Você está na página 1de 37

OPTATIVA II

BARRAGENS E ESTRUTURAS CIVIS


ANEXAS
ENGENHARIA CIVIL – 10° PERÍODO (TURMA 2)
AULA 05 - CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM, VANTAGENS E DESVANTAGENS,
PARTICULARIDADES CONSTRUTIVAS

Prof. Daniel Miranda


Belo Horizonte, 13 de setembro de 2016
NA AULA DE HOJE...

• CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE BARRAGEM:


– Forma do vale;
– Sismicidade;
– Geologia;
– Disponibilidade de materiais de construção;
– Condições climáticas;
– Controle de cheias.

• VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS DIFERENTES TIPOS DE


BARRAGEM;

• PARTICULARIDADES CONSTRUTIVAS.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM
• A escolha do tipo de barragem é uma tarefa complexa que demanda a análise de um
número significativo de parâmetros e informações;

• O objetivo é propor a solução mais econômica possível tendo em mente a garantia do


mais alto grau de segurança do empreendimento e a minimização dos impactos
causados pela obra;

• Os critérios principais que devem ser cautelosamente analisados são:

• Forma do vale;

• Sismicidade;

• Geologia;

• Disponibilidade de materiais de construção;

• Condições climáticas;

• Controle de cheias.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - FORMA DO VALE

• A geometria do vale permite eliminar de antemão a possibilidade de construção de certos


tipos de barragem.

a) Cânion ou desfiladeiro – vale encaixado com ombreiras quase verticais:

A barragem em arco destaca-se em relação aos outros tipos se a geologia e a


integração com as estruturas anexas o permitem. Se a largura é praticamente
constante ao longo de toda a altura do vale, a
barragem em arco cilíndrico pode ser uma
alternativa interessante.

Em caso de cheias de grande magnitude, a


barragem-gravidade é uma opção que permite
uma boa integração com o sistema extravasor.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - FORMA DO VALE

b) Vale estreito em forma de V:

A barragem em arco pode ser elencada como uma das opções se a geologia e a
integração das estruturas anexas o permitirem:

Outros critérios, topográficos, devem ser observados:

• O índice de esbeltez λ deve ser menor ou igual a 5 ou 6;

• As curvas de nível das ombreiras, onde o maciço se apoiaria, devem ser


paralelas ao eixo do vale, de preferência convergentes;
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - FORMA DO VALE

b) Vale estreito em forma de V:

A barragem-gravidade e a barragem de enrocamento com face de concreto podem ser


outras alternativas interessantes;

A barragem de enrocamento com núcleo de argila deve ser evitada, devido à


acentuada inclinação das ombreiras, o que pode culminar em recalques diferenciais
do maciço rochoso e na fissuração do núcleo argiloso.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - FORMA DO VALE

c) Vale estreito em forma de U:

Da mesma forma que para vales estreitos em forma de V, a barragem em arco pode
ser elencada como uma das opções se a geologia e a integração das estruturas
anexas o permitirem:
Outros critérios, topográficos, devem ser
observados:

• O índice de esbeltez λ deve ser menor ou


igual que 4 ou 5;

• As curvas de nível das ombreiras, onde o


maciço se apoiaria, devem ser paralelas ao
eixo do vale, de preferência convergentes;
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - FORMA DO VALE

c) Vale estreito em forma de U:

Neste caso, a barragem-gravidade e a barragem de enrocamento com face de


concreto também podem ser outras alternativas interessantes;

Da mesma forma que para o caso dos vales estreitos em forma de V, a barragem de
enrocamento com núcleo de argila deve ser evitada, pelas mesmas razões citadas
anteriormente.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - FORMA DO VALE

d) Vale largo:

O índice de esbeltez λ é bastante expressivo para este tipo de vale, eliminando,


portanto, a possibilidade de construção de barragens em arco.

Todos os outros tipos de barragem podem ser construídos, desde que os outros
critérios de escolha sejam satisfeitos.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - SISMICIDADE
Os tipos de barragem mais resistentes às solicitações dinâmicas são:

• As barragens em arco e as barragens-gravidade em arco, por conta de sua


hiperestaticidade;

• As barragens de enrocamento com núcleo argiloso, em virtude de sua capacidade de


suportar grandes deformações.

