Você está na página 1de 19

MANUAL DE COMUNICAÇÃO

1
ÍNDICE

1. INTRODUÇÃO ............................................................................................3

2. OBJETIVO ................................................................................................3

3. RESPONSABILIDADES ...................................................................................4

4. IDENTIDADE .............................................................................................4

5. CUIDADOS ESSENCIAIS ................................................................................6

6. FERRAMENTAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO .................7

7. PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO ..................................................................... 10

8. DISPOSIÇÕES FINAIS................................................................................. 19

2
1. INTRODUÇÃO

A Mais Vida Previdência, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, é
uma entidade fechada de previdência complementar, constituída na forma da
legislação em vigor, com sede e foro no município de Jaguariúna, estado de São
Paulo, regendo-se pelo seu estatuto e respectivos regulamentos e pelas normas
legais vigentes.

Este documento visa definir os processos de comunicação internos e externos da


MAIS VIDA PREVIDÊNCIA, buscando, através de orientações e recomendações,
promover o melhor relacionamento da Entidade com seus públicos relevantes
(empregados, participantes, órgãos reguladores e a mídia), numa relação de
respeito, transparência, eqüidade e responsabilidade.

As informações apresentadas neste documento devem ser norteadoras para toda e


qualquer ação de comunicação da Entidade, a fim de que a imagem da MAIS VIDA
PREVIDÊNCIA seja a melhor possível perante seu público interno e externo.

2. OBJETIVO

São objetivos deste Manual de Comunicação:

9 Abrir e manter canais de comunicação com os diversos públicos.

9 Planejar estrategicamente a comunicação na MAIS VIDA PREVIDÊNCIA e


administrar o relacionamento com seu público interno e externo.

9 Promover e valorizar a imagem institucional da MAIS VIDA PREVIDÊNCIA.

9 Manter elevado o nível de satisfação dos participantes e assistidos.

9 Uniformizar os procedimentos de comunicação, de tal forma que criem um


padrão de relacionamento reconhecido e valorizado nas áreas de atuação da
MAIS VIDA PREVIDÊNCIA.

À Diretoria Executiva cabe conduzir os processos de comunicação, de acordo com


as diretrizes definidas pelo Conselho Deliberativo, orientando, sempre que
necessário, as ações de comunicação realizadas na MAIS VIDA PREVIDÊNCIA.

3
3. RESPONSABILIDADES

A Diretoria Executiva responde pelo gerenciamento das ações de comunicação da


MAIS VIDA PREVIDÊNCIA. A partir da conjugação das metas institucionais definidas
pelo Conselho Deliberativo.

Todos os empregados têm a responsabilidade de preservar a imagem da MAIS


VIDA PREVIDÊNCIA, evitar prejuízos a sua própria imagem e a da Entidade, além
de seguir estritamente as regras estabelecidas nesta norma.

É fundamental que os setores dos quais emanam as informações atentem para que
elas possuam a máxima qualidade.

O cuidado deve ser desde o dimensionamento e detalhamento da demanda (a


relevância da divulgação, qual a prioridade, o que comunicar e para quem, por que,
quando, etc) até a correção e atualização das informações, que devem ser
verificadas antes de encaminhadas para a divulgação.

Cabe ainda aos responsáveis pela comunicação acompanhar as etapas de produção


do serviço solicitado e revisar o conteúdo, para garantir que a interpretação e
abordagem das informações não alterem o sentido.

4. IDENTIDADE

A identidade é o conjunto de características pelas quais a MAIS VIDA PREVIDÊNCIA


é reconhecida. A imagem é o conceito resultante de todas as experiências,
impressões, posições e sentimentos que as pessoas têm em relação à Entidade.

Nesse contexto, o papel da área responsável pela comunicação, apoiada pelas


outras áreas da Entidade, é cuidar para que exista estreita correspondência entre
sua identidade e o que se diz sobre ela, interna e externamente.

