Você está na página 1de 5

3 MATERIAL E MÉTODOS

3.1 Materiais
Amostra de óleo
Clorofórmio
Ácido acético
Iodeto de potássio
Tiossulfato de sódio
Amido
Éter: álcool
Fenolfetaleína
Erlenmeyer
Proveta
Balança analítica
Pipeta graduada
Bureta, haste universal e garras
Béquer

3.2 Metodologia

3.2.1 Índice de peróxido


Pesou-se 5,007 g de óleo de girassol em erlenmeyer. Adicionou-se 30ml de
solução de clorofórmio (CHCI3): Acido acético (H3CCOOH) / (3:2) e 0,5ml de
KI saturada. A amostra repousou por 1 minuto e adicionou-se 30ml de água.
Titulo-se a amostra com solução padronizada de tiossulfato de sódio
(Na2S2O3) 0,02 N, ate que a cor amarela estive-se quase desaparecido.
Adicionou-se 1ml de solução de amido 1% (indicador), continuou-se a titulação
ate o desaparecimento da cor azul.
Efetuou-se a prova em branco, repetindo os procedimentos anteriores, porém
sem a adição do óleo de girassol, subtraindo-se seu resultado do volume gasto
na titulação da amostra.
3.2.2 Índice de acidez
Pesou-se 5,005g de óleo de girassol. Adicionou-se 20ml de solução de éter:
álcool (2:1). Adicionou-se 4 gotas de fenolfetaleína e agitou-se ate a completa
dissolução da amostra. Titulou-se a amostra com solução padrão de NaOH
0,01N e anotou-se o volume gasto.
Efetuou-se a prova em branco, repetindo os procedimentos anteriores, porém
sem a adição do óleo de girassol, subtraindo-se seu resultado do volume gasto
na titulação da amostra.
4 RESULTADOS
Amostras Peso (g) Na2S2O3 IP(mg/Kg)
Branco - 0,1 -
3 5,004 2,5 9,052
4 5,006 2,7 9,816
Tabela1: Resultados Índice de peróxido

Amostras Massa Volume Ac. Graxo % ácidos


NaOH predominante/MM graxos livres
Branco - 0,5 - -
5 5,005 1,8 280 0,066%
6 5,014 2,2 280 0,087%
Tabea 2:Índice de acidez

De acordo com a resolução nº482 (ANVISA) que identidade as características


mínimas de qualidade a que devem obedecer os Óleos e Gorduras Vegetais,
define que para óleo de girassol refinado, o Índice de peróxido deve ser de no
Maximo 10mgROOH/Kg de óleo e o Índice de acidez deve ser de no Maximo
0,3 % de ácidos graxos livres.
O valor encontrado entre a média das duas amostras para o índice de peróxido
é igual a 9,434mgROOH/Kg de óleo e a média entre as duas amostras para o
índice de acidez é de 0,0765% de ácidos graxos livres, Ambos os valores são
permitidos pela legislação, isso significa que este óleo é de boa qualidade, e
seus baixos valores de índice de peróxido e acidez indicam que esta numa
velocidade muito baixa de oxidação e ñ foi submetido a temperaturas elevadas.
5 CONCLUSÃO
Concluímos que as analises realizadas são importantes para garantir a
qualidade de óleos e gorduras, pois se estes alimentos estiverem deteriorados
não serão prejudicados somente no seu componente lipídico, mas também no
seu componente protéico e vitamínico. Sendo assim de acordo com a
Resolução n° 482(ANVISA) as amostras analisadas estão em bom estado de
conservação já que os índices de peróxido e acidez encontrados nas amostras
estão abaixo dos valores estabelecidos pela Legislação vigente, e por isso
podem ser comercializados e consumidos sem causar prejuízos a saúde da
população em geral.
6 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

• BRASIL; Resolução nº 482, de 23 de Setembro de 1999.