Você está na página 1de 37

Sumário

Espaço de medição: ...................................................................................... 2

Distância em sistemas políticos mundiais ..................................................... 3

Dados empíricos sobre Distância .................................................................. 6

Contiguidade ou Medidas de Proximidade .................................................... 6

Medidas contínuas de Distância ................................................................... 9

centroide .................................................................................................. 10

Medidas híbridas de Distância e Contigüidade ........................................... 11

código e software..................................................................................... 12

Para aplicações ....................................................................................... 13


Espaço de medição:

Um banco de dados mínima Distância e Aplicações para Estudos Internacionais


*

* Este artigo baseia-se na pesquisa apresentada na Convenção Anual de 1999


da Associação de Estudos Internacionais, em Washington, DC, e da Reunião Anual
de 1999 do Centro-Oeste Political Science Association, em Chicago, IL. Somos gratos
por comentários de Sherry Bennett, Peter Brecke, Steve Chan, Andrew Enterline,
Scott Gates, Nils Petter Gleditsch, Gary King, Mohan Penubarti, Richard Tucker, Shira
Yoffe,

KRISTIAN S. Gleditsch

Departamento de Ciência Política da Universidade da Califórnia em San Diego

Michael D. Ward

Departamento de Ciência Política da Universidade de Washington & Espace


Europa, Universidade ofPierre Mendès France

Nesta visão geral de um novo banco de dados e abordagem para medir a


distância entre os estados-nações históricas e contemporâneas independentes,
revemos a utilidade do espaço para a teoria e pesquisa empírica em estudos
internacionais. Nós identificar os pontos fracos em dados empíricos sobre distâncias
e contiguidade entre as nações existente.

Os dados categóricos na proximidade de delineiam distância como um fluxo ou


emissão e não permitem identificar o grau de proximidade entre os Estados, medidas
contínuas de distâncias entre os pontos médios, como capitais, muitas vezes
exageram as distâncias reais entre fronteiras estaduais e sofrer para grandes estados
e territórios irregulares.

Nós delinear uma nova abordagem alternativa, com base na medição da


distância mínima de pares de politicas no sistema internacional, que remédios
algumas destas deficiências.

A implementação atual da base de dados mínima distância inclui as distâncias


mínimas para todos os politicas dentro 950 km um do outro a partir de 1875 até ao
presente. Nós demonstramos a flexibilidade melhorada do novo mínimo de distância
abordagem com relação às alternativas existentes. Além disso, nós ilustrar como
variáveis construídas a partir de medidas de distância, combinada com técnicas
estatísticas espaciais, pode contribuir substancialmente para as relações
internacionais e investigação comparativa transnacional. Nós demonstramos a
importância da dependência entre vizinhos geográficos, examinando a ligação entre
leveis de riqueza econômica e as perspectivas para a democracia no contexto de
interdependência regional entre os estados.

Nós demonstramos a flexibilidade melhorada do novo mínimo de distância


abordagem com relação às alternativas existentes.

Além disso, nós ilustrar como variáveis construídas a partir de medidas de


distância, combinada com técnicas estatísticas espaciais, pode contribuir
substancialmente para as relações internacionais e investigação comparativa
transnacional. Nós demonstramos a importância da dependência entre vizinhos
geográficos, examinando a ligação entre leveis de riqueza econômica e as
perspectivas para a democracia no contexto de interdependência regional entre os
estados.

Nós demonstramos a flexibilidade melhorada do novo mínimo de distância


abordagem com relação às alternativas existentes. Além disso, nós ilustrar como
variáveis construídas a partir de medidas de distância, combinada com técnicas
estatísticas espaciais, pode contribuir substancialmente para as relações
internacionais e investigação comparativa transnacional.

Nós demonstramos a importância da dependência entre vizinhos geográficos,


examinando a ligação entre leveis de riqueza econômica e as perspectivas para a
democracia no contexto de interdependência regional entre os estados.

Introdução:

Distância em sistemas políticos mundiais

Distância é amplamente reconhecido como uma das principais forças moldar a


oportunidade para a interação entre os estados no sistema internacional. A
oportunidade de cooperar, trocar e impor sanções vai generalizado diminuir quanto
maior a distância entre os países. Da mesma forma, a sensibilidade e a
vulnerabilidade dos países para outros atores e instituições na arena global também
são afetados pela proximidade, como a proximidade molda incentivos dos atores a se
envolver em vários comportamentos conflituosos e de cooperação Alguns exemplos
podem ajudar a sublinhar a importância teórica de distância e proximidade em
diferentes áreas da política mundial contemporânea.

Os recentes acontecimentos na África Central indicar como a distância é crítica


para entender como os conflitos internacionalizados no cruzamento da interestaduais
e guerras civis evoluir e difusa. Em Julho de 1994, a ajuda da vizinha Uganda
desempenharam um papel crítico na derrota do governo de Ruanda Hutu-dominado
pelos tutsis grupo rebelde Frente Patriótica Ruandesa (RPF). A guerra civil e
genocídio anterior à aquisição feita aproximadamente 2 milhões de refugiados
ruandeses fugir para o vizinho Burundi, Tanzânia, Uganda e Zaire.

A nova mudança de regime ruandês deu apoio crítico facilitar a derrota do Zaire
Presidente Mobutu Sese Seko em 1997 por Laurent Kabila. Ruanda e Uganda depois
retirou seu apoio a Kabila, e uma série de outros estados vizinhos estão atualmente
envolvidos na guerra civil na ex-Zaire, atual República Democrática do Congo.
Embora muitas vezes considerada uma guerra civil'.

O conflito Congo tem dimensões internacionais óbvias. Unidos são sensíveis


ao que acontece em estados vizinhos, e vulnerável às ações dos outros. Embora as
guerras civis são frequentemente analisados como interações entre os governos e os
insurgentes sozinho, qualquer análise desses eventos também deve levar em conta a
interação entre estados e como proximidade e distância moldar seus incentivos,
recursos e restrições (ver McNulty, 1999; o Economista 1996).

Em Agosto de 1989, a decisão dos novos governos na Hungria e na


Tchecoslováquia para permitir a cidadãos da Alemanha de Leste a sair para o
Ocidente pelos seus territórios gerou um êxodo em massa da República Democrática
Alemã. Estes eventos deram um impulso considerável ao movimento de oposição
Nova Forum e as grandes manifestações anti-governamentais em Leipzig desafiando
o estado socialista em setembro.

Eventualmente, a magnitude e a escala dos protestos populares, juntamente


com a pressão de Gorbachev, forçou a renúncia do chefe da Alemanha Oriental
Politburo, Erich Honecker, em 18 de Outubro.

Embora o processo de democratização na Europa de Leste é o resultado de


uma complexa interação de processos nacionais e internacionais que não são
necessariamente espacialmente determinada, distância e proximidade, no entanto,
exercer uma forte influência sobre a forma como estes processos se desenrolam (veja
Gleditsch, 2000; Kuran, 1991; Lohmann, 1994; O'loughlin et al, 1998;. Randle, 1991).

A pesquisa sobre o desempenho econômico mostrou que parece haver


diferenças bastante acentuadas nas taxas de crescimento entre as regiões
geográficas. Enquanto os países do Leste da Ásia têm desfrutado de taxas de
crescimento anuais superiores a 5%, a média do PIB real per capita da África não
cresceu em todo o período de 1965-1990.

No trabalho empírico, pesquisadores têm abordado este inserindo várias


variáveis binárias regionais. Mas embora as estimativas dos coeficientes África / Ásia
Oriental são significativamente negativo / positivo na maioria dos estudos (por
exemplo, Barro, 1991), esses modelos regionais efeitos fixos nos poucos sobre dizer
porque África está atrasada ou porque Ásia Oriental faz melhor do que outras áreas
(Collier & Gunning, 1999). Ades & Chua (1997) sugerem que tais concentrações
resultam de contágio sistemática através das fronteiras nacionais, onde as
características favoráveis ou desfavoráveis de vizinhos podem exercer uma forte
influência em um countrys taxa de crescimento de longo prazo.

Easterly & Levine (1998) mostram que o efeito África fixo desaparece uma vez
que as taxas de crescimento de uma estados vizinhos são tidos em conta, o que indica
que as políticas econômicas ruins podem criar externalidades importantes e que os
resultados infelizes podem se espalhar para os Estados vizinhos. Lopez-Baso et al.
(1999) também encontrar fortes evidências para a convergência económica na União
Europeia jogar como um processo espacial.

A crescente atenção teórica para distância e proximidade aumenta nossa


demanda em dados para o trabalho empírico. Defendemos que as medidas baseadas
em distância. Fluxos e de redes de interação e oportunidades de interação são
importantes para o avanço da pesquisa empírica em relações internacionais e política
comparada. Neste artigo, apresentamos uma visão geral dos pontos fortes e fracos
de dados empíricos existentes sobre a distância entre os países, e introduzir uma nova
base de dados sobre as distâncias mínimas entre os estados no sistema internacional
moderno, um banco de dados que os remédios alguns dos principais problemas com
existente dados.
Muita pesquisa empírica existente incorpora distanciar essencialmente como
uma variável de controle. Embora nosso banco de dados certamente pode fornecer
variáveis melhor controle do que muitas alternativas existentes, nós também
acreditamos que a pesquisa em relações internacionais e política comparada podem
se beneficiar de uma maior atenção às investigações de processos espaciais (ver
Anselin, 1988; Cressie, 1991; Ripley, 1988). Mesmo que a política mundial, por
definição, é o estudo da interação e dependência entre atores, muita pesquisa
empírica considera apenas formas muito limitadas de interdependência. Apesar da
crença generalizada de que os processos transnacionais cada vez mais permear as
fronteiras entre a arena nacional e internacional, a maioria das perspectivas analíticas
e empíricas em relações através do nacional de pesquisa e internacionais
comparativos ainda tratar eficazmente estados e entidades como se fossem
completamente independem uma da outra.