Para isto foram estabelecidas algumas diretrizes, conforme relacionado abaixo:

4
4.1 Diretrizes

Para evitar que existam distorções entre aquilo que a Entidade diz e prega e aquilo
que as pessoas percebem dela (o conceito), faz-se necessário atentar ao princípio
básico da comunicação que é a transparência, que consiste em divulgar e
comunicar além do obrigatório, desejando informar adequadamente, consolidando
um clima de confiança interno e externo. Ademais, a comunicação deve ir além do
desempenho econômico-financeiro, contemplando fatores que ajudem na criação do
valor, sendo esta realizada pelos meios de comunicação adequados ao público alvo,
buscando sempre atingir o objetivo de melhor informar. São premissas a serem
seguidas no processo de comunicação:

9 A manutenção de um relacionamento pró-ativo, transparente, ético, de


credibilidade e de parcerias com todos os seus públicos.

9 A padronização dos instrumentos de comunicação.

9 A integração das ações de comunicação interna e externa.

9 A avaliação permanente da imagem da MAIS VIDA PREVIDÊNCIA, das


ações empreendidas por ela e da satisfação dos participantes com os
serviços que lhes são prestados.

9 O fortalecimento e a consolidação da sua imagem, mantendo canais


adequados de comunicação com públicos previamente identificados e
priorizados.

9 A divulgação de todas as ações e serviços para os públicos de interesse.

9 A comunicação ética, honesta, clara e trabalhada de forma integrada.

5
5. CUIDADOS ESSENCIAIS

5.1 AÇÕES ISOLADAS

É importante que os setores não desenvolvam ações isoladas (como criação de cartilhas,
catálogo de conveniados, realização de eventos, apresentação de programas e etc).

A coordenação e responsabilidade dessas atribuições cabem, exclusivamente, à área


responsável pela comunicação.

5.2 USO DA LOGOMARCA

O uso da logomarca da Entidade deve ser feito de maneira criteriosa, respeitando o formato e
as cores originais.

Nesse sentido, a manipulação da marca deve ser feita com o máximo de zelo, devendo ser
monitorada, uma vez que a identidade visual possui grande poder de comunicação.

Cabe à área responsável pela comunicação o gerenciamento da utilização da logomarca da


MAIS VIDA PREVIDÊNCIA e as instruções detalhadas para a sua correta aplicação, que
devem ser rigorosamente obedecidas, e estão disponíveis no em nosso drive (//z:) na seguinte
estrutura: Z:\Comunicação\Logos e Timbrados\Original.

Essa mesma premissa deve ser estendida a outras marcas eventualmente criadas para dar
identidade a setores, programas, eventos, etc.

A definição dessas marcas e sua liberação para uso estão sob a responsabilidade da área
responsável pela comunicação, para que sejam utilizadas de forma adequada. Sempre que
precisar aplicar uma ou mais marcas, basta solicitá-las ao setor, que já as encaminhará na
forma correta de uso.

A produção de material de comunicação que tenha a logomarca da MAIS VIDA


PREVIDÊNCIA, como peças gráficas, brindes, placas, banners, faixas, bottons, jornais, etc., só
poderá ser executada após a prévia avaliação e autorização da área responsável pela
comunicação.

Não é permitido agregar o uso de ícones ou símbolos que interfiram na correta aplicação da
logomarca, na divulgação de eventos, programas e projetos.

6
Patrocínios e apoios a iniciativas de terceiros que envolvam recursos e a utilização da
logomarca da MAIS VIDA PREVIDÊNCIA também só poderão ser concebidos mediante
prévia avaliação e aprovação.

6. FERRAMENTAS PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO

Ferramentas são instrumentos ou mecanismos de comunicação utilizados com o objetivo de


divulgar as ações e informações da MAIS VIDA PREVIDÊNCIA.

6.1 SITE CORPORATIVO

O Site Corporativo é uma importante ferramenta de comunicação, que compreende


informações relevantes tais como notícias da Entidade, circulares, campanhas, avisos internos
e externos, banners, Manual de Governança Corporativa, Regulamentos, Estatuto, relatórios de
investimentos (Balanço, DAIEA, Política de Investimentos), que após aprovação, devem ser
publicados, cumprindo o prazo da legislação.

