Você está na página 1de 8

~ ' I

rO que é Antropologia:

Antrnpulugia é uma ciêmja que se dedica ao estudo aprofundado do ser humano. É um lermo de origem
grega, formado por "anthropos" (homem, ser humano) e "logos" (conhecimento).

/\. reflexão sobre as sociedades, o homem e o seu comportamento social é conhecida desde a Antiguidade
Clássica pelo pensamento de grandes filósofos. Em destaque há o grego Heródoto, considerado o pai da
História e da Antropologia.

No entanto, foi somente com o Movimento Iluminista no século XVIll que a Antropologia se
desenvolveu como ciência social, através do aprimoramento de métodos e classificações humanas. Neste
período, o relato de viajantes, missionários e comerciantes sobre os hábitos dos nativos das novas terras
descobertas e os debates sobre a condição humana, foram muito importante para o desenvolvimento dos
estudos antropológicos.

Estudar o ser humano e a diversidade cultural envolve a inlegração de diversas disciplinas que prucurarn
refletir sobre todas as dimensões humanas. Historicamente, estas dimensões ocorrem na divisão da
antropologia em duas grandes áreas:

1. Antropologia Písica ou Biológica

Estuda os aspectos genéticos e biológicos do homem. Também é chamada de bioantropologia, e é


dedicada a entender os mecanismos de adaptação e evolução do homem.

Entre seus objetos de estudos estão as características genéticas que diferenciam povos e possibilitam que
eles sobrevivam em determinados ambienles. Como por exemplo, ao esludar as condições do sistema
digestivo diferentes de outros humanos, a resistência da pele ao sol em regiões de maior incidência, entre
outras questões genéticas. A antrnpologia forense utiliza de conhecimentos da antropologia biológica
para elaborar seus lados de identificação de cadáveres e estudos sobre crimes, de forma a ser usado pelo
direito penal.

_-:?2. Antropologia Social

Analisa o comportamento do homem em sociedade. a organização social e política, as relações sociais e


instituições sociais. A antropologia social difere da sociologia no objeto da investigação: enquanto a
sociologia se dedica a entender os movimentos e estruturas sociais de uma forma macro, a antropologia
social é voltada à relação que o homem estabelece com estes fenômenos em uma busca mais centrada no
ser, em um "olhar para dentro".

A divisão norte-americana da antropologia não usa o conceito de antropologia social, e sim a chamada
Antropologia Cultural. A Antropologia Cultural investiga as questões culturais que envolvem o homem,
sendo seus costumes, mitos, valores, crenças, rituais, religião, língua, entre outros aspectos, fundamentais
na formação <lo conceito de cultura antropológico. São conceitos trabalhados pela antropologia social as
noções de cultura e de alteridade.

Dentro do escopo da antropologia cultural ainda há os estudos da linguística e a etnografia como campos
de especialização.

A etnografia é o método de pesquisa próprio da antropologia e corresponde à também chamada


observação participante. O antropólogo, ou que nesta função também pode ser chamado de etnógrafo,
acompanha de perto o grupo que está estudando, vivendo como eles, dentro da comunidade. /\ partir deste
trabalho de campo o antropólogo realiza suas análises em seu diário de campo, para aí então reunir a sua
percepção prática as teorias vistas na revisão de lileralura e emão desenvolver o Lrabalho etnográfico.

O que é Diversidade cultural:


Dive rsidade cultural são os vanos aspectos que representam particularmente as diferentes cu~tun~s,
como a linguagem, as tradições, a culinária, a religião, os costumes, o modelo de orgamzaçao
familiar, a política, entre outras caracteiísticas próprias de um i;,rrupo de seres humanos que habitam um
detenninado território.

A diversidade cultural é um conceito criado para compreender os processos de diferenciaç~o en!re as


várias culturas que existem ao redor do mundo. As múltiplas culturas forman~ a cha_m ada identidade
cultural dos indivíduos ou de uma sociedade; uma "marca" que personaliza e diferencia os membros de
determinado lugar do restante da população mundial.

A diversidade significa pluralidade, variedade e diferencia\:ão, conceito que é considerado O opo5 lo


total da homogeneidade. Atualmente, devido ao processo de colonização e miscigenação cultural ~ntre a
maioria das nações do planeta, quase todos os países possuem a sua diversidade cultural, ou seJa, um
"pedacinho" das tradições e costllmes de várias culturas diferentes.

