Você está na página 1de 4

Aluno N.

º Turma Data - -

1 Considera a expressão cos x  sin x .

A expressão dada representa um número negativo para qualquer valor de x pertencente


ao intervalo:
    
(A)  ,   (B)   , 0 
 2   4 
 3   3 
(C)  ,  (D)  ,
 4  4 4 


2 Considera, em IR , a equação cos   x   0, 57 .
2 
  
O número de soluções da equação pertencentes ao intervalo   , 4   é:
 6 
(A) 6 (B) 4 (C) 5 (D) 3

3 Na figura está representado um triângulo [ABC] .


Sabe-se que:

 ˆ 
BAC
6
 BC  4
ˆ  x rad
 ACB

Qual das seguintes expressões representa AC em função de x ?


 5 
cos   x
 5   5   6   
(A) 8 sin   x (B)   sin   x (C) (D) 8 cos   x 
 6   6  8 6 

4 Na figura está representada, em referencial ortonormado


Oxy , a circunferência trigonométrica.
 P pertence à circunferência trigonométrica.
ˆ   rad
 AOP
 A reta AB é definida pela equação x = 1 .
 A reta DP é paralela a Oy .
 A reta BC é paralela a Ox .
 A circunferência de centro C e raio CD interseta o
eixo Oy no ponto E .
A ordenada do ponto E é dada, em função de  , por:
(A) tan    1 (B) tan   sin  (C) sin   cos  (D) tan   cos 

11
5 Na figura, em referencial ortonormado Oxy , estão representados a circunferência
trigonométrica e um trapézio retângulo [OABP] .

Sabe-se que:
 o ponto A tem coordenadas (2 , 0) ;
 a reta r é definida pela equação x = 2 ;
 o ponto P pertence à circunferência trigonométrica;
 
 o ângulo AOP tem de amplitude x radianos e x   0 ,
2 
.

5.1. Mostra que a área do trapézio [OABP] é dada, em função de x , por


4 sin x  cos x sin x .
2
5.2. Determina a área do trapézio [OABP] se:
2
a) AB 
2
b) BP  1, 5

5.3. Sabe-se que BP  1,8 . Mostra que a área do trapézio [OABP] é 19 6 .


25

6 Considera a função f , de domínio IR , definida por:


 
f  x   2  3 sin   x 
2 

6.1. Determina o valor de sin    a  , sabendo que f  a   3  a    , 2  .

6.2. Determina o valor de x , com aproximação à centésima do radiano, que verifica a


condição:
f  x   0  x   0 , 

6.3. Resolve, em IR , a equação f  x   cos x .

7 Resolve, em IR , a equação tan3 x  3 tan x  0 .

12
 3  2 2
1 Se x   ,   , então 1  cos x   e 0  sin x  .
 4  2 2
2 2
Daqui resulta 1  0  cos x  sin x    , ou seja , 1  cos x  sin x  0 .
2 2
Opção: (C)

 
2 cos   x   0, 57   sin x  0, 57  sin x  0, 57
2 
  
sin x  0, 57  x    , 4 
 6 
  
No intervalo   , 0  , a equação não tem soluções.
 6 
No intervalo 0 , 2 , a equação tem duas soluções.
No intervalo  2 , 4 , a equação tem duas soluções.
  
No intervalo   , 4   , a equação tem quatro soluções.
 6 
Opção: (B)

  5
3 Bˆ      x   x
6  6
Aplicando a Lei dos Senos, tem-se:
  5   5 
sin   sin   x sin   x
6   6   1  6  
4 AC 8 AC
 5 
 AC  8 sin   x
 6 
Opção: (A)

4 OC  tan 
CD  CE  cos 
OE  OC  CE  tan   cos 
Opção: (D)

5 5.1. A área do trapézio é dada por:


OA  BP
 AB
2
OA  BP 2  2  cos x 4 sin x  sin x cos x
 AB   sin x 
2 2 2

13
2 2   
5.2. a) AB   sin x  . Como x   0 ,  , tem-se x  .
2 2  2 4

Se x  , então a área é dada por:
4
2
 
   4 2  2  1
4 sin  sin cos  2  2 2
4 4 4  2    2  4 2 1
2 2 2 4
3 1   
b) BP  1, 5  2  cos x   cos x  . Como x   0 ,  , tem-se x  .
2 2  2 3
   3 3 1
4 sin  sin cos 4  
 3 3 3 2 2 2 7 3.
Se x  , então a área é dada por:
3 2 2 8

1
5.3. BP  1, 8  2  cos x  1, 8  cos x 
5
1 24
Sabe-se que: sin2 x  cos2 x  1 . Então, sin2 x  1 
 sin2 x  .
25 25
  24 2 6
Como x   0 ,  , tem-se, assim, sin x   .
 2 5 5
A área do trapézio é dada por:
2 6 2 6 1
4  
4 sin x  sin x cos x 5 5 5  38 6  19 6 .

2 2 50 25

6.1. f  a   3  2  3 sin   a   3  2  3 cos a  3  cos a  
6 1
2  3
1  3 
Como a    , 2   e cos a   , conclui-se que a    , .
3  2 
1 8
Sabe-se que sin2 a  cos2 a  1 . Então, sin2 a  1   sin2 a  .
9 9
 3  2 2
Como a    ,  , tem-se sin a   .
 2  3
 2 2 2 2
sin    a   sin a     
 3  3

2
6.2. f  x   0  x  0 ,   2  3 cos x  0  x  0 ,   cos x   x  0 , 
3
2
x  arccos   . Recorrendo à calculadora, tem-se x  0, 84 .
3
1 
6.3. f  x   cos x  2  3 cos x  cos x  cos x   cos x  cos
2 3
 
 x  2k   x    2k  , k 
3 3
7  
tan3 x  3 tan x  0  tan x tan2 x  3  0  tan x  0  tan x  3  tan x   3
 
x  kx  x   k  x    k , k 
3 3
14