras Andreia Camargo: Meus livros
preciosas por todo corpo, colares estão todos publicados no
caríssimos e pulseiras para Amazon. Basta escrever o meu
invejar uma rainha. Era a mulher nome e aparecem todos os meus
mais bem vestida do salão. trabalhos. São mais de vinte
livros.
Conexão Literatura: Você é
autora de vários livros, mas Conexão Literatura: Existem
existe um entre eles que seja novos projetos em pauta?
muito especial para você? Caso
sim, por quê? Andreia Camargo: Estou com
alguns projetos que serão uma
Andreia Camargo: Todos os grande surpresa para os meus
livros são como filhos. Não leitores. Eu costumo escrever em
existe o melhor! Em minha contemporânea, três livros ao
opinião, cada um nos trazem mesmo tempo. A inspiração
emoções diferentes. toma conta de mim e inicio a
Estou muito empolgada com a criar. Quando vem o período
trilogia que estou escrevendo Writer's block, sem inspiração, é
Operação Babilônia I, Operação muito triste porque pode durar
Babilônia II, (ambos já de uma semana há seis meses,
publicados) e em breve estarei depende muito. Estou no
escrevendo a Operação período de criar, é o momento de
Babilônia III, último da trilogia. aproveitar e colocar para fora
Estava muito empolgada toda a minha inspiração.
escrevendo os livros de
espionagem, até surgir à Perguntas rápidas:
inspiração para O Sopro do
Vento, que me fez viajar em uma Um livro: Guerra e Paz, de Liev
nova emoção. Tolstói, mais conhecido no
Brasil como Leon Tolstói
Conexão Literatura: Como o Um (a) autor (a): Liev Tolstoi
leitor interessado deverá Um ator ou atriz: São tantas
proceder para adquirir um personalidades, que eu seria
exemplar do seu livro e saber um leviana em citar um nome,

[ 26 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

poderia ofender algumas. Tenho revista, por esta oportunidade e


algumas amigas atrizes. Prefiro carinho. Aproveito para
dizer que no Brasil temos agradecer também a todos os
grandes talentos, que no meus leitores! Continuem lendo
momento não estão sendo sempre. Ler é como alimentar a
aproveitados. alma! Gratidão!
Um filme: O Poderoso Chefão
(1972) Vídeo do livro “O Sopro do
Um dia especial: Todos os dias vento” no youtube:
são especiais em minha opinião, https://youtu.be/apjRqIyrRgc
porque renascemos a cada
despertar. Meu site pessoal:
www.andreiacamargo.com
Conexão Literatura: Deseja
encerrar com mais algum Instagram: @andreiadecamargo
comentário? Twitter: @camargoandreia
Minha pagina no Facebook:
Andreia Camargo: Estou muito https://www.facebook.com/And
honrada pela entrevista. reiaCammargo/?ref=bookmarks
Agradeço aos responsáveis pela

Para saber mais sobre a autora, acesse: www.andreiacamargo.com

[ 27 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

“Eu tive a ideia de começar esta série porque sempre fui fã de super-
heróis, desde que me conheço por gente. Sempre gostei de ler
quadrinhos, assistir a desenhos, filmes e séries deste gênero.”

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia chamada Naira, para a qual


contar para os nossos leitores mostrei um dos meus textos
como foi o seu início no meio reflexivos. Ela gostou e leu para
literário? todos da classe e,
aparentemente, eles gostaram. A
André Soska: Eu comecei aos 13 partir desse dia nunca mais parei
anos, graças a uma professora de escrever.

[ 28 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Conexão Literatura: Você é o comédia, mistério, tem de tudo


autor da série “Black Ice”. um pouco.
Poderia comentar?
Conexão Literatura: Como foram
André Soska: Eu tive a ideia de as suas pesquisas e quanto
começar esta série porque tempo levou para concluir seus
sempre fui fã de super-heróis, livros?
desde que me
conheço por André Soska: Na
gente. Sempre verdade, eu não
gostei de ler precisei
quadrinhos, pesquisar muito a
assistir a fundo, pois, já
desenhos, filmes tinha uma
e séries deste bagagem muito
gênero. Eu grande a respeito
comecei criando de super-heróis, o
o personagem que fiz foi tentar
titular com a fugir do
ideia de convencional,
quadrinhos, mas, mas, sem
como os esquecer do
desenhos que essencial. Quanto
faço demoram ao tempo, o
muito para primeiro livro
ficarem prontos, demorou um
resolvi escrever apenas as pouco, pois, precisei criar toda a
histórias, colocando alguns origem dos poderes e dos
desses desenhos entre os personagens, o resto fluiu
capítulos dos livros. Depois que naturalmente.
escrevi os dois primeiros livros é
que surgiu a ideia de criar uma Conexão Literatura: Poderia
série inteira, não somente do destacar um trecho de cada um
personagem titular, mas, de todo dos seus livros dos quais você
um universo que o rodeia. Os acha especial?
livros englobam não somente a
ação e a ficção científica, mas, André Soska: Eu destacaria a
também, romance, um toque de frase inicial de cada livro, pois,