Dados empíricos sobre Distância

Vários esforços para derivar medidas de distância entre estados no sistema


internacional já existem. Os dados existentes podem variar consideravelmente em sua
organização, bem como no patamar de medição ou granularidade das entradas de
dados individuais.

Conceitualmente, a distinção mais fundamental é se a abordagem é baseada


na medição de (a) a proximidade ou distância entre as bordas e arestas de países ou
(b) as distâncias entre os pontos médios de entidades. Assim, categorizamos as
medidas existentes como (a) medidas de contiguidade ou (b) medidas de distância
contínuos. Nesta seção, descrevemos as características que definem essas duas
abordagens e brevemente discutir seus pontos fortes e fracos primários.

Contiguidade ou Medidas de Proximidade

O conceito de contiguidade é comumente usado em relações internacionais, e


às vezes é tratado como se fosse uma característica inequívoca de uma díade ou par
de estados. O termo pode ser interpretado de duas formas ligeiramente diferentes.
contiguidade estrita implica que as entidades são fisicamente contígua no sentido de
que eles compartilham alguma forma de fronteira terrestre. Em princípio, é fácil
estabelecer se duas entidades são fisicamente contígua em termos de fronteiras
terrestres. No entanto, a contiguidade é, ao mesmo tempo muitas vezes empregada
em um sentido mais solto para indicar que duas entidades são aproximado ou de
alguma forma close' uns aos outros, mesmo que não seja contíguo estritamente físico
através de uma fronteira terrestre compartilhada.

Embora a interpretação estrita de contiguidade tem a virtude de ser


razoavelmente clara e fácil de medir, muito poucos pesquisadores na prática restringir
contiguidade exclusivamente para dirigir contiguidade física

Muitos estados que estão geograficamente próxima, e têm altos niveis de


interação, não pode ter um fronteira comum (por exemplo, Luxemburgo e Países
Baixos). Além disso, O projeto de pesquisa sobre a difusão da democracia no Instituto
de Ciências do Comportamento da Universidade de Colorado (O'Loughlin et al., 1998),
inicialmente contou com um algoritmo rigoroso que verificou se havia fronteiras
terrestres físicas entre os países. Estes dados foram gerados a partir de mapas
computadorizados por um algoritmo que analisou interseções de polígonos em um
mapa do mundo como exibido na ARC / info. Uma versão modificada destes dados,
com um pouco de ajustes Manual acrescentou, está disponível online em
http://www.colorado.edu/IBS/GAD/spacetime/data/ Cmats.html.

Muitos estados estão separados apenas por pequenas extensões de água,


como é o caso por exemplo com a EUA e Cuba, El Salvador e Nicarágua, ou a Suécia
e a Dinamarca. Além disso, muitos países têm enclaves disjuntos (por exemplo
Cabinda e Kaliningrad) ou dependências separadas do território núcleo do estado. O
conceito estrito de contiguidade física parece uma abordagem excessivamente
restritiva para avaliar a proximidade, e não corresponde aos conceitos teóricos de
proximidade ou ligação que os pesquisadores geralmente está interessado. Uma
interpretação estrita de contiguidade é, na prática raramente intersubjetiva ou, como
diferentes pesquisadores diferem em suas opiniões sobre se determinadas partes de
território deve ser considerado parte do território principal dos bens estaduais ou
separadas.

A maioria dos dados sobre contiguidade relaxar a exigência de que as


entidades devem ser estritamente fisicamente contígua. O problema da avaliação
proximidade além contiguidade física é frequentemente resolvido através de
codificação de contiguidade com base numa avaliação do resumo dos casos
individuais ou pares de estados (ver, por exemplo, Gibson e Ward, 1992; Gleditsch,
1996). No entanto, na ausência de critérios claros e operacionalização do conceito de
contiguidade, tais abordagens muitas vezes têm uma inclinação arbitrário, como eles
são muito dependentes de julgamentos subjetivos. Além disso, uma decisão
codificadores quanto a saber se os países devem ser consideradas contíguas pode
ser influenciada pela quantidade real de interação entre os estados, em vez da
distância geográfica per se entre as entidades. Codificação contiguidade com base na
interação percebido, no entanto, torna mais difícil avaliar empiricamente como a
distância em si está relacionada com as oportunidades de interação. Além disso, sem
critérios claros e intersubjetivas, pode tornar-se difícil explicar como os dados são
gerados, e pode ser quase impossível de replicar o resultado final. Embora estes
problemas podem ser parcialmente remediado por documentação explícita, uma
abordagem baseada em julgamentos subjetivos, sem critérios claros intersubjetivas,
parece, portanto, inerentemente insatisfatório.

A abordagem mais conhecido para medir a contiguidade é, sem dúvida, o


banco de dados gerado pelos Correlatos do projeto da guerra (vamos nos referir a
esses dados como contigüidade COW). Além de dirigir ou contiguidade física, esta
base de dados identifica vários tipos de contigüidades por água, a distâncias de 12,
24, 150, e 400 ou menos por milha water. Estes dados sofrem de muitos dos
problemas discutidos anteriormente.

Infelizmente, os dados nunca foram amplamente documentados (ver Gochman,


1991, para o resumo mais completo da impressão). Não está claro exatamente como
estes foram gerados, e se eles foram suficientemente verificada a consistência e
casos problemáticos e omissão. No momento da escrita, os dados não estão
disponíveis ao público e ainda não foram atualizados para além 1993. Diversas
versões dos dados parecem ser circulating.4 Paul E Diehl, da Universidade de Illinois
está reformando e atualizar esse banco de dados. No entanto, a melhoria da
documentação não vai resolver os problemas estruturais inerentes dados
contigüidade deste tipo.

A contiguidade dados são por construção discreta ou categórica, tipicamente


binário. A principal problema com todas as medidas binárias de distância é a forma
essencialmente dicotomizada, onde a distância e proximidade são prestados ou / ou
perguntas. Unidos são considerados A difusão do projeto de democracia fixo tais
questões por intervenção manual numa base ad hoc como problemas tornou-se
aparente. Mesmo que a abordagem algoritmo inicialmente parecia uma abordagem
atraente para codificação sistemática, a vantagem sobre outros esforços tornaram-se
consideravelmente mais fraco que o produto final estava cada vez mais dependentes
de julgamentos subjetivos.

3 Os dados COW contigüidade supostamente incluem também uma categoria


de contiguidade indireta abrangendo limites partilhados através de colônias e outros
territórios não contíguos. Esta categoria está faltando muitas das versões dos dados
circulando, e ainda não foi atualizado (comunicação pessoal, Paul Diehl, Outubro de
2000). 4 Nenhuma versão dos dados COW contigüidade está disponível ao público
no momento da escrita, enquanto se aguarda a conclusão da atualização. cópias mais
antigas pode ser comprado dos correlatos do projeto da guerra.

quer contíguos ou não, e a estrutura do dados não permite diferenciação entre


grau de proximidade ou proximidade entre entidades. medidas categorizados pode
fornecer algumas informações sobre grau de proximidade para além das medidas
dicotômicas. No entanto, dada a natureza relativamente grossa e ordinal das
categorias de dados existentes - veja as cinco categorias nos dados COW - Grande
parte das informações úteis sobre graus de proximidade já foi agregado e desabou no
processo. Como tal, os dados alternativos totalmente contínuas em distâncias manter
uma forte atração.

Medidas contínuas de Distância

Considerando que as medidas de foco contiguidade sobre se as fronteiras dos


países estão perto', as alternativas contínuas calcular a distância entre alguns pontos
médios de duas entidades. É relativamente fácil de calcular a distância exata entre
entidades dadas dados sobre a latitude e longitude dos dois pontos médios. Se se
supõe que a Terra é uma esfera perfeita, sem irregularidades de superfície (isto é,
ignorar montes e vales), a grande distância do círculo pode ser calculada utilizando a
fórmula Haversine, em que a distância entre dois locais X e y É dado por

7? X 2 x 1 min arcsirJ,

(1)

Onde R é o número de unidades de distância por Radian (ou seja, R = 6,367


km = 3.956 milhas), UMA é a latitude, e O é a longitude para duas entidades
subscripted X andy, respectivamente. A suposição de que a Terra é uma esfera
perfeita é precisa o suficiente para a maioria das aplicações. Correções usando um
elipsóide oblato permitem precisão de 1% em 800 km. software elipsóide pode ser
encontrada em http://kai.er.usgs.gOv/ftp/PROJ.4/proj.html. computações terra
esférica geralmente subestimar as distâncias medidas na direção para o equador e
sobrestimar os medidos na direção dos pólos. Embora o cuidado deve ser usado na
implementação desses cálculos para garantir que suficiente precisão é empregada
para permitir a discriminação entre pequenos graus, isso é simples de calcular.