Algumas pessoas consideram a globalização um perigo para a preservação da diversidade cultural, pois
acreditam na perda de costumes tradicionais e típicos de cada sociedade, dando lugar à características
globais e "impessoais".

Com o intuito de tentar preservar a riqueza da diversidade cultural dos países, a Organização das Nações
Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) criou a "Declaração Universal sobre a
Diversidade Cultural" . A Declaração da UNESCO sobre Diversidade Cultural reconhece as múltiplas
culturas como uma "herança comum da humanidade", e é considerada o primeiro instrumento que
promove e protege a diversidade cultural e o diálogo intercultural entre as nações.

O que é Diversidade:

Diversidade significa variedade, pluralidade, diferença. É um substantivo feminino que caracteriza


tudo que é diverso, que tem multiplicidade. Diversidade é a reunião de tudo aquilo que apresenta
múltiplos aspectos e que se diferenciam entre si, ex.: diversidade cultural, diversidade biológica,
diversidade étnica, linguística, religiosa etc.

J)iversidade cultural

A diversidade cultural são os múltiplos elementos que representam particularmente as diferentes culturas,
como a linguagem, as tradições, a religião, os costumes, a organização familiar, a política, entre outros,
que reúnem as características próprias de um !:,'ll.lpo humano em um detem1inado território.

Diversidade biológica

A diversidade biológica ou biodiversidade é a grande variedade de organismos vivos que compreende n


fauna, a flora e os micro-organismos da face da Terra. A Floresta Amazônica, a Mata Atlântica e o
Pantanal abrigam a ma10r biodiversidade do nosso planeta.

Diversidade cultural e religiosa

A diversidade religiosa está intrinsecamente relacionada com a cultura. O chamado sincretismo religioso
conceitua o processo de mistura e diversificação de várias religiões reunidas dentro de uma sociedade . No
Brasil, por e xemplo, a diversidade religiosa está na presença das várias crendices coabitando em um
mesmo território, como os católicos, jude us, muçulmanos, hindus e etc

O que é Etnocentrismo:
Etnoccntrismo é um conceito da Antropologia definido como a visão demonstrada ror aigué111 que
considera o seu grupo étnico ou cultura o centro de tudo, portanto, num plano mais importante que as
outras culturas e sociedades.

O termo é formado pela _justaposição da palavra de origem grega "ethnos" que significa "nação, tribo ou
pessoas que vivem jtmtas" e cenlrismo que indica o centro. Um indivíduo etnocêntrico considera as
normas e valores da sua própria cultura melhores do que as das outras culturas. Isso pode representar um
problema, porque frequentemente dá origem a preconceitos e ideias infundamentadas.

Uma visão etnocêntrica demonstra, por vezes, desconhecimento dos diferentes hábitos culturais, levando
ao <les,espeilo, depreciação e intolerância por quem é diferente, originando em seus casos mais t:xtremos,
atitudes preconceituosas, radicais e xenófobas. Este fenômeno universal pode atingir proporções
drásticas, quando culturas tecnicamente mais frágeis entram em contato com culturas mais dominantes e
avançadas. Alguns exemplos de etnocentrismo estão relacionados ao vestu.'trio Um deles é o háhito
indígena de vestir pouca ou nenhuma roupa~ outro caso é o uso do ki/L (uma típica saia) pelos escoceses.
São duas siluações que podem ser tratadas com alguma hostilidade ou estranheza por quem não pertence
àquelas culturas.

Etnocentrismo e relativismo cultural

O relativismo cultural é uma corrente de pensamento ou doutrina que tem como objetivo entender as
diferenças culturais e estudar o porquê das diferenças entre culturas distintas. Enquanto o etnocentrism?
tem uma vertente de confronto, o relativismo aborda as diferenças de uma forma apaziguadora. E
importante destacar que o .relativismo cultural é uma ideologia que defende que os valores. princípios
morais, o certo e o errado, o bem e o mal, são convenções sociais intrínsecas a cada cultura. Um ato
considerado enado em uma cultura não significa que o seja também quando praticado por povos de
diferente cultura.