6.2 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES

Relatório Anual de Atividades contempla o resumo dos resultados relevantes relacionados


principalmente com a situação econômico-financeira da Entidade..

As informações coletadas para a produção do Relatório são de responsabilidade das áreas,


que devem conferir os dados repassados à área responsável pela comunicação, antes que o
arquivo seja liberado para impressão ou divulgação.

6.3 E-MAIL INSTITUCIONAL – MAIS VIDA INFORMA

O E-mail Institucional é o canal de comunicação corrente com os participantes aposentados e


assistidos para comunicados, informações, campanhas ou notícias.

7
6.4 QUADRO DE AVISO

O Quadro de Avisos é a ferramenta utilizada para divulgar os informativos da Entidade no


ambiente das Patrocinadoras.

6.5 APRESENTAÇÕES E PALESTRAS

As Apresentações e Palestras têm como objetivo informar e educar sobre informações


relacionadas ao Plano de Benefícios.

6.6 JORNAL

O Jornal é o veículo de comunicação externo realizado com periodicidade bimestral que


objetiva divulgar informações sobre as atividades voltadas à legitimação das relações da
Entidade com seus participantes e demais públicos, visando informar e preservar sua imagem
corporativa.

6.7 PLANTÃO DE ATENDIMENTO

O Plantão de Atendimento objetiva a divulgação do plano e suas alterações, bem


como, apresentar informações complementares aos participantes. O público deste
meio de comunicação é a area de produção da Patrocinadora.

6.8 RELACIONAMENTO COM OS VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO

O Relacionamento com os veículos de comunicação engloba o atendimento à


imprensa e concessão de entrevistas, quando solicitadas ou necessárias. O
conteúdo deve ser aprovado e revisado pela Diretoria Executiva e posteriormente
repassados aos jornalistas pela área responsável pela comunicação. No caso de
entrevistas cabe ao Diretor Superintendente determinar quem deve falar em nome
da Entidade.

8
6.9 RELACIONAMENTO COM PARTICIPANTES

O Relacionamento com Participantes deve ser avaliado permanentemente em


relação aos serviços prestados pela Entidade.

6.10 UNIFORMIZAÇÃO DO ATENDIMENTO TELEFÔNICO E ELETRÔNICO

Estabelecimento dos telefones e e-mails abaixo como principais canais de


relacionamento com os participantes:

• Carolina Costa - 11.3847.3279 Investimentos/Contábil acc143@motorola.com

• Jeferson Trivelato - 19.3847.7387 Benefícios/Comunicação ajt027@motorola.com

• Jonathan Costa - 19.3847.8012 Sistema de Cotas /Site ajc223@motorola.com

• Suzi Mateus – 11.2094.4571 Administração Geral a15933@motorola.com

Estrutura em 30/12/2008, podendo ser alterada a qualquer momento.

6.11 COMUNICAÇÃO INFORMAL

A comunicação informal ocorre a despeito dos meios formais e é fruto das relações
sociais entre os membros da Entidade. As conversas, os rumores, a rede de boatos
são os meios informais que ocorrem com maior freqüência e podem ser
transformados em oportunidades de diálogo e troca de informações, desde que
recebam tratamento adequado.

Evidentemente, boatos e rumores devem ser desestimulados, mas para isso, é


preciso seguir uma política de relações internas pautada na transparência. Nesse
sentido, a Entidade estimula o contato direto entre os diversos níveis como uma
prática rotineira, de forma a estabelecer relações baseadas na confiança, na
transparência e no diálogo.

9
6.12 Sistemas Externos de Comunicação

Os Sistemas Externos de Comunicação objetivam a transmissão de informações aos


órgãos externos, tais como: Fornecedores, Governo e etc.

7. PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO

O Processo de Comunicação é composto por relatórios descritivos de todas as


comunicações internas e externas, classificada por: Comunicação; Tipo;
Periodicidade; Público Alvo; Ferramenta de Comunicação e Responsável.