Pesquisadores propuseram vários candidatos adequados para o centro ou


pontos médios das entidades. Uma escolha comum do ponto médio é a cidade capital.
A cidade capital de um estado pode ser considerado um centro' no sentido de que,
geralmente, tende a ser a cidade mais importante de um país.

Medidas da capital também tem a vantagem de ser relativamente bem definido,


e as coordenadas exatas podem ser facilmente localizado a partir do índice de
qualquer mapa ou database disponíveis

centroide

Uma alternativa ligeiramente mais complicado é derivar uma medida do


centroide ou o centro ponto mais dentro de uma entidade considerada como um
polígono.

Lewis F. Richardson (1942) sugeriu uma variedade de abordagens diferentes


para derivar medidas do ponto médio de polígonos em forma diferente. Tais
abordagens são amplamente empregados em geografia e ciência regional, mas não
vi muita utilidade nas relações internacionais (embora seeVanzo, 1999).

Outra medida ponto médio alternativa atraente para muitas finalidades seria o
centro de população assim chamada com base na distribuição da população de um
Estado. Esta é calculada anualmente para os EUA. Os EUA Anuário Estatístico inclui
um mapa do centro da população, o que indica que o centro de população dos EUA
tem gradualmente mudado mais a oeste. Em princípio, seria possível calcular as
medidas de outros países. Um grupo de pesquisa no Centro Nacional de Análise
Geográfica (Tobler et al., 1995) criou um 'gridded' dataset população em que
quadriláteros de latitude / longitude são utilizados como unidades de observação para
informação população

Tal informação não está disponível para polities históricos e as fronteiras


nacionais, no entanto, e no presente 6 Os dados sobre locais da cidade de capital e
distâncias entre eles estão disponíveis a partir http://weber.ucsd.edu/-kgledits/. Um
banco de dados das cidades do mundo com latitude e longitude de mais de 2.500
cidades em todo o mundo pode ser comprado de ES RI
(http://www.esri.com/data/online/). 7 Estes dados estão disponíveis na
http://www.ciesin.org/datasets/ PGT / globldem.doc.html.

não é viável para calcular o centro de população para os estados de volta ao


século 19. Embora essas abordagens permitir medidas mais finamente granulados de
proximidade ou intimidade entre os estados, medidas contínuas de distância com base
em pontos médios não são desprovidas de ambiguidades para a pesquisa das
relações internacionais. Tanto o capital e abordagens centroid sofrer para grandes
estados. Um ponto médio com base no capital pôde ser localizado muito longe das
fronteiras de entidades. A distância considerável entre Washington, DC, e Cidade do
México subestima claramente a longa fronteira compartilhada entre os EUA e o
México. Além disso, alguns países (por exemplo Bolívia) tem mais de uma cidade
capital. Além disso, capitais podem mudar ao longo do tempo - Cazaquistão, por
exemplo, mudou sua capital de Almaty a Astana / Akmola, 1.200 km mais ao norte em
1997. Medidas de outros tipos de ponto médio, como centróides, não resolver estes
problemas para grandes países. Fort Hays, KS é o baricentro dos EUA, mas ainda a
alguma distância do baricentro do México ou Canadá. Além disso, a abordagem
centroid sofre para os países de formas estranhas, onde o centróide pode Fali fora
das fronteiras do país, como é o caso para a configuração contemporânea da Croácia,
Israel, Noruega, e na Somália.

Medidas híbridas de Distância e Contigüidade

Alguns pesquisadores propuseram medidas que combinam informações sobre


contiguidade física e distância entre pontos médios. O exemplo mais conhecido é
provavelmente os dados disponíveis a partir do programa Eugene desenvolvido por
D. Scott Bennett e Allan Stam.8 Eugene gera medidas de distâncias bilaterais entre
as capitais dos estados, substituído com distâncias de 0 se díades são consideradas
contíguas em os dados do projeto vaca. Embora a idéia de combinar a Eugene está
disponível ao http://www.eugenesoftware.org.

vantagens das abordagens contiguidade e distância em uma única base de


dados é atraente, acreditamos que a solução fornecida em Eugene finalmente sofre
muitos dos problemas discutidos acima. A diferença implícita na distância entre os
países que são estritamente contíguas e aqueles que são separados por pequenas
distâncias entre fronteiras pode ser analiticamente enganosa.

Mesmo que os EUA e Cuba não são estritamente contíguas, a 1.800 km, entre
Havana e Washington, DC, subestima o fato de que Cuba é de apenas 110 km da
costa da Flórida. A-Distância Mínima de dados Nós desenvolvemos uma abordagem
diferente para medir a distância sistematicamente, o que acreditamos remédios
algumas das principais deficiências das abordagens existentes.

Resumidamente, temos optado pelo princípio básico de medição da distância


mais curta entre os dois locais físicos mais próximos para cada par de comunidades
políticas independentes entre 1875 e 1996. O banco de dados registra a menor
distância em quilômetros de estatuto entre os pontos sobre os limites exteriores de
dois sistemas políticos, independentemente dos estados são separados por terra ou
por mar, dadas as fronteiras em lugar em um determinado período de tempo.

Fronteiras comuns reais são codificados como tendo distâncias de zero. Em


nossa opinião, esta base de dados fornece um quadro integrado que combina as
vantagens de dados contiguidade binários e dados de distância contínuas mais
desagregados.

código e software

No longo prazo, vamos criar um código e software que irá calcular as distâncias
mínimas entre todos os sistemas políticos desde 1875 até o presente utilizando mapas
digitalizados. A implementação completa deste projeto, no entanto, é complicada por
uma série de fatores. cobertura global digitalizada é exigido que leva em conta todas
as mudanças nas bordas das organizações políticas ao longo da história. Neste ponto,
temos cobertura histórica para o período após a Segunda Guerra Mundial, criado no
contexto da difusão do projeto de democracia.

No entanto, a digitalização de mapas históricos para 1875 e 1945 exigiria uma


quantidade substancial de trabalho adicional, dada a infinidade de modificações
territoriais sobre o período. Além do que, além do mais, SS implementação de um
projeto como este exigiria fundos para cobrir os custos, tais como licenças de software
GIS caro que atualmente não possuem. Esperamos realizar este esforço no futuro,
mas por enquanto a implementação SS permanece além do nosso alcance.
Nesse ínterim, porém, que se estabeleceram para uma abordagem viável
simplificado que, todavia, melhora a alternativas existentes. Registramos as distâncias
mínimas para todos os estados par próximas dentro de um limite relativamente
abrangente de 950 km dentro do período de tempo de 1875-1998,9 Mais
especificamente, calculamos as distâncias mínimas de inspeção manual para cada
par de países, determinando os dois pontos mais próximos em seu limites exteriores.
Se a distância entre esses pontos é de 950 (Estatutos) quilômetros ou menos, nós
gravamos o número de quilómetros Estatuto. fronteiras comuns reais são codificados
como tendo distâncias de zero.

Idealmente, gostaríamos de saber as distâncias mínimas ou a distância entre


os pontos mais próximos para todos os pares de organizações políticas. No entanto,
a tarefa de medir todos os pares de estados pela inspeção manual,
independentemente da distância, rapidamente se expande para se tornar quase
intransponível. Há cerca de 171 estados independem do atual sistema internacional,
excluindo as que têm menos de 250.000 habitantes (Gleditsch & Ward, 1999). Isto
implica que teríamos de determinar as distâncias mínimas

c 171 x (171 - 1) 1Z . c

para -------- 2 -------- = 14535 pares ou estados para gerar dados para todos os
possíveis emparelhamentos. A composição dos estados no sistema internacional e as
fronteiras dos estados também mudaram consideravelmente a partir de 1875 para o
presente.

Estas medidas foram realizadas em Microsoft® Encarta® Globe Virtual (1998


e 1999 edições).

Como resultado, para derivar distâncias mínimas ao longo do tempo teríamos


de fazer novas comparações para uma série de mapas históricos. Além disso, para
os estados que são relativamente distantes, os processos de busca para determinar
que dois pontos são realmente o mais próximo pode ser complicado. O risco de erro
de medição por inspeção manual aumenta rapidamente com a complexidade das
medidas.

Para aplicações

Para aplicações mais práticas, não é necessário saber todas as distâncias entre
todos os centros urbanos. Os municípios não identificados como polarizadores tem as
suas distancias descartadas, em comparação aos outros municípios, cuja finalidade é
diminuir o número de dados discretos ou discricionários da matriz de distancias, pode-
se então, reduzir significativamente o número e a complexidade das comparações
necessárias. Ao mesmo tempo, tendo uma matriz menor de distâncias contínuas, em
vez de dados discretos, permite variar o limiar para a proximidade de uma
relativamente ampla noção de região.

Estados que são mais de 1.000 km distante dificilmente pode ser considerado
geograficamente próximos. Ao limitar-nos a comparações de pares de estados que
são 950 km ou menos distante, podemos reduzir significativamente o número e a
complexidade das comparações necessárias. Ao mesmo tempo, tendo distâncias
mínimas contínua, em vez de dados discretos, permite variar o limiar para a
proximidade de uma relativamente ampla noção de região (ou seja, um limiar alto, tais
como 950 km), para estrita contiguidade físico (isto é, 0 km). Voltamos às vantagens
e maior flexibilidade da abordagem mínima distância em relação a outras abordagens
em mais detalhes na próxima seção.