[ 29 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

ela condiz com um dos temas gratuitamente, disponíveis para


principais que serão abordados download e leitura online.
durante a história e seu objetivo
é fazer o leitor refletir um pouco Conexão Literatura: Existem
mais sobre o assunto ou sobre novos projetos em pauta?
algo que tenha relação com ele.
Como, por exemplo, a frase André Soska: Com certeza! Além
inicial do primeiro livro, onde eu dos dois livros já publicados, um
gostaria que o está sendo
leitor refletisse postado no site
um pouco sobre o oficial e na
que é ser um fanpage
herói: Um herói atualmente e há
não é, somente, mais um pronto
um ser para publicação,
extraordinário que sairá no
dotado de segundo
incríveis poderes, semestre deste
mas, toda e ano. Além dos
qualquer pessoa livros já escritos,
que pratica o bem estou
sem jamais se trabalhando
esquecer da atualmente em
humildade, outro e tenho
integridade e ideias para, pelo
honra. menos, mais uns
cinco. Se os leitores continuarem
Conexão Literatura: Como o curtindo, a série vai longe!
leitor interessado deverá
proceder para adquirir os seus Perguntas rápidas:
livros e saber um pouco mais
sobre você e o seu trabalho Um livro: A Favor do Vento
literário? (Duca Leindecker). Me prendeu
muito com a trama!
André Soska: Basta acessar o site Um (a) autor (a): Duca
oficial da série ou a fanpage. Os Leindecker. Gosto da
livros são disponibilizados simplicidade da escrita dele.

[ 30 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Um ator ou atriz: Damon o leitor não precisa pagar nada


Wayans. Ele sabe ser engraçado para ter acesso a eles. Eu não os
tanto quanto dramático, é muito libero de uma só vez, mas,
versátil. publico um capítulo por semana.
Um filme: O Todo Poderoso. Atualmente, publico um livro por
Porque nos faz refletir e ensina semestre e toda quinta-feira
uma valiosa mensagem. libero um capítulo. Também
Um dia especial: Meu publico vídeos com os capítulos
casamento. Um dia inesquecível! narrados, além de outras coisas.
Sugiro a todos que acessem o
Conexão Literatura: Deseja site oficial para conferirem:
encerrar com mais algum https://andresoska.wixsite.com
comentário? /blackice
Fanpage:
André Soska: Gostaria apenas de https://www.facebook.com/blac
explicar como as postagens dos kiceuniverse
livros funcionam, lembrando que

Para saber mais sobre o autor, acesse: https://andresoska.wixsite.com/blackice

[ 31 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

“Atualmente tenho diversos artigos terapêuticos publicados em revistas


especializadas brasileiras, em jornais científicos internacionais, tenho
diversos romances, contos e poesias publicados em livros impressos,
algumas peças teatrais de destaque como “Os alienados” que é um
contraponto entre comédia e abordagem terapêutica já foi inúmeras
vezes encenado no Brasil e Portugal.”

ENTREVISTA:

Conexão Literatura: Poderia Anna Lou Olivier: Aos 16 anos,


contar para os nossos leitores quando sofri uma anoxia por um
como foi o seu início no meio afogamento e perdi a memória.
literário? Eu escrevia diários para me

[ 32 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

lembrar das minhas atividades E “Cinderela que não era Bela


diárias. A partir dos diários, porque era Branca demais” (ou
comecei a escrever poesias e Três contos que eu vou te
contos, na sequência, escrevi contar!). Ambas já foram
minha primeira peça teatral encenadas por diversas cias e
“Eu inteiro, metade de mim”. ganharam diversos prêmios em
Era como eu me todos festivais. E
sentia: Inteira, 20 e-books
mas pela metade. alguns com
Como fui temas
desenganada terapêuticos e
pelos médicos, eu outros contendo
mesma segui romances.
estudando e Costumo mesclar
pesquisando diversos gêneros,
minha cura, por num mesmo
isso comecei texto, isso torna
também a meus romances e
escrever artigos textos diferentes
científicos, livros dos
didáticos e convencionais.
tornei-me uma
escritora de Conexão
vários gêneros. Literatura: Você é
Atualmente tenho autora do livro
diversos artigos “Armagedom -
terapêuticos Har Meggido
publicados em revistas (Ana e o Apocalipse)”. Poderia
especializadas brasileiras, em comentar?
jornais científicos internacionais,
tenho diversos romances, contos Anna Lou Olivier: Considero um
e poesias publicados em livros dos meus melhores romances,
impressos, algumas peças baseado em Teorias de
teatrais de destaque como “Os Conspiração (Super Teorias
alienados” que é um contraponto Conspiratórias), Teorias de
entre comédia e abordagem Teletransporte, Teorias de Sonho
terapêutica já foi inúmeras vezes Lúcido, entre outras teorias. É
encenado no Brasil e Portugal. fundamentado em estudos de

