Você está na página 1de 27

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

Orientador:
Prof. Rogerio Moura DE Oliveira
Prof. Jonas Benedett Dorr

ETAPA 3

PROJETO INTEGRADOR lV

Grupo 04
Sala: 125
Período: Matutino
Turma: B
Campus: Santo Amaro

Nome: Mario Santos RA: 2214201656


Renan Vieira RA: 2214205083

Wesley Mendes RA: 2214204660

Weslley Souza RA: 2215204389

São Paulo
2018
UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

PROJETO INTEGRADOR lV

ETAPA 3

Nome: Mario Santos

Renan Vieira

Wesley Mendes

Weslley Souza

Engenharia Civil – 8º Semestre


Campus: Santo Amaro – Manhã
Sala 125 – Prédio B
Orientadores: Jonas Benedett Dorr
Rogério Moura de Oliveira.
Etapa 02 Grupo 04

São Paulo
2018
Resumo

A terceira etapa do projeto busca atender os conceitos e metodos de cálculo


aplicados ao projeto estrutural, com base no conteudo programatico da
Universidade Nove de Julho. O desenvolvimento do contexto seguiu como
parametro a literatura de Libanio M. Pinheiro e as aulas de estrutura de concreto
armado II, ministradas pelo professor Sr. Jonas Benedett Dorr; Rogério Moura
de Oliveira.

Palavras-chave: Projeto; Dimensionamento; Pilares; Vigas; Lajes;.


abstract

The third stage of the project seeks to meet the concepts and calculation methods
applied to the structural project, based on the program content of the University
of Nove de Julho. The development of the context followed as a parameter the
literature of Libanio M. Pinheiro and classes of structure of reinforced concrete II,
taught by professor Mr. Jonas Benedett Dorr; Rogério Moura de Oliveira.

Keywords: Project; Sizing; Pillars; Beams; Lajes


INTRODUÇÃO

Esse trabalho tem como objetivo apresentar os critérios e métodos para o


dimensionamento das lajes do pavimento tipo e cobertura da edificação em
estudo, para isso, foi necessário realizar seus devidos cálculos, para a melhor
elaboração de instalação e execução do projeto a baixo.
Apresenta também equações gerais de dimensionamento e regras ABNT, como
também tabelas para melhor entendimento.
O trabalho objetiva a apresentação de aplicações de exemplos relacionados à
em um determinado local de forma clara, de como deve ser executado em cada
pavimento.
O trabalho desenvolvido estabelece o dimensionamento estrutural de uma
edificacao residencial, composto por quatro (04) pavimentos tipos, um (01)
pavimento terreo e a cobertura. Tratando de estabelecer o projeto integrador, a
Universidade Nove de Julho – UNINOVE atraves de roteiros e pre-aulas orientou
o desenvolvimento deste trabalho. Obtivemos com os professores orientadores
o respaldo construtivo de nossos objetivos, em concomitancia com as
fiscalizacoes didaticas, e assim determinamos o que se vera adiante; um projeto
de carater didatico para estudo e aprendizagem.
Metodologia

Para a execução do dimensionamento estrutural desse edifício serão usados


três programas, sendo um o AutoCad, que será usado para confecção dos
projetos arquitetônicos e o segundo será o Ftool que será usado na analise
estrutural e bidimensional do projeto , Excel para planilhas de calculos..
Carregamento das Vigas

O carregamento das vigas foi calculado de acordo com as normas NBR 6120 e
NBR 6118 e considerando o peso próprio (de acordo com o peso específico do
concreto armado), as paredes e seus revestimentos que ficam sobrepostas
somente as vigas e as reações de apoio que as lajes descarregam nas vigas,
além de cargas concentradas geradas pelas reações de vigas que são apoiadas
em outras vigas (quando necessário).
Os cálculos foram feitos utilizando formulas abaixo:

Pp = b* h * γc
Prev = erev * hrev * γrev
Palv = ealv * halv * γalv
Sendo: halv = hrev = Pé direito estrutural – h
Ptotal = Pp + Prev + Palv + Preação,t

