Você está na página 1de 10

A maioria das pessoas aparentam estar preocupadas com algo e quase todo mundo já

recebeu um conselho ruim sobre como lidar com as preocupações.

Um típico preocupado crônico poderia dizer: " Sabe, eu tenho me preocupado ao longo
de toda a minha vida!"Preocupados crônicos esperam aproximadamente 10 anos para
procurar ajuda profissional por meio da psicoterapia.

Essas pessoas têm ouvido diversos conselhos ruins ao longo do tempo. É comum nós
ouvirmos as pessoas dizendo os seguintes conselhos ineficazes: "sabe, você precisa
pensar mais positivamente"! ou as pessoas dizem ao preocupado: "você precisa acreditar
mais em si mesmo"!. Ou elas dizem: "Porque você se preocupa tanto? Você gosta de
sofrer?" Algumas pessoas ainda aconselham: "apenas pare de se preocupar"!

Bem, isso é como dizer a alguém que está doente: "porque você simplesmente não
melhora? A chance desse conselho funcionar é zero.

Eu quero apresentar a você alguns conceitos básicos para que você possa entender porque
você se preocupa e talvez você possa ter algumas ideias de como lidar com as
preocupações.

QUAL É A MELHOR MANEIRA DE LIDAR COM AS PREOCUPAÇÕES?

Inicialmente, vamos fazer o caminho contrário. Vamos imaginar que você está tendo que
ensinar alguém a se preocupar.

Digamos que você encontre alguém de uma selva afastada da civilização e você queira
fornecer ao selvagem um livro sobre "como se preocupar"! Você pode chamar de “O
livro de regras da preocupação”.Você diz: "aqui estão as regras das pessoas altamente
preocupadas". Então, quais seriam essas regras?

Para desenvolver essas regras você precisa ver que existe uma lógica na maneira como
você lida com a sua preocupação.
O LIVRO DE REGRAS DAS PREOCUPAÇÕES

PRIMEIRA REGRA DA PREOCUPAÇÃO

Regra número 1: "se algo ruim pode acontecer, se você é capaz de simplesmente
imaginar isso acontecendo, então é sua responsabilidade se preocupar com isso"!.

Se você pode simplesmente imaginar algo ruim acontecendo, você precisa se preocupar
com isso. Você precisa se preocupar com qualquer coisa ruim que você possa imaginar
que possa acontecer.

Se você pode imaginar ser reprovado num exame, ou se você pode imaginar sendo
rejeitado ou pode imaginar tendo uma doença incurável, então você deve se focar e
pensar sobre isso e ficar remoendo continuamente. Agora, você teve um bom início com
as suas preocupações!!

SEGUNDA REGRA DO PREOCUPADO

É a seguinte: Não aceite quaisquer incertezas. Você precisa ter certeza absoluta!

Os preocupados afirmam: "eu sei que isso é improvável, eu sei que as chances são de
uma em um milhão, mas quer saber, eu posso ser aquele um!". Sim, é verdade, não aceite
nenhuma incerteza!

De fato, quando você se preocupa, você pensa: "eu acho realmente improvável que eu
tenha essa doença incurável", mas você pergunta a si mesmo: "como eu posso ter certeza
absoluta"?

Claro que a melhor maneira para você alimentar a sua preocupação é entrar na internet e
procurar no Google todas as doenças incuráveis que existem e ver se você tem algum
sintoma, para confirmar a sua previsão. Vamos encarar os fatos: existe algo que você
realmente tenha certeza?

Talvez você possa ter alguma certeza a partir do reasseguramento de outras pessoas; para
ter certeza se tudo vai dar certo , você pode perguntar aos seus amigos isso se vai dar
certo: "Eu vou ser feliz"?; "eu vou encontrar a amada dos meus sonhos"? Mas então você
pode rejeitar o reasseguramento dos amigos, porque isso não garante a certeza absoluta.

"Será que isso é realmente verdade"? Então, você continua a se preocupar até que você
tenha certeza absoluta. Isso fará de você um bom ansioso.

