Você está na página 1de 4

SISTEMA DE SEGURANÇA Página 1 de 4

EMISSÃO:
ORDEM DE SERVIÇO 20/01/2011
REVISÃO:

TRABALHAR COM SEGURANÇA É VALORIZAR A VIDA


SISTEMA DE SEGURANÇA Página 2 de 4
EMISSÃO:
ORDEM DE SERVIÇO 20/01/2011
REVISÃO:

ASSUNTO: Responsabilidades e Medidas de Segurança para atividades: ELETRICISTA -


Distribuição I, II III e Auxiliares, Linhas de Transmissão e Manutenção de
Equipamentos I, II e III.

1 - OBJETIVO

Orientações sobre medidas de segurança para prevenir acidentes e doenças ocupacionais


nos trabalhos relativos a sua função bem como suas responsabilidades após orientações.

2 - DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA
LEI: 6.514 – 22/12/77 – Port.: 3.214 – 08/06/78
NR 01 - Disposições Gerais
NR 06 - Equipamentos de Proteção Individual – EPI
NR 07 – PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional
NR 09 – PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
NR 10 – Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade
NR 17 - Ergonomia
CLT - Consolidação das Leis do Trabalho

3 – DEFINIÇÕES:
 Segurança do trabalho: Pode ser definida como um conjunto de medidas técnicas, administrativas, psicológicas e educacionais
que visam dar melhores condições de trabalho e prevenir acidentes e doenças que possam acometer os trabalhadores.
 Acidente do trabalho: Ocorrência não programada que interrompe ou interfere uma atividade podendo ocasionar: perda de
tempo, danos materiais, danos físicos.
 Conceito Legal:: Será aquele que ocorrer pelo exercício do trabalho, a serviço da empresa, provocando lesão corporal,
perturbação funcional ou doença que cause a morte, a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o
trabalho

4 - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES:

- AUXILIARES DE ELETRICISTA DE DISTRIBUIÇÃO : Auxiliar as atividades do eletricista de distribuição.


- ELETRICISTA DE DISTRIBUIÇÃO: Ligação, corte e religação de consumidores secundários; Identificação -de irregularidade na
medição; Limpeza de rede e substituição de transformadores; Poda de árvores; Ligações, emendas de cabos condutores ou de ramais aéreos
e cabos de bitolas desiguais (jumpers); Troca de postes danificados; Instalação de cobertura de proteção e conjunto de elevação, amarração
de fios e cabos condutores aos isoladores respectivos; Troca de cruzetas; Instalação de medidores; Substituição de medidores avariados;
Substituição de disjuntores, ramais, redes partidas e trançadas, transformadores abertos e derivações; Execução de manobras de abertura e
fechamento de transformadores; Leitura de trafo de distribuição; Leitura de medidores de consumidores dos grupos A e B; Leitura,
levantamento de carga em unidades consumidoras do grupo B; Vistoria em linhas e redes de distribuição; Troca e colocação de elo-fusível;
Operação de equipamentos de comunicação em subestações; Montagem preventiva em redes e linhas de distribuição desenergizadas;
Condução de veículos da Empresa, quando necessário, para execução de serviços inerentes à sua ocupação; Assume outras
responsabilidades correlatas às acima descritas;
- LINHAS DE TRANSMISSÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS: Manutenção preventiva e de emergência
em linhas de Transmissão; Inspeção terrestre e aérea em linhas de transmissão de alta tensão; Execução de limpeza e
conservação de faixa de servidão da linha, incluindo postes e acessos; Poda de arvores e trepadeiras ao longo das linhas de
transmissão; Afixação de placas de identificação em torres de linhas de transmissão; Montagem de estruturas de
emergência; Combate à abelhas (estrutura de concreto) Condução de veículos da Empresa, quando necessário, para
execução de atividades inerentes à sua ocupação; Assume outras responsabilidades correlatas às acima descritas.

5 - RISCOS MAIS COMUNS


 Corpos Estranhos nos olhos
 Choque Elétrico  Risco no Trânsito (choque mecânico)
 Queda de Altura  Riscos Ergonômicos:
 Queimaduras - postura inadequada
 Queda de objetos - jornada de trabalho prolongada
 Cortes e perfurações nos pés e mãos - levantamento inadequado de peso
 Picada por animais peçonhentos

TRABALHAR COM SEGURANÇA É VALORIZAR A VIDA


SISTEMA DE SEGURANÇA Página 3 de 4
EMISSÃO:
ORDEM DE SERVIÇO 20/01/2011
REVISÃO:

6 - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

Uso obrigatório Uso eventual

 Calçado de Segurança  Bota cano longo (coturno)


 Capacete aba total com Jugular  Perneiras
 Cinto de Segurança com Talabarte  Respiradores (Máscara)
 Luvas de Vaqueta  Protetor Auricular
 Luvas de Borracha de 2,5, 5 e 20 kV
 Luvas de Proteção de Luvas de Borracha
 Óculo de segurança Lente incolor e Escura

7 – EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO COLETIVA - EPC

 Aterramentos Temporários primários e secundários;


 Detector de Tensão;
 Vara de Manobra
 Bastão pega-tudo
 Placas
 Cones
 Fitas de Segurança