Sendo que pode haver duas reações das lajes para o mesmo trecho de viga e
quando isso ocorre, deve-se somar as duas reações e as duas reações que são
somadas para gerar a Preação,t podem ser observadas na coluna Preação,v.
Os resultados para cada Viga do pavimento tipo podem ser observados na tabela
abaixo:

Cáuculo:

Viga 9

Trecho 1

Peso próprio = 25 * 0,19 * 0,5 = 2,375 kn/m

Alvenaria = (13 *0,19 + 20 *0,06) *3,5 =12,845 kn/m

Reação de apoio = 9,36 kn/m

Total = 2,375 + 12,845 + 9,36 = 24,58kn/m


Tabela: Dimensionamento das Vigas

Pav.Tipo 4x

Viga09
trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 9,36 24,58
2 2,375 12,845 19,97 35,19
3 2,375 12,845 4,96 20,18
4 2,375 12,845 19,97 35,19
5 2,375 12,845 9,36 24,58

Viga11
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 9,36 24,58
2 2,375 0 22,82 25,195

Viga10
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 9,36 24,58
2 2,375 0 22,82 25,195

Viga12
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 9,36 24,58
2 2,375 12,845 19,97 35,19

Viga1
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 14,42 29,64

Viga3
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 35,59 50,81
2 2,375 12,845 5,59 20,81
3 2,375 12,845 35,59 50,81

Viga4
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 14,86 30,08
2 2,375 12,845 17,56 32,78
3 2,375 12,845 15,83 31,05
4 2,375 12,845 15,14 30,36
5 2,375 12,845 16,87 32,09
6 2,375 12,845 9,9 25,12
carga da
V10=V11 2,375 0 22,82 25,195
Viga13
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 8,66 11,035

Viga14
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 10,82 13,195

Viga15
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 12,845 3,7 18,92

Cobertura
Viga09
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 6,24 8,615
2 2,375 0 5,05 7,425
3 2,375 0 3,73 6,105
4 2,375 0 5,05 7,425
5 2,375 0 6,24 8,615

Viga10
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 6,24 8,615
2 2,375 0 15,93 18,305

Viga11
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 6,24 8,615
2 2,375 0 17,91 20,285

Viga12
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 6,24 8,615
2 2,375 0 6,4 8,775

Viga1
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 9,62 11,995

Viga3
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 24,17 26,545
2 2,375 0 4,44 6,815
3 2,375 0 24,17 26,545

Viga4
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 16,26 18,635
2 2,375 0 16,91 19,285
3 2,375 0 13,31 15,685
4 2,375 0 13,24 15,615
5 2,375 0 14,42 16,795
6 2,375 0 7,67 10,045
carga da
V10 2,375 0 15,93 18,305
carga da
V11 2,375 0 17,91 20,285
Viga13
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 10,87 13,245

Viga14
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 10,82 13,195

Viga15
Trecho Peso Próprio Alvenaria Reação Total
1 2,375 0 3,7 6,075

Reações, Cortantes e Momentos Fletores

Considerando os carregamentos descritos no capítulo anterior, foram calculadas


as reações, a força cortante e a cortante nas faces dos pilares, e os momentos
fletores máximos positivos e negativos (para vigas hiperestáticas).

Reações de Apoio
As reações de apoio de todas as vigas foram calculadas com o auxílio do Ftool,
e estas serão transferidas para os pilares posteriormente.
Cortante e Cortante nas Faces
A força cortante nos apoios das vigas também foi calculada com o auxílio do
Ftool apenas para indicar e auxiliar no dimensionamento dos estribos. Já a
cortante nas faces também foi calculada com o uso do Ftool e com o auxílio da
cortante nos apoios, e essas serão utilizadas para dimensionamento dos
estribos, já que não se coloca estribos dentro dos apoios.
Momentos Fletores Positivos e Negativos
Os momentos fletores positivos que ficam nos vãos de cada viga e os momentos
fletores negativos que ficam nos apoios centrais de vigas hiperestáticas foram
calculados com o uso do Ftool, em anexo temos 2 diagramas de cortante e
momento para o tipo e cobertura, e foram utilizados para calcular as armaduras.
Com a intenção de otimizar o trabalho, foi elaborada uma tabela contendo os
valores das cargas distribuídas e concentradas (quando se tem viga apoiada
sobre viga), das reações de apoio, cortante nas faces e momento máximo
positivo e negativa.