As juntas de dilatação das barragens-gravidade são normalmente abertas. Por esta razão,
a resistência deste tipo de estrutura às solicitações horizontais transversais é baixa. Esta
resistência é significativamente ampliada se as juntas forem preenchidas com calda de
cimento e apresentarem uma superfície capaz de suportar esforços de cisalhamento.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - SISMICIDADE
As barragens de contrafortes suportam solicitações transversais muitos baixas, pela
própria forma da estrutura. O alargamento das almas dos contrafortes a jusante permite
corrigir, de certo modo, esta limitação.

As barragens de enrocamento com face de concreto possuem grande fragilidade a sismos


em razão de seu elemento estanque (paramento de montante). Por outro lado, o corpo do
maciço, bastante permeável, é um fator positivo.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - GEOLOGIA
A geologia talvez seja o critério preponderante para escolha do tipo de barragem. Uma
análise detalhada do conjunto de parâmetros geológicos deve ser feita antes de se chegar
a uma conclusão se tal tipo de barragem é exequível ou não.

De maneira geral, pode-se classificar o aspecto geológico em quatro categorias:

a) Rocha de boa qualidade:

- Módulo de elasticidade E > 8000 MPa;

- As galerias para investigação do horizonte rochoso são escavadas quase sem adoção
de estruturas de contenção;

Uma formação rochosa de boa qualidade convém a todos os tipos de barragem;


CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - GEOLOGIA
b) Rocha de qualidade intermediária:

- Módulo de elasticidade E entre 4000 e 8000 MPa;

- As galerias para investigação do horizonte rochoso são escavadas quase sem adoção
de estruturas de contenção;

Uma rocha de qualidade intermediária é compatível com qualquer tipo de barragem,


exceto as barragens em arco para as quais as tensões transmitidas à fundação são
significativas. A capacidade de suporte do horizonte rochoso deve ser estudada
minuciosamente como o objetivo de se verificar se as deformações da fundação serão
suportadas pela barragem. Um comportamento homogêneo da fundação é indispensável.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM - GEOLOGIA
c) Rocha de má qualidade:

- Módulo de elasticidade E < 4000 MPa;

- A escavação de galerias para investigação do horizonte rochoso demanda a utilização


de estruturas de contenção, por exemplo, de concreto projetado;

As deformações do horizonte rochoso são bastante significativas para construção de uma


estrutura rígida, tal como uma barragem de concreto. Neste caso, dá-se preferência a
barragens de aterro, com núcleo argiloso ou eventualmente com face de concreto (ou
betuminosa).

d) Solo móvel:

Somente as barragens de aterro podem suportar a deformabilidade de tais solos. Uma


atenção especial será dada à garantia da estanqueidade na interação entre a barragem e
sua fundação.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – DISPONIBILIDADE DE MATERIAIS DE
CONSTRUÇÃO
Seja qual for o tipo, a construção de uma barragem sempre demanda a utilização de
grandes quantidades de materiais de construção. Os custos do empreendimento são
fortemente influenciados pela disponibilidade e movimentação desses materiais.

As áreas de empréstimo deverão estar o mais próximo possível do sítio de construção da


estrutura e os custos de transporte e tratamento dos materiais devem ser otimizados.

As características essenciais dos materiais de empréstimo necessários são:

Agregados graúdos do concreto:

• De preferência agregados arredondados provenientes de cascalheiras aluviais, sem


partículas orgânicas;

• Agregados britados provenientes de pedreiras (controle granulométrico é essencial).


CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – DISPONIBILIDADE DE MATERIAIS DE
CONSTRUÇÃO
Material de aterro para o corpo da barragem:

• Materiais provenientes de aluviões para barragens de terra. O teor de finos deve ser
baixo;

• Materiais advindos de pedreiras para o corpo das barragens de enrocamento.

Núcleo da barragem:

• Material argiloso de baixa permeabilidade.

Material de filtro:

• Materiais aluvionares com controle tecnológico bastante criterioso (exigências


granulométricas precisas).
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – DISPONIBILIDADE DE MATERIAIS DE
CONSTRUÇÃO
Rip-rap:

• Grandes blocos de rocha resistentes à alteração dinâmica das ondas,


frequentemente difíceis de serem encontrados. Eventualmente são utilizados blocos
de concreto.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

As condições climáticas influenciam consideravelmente as condições de execução da


obra e interferem diretamente no prazo de construção do empreendimento. A durabilidade
da barragem pode ser igualmente influenciada por este fator.