8 - PROCEDIMENTOS
 Somente poderá operar no SEP – Sistema Elétrico de Potência pessoas devidamente Habilitada, Qualificada e ou Capacitada;
 Todo o trabalho deverá ser realizado de forma segura, atendendo ao especificado nos Procedimentos Internos da empresa;
 Usar obrigatoriamente os equipamentos de proteção individual e coletiva, fornecidos pela Empresa, bem
como o uniforme (camisa antichama) ou trajes adequados, apresentáveis e limpos;
 A máxima atenção e cuidado deverão ser tomados ao executarem os serviços, sendo indesejáveis e altamente
perigosas as brincadeiras de mau gosto e outras atitudes que possam distrair a atenção..
 Todo o trabalho em altura deverá ser realizado sempre com o Cinto de Segurança completo, capacete e óculos de segurança;
 Transitar com escada somente com a bandeirola;
 Colocar o carro sempre protegendo a escada no sentido do trânsito, respeitando os 5 metros exigido pelo código de trânsito;
 Proceder com a sinalização (cones);
 Colocar a escada sempre do lado onde será realizado o serviço;
 Amarrar a escada firmemente de forma adequada;
 Ao subir na escada deverá estar devidamente equipado com os EPI;
 Realizar levantamento de peso de forma adequada;
 De acordo com o item 10.5.1 da Norma Regulamentadora – NR 10 s omente serão consideradas desenergizadas as
instalações elétricas liberadas para trabalho, mediante os procedimentos apropriados, obedecida a seqüência abaixo:

1) SECCIONAMENTO – abertura de chave (desligamento de energia);


2) IMPEDIMENTO DE REENERGIZAÇÃO – aplicação de travamento mecânicos(caso necessário) por meio de fechaduras,
cadeados e dispositivos auxiliares de travamento ou utilização de sistema informativos de travamentos;
3) CONSTATAÇÃO DE AUSÊNCIA DE TENSÃO – utilização do detector de tensão(observar a escala do detector) e do alicate
voltímetro(somente utilizado em Redes de Baixa Tensão);
4) INSTALAÇÃO DE ATERRAMENTOS TEMPORÁRIOS COM EQUIPOTENCIALIZAÇÃO DOS CONDUTORES – (fincar
haste a aproximadamente 70 cm no solo e a ligação do condutor de aterramento a haste, posteriormente içar o conjunto de
aterramento e conectar aos condutores previamente desligados),
5) PROTEÇÃO DOS ELEMENTOS ENERGIZADOS EXISTENTES NA ZONA CONTROLADA – isolação conveniente – caso
necessário(mantas, calhas, capuz, material isolante, cobertura de condutores flexíveis e rígida etc.)
6) INSTALAÇÃO DA SINALIZAÇÃO DE IMPEDIMENTO DE REENERGIZAÇÃO – sinalização informativa da existência da
desenergização);
 Item 10.5.2 da Norma Regulamentadora – NR 10 - O estado de instalação desenergizada deve ser mantido até a autorização para
reenergização, devendo ser reenergizada respeitando a seqüência de procedimentos abaixo:
a) retirada das ferramentas, utensílios e equipamentos;
b) retirada da zona controlada de todos os trabalhadores não envolvidos no processo de reenergização;
c) remoção do aterramento temporário, da equipotencialização e das proteções adicionais;
d) remoção da sinalização de impedimento de reenergização;
e) destravamento, se houver, e religação dos dispositivos de seccionamento.
 As Equipes deverão manter COMUNICAÇÃO freqüente via rádio com o COR – Centro de Operações Regional e COS – Centro
Operacional do Sistema, informando chaves abertas, equipe em Campo e atividades;
 Dirigir Defensivamente(não esqueça do Cinto de Segurança) e quando for falar ao celular, estacionar o veículo em local seguro;
 É proibido fazer gambiarras;
 Quando for realizar uma atividade, que não ofereça condição mínimas de segurança, chamar o seu supervisor, para que juntos

TRABALHAR COM SEGURANÇA É VALORIZAR A VIDA


SISTEMA DE SEGURANÇA Página 4 de 4
EMISSÃO:
ORDEM DE SERVIÇO 20/01/2011
REVISÃO:

encontrem uma forma segura de fazê-la.


 Fazer exames médicos regularmente de acordo com o PCMSO - Programa de controle Médico e Saúde Ocupacional;
 No caso de Acidente ou Doença relacionada ao Trabalho comunicar imediatamente ao encarregado imediato, CIPA e SMT –
Segurança e Medicina do Trabalho.

9 – PROIBIÇÕES:
 É terminantemente proibido o uso de adornos durante as atividades tais como: anéis, alianças,
correntes, brincos, pulseiras, relógios, etc.;
 Não consumir bebida alcoólica ou qualquer outro tipo de entorpecente;
 É proibido a obstrução dos Equipamentos de Combate a Incêndio tais como: Extintores, Hidrantes, etc. bem como
sua utilização indevida;
 É proibido a utilização dos EPI/EPC para atividades que não estejam relacionadas à empresa.
 É proibido a utilização de EPI/EPC que não sejam fornecidos pela empresa.

10 - OBSERVAÇÕES
 O não cumprimento ao disposto nesta ordem de serviço, sujeita o trabalhador às penas da lei, que vão desde
advertência, suspensão até demissão por justa causa;
 Art. 482 da CLT - “Constitui justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador:
b) incontinência de conduta ou mau procedimento.”

Declaração:

Declaro ter recebido da CEMAT – Centrais Elétricas Matogrossenses, as orientações


que fazem parte deste documento, bem como, cópia do mesmo, comprometendo-me a
seguir as orientações nele contidas e reconhecendo serem elas indispensáveis a minha
segurança e a de meus colegas de trabalho.

Nome:

Matrícula:

Assinatura:

MINISTROU O TREINAMENTO

Nome: XXXXXXXXXXX

Função: Técnico de Segurança do Trabalho

Assinatura:

____________________________
Coordenador da área

TRABALHAR COM SEGURANÇA É VALORIZAR A VIDA