[ 33 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Física Quântica (Universos estudando e me aprimorando,


Paralelos), Paranormalidade e apesar de ter escrito todo o
Teologia. Não pretende ser romance em pouco mais de um
profético, nem religioso ou mês.
satírico. E, sim, provocar
reflexões em relação aos Conexão Literatura: Poderia
possíveis romances entre destacar um trecho do qual acha
androides e humanos, aos rumos especial em seu livro?
que a humanidade segue, aos
questionamentos que muitos Anna Lou Olivier: Acho que o
fazem enquanto outros apenas texto todo é especial, tudo se
desacreditam. E, acima de tudo, encaixa e se justifica, por isso,
a busca constante do que será não tenho como citar um
nosso futuro no Planeta Terra (?) pequeno trecho. Invés disso,
prefiro citar uma pequena
Conexão Literatura: Como foram sinopse e sugerir ao leitor que
as suas pesquisas e quanto quiser saber mais, assista ao
tempo levou para concluir seu vídeo-book que indico ao final
livro? desta entrevista.

Anna Lou Olivier: Eu escrevo “Apesar do título parecer


sobre o que eu conheço bem e religioso, o enredo foge da
por isso eu não pesquiso conotação religiosa,
especificamente para um texto. embrenhando-se pela análise do
Neste texto, eu reúno toda a citado jogo “Iluminatti”,
experiência que tenho tanto colocando em contraponto sua
teórica quanto prática em Física função de simples
Quântica (Universos Paralelos), entretenimento e sua possível
Paranormalidade influência (ou premonição?) em
(Teletransportes), Teologia. acontecimentos ocorridos no
Trago um inovador romance mundo real, mesclando com
entre uma androide e um fatos ocorridos no século XX,
humano, uma projeção do que já uma ruptura em 2019 e com
estamos vivendo e viveremos no previsões de como será a vida em
futuro. E tudo isso eu estudo e 2059, frisando que nada é místico
vivencio a minha vida toda. ou adivinhatório e, sim, uma
Então, posso dizer que levei projeção dos fatos que já estão
mais de cinquenta anos ocorrendo na atualidade. Por

[ 34 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

exemplo, já há várias exposições salvando vidas. É justamente


no mundo todo, mostrando entre um e outro teletransporte
robôs que parecem humanos e que o caminho fica livre para a
alguns até conversam, servem androide agir. E ainda tem a
bebidas e/ou cumprimentam as Professora Ana que é a mais
pessoas. No meu romance, um sensata de todas e ensina seus
desses robôs (a androide, Ana) alunos sobre as transformações
se apaixona perdidamente por que o planeta vem sofrendo e os
um humano. E será capaz de caminhos que a humanidade
tudo para conquistá-lo. está seguindo.
O nome Ana é outro detalhe que Em meio a esta trama, o desafio
merece destaque. Neste do Sistema é descobrir quem é
polêmico romance, Ana vai além androide e está do lado do
de um nome de mulher. É uma Sistema, quem é androide, mas
sigla “Agência Nacional de está torcendo pelos humanos,
Androides”, portanto, todos os quem não é androide mas é
androides têm o mesmo nome sensitivo e parece saber mais do
“Ana” e são diferenciados que o próprio Sistema. E quem é
apenas pelos seus números de intelectual ou curioso e acaba
fabricação. Ana é também o pesquisando para satisfazer sua
nome da Cientista que construiu curiosidade. Com tanta
os androides. Cabe a ela espionagem, o olho que tudo vê
inspecionar o trabalho deles que já nem consegue enxergar bem.
é de espionar os humanos que E ainda tem criança
acordam e percebem que o desaparecida, fendas no tempo,
Sistema os está sugando. Mas a Universos Paralelos, muito
Cientista ficará totalmente sem romance e ação e um final pra lá
ação a partir do momento em de inesperado”…
que Ana, a androide, se
apaixonar por Isac. Este, por sua Conexão Literatura: Como o
vez, apaixonadíssimo pela Ana, a leitor interessado deverá
Detetive, nem percebe que a Ana proceder para adquirir o seu livro
androide assumiu a e saber um pouco mais sobre
personalidade da Ana Detetive, você e o seu trabalho literário?
que é o verdadeiro amor dele.
Lembrando que Ana, a Detetive, Anna Lou Olivier: Este livro é
também é sensitiva e vive exclusividade do site Amazon.
fazendo teletransportes e Quem já é cliente Amazon