Núcleo argiloso das barragens de terra (condições durante a construção):

O teor de umidade é critério fundamental para lançamento e compactação ótima do


núcleo. Em regiões onde o período chuvoso é longo e intenso (chuvas tropicais), estas
etapas são frequentemente interrompidas em decorrência do grau de saturação elevado
dos materiais.

Barragens de contrafortes (condições durante a vida útil do empreendimento):

A diferença de temperatura entre a cabeça do contraforte, que apoia o paramento de


montante em contato com a água fria do reservatório, e a alma submetida à radiação solar
desenvolve gradientes térmicos na estrutura que podem provocar fissuração do concreto.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – CONDIÇÕES CLIMÁTICAS

Face de montante de barragens de aterro executadas com material betuminoso:

Este material é particularmente sensível aos efeitos das temperaturas extremas:

• Deformações plásticas sob temperaturas elevadas;

• Desgaste do material (envelhecimento precoce) por exposição à radiação solar.


CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – CONTROLE DE CHEIAS

• A questão da cheia de projeto é um ponto particularmente sensível do projeto da


barragem, por conta do caráter incerto e probabilista dos valores adotados;

• A escolha do tipo de barragem é diretamente dependente deste aspecto;

• As barragens de concreto podem suportar, sem danos excessivos, um eventual


transbordamento do reservatório (galgamento da barragem, overtopping),
limitando-se a resistência da fundação a jusante da estrutura;

• Por outro lado, o galgamento de uma barragem de aterro seria catastrófico, o que
poderia conduzir rapidamente à ruína da estrutura e a severas consequências a
jusante da mesma.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – CONTROLE DE CHEIAS

Considera-se que as vazões das cheias que devem ser controladas dependem das
seguintes condições:

• Aspectos hidrológicos da bacia hidrográfica (ou de contribuição);

• Efeito de laminagem da cheia, que depende do reservatório (volume disponível,


borda livre) e órgãos extravasores de cheias;

• Tipo de barragem.

Barragens-gravidade e barragens de contrafortes:

Extravasores de comprimento considerável podem ser construídos sobre a barragem,


os quais permitem a evacuação de grandes vazões. Para estes casos, observam-se com
frequência capacidades de extravasão superiores à 3000 m³/s.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA DE CADA TIPO DE
BARRAGEM – CONTROLE DE CHEIAS

Barragens em arco:

Em regiões cujos vales são muito estreitos, a capacidade de descarga dos extravasores
situados sobre a crista é limitada. Podem ser previstos órgãos extravasores em carga
(orifícios com comportas) ou vertedouros localizados nas margens do reservatório;

Barragens de aterro:

O extravasor não pode ser integrado ao maciço, devido à incompatibilidade das


deformações entre o corpo do aterro e as estrutura em concreto armado (vertedouro).
Uma solução deve ser encontrada nas ombreiras.

No caso de barragens de grande comprimento, vê-se comumente a combinação de


trechos alternados entre maciços de aterro e estruturas de concreto.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM

BARRAGEM-GRAVIDADE:
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM
BARRAGEM-GRAVIDADE: • Menor volume de concreto (caso das
barragens aliviadas).
VANTAGENS:

• Tensões relativamente pequenas no


DESVANTAGENS:
concreto;
• Volume significativo de concreto
• Tensões de pequena magnitude
empregado na construção do maciço;
transferidas à fundação;
• Resfriamento artificial necessário durante
• Variações térmicas geram tensões de
a pega do concreto;
pequena monta;
• Grandes volumes de escavação;
• Extravasores podem ser facilmente
• Subpressões elevadas na fundação;
integrados à estrutura;
• Sensível a sismos;
• Gradientes de subpressão na fundação
são pequenos; • Sensível a recalques.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM

BARRAGEM DE CONTRAFORTES:

Montante Jusante

Cabeça Alma
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM
BARRAGEM DE CONTRAFORTES:

VANTAGENS: DESVANTAGENS:

• Menor volume de concreto em relação às • Grande sensibilidade a sismos;


precedentes;
• Sensível a recalques;
• Tensões de média magnitude transferidas
• Grandes volumes de escavação;
à fundação;
• Gradiente de subpressão na fundação
• Pequenas subpressões na fundação;
localmente significativo;
• Reação exotérmica mais branda durante
• Tensões geradas por efeito térmico
a pega do concreto;
podem ser expressivas na cabeça dos
• Extravasores podem ser facilmente contrafortes.
integrados à estrutura;
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM

BARRAGEM EM ARCOS MÚLTIPLOS:


VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM
BARRAGEM EM ARCOS MÚLTIPLOS: DESVANTAGENS:

VANTAGENS: • Tensões expressivas nos arcos;

• Menor volume de concreto em relação às • Arcos devem ser armados para evitar a
precedentes; fissuração;

• Volume de escavação relativamente • Grande sensibilidade a sismos;


limitado;
• Sensibilidade aos gradientes de
• Baixas subpressões na fundação; temperatura;

• Isenta de problemas de natureza térmica • Gradiente de subpressão na fundação


durante a pega do concreto. localmente significativo;

• Sensível a recalques diferenciais;

• Difícil integração com estruturas anexas;

• Estrutura muito vulnerável e fortemente


exposta a atos de vandalismo.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM

BARRAGEM EM ARCO:
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM
BARRAGEM EM ARCO: • Esforços transmitidos obliquamente às
ombreiras;
VANTAGENS:
• Limitações quanto aos recalques
• Baixo volume de concreto;
admitidos;
• Volume de escavação relativamente
• Forte reação exotérmica durante a pega
limitado;
do concreto;
• Alta resistência a sismos;
• Difícil integração com estruturas anexas;
• Baixas subpressões na fundação;
• Gradiente de subpressão na fundação
significativo;
DESVANTAGENS:
• Drenagem das fissuras no contato
• Grandes tensões no concreto;
barragem-ombreiras deve ser
• Grandes tensões transferidas à rigorosamente controlada.
fundação;
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM

BARRAGEM DE ATERRO COM NÚCLEO


ARGILOSO:
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM
BARRAGEM DE ATERRO COM NÚCLEO
ARGILOSO:

VANTAGENS: DESVANTAGENS:

• Corpo da barragem flexível e adaptável • Expressivo volume de materiais utilizados


às condições do terreno; na construção da barragem;

• Estruturas pouco sensível a sismos e a • Material argiloso deve estar disponível


recalques; em grande quantidade nas proximidades
do sítio de construção;
• Escavações limitadas;
• Execução do núcleo argiloso impossível
• Tensões de pequena monta transferidas
diante de condições meteorológicas
à fundação;
desfavoráveis.
• Baixo gradiente hidráulico entre o núcleo
e a fundação.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM

BARRAGEM DE ATERRO COM FACE DE


CONCRETO (OU BETUMINOSA):
VANTAGENS E DESVANTAGENS DOS
DIFERENTES TIPOS DE BARRAGEM
BARRAGEM DE ATERRO COM FACE DE • Tensões de pequena monta transferidas
CONCRETO (OU BETUMINOSA): à fundação;

VANTAGENS:

• Corpo da barragem flexível e adaptável DESVANTAGENS:


às condições do terreno;
• Expressivo volume de materiais utilizados
• Estruturas pouco sensível a recalques; na construção da barragem;

• Estruturas pouco sensíveis a sismos, • Gradiente hidráulico elevado na fundação


com certas limitações; do pé da barragem;

• Escavações limitadas; • Fundação do pé da barragem assente


em rocha pouco permeável.
• Não demanda materiais argilosos;

• Menor interferência do fator


meteorológico;
PARTICULARIDADES CONSTRUTIVAS
BARRAGENS DE CONCRETO
• As barragens de concreto, seja qual for o tipo, são construídas em blocos individuais
de 12 a 16 metros de comprimento (dimensão transversal) e estes blocos são
separados por juntas;

• A espessura da barragem fixa a dimensão do bloco na direção longitudinal


(entre 3 e 30 m);

• Cada bloco é concretado em camadas sucessivas de 1,5 a 3,5 m.

camadas de 1,5 a 3,5 m


camadas blocos

concretagem dos blocos em camadas


PARTICULARIDADES CONSTRUTIVAS
BARRAGENS DE CONCRETO
Este método construtivo permite:

• Facilitar a concretagem adaptando-se o volume de concreto de cada etapa à


produção diária;

• Controlar e facilitar a liberação do calor de hidratação (reação exotérmica da pega do


concreto);

• Evitar a fissuração devido à retração, permitindo a abertura de juntas.


PARTICULARIDADES CONSTRUTIVAS
BARRAGENS DE ATERRO
• As barragens de aterro são construídas por camadas de materiais cobrindo toda a
superfície da barragem;

• A espessura das camadas é da ordem de 50 cm, de forma a permitir uma boa


compactação de todo o maciço e uma consolidação regular.

consolidação