Você está na página 1de 46

Direção de TV

Organograma de TV
Rafael Batista
Rede Minas
Organograma Geral
Organograma
TV UFMA
Administrativo

 Logística e Transporte
 Recursos Humanos
 Planejamento e Orçamento

 (Departamento Comercial)
Engenharia e Operações

 Direção Técnica
 Manutenção de equipamentos
 Monitoração de sinal e transmissor
 Operações e Transmissão
Direção de Jornalismo

 Redação
 Produção e administração do Telejornal
 Produção de matérias e reportagens
Direção de TV

 Diretor de programação
 Diretor artístico ou de produção
 Diretor de programas
 Diretor de imagens (TV)

 (Anexo ao Decreto nº 84.134, de 30 de outubro de 1979)


 (Alterado pelo Decreto nº 9.329 , de 4 de abril de 2018 )
Direção de Programação

 Controle da grade programação


 Demanda produtos para preencher a grade
 Demanda tempo dos programas e intervalos
 Adequa horários de exibição dos programas
 Operação de Master
Direção de Produção

 Criação de programas;
 Execução de projetos;
 Seleção e supervisão de equipe.
Direção de Programas

 Condução das gravações ou transmissões;


 Gerenciamento de equipe e recursos.
Direção de Imagens

 Seleciona as imagens a serem gravadas ou


transmitidas
 Direciona o enquadramento de movimentos
de câmera.
 Opera a mesa de corte.
Verão Nordeste

VERÃO NORDESTE. Produção de Globo Nordeste. Recife: Rede Globo, 2018


Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=W45Te4Dqcow
O “Switcher”

 Principal instrumento de trabalho do Diretor


de Imagens
 Controla a imagem que vai ser transmitida ou
gravada
A equipe na sala de corte

 Diretor de Programa;
 Diretor de Imagens/TV;
 Assistente de Direção;
 Operador de áudio;
 Operador de GC;
 Operador de VT/Playout;
 Produtor
A equipe no estúdio/externa

 Assistente de direção;
 Assistente de produção;
 Iluminador/Diretor de Fotografia;
 Operadores de Câmera
 Diretor Técnico
 Cenografia
Switcher na MTV

ENTRETENDO. Produção de TV Tarobá. Paraná: BAND, 2012


Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=WWQvm4NRMSE
Transmissão e Gravação

 Ao Vivo x Gravado
 Estúdio x Externa

 Transmissão de programas ao vivo


 Ao vivo em Estúdio
 Ao vivo em Externa
 Transmissão de programas gravados
 Gravado em Estúdio
 Gravado em Externa
A externa

 Unidade Móvel
 “Leva o estúdio pra rua”
Mochilink

 Praticidade na transmissão
 Transmissão por IP através de conexão 4G
O “Newscop”

Solange Freitas, nos bastidores do helicóptero globocop.


Produção de Toninho Pinheiro Santos. São Paulo: YOUTUBE, 2016.
Disponivel em: https://www.youtube.com/watch?v=ijoBLDzpnOs
Outras soluções
Outras soluções
Outras soluções
Direção de TV fora da TV?

 Produtoras audiovisuais independentes;


 Agências de propaganda;
 Editais públicos;
 E outros seletivos.
Produções Originais na FOX
Edital Canal FUTURA
Dirigindo para TV e Cinema

Fernando Meirelles - Cinema X TV. Produção de Sonhar TV, 2012.


Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=Y4mia9ysu84
Como começa um produto para
TV?
Bibliografia:
 BONASIO, Valter. Televisão: Manual de Produção e Direção.
Belo Horizonte: Editora Leitura, 2002.
 BRASIL. Decreto nº 9.328 , de 4 de abril de 2018. Altera o
Anexo ao Decreto nº 84.134, de 30 de outubro de 1979, que
regulamenta a Lei nº 6.615, de 16 de dezembro de 1978.
 BRASIL. Decreto nº 84.134, de 30 de outubro de 1979.
Regulamenta a Lei nº 6.615, de 16 de dezembro de 1978.
 BRASIL. Lei nº 6.615, de 16 de dezembro de 1978. Dispõe
sobre a regulamentação da profissão de Radialista e dá
outras providências.
 WATTS, Harris. On Camera. São Paulo : Ed. Summus, 2001.