A visão etnocêntrica coloca a sua própria cultura como ponto de comparação com as outras. Por outro
lado, o relativismo vai usar o choque cultural para problematizar a questão de certo e errado, tentando
entender a diversidade e como ela é manifestada por diferentes sistemas simbólicos e práticas de outras
sociedades.

O que é Etnografia:

Etnografia é o estudo descritivo da cultura dos pov~s, sua língua, raça, religião, hábitos etc., como
também das manifestações materiais de suas atividades. E a ciência das etnias. Do grego ethos (cultura) +
graphe ( escrita). A etnografia estuda e revela os costumes, as crenças e as tradições de wna sociedade,
que são transmitidas de geração em geração e que pem1item a continuidade de uma determinada cultura
ou de um sistema social.

Etnografia é inerente a qualquer aspecto da Antropologia Cultural, que estuda os processos da interação
social: os conhec imentos, as ideias, técnicas, habilidades, normas de compo11amento e hábitos adquiridos
na vida social de um povo. A Etnografia é também parte ou disciplina integrante da etnologia. que se
ocupa com o estudo descritivo, classificatório e comparativo da cultura material, ou seja, dos artefatos
encontrados nas diversas sociedades.

A pesquisa etnográfica tem bases antropológicas ou etnográficas, baseia-se na observação e levantamento


de hipóteses, onde o etnólogo procura descrever o que, na sua visão, ou s~ja, na sua interpretação, está
ocorrendo no contexto pesquisado. Uma das características da Etnografia é a presença 11sica do
pesquisador e a observação in !ocn.

O que é Arqueologia:
--
:...
.;;;

Arqueologia é o estudo das sociedades humanas antigas através dos vestígios materiais et1contrn<los c5
pe· 1os• a1.queologos.
, Com a arqueologia . o ser humano consegue apren d er sobre a cultura . e costumes, dos .
·seus· antepassados. Os arqueologos
' ' · d -~
pesquisadores que estu ama c1enc1a a ·1· d awueolog1a :
são responsave,s

por 1·d ent1'fi1car estudar e pesqmsar: ·


por objetos que pertenceram aos povos· ant1°os t, •
ajudando
• _
a
compreender a 'estrutura sociocultural das sociedades primitivas e o processo de evolução ~ transf-orrnaçao
•1
uos · ·
grupos sociais ao longo dos anos. As in,ormaçoes
· e -
arqueo1ob
' .•1·e•a.:ol·
., iti·ua"., p'-'l(1s
·"' · J)es4u1sa<lores podem
ser extraídas a partir de qualquer tipo de material construído (ou destruído) pelo ser humano, como vasos,
pinturas, utensílios de cozinha, ferramentas, am1as e etc.

Etimologicamente, a palavra "arqueologia" surgiu da junção de dois termos ~egos: archaios, q~~
significa "passado" ou "antigo"; e Jugos, que quer dizer "ciência" ou "estudo"; assim sendo, arqueologia
significa "ciência que estuda o passado" ou "ciência que estuda o antigo" .

Os ohjetos antigos são encontrados principalmente através de escavações, nos chamados "síti_os
arqueológicos". Para exercer a profissão de arqueólogo, a pessoa deve concluir o curso de ensmo supenor
em arqueologia.

Arqueologia e Paleontologia

Muitas pessoas confundem a arqueologia com a paleontologia. A arqueologia se limita em procurar,


identificar e estudar objetos feitos pelos seres humanos na antiguidade, com o objetivo de aprender um
pouco sobre os costumes e tradições das sociedades primitivas.A paleontologia, por sua vez, estuda a
fauna e a flora fossilizada, com o objetivo de conhecer as variedades de espécies de animais e plantas que
habitavam a Terra há milhares ou milhões de anos. Os b são os pesquisadores que estudam os dinossauros
e outros animais que já foram extintos.

O que é Cultura:

Cultura significa todo aquele complexo que inclui o conhecimento, a arte, as crenças, a lei, a moral, os
costumes e todos os hábitos e aptidões adquiridos pelo ser humano não somente em família, como
tai11bém por fazer parte de uma sociedade da qual é membro.

Cada país tem a sua própria cultura, que é influenciada por vários fatores. A cultura brasileira é marcada
pela boa disposição e alegria, e isso se reflete também na música, no caso do samba, que também faz
parte da cultura brasileira. No caso da cultura portuguesa, o fado é o patrimônio musical mais famoso,
que reflete uma característica do povo português: o saudosismo.

