Você está na página 1de 7

Recebido em 31 out. 2010. Aprovado em 6 dez.

2010

Avaliação da técnica de drenagem


linfática manual no tratamento do
fibro edema geloide em mulheres
Evaluation of manual lymphatic drainage technique in the treatment
of Cellulite in women

Daniele Silva Martins Brandão1; Adriana Ferreira de Almeida1; Juliane Cabral Silva1;
Ranulfa Gabriela Cândida Queiroz de Oliveira1; Rodrigo Cappato de Araújo2;
Ana Carolina Rodarti Pitangui2
1
Graduanda do Curso de Fisioterapia – UPE Campus Petrolina, PE – Brasil
2
Professor Assistente do Curso de Fisioterapia – UPE Campus Petrolina, PE – Brasil

Endereço para correspondência


Ana Carolina Rodarti Pitangui
Curso de Fisioterapia UPE – Campus Petrolina – Br 203 Km 2 s/n Campus Universitário – Vila Eduardo
56300-000 – Petrolina, PE – [Brasil]
carolinapitangui@yahoo.com.br

Resumo
Introdução: A drenagem linfática manual (DLM) é uma terapia utilizada no tra-
tamento do fibro edema geloide (FEG). Objetivo: Analisar o efeito da DLM no
tratamento do FEG. Métodos: Realizou-se uma avaliação no início e no fim do tra-
tamento em 10 voluntárias com FEG, de grau I ao III, que constava de anamnese,
inspeção, palpação, perimetria e testes específicos. Foram feitos registros fotográ-
ficos dos glúteos e das coxas superiores. A terapia constou de 10 sessões de DLM
com duração de 60 minutos. Na análise de dados, utilizaram-se os testes t pareado,
exato de Fisher e Wilcoxon, com nível de significância de p<0.05. Resultados: Houve
diferença estatística no grau de satisfação das pacientes com o FEG. Não houve
diferença significante no grau do FEG, porém constatou-se melhora clínica no
aspecto da pele. Todas as pacientes relataram estar satisfeitas com o tratamento.
Não houve diferença estatística na perimetria. Conclusão: A DLM demonstrou
ser uma terapêutica coadjuvante no tratamento do FEG, com melhora da autoes-
tima e da satisfação das pacientes.
Descritores: Drenagem linfática manual;Fibro edema geloide;Mulheres.

Abstract
Introduction: Manual lymphatic drainage (MLD) is a therapy used to treat cellu-
lite. Objective: To analyze the effect of MDL in the treatment of cellulite. Methods:
We conducted an evaluation at the beginning and end of treatment in 10 women
with cellulite grade I to III, which consisted of anamnesis, inspection, palpation,
perimetry and specific tests. Photographic records were made of the buttocks
and upper thighs. The therapy consisted of 10 sessions of MLD lasting 60 min-
utes. In the data analysis used the tests paired t, Fisher exact and Wilcoxon with the
significance level of p<0.05. Results: There were statistical differences in the de-
gree of satisfaction of patients with cellulite. There was no significant difference
in the degree of cellulite, but was found clinical improvement in skin appearance.
All patients reported being satisfied with treatment. There was no statistical dif-
ference in perimetry. Conclusion: MLD proved to be an adjuvant therapy in the
cellulite treatment, with improved self-esteem and satisfaction of patients.
Key words: Cellulite;Manual lymphatic drainage;Women.

618 ConScientiae Saúde, 2010;9(4):618-624.


Brandão DSM et. al.

Introdução dade11, ingestão excessiva de café e álcool, sexo,

Editorial
estilo de vida.8 Contudo, para seu tratamento ob-
A drenagem linfática manual (DLM) é uma ter bons resultados é necessário uma avaliação
terapia especializada aplicada, de forma leve, por detalhada da paciente, envolvendo toda a prope-
meio de uma distinta e específica técnica desen- dêutica da anamnese e do exame físico.12
volvida por Vodder em 1936.1,2 Essa técnica con- Em relação a sua prevalência, observa-se
siste em drenar o excesso de líquido de uma área na literatura científica que atinge mais mulheres
estagnada, por intermédio de manobras rítmicas, do que homens e que pode apresentar-se clinica-