[ 35 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

precisa só se logar e procurar Quem quiser pode assistir ao


pelo nome “Armagedom Har vídeo-book.
Meggido (Ana e o Apocalipse)”. https://youtu.be/WGdwxsOU6x
Ou acessar o link direto que é: A
http://amz.onl/8STsVm2. Neste
link direto, o leitor pode ler o Conexão Literatura: Existem
primeiro capítulo grátis e, se novos projetos em pauta?
gostar, pode comprar o e-book
neste mesmo link. Quem nunca Anna Lou Olivier: Sim. Vários.
comprou no site Amazon e/ou Como Acadêmica, já está
tem alguma dúvida pode acontecendo. Tenho alguns
escrever para artigos sendo publicados em
equipe@loudeolivier.com. revistas especializadas no Brasil
e jornais científicos no exterior e
Para saber mais sobre minha uma série de palestras a fazer.
produção literária, artística e Na área artística, pretendo voltar
acadêmica, pode-se acessar meu a fazer cinema e teatro.
site pessoal:
https://acliar7.wordpress.com Tenho dois roteiros e diversas
peças teatrais que pretendo
Sobre minhas notícias, artigos e encenar. Destaque para Siga
atualizações, o site é: aquele voto (comédia romântica
https://noticiasdalou.blog - cinema), Nunca em Los
Angeles e O último planeta,
Quem quiser saber sobre tudo ambos para teatro. E também
que pesquiso e publico, é só quero dar continuidade aos
acessar meu portal. Nele, além desenhos animados do
de muitos sites e subsites com Vampirinho Vegano.
diversos temas, é possível
conhecer os meus principais Perguntas rápidas:
livros impressos e e-books,
inclusive, há uma página que Um livro: O futuro que
disponibiliza diversos e-books escreverei
que podem ser lidos, em parte Um (a) autor (a): Deus, que é
(um ou dois capítulos) Eterno e é Escritor dos
gratuitamente. Escritores!
Acesse: https://loudeolivier.com Um ator ou atriz: Jerry Lewis

[ 36 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Um filme: Todos do Jerry Lewis outros títulos de minha autoria,


(estou numa fase em que preciso não só impressos mas também
rir muito!) em e-book. Se você é Escritor,
Um dia especial: Hoje, aqui e conheça também minha
agora! campanha Direitos Autorais,
respeite quem escreve por você!
Conexão Literatura: Deseja Saiba mais acessando meu
encerrar com mais algum portal, clicando em Português e
comentário? clicando no botão “saiba tudo
sobre Lou de Olivier”. Grata a
Anna Lou Olivier: Agradeço a toda a equipe da Revista
você que leu até aqui e te Conexão Literatura pela
convido a conhecer não só este entrevista. Até uma próxima
meu lançamento, mas diversos oportunidade!

Para saber mais sobre a autora, acesse: https://loudeolivier.com

[ 37 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

[ 38 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

T
odo sábado eu passava em mas nada, o reflexo disso seria que
frente daquela casa mal o imóvel ficou esquecido no
cuidada e velha da Avenida tempo. E a curiosidade do nada
Francisco Glicério, nas existir ali cresceu no meu íntimo. E
proximidades da Avenida Senador nesses dias em que você não tem
Pinheiro Machado, canal 1, do muito a fazer, resolvi investir por
bairro Pompéia. O sobrado, porém, aquelas bandas para averiguar.
não fazia parte de minha rotina Numa tarde chuvosa que quase
casa-serviço até ao Centro de não havia ninguém pelas ruas, eu
Santos. Mas a casa em questão me voltava de um curso e resolvi
chamava atenção sempre que eu mudar meu trajeto justamente para
passava em frente, por estar entre passar pela calçada da casa. Parei
dois prédios e pela linda árvore que em frente ao portão grande de ferro
emoldurava a paisagem, mesmo e ousei, muito trêmula, mexer na
sendo tão mal cuidada. maçaneta, que para minha
Outra coisa também era a surpresa, estava aberta. Respirei
quantidade de gatos que fundo abri o portão e entrei. Com o
desfilavam pelo corredor e uns até coração batendo forte fui
ousavam ficar no portão, bem a caminhando bem devagar e em
mostra de quem passasse por ali. minha mente ia formulando uma
Sinistro cenário que não se via desculpa esfarrapada a falar caso
ninguém perambular ou estar à os donos do lugar aparecessem.
janela, nada, nenhum ser humano Passei da porta de entrada e fui até
se avistava ali. o final do corredor olhando aquela
Até cheguei a pensar que o lugar enorme casa de pintura cinza suja
era mal assombrado, que eu do tempo, com pontos de bolor,
poderia avistar algo sobrenatural, sem revestimento, os muros sujos e