7.1 Tipo de Comunicação

A comunicação está segregada por tipos, sendo:

Legal: Comunicação obrigatória em atendimento a exigências legais

Espontâneo: Comunicação não obrigatória, por liberalidade da Entidade, com o


objetivo de informar sobre assuntos diversos.

7.2 Periodicidade da Comunicação

A periodicidade é prazo para a realização da comunicação determinada de acordo


com o seu tipo, podendo ser dividido em:

Legal: o prazo é determinado pela legislação;

Sazonal: possui período próprio, determinado e regular, específico para cada


comunicação;

Atípico: ocorre irregularmente.

7.3 Descrição dos processos

Anexo 1 – Processo de Comunicação: Clientes

Anexo 2 – Processo de Comunicação: Órgãos Governamentais

10
Anexo 1: Processo de Comunicação: Clientes
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável
Correspondência via
Relatório Anual: Correios (principal)
LEGAL Participantes Assistidos, Área de Comunicação
Demonstrações Contábeis, ANUAL E-mail
CGPC nº 23, de Ativos, Vinculados e
Balanço, Parecer, DRAA, 30 de Abril Jornal Interno
06/12/2006 Vinculados Contribuintes
Balanço. Quadro de Avisos
Site Área de Sistemas

ANUAL E-mail (principal)


LEGAL Participantes Assistidos, Área de Comunicação
Prazo de até 30 dias, a Jornal Interno
Política de Investimentos CGPC nº 07, de Ativos, Vinculados e
contar da aprovação do Quadro de Avisos
04/12/2003 Vinculados Contribuintes
Conselho Deliberativo Site Área de Sistemas

Estatuto Palestras e
LEGAL Formalização da Apresentações (principal) Área de Comunicação
Regulamento
CGPC nº 23, de inscrição no Plano de Funcionários Ativos
Resumo do Plano Plantão de Atendimento
06/12/2006 Benefícios
Certificado Site Área de Sistemas

E-mail (principal)
Plantão de Atendimento
LEGAL Prazo de até 30 dias, a Participantes Assistidos, Quadro de Avisos
Alteração Estatutária e Área de Comunicação
CGPC nº 23, de contar da aprovação de Ativos, Vinculados e Jornal Interno
Regulamentar
06/12/2006 SPC Vinculados Contribuintes Palestras e
Apresentações
Site Área de Sistemas

LEGAL
Palestras e
Ambientação CGPC nº 23, de Sazonal Funcionários Ativos Área de Comunicação
Apresentações
06/12/2006

11
Anexo 1: Processo de Comunicação: Clientes
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável

LEGAL
IN SPC nº 5, de
Prazo de até 30 dias, a
09/12/2003 Correspondência via
Extrato de Desligamento contar do desligamento Participantes Desligados Área de Comunicação
IN SPC nº 6, de Correios
do Participante
30/10/2003
Regulamento (item 9.1)

Palestras e
Apresentações (principal)
Participantes Assistidos, Plantão de Atendimento Área de Comunicação
Plantão de Atendimento Espontâneo Sazonal Ativos, Vinculados e Quadro de Avisos
Vinculados Contribuintes Jornal Interno
E-mail
Site Área de Sistemas

LEGAL ANUAL Correspondência via


Informe de Contribuições Participantes
IN SRF nº 490, de Até o último dia útil de Correios (principal) Área de Comunicação
Anual Vinculados Contribuintes
10/01/2005 fevereiro E-mail

LEGAL ANUAL Correspondência via


Participantes Assistidos e
Informe de Rendimentos IN SRF nº 490, de Até o último dia útil de Correios (principal) Área de Comunicação
Desligados (resgate)
10/01/2005 fevereiro E-mail

LEGAL ANUAL E-mail (principal)


Alteração de % de Renda Regulamento (item no mês de Janeiro de Participante Assistidos Correspondência via Área de Comunicação
10.2.1.b) cada ano Correios

LEGAL Correspondência via


Declaração de Residência
IN SPC nº 22, de ANUAL Participantes Assistidos Correios (principal) Área de Comunicação
e Dependentes - DRD
19/07/1999 E-mail

