Você está na página 1de 4

1º Soboul: Feudalidade como ‘’ diterminado tipo de produção história fundada na

propriedade da terra, anterior ao capital moderno e ao modo de produção capitalista... O


papel histórico da Revolução francesa foi o de assegurar, ela destuição da feudalidade
assim deifinida, a transição para a sociedade capitalista. ‘’p, 8 A feudalidade como o
traço essencial da sociedade do antigo regime p, 19

Passagem do capitalismo para o feudalismo: As instituições feudais inibiam o


desenvolvimento da classe burguesa; apego obstinado aos seus privilégios e à tradição (
como os direitos senhoriais e isenção do pagamento de impostos);

 Fortes antagonismos sociais: monarquia x aristocracia x burgueses x plebeus

Luta pela aristocracia para ganhar mais direitos diante da monarquia, com o objetivo de
obter mais privilégios. ‘’ Porém, minando o poder real, esta não se dava conta de que
arruinava o defensor natural de seus privilégios. A revolta da aristocracia abriu caminho
para o terceiro Estado.’’ p, 15

As classes populares como o motor da revolução burguesa: precisavam se libertar de


todos os entraves que inibiam seu crescimento e as exploravam.

 Questão econômica e demográfica:

Aumento da população, demanda de alimentos e pouca produção e aumento dos preços


dos mesmos p, 23;

Miséria e fome nos períodos anteriores a 1789

Crise política ( revolta da aristocracia) + crise economica

Criação de uma mentalidade revolucionária: apesar da divergências, camponeses,


artesãos e burgueses agiram na direção de um único objetivo contra a aristocracia e o
poder real. Tal fato ganhou mais força ainda depois da reunião dos Estado gerais.

Contexto de medo, ira, esperança e vontade punitiva por parte dos membros de baixa
classe. ‘’ O Grande Medo, nos fins de julho de 1789, mobilizou os camponeses;
acelerou e generalizou o armamento popular; forçou, nas menores aldeias, as milícias se
reunirem... ‘’p, 31

‘’ A espontaneidade revolucionária das massas citadinas e rurais sublevadas pela


miséria e pelo ‘complô aristocrático’ derrubou o antigo regime desde os fins de julho de
1789’’ p, 32 ; os clubes foram elementos fundamentais para a mobilização das massas:
Ex: clube dos jacobinos.

Criação da guarda nacional, julho de 1789: uma instituição civil que que possuía uma
organização militar com o objetivo de defender os direitos dos possuidores burgeses.

Importância das federações: proporcionou a confraternização nacional, através do


encontro de indivíduos de diferentes partes do território francês.
Necessidade do controle das massas pela burguesa: principais instrumentos para tal fim
foram os clube, federações e até a guarda nacional.

A abolição da feudalidade: ‘’ A feudalidade foi destruída em sua forma institucional e


jurídica, mas foi mantida na sua realidade econômica. ‘’ p, 42 = igualdade fiscal
beneficiou a todos, mas a igualdade civil favoreceu mais a burguesa, na medida em que
estas tinham mais chances de entrar para a vida pública, enquanto os camponeses eram
vistos como ‘’ sem talentos’’p, 42 e, por isso, não podiam ocupar cargos públicos. Além
disso, os camponeses deviam pagar para a libertação de suas terras, fato que reforçava a
existência ainda de um feudalismo economico e fortalecia a aristocracia.

Liberdade economica, pública e política ‘’ O individuo livre o é também de criar e de


produzir, de procurar o lucro e de o desfrutar a sua maneira. ‘’ p, 45, baseado ‘’ num
individualismo social igualitário’’ fato que, como de praxe, beneficiou os mais fortes.

A igreja da França torna-se uma igreja nacional: diminuição do poder do papa. As


oposições intensificou o conflito político.

Impossibilidade de uma política de compromisso e de reconciliação com a aristocracia


causada pela resistência das massas à volta de alguns direitos feudais.

Aumento das divergências sociais entre a aristocracia e a massa: crise social, economica
e política.

Divergências políticas marcadas pelo caráter de classe: Girondinos pendiam mais para
os interesses da bureguesia, enquanto os sansculottes mais para as massas.

Visão teleológica na qual vê na revolução francesa uma ‘’ etapa decisiva na transição


do feudalismo ao capitalismo ‘’. Mais os camponeses, artesãos e produtores do que os
burgueses que foram o motor da revolução. A revolução mudou as estruturas
econômicas e sociais. Construindo um Estado que tendia aos interesses burgueses,
baseada na liberdade econômica. Crítica à visão reducionista que compara a revolução
francesa às outras revoluções que começou no século XVIII, como a inglesa e as dos
países baixos, ou seja, como um aspecto que fazia parte de um movimento geral
ocidental. ‘’ Tal concepção, esvaziando a revolução francesa de todo conteudo
específico, econômico , social e nacional, espicharia à toa todo meio século de
historiografia revolucionária..’’ p, 102