TERCEIRA REGRA DA PREOCUPAÇÃO

Essa regra também muito importante. E ela diz que “você deve tratar todos os
pensamentos negativos como se fossem realmente verdade”.
Se você pensa que alguém não gosta de você, provavelmente isso é verdade. Se você
acha que vai ser demitido, acredite nisso. Quanto mais você tratar os seus pensamentos
como se fossem realidade, mais você conseguirá se preocupar. Se você acha que será
rejeitado, trate esse pensamento como se ele já tivesse acontecido.

QUARTA REGRA DA PREOCUPAÇÃO

Um próximo passo para ser uma pessoa altamente preocupada é: “tudo de ruim que vir a
acontecer é um reflexo de quem você é como pessoa”.

Então, qualquer coisa ruim que possa acontecer é um reflexo de quem você é como
pessoa. Se você é uma pessoa altamente preocupada você quer pensar que existe algo
relacionado a você para fazer todas as pessoas felizes. É você que precisa encontrar o que
é verdadeiro. Você é o centro de tudo, porque você é o responsável.

Se você não foi bem numa prova, você é incompetente. Se alguém não gosta de você,
você deve ser um perdedor. Se o seu parceiro está zangado, isso significa que você vai
acabar só e infeliz. É tudo uma questão de quem você realmente é.

As suas preocupações estão completamente relacionadas a como você se vê a si mesmo


como pessoa. Se você é uma pessoa altamente preocupada, nada é simplesmente um
problema pequeno que acontece com todos. Não, não , não! As suas preocupações
refletem quem você é como pessoa.

QUINTA REGRA DA PREOCUPAÇÃO

Essa regra também muito importante, porque quase todas as preocupações estão
relacionadas a algo que pode dar errado. Você não pode viver num mundo onde as coisas
não funcionam o tempo todo. Então, a quinta regra é a seguinte: “o fracasso é
inaceitável”.

Você pensa que nunca conseguirá lidar com uma rejeição. Se as coisas não estão indo
bem no trabalho, então você não pode lidar com isso.Não pode lidar com a perda de
dinheiro. Ficar doente seria um desastre. Ser demitido seria o fim da vida.

O fato é que se você é um preocupado crônico, você pensa que não pode lidar com uma
pequena falha.

Você precisa se preocupar porque se você vier a cometer um erro ou falhar em algo isso
será uma verdadeira catástrofe. O fracasso é inaceitável pra você. A perfeição é a única
coisa que conta.

SEXTA REGRA DA PREOCUPAÇÃO


Outra regra que garante que você irá se preocupar é essa: “Livre-se de quaisquer
sentimentos negativos imediatamente”. "Sim, é isso mesmo"!

Como um preocupado, você simplesmente não pode suportar ter nenhum sentimento
negativo. Você não pode suportar a ideia de qualquer sentimento de ansiedade, tristeza,
confusão ou frustração.

E o mais importante: você não pode suportar ter sentimentos ambivalentes ou


contraditórios. Sim, é isso mesmo! Se você é uma pessoa altamente preocupada, você
precisa se sentir bem o tempo todo, porque ter qualquer emoção negativa prá você é algo
muito, muito ruim!

Se você é altamente preocupado, você precisa ser capaz de ter uma completa paz interior.
Paz e quietude, tranquilidade na sua vida! Nunca ter nenhum, nenhum sentimento
desconfortável!

Se você é altamente preocupado, você precisa acreditar que esporadicamente você


encontre aquela iluminação interior do Nirvana. E não tenha mais nenhum desconforto,
nenhum contratempo.

SÉTIMA REGRA DA PREOCUPAÇÃO

Finalmente, para você ter certeza que entendeu como se preocupar, a regra final é essa:
"trate tudo como emergência"!

Você precisa saber agora mesmo qual é o seu propósito de vida; você precisa saber agora
mesmo se você será feliz no futuro e se tudo irá bem no trabalho, no seu relacionamento
conjugal; se tudo irá funcionar.