Ciências
básicas
lentas e suaves, no sentido dos vasos linfáticos e mente em três graus: Grau I, somente visível após
linfonodos.1 Os objetivos da drenagem são: me- a contração voluntária ou por meio dos testes de
lhorar a circulação linfática3, reduzir edemas, casca de laranja e de preensão; Grau II, é visível
eliminar resíduos, entre outros, sendo mais uti- para a inspeção e pode apresentar alterações de
lizada em pacientes que desenvolvem linfedema sensibilidade, e Grau III, apresenta nódulos pal-
secundário, em razão do esvaziamento axilar no páveis com alteração de sensibilidade.8,13
tratamento cirúrgico do câncer de mama.1 Diante do exposto, essa pesquisa teve

aplicadas
Ciências
Atualmente, com o crescimento da área de como objetivo avaliar a eficácia da técnica de
dermato-funcional e a necessidade de técnicas drenagem linfática manual no tratamento de
aprimoradas para manter os padrões de beleza mulheres que apresentam o fibro edema geloide.
de uma sociedade cada vez mais vaidosa4, a dre-
nagem linfática manual passou a ser utilizada
em muitos tratamentos como no fibro edema ge- Materiais e métodos
loide5, pós-operatórios, acnes, retenção hídrica,

de casos
Estudos
entre outros problemas.6 Trata-se de um estudo clínico realizado no
O fibro edema geloide (FEG) consiste laboratório de fisioterapia da Universidade de
numa infiltração edematosa do tecido conjunti- Pernambuco Campus Petrolina. A amostra foi
vo, seguida de polimerização da substância fun- selecionada por conveniência, constando de 10
damental amorfa, resultante de uma alteração mulheres que foram submetidas a drenagem lin-
no meio interno. É favorecido por causas locais fática manual durante 10 sessões e esclarecidas

de literatura
e gerais, em que os mucopolissacarídeos, que o acerca do procedimento.

Revisões
integram, sofrem um processo de gelificação. Todas as voluntárias assinaram o termo
Sendo assim o fibro edema geloide pode ser de- de Consentimento Livre e Esclarecido, segundo
finido clinicamente como um espessamento não a resolução n° 196/96 do Conselho Nacional da
inflamatório das capas subdérmicas.7 Saúde. Além disso, esse trabalho teve a aprovação
Além disso, é caracterizado por alterações do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade
na superfície da pele, que deixam uma aparên- de Pernambuco – UPE sob protocolo 130/09.
Avaliadores

cia de casca de laranja8 ou queijo cottage9. As Esse estudo teve como critérios de inclusão
alterações no contorno do fibro edema geloide mulheres acima de 18 anos, sedentárias, que apre-
incluem depressões e áreas de relevo. As de- sentassem fibro edema geloide entre os graus I e
pressões são causadas por retração da pele e por III. O FEG teve a seguinte classificação: grau 0,
septos fibrosos subcutâneos, enquanto as áreas sem alterações na pele; grau I, as alterações são
elevadas são as projeções de gordura subcutâ- visíveis apenas pela contração muscular ou com-
nea e estruturas na superfície da pele.10 pressão da pele; grau II, a pele mostra uma apa-
para os autores
Instruções

O aparecimento do fibro edema geloide rência de casca de laranja em repouso, sem ajuda
tem se tornado preocupante, sendo consequên- de qualquer manipulação; e grau III, a aparência
cia de diversos fatores, tais como o sedentarismo, de casca de laranja é observada em qualquer po-
uso de contraceptivos, estresse, gravidez, obesi- sição, com áreas elevadas e presença de nódulos13.

ConScientiae Saúde, 2010;9(4):618-624. 619


Avaliação da técnica de drenagem linfática manual no tratamento do fibro edema geloide em mulheres

Os critérios de exclusão foram à utiliza- Foi solicitado que as pacientes vestissem