Para além da questão do que medir, nós também tivemos que fazer uma série
de outras decisões substantivas. Foram incluídos enclaves mais razoavelmente
próximas disjuntos do território central do Estado, como o Alasca, Cabinda,
Kaliningrad, e Berlim Ocidental.

No entanto, não incluem as dependências remotas longe do território central do


Estado, mesmo que estes são considerados partes totalmente integradas do Estado
que possui.

Assim, não consideramos Saint Pierre e Miquelon em considerar distâncias


entre a França e Canadá ou nos USA.10 Uma série de perguntas bastante complicado
permanecer aqui. Optamos por não incluindo a Argélia como parte da França, mesmo
que este foi considerado um departamento francês regulares até 1962, e incluída
como parte da NATO em mapas em edições antigas do NATO Handbook. Futuras
versões do software para gerar os dados a partir da informação de base, no entanto,
permitirá que o usuário para modificar as decisões que eles acham apropriado.

Além disso, a composição de entidades no sistema e seus limites não são


constantes, mas mudar ao longo do tempo. Temos delineado o conjunto de países
independentes desde 1816, em um artigo anterior (Gleditsch & Ward, 1999) .11 No
contexto do banco de dados mínima distância, temos lidado com o problema de mudar
mapas medindo as distâncias entre as peças reais do território, ou polígonos na
terminologia GIS, que mudaram entre os estados. As distâncias entre comunidades
políticas históricas e contemporâneas, em qualquer ponto do tempo pode, assim, ser
calculado utilizando os sindicatos apropriadas de tais polígonos, dadas pelas
fronteiras físicas dos atores do sistema neste momento particular. A lista a seguir é
um resumo das mais importantes mudanças de fronteira que tiveram lugar desde
1.875,12

• Até 1878, a Austro-Húngaro - Império incluídos, além dos territórios da Áustria


contemporânea e Hungria, também atual Eslovénia, Croácia, as repúblicas Checa e
Eslovaca, bem como partes da Itália e Polônia. Croácia, Eslovênia e Bósnia foram
parte de o Império Austro-Húngaro entre 1878 e 1919.

• Alemanha experimenta várias mudanças de fronteira após 1918. Depois de


sua derrota na Segunda Guerra Mundial, uma parte considerável do seu território foi
anexado pela Polónia e da União Soviética, e o restante do país em si foi dividido na
República Federal da Alemanha e a República Democrática Alemã. A República
Democrática Alemã se fundiu com a República Federal em 1991.

11 A lista de estados independentes desde 1816, e documentação adicional,


está disponível no http://weber.ucsd.edu/-kgledits/.

12 Reconhecemos que algumas transferências anteriores do território e


fronteira alterações podem não foram tidas em conta nestes dados neste momento.
Embora a maioria destes não afetaria os contigüidades diretas entre atores, eles
poderiam em muitos casos, alterar as distâncias mínimas em relação a outros estados
não contíguos. Com o tempo, esperamos que novas versões deste banco de dados
irá abranger todas as alterações pertinentes.

• Paquistão, até 1971, abrangeu tanto atual Paquistão e o território do


Paquistão Oriental, que se tornou uma política independente sob o nome de
Bangladesh em 1972.

• Roménia entre 1887 e 1945 incluídos atual Moldávia.

• Rússia / União Soviética passou por várias grandes mudanças de fronteira


desde 1875. Rússia Imperial antes de 1917 incluía os territórios da Arménia,
Azerbaijão, Bielorrússia, Estónia, Finlândia, Geórgia, Cazaquistão, Quirguistão,
Letónia, Lituânia, Tajiquistão, Turquemenistão, Ucrânia e Uzbequistão, Em adição ao
dias de hoje russo Federação.

Finlândia, Estônia, Letônia e Lituânia adquiriu a independência da União


Soviética depois da revolução em 1917. Os últimos três repúblicas bálticas foram
incorporados na URSS em 1940, assim como a Moldávia e a ex-partes da Alemanha,
Polônia e Japão após a Segunda Guerra Mundial .

Em

1991, Arménia, Azerbaijão, Bielorrússia, Estónia, Geórgia, Cazaquistão,


Quirguistão, Letónia, Lituânia, Moldávia, Tajiquistão, Turquemenistão, Ucrânia, e
Uzbequistão toda a independência adquirida da União Soviética.

• Peru ( e seu antecessor, o Império Otomano) variou consideravelmente em


extensão desde 1875. Antes de 1878, a Império Otomano incluía partes da atual
Roménia, Macedónia, Moldávia, Albânia, Bósnia, Bulgária, Sérvia, e Chipre, para além
do território da Turquia contemporânea. Considerando que muitos desses estados
adquiriu a independência em 1878, a atual Albânia permaneceu parte da Turquia até
1913.

• Vietnam foi dividida em República do norte Popular da Vietnam e República


do Sul do Vietnã após a independência da França. A República do Vietname, em
seguida, tornou-se parte do República Democrática do Vietnã após a sua derrota em
1975.

• No caso de Iugoslávia, o precursor Unido da Sérvia incluiu atual Macedônia


antes de 1878. Entre 1919 e 1991, a Bósnia e Herzegovina, Croácia e Eslovénia
tornou-se parte do Reino da Jugoslávia e República posterior da Jugoslávia. Os ex-
repúblicas jugoslavas da Bósnia e Herzegovina, Croácia, Macedônia e Eslovénia
proclamou a independência da Iugoslávia em 1991 e 1992.

A versão atual dos dados é distribuída através de um programa Perl que


permite ao usuário personalizar o formato e o alcance dos data.13 As opções atuais
permitem aos usuários gerar dados contiguidade binário ou dados mínimos distância
contínua em um formato dyadic ou matriz, bem como definir o período de tempo e
algumas opções de formato de saída.
13 O programa de distribuição de corrente requer Perl, uma linguagem de
programação livre disponível para praticamente qualquer sistema operacional e
plataforma. Perl pode ser Encontrado em http://www.perl.com.

Usando o banco de dados

mínima-Distância

Nesta seção, demonstramos como os dados mínimos distância pode ser usado
em relações internacionais e transnacionais de investigação, e ilustram algumas das
suas vantagens sobre os dados existentes. Nossos dados pode melhorar em cima de
muitas das medidas alternativas de distância ou contiguidade utilizadas como
variáveis de controle ou medida de oportunidades para a interação. No entanto, se
acreditamos formas distância ou subjacente processos substantivamente importantes,
ou que o comportamento ou propriedades de entidades próximas influenciar um
comportamento countrys e reino da viabilidade, devemos tentar não só de controlar,
mas também para incorporar os aspectos espaciais dos processos de interesse
diretamente em variáveis ou modelos estatísticos.

Nisso seção, indicam como a pesquisa de relações internacionais pode ir 'além


contiguidade geográfica' e incorporar as implicações substantivas da distância mais
sistematicamente com medidas com base nos dados mínimos distância.

Variando Relevância Limiares por Distância

A principal vantagem do banco de dados minimum distance é que ele pode ser
utilizado para obter dados contínuos sobre distâncias, bem como para gerar dados
contigüidade binários ou categorizadas. A partir dos dados mínimos distância,
podemos derivar vários pesos inversas para modelar formas de decadência distância.
Como distâncias mínimas de menos do que 950 km são registadas pela distância real,
o analista pode variar os pontos de corte para o que é para ser considerado entradas
contíguas e peso em proporção com o grau de proximidade. Assim, ao contrário de
outros dados contiguidade fixos, a base de dados minimum distance permite a
geração de diferentes conjuntos de dados de contiguidade com diferentes critérios de
limiar minimum distance. A distância relevante ou métrica para um determinado
problema normalmente não se sabe com certeza com antecedência, e pode
concebivelmente diferir consideravelmente entre questões de investigação e ao longo
do tempo.
Considere as informações na Tabela I, que detalha os conectivos para um
número de organizações políticas no Oriente Médio. Rolar as colunas desta tabela -
da esquerda para a direita para cada linha ou estado indica as entidades adicionais
que seriam julgados conectada à medida que expandimos além da definição rigorosa
das fronteiras terrestres na segunda coluna para critérios cada vez mais inclusivas
para proximidade ou intimidade. Como pode ser visto, há muitos pares de estados que
não estão conectados por um critério rigoroso de contiguidade direta que seriam
consideradas conectado com um limite um pouco mais inclusiva. Embora Israel, por
exemplo, não tem uma fronteira terrestre com o Iraque e Arábia Saudita, ampliando o
limite para um valor de corte mais elevado (por exemplo, 50 km ou 475 km) faz com
que esses pares conectados. Diferentes limiares distância será adequado para fins
diferentes. Ao contrário de outros alternativas fixas, a mínimo de dados à distância
permitem aos pesquisadores definir o limite de relevância e testar a sensibilidade para
diferenças de operacionalização.