Para ser uma pessoa altamente preocupada, você precisa ter uma contínua sensação de
emergência.

Na verdade, essas sete regras que mencionei são baseadas nos mais recentes estudos
científicos sobre a essência da preocupação. E você pode utilizar essas ideias para ajudar
a si mesmo.

Agora que nós sabemos as sete regras, então você pode se preocupar a cada momento de
sua vida com algo que provavelmente não irá acontecer! Você tem o livro de regras da
insatisfação com esses sete passos.

Certo, então você pode ter visto a si mesmo nessa lista bem humorada. Mas, o que isso
tem a ver a como vencer as suas preocupações? Bem, isso é algo simples: Uma vez que
você compreende porque você se preocupa, você pode reescrever as suas regras e obter
novas formas de lidar com os acontecimentos em sua vida, ao invés de se preocupar com
eles.
O QUE VOCÊ PODE FAZER PARA AJUDAR A SI MESMO?

PRIMEIRO PASSO

O primeiro passo para lidar com as suas preocupações é perguntar: "Quais são os
benefícios de começar a me preocupar?".

A maioria dos preocupados pensam de duas maneiras: por um lado eles pensam "minha
preocupação está me deixando louco" e por outro lado eles pensam "eu preciso me
preocupar para estar preparado". Assim, você pode ficar preocupado em abandonar a sua
preocupação, porque você pensa que ela te protege.

A sua preocupação é uma estratégia que você pensa que te ajuda. Enquanto você não
desistir dessa crença, você continuará se preocupando. A motivação para mudar só vai
ocorrer quando você perceber o quanto as preocupações são improdutivas.

A preocupação improdutiva envolve muitos "e se", como por exemplo: " e se eu chegar lá
e ninguém quiser conversar comigo?".

Mas existe também a preocupação produtiva, que envolve identificar problemas que você
possa abordar imediatamente, por exemplo, como obter um mapa rodoviário para sua
viagem para a cidade de Pedro de Toledo.

SEGUNDO PASSO

A segunda técnica eficaz para lidar com a preocupação é: "aceite a realidade e se


comprometa com a mudança".

Você não quer aceitar determinados fatos ou possibilidades dos quais possa não gostar.
Nós sabemos que pessoas altamente preocupadas evitam experiências desconfortáveis.

Você terá de aprender que a aceitar que problemas reais existem e a aceitar também as
suas limitações. Uma das coisas que nós pedimos aos nossos pacientes é fazer uma lista
de todas as coisas que você está evitando no momento e comece a fazer essas coisas.

O objetivo é o que chamo de desconforto construtivo e imperfeição bem-sucedida.

Bem, o que é o desconforto construtivo?

Isso significa que você precisa lidar com o desconforto para crescer e mudar. Você
precisa fazer coisas que realmente você não quer fazer. Isso é o desconforto construtivo.

E o que é a imperfeição bem-sucedida?

É se tornar bem sucedido ao se tornar imperfeito.Você precisa ter progressos fazendo


coisas imperfeitas.
O perfeccionismo deixa você preocupado com a necessidade de encontrar a solução
perfeita. O perfeccionismo faz com que você adie as coisas que você precisa fazer hoje.
O sucesso é comprado pelo preço da imperfeição.

Eu acho essas ideias muito poderosas para ajudar os meus pacientes. Uma vez que você
percebe que você está desconfortável, por conta de ser altamente preocupado, você pode
pode ao menos usar o seu desconforto para crescer.

Você pode usar o desconforto como uma ferramenta para melhorar. Você está numa
situação de desconforto de qualquer forma. Você pode melhorar fazendo coisas que são
produtivas enquanto você está desconfortável.

TERCEIRO PASSO

A terceira técnica para lidar com a preocupação está relacionada a como você avalia o
seu pensamento.

Pessoas altamente preocupadas tem o que nós chamamos de fusão entre o pensamento e a
realidade. E que isso significa?