Cultura na língua latina, entre os romanos, tinha o sentido de agricultura, que se referia ao cultivo da
terra para a produção, e ainda hoje é conservado desta forma quando é referida a cultura da soja, a
cultura do arroz etc. Cultura também é definida em ciências sociais como um conjunto de ideias,
comportamentos, símbolos e práticas sociais, aprendidos de geração cm geração através da vida cm
sociedade.

Seria a herança social da humanidade ou ainda, de fonna específica, uma detenninada variante da herança
social. Já em biologia a cultura é uma criação especial de organismos para fins determinados. A principal
característica da cultura é o mecanismo adaptativo, que consiste na capacidade que os indivíduos têm de
responder ao meio de acordo com mudança de hábitos, mais até que possivelmente uma evolução
biológica.

A cultura é também um mecanismo cumulativo porque as modificações trazidas por uma geração passam
à geração seguinte, onde vai se transformando, perdendo e incorporando outros .!spetos procurando assim
me lhorar a vivência das novas gerações. A cultura é um conceito que está sempre em desenvolvimento,
pois com o passar do tempo eia é influenciada por novas maneiras de pensar inerentes ao
desenvolvimento do ser humano.
ií> v .

Cultura na Antropologia

A 1,;ullu1c1 na antropologia é wmpreendída como a totalidade dos padrões aprendidos e desenvolvidos pelo
ser humano. Este tipo de cultura tem como objetivo representar o saber experiente de uma comunidade,
saber obtido graças à sua organização espacial, na ocupação do seu tempo, na manutenção e defesa das
suas formas de relação humana. Eslas manifeslações constituem aquilo que é denominado como a sua
"alma cultural", os ideais estéticos e diferentes formas de apresentação.

Cultl!ra Popular

A cultura popular é algo criado por um determinado povo, sendo que esse povo tem parte ativa nessa
criação. Pode ser representada pela literatura, música, arte, dança e etc. A cultura popular é influenciada
pelas crenças do povo em questão e é formada graças ao contato entre indivíduos de certas regiões.

O que é Cultura popular:

Cultura popular é urna expressão que caracteriza um conjunto de elementos culturais específicos da
sociedade de uma nação ou região. Muitas vezes classificada como cultura tradicional ou cultura de
massas, a clf111Jra popular é um conjunto de manifestações criadas por um grupo de pessoas que têm uma
participação ativa nelas. A cultura popular é de fácil generalização e expressa uma atitude adotada por
várias gerações em relação a um determinado problema da sociedade. A grande maioria da cultura
popular é transmitida oralmente, dos elementos mais velhos da sociedade para os mais novos.

A cultura popular surgiu graças à interação contínua entre pessoas de regiões diferentes e à necessidade
do ser humano de se enquadrar ao seu ambiente envolvente. A sociologia e etnologia, que estudam a
cultura popular. não têm como objetivo fazer juízos de valor, mas identificar as manifestações
pennanentes e coerentes dentro de uma nação ou comunidade.

Alguns estudiosos indicam que cada pessoa tem no seu interior a noção do que é popular, que é definido
pela vertente de tradição e comunidade. A cultura popular é influenciada pelas crenças do povo em
questão e é fonnada graças ao contato entre indivíduos de certas regiões. Pode envolver áreas m música,
literatura, gastronomia, etc.

Cultura popular e cultura de massa

De acordo com alguns autores, só é possível fazer a diferenciação entre cultura popular e cultura de
massas quando o passar do tempo separa o que é moda e circunstância, passando a fazer parte da essência
de um povo. Neste caso, a palavra "massa" não remete para uma classe social, e sim para um grande
número de pessoas dentro de uma sociedade.

Apesar das duas expressões serem frequentemente usadas como sinônimos, algumas pessoas fazem a
diferenciação, referindo que a cultura de massa revela um produto ou vertente cultural que é difundido
para as grande massas, muitas vezes para todo o mundo. A cultura de massa é frequentemente divulgada
em meios de comunfoação de massa, e na grande maioria dos casos, é incentivada por indústrias com o
objetivo de obter lucros. Exemplo disso é Coca Cola, MacDonald's, Pizza Hut, etc. Por outro lado. a
cultura popular remete para diferentes manifestações que são populares e com origem em diferentes
regiões. Está mais relacionada com a tradição e é transmitida de geração em geração.

