Você está na página 1de 41

FUNDAÇÕES

Introdução
Fundações apoiam pilares, paredes e muros, e
transmitem as cargas para o solo. Apresentam
uma área em planta significativamente superior
às áreas das secções transversais dos pilares,
paredes e muros.
Introdução

Para além de garantir a segurança do solo à rotura,


o projecto de fundações deve verificar a amplitude
dos assentamentos e dos assentamentos
diferenciais entre pilares e muros da estrutura.
Efeitos de Assentamentos Diferenciais

Danos e mau funcionamento em elementos construtivos,


incluindo infraestruturas de abastecimento de agua, esgotos,
electricidade e telecomunicacoes.
Efeitos de Assentamentos Diferenciais

Esforcos adicionais na estrutura devido aos


assentamentos diferenciais.
Causas de Assentamentos Diferenciais
• Diferença entre as características de solos nas
diversas fundações de uma mesma estrutura;
• Utilização de diferentes tipos de fundações
para a mesma estrutura;
• Utilização de fundações com formas
diferentes para a mesma estrutura; e
• Diferença entre níveis de tensão transmitidas
para o solo nas diversas fundações de uma
mesma estrutura.
Classificação e Tipos de Fundações
– FUNDAÇÕES SUPERFICIAIS
• São implementadas a uma profundidade
relativamente pequena (inferior a duas vezes a
sua menor dimensão em planta) e transmitem as
acções ao solo através de pressões distribuídas
sob a base da fundação.
• As fundações superficiais mais comuns são a
Sapata e o Ensoleiramento.
• As sapatas podem ser rigidas ou flexiveis, sendo
as sapatas rigidas as mais preferidas em
Engenharia Civil.
Sapata Rigida

𝑣
𝐻≥
2
Sendo:
𝐴−𝑎
𝑣 = 𝑚𝑎𝑥 2
𝐵−𝑏
2
Ensoleiramento Geral
• O ensoleiramento é uma laje contínua, numa área
relativamente grande, que suporta vários pilares e
ou muros.
• Regra geral, se a soma das áreas em planta das
sapatas isoladas for superior à metade da área em
planta do perímetro exterior do edifício, é mais
económico executar o ensoleiramento geral.
• O ensoleiramento geral também permite reduzir
a amplitude dos assentamentos diferenciais entre
pilares em mais de 50%.
Ensoleiramento Geral
Classificação e Tipos de Fundações
– FUNDAÇÕES PROFUNDAS
• São implementadas a uma profundidade elevada e
transmitem as acções ao solo através de pressões
distribuídas sob a base da fundação e/ou através de
tensões tangenciais distribuídas ao longo da
superfície lateral da fundação.
• é assente a uma profundidade superior a duas
vezes a sua menor dimensão em planta.
• As fundações profundas mais comuns são a Estaca e
o Poço.
Fundações por Estacas
• As fundações por estacas incluem (i) o maciço
de encabeçamento de estacas, e (ii) as
estacas.
• O maciço de encabeçamento de estacas
recebe as cargas do pilar, e transfere as cargas
paras as estacas.
• As estacas é que transferem as cargas para o
solo, quer através do atrito lateral, como pela
ponta da estaca.
Fundações por Estacas
Fundações por Estacas
• O número de estacas é definido em função da
amplitude da acção normal do pilar e da
capacidade resistente de cada estaca.
• As estacas de secção transversal circular são as
mais aplicadas (com diâmetros entre 0.30 e 1.00m).
• são dispostas o mais próximas possíveis, umas das
outras.
• devem respeitar as distâncias mínima entre as
estacas (cerca de 3 vezes o diâmetro da estaca, com
o mínimo de 0.8m para as estacas flutuantes e 0.6
para as estacas funcionando de ponta).
Fundações por Estacas
• As dimensões em planta do maciço de
encabeçamento de estacas são determinadas de
acordo com o número de estacas, a distância
entre as estacas, e a distância entre a face da
estaca extrema e o bordo do maciço (0.25m, no
mínimo).
• As espessuras dos maciços de encabeçamento de
estacas são definidas de modo a garantir que o
maciço seja um elemento estrutural rígido.
Fundações por Estacas
Fundações por Poços
• é executada quando (i) o extrato de solo
resistente encontra-se a entre 6 e 10 metros de
profundidade, (ii) em solos sem grandes
dificuldades de escavação, (iii) não existe nível
freático ao longo da profundidade em que será
executada o poço, e (iv) não existem construções
ou infraestruturas adjacentes que podem ser
afectadas pela escavação do posso.
• A execução da fundação por poço consiste em
escavar o solo até à profundidade onde se
pretende implementar a fundação, e substituir o
solo escavado ou parte dele por betão
Fundações por Poços
Sapata Isolada
é usada para suportar um pilar. Em planta, podem
ser quadrada, rectangular ou circular.
Sapata Isolada
A sua espessura pode ser constante, uniformemente
variável ou com degraus
Sapata Centrada
Quando um pilar transmite apenas uma carga axial
para a sapata, a sapata geralmente é projectada de
modo que a carga actue no centro de gravidade da
sapata, e assim resultando em tensões normal
uniformemente distribuida no solo
Sapata Excentrica
• além da carga axial, o pilar transmite momentos
flectores para a fundação; e
• pilares de bordo ou de canto, devido à limitação de
espaço para a implementação da sapata, mesmo se o
pilar transmite apenas uma carga axial, a carga não
actua no centro de gravidade da sapata
Sapata Conjunta
• é usada para suportar dois ou três pilares e ou
muros. Em planta, a forma da sapata pode ser
rectangular, trapezoidal ou em T.
• são usadas quando dois pilares estão tão próximos
que, caso sejam projectadas sapatas isolada para
cada um dos pilares, as áreas em planta das
sapatas ficam sobrepostas.
• No caso de três pilares, os três pilares não se
encontram no mesmo alinhamento.
Sapata Conjunta
Sapata Conjunta
É recomendável que se projecte uma sapata
conjunta de modo que o centro de gravidade da
sapata coincida com a posição da resultante das
acções. Assim, a tensão normal induzida ao solo
pode ser considerada uniforme, e evita o risco
de rotação da sapata devido à assentamento
irregular ao longo da sapata.
Sapata Conjunta
Sapata Contínua ou Corrida
• é usada para suportar muros ou paredes
(estruturais ou nao estruturais).
• têm uma largura limitada e um comprimento
contínuo sob o muro ou parede.
• podem ter uma espessura constante, com
degraus ou uniformemente variável.
• também são usadas para apoiar mais de dois
pilares dispostos no mesmo alinhamento
Sapata Contínua ou Corrida
Sapata Contínua ou Corrida
Sapatas Ligadas por Vigas de Equilíbrio
• consistem em duas sapatas isoladas ligadas
por uma viga, sendo que cada uma das
sapatas suporta um pilar.
• é usada quando uma das sapatas suporta um
pilar excêntrico e o pilar adjacente mais
próximo situa-se a uma distância
relativamente elevada. Nesta circunstância,
esta solução é mais económica que a solução
através de uma sapata conjunta.
Sapatas Ligadas por Vigas de Equilíbrio
Ensoleiramento em Laje Fungiforme
• é uma laje de betão armado que suporta vários
pilares, e que, por sua vez, se apoia no solo.
• As lajes fungiformes são sujeitas ao risco de rotura
à flexão e ao punçoamento . Em muitos casos, o
risco de rotura ao punçoamento é a maior
condicionante para o dimensionamento da laje.
Nestes casos, de modo a evitar o acréscimo da
espessura da laje em toda a extensão da laje,
executam-se capitéis ou espessamento da laje. Dai
resultam as designações “ensoleiramento em laje
fungiforme com capitéis” ou “ensoleiramento em
laje fungiforme com espessamento”.
Ensoleiramento em Laje Fungiforme