ção de próteses, implantes metálicos, história de o mesmo traje de banho na primeira e última
processos infecciosos, transtornos circulatórios sessão do tratamento a fim de padronizar as
e hormonais, hipertensão arterial, patologias fotografias. Os dados do exame físico, satisfa-
cardíacas e renais, e realização de qualquer ou- ção das pacientes e registros fotográficos, fo-
tro tipo de intervenção estética, física ou alimen- ram coletados no início do tratamento e após
tar (dieta) durante o tratamento. as 10 sessões.
Previamente a coleta de dados, realizou-se As sessões de drenagem linfática manual
um estudo piloto com duas pacientes para veri- tiveram duração de 60 minutos, a técnica ado-
ficar a compreensão e eficácia dos instrumentos tada na terapia foi a de Leduc, aplicada em todo
e da técnica a ser utilizada. A coleta de dados o corpo da paciente. As manobras realizadas
teve seu início em setembro de 2009 com dura- durante o tratamento constaram de evacuação,
ção até dezembro do mesmo ano. captação e deslizamentos superficiais com o au-
Para a coleta de dados, utilizou-se uma xilio de óleo de amêndoas.
ficha de avaliação constando de anamnese, Para análise dos dados, as variáveis foram
para identificação de dados pessoais e hábitos codificadas em um dicionário de dados e, em
seguida, realizou-se a análise confirmatória,
de vida e exame físico detalhado, composto
por meio do teste t pareado, das variáveis peri-
por inspeção, palpação e perimetria. Durante
metria e satisfação com o FEG, teste de Wilcoxon
a inspeção, as voluntárias posicionaram-se em
para análise do grau do FEG e teste exato de
ortostatismo, com trajes de banho para melhor
Fisher para analisar o teste de casca de laranja.
avaliar o FEG. Na palpação, as voluntárias se
O nível de significância empregado foi p<0,05.
posicionaram em decúbito dorsal e foi reali-
As análises dos registros fotográficos das pa-
zado pela fisioterapeuta os testes de casca de
cientes foram feitas de forma qualitativa. A
laranja e de preensão, que avaliaram respecti-
análise estatística se deu por meio do programa
vamente o aspecto do fibro edema geloide e a
Statistical Package for Social Sciences (SPSS),
sensibilidade dolorosa. Na perimetria, as pa-
versão 16.0 para Windows.
cientes foram posicionadas em ortostatismo e a
mensuração foi realizada com fita métrica nas
seguintes regiões: quadril – linha dos trocânte-
Resultados
res; coxa proximal, demarcada na região supra-
patelar; coxa média – 15 centímetros acima da Foram incluídas no estudo 10 mulheres se-
região suprapatelar e coxa distal – 25 centíme- dentárias submetidas ao processo de drenagem
tros acima da região suprapatelar. linfática manual. A média de idade das partici-
Utilizou-se a escala visual numérica (EVN) pantes ficou entre 24,30 ± 8,65 anos. Em relação à
de 0 a 10 para quantificar a satisfação das pacien- variável peso, a média oscilou entre 65,25 ± 11,9
tes em relação ao FEG e ao tratamento. Foram kg com variação entre 45 a 81 kg. A média da
feitos registros fotográficos das pacientes, com altura foi de 1,62 ± 0.05cm. Quanto à ocupação,
e sem contração glútea, utilizando máquina di- 70% (7) relataram ser estudantes, 20% (2) profes-
gital da marca Olympus®, modelo X-785 com 7.1 soras e 10% (1) auxiliar de laboratório.
megapixel, padronizando sempre o mesmo local Acerca dos hábitos de vida, 10% (1) referiu
e avaliador. Empregou-se um tripé nivelado com fazer uso de medicamentos; 20% (2) de anticon-
sua base colocada a um metro de altura do solo cepcional; 80% (8) relataram uso de bebida alco-
e a um metro de distância, com a paciente em ólica, das quais 87,5% (7) ocasionalmente e 12,5%
posição ortostática e em vista posterior, visando (1) três ou mais vezes na semana. Em relação à
visualizar a região glútea e a coxa. ingestão de refrigerantes, 80% (8) referiram fa-

620 ConScientiae Saúde, 2010;9(4):618-624.


Brandão DSM et. al.

zer uso, das quais 25% (2) consomem diariamen- 10ª sessão, verificou-se por meio da EVN que as

Editorial
te, 50% (4) ocasionalmente e 25% (2) três ou mais pacientes apresentaram elevado índice de satis-
vezes na semana. Sobre a quantidade de água fação com uma média de 9,9 ± 0.31.
ingerida por dia, 50% (5) consomem abaixo de
um litro; 40% (4) entre 1 e 2 litros e 10% (1) acima
de 2 litros. Com relação à alimentação, 60% (6)
referiram ter uma alimentação gordurosa.
Na análise dos dados referente à avaliação

Ciências
básicas
clínica, todas as pacientes avaliadas 100% (10)
apresentavam estrias e 80% (8) telangectasias em
regiões próximas ao FEG (glúteos e coxas), 40%
(4) tinham edema em membro inferior. Somente
10% (1) voluntária já havia realizado tratamento
anterior para o FEG.
Figura 1: Registro fotográfico de uma
Não houve diferença estatística significan-

aplicadas
Ciências
paciente antes e após o tratamento
te antes a após o tratamento na comparação das
médias do grau de classificação do FEG do glú-
Perimetria
teo direito (p=0.08), coxa direita (p=0.67) e coxa
70
esquerda (p=0.72). Já no glúteo esquerdo, hou- 60
Centímetros (cm)

ve significância estatística (p=0.04). Na figura 50


1 pôde-se visualizar o aspecto clínico do fibro 40
edema geloide de uma paciente na 1ª e 10ª sessão 30

de casos
Estudos
de tratamento. 20
10
Nos dados relacionados a perimetria, ob-
0
servou-se que não houve diferença estatística Coxa Coxa Coxa Coxa Coxa Coxa
inf. D inf. E méd. D méd. E sup. D sup. E
na comparação das médias mensuradas da coxa
inferior direita (p=0.13), coxa inferior esquerda
1º sessão 10º sessão
(p=0.10), coxa média direita (p=0.47), coxa média

de literatura
esquerda (p=0.11), coxa superior direita (p=0.41), Figura 2: Dados referentes à perimetria das

Revisões
pacientes na 1ª e 10ª sessão de tratamento
coxa superior esquerda (p=0,46), como observa-
se na figura 2.
Satisfação com o aspecto do FEG
Na análise da satisfação das pacientes
acerca do aspecto do FEG antes e após as 10 ses-
Escala Visual Numérica (EVN)

9
sões de tratamento, observou-se que houve sig- 8
nificância estatística (p=0.0021) (Figura 3). 7
6
Avaliadores

Durante as sessões foi possível visualizar 5


uma melhora clínica no aspecto de pele das pa- 4
cientes, dado este confirmado por meio da aná- 3
2
lise qualitativa das fotografias e pela inspeção
1
visual das pacientes realizada no início e no fim 0
do tratamento. Além disso, o teste de casca de Satisfação
laranja apresentou diferença estatística signifi-
para os autores
Instruções

cante antes e após o tratamento: glúteo direito 1º sessão 10º sessão

(p=0.03) e glúteo esquerdo (p=0.01). Figura 3: Satisfação das pacientes em


Em relação à satisfação das pacientes com relação ao aspecto do FEG na 1ª e 10ª
o tratamento oferecido, ou seja, no término da sessão de tratamento

ConScientiae Saúde, 2010;9(4):618-624. 621


Avaliação da técnica de drenagem linfática manual no tratamento do fibro edema geloide em mulheres

