Você está na página 1de 3

Prólogo

Dm Dm/C Bb7M Am

Dm Dm/C
Teresa cresceu lá no meio de tudo
Bb7M Am
Comendo de tudo, bebendo de tudo
Dm Dm/C
Entre a saia da mãe e a água do mar
Bb7M Am Dm
Dançando na rua, herdeira do ar
Dm/C Bb7M
Ela fazia as contas, desenho na pedra
Am Dm
A mente brilhante, a pele de terra
Dm/C Bb7M
Saquinhos de areia, pedrinhas de gude
A7 Dm
Batendo em moleque, cheia de saúde

Dm Dm/C Bb7M Am
Êêêêêêêêêêêêêêê...! Bis

Dm Dm/C
A rainha dos outros moleques da areia
Bb7M Am
Deusa de coroa feita de caveira
Dm Dm/C
Acenava pra mãe lá de longe da praia
Bb7M Am Dm
A mãe devolvia a mão em navalha
Dm/C Bb7M
A noite pra ela era chão de estrelas
Am Dm
Livre de tristeza, bobagem e bobeira
Dm/C Bb7M
Mas Ela sabia, havia uma ficha
Am Dm
Que da existência ainda não caía
Dm/C Bb7M
Tinha um furo no peito, jeito de dizer
A7 Dm
Faltava um pedaço, queria saber

Dm Dm/C Bb7M Am
Êêêêêêêêêêêêêêê...! Bis

(Gm – Fm – Cm) Repete o texto inteiro

(texto falado)
No dia em que Teresa nasceu
O céu se assustou
O grito da mãe moveu o mar
Ondas gigantes ameaçavam voar
A mãe era Maria e era das Dores
Duas vezes marcada pelo umbigo
Do ventre cheio sem querer
Sem querer ter sido
E da dor do parto, do susto da vida
Da dor armada pelo castigo.

Maria das Dores gritava sozinha


Teresa nascendo e o mundo caindo
O mundo é das mulheres
Das mulheres sozinhas
Da mãe que gritava
E da filha que nascia
O mundo é das mulheres
Das mulheres sozinhas
Não adiantava gritar
Mas Maria não sabia
E ela invocou tudo o que pode
Não adiantava chorar
Mas Teresa chorou mesmo assim
Uma bebê cheia de fé
Mesmo antes de ter nascido.

E Teresa nasceu
Aí está ela
Nasceu sozinha mas acompanhada
Não pelo pai, que não tinha
Mas por tudo que é força
Tudo que é sina: