Você está na página 1de 7

1.

Sistema Neuro-Hormonal
O bom funcionamento dos diversos sistemas que constituem o organismo humano só é possível devido
à acção coordenada de dois sistemas, o nervoso e o endócrino.

O sistema nervoso possibilita actividades como ver, pensar, sentir emoções, comunicar e executar
movimentos ou sentir dor. Uma das funções do sistema nervoso é defender a integridade do organismo
e prevenir eventuais lesões.

O sistema endócrino intervém principalmente no metabolismo (conjunto de todas as reações químicas


que ocorrem no corpo).

1.1.Como é constituído o sistema nervoso?

1.2.Células nervosas

O sistema nervoso é constituído por milhões de neurónios (fig.1).

Um neurónio típico é constituído por um corpo celular, onde se podem observar o núcleo, e dois tipos
de prolongamentos: as dendrites e o axónio.

Os axónios estão, muitas vezes, revestidos por uma estruturaprotectora, a bainha de mielina. Na parte
final dos axónios pode observar-se um conjunto de ramificações, conhecido por arborização terminal.
Os axónios e certas dendrites associam-se para formar nervos. Os nervos fazem parte do sistema
nervoso periférico.

Fig 1 – Estrutura básica de um neurónio

Fig 2 – Estrutura de um nervo

1.2.1. Tipos de neurónios

Existem vários tipos de neurónios e consequentemente vários tipos de nervos tais como:
Os neurónios têm a capacidade de receber e transmitir mensagens de e para outros neurónios ou
outras células. Estas mensagens designam-se por impulsos ou influxos nervosos e são de natureza
eletroquímica.

1.3.Propagação do impulso nervoso

O impulso nervoso é transmitido de um neurónio no nervo para outro, no Sistema Nervoso Central. O
impulso nervoso propaga-se entre as dentrites de um neurónio e a arborização terminal de outro. As
células não se tocam.

Essa região de contacto chama-se sinapse. A chegada do impulso nervoso faz com que as vesículas se
fundam com a membrana pré-sináptica.

Os neurotransmissores são libertados na fenda sináptica e ligam-se a recetores localizados na


membrana pós-sináptica, localizada em outra célula.

É a ação destes neurotransmissores que é responsável pela passagem do impulso para a célula
seguinte. Os neurotransmissores deixam de estar ligados aos recetores e são “desmontados” por
enzimas.

2. Sistema Nervoso Central (SNC)


O sistema nervoso central (SNC) é um centro de comando, constituído pelo encéfalo e pela medula
espinal.

2.1.Constituição do encéfalo

O encéfalo, o órgão mais volumoso do sistema nervoso, está protegido pelos ossos do crânio e por três
membranas, as meninges. O encéfalo divide-se em dois hemisférios cerebrais, separados por um sulco
profundo. Em cada hemisfério podem distinguir-se pregas sinuosas conhecidas por circunvoluções.

Entre as partes que constituem o encéfalo destacam-se o cérebro, onde se encontra o hipotálamo, o
cerebelo e o bolbo raquidiano.

No cérebro localiza-se o hipotálamo, órgão importante no controlo da temperatura corporal, do apetite,


da sede, dos ciclos sexuais, e de emoções como o medo e a raiva.

2.2.Constituição da medula espinal

A espinal medula é uma estrutura longa e frágil que começa na extremidade do bolbo raquidiano e se
prolonga pelo interior da coluna vertebral, onde está protegida pelas vértebras e pelas meninges. A
medula espinal é responsável pela condução dos impulsos nervosos entre os órgãos periféricos e o
encéfalo e vice versa.

3. Sistema Nervoso Periférico (SNP)


O sistema nervoso periférico determina funções voluntárias e outras que são involuntárias.

3.1.Constituição do SNP
O SNP é constituido pelos gânglios nervosos (aglomerados de corpos celulares de neurónios) e pelos
nervos cranianos e raquidianos, cuja função é enviar continuamente ao encéfalo e à medula espinal
informações sobre o que se passa no organismo, transportando as suas respostas.

Nervos cranianos: são nervos que transmitem mensagens de e para o encéfalo. Enervam, os orgãos
sensoriais situados na cabeça e os músculos da face.

Nervos raquidianos: são nervos que transmitem mensagens de e para a medula espinal. Emergem
entre as vértebras e ramificam-se para chegar a muitos dos orgão internos.

3.2.Divisão do Sistema Nervoso Periférico

O sistema nervoso periférico divide-se em dois outros sistemas devido às formas de atuação dos
mesmos:

. O sistema nervoso somático é responsável pelos atos ou movimentos voluntários.

. O sistema nervoso autónomo regula processos involuntários.

3.3.Atos Voluntários e Involuntários

Atos voluntários: movimentos determinados pela nossa vontade consciente e comandados pelo
cérebro. Ex: correr, escrever e ler.

Atos involuntários: movimentos não determinados pela nossa vontade que ocorrem em resposta a
estímulos internos ou externos (sinais físicos ou químicos que originam uma reação no organismo). Ex:
bater do coração, produção de sucos digestivos.

3.4.Diferença entre o ato reflexo e o arco reflexo

Ato reflexo ou reflexo é a resposta involuntária a um estímulo externo e o arco reflexo é o trajeto
seguido pelos impulsos nervosos que permitem a execução de um ato reflexo.
Reflexos inatos ou instintos – reflexos que já nascem com as pessoas.

Reflexos condicionados ou adquiridos – reflexos adquiridos ao longo da vida, através de uma


aprendizagem.

3.5.Sistema Nervoso Automóno

O sistema nervoso automóno, responsável pelo controlo das funções vitais, pode ser dividido em:

. Sistema Simpático é um sistema de alerta que coloca o corpo em condições de enfrentar situações
de emergência;

. Sistema Parassimpático mantém o organismo numa situação de menor consumo de energia.

4. Sistema Endócrino
O sistema nervoso controla o sistema endócrino através da ação do hipotálamo sobre a hipófise,
glândula que, por sua vez, controla o funcionamento de todas as outras.

Hormonas – substâncias químicas que têm a capacidade de influenciar a atividade de órgãos e de


tecidos (órgãos-alvo ou tecidos-alvo).