Quantidade de Barras
A quantidade ni de barras Ni pode ser obtida pela equação:
bj
ni =
si

Sendo:
bj é a largura livre, na direção perpendicular à das barras
si é o espaçamento das barras Ni

Poucas vezes ni vai resultar um número inteiro. Mesmo nesses casos, e nos
demais, deve-se arredondar ni para o número inteiro imediatamente inferior ao
valor obtido.
Os valores calculados para todas as barras do pav. tipo (considerando a ordem
numerada de acordo com o tópico anterior) podem ser observados na tabela a
seguir:

Seção T
É muito comum a viga de seção T quando se considera a contribuição de lajes maciças
apoiadas em viga de seção retangular.
A seção T é composta pela nervura e pela mesa, sendo que a mesa pode estar parcial
ou totalmente comprimida. Podem ser do tipo pré-moldadas, quando são fabricadas
coma forma do T numa empresa, ou moldadas no local, no caso de vigas retangulares
que, com o trabalho conjunto com as lajes vizinhas, originam uma seção fictícia em
forma de T.
Para vigas contínuas (hiperestáticas), caso seja considerada seção T no vão da viga,
deve ser considerada seção retangular para a parte sob os apoios internos; e caso seja
considerada seção T sob os apoios internos, deve ser considerada seção retangular
para o vão da viga.
Considerando que uma seção T é formada pela concretagem conjunta da viga com as
lajes adjacentes, deve-se considerar uma largura colaborante, que nada mais é do que
a faixa da laje adjacente à viga que colabora para resistir às tensões normais de
compressão. Dependendo do tipo de viga (simples ou contínua), do vão, tipos de apoio,
relação hf/h, existência de vigas transversais e etc, o valor adotado para a largura
colaborante vai variar.
A largura colaborante pode ser calculada como sendo b1 (cm):
0,1 ∗ 𝑎
𝑏1 ≤ {
0,5 ∗ 𝑏2
Sendo:
b2 = vão entre duas vigas paralelas (cm);
a = a distância entre pontos de momento fletor nulo (cm). Uma estimativa para o
valor de a é dado pela figura a seguir:

Figura 1 – Valores de a.

Armaduras Positivas
Considerando o descrito no capítulo anterior, as armaduras positivas para todas
as vigas deste projeto foram calculadas considerando seção T devido o processo de
concretagem.
Armadura positiva é aquela disposta à borda inferior da seção tracionada, seção
esta que possui momento positivo, nos vãos de vigas isostáticas ou centro de vãos de
vigas hiperestáticas.
As formulas utilizadas para cálculo de seções T diferem inicialmente das seções
retangulares. Neste projeto será esboçado um exemplo de cálculo para a viga V1
(isostática) e para a viga V3 (hiperestática) do pavimento tipo.
Para início de dimensionamento é necessário se verificar se a seção T é “verdadeira”
ou “falsa”, para isso é necessário se utilizar a seguinte formula:
𝛽𝑥 ≤ 𝛽𝑥, 𝑓 → 𝑆𝑒çã𝑜 𝑇 𝑓𝑎𝑙𝑠𝑎
𝛽𝑥 > 𝛽𝑥, 𝑓 → 𝑆𝑒çã𝑜 𝑇 𝑣𝑒𝑟𝑑𝑎𝑑𝑒𝑖𝑟𝑎
Os respectivos valores de βx e βx,f são calculados da seguinte forma:

𝑀𝑑
𝛽𝑥 = 1,25 ∗ [1 − √1 − ]
0,425 ∗ 𝑏𝑓 ∗ 𝑑2 ∗ 𝑓𝑐𝑑

Sendo:
𝑀𝑑 = 𝑀𝑘 ∗ 𝛾𝑓 (kN.cm);
𝑏𝑓 = 𝑏𝑤 + 𝑏1 → 𝑏𝑓 = 𝑏𝑤 + 0,1 ∗ 𝑎 (cm);
𝜙𝑙
𝑑 = ℎ − 𝑐 − 𝜙𝑡 − 2
(todas as dimensões em cm);
𝑓𝑐𝑘
𝑓𝑐𝑑 = 𝛾𝑐
(kN/cm²).

ℎ𝑓
𝛽𝑥, 𝑓 =
0,8 ∗ 𝑑
Sendo:
ℎ𝑓 = ℎ, 𝑙𝑎𝑗𝑒 (𝑐𝑚).

Armaduras Negativas

Armaduras negativas são calculadas em função dos momentos negativos que ficam
sobre os apoios internos de vigas hiperestáticas.
Levando em consideração o que foi descrito no capítulo 4.6 (Seção T), como as
armaduras positivas foram calculadas considerando seção T, as armaduras negativas
devem ser calculadas considerando seção retangular. Para isso, as formulas são
praticamente as mesmas utilizadas no capítulo anterior:

𝑀𝑑
𝛽𝑥 = 1,25 ∗ [1 − √1 − ]
0,425 ∗ 𝑏𝑤 ∗ 𝑑2 ∗ 𝑓𝑐𝑑

Sendo:
𝑏𝑤: 𝑏𝑎𝑠𝑒 𝑑𝑎 𝑣𝑖𝑔𝑎 (𝑐𝑚).
Calculos da Barra

V1

b = 19

h = 50

d = 45,57

m = 8680

8680
βx = 1,25 ∗ (1 − √1 − 25 ) Bx = 0,286
0,425∗19∗45,572 ∗( 1,4 )

2,5
0,68∗19∗45,57∗0,286∗( )
1,4
𝐴𝑠 = 50 = 6,927 cm²
( )
1,15

As,min = 0,0015 *19 * 50 = 1,425 cm²

Nº de barras de Ø16 mm = 6,927/2,01 = 3,45 = 4 barras


Ah ≥ 2,0 cm
1,6 cm
1,2 * 1,9 = 2,28 cm
Planilha: Dimensionamento das Barras

Positivo
V1 V3 V4 V9
Tramo 1 Tramo 1=3 Tramo 1 Tramo 2 Tramo 3 Tramo 1 Tramo 2 Tramo 3
b 19 19 19 19 19 19 19 19
h 50 50 50 50 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786
d' 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43
d 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57
M 8680 11660 2160 4660 3160 3150 3960 390
M x 1,4 12152 16324 3024 6524 4424 4410 5544 546
Bx 0,286 0,41 0,065 0,145 0,096 0,096 0,122 0,011
Bx lim 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45
As 6,927 9,841 1,567 3,495 2,322 2,314 2,941 0,277
As,min 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425
Barra 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm
Nº barras
calculada 3,45 4,90 0,78 1,74 1,16 1,15 1,46 0,71
Nº barras
efetiva 4 5 1 2 2 2 2 1
Ah 2,28 2,28