[ 39 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

na cor cinza também. Vi o que me de saúde, uma espécie de


pareceu ser área de serviço, com benzedeira, como ficou conhecida,
varais estendidos de ponta a ponta, receitava ervas, chás. Mas, com o
tanque de louça bege, baldes tempo, ela foi diminuindo o
espalhados, mas nada, além disso. atendimento devido à própria
Foi quando escutei um barulho de doença até que esporadicamente
janela abrir, e uma voz feminina vinha alguém em seu auxílio, até
perguntar: ninguém mais lembrar-se dela.
— Moça, tá fazendo o que aqui? — Bem, eu estou com problema
Olhei para cima e vi uma senhora com meu namorado, por isso vim
com os braços abaixados ao consultar o que me falaram ser
parapeito. cartomante. — Clarice riu, mas me
Com a voz engasgada e vermelha convidou a entrar. — Venha
de vergonha respondi uma bobeira, conhecer minha mãe, ela gostará
que até fiquei passada: - me de conversar e só de saber que
falaram que nesta casa mora uma alguém ainda a procura, ficará
cartomante sensacional, então vim muito feliz — disse ela.
conferir. E assim entrei com Clarice até a
— Não seria benzedeira? — sala para conhecer dona Nina. Ao
Perguntou a mulher. caminhar pelo cômodo observei a
— Me falaram cartomante —, repeti pintura das paredes e móveis
toda sem graça. antigos, mas tudo limpo e em bom
A mulher riu. — Vou descer, me estado de conservação.
espere aí. — Mãe, esta jovem veio vê-la, quer
Meu Deus, e agora? Que idiotice uma consulta.
essa minha, que ridícula pensar Dona Nina, pela aparência deveria
que descobriria alguma coisa ter uns 90 anos. Ela estendeu a
entrando assim na propriedade dos mão para que eu pudesse
outros. cumprimentá-la.
— As pessoas já se esqueceram Ela fitou-me nos olhos e apertou
dela, difícil vir alguém aqui minha mão, depois pediu a outra e
procurá-la — disse a mulher. — Me segurou as duas rindo. – Mesmo
chamo Clarice moro aqui com vindo até aqui por achar que a casa
mamãe, em idade bem avançada. era mal assombrada, minha filha,
Anos atrás ela era bem procurada mas eu gostei de você. Tem bom
por pessoas que tinham problemas coração, mas se deixa levar pelo o

[ 40 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

que os outros falam. Coragem tem, E assim ela foi contando toda a sua
já que entrou e foi vasculhando — história, seu rico passado ajudando
disse dona Nina. a quem a procurasse. Foi uma
— Bem — respondi com voz trêmula tarde gostosa e não vi a hora
e antes de ser interrompida, disse passar.
que estava envergonhada por ter — Acho que já está na hora de você
ido até lá bisbilhotar. partir, não é mesmo? — Indagou
— Não se envergonhe — disse Nina. — Venha me dar um abraço
sorrindo Nina. — Veja as fotos — disse a senhora, e eu caminhei
espalhadas na parede — disse a até ela e a abracei, e Nina me falou
senhora. Estou na Cidade há quase alguma coisa junto ao meu ouvido
70 anos. Vim com dois anos da que mal consegui escutar.
Espanha com meus pais, e nos Agradeci pela boa conversa e tarde
instalamos em Curitiba, onde maravilhosa e parti.
inicie este ofício de curar junto de Eis que, no dia seguinte, senti
outras mulheres. Nós curandeiras necessidade de retornar ao local
ou benzedeiras aplicamos a para entender o que dona Nina
sabedoria ancestral em chás de havia me sussurrado.
ervas, banhos e benzimentos com Caminhei até o imóvel, e toquei a
rezas, são práticas de quem tem o campainha, mas ninguém atendeu.
dom consegue minorar muitos Bati palmas e nada. Mesmo assim,
males. Naquela época éramos novamente mexi na maçaneta e o
muito procuradas pelas pessoas portão se abriu. Caminhei pelo
que não tinham muitos recursos corredor de fora da casa e chamei
financeiros, que hoje vão se pelo nome das duas, mas desta vez,
consultar no SUS. Clarice não veio à janela. Fiquei
Notei que dona Nina, além de boa surpresa ao abrir a porta e a casa
aparência naquela idade tinha estar vazia, sem móveis, quadros e
também clareza na mente e se nada mais no local, somente muita
expressava muito bem. sujeira, mofo e mau cheiro, pois o
— Se você soubesse quantos imóvel sofrera invasão de
atendimentos para curar moradores de rua.
quebranto, bucho virado e Atravessei a avenida e fiquei
espinhela caída eu já fiz, ficaria de olhando a casa do outro lado sem
queixo caído — completou a entender. Afinal, só havia passado
senhora. um dia!

