Você está na página 1de 4

Enzima AMPK é a ‘chave mestra

reguladora’ do corpo. Como ativá-la?


28 sábadoJAN 2017
POSTED BY LCPIMENTA IN SEM CATEGORIA
≈ DEIXE UM COMENTÁRIO

Em 27 de janeiro de 2017, por Luciano Pimenta.


AMPK (proteína quinase ativada por adenosina monofosfato) é uma enzima encontrada em
todas as células do nosso corpo, promotora da juventude. Ela serve como uma ‘chave mestra
reguladora’ do corpo, que evita fatores degenerativos ao revitalizar células envelhecidas. AMPK
determina a composição da gordura corporal e o quanto tempo você vai viver.
A AMPK está envolvida na redução do armazenamento de gordura, regula a captação de glicose,
cria novas mitocôndrias, elimina o lixo celular que se acumula dentro das células.

O PUBMED atualmente oferece mais de 7.500 artigos publicados sobre vários aspectos da AMPK.
Uma propriedade importante da AMPK é que ela induz múltiplos fatores de longevidade, que tem
demonstrado aumentar a resistência ao estresse e estender a vida de muitos organismos (J Mol
Med. 2011;89(7):667-76.)
Um fator de longevidade impulsionado pela AMPK é a enzima SIRT1. SIRT1 opera silenciando
genes que codificam respostas ruins ao estresse, incluindo resposta inflamatória, excesso de
armazenamento de gorduras e nova produção de gorduras. (Free Radic Biol Med. 2013 Mar
27;61C:95-110; PLoS One. 2012;7(9):e46364.; Nature. 2004 Jun 17;429(6993):771-6.; ell
Res. 2010 Apr;20(4):470-9.).
Resveratrol encontrado no vinho tinto ajuda ativar SIRT1, mas a AMPK ativa SIRT1 de forma
mais direta (Ageing Res Rev. 2012 Apr;11(2):230-41.; J Lipid Res. 2012 Dec;53(12):2490-
514.)
Na juventude, a AMPK tem uma maior ativação e ajuda proteger contra obesidade e diabetes.
(Exp Gerontol. 2014 Jul;55:120-8; J Biol Chem. 2010 Jun 18;285(25):19051-9.; Am J Physiol
Endocrinol Metab. 2009;297:E956–E64.).
À medida que envelhecemos, a ativação da AMPK celular diminui, seguindo de aumento de peso
e com maior probabilidade dos fatores destrutivos do envelhecimento.

A boa notícia é que há métodos para ativar a AMPK, e com isso, reduzir o armazenamento de
gordura corporal e proteger contra distúrbios degenerativos.

A maioria dos seres humanos hoje sofre de uma sobrecarga nutricional crônica. Quando isso
acontece, as funções da vida vital podem ser interrompidas, como a absorção adequada de
glicose, gordura de nosso sangue para uma regulação eficaz de energia.

Em resposta ao consumo excessivo de calorias, a limpeza doméstica diminui, resultando em


acumulação de resíduos celulares e proteínas danificadas. A ingestão abundante de alimentos
prejudicam os genes benéficos da longevidade ao mesmo tempo em que os genes pró-inflatórios
se tornam dominantes (Cell Metab. 2012 Aug 8;16(2):180-8.).
Quando as células são cronicamente supernutridas, a atividade enzimática de mobilização de
energia da AMPK diminui (J Endro Diabetes Obes. 2013; 123(7):2764–72.). Os efeitos externos
manifestam-se na forma de ganho de peso não desejado, diabetes, doença degenerativa e morte
prematura.
Felizmente, os cientistas identificaram uma enzima celular chamada AMPK que, quando ativada,
imita muitos dos efeitos benéficos observados na restrição calórica, incluindo a perda de gordura
corporal excedente.

AMPK é a chave mestra reguladora. As células podem ser descritas como pequenos feixes de
reações bioquímicas. As funções vitais que nossas células realizam são dependentes da atividade
enzimática celular. Nos últimos 30 anos, os cientistas vem investigando as propriedades da
enzima AMPK, que é a chave mestra reguladora, pois de muitas maneiras ela controla como
nossas células se comportam.
Uma extensa pesquisa mostra que, ao aumentar a ativação da AMPK, podemos reduzir muitos
dos fatores destrutivos do envelhecimento, permitindo que as células retornem à sua vitalidade
jovem.