Diferença entre cultura poJ)ular e cultura erudita

A cultura erudita, também conhecida como cultura de elite ou cultura superior, é aquela que é obtida
através de estudos, investigação teórica e dados empíricos. Ao contrário da cultura popular, a cultura
erudita e quase exclusiva para pessoas com capacidade financeira elevada. A ópera e obras de ane são
alguns exemplos de manifestações da cultura erudita.
'-
:o:

---
U
"-

Cultura popular brasileira ,..._

· · • · .1·1·, ~. .. l , >rias culturais, causadas pdo


A cultura popular bras1le1m e caracll.:nzada por ui crellles ca eg< . _ . ..
· 1· ·1 · • • 1 ri.ficar var,açoes na musica, dança, e
reg10na ismo. Na cultma popular bras1 eira e poss1ve ve _
· · · · · 1· ,· • i c Hdel o samba, sao elementos
gastronomia. A musica sertaneja, a capoeira, o folclore, a 1kratura e e l '. . . . . , . .
· · · • · 1 ·. •1 culmana baiana e das mais
importantes da cultura popular hras1\em1. No amhtto < a gastronomta, •
apreciadas no Brasil.

A Cnltnra llrasileira é o resultado da miscigem,ção de diverso· grn pos étnicos que ru~iciparam _da
t.om1açao
~ d a populaçao
~ · ·
hras1le1ra. · · d
A d1vers1da e cu1tura1 pre domman
· te no oºrasil é consequenc1a
. . .
tambem
i ~ · · , · <l 1 . ·-;-c
ua grame extensao lernlonu1 e (1a:-. carucltnsltcas gera us em cal u tcg1a>
•1 d,, p"t's
.. · · O 1nd1 . branco '
v1duo
que participou da formação da cultura brasileira fazia parte de vários grupos, que chegou ao pa~s du~ante
a época colonial. Além dos portugueses, vieram os espanhóis, de 1580 a 1640, durante a Uniao lbenca
(period0 soh 0 qual Portugal fi cou snh o domínio da F.spanha) nurante n ocupação holandesa no
nordeste, de 1630 a 1654, vieram flamengos ou holandeses, que ficaram no país, mesmo depois da
retomada da ár~a pelos portugueses. Na colônia, aportaram ainda O!> fra nceses, ingksc::, e italiano!:> .

EntTetanto, foi dos p01tugueses que recebemos a herança cultural fundamental, onde a história da
imigração portuguesa no Brasil confunde-se com nossa própria história. Foram eles, os colonizadores os
responsáveis pela formação inicial da população brasileira. Isso decorreu do processo de miscigenação
com índios e negros africanos, de 1500 a 1808. Durante três séculos, os portugueses cram os únicos
europeus que podiam entrar livremente no Brasil.

Forma~ão da Cultura Brnsileira

A fom1ação da cultura brasileira resultou da integração de elementos das culturas indígena. do português
colonizador, do negro africano, como também dos diversos imig rantes.

Cultura lndígena

r oram muitas as contribuições dos índios brasileiros para a nossa fonnação cultural e soei, 1. Do ponto d~
vista étnico, contribuíram para o surgimento de um indivíduo tipicamente brasileiro: o caboclo (mestiço
de branco e índio).

Na formação cultural, os índios contribuíram com o vocabulário, o qual possui inúmeros tennos de
origem indígena, e.orno pindorama, anhanguera, ibirapitanga, Itamaracá, entre outros. Com o foklorc,
permaneceram as lenda como o curupira, o saci-pererê, o boitatá, a iara, dentre outros.

A influência na culinária se fez mais presente em certas re1!iões do país onde all!uns uruoos indíucnas
conseguiram se enraizar. É exemplo a região nolic, onde os- pratos típicos estão 1;rese1ttes·. emre elc:s. o
tucupi, o tacacá e a maniçoba. Raízes como a mandioca é usnda para preparar a farinha, a tapio . . a , 0
beiju. Diversos utensílios de caça e pesca, como a arapuca e o puçá. Por tím, diversos utensílios
domésticos, foram deixados comu herança, entre eles, a rede, a cabaça e u gamela.