Fazer o novo mínimo de rendimento dados distância muito novas informações


em relação às alternativas existentes? A fonte mais comum de dados sobre distância
são os dados COW contigüidade. Meramente uma comparação superficial revela que
grande parte da informação no mínimo de dados à distância é simplesmente ausente
dos dados COW contigüidade. No caso de Israel, por exemplo, os dados COW
contigüidade meramente indicam que Israel tem uma fronteira terrestre com o Egito,
Líbano, Jordânia e Síria, é separado por 12 milhas de mar ou menos da Arábia
Saudita, separados por algum lugar entre 12 e 150 milhas de mar de Chipre, e em
algum lugar entre 150 e 400 milhas de mar da Turquia. As informações sobre a
distância através do mar é fornecido em categorias fixas, e os pesquisadores não
podem modificar estas categorias e limiares, como é o caso para os nossos dados
mínima distância. Mais importante, os dados VACA não contêm qualquer tipo de
informações sobre a proximidade sobre a terra. No caso de Israel, ignora
completamente o fato de aparentemente importante que o ponto mais próximo no
Iraque há mais de 215 milhas de Israel. Que o Iraque não está a menos de 400 milhas
através do mar a partir de Israel não coloca grandes obstáculos para o lançamento de
um Scud ou um míssil Exocet; nem tem dissuadido programas de defesa militar e civil
israelense. países intermediários de construção desconectar muitos países nos dados
contigüidade COW que normalmente seriam consideradas close'. países sem litoral
Que o Iraque não está a menos de 400 milhas através do mar a partir de Israel não
coloca grandes obstáculos para o lançamento de um Scud ou um míssil Exocet; nem
tem dissuadido programas de defesa militar e civil israelense. Países intermediários
de construção desconectar muitos países nos dados contigüidade COW que
normalmente seriam consideradas close'. países sem litoral Que o Iraque não está a
menos de 400 milhas através do mar a partir de Israel não coloca grandes obstáculos
para o lançamento de um Scud ou um míssil Exocet; nem tem dissuadido programas
de defesa militar e civil israelense. países intermediários de construção desconectar
muitos países nos dados contigüidade COW que normalmente seriam consideradas
close'. países sem litoral tal como Uzbequistão pode por construção não ser
conectado com outros estados relativamente próximas, tais como Irão (distância
mínima de 244 milhas).

A única alternativa fornecido pelo projeto COW para um pesquisador


interessado em dados sobre a distância não se limitando a estrita contigüidade terra,
ou as quatro categorias de ligação por mar, é o chamado classificação regiões. Este
é essencialmente um indicador binário de filiação em regiões como categorias
mutuamente exclusivas. No máximo, estes dados nos dizer se certos estados estão
em alguma região geográfica pré-definida como 'a Oriente Médio' ou não. Há,
inevitavelmente, algum arbitrariedade em delinear regiões onde os estados são
classificados como membros ou não membros.

Nos dados vaca, a categoria Oriente Médio também abrange todos os estados
no norte da África, mas exclui afirma no Cáucaso e na Ásia Central. Muitos países, no
entanto, podem ser atores em mais de uma destas 'regiões'. Da Tabela I, é evidente
que a Turquia está perto de estados no Oriente Médio, no Cáucaso, Europa e Ásia
Central. Nós alegam que uma extensão mais ampla distância em torno de cada país
corresponde melhor ao que nós pensamos como seu contexto regional ou ambiente
de interação do que contiguidades físicos rigorosos ou classificações nome próprio de
regiões que forçam 'Europa' ou o contexto regional dos Estados europeus para parar
em a Urais e do Estreito de Bósforo (Lake & Morgan, 1997).

Os dados minimumdistance permitem identificar vizinhos ou estados ligados


relativos a cada país, em vez de filiação conjunta em regiões geográficas. Além disso,
estes dados permitem tornando variação entre as regiões uma variável que pode ser
comparado entre as unidades, ao invés de tratar as diferenças regionais por nomes
próprios (Przeworski & Teune, 1970). Nas próximas seções, nós descrevemos como
as estatísticas espacial pode contribuir para criar variáveis que refletem diferenças de
contexto espacial, e como isso pode ser usado em análises empíricas. ao invés de
tratar as diferenças regionais por nomes próprios (Przeworski & Teune, 1970). Nas
próximas seções, nós descrevemos como as estatísticas espacial pode contribuir para
criar variáveis que refletem diferenças de contexto espacial, e como isso pode ser
usado em análises empíricas. ao invés de tratar as diferenças regionais por nomes
próprios (Przeworski & Teune, 1970). Nas próximas seções, nós descrevemos como
as estatísticas espacial pode contribuir para criar variáveis que refletem diferenças de
contexto espacial, e como isso pode ser usado em análises empíricas.

A Representação rede baseada em

Distância Geografia e ciência regional desenvolveram métodos para análise


estatística espacial com dados sobre unidades geográficas. Os dados sobre a
distância pode ser convertida para uma representação de matriz de relações entre as
entidades que podem ser utilizados na análise estatística. Para simplificar, neste
exemplo considerarmos os 15 estados na coluna da esquerda como um subsistema
separado, ignorando por enquanto vínculos que estes atores têm a outros states.14
Além disso, baseamos nossa discussão sobre a matriz binária, mesmo que aplicações
podem também concebivelmente ser baseadas em matrizes com pesos diferentes. A
informao nos dados do minimumdistance como apresentado na Tabela I pode ser
representada numericamente na forma de uma matriz de ligação espacial, que permite
que uma série de operations.15 útil Em termos gerais, para um conjunto de 5 = {1,. .
., n} de N unidades espaciais, um conmatriz é um nectivity matriz é um nectivity matriz
é um nectivity matriz é um nectivity matriz é um nectivity matriz é um nectivity matriz
é um nectivity n X n W matriz cujas entradas W matriz cujas entradas W matriz cujas
entradas W matriz cujas entradas W matriz cujas entradas W matriz cujas entradas W
matriz cujas entradas wifj adquirir adquirir adquirir adquirir adquirir adquirir adquirir

valores não-zero se as unidades Eu e j são de algum modo considerado para


ser conectado, adjacente, ou associada. A matriz de conectividade binário W é
semelhante à ideia de uma matriz de adjacência' em teoria dos grafos (por exemplo
Harary, Norman & Cartright, 1965).

Bavaud (1998) sublinha a semelhança de matrizes de conectividade e cadeias


de Markov, 14 Isto é para fins de ilustração única. Em uma análise real, iremos
obviamente quer incluir ligações a outras entidades. Este exemplo é uma adaptação
do Gleditsch (no prelo).

15 Isto é por vezes referido como uma contiguidade' ou '' matriz peso espacial
(por exemplo, Anselin, 1988). Desde as entradas não precisa se referir a
contigüidades, espaço, ou pesos, nós preferimos a matriz de conectividade mais geral
termo'.

e estabelece algumas provas importantes em suas propriedades. A equação


(2) é um exemplo de uma matriz W conectividade espacial binário para o Oriente
Médio com base em fronteiras terrestres ou um limite para a relevância de 0 km.16 A
matriz de conectividade espacial binário W em (2) é uma representação de rede das
ligações entre todas as 15 unidades políticas no subsistema Oriente Médio. Ele não
só descreve os contigüidades de primeira ordem, mas também permite a derivação
de contigüidades OMC de ordem ou os vizinhos de vizinhos por alimentar o matrix.17
Na próxima seção, nós descrevemos como tal matriz conectividade pode ser usado
em análises empíricas. 16 De entre as medidas da distância entre as unidades nos
dados mínimos distância, podemos gerar uma série de diferentes conjuntos de
matrizes de conectividade em diferentes limiares de distância. Embora a escolha de
qualquer limiar de distância única pode parecer arbitrária, os dados mínima distância
permite ao pesquisador variar a definição de contexto e conduzir testes de
especificação. Mais especificamente, as entradas de uma matriz W”indica o número
de ligações de ordem w entre Eu e j ( veja Harary, Norman & Cartright, 1965). 18
Apresentamos tais medidas com algum detalhe em Gleditsch & Ward (2000). Contexto
espacial como uma variável Muitas das aplicações existentes de estatística espacial
nas relações internacionais têm um caráter exploratório, e baseiam-se em grande
parte em estatísticas descritivas de concentração geográfica em um patamar global
ou local de alguns attribute.18 Examinando concentração geográfica na distribuição
de uma única variável pode ser interessante como um primeiro corte na compreensão
do papel da aglomeração espacial e difusão. Em última análise, no entanto, os
pesquisadores normalmente querem avaliar o papel de vários fatores geográficos e
não-geográficos em conjunto. O papel dos fatores geográficos podem ser examinados
de forma mais sistemática, tornando clustering e diferenças regionais como uma
variável que pode ser usado como uma variável explicativa ou uma variável de
resposta, onde procuramos explicar a variação na variável por outros explana a Ry
variáveis. O tipo mais comum de uma variável espacialmente construído para uma
unidade Eu é a média local ou a média da variável de entrada alguns X para todas as
unidades J Considera-se conectado com z.19 A variável resultante pode ser
interpretada como uma medida resumo do contexto regional da variável X para cada
unidade z. Para criar uma média ponderada tal regional, a matriz de conectividade
espacial binário é primeiro padronizados-fileira dividindo cada linha pela soma das
entradas na linha. Isso produz uma matriz chamada conectividade rowstandardized
Onde todas as entradas de cada soma fila para 1. A média ou média, no contexto
regional da variável x, denotado x ^, pode então ser encontrado como o produto de e
o vetor da valores de X sobre o conjunto 5 = {1,. . ., n} do