Em pesquisas pré-clínicas, o aumento da atividade AMPK tem sido associada a um aumento de


20-30% na vida, mas isso é apenas o começo dos benefícios para a saúde conferidos por esta
enzima celular crítica. (Ageing Res Rev. 2012 Apr;11(2):230-41; Cell Metab. 2013 Jan
8;17(1):101-12.).
O aumento da ativação da AMPK tem mostrado em ajudar a reduzir o armazenamento de
gordura (especialmente a gordura da barriga), aumentar a sensibilidade à insulina (diminuir a
glicemia), reduzir a produção de colesterol/triglicérides e suprimir a inflamação crônica. (Circ
Res. 2007 Feb 16;100(3):328-41.).
De muitas formas, a AMPK atua como um policial de trânsito, movendo eficientemente
o excesso de gordura e açúcar de nossas células a fim de ser queimado em
energia. Quando somos jovens, AMPK mantém nossas funções metabólicas funcionando sem
problemas. Mas, à medida que envelhecemos, a sinalização de AMPK diminui, o que pode levar
rapidamente a um acúmulo excessivo de glicose no sangue e em acumulação de gordura
perigosa.
Com a redução da AMPK, uma série de condições prejudiciais começam a ocorrer sobre nosso
corpo, muitas vezes levando a uma morte precoce. Estas condições incluem: aumento da
gordura da barriga, inflamação crônica, elevação de açúcar no sangue, resistência à insulina,
colesterol e triglicérideos elevados, diminuição do número e da função das mitocôndrias,
aumento da acumulação de proteínas anormais ou danificadas em nossas células que levam à
neurodegeneração.

A medicina convencional diagnostica e trata cada uma dessas condições acima como uma doença
separada que passa a necessitar de medicamentos separados, quando, de fato, todos eles estão
associados a uma única fonte: atividade de AMPK em declínio.

Um importante impacto mortal da atividade reduzida de AMPK é um número diminuído de


mitocôndrias funcionais e o acúmulo de lixo celular o que torna as células não funcionais. (Basic
Res Cardiol. 2013 May;108(3):329; Essays Biochem. 2010;47:69-84.; EMBO J. 2011 Feb
16;30(4):634-5.; PLoS Genet. 2014 Apr 24;10(4):e1004273.; Cell Signal. 2014 Jan;26(1):1-
8.).
O aumento da ativação da AMPK reduz o armazenamento de gordura, aumenta a sensibilidade
à insulina, reduz o colesterol, triglicérides, e suprime a inflamação crônica. AMPK quando ativada
imita muitos dos efeitos benéficos da restrição calórica, incluindo a perda de gordura. ( Circ Res.
2007 Feb 16;100(3):328-41; Future Oncol. 2010 Mar;6(3):457-7).
Quais as abordagens da fitoterapia para elevar AMPK?
1. Metformina ativa AMPK. Metformina tem origem botânica, é derivado da planta Gallega
Officianalis, que já esteve na medicina popular por centenas de anos. (Circ Res. 2007
100(3):328–41; Diabetes. 2002 Aug;51(8):2420-5.; Biol Pharm Bull. 2010 33(6):963-70).
Estudos em laboratório demonstram que a ativação da enzima AMPK por meio da metformina,
pode suprimir o desenvolvimento e crescimento de células cancerosas da mama, ovário,
pâncreas, e muitos outros tecidos.(Clin Cancer Res. 2010 Apr 13). Um dos cuidados com a
metformina é o monitoramento da vitamina B12. A metformina prejudica sua natural absorção,
levando a pessoa ter uma deficiência importante desta vitamina. – Br J Diabetes Vasc Dis.
2004;4(6):401-6.
2. Berberina é um dos poucos compostos que ativam a enzima AMPK. J Lipid Res.2006
Jun;47(6):1281-8) Segue um link para quem deseja mais informações sobre Berberina, que
segundo o médico Dr. Joseph Mercola, funciona tão bem quanto a metformina para diabetes.
https://lucianopimenta.wordpress.com/2016/07/05/berberina-funciona-tao-bem-como-
metformina-para-diabetes-segundo-o-medico-dr-mercola/
3. A erva JIAOGULAN (Gynostemma pentaphyllum)que significa “Erva da Imortalidade”
também ativa a enzima AMPK. Os cientistas descobriram que JIAOGULAN promove a
ativação da AMPK.(Biotechnol Lett. 2012 Sep;34(9):1607-16.; Bioorg Med Chem. 2011
Nov 1;19(21):6254-60.).
JIAOGULAN não só ativa a AMPK, como transporta gorduras em excesso para as mitocôndrias
para serem utilizadas em uma eliminação segura e energética. O resultado é uma produção
eficiente de energia e uma redução acentuada no armazenamento de gordura desnecessária.
– Bioorg Med Chem. 2011 Nov 1;19(21):6254-60.
Os resultados da ativação de AMPK induzida por JIAOGULAN incluem aumento da queima de
gordura, bem como um aumento na captação celular de glicose.

Estudos em humanos confirmaram o que muitos dos pesquisadores encontraram no laboratório:


JIAOGULAN estimula a atividade de AMPK e fornece benefícios importantes de longevidade. Os
resultados foram:

1. Uma redução de 5 vezes na glicemia em jejum;


2. Uma redução de 10 vezes na hemoglobina A1c;
3. Uma diminuição de quase 3 vezes na resistência à insulina.
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20213586
Anúncios