Positivo
V10 V11 V12 V13 V14 V15
Tramo 1 Tramo 2 Tramo 1 Tramo 2 Tramo 1 Tramo 2 Tramo 1 Tramo 1 Tramo 1
b 19 19 19 19 19 19 19 19 19
h 50 50 50 50 50 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786
d' 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43
d 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57
M 4310 3650 4320 3650 4106 5250 1170 1400 2000
M x 1,4 6034 5110 6048 5110 5748,4 7350 1638 1960 2800
Bx 0,133 0,112 0,133 0,112 0,126 0,164 0,035 0,042 0,060
Bx lim 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45
As 3,217 2,700 3,224 2,700 3,056 3,970 0,838 1,006 1,448
As,min 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425
Barra 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 12,5mm 12,5mm 12,5mm
Nº barras
calculada 1,60 1,34 1,60 1,34 1,52 1,98 1,17 1,17 1,17
Nº barras
efetiva 2 2 2 2 2 2 2 2 2
Negativo
V1 V3 V4 V9
Tramo 1 Tramo 1=3 Tramo 2 Tramo 1 Tramo 2 Tramo 3 Tramo 1=5 Tramo 2=4 Tramo 3
b 19 19 19 19 19 19 19 19 19
h 50 50 50 50 50 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786
d' 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43
d 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57
M 4080 12650 7810 3570 7660 3880 6470 7400 2800
M x 1,4 5712 17710 10934 4998 10724 5432 9058 10360 3920
Bx 0,126 0,45 0,254 0,109 0,248 0,119 0,206 0,239 0,085
Bx lim 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45
As 3,035 10,906 6,143 2,638 6,010 2,879 4,982 5,782 2,048
As,min 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425
Barra 16mm 20mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm
Nº barras
calculada 1,51 3,47 3,06 1,31 2,99 1,43 2,48 2,88 1,02
Nº barras
efetiva 2 4 4 2 3 2 3 3 2
Ah 2,28 2,28 2,28 2,28 2,28

Negativa
V10 V11 V12 V13 V14 V15
Tramo 1 Tramo 2 Tramo 1 Tramo 2 Tramo 1 Tramo 2 Tramo 1 Tramo 1 Tramo 1
b 19 19 19 19 19 19 19 19 19
h 50 50 50 50 50 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786
d' 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43 4,43
d 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57
M 7430 7050 7420 7050 8030 9110 610 710 990
M x 1,4 10402 9870 10388 9870 11242 12754 854 994 1386
Bx 0,240 0,226 0,240 0,226 0,262 0,303 0,018 0,021 0,029
Bx lim 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45 0,45
As 5,808 5,478 5,799 5,478 6,339 7,324 0,434 0,506 0,708
As,min 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425 1,425
Barra 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 16mm 12,5mm 12,5mm 12,5mm
Nº barras
calculada 2,89 2,73 2,89 2,73 3,15 3,64 1,17 1,17 1,17
Nº barras
efetiva 3 3 3 3 4 4 2 2 2
Ah 2,28 2,28 2,28 2,28 2,28 2,28
Armaduras Transversais
Antes de se iniciar o cálculo das armaduras, devem-se considerar algumas
disposições construtivas.

Diâmetro do Estribo
As prescrições para o diâmetro do estribo (φt) são (NBR 6118, 18.3.3.2):
5 𝑚𝑚 ≤ 𝜙𝑡 ≤ 𝑏𝑤/10.
- “quando a barra for lisa, seu diâmetro não pode ser superior a 12 mm”;
- para “estribos formados por telas soldadas, o diâmetro mínimo pode ser
reduzido para 4,2 mm, desde que sejam tomadas precauções contra a corrosão
dessa armadura.”

Espaçamento Mínimo e Máximo estre os Estribos


O espaçamento mínimo entre estribos, medindo segundo o eixo longitudinal do
elemento estrutural, deve ser suficiente para permitir a passagem do vibrador,
garantindo um bom adensamento da massa. (NBR 6118, 18.3.3.2). Adotando-
se uma folga de 1 cm para a passagem da agulha do vibrador, o espaçamento
mínimo fica:
𝑠 ≥ 𝜙𝑣𝑖𝑏 + 1 𝑐𝑚.
A fim de evitar que uma fissura não seja interceptada por pelo menos um estribo,
os estribos não devem ter um espaçamento maior que um valor máximo,
estabelecido conforme as seguintes condições (NBR 6118, 18.3.3.2):
≤ 0,67 ∗ 𝑉𝑟𝑑2 → 𝑆𝑚á𝑥 = 0,6 ∗ 𝑑 ≤ 30 𝑐𝑚
𝑉𝑠𝑑 {
> 0,67 ∗ 𝑉𝑟𝑑2 → 𝑆𝑚á𝑥 = 0,3 ∗ 𝑑 ≤ 20 𝑐𝑚

Espaçamento Máximo entre os Ramos Verticais do Estribo

O espaçamento transversal (St) entre os ramos verticais sucessivos dos estribos


não pode exceder os seguintes valores (NBR 6118.3.3.2):
≤ 0,20 ∗ 𝑉𝑟𝑑2 → 𝑆𝑡, 𝑚á𝑥 = 𝑑 ≤ 80 𝑐𝑚
𝑉𝑠𝑑 {
> 0,20 ∗ 𝑉𝑟𝑑2 → 𝑆𝑡, 𝑚á𝑥 = 0,6 ∗ 𝑑 ≤ 35 𝑐𝑚
O espaçamento transversal (St,máx) serve para definir qual o número de ramos
verticais deve ser especificado para os estribos, principalmente no caso de
estribos de vigas largas.

Equações Simplificadas

Utilizando o modelo de cálculo I (NBR 6118, 17.4.2.2) foram calculados os estribos para
todas as vigas deste projeto.
Considerando a cortante nas faces dos apoios, pois, devido aos carregamentos não
serem exagerados, não haveria necessidade de utilizar a cortante a partir de d/2, foi
calculada a força cortante resistente de cálculo, relativa à ruína das diagonais
comprimidas de concreto (VRD2) utilizando a formula a seguir e verificada se atendia a
seguinte condição:
𝑉𝑟𝑑2 = 0,27 ∗ 𝛼𝑣2 ∗ 𝑓𝑐𝑑 ∗ 𝑏𝑤 ∗ 𝑑
Sendo:
𝑓𝑐𝑘
𝛼𝑣2 = (1 − ) 𝑐𝑜𝑚 𝑓𝑐𝑘 𝑒𝑚 𝑘𝑁/𝑐𝑚².
25

𝑉𝑠𝑑 ≤ 𝑉𝑟𝑑2
Caso essa condição não seja atendida, a viga não poderá ser dimensionada sem sofrer
alterações em sua seção transversal.
Se a condição for atendida, a viga poderá ser dimensionada seguindo com o cálculo da
parcela de força cortante resistida por mecanismos complementares ao modelo em
treliça (Vc):
2
𝑉𝑐 = 0,09 ∗ 𝑓𝑐𝑘 3 ∗ 𝑏𝑤 ∗ 𝑑
Sendo:
𝑓𝑐𝑘 𝑒𝑚 𝑀𝑃𝑎.
Considerando que essa parcela indica a resistência da viga sem necessidade de
armadura calculada, é preciso verificar se, considerando a força cortante nas faces dos
apoios, vai ser necessário se calcular a armadura transversal, para isso é necessário
fazer o seguinte cálculo:
𝑉𝑠𝑤 = 𝑉𝑠𝑑 − 𝑉𝑐
Sendo:
𝑉𝑠𝑑 = 𝑉𝑠𝑘 ∗ 𝛾𝑓 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑖𝑑𝑒𝑟𝑎𝑛𝑑𝑜 𝑉𝑠𝑘 𝑐𝑜𝑚𝑜 𝑎 𝑐𝑜𝑟𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑛𝑎𝑠 𝑓𝑎𝑐𝑒𝑠 𝑑𝑜𝑠 𝑎𝑝𝑜𝑖𝑜𝑠 𝑒𝑚 𝑘𝑁.
Caso Vsw seja um número negativo, a viga deve ser dimensionada com
armadura mínima da seguinte forma:
𝐴𝑠𝑤
, 𝑚í𝑛 = 𝜌𝑠𝑤, 𝑚í𝑛 ∗ 𝑏𝑤
𝑆
Sendo:
𝐴𝑠𝑤
𝑆
, 𝑚í𝑛: á𝑟𝑒𝑎 𝑑𝑒 𝑎ç𝑜 𝑚í𝑛𝑖𝑚𝑎 𝑝𝑎𝑟𝑎 𝑑𝑖𝑚𝑒𝑛𝑠𝑖𝑜𝑛𝑎𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜 𝑑𝑎 𝑣𝑖𝑔𝑎 𝑒𝑚 𝑐𝑚²/𝑚;

𝜌𝑠𝑤, 𝑚í𝑛: 𝑡𝑎𝑥𝑎 𝑔𝑒𝑜𝑚é𝑡𝑟𝑖𝑐𝑎 𝑚í𝑛𝑖𝑚𝑎 𝑑𝑒 𝑎𝑟𝑚𝑎𝑑𝑢𝑟𝑎 𝑡𝑟𝑎𝑛𝑠𝑣𝑒𝑟𝑠𝑎𝑙 𝑑𝑒 𝑣𝑖𝑔𝑎𝑠 (%).