Discussão sas (Classe I (CCL-I) 18-20 mmHg) até a próxi-


ma sessão terapêutica. Como resultado, foi ve-
A drenagem linfática manual é uma técni- rificado que a massagem mecânica demonstrou
ca que tem como finalidade estimular o sistema melhores resultados na perimetria em relação à
linfático, ajudar a regular o sistema imune, eli- região suprailíaca, enquanto o grupo da drena-
minar resíduos metabólicos, toxinas do corpo e gem linfática manual indicou melhores resulta-
reduzir o excesso de fluídos.14 Partindo do prin- dos na circunferência da coxa.
cípio que o fibro edema geloide é caracterizado Dessa forma, verifica-se que os resultados
por uma alteração metabólica no tecido subcutâ- supracitados estão em oposição aos dados en-
neo,15 que provoca acúmulo de líquido no inters- contrados nessa pesquisa, que não encontrou re-
tício, causando edema e alterações na arquitetu- sultados significativos em relação à perimetria
ra da pele,11,16 a DLM é considerada uma terapia das pacientes. Segundo os autores, a redução no
adequada para o seu tratamento.17 volume da coxa depende da compressão exerci-
Nesse estudo utilizou-se a técnica de da o dia todo pelo uso das meias compressivas,
DLM no tratamento de 10 mulheres sedentárias o que difere desse estudo que não fez seu uso.
com fibro edema geloide entre os graus I ao III. Além disso, outro fator que pode ter influen-
Para classificação do grau do fibro edema ge- ciado na diferença dos resultados encontrados
loide foi realizado avaliação clínica da paciente pode ter sido o maior número de sessões reali-
e, posteriormente, o registro fotográfico com e zadas.
sem contração da região glútea, de modo a deli- Meyer,12 avaliou, por meio da ressonância
mitar a predominância do fibro edema geloide. magnética, os efeitos da drenagem linfática ma-
Esse protocolo foi realizado na primeira e últi- nual em três mulheres que apresentavam fibro
ma sessão. edema geloide moderado ou avançado. As pa-
Nesse estudo, optou-se pela escolha do cientes foram submetidas a 20 sessões da técnica
método de fotografia digital, por ser uma técni- na região anterior e posterior da coxa e perna,
ca de fácil avaliação de imagens pré e pós-trata- em dias alternados, três vezes na semana, com
mento, além de ser vastamente utilizada na prá- duração de 60 minutos cada sessão. Os resul-
tica clínica médica e fisioterapêutica. Segundo tados encontrados demonstraram que a drena-
Mendonça et. al.18, o uso da fotografia digital é gem linfática promoveu a remoção do líquido
descrito como um método de avaliação quali- excessivo presente nos espaços intersticiais, me-
tativa satisfatoriamente confiável, quando ava- lhorando o processo de fibrose e aparência da
liadas por um mesmo examinador em ocasiões pele. Concluiu-se ainda com esse estudo que a
diferentes e por examinadores diferentes em um ressonância é um meio eficaz para avaliação do
mesmo registro fotográfico. tratamento do fibro edema geloide.
Tunay et al.19 tiveram o intuito de verifi- Na atual pesquisa, todas as pacientes
car os efeitos da massagem mecânica, drenagem apresentaram melhora no aspecto de pele, com-
linfática manual e de técnicas manipulativas na provada por meio da análise qualitativa das
massa gorda de mulheres com fibro edema ge- fotografias e pela inspeção visual das pacien-
loide. Para isso, utilizaram uma amostra de 60 tes realizada no início e no fim do tratamento.
pacientes (20 em cada grupo) em que, no gru- Ainda, verificou-se, que o teste de casca de la-
po da massagem mecânica foram realizadas 15 ranja apresentou diferença estatística significan-
sessões; no grupo de técnicas manipulativas, 20 te antes e após o tratamento. Acerca do grau de
sessões e no grupo da drenagem linfática ma- classificação do FEG, apenas observou-se signi-
nual, 20 sessões. Com relação ao grupo da dre- ficância estatística nos dados referente ao glúteo
nagem linfática, as pacientes foram orientadas esquerdo. Possivelmente, a melhora visual no
a vestir meias compressivas para veias varico- aspecto do FEG se deve ao fato de a drenagem

622 ConScientiae Saúde, 2010;9(4):618-624.


Brandão DSM et. al.

promover a remoção do excesso de líquido pre- Referências

Editorial
sente no interstício.2 Quanto a diferença apre-
1. Dumam I, Ozdemir A, Tan AO, Dincer K. The
sentada no grau do FEG ser constatada apenas
efficacy of manual lymphatic drainage therapy in
em glúteo esquerdo, esse fato pode estar relacio-
the management of limb edema secondary to reflex
nado a dificuldade de classificação do FEG nes- sympathetic dystrophy. Rheumatol Int.2009;29:759–63.
sa região, visto que esse local pode apresentar
2. Vairo LG, Miller SJ, McBrier NM, Buckley WE.
graus sobrepostos dessa afecção, podendo con- Systematic Review of Efficacy for Manual Lymphatic
duzir o avaliador a cometer erros de interpre-

Ciências
básicas
Drainage Techniques in Sports Medicine and
tação18. Além disso, por ser uma alteração mul- Rehabilitation: an evidence-based practice approach.
tifatorial, outros fatores podem ter influenciado JMMT.2009;17(3):80-9.

na diferença encontrada no grau do FEG apenas 3. Rawlings AV. Cellulite and its treatment. Int J
no glúteo esquerdo, como alterações hormonais Cosmet Sci.2006;28:175-90.
e mudanças circulatórias que podem modificar 4. Federico MR, Gomes SVC, Melo VC, Martins RB,
o equilíbrio das proteoglicanas e glicosamino- Lauria MC, Moura RL et al. Tratamento de celulite

aplicadas
Ciências
glicanas na substância fundamental amorfa8. (Paniculopatia Edemato Fibroesclerótica) utilizando
Em relação à satisfação das pacientes fonoforese com substância acoplante à base de hera,
centella asiática e castanha da índia. Fisioterapia
quanto ao tratamento proposto e ao aspecto do
Ser.2006;1(1):6-10.
FEG, verificou-se pela escala visual numérica
resultados positivos nesses parâmetros. Todas 5. Milani GB, Filho NA, João SMA. Fundamentos da
fisioterapia dermato-funcional: revisão de literatura.
as participantes relataram estar satisfeitas
Fisioter. Pesq. 2006;13(1):37-43.
com o tratamento oferecido, referindo melho-