C ultura Portuguesa

Portugal foi o país europeu que exerceu mais influência na formação da cultura brasileira. Os portugueses
rt:alizaram uma tra nsplantação cultural para a colônia, destaca ndo-se a lín~ua portugul·sa, t'alaJ,1 ~rn
todo o país. e a reli gião marcada por festas e procissões. As insutuiçéks admmistrattvas. 11 upo J ·
construções dos povoados, vilas e cidades e a agricultura t'a:tcm parte da hcran(,'a pnnugu ·su

No folclore brasileiro é evidente o grande número de festas e danças ponuguc!:> as qu-: t'11rnm incorporadas
ao pais. Entre elas, a cavalhada, o fa ndango, a~ festas Juninas (.uma das pnnc1pa1s lc:. ta ::, da cultura à0
nordeste) e a farra do boi As lendas do folclore (a cuca e o bicho papão), a~ canti ga!:> Je 1úda (peixe vivo,
0 cravo e a rosa, roda pião etc.) penna11i.:cem viva:-, na <,; uliura brm,i k,ra.
:..-
~

'-'

CuHura Africana

O negro africano foi trazi<lo para o Brasil para ser emprega<lo como mão de obra escrava. Conforme as
culturas que representavam (ritos religiosos, dialetos, usos e costumes, características físicas etc.)
forma vam três grupos principais, os quais apresentavam diferenças acentuadas: os sudaneses, os bantos e
u malês. (sudaneses islamizados).

Salvador, no nordeste do Brasil, foi a cidade que recebeu o maior número de negros, e onde sobrevivem
vários elementos culturnis. São exemplos o "traje de baiana", com turbante, saias rendadas, braceletes,
colares, a capoeira e os instrumentos de música como o tambor, at.abaque, cuíca, berimbau e afoxé.

De modo geral, a contribuição cultural dos negros foi grande: Na alimentação, vatapá, acarajé, acaçá,
cocada, pé de moleque etc; Nas danças (quilombos, maracatus e aspectos do bumba meu boi) ; Nas
m:rnifestações religiosas (o candomblé na Bahia, a macumha no Rio de Janeiro e o xangô em alguns
estados do nordeste).

Diversidade cultural no Brasil

O Brasil é um país incrivelmente rico em diversidade cultural, devido a sua extensão territorial e a
pluralidade de colonizações e influências que sofreu ao longo do processo de construção da sociedade
brasileira. As diferenças são bastante visíveis mesmo entre as diferentes regiões <lo país: norte, nordeste,
centro-oeste, sudeste e sul.

Nas regiões norte e nordeste, a predominância é das tradições indígenas e africanas, sincretizadas com os
costumes dos povos europeus, que colonizaram o país. Na região centro-oeste, onde predomina o
Pantanal, existe ainda uma grande presença da diversidade cultural indígena, com forte influência da
culinária mineira e paulista. No sudeste e sul destacam-se costumes de origem europeia, com colônias
portuguesas, germânicas, italianas e espanholas que, ainda hoje, mantêm a cultura típica de seus países de
ongem.

Diversidade cultural indígena

A Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural prevê ações de preservação das múltiplas culturas
- e africana, como as límmas
de ori -2:em indí2:ena - indí1m1as
tradicionais do povo indígena e afrodescendente.
- ameacadas
,
de extincão.
,
além dos rituais e festas

O que é Apropriação cultural:

Apropriação cultural é o uso de elementos típicos ele determinada cultura por pessoas pertencentes a
um grupo cultural diferente.

Este é um conceito da antropologia e que é alvo de muitos debates, principalmente por ser considerado
uma aculturação - fusão de elementos cultmais externos - por parte de uma cultura dominante sobre uma
minoritária. A partir desta interpretação, a apropriação cultural é vista como uma prática negativa. oois
consiste no uso de elementos de determinada cultura sem que haja um entendimento sobre os significados
simbólicos e históricos a respeito destes. Os estudos antropológicos sobre a apropriação cultural (também
chamado de "empréstimo cultural") surgiram com a intensificação do contato entre diferentes culturas ao
redor do mundo.

Entre us elementos que costumam ser culturalmente apropriados estão expressões culturais que vão desde
a música, a dança, os trajes típicos, as expressões linguísticas, a arte. a culinária, os acessórios e etc.