Se Vsw for um número positivo, a viga deve ser dimensionada de acordo com o valor
calculado utilizando a seguinte formula:
𝐴𝑠𝑤 𝑉𝑠𝑤
=
𝑆 (0,9 ∗ 𝑑 ∗ 𝑓𝑦𝑑𝑤)

Cálculo dos estribos

Viga 1

b = 19 cm

h = 50 cm

d = 45,57 cm

vsk = 85,4 kn

Vsd =85,4 * 1,4 = 119,56 kn

1 − 𝑓𝐶𝐾
𝐿𝑣2 =
250

1 − 25
𝐿𝑣2 = = 0,9
250

Vrd2 = 0,27 *lv2 * fcd * bwd

Vrd2 = 0,27 * 0,9 *(2,5/1,4) * 19 * 45,57 = 375,77 kn

Vsd ≤ Vrd2

119,56 ≤ 375,77 “OK”

Fctd = 0,21/1,4 * fcd ^ 2/3

Fctd = 0,21/1,4 * 25 ^2/3 =1,282 mpa = 0,1282 kn/cm²

Vc = 0,6 * fctd* b * d
Vc =0,6 * 0,1282 *19 * 45,57 = 66,62 kn

Vsw = Vsd -Vc

Vsw = 119,56 – 66,62 = 52,94

Vsw/ 0,9 * d * fyd

Asw = 52,94/0,9 *45,57 * (50/1,15) = 0,0297 cm²/cm

0,1026
Asw,min= ∗ 19 = 0,0195 cm²/cm
100

Espaçamento transversal Maximo

0,2 * 375,77 =

119,56 > 75,15

St max < 0,6 *45,51 =27,3 cm

35 cm

Asw = 2 * 0,31 = 0,62 cm²/ estribo

S = 0,62/0,0297 = 20,8 = 20 cm estribo

Ø6,3 c 20

Espaçamento Longitudinal

Vsd < 0,67 * Vrd2

119,56 < 0,67 * 375,77

119,56 < 251,75

S max < 0,6 * 45,57 = 23,7 cm


30 cm

S = 0,62/0,0195 = 31,8 cm

Ø6,3 c 27

Tabela : Estribos

Estribos
Viga1 Viga 3
Armadura 1=2 Arm.1=6 Arm.2=5 Arm.3=4
b 19 19 19 19
h 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786
d 45,57 45,57 45,57 45,57
Vsk 85,4 141,3 157,1 43,6
Vsd 119,56 197,82 219,94 61,04
Vsd,min 101,30 101,30 101,30 101,30
Vrd2 375,77 375,77 375,77 375,77
v2 0,9 0,9 0,9 0,9
fctd 1,282 1,282 1,282 1,282
Vc 66,62 66,62 66,62 66,62
Vsw 52,94 131,20 153,32 -5,58
Asw(cm²/cm) 0,0297 0,0736 0,0860 -0,0031
asw,min(cm²/cm) 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195
St 20,9 8,4 7,2 19,5
St,max 27,3 27,3 27,3 27,3
S 31,8 31,8 31,8 31,8
S,max 27,3 27,3 27,3 27,3
Barras transversais φ6,3c20 φ6,3c8 φ6,3c8 φ5c19
Barras Longitudinais φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27
Al 51,5
Estribos
Viga 4
Arm.1 Arm.2 Arm.3 Arm.4 Arm.5 Arm.6 Arm.7 Arm.8
b 19 19 19 19 19 19 19 19
h 50 50 50 50 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786
d 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57
Vsk 42,4 57,6 90,3 88 72,2 70 63,5 47,1
Vsd 59,36 80,64 126,42 123,2 101,08 98 88,9 65,94
Vsd,min 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30
Vrd2 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77
v2 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9
fctd 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282
Vc 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62
Vsw -7,26 14,02 59,80 56,58 34,46 31,38 22,28 -0,68

