Você está na página 1de 1

A utilização das curvas de aprendizagem no planejamento da Construção civil

Com os índices de inflação controlados, os ganhos deixam de ser puramente financeiros e passam a ser conseqüência de um bom gerenciamento da execução das obras. Além disso, a concorrência entre as construtoras se mostra cada vez mais acirrada. As empresas estão à procura de ferramentas de planejamento que garantam o controle dos custos previstos e o cumprimento dos prazos pré-determinados. Os índices de produtividade dos serviços em cada empresa têm um valor particular devido às suas características internas. Por isso, não se pode utilizar completamente os valores extraídos de publicações no planejamento de obras. Existe a necessidade de se saber com exatidão os tempos gastos para a execução dos serviços. Mais ainda, não só deve-se obter o valor absoluto dos tempos coletados em um dado período, mas também os valores no decorrer da execução desse serviço. As curvas de aprendizagem demonstram a evolução, ou seja, a diminuição do tempo gasto para a execução do mesmo serviço. Isso acontece em decorrência do sucessivo aperfeiçoamento na execução do trabalho e da familiarização da equipe no ambiente de operação, isto é, o efeito aprendizado. A utilização da curva de aprendizagem permite que haja um melhor dimensionamento de recursos financeiros e uma maior precisão na determinação dos prazos de execução dos empreendimentos. A determinação dos preços dos serviços fica precisa, sabendo-se quanto à produtividade desse serviço irá aumentar. A comparação dos valores absolutos de produtividade entre obras similares ou a simples determinação de parâmetros de aumento de produtividade não são suficientes no auxílio de planejamentos coerentes. Assim, a possibilidade de se determinar uma sistemática de cálculo do aumento da produtividade dos serviços possibilitará um planejamento real da execução dos mesmos. Na construção civil estabelecemos previamente preços para projetos residenciais, onde o lucro dependerá do custo da construção; estimar o aumento da produtividade para obter um preço competitivo e negociar contratos com empreiteiros e planejar o suporte logístico prevendo um aumento da produtividade. Podemos então observar com a linha de aprendizagem que na primeira vez em que um pedreiro executa uma alvenaria, ele é, indubitavelmente, ineficiente no seu trabalho. Como ele ganha experiência com o passar do tempo, provavelmente melhora suas paredes, executando-as com as seguintes características: de modo mais rápido, com melhor qualidade, com menor desperdício e com custos reduzidos. Observamos que as curvas de aprendizagem são um termômetro da atuação das equipes no desenvolvimento dos seus trabalhos. Elas mostram, além das durações das execuções dos serviços, o seu desempenho no decorrer das unidades de produção. Tem- se, então, uma produtividade baseada na execução completa do serviço.