Pessoas altamente preocupadas pensam que se eu penso que eu posso ser rejeitado, então
isso se tornará verdade. Elas pensam que a previsão do seu pensamento será transformado
em realidade.

E elas pensam que precisam se preocupar sobre algo, para ter certeza de que isso não vai
acontecer. Elas pensam que a preocupação vai prevenir um mal resultado. Elas serão
capazes de antecipar as coisas, serão capazes de ver as coisas antes que aconteçam e
serão capazes de reverter uma previsão ruim.

Pessoas altamente preocupadas são como os obsessivos em certo sentido, porque elas
tratam os seus pensamentos como se fossem verdadeiros fatos.

Então, vamos ver quais são os típicos erros de pensamento ou distorções cognitivas que
pessoas altamente preocupadas costumam ter:

Uma das distorções de pensamento mais frequentes é a chamada leitura mental, que é
quando, por exemplo, você presume saber o que as outras pessoas pensam a seu respeito
mesmo sem ter evidências suficientes: " eles acham que eu sou um fracassado"!

Outro erro cognitivo é saltar incorretamente para as conclusões: " Como eles me viram
falhar, vão me ver como um incompetente”.

Ou senão, o que nós chamamos de raciocínio emocional, que é quando você deixa os
sentimentos guiarem a sua interpretação da realidade: "eu estou me sentindo nervoso,
então isso significa que as coisas não estão dando certo", e você acaba ignorando ou
desvalorizando as evidências ao contrário.

Ou ainda, o perfeccionismo: "eu preciso ser perfeito para ser confiante".

Diversas pessoas preocupadas também desconsideram os aspectos positivos: "o fato de


eu ter ido bem no passado não é garantia de nada".

Pessoas preocupadas também têm certas ideias urgentes, como "algo ruim vai acontecer
inesperadamente!". Ou um pensamento do tipo areia movediça: "que é a tendência a
pensar que as coisas irão caminhar rapidamente para o desastre".

Ou o pensamento da supergeneralização: que é quando um único erro faz com que toda a
minha vida desmorone.

Pessoas preocupadas podem contestar e testar os seus pensamentos usando técnicas da


terapia cognitiva que ajudarão a colocar as coisas em perspectiva, a examinar a lógica e
as evidências ou fatos e a tirar suas próprias conclusões.

Você pode se perguntar: " qual é o pior resultado que eu posso esperar"? Qual é o melhor
resultado? E qual é o resultado mais provável? "Quais são as coisas que eu posso fazer
para lidar com esses problemas reais, que realmente existem?

Você pode se perguntar a si mesmo: "existe alguma evidência de que as coisas podem dar
certo? Ou você pode perguntar: "Será que eu estou cometendo os mesmos erros de
predição do futuro que eu sempre faço?

"Eu tenho feito previsões negativas há anos e as minhas previsões não tem se mostrado
verdadeiras".

Não esqueça que as pesquisas mostram que 85% das coisas que nos preocupamos, na
verdade, acabam tendo um resultado positivo.

QUARTO PASSO

O quarto passo para lidar com a preocupação é reconhecer como sua personalidade
contribui para o seu problema.

Nós também sabemos que diferentes pessoas se preocupam sobre coisas diferentes:
algumas pessoas se preocupam com dinheiro, outras se preocupam com a saúde, outras se
preocupam com o que os outros pensam a seu respeito. Então a preocupação também está
relacionada com a sua personalidade.

Por exemplo, você pode se preocupar a respeito de ser abandonado, ou se preocupar


sobre se tornar desamparado e incapaz de cuidar de si mesmo. Ou você pode se preocupar
por não ser religioso o bastante; com não ser suficientemente moral, ou você pode se
preocupar por não ser aquela pessoa com um status superior.

Nós podemos utilizar técnicas de terapia cognitiva para ajudar as pessoas a modificarem
esses padrões. Por exemplo, nós podemos examinar os custos e benefícios de pensar de
uma forma tão rígida, como em termos de tudo ou nada.