12
Anexo 1: Processo de Comunicação: Clientes
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável
LEGAL Prazo de até 30 dias, a Participantes Assistidos,
Atender as solicitações de
CGPC nº 23, de contar do pedido do Ativos, Vinculados e E-mail (principal) Área de Comunicação
Participantes
06/12/2006 participantes Vinculados Contribuintes

LEGAL
Inst. SPC nº 14, de SEMESTRAL
18/01/2007 Até 31 de agosto
Relatório de Execução dos
Res. CMN nº 3.456, de (1ºsemestre) Conselho Fiscal E-mail (principal) Área de Investimentos
Planos de Enquadramento
01/06/2007 Até 28 de fevereiro
Res. CMN nº 3.558, de (2ºsemestre)
27/03/2008

LEGAL Correspondência via


Emissão e envio dos Lei nº 10.833/04 ANUAL Correios (principal)
Prestadores de Serviços
comprovantes de Lei nº 11.196, de Até o último dia do mês Área de Comunicação
Empregados da Entidade
reolhimento IRRF 21/11/2005 de fevereiro E-mail
IN SRF 288, de 24/01/2003

13
Anexo 2: Processo de Comunicação: Órgãos Governamentais
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável
LEGAL
CGPC nº 05, de MENSAL
Consultoria Contábil
30/01/2002 Até o último dia do mês Secretaria de Previdência Sistema de Informações
Balancetes mensais -
CGPC nº 10, de subseqüente ao de Complementar da SPC
Área Contábil
05/07/2002 referência
CGPC nº23, de 06/12/2006

MENSAL
Até o 5º dia útil do
DACON LEGAL segundo mês
Consultoria Contábil
Demonstrativo de IN SRF 590, de 22/12/2005 subseqüente ao de Secretaria de Receita Sistema de Informações
-
Apuração de IN SRF 708, de 09/01/2007 referência. Federal da SRF
Área Contábil
Contribuições Sociais SRF nº 833, de 20/03/2008 obs: somente para
PIS/COFINS maior de R$
10.000

MENSAL
DCTF
Até o 5º último do Consultoria Contábil
Declaração de LEGAL Secretaria de Receita Sistema de Informações
segundo mês -
Contribuições e Tributos IN SRF 786, de 19/11/2007 Federal da SRF
subseqüente ao fato Área Contábil
Federais
gerador

ANUAL
LEGAL Até 31 de março do Consultoria Contábil
Secretaria de Previdência Sistema de Informações
Demonstrações Contábeis CGPC nº 23, de exercício -
Complementar da SPC
06/12/2006 subseqüente ao de Área Contábil
referência

LEGAL ANUAL
DIPJ Consultoria Contábil
IN RFB 738, de 02/05/2007 Até o último dia útil de Secretaria de Receita Sistema de Informações
Declaração de Imposto de -
IN SRF 849 DOU de mês junho do exercício Federal da SRF
Pessoas Jurídicas Área Contábil
20/05/2008 subseqüente

14
Anexo 2: Processo de Comunicação: Órgãos Governamentais
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável
DIRF ANUAL Consultoria Contábil
LEGAL Secretaria de Receita Sistema de Informações
Declaração de Impostos Prazo estabelecido pela -
IN RFB 784, de 19/11/2007 Federal da SRF
Retidos na Fonte Receita Federal do Brasil Área Contábil

ANUAL
LEGAL Consultoria Contábil
Livro Diário Até 90 dias após o Cartório de Registro de
CGPC nº 10, de Pessoalmente -
(registro em cartório) encerramento do Títulos
05/07/2002 Área Contábil
exercício

LEGAL Aplícavel somente em Consultoria Contábil


Secretaria de Receita Sistema de Informações
PER/DCOMP IN RFB nº 900, de caso de erro no cálculo -
Federal da SRF
30/12/2008 de retenção de Impostos Área Contábil