N unidades espaciais. Padronização do binário matriz W conectividade tem a


vantagem de que os valores de variável espacial x ^ terá a mesma métrica que a
variável original, e que cada observação X- pode ser interpretado como uma média
aritmética ou ponderada espacial de todas as entidades de âmbito regional, a unidade
dada zs. Embora esta seja de longe a forma mais comum para derivar variáveis
baseadas meramente espacialmente, que revertam para os valores médios baseados
em matrizes normalizadas com zeros das entradas diagonais não pode ser garantido
como uma solução padrão para todos os fins. Outras abordagens podem fazer mais
sentido, teoricamente, em contextos particulares. Em muitas aplicações, o aspecto de
interesse não é tanto o média valores de uma variável entre os estados em uma
região, mas sim o derrame de líquidos, no total, ou a soma das actividades reflectidos
pela variável. Em tais casos, uma variável espacial com a soma de x para todas as
entidades ligadas a Z (isto é, WXR) pode ser uma medida mais apropriada. Enterline
& Gleditsch (2000: 33-35), por exemplo, usar uma variável que indica a soma ou
derramamento-in total de conflito regional para cada 19 Contração da terminologia de
proximidade para análise timeseries, este é comumente referido como 'o lag espacial'
de uma variável x.

Estado como uma medida de ameaça. Murdoch, Sandler & Sargent (1997: 283-
285) examinar como disparidades na soma total de emissões dos países vizinhos
geográficos variar a extensão dos problemas de ação coletiva para alcançar reduções
de emissões entre os países europeus. Embora nenhuma pesquisa ou aplicações, a
nosso conhecimento, têm explorado tais alternativas como ainda, talvez em muitas
configurações também faz sentido conceber construções variáveis espaciais
baseados em outros do que a média e a soma total momentos. De modo mais geral,
o tipo de variável espacial apropriada depende do mecanismo causai que acreditamos
que opera através do espaço. A literatura bens públicos tem explorado várias
tecnologias alternativas de fornecimento de bens públicos ou externalidades que
podem ser úteis para pensar sistematicamente sobre as escolhas para a construção
de influência espacial ou variáveis derramamento-in (ver, por exemplo, Mueller, 1989:
22-25). Se a quantidade de uma externalidade é determinada pelo consumo total das
unidades individuais dentro alguns geográfica limites, como na 'tragédia dos comuns',
uma forma de aditivo seria apropriado (ver Cornes & Sandler, 1996: 492-494, para
uma discussão mais geral). No caso de um 'elo mais fraco' tecnologia / 'best-shot',
onde a externalidade é determinado pelo menor maior contribuição / de qualquer das
unidades individuais disposição, útil espacial variáveis poderia ser construído a partir
do mínimo ou maxi-mãe dos valores entre entidades contíguos. Se estamos
interessados na diferença ou variação entre entidades dentro de uma região,
poderíamos usar medidas baseadas em momentos como o intervalo ou variância dos
valores. Claramente, a gama de oportunidades para Inovativa pesquisa é aberta.

Em algumas aplicações, pode ser útil para criar variáveis com base em matrizes
onde as entradas diagonais Eu são atribuídos diferente de zero values.20 Gleditsch &
Ward (2000) incluiu os valores da G estatística de cluster- locais Z ing para a guerra
e democracia como variáveis-lado direito indicando a força do agrupamento regional
na estas variáveis em torno de cada país Eu. Gleditsch (2000) usou uma medida da
força da concentração geográfica em anos sucessivos sem o envolvimento conflito no
território do núcleo de estados como uma medida do grau relativo de paz regional.

Variáveis espaciais na análise de regressão: Um Exemplo Simples

A riqueza de pesquisas recentes nas relações internacionais concentra-se


sobre as consequências das instituições políticas para interações internacionais. O
exemplo mais proeminente é, sem dúvida, o chamado paz democrática, ou a
constatação de que as democracias não parecem ter ido à guerra uns contra os outros
(ver Chan, 1997; Russett, 1993). Esta pesquisa avalia principalmente as
consequências internacionais de diferenças nas instituições políticas, e assume a
distribuição real de ela própria estas instituições políticas como predeterminado ou
determinado. A maioria dos trabalhos teóricos e empíricos existentes sobre
democracia e democratização tende a enfatizar fatores domésticos, como 'requisitos'
social ou econômica (Lipset, 1960), ou transições como processos políticos
(O'Donnell, Schmitter e Whitehead, 1986) jogando fora dentro de cada estado em
isolamento (ver Vanhanen, 1990, para uma abrangente Reveja). recente trabalho
muito, no entanto, argumenta que os fatores internacionais e processos de difusão
entre os estados podem influenciar as instituições políticas, bem como, e que muitas
das mudanças observadas nas instituições políticas não pode ser 20 Considerando
que a convenção é não incluir uma entrada positiva sobre as entradas diagonais ou
'conectar países a si mesmos', nada na definição ou propriedades matemáticas da
própria matriz conectividade proíbe diferentes de zero valores diagonais. Note, no
entanto, que a analogia com Cadeias de Markov deixará de segurar por muitas dessas
matrizes.

As limitações de espaço impede uma discussão mais ampla do papel dos


fatores internacionais em processos de democratização. A nossa principal
preocupação aqui é para ilustrar que, se tais processos de difusão operar entre os
países imediatas, ignorando dependência espacial e tratar a distribuição da
democracia como independente entre os países pode prejudicar severamente nossas
inferências sobre os efeitos de fatores domésticos.

Considere-se um exemplo simples onde um PIB paises per capita é regrediu


no seu patamar de democracia, como mostrado na Tabela II.21 A coluna designada
Modelo 1 dá os resultados de uma regressão linear convencional de PIB per capita
em democracia. Este modelo é semelhante a maioria das análises empíricas da
relação entre democracia e desenvolvimento econômico (por exemplo Burkhart &
LewisBeck, 1994), e os resultados sugerem uma relação positiva entre a riqueza e a
democracia. A democracia esperado em cada país é assumido depende apenas da

countrys PIB per capita, e para ser independente das características de estados
vizinhos. O 21 Nossa medida da democracia aqui é a escala democracia
institucionalizada de 21 pontos nos dados Polity (Jaggers e Gurr, 1995). Os dados
sobre o PIB per capita são extraídos das Penn World Tables (Summers & Heston,
1991).

última parte deste pressuposto será violado se processos de difusão regionais


jogar fora entre os estados vizinhos. Modelo 2, por outro lado, incorpora o patamar
médio de democracia entre estados vizinhos como uma mão do lado direito adicional
variable.22 A estimativa coeficiente para a democracia regional indica uma forte
correspondência entre as características do regime de um estado e de seus vizinhos.
Isto sugere que democracias e autocracias tendem a agrupar-se geograficamente em
diferentes zonas. Usando o limite comum de uma pontuação Polity de 6 ou acima
como um limiar para distinguir entre democracias e não-democracias, descobrimos
que mais de 70% das organizações políticas estão localizados em contextos regionais
similares à sua own.23 A associação parece tanto no plano material forte e altamente
estatisticamente 22 O modelo auto-regressivo espacial aqui é dada por y - pW y + XG
+ VOCÊ, Onde y é um n X um vector de leveis de democracia, o símbolo W X um
vector de leveis de democracia, o símbolo W X um vector de leveis de democracia, o
símbolo W X um vector de leveis de democracia, o símbolo W X um v ector de leveis
de democracia, o símbolo W X um vector de leveis de democracia, o símbolo W X um
vector de leveis de democracia, o símbolo W X um vector de leveis de democracia, o
símbolo W X um vector de leveis de democracia, o símbolo W X um vector de leveis
de democracia, o símbolo W X um vector de leveis de democracia, o símbolo W

representa um n X n matriz de conectividade espacial padronizado-linha cujas

entradas entradas entradas entradas entradas entradas entradas wh] adquirem


um valor diferente de zero se unidades adquirem um valor diferente de zero se
unidades adquirem um valor diferente de zero se unidades adquirem um valor
diferente de zero se unidades adquirem um valor diferente de zero se unidades
adquirem um valor diferente de zero se unidades adquirem um valor diferente de zero
se unidades Eu e j estão dentro de 950 km um estão dentro de 950 km um estão
dentro de 950 km um estão dentro de 950 km um estão dentro de 950 km um estão
dentro de 950 km um estão dentro de 950 km um

do outro, e X é um

n X2 matriz das outras variáveis do lado direito (ou seja, uma coluna de ls para
o

termo constante e uma coluna de leveis de PIB per capita real). OLS é

inconsistente, dada a presença de Wy no lado da mão direita, e o modelo deve


ser

estimado por máxima verosimilhança. 23 De um total de 82 países da amostra,


26
são democracias localizados entre outras democracias, 32 não-democracias

localizados entre os não-democracias, 3 não democracias em um contexto


regional

democrática, e 21 democracias localizados em regiões onde os estados em


média

são não democracias.

significativo. Um teste formal de que o coeficiente para o contexto regional da


democracia é zero produz um F = 9,78, e podemos rejeitar claramente a restrição em
Modelo 1,24 Raftery 24 (1995) defensores avaliando dois modelos correspondentes
às hipóteses competir através de factores de Bayes, ou a proporção das
probabilidades posteriores para um dos modelos de encontro ao outro. Ele desenvolve
uma aproximação Bayesian Information Criterion (BIC) para os fatores de Bayes que
ganhou uso generalizado. Para alguns modelo podemos encontrar uma

aproximação BKI = - + pk log «, onde é o

relação estatística probabilidade para testar o modelo nulo contra AF0

O fator de aproximação Bayes é simplesmente a

diferença entre o BIC para os dois modelos. Nesse caso,

BIC \ = - 25,85 e BIc2 = - 34.26. A diferença (8,42) está na faixa de 6-10 que

Raftery (1995) caracteriza como fornecendo forte evidência' para a


superioridade

do modelo com a maior BIC. Assim, este teste indica claramente que a

superioridade do modelo espacial sobre a versão não-espacial.