de casos
6. Soares LMA, Soares SMB, Soares AK. Estudo

Estudos
ra no aspecto clínico do fibro edema geloide e
comparativo da eficácia da drenagem linfática
na autoestima.
manual e mecânica no pós-operatório
No entanto, esse estudo apresenta algu- de dermolipectomia. Rev. Bras. Prom.
mas limitações, considerando que apenas as Saúde.2005;18(4):199-204.
avaliações clínicas e fotográficas das pacientes
7. Guirro E, Guirro R. Fisioterapia dermato-funcional
podem estar sujeitas a vieses, tornando-se ne- – Fundamentos, recursos e patologias. 3ª.ed. São

de literatura
cessário que novas pesquisas sejam realizadas Paulo:Manole;2002:176-206.

Revisões
por meio de associações de outras técnicas de 8. Rossi ABR, Vergnanini AL. Cellulite: a review.
diagnóstico mais precisas para avaliar as alte- JEADV.2000;14:251-62.
rações cutâneas e histológicas do fibro edema
9. Draelos ZD,Marenus KD. Etiology and purported
geloide, como por exemplo, o emprego da res- treatment. Dermatol Surg.1997; 23:1177–81.
sonância magnética 20.
10. Hexsel DM, Dal’Forno T, Hexsel CL. A
validated photonumeric cellulite severity scale.
Avaliadores

JEADV.2009;23:523-28.
Conclusão 11. Avram MM. Cellulite: a review of its physiology and
treatment. J Cosmet Laser Ther.2004;6:181-85.
O protocolo de drenagem linfática manual
12. Meyer PF, Martins NM, Martins FM, Monteiro RA,
utilizado nesse estudo mostrou ser uma terapia
Mendonça KMPP. Effects of limphatic drainage on
coadjuvante no tratamento do fibro edema ge- cellulitis accessed by magnetic ressonance. Braz.
loide, proporcionando melhora clínica visual no
para os autores

arch. biol. technol.2008;5:1221-224.


aspecto da pele e aumento na autoestima e na
Instruções

13. Machado AFP, Tacani RE, Schwartz J, Liebano RE,


satisfação das pacientes em relação a aparência Ramos JLA, Frare T. Incidência de fibro edema
do FEG e ao tratamento proposto. geloide em mulheres caucasianas jovens. Arq Brasil
Ciência Saúde.2009;34(2):80-6.

ConScientiae Saúde, 2010;9(4):618-624. 623


Avaliação da técnica de drenagem linfática manual no tratamento do fibro edema geloide em mulheres

14. Ekici G, Bakar Y, Akbayrak T, Yuksel I. Comparison 19. Tunay VB, Akbayrak T, Bakar Y, Kayihan H, Ergun
of manual lymph drainage therapy and connective N. Effects of mechanical massage, manual lymphatic
tissue massage in women with fibromyalgia: A drainage and connective tissue manipulation
randomized controlled trial.JMPT.2009;32(2):127-33. techniques on fat mass in women with cellulite.
JEADV.2009;24:138-42.
15. Khan MH, Victor F, Rao B, Sadick NS. Treatment
of cellulite Part I. Pathophysiology. J Am Acad 20. Mendonça KMPP, Meyer PF, Martins NM, Martins
Dermatol.2010:361-70. FM. Ressonância magnética: um progresso
na avaliação objetiva do fibro edema geloide.
16. Guleç AT. Treatment of cellulite with LPG
Fisioterapia Ser. 2007;2(4):266-68.
endermologie. Int. J. Dermatol.2009; 48:265-70.

17. Godoy JMP, Godoy MFG. Physiopathological


hypothesis of cellulite. The Open Cardiovascular
Med. J.2009;3:96-7.

18. Mendonça AMS, Pádual M, Ribeiro AP, Milani GB,


João SMA. Confiabilidade intra e interexaminadores
da fotogrametria na classificação do grau de
lipodistrofia ginóide em mulheres assintomáticas.
Fisioter. Pesq. 2009;16(2):102-6.

624 ConScientiae Saúde, 2010;9(4):618-624.