Rotura da laje por puncoamento


Ensoleiramento em Laje Fungiforme
com Capiteis
Ensoleiramento em Laje Fungiforme
com Espessamento
Ensoleiramento em Laje Vigada
Distribuição de Tensões no Solo
não é uniforme, e depende de vários factores
(características do solo, o nível de deformação
da fundação, etc...)

Solo arenoso Solo argiloso


Distribuição de Tensões no Solo
Todavia, no projecto de fundações, para a carga axial
aplicada no centro de gravidade da sapata, aquelas
tensões são geralmente assumidas como sendo
uniformemente distribuídas
Tensões Admissíveis em Fundações
• deve ser determinada a partir de resultados de
uma investigação geotécnica, que incluem ensaios
e testes in situ e em laboratório.
• Todavia, dependendo da amplitude do projecto,
nível de cargas expectáveis ao nível das fundações
e experiência do projectista em projectos
similares, nem sempre é viável levar a cabo a
investigação geotécnica.
• Por isso, muitos regulamentos e bibliografia
apresentam valores de tensão admissível que
podem ser usados nos projectos de fundação
Tensões Admissíveis em Fundações
Tensão Admissível
i Tipo de Solo
[kN/m2]

Areia grossa compacta, areia fina compacta, areia


1 385
argilosa, e argila rígida

2 Argila e areia argilosa medianamente rígida 290


3 Areia siltosa compacta 190
4 Areia solta 145

5 Areia argilosa suave e argila 95

6 Areia siltosa solta 50

7 Areia siltosa orgânica e argilas de baias 0


Critérios para o Projecto de Fundações
• As fundações devem ser projectadas para suportar as
cargas dos pilares e muros, e transmití-las para o solo
de forma segura e com níveis de assentamentos e
assentamentos diferenciais considerados aceitáveis.
• Pelas características das fundações, acções dos pilares
e muros, e tensões induzidas ao solo, as fundações são
susceptíveis de rotura:
– do solo de fundação;
– por corte na sapata numa direcção;
– por corte na sapata em duas direcções, ou punçoamento;
– por flexão; e
– por esmagamento do betão.
• Sendo assim, estes serão os critérios que devem
governar o projecto de fundações.