[ 41 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

E me veio à memória as últimas a bolsa, buzinei sem querer, motivo


palavras de dona Nina sussurrando que o fez atirar e correr. Vi que
em meu ouvido: minha blusa foi mudando de cor,
— Chegou a sua hora de partir. Nós até que um carro da polícia encosta
também não estamos mais neste ao lado do meu e os homens vêm
plano há tempos. Aceite o seu em socorro. Vi depois que estava
destino, você já passou tempo num hospital e os médicos
demais aqui e precisa ir embora. tentando me reanimar, sem êxito.
E de repente, uma dor forte em Neste momento, me encostei a um
meu peito ativou a minha mente. poste e a dor no peito começou
Vi que realmente a casa de Clarice novamente. Respirava já com
e dona Nina estava desabitada e dificuldade e toda a paisagem da
com placas de vende-se. Num rua foi ficando embaçada, apenas
ritmo acelerado as duas foram se conseguia enxergar a casa de dona
despedindo de mim e toda a minha Nina.
vida foi sendo passada como se Nos poucos segundos que ainda
estivesse rebobinando... restavam, vi, pela última vez, a
...Vi que estava numa festa com os simpática dona Nina acenar para
colegas do serviço e depois fui mim e balbuciando consegui
embora sozinha. Despedi-me de agradecer por seus serviços no
meus amigos no estacionamento e astral.
entrei em meu carro. Seguia — Obrigada Nina, jamais me
sossegadamente quando parei num esquecerei de você, a benzedeira,
semáforo. Olhei o relógio, eram curandeira e também a médica da
duas horas da madrugada e estava alma!
deserto. Um pensamento de seguir E todo o meu ser simplesmente
em frente mesmo com o sinal desapareceu do plano terrestre,
ainda vermelho foi tardio, pois graças à senhora, consegui subir
encostou a janela do carro um aos céus!
homem armado, que gritou para
que eu passasse minha bolsa.
Tremi de susto e medo e ao passar

Míriam Santiago é jornalista e atua em assessoria de Comunicação, e desde que se formou também em
Letras, publica livros de gêneros diversificados. Escreve contos, crônicas, minicontos e nanocontos.
Possui blog cultural sobre literatura, cinema, fotografia, cursos, antologias, livros e eventos, entre outros.
Blog: http://miriammorganuns.blogspot.com. Contato: miriansssantos@gmail.com.

[ 42 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

E la era a mais estranha da


classe. A mais
observadora das meninas
que eu conheci na vida. Ela tinha
boca enorme e um olhar tão
escuridão como uma coruja dona
da noite. Meu medo não me
permitia acompanhá-la. Sempre fui
um menino covarde. Confesso!
Fui à casa de minha avó antes de ir
grande, negro e fixador que nem os a minha. Vovó Izildra, como
meninos se atreviam a mexer ou sempre, ranzinza, não perguntava,
tirar gracinha com a cara dela. brigava logo “Isso lá são horas?!
Mas, uma coisa ela tinha que a Menino!? Cadê tua mãe que não
todos encantava: ela sabia recitar cuida de Você! Na minha época
poesia como ninguém. ainda sabiam criar os filhos...” e
Os professores eram apaixonados gritava gritava enquanto Vovô
por ela, até aqueles que não Fabiano ria como se falasse
gostavam de literatura. Entretanto, somente para si. Mas eu via um ar
o que eu não conseguia entender de aprovação por parte de meu avô.
era para onde ela ia todas as tardes Mesmo sem dizer muitas palavras,
depois da escola. Ela subia uma Vovô Fabiano era esperto. Na
rua enorme e uma ladeira também juventude, fora professor de Latim.
enorme. Que eu não subiria todos Não sei bem o que era isso na
os dias, pois ficava fatigado logo época, mas ele era.
logo. Mas ela subia.
Um dia eu a segui. Pedalei até o Encostei minha bike no portão e
final da rua. Uma ruela estreitinha fui até a cadeira do outro lado da
e escura que me dava arrepios. Ela rua que vovô estava sentado. E
andava com pressa ou era o seu comecei a perguntar a ele, se ele
jeito de andar mesmo, até hoje não sabia alguma coisa daquela
sei! Mas sei que ela se perdia na menina que há tempo estava no