Você pode perguntar a si mesmo: "qual conselho eu daria a um amigo que possui essas
mesmas preocupações que eu tenho?". Muitas vezes nós somos bons para dar conselhos
aos outros e que nós podemos aplicar a nós mesmos.

Nós podemos realizar alguns experimentos, como por exemplo, você pode não buscar
reasseguramento nos outros, caso você ache importante agir perfeitamente; ou você pode
passar um tempo sozinho, caso você pense que precisa sempre estar na companhia de
alguém.

Para descobrir o que realmente acontece, você pode praticar escrevendo e identificando
as suas crenças nucleares e confrontando esses pensamentos negativos sobre si mesmo.
Por ter convivido com essas crenças negativas por tanto tempo, você pode tomá-las como
certas. Você pode nem mesmo conseguir pensar na possibilidade de existir outra maneira
de ver as coisas.

Mas você pode desafiar a fonte desses pensamentos negativos sobre si mesmo. Coisas
desse tipo podem ser úteis para você.

QUINTO PASSO

O quinto passo para lidar com as preocupações envolve as suas perspectivas sobre o
fracasso. Os preocupados pensam que o fracasso é, em certa medida, inaceitável; que um
pequeno erro pode ser visto como um possível fracasso.

Então, se você vai a uma festa e alguém não é amigável, então você pensa que você
fracassou!

Algumas das maneiras de lidar com o medo de fracassar consiste em transformar o


fracasso em oportunidade. Ao encarar o fracasso, você pode se focar no que você pode
controlar. Eu posso focar nos comportamentos que serão bem sucedidos.

Você pode se fazer as seguintes perguntas:

● Será que é mesmo essencial eu ser bem sucedido nesse aspecto?


● Será que os meus objetivos, os meus padrões não estão muito elevados?
● Eu fiz melhor do que antes?
A verdade é que todo mundo falha em algo. A questão é como você lida com o fracasso e
como você o coloca em perspectiva e como você reconstrói isso.
Não alcançar a meta em determinada tarefa é um acontecimento. Mas você determina
como você pensa e age depois da frustração.

Talvez você não possa controlar os acontecimentos do passado, mas você pode, com
certeza, controlar o que você fará com esses acontecimentos.

SEXTO PASSO

O sexto passo está relacionado a como você lida com as suas emoções. O que é
interessante aqui é que as pesquisas mostram que a preocupação é uma forma de evitação
emocional.

Quando as pessoas começam a se preocupar, elas começam a ativar no cérebro a parte


responsável pelo pensamento e não permitem a si mesmos sentir as emoções. A
preocupação é na verdade um pensamento abstrato.

Os preocupados experimentam sensações corporais intensas, como tensão, batimentos


cardíacos acelerados, noites de insônia, calafrios, dores de cabeça.

Nós descobrimos que os preocupados possuem uma dificuldade inclusive para nomear as
emoções. E também possuem uma visão muito negativa sobre as suas emoções.

Nós ajudamos os preocupados a aceitar o valor, a importância das emoções;


reconhecendo que outras pessoas têm os mesmos sentimentos, e que é normal ter
sentimentos ambivalentes, bem como vivenciar diversas emoções.

E nós também ajudamos as pessoas a perceberem que as suas emoções dolorosas podem
colocar as suas prioridades no lugar certo.

Outro aspecto é que as emoções também são temporárias. Você permitir que as emoções
simplesmente fluam, sem tentar controlar ou eliminar as emoções. É como a água que
flui no rio.

SÉTIMO PASSO

Em sétimo e último lugar, as pessoas preocupadas sentem uma constante sensação de


urgência. Existe uma necessidade de saber tudo imediatamente.

O que nós ensinamos é a como lidar com essa urgência. Você vai aprender a como viver
e desfrutar o momento presente, para que você possa desligar a urgência e aproveitar
mais a vida no aqui e agora.

A preocupação está quase sempre relacionada a algo que vai acontecer no futuro. A partir
do momento em que você começa a vivenciar o presente, as suas preocupações em
relação ao futuro que se aproxima irão se dissipar.