A apropriação cultural não é considerada um crime, porém existem pessoas que consideram um
enonne desrespeito do ponto de vista ético, uma vez que os elementos apropriados só passaram a ser
aceitos pela sociedade a partir do momento que foram assimilados pela cultura dominante.
J
- • · .1 • • · · fi .. dos d ~stes elementos \
Para alguns c nt1cos, a apropriação cultural se torna um problema quanuo os s1 gnt ica .e . .- .
~ d
sao .
esv1rtua dos de seus contextos históncos
. . d e ongem,
e culturais . °
passand a assumir tnterpretaçoes \
distorcidas e que não revelam a essência do grupo étnico a que originalmente pertencem.

A apropriação cultural não deve ser confundida co1~ o intercâmbio cultural , já que este úl~in~o ~e:úte ª
troc..:a de experiências c..:ullurais que são igualmente partilhadas entre os grupos, sem a perrna~e,~c..: 13 e um
dominante. A apropriação, por outro lado, de acordo com os críticos, é marcada pela suhrnissao de uma
cultura historicamente oprimida por uma dominante.

Um exemplo de crítica à apropriação cultural é o uso de elementos religiosos de certas culturas como
aden:ços de moda por outras, fazendo wm que toda a carga simhólic..:a e histórku daqut:les eleme ntos
sejam reduzidos a meros objetos de decoração.

Cultura dos Imigrantes

Os imigrantes deixaram contribuiçõt:s importantes na cultura brasileira. A história da imigração no B rasi l


começou em 1808, com a abertura dos portos às nações amigas, feita por D. João. Para povoar o
território, vieram famílias portuguesas, açorianas, suíças, prussianas, espanholas, sírias, libanesas,
polonesas, ucranianas e japonesas, as quais se estabeleceram no Rio Grande do Sul. O grande destaque
foram os italianos e os alemães, que chegaram em grande quantidade. Eles se concentraram na região sul
e sudeste do país, deixando importantes marcas de suas culturas, principalmente na a rquitetu ra, na
língua, na culinária, nas festas regionais e folclóricas.

A cultura vinícola do sul do Brasil se concentra principalmente na região da serra gaúcha e de campanha,
onde predomina descendentes de italianos e alemães. Na cidade de São Paulo, o grande fluxo de italianos
fez surgir bairros como o Dom Retiro, Brás, Bexiga e Barra Funda, onde é marcante a presença de
italianos. Com eles vieram as massas típicas como a macarronada, a pizza, a lasanha, o canelone, entre
outras.

Cultura na Filosofia

De acordo com a filosofia, a cultura é o conjunto de manifestações humanas que contrastam con1 a
natureza ou o comportamento natural. É urna atitude de interpretação pessoal e coerente da realidade,
destinada as posições suscetíveis de valor íntimo, argumentação e aperfeiçoamento.
Além dessa condição pessoal, cultura envolve sempre uma exigência global e uma j ustificação
sati sfatória, sobretudo parn o próprio. Podemos dizer que há cultura quando essa interpretação pessoal e
global se liga a um esforço de informação, no sentido de aprofundar a posição adotada de modo a poder
intervir em debates. Essa dimensão pessoal da cultura, como síntese ou atitude interior, é indispensável.

O que é Aculturação:

Aculturação é o conjunto das mudanças resultantes do contato, de dois ou mais grupos de indivíduos,
re presentante de culturas diferentes, quando postos em contato d ireto e contínuo.A aculturação e o
resultado dos contatos, de natureza constante, que implicam geralmente na 1.ransmissão de certos
ele mentos da cultura de uma sociedade para a outra. A 1.ransmissão de elementos de uma cultura vai
sempre precedida por uma relação, que implica na aceitação de alguns e na rejeição de outros elem entos
culturais.

A aculturação leva muitas vezes à desintegração de uma ou de várias c ulturas, sob a influência dos
contatos que se estabelecem e ntre o s seus integrantes. É frequente a desintegração de uma ou várias
c ulturas, sob a infl uênc ia dos contat os que se estabelecem entre os grupos. Muito comum 1.ambém ~ a
mudança dos elem entos adquiridos, ocorrendo uma desorganização social, o que pode e nvolver o
desaparecimento, total ou parcial das configurações anteriores, como também a fusão de certos ele mentos
numa nova configuração. O termo assimilação é o que define todo o processo que diz respeito às
mudanças na personalidade das pessoas envolvidas no processo de aculturação.