[ 43 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

meio de todos, mas ao mesmo Assim era Irauçuba em minha


tempo estava tão sozinha. infância. Acredito que até hoje
— Você está falando de Velzabel? deva ser assim. Há trinta anos não
Era esse o nome dela e eu nem vou aquele lugar quente e sombrio
sabia. Fazia poucos dias que eu de minha infância.
havia me matriculado na mesma O importante é que lá vivi os
classe daquela pessoa estranha. poucos anos ao lado e nos seios de
— A pequena deve ter seus mamãe. Minha vida era simples até
motivos para se esconder. Vai ver minha primeira década. E entre
não gostou de você! esta e a segunda, duas mulheres
E assim vovô com suas mãos em povoaram minha mente nos anos
minha cabeça, sorridente como de minha primeira infância: Maria
sempre, dizia: das Dores (a mamãe) e Velzabel
— Deixe a pequena em paz. Um (não digo meu primeiro amor,
dia você saberá alguma coisa dela. talvez minha melhor companhia
Vá para casa que sua mãe deve nos meus primeiros anos de
estar preocupada. E nas condições homem, em momentos de dor).
em que ela se encontra é bom Assim eram os meus dias: pela
mesmo, não preocupá-la. manhã ia à escola. Gostava porque
Vovô falava de mamãe em era um lugar intrigante, mais ainda
condições ruins, porque quando pela presença de Velzabel. Nas
Velzabel apareceu em nossas vidas, aulas de Português, ela lia em voz
foi no momento em que minha muito alta, roca, quase a pôr medo
mãe estava muito doente. Alguns em quem ouvia sua leitura. Nos
diziam que era câncer no útero, textos de Álvares de Azevedo ou de
outros nas mamas, outros Alphonsus de Guimaraens ela lia
especificavam outros órgãos... com tanta intensidade, como se
Porém, lá em casa papai preferira tivesse ao lado de Ismália quando
dizer apenas que “Ela está esta estava caindo da torre que o
doente!”. E, assim tratamos tal poeta dizia na poesia. Nos
mamãe apenas como uma mulher textos de Azevedo, ela falava da
doente. Em todo o verão foi assim morte da amada do poeta como se
naquele ano. Porque onde nós chorasse, como se ela também
morávamos só tinha verão. Até as tivesse perdido alguém na vida.
noites eram quentes. Só se sabia Então eu descobri uma coisa sobre
que era noite porque ficava escuro. aquela menina. Ela só gostava de

[ 44 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

ler livros cujos temas eram: solidão, mesas da biblioteca, eu viajava


tristeza, morte, compaixão. E eu ouvindo “As Viagens de Gulliver”,
sabia disso, porque passei a segui- ria que nem desesperado assistindo
la quando ia à biblioteca. Ela não na minha imaginação, como se
sabia. Até hoje, ela não saiba que fosse filmes de comédia as
durante alguns meses de minha narrativas de Machado de Assis
vida passei a segui-la como um cão como: “O Alienista” ou “A Igreja
de guarda, a dois lugares que ela do Diabo”. E cresci recitando
gostava de ir: a biblioteca e a algumas falas de Brás Cubas. Ela
Igreja. adorava Machado. E com um
Esse último lugar eu nunca entendi tempo, eu aprendi com ela a gostar
porque ela gostava de ir. Num dele também.
seminário na aula de História ela Quando ela lia, sempre era em voz
falou sobre a Igreja na época da alta. Não incomodava ninguém
Idade Média — e pelo o que ela porque a biblioteca ficava a maior
dizia, não gostava de padres. Então parte do dia vazia. As outras
pensei no fato e estranhei. Mas meninas não gostavam dela por
estranho ainda, era que ela ia às isso. Aliás, eu nunca vi em
missas só depois que a missa Velzabel um par de pernas que me
acabava. Quando todos os fiéis seduzisse, um olhar ou cabelos que
saiam, ela entrava. E ficava horas me despertasse algum desejo de
olhando a imagem de Jesus Cristo, menino. Ela sempre trajava preto.
como se tivesse falando com Ele e Cabelos longos cacheados como se
ouvindo o que Ele teria a lhe dizer. tivessem em ondas, mesmo contra
Dois anos após eu fui descobrir os ventos ou a poeira constante em
porque ela agia assim. Irauçuba. O que era encantador
Ela era uma leitora a dar inveja a nela, que povoava meus sonhos e
qualquer professor de português: do nada eu despertava eram: o
professor Teófilo que o diga! Ele sorriso largo e a voz que me
era o mais importante professor da embalava na imaginação que eu
escola, mas não curtia muito ler. tinha ao ouvi-la ler como se fosse
Talvez as pessoas confundissem para mim. Isso fazia dela a menina
anos de serviço por importância mais especial da minha vida, após
intelectual. Todavia, eu gostava a minha mãe. E, eu só fui perceber
muito de acompanhar as leituras esse encanto por ela, anos depois
de Velzabel. Às vezes, embaixo das que eu a perdi.