Asw(cm²/cm) -0,0041 0,0079 0,0335 0,0317 0,0193 0,0176 0,0125 -0,0004


asw,min(cm²/cm) 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195
St 19,5 19,5 18,5 19,5 19,5 19,5 19,5 19,5
St,max 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3
S 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8
S,max 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3
Barras transversais φ5c19 φ5c19 φ6,3c18 φ6,3c19 φ5c19 φ5c19 φ5c19 φ5c19
Barras Longitudinais φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27
Estribos
Viga 9 Viga 10
Arm.1=10 Arm.2=9 Arm.3=8 Arm.4=7 Arm.5=6 Arm.1 Arm.2 Arm.3 Arm.4
b 19 19 19 19 19 19 19 19 19
h 50 50 50 50 50 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786
d 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57
Vsk 62,8 67,9 89,3 85,9 35,2 55,6 75,9 72,1 52,5
Vsd 87,92 95,06 125,02 120,26 49,28 77,84 106,26 100,94 73,5
Vsd,min 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30
Vrd2 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77
v2 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9
fctd 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282
Vc 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62
Vsw 21,30 28,44 58,40 53,64 -17,34 11,22 39,64 34,32 6,88
Asw(cm²/cm) 0,0119 0,0159 0,0327 0,0301 -0,0097 0,0063 0,0222 0,0192 0,0039
asw,min(cm²/cm) 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195
St 19,5 19,5 18,9 20,6 19,5 19,5 27,9 19,5 19,5
St,max 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3
S 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8
S,max 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3
Barras transversais φ5c19 φ5c19 φ6,3c18 φ6,3c20 φ5c19 φ5c19 φ6,3c27 φ5c19 φ5c19
Barras Longitudinais φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27
Estribos
Viga 12 Viga 13 Viga 14 Viga 15
Armadura Armadura Armadura
Arm.1 Arm.2 Arm.3 Arm.4 1=2 1=2 1=2
b 19 19 19 19 19 19 19
h 50 50 50 50 50 50 50
fcd 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786 1,786
d 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57 45,57
Vsk 53,9 77,4 100,5 74,8 19,3 23 33
Vsd 75,46 108,36 140,7 104,72 27,02 32,2 46,2
Vsd,min 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30 101,30
Vrd2 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77 375,77
v2 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9 0,9
fctd 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282 1,282
Vc 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62 66,62
Vsw 8,84 41,74 74,08 38,10 -39,60 -34,42 -20,42
Asw(cm²/cm) 0,0050 0,0234 0,0415 0,0214 -0,0222 -0,0193 -0,0115
asw,min(cm²/cm) 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195
St 19,5 26,5 14,9 29,0 19,5 19,5 19,5
St,máx 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3
S 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8 31,8
S,máx 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3 27,3
Barras transversais φ5c19 φ6,3c26 φ6,3c14 φ6,3c27 φ5c19 φ5c19 φ5c19
Barras
Longitudinais φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27 φ6,3c27
Al 59,2 43,3
Carga Total nos pilares
Pilar Carga total
Pilar 1=23 650,7 Kn
Pilar 2=24 614,7 Kn
Pilar 3=25 614,3 Kn
Pilar 4=26 610,1 Kn
Pilar 5=19 1304,5 Kn
Pilar 6=20 1564 Kn
Pilar 7=21 1569,7 Kn
Pilar 8=22 1391,1 Kn
Pilar 9=14 691,2 Kn
Pilar 10=15 763,6 Kn
Pilar 11=16 834 Kn
Pilar 12=17 737,9 Kn
Pilar 13=18 520,1 Kn
Bibliografia

http://wwwp.feb.unesp.br/pbastos/concreto2/Vigas.pdf