25 Um avaliador expressa a preocupação de que as diferenças entre os


modelos 1

e 2 pode ser devido ao estimador em vez da adição da variável espacial. As

estimativas dos coeficientes são substancialmente semelhante ao modelo 2 é

estimada por OLS; 0,1066 + 0,6270 * (democracia regional)

+ 0,0004 * (PIB per capita).


Além disso, podemos ver que o coeficiente estimado para o impacto do PIB per
capita na democracia muda um pouco uma vez que a dependência espacial entre os
países é levado em conta. Mais especificamente, embora o coeficiente de estimativa
de PIB per capita permanece positivo e significativo, a estimativa é reduzido para
cerca de dois terços do seu tamanho original no modelo 1 quando o contexto regional
de democracia é levado em account.25 A dependência entre observações sucessivas
no espaço vai dar origem a correlação em série perturbação com implicações
semelhantes a dependência entre as observações ao longo do tempo, e os erros
padrão OLS será incorrecta na presença de perturbações espacialmente
correlacionadas. Embora o estimador OLS permanece formalmente imparcial sob
correlação serial, a variação das estimativas dos coeficientes será maior do que seria
se os erros foram aleatórias, e os erros padrão das estimativas dos coeficientes não
será correto. Em um cenário de séries temporais, incluindo uma variável dependente
defasada pode ser suficiente para obter estimativas de erro padrão imparcial (Beck &
Katz, 1995). Apresentando uma variável espacial para emular a dependência espacial
entre as observações, no entanto, não resolve todos os problemas com as estimativas
de erro padrão, e estimadores especiais devem ser utilizados para estes tipos de
modelos. Um resumo didático das questões estatísticas de pesquisas reconhecendo
a dependência espacial está além do escopo deste article.26 Como o exemplo acima
mostra, no entanto, os custos analíticos de desconsiderar a estrutura de dependência
entre entidades podem ser substanciais em aplicações de ciências sociais. Os dados
mínimos distância facilitar tomar dependência espacial em conta no trabalho empírico.

A Mediação de Distância

Em estudos internacionais, uma série de outros que a distância questões em si


mediar a estrutura de dependência entre estados e atores. Fatores como recursos,
capacidades tecnológicas, e disposição ideológica também podem influenciar a
oportunidade e a vontade de um estado para se envolver em certos tipos de
comportamento, como travando conflito. Estados com uma grande base de recursos
e capacidades tecnológicas avançadas têm maiores habilidades para atuar muito
além de suas fronteiras (por exemplo, Boulding, 1963), como testemunhado em
conflitos como as Malvinas e Gulfwars. Unidos também diferem na sua orientação
internacional e ambições. Enquanto alguns estados, como Cuba, colocar considerável
ênfase na participação activa nos assuntos internacionais muito além de suas
fronteiras (como testemunhado pelo envolvimento de tropas cubanas em muitos
conflitos africanos), estados como a Albânia sob Enver Hoxha e Myanmar
contemporânea visam minimizar eventuais relações com os Estados vizinhos (por
exemplo Braumoeller, 1997). A distância geográfica como uma barreira ou restrição
também é mediada por factores tais como o tipo de terreno e a infra-estrutura existente
(por exemplo Lemke, 1995; Starr, 26 Referimo-nos leitores a Anselin (1988), Cressie
(1991), e Ripley (1988) para visões gerais, bem como os artigos aplicadas citados
anteriormente.2000). Atravessando planícies e estepes é geralmente mais fácil do que
chuva-floresta ou montanha cumes densas.

Tropas e suprimentos pode ser movido muito mais rápido em áreas com
estradas existentes, aeroportos e ferrovias em funcionamento. Estas considerações
são todas as questões teóricas importantes sobre o papel da distância para uma área
de assunto particular como o estudo de conflito internacional. Muitos pesquisadores
têm procurado criar medidas que levem em conta a influência da distância mediada
por outros fatores. Exemplos incluem várias estratégias de amostragem para díades
politicamente relevantes – em que se entende a guerra poderia ocorrer (por exemplo
Maoz & Russett, 1993) - o ambiente de interação politicamente relevante de estados
(por exemplo Maoz, 1998) ou, medidas de relevância tendo em conta o terreno,
tecnologia e infra-estrutura (por exemplo Lemke, 1995; Starr, 2000), ou medidas de
capacidade de projetar poder com base em decaimento exponencial com a distância
(por exemplo, Bueno de Mesquita, 1981).

dados mais especializados em distância relevantes, mediadas por outros


fatores, pode fornecer informações adicionais úteis para além matéria apropriada
geográfica distância para muitas configurações. De modo mais geral, no entanto, os
fatores mediadores distância será diferente entre questões de pesquisa. Em nossa
opinião, é essencial para garantir que a coleta de dados sobre a distância geográfica
continua a ser desagregada a partir de dados sobre outros fatores hipotéticos para
mediar a relevância da distância.

Misturando distância e outros fatores nos dados coletados torna difícil separar
analiticamente qualquer efeito da geografia e da distância em si, bem como para
examinar como as implicações da distância pode ser modificado por outros fatores
para alguns questão de pesquisa. Não um conjunto de considerações se aplica
universalmente, e impondo a influência esperada de algum fator da distância na
recolha de dados sobre a distância geográfica reduz a aplicabilidade geral dos dados.
Melhoria dos dados sobre geográfica distância, no entanto, irá proporcionar uma
melhor base para outros esforços de coleta de dados que combina informações sobre
a distância e outros fatores. Nossa visão tem se concentrado em estatística espacial
no contexto dos dados mínimos distância e como isso pode ser aplicado. No entanto,
os conceitos e métodos de análise estatística espacial não precisa ser limitado a
distância geográfica ou euclidiana. A estrutura de ligação entre os estados podem ser
especificado com base nos fatores, tais como indicadores de potência ou observados
de interação, tais como o comércio (ver Ward, Heagerty & Gleditsch, 2001).

Espaço, a fronteira final?

Neste artigo, apresentamos os nossos novos dados sobre distâncias mínimas.


Temos mostrado brevemente como estes podem nos permite ir além da distância
como uma variável de controle e considerar a dependência entre as observações
explicitamente. Nós reconhecemos que os dados minimumdistance existentes de
nenhuma maneira são perfeitos. Nem eles serão úteis em cada pergunta da pesquisa
plausível. No entanto, esperamos que o novo banco de dados será útil para uma
ampla gama de pesquisadores. Finalmente, esperamos ter convencido os nossos
leitores que as medidas de distância pode substancialmente e substantivamente
contribuir para o estudo do contexto regional em relações internacionais e política
comparada. Para conquistar a fronteira final requer avanços em nossa atenção para
a distância e espaço na teoria, bem como melhorar as medidas e métodos empíricos.
interdependente,

É tempo de nossas análises empíricas reflete esse fato básico da política, em


vez do ignorou.

Referências

Ades, Alberto & Hak B. Chua de 1997. 'Tua viziMaldição de bor: Instabilidade
regional e económica

756 Diário tf / PAZ R esearch volume de 38 / número 6 / nov 2001

Crescimento', Journal of Economic Growth 2 (3): 279-304.


Anselin, Luc, 1988. Econometria espacial: Métodos

andModels. Dordrecht: Kluwer. Barro,

Robert, 1991. 'Crescimento Econômico em uma

Corte Transversal de Países, Quarterly Journal

ofEconomics 106 (2): 407-443. Bavaud, François de 1998.

'Modelos para Spatial

Pesos: Um olhar sistemático', Análise geográfica 30 (1):

153-171.

Beck, Nathaniel & Jonathan N. Katz, 1995.

'O que fazer (e não fazer) com TimeSeries Cross-Section

Data', American Review Ciência Política 89 (3): 634-647.

Boulding, Kenneth E. de 1963. conflito e

Defesa: A Teoria Geral. New York: Harper and Row.

Braumoeller, Urso F., 1997. 'O isolacionismo em Inter-

, Papel Relações nacionais apresentada na Convenção 38ª

Anual da International Studies Association, Toronto, 18-22 de

março. Bueno de Mesquita, Bruce de 1981. A armadilha

Guerra.

New Haven, CT: Yale University Press. Burkhart, Ross &

Michael Lewis-Beck de 1994.

'Democracia Comparada: A Tese de Desenvolvimento

Econômico', American Review Ciência Política 88 (4):

903-910.