[ 45 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

Crescemos assim. Pela manhã correndo pela cidade a pé. A


escola. As tardes à biblioteca, a procurar um lugar para me
exceção de quintas, que íamos à esconder como se não quisesse
missa. Sem ela saber. Lógico! E a entender que eu havia perdido-a
noitinha, ela descia aquela ruela para sempre. Sempre! Corri pelos
escura que eu não me atrevia a becos e pelas ruas quentes daquela
acompanhá-la. Então ia a minha cidade do sertão. Quando dei por
casa. Lá encontrava não no portão mim, estava em frente a uma
a esperar por mim. Mas, eu ia ao casinha pequena de dois cômodos.
encontro dela num quarto, escuro. Uma salinha pequena com um
Às vezes, sei que também chorava. caixote bem no centro, com dois
Que no fundo do coração sonhava livros sobre o mesmo. Uma parede
como o Álvares de Azevedo de com imagens de meninas com as
Velzabel, entretanto, não me dizia mãos para cima, como se tivessem
nada de sua dor. Porque em meu pedindo para alguém abraçá-las.
coração eu sempre via um sorriso No outro cômodo: uma mesa sem
lindo da mulher que me deu a vida nenhuma coberta. Paredes de barro
e que eu lembro todos os dias até a mostra. E lá no pequeno quintal,
hoje. Ela, cabelos longos, negros e uma pessoa recitava uns versos
lisos como uma curva sem buracos. como se tivesse a rezar uma Ave-
O olhar negro e brilhante, Maria. Era ela: Velzabel.
moribundo como a noite. Ela Ela me olhou fixamente com
minha mãe. aquele olhar negro que nunca mais
Uma triste manhã de domingo, de esqueci em minha vida. Eu não
24 de dezembro ela partiu sem ao sabia dizer uma só palavra. E ela
menos me dizer adeus. Papai pela primeira vez, apesar de nossa
inconformado chorava e tímida convivência, falou comigo.
amaldiçoava os santos e os
médicos. Vovô Fabiano gritava em — Ela também foi embora?
sua dor. E pela primeira vez, em Eu ainda desnorteado, parei e lhe
minha vida em 40 anos de disse com os olhos cheios de
existência, lembro-me só dessa lágrimas. Você não sabe o que é
vez, que eu vi vovó Izildra quieta, perder alguém que esteve sempre
sem lamentar, atônita, sem proferir com você.
ou amaldiçoar um santo! Eu não Ela com olhos mais fixos ainda nos
sabia o que fazer. Só sei que sai meus.

[ 46 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

— Você não sabe o que é passar a fomos embora para o sul do país
vida inteira esperando por alguém em busca de melhores condições
que um dia você sabe que passou de vida, de trabalho e para
em sua vida. Você não sabe o que é esquecer mamãe. Ele não me disse
viver todos os dias a esperar por isso, mas eu já sabia. Já estava
alguém, que não vem lhe ver ou lhe começando a entender as coisas. Já
buscar para ser sua filha. Você não estava começando a viver. Ele
sabe o que é esperar por um queria esquecer mamãe e eu no
milagre. fundo Velzabel. Na verdade, nunca
Dessa forma, eu descobri o motivo mais voltei àquele triste lugar
e a estranheza daquela menina de porque minhas ismálias caíram dos
olhar triste. Depois, meu avô me céus e caíram nos mares da morte.
disse que ela havia sido Mamãe morreu de câncer e
abandonada por seus pais e fora Velzabel de uma fome e uma
criada pela vida e pelas casas que grande seca que houve em
Deus havia colocado em seu Irauçuba.
caminho. Aquela pobre moça teve Sem elas, aprendi a viver sozinho e
uma vida mais difícil. E era mais a imaginar ouvindo minha própria
corajosa do que eu sempre fui. voz e meu coração, mesmo que
Quando mamãe morreu, papai não nunca tenha tirado elas de dentro
quis mais ficar naquele lugar. E dele.

Cristiane de Mesquita Alves é Professora de Literatura nos ensinos Médio e Superior. Graduada em
Letras- Português (UEPA), Letras- hab. Espanhol (UNAMA); Especialista em Análise Literária; Mestra
em Comunicação, Linguagens e Cultura (UNAMA); Doutoranda em Comunicação, Linguagens e
Cultura (UNAMA/Bolsista CAPES). E-mail: cris.mesquita28@hotmail.com.

[ 47 ]
CONEXÃO LITERATURA – Nº 33

[ 48 ]