Diferenças das outras revoluções: ‘’ A revolução francesa se fixou assim um lugar


singular na história moderna e contemporânea: a revolução camponesa e popular estava
no âmago da revolução burguesa e a impelia para frente. ‘’ p, 105 Importância do
jacobinismo: aliança na burguesia revolucionária com as massas camponesas (Gramsci)

A revolução francesa criou um terreno mais propício ao capitalismo do que em outros


lugares. Na medida em que foi mais radical no ponto de vista da destruição dos direitos
feudais e na liberdade econômica, enquanto outros lugares, como o Japão, permaneceu
algumas relações econômicas e sociais feudais.
Especificidade: Enquanto nas outras revoluções era expresso o desejo de restauração de
direitos perdidos ou ameaçados ( caráter reacionário), como a revolução americana e
inglesa, a revolução francesa consolidou uma nova estrutura, isto é, novos modelos
econômicos e sociais, com a destruição dos direitos feudais, abolição dos privilégios e
instauração de novos direitos. Além disso, a revolução francesa teve como elemento
fundamental para seu êxito a participações popular, tendo este influenciado nas políticas
posteriores a 1789: os Sanscullotes são um exemplo claro disso.

Hobsbawm:

O fim do século XVIII chamada como a ‘’era das revoluções democráticas’’: o francesa
foi o maior exemplo disso.

Política e ideologia do século XIX formada sobretudo pela revolução francesa: forneceu
o vocabulário da política liberal e radical democrática e conceito e o exemplo de
nacionalismo.

Por que a frança foi a maior revolução ?

Se deu no mais populoso e poderosos Estado da Europa; Foi uma revolução social de
massa e, por isso, mais radical; caráter ecumênico : Revolução Francesa x Americana:
esta última deixou poucos traços relevantes em outras partes do mundo, já a francesa é
um marco em todos os países, se tornando uma influencia direta e universal, na medida
em que forneceu o padrão para todos os movimentos revolucionários subsequentes... ´,
100 ; A amerciana ajudou a estimular a francesa, forneceu modelos constitucionais a
diversos estados latinos e inspirou movimentos democrático-radicais;

Origens: Suas origens devem ser procuradas não meramente em condições gerai da
Europa, mas sim na situação específica da frança p, 100... O conflito entre a estrutura
oficial e os interesses estabelecidos do velho regime e as novas forças sociais
ascendentes era mais agudo na França do que em outras partes; Fracassos de reformas
com um caráter mais social... ;

‘’Reação feudal ‘’ p, 102: descontentamento dos nobres pela falta de independência


política e enfraquecimento econômico pelo impedimento de exercer uma profissão, A
nobreza representava sentimentos da classe média.

Situação camponesa: miséria e forme intensificados com os pagamentos de tributos


feudais; aumento da crise pelos gastos franceses na guerra americana; má safra

Situação da monarquia: estrutura fiscal e administrativa obsoleta.

Crise econômica e social: gastos da monarquia e nobreza; guerra e dívida ( guerra na


America)...
A revolução começou como uma tentativa aristocrática de recapturar o Estado:
subestimou as intenções independentes do teceiro estado e desprezou a profunda crise
socioeconômica.

Revolução com uma ausência de liderança de um partido ou movimento com um


projeto já estruturado, porém tinha um objetivo e ideologia comum fundamentalmente
burguesa de liberdade, influencia pela maçonaria.

Questão de classes: Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão: Este documento


é um manifesto contra a sociedade hierárquica de privilégios nobres, mas não um
manifesto favor de uma sociedade democrática igualitária p, 106

Fomentou um nacionalismo e patriotismo no qual fortalecia a imagem dos franceses


como libertadores dos povos oprimidos pelo antigo regime; o povo era identificado com
a nação e esta era a fonte da soberania

Luta do terceiro estado por representação e vantagem política – contra os preceitos do


corpo feudal, fato tornado possível com a conclamação dos Estados Gerais

O que transformou uma limitada agitação reformista em uma revolução foi o fato de
que a conclamação dos Estados Gerais coincidou com uma profunda crise
socioeconômica p 108; Contrarevolução só impulsionou a revolução: enfraquecimento
dos preceitos feudais

Queda da bastilha, grande medo... Utilização das massas contra a resistência dos
adeptos do antigo regime ( sansculottes)

Entre 1789 e 1791: Vitória da burguesia moderada – monarquia constitucional, impulso


às reformas; Resistência dos monarquistas e eclosão da guerra entre monarquistas e
revolucionários

1792 - 1795: Republica jacobina do ano II e convenção: existência de duas grandes


forças: extrema direita e esquerda moderada; Disputa entre girondinos e jacobinos pelo
poder. Jacobinos instauram um regime de terror inclinado mais para esquerda,
existência de uma aliança entre classe média e massas( sanscullotes)

1794: nono termidor e execução de robespierre

Questão do exército, Diretório, Girondinos