Chan, Steven, 1997. 'In Search of Democratic

Paz: Problemas e Promise', Mershon Estudos International

Review 41 (1): 59-92. Collier, Paul & Jan Willem Gunning,


1999. 'Por que

Tem África crescido lentamente?', Journal of Economic

Perspectives 13 (3): 3-22. Cornes, Richard & Todd Sandler de

1996. o

ofExternalities teoria, Bens Públicos e recreação

Mercadorias, 2ª ed. Cambridge: Cambridge University Press.

Cressie, Noel, 1991. Estatísticas de Dados Espaciais.

New York: Wiley.

Easterly, William & Ross Levine, 1998. 'Troubles

com os vizinhos: Problema Áfricas, Áfricas Oportunidade', Jornal

das economias africanas

7 (1): 120-142.

Enterline, Andrew J. & Kristian S. Gleditsch,

2000. 'Ameaças, Oportunidade, e Force: Exteriorização

da pressão interna, 1946-1982',

Interacções internacionais (16 \\

1-53.

Gibson, Martha & Michael D. Ward, 1992.

'Export Orientação: Caminho ou artefato?',

Internacional estudos Quarterly 36 (3):

331-344. Gleditsch, Kristian S., 1996. Aspectos da

Democratização: Desenvolvimento Económico, Espacial

Difusão e persistência in Time. tese de mestrado, do

Departamento de Ciência Política da Universidade de

Colorado. Gleditsch, Kristian S., 2000.

'Internacional
Dimensões da Democratização', trabalho apresentado no

ECPR reunião sessão conjunta, Copenhaga, 14-19 abril.

Gleditsch, Kristian S., no prelo. todos Internacional polities é local: O DiJJusion


de Conflito, Integração

e Democratização. Ann Arbor, MI: University of Michigan

Press. Gleditsch, Kristian S. & Michael D. Ward de 1999.

'A lista revisada dos Estados Independentes Desde 1816',

Internacional interações 25 (4):

393-413.

Gleditsch, Kristian S. & Michael D. Ward de 2000.

'Guerra e Paz no tempo e espaço: O Papel da

Democratização', Estudos internacionais

Trimestral 44 (1): 1-29. Gochman,

Charles, 1991. 'Interstate Metrics

desde o Congresso de Viena, Interações internacionais 17

(1): 93-112. Harary, Frank; Robert Z. Norman & Dorwin

Cartright de 1965. Modelos estruturais: Uma Introduetion à

teoria ofDirected Gráficos. New York: Wiley. Huntington,

Samuel P, 1991. A Terceira Onda:

Democratização no final do século XX.

Norman, OK: Oklahoma University Press. Jaggers, Keith &

Ted R. Gurr, 1995. 'Rastreamento

Democracys Third Wave com o III dados Polity', Journal of

Peace Research 32 (4): 469-482.

Kuran, Timur, 1991. 'O Revol- Leste Europeu

ution de 1989: é surpreendente que fomos surpreendidos ',?


American Economic Review 81 (2): 121-125.

Lake, David A. & Patrick Morgan, eds., 1997

Ordens regionais: Edifício de Segurança em um Novo Mundo. State

College, PA: Pennsylvania State University Press.

Lemke, Douglas, 1995. 'The Tyranny of Distância: Redefinindo díades


relevantes, interInterações nacionais 21 (1): 23-38.

Kristian S. Gleditsch & Michael D. Ward MEDIÇÃO S ritmo 757

Lipset, Seymour M. de 1960. Homem político: O

Bases sociais das organizações políticas. Garden City, NY: Anchor.

Lohmann, Susanne, 1994. 'A Dinâmica do

informativa Cascades: A segunda-feira

Manifestações em Leipzig, Alemanha Oriental, 1989-1991' , WorldPolities

47 (1): 42-101. Lopez-Bazo, enrique; Éster VAYA, Antonio J.

Mora & Jordi Surinach de 1999. 'Regional

Economic Dynamics e convergência na União Europeia', Anais

de Ciência Regional

33 (3): 343-370.

McNulty, Mel, de 1999. 'O Colapso do Zaire:

Implosão, Revolução ou Externai Sabotagem?',

Jornal de Estudos Africanos Modem 37 (1): 53-82.

Maoz, Zeev, 1998. "Redes Democrática, de tipo

roteiro, Centro Jaffe de Estudos Estratégicos da Universidade de

Haifa.

Maoz, Zeev e Bruce M. Russett de 1993. 'Normativa e causas estruturais da


Paz Democrática, 1945-1986' , American
Review Ciência Política 87 (3): 624-638. Mueller, Dennis de

1989. Escolha Pública II. camponte: Cambridge University Press. Murdoch,


James C .;

Todd Sandler & Keith

Sargent, 1997. 'ATale ofTwo Coletivos: Enxofre contra

óxidos de nitrogênio Redução de Emissões na Europa', Economica

64 (2): 281-301. O'Donnell, Guillermo; Philippe C. Schmitter &

L. Whitehead, 1986. Transições de regime autoritário. Baltimore,

MD: Johns Hopkins University Press.

O'Loughlin, John; Michael D. Ward, Corey L.

Lofdahl, Jordin S. Cohen, David S. Brown, David Reilly,

Kristian S. Gleditsch & Michael Shin, de 1998. 'A difusão da

democracia, 1.946-1.994', Anais da Associação ofAmerican

Geógrafos 88 (4): 545-574. Przeworski, Adam & Henry Teune

de 1970. o

Logic ofComparative investigação social. New York: Wiley.

Raftery, Adrian E., Seleção de 1995. 'Bayesian Modelo

em Pesquisa Social (com a discussão)', em Adrian

E. Raftery, ed., Metodologia sociológica de 1995.

San Francisco, CA: Jossey-Bass (111-196). Randle,

Michael, 1991. Poder Popular: O Building de uma casa nova Europeia. Stroud:
Hawthorn.

Richardson, Lewis Fry, 1942. 'O Problema da

Contigüidade: um apêndice Estatísticas de brigas mortais,

reeditado em Sistemas gerais: Anuário da Sociedade de

Pesquisa de Sistemas Geral, Volume VI, de 1961 (139-187).

Ripley, Brian D., 1988. Inferência estatística para


Processos espacial. Cambridge: Cambridge University Press.

Russett, Bruce M., 1993. Segurando o Democrática

Paz: princípios para a Primeira Guerra Mundial Publicar Fria.

Princeton, NJ: Princeton University Press. Starr, Harvey,

2000. 'Oportunidade, Disposição,

e Sistemas de Informação Geográfica (SIG):

reconceptualizando Fronteiras nas relações internacionais,

documento apresentado na Conferência sobre novas

metodologias para as Ciências Sociais: O desenvolvimento

e aplicação de Análise Espacial para Metodologia Político,

Boulder, CO, 10-12 de março.

Summers, Robert & Alan Heston, 1991. 'O

Tabela Penn Mundo (Marcos 5): um conjunto expandido de

comparações internacionais, 1950-1988' ,

Quarterly Journal of Economics 106 (2): 327-368.

O economista, 1996. 'Alguma outra pessoa fazendo,

alguém problema elses (lutando no Zaire entre tutsis e

exército Zaires; refugiados hutus pode ser alvo real)', O

economista

341: 45-46.

Tobler, Waldo; Uwe Deichmann, Jon Gottsegen

& Kelly Maloy, 1995. 'O Projeto Demografia global',

documento de trabalho 95-6, Centro Nacional de Informação

Geográfica e Análise, Departamento de Geografia da

Universidade da Califórnia em Santa Barbara. Vanhanen,

Tatu, 1990. O Processo de democracias


enfrentam maior estigmatização: Um Estudo Comparativo de 147 Unidos,

1980-1988. New York: Guindaste Russak. Vanzo, John P, 1999.

'Configuração e Fronteiras

Conflito: geográfica Compactness como uma ambição

territorial dos Estados, em Paul F.

Diehl, ed., Um Roteiro para War: dimensões territoriais de

Conflitos Internacionais. Nashville, TN: Vanderbilt University

Press (73-112). Ward, Michael D .; Patrick Heagerty & Kristian

S.

Gleditsch, 2001. 'A geografia política do conflito e Comércio',

datilografado, Centro de Estatísticas em Ciências Sociais da

Universidade de Washington.

758 Diário uma / P eace R esearch esearch esearch esearch esearch esearch
volume de 38 / número 6 / nov 2001

KRISTIAN S. Gleditsch, b. 1971, o PhD (University of

Colorado, Boulder, 1999); Professor Assistente de Ciência

Política da Universidade da Califórnia em San Diego (2001-).

Esta pesquisa foi concluída enquanto ele estava

conferencista na metodologia das ciências sociais na

Faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Glasgow

(1999-2001). Atual

interesses de pesquisa

democratização e aplicações da estatística espacial.

Michael D. Ward, b. 1948, PhD (Northwestern University,


1977); Professor de Ciência Política e membro do Centro de

Estatísticas em Ciências Sociais da Universidade de

Washington, Seattle (1997-); Professor de Economia,

Universidade de Pierre Mendès France, Grenoble. ofertas

atuais de pesquisa com o uso de métodos estatísticos

bayesianos para estudar a propagação das instituições

democráticas e econômicas ao longo do tempo e,

especialmente espaço.