SEMESTRAL
LEGAL Último dia de agosto Consultoria Atuarial
Benefícios Previstos e Secretaria de Previdência Sistema de Informações
MPS/SPC nº 24, de (1ºsem) -
População Abrangida Complementar da SPC
05/06/2008 Último dia de fevereiro Área Atuarial
(2ºsem)

LEGAL ANUAL
Consultoria Atuarial
LEI nº 11.053, de Até o último dia útil do Secretaria de Previdência Sistema de Informações
D-PREV -
29/12/2004 mês de julho do ano- Complementar da SPC
Área Atuarial
IN SRF 588, de 21/12/2008 calendário subseqüente

LEGAL
Port SPC nº 140, de
13/10/95 ANUAL
Port SPC nº 686, de Até 31 de março do Consultoria Atuarial
Secretaria de Previdência Sistema de Informações
DRAA 29/02/00 exercício -
Complementar da SPC
Port SPC nº 328, de subseqüente ao de Área Atuarial
24/02/2006 referência
CGPC nº 11, de
30/11/1995

15
Anexo 2: Processo de Comunicação: Órgãos Governamentais
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável
Consultoria de
LEGAL Até 24 horas da
Sistema de Informações Investimentos
Comunicação COAF IN 20, de 1º de fevereiro realização da COAF
do COAF -
de 2008 movimentação
Área de Investimentos

MENSAL
Até o 15º dia útil Consultoria de
LEGAL
Demonstrativo de subseqüente ao Secretaria de Previdência Sistema de Informações Investimentos
Inst. SPC nº 14, de
Investimentos prazo final de Complementar da SPC -
18/01/2007
encaminhamento Área de Investimentos
do balancete contábil

SEMESTRAL
Consultoria de
Divergências Não LEGAL Até 30 de setembro
Secretaria de Previdência Sistema de Informações Investimentos
Planejadas Inst. SPC nº 14, de (1ºsemestre)
Complementar da SPC -
DNP 18/01/2007 Até 31 de março
Área de Investimentos
(2ºsemestre)

Extratos de MENSAL Consultoria de


LEGAL
movimentação e de Até o 15º dia útil do mês Secretaria de Previdência Sistema de Informações Investimentos
Inst. SPC nº 19, de
estoques subseqüente a data de Complementar da SPC -
05/12/2007
diários de títulos públicos emissão do extrato Área de Investimentos

LEGAL ANUAL
Consultoria de
CGPC nº 07, de até 30 dias após a
Secretaria de Previdência Sistema de Informações Investimentos
Política de Investimentos 04/12/2003 aprovação
Complementar da SPC -
CGPC nº 22, de pelo Conselho
Área de Investimentos
25/09/2006 Deliberativo

16
Anexo 2: Processo de Comunicação: Órgãos Governamentais
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável
LEGAL
Inst. SPC nº 14, de SEMESTRAL
Consultoria de
18/01/2007 Até 30 de setembro
Relatório de Execução dos Secretaria de Previdência Sistema de Informações Investimentos
Res. CMN nº 3.456, de (1ºsemestre)
Planos de Enquadramento Complementar da SPC -
01/06/2007 Até 31 de março
Área de Investimentos
Res. CMN nº 3.558, de (2ºsemestre)
27/03/2008

ATOS NORMATIVOS LEGAL Consultoria Societária


Após aprovação do Secretaria de Previdência Sistema de Informações
Estatutos, Regulamentos, IN SPC nº 20, de -
Conselho Deliberativo Complementar da SPC
Planos,... 01/02/2008 Área Societária

LEGAL Até 20 dias da Consultoria Societária


Secretaria de Previdência Sistema de Informações
CNPB Inst. SPC nº 09, de aprovação, pela SPC, do -
Complementar da SPC
17/01/2006 Regulamento Área Societária

LEGAL Consultoria Societária


Informações Cadastrais Até 05 dias úteis após a Secretaria de Previdência Sistema de Informações
Inst. SPC nº 23, de -
dos Dirigentes data de posse Complementar da SPC
05/06/2008 Área Societária

MENSAL
Até o dia 07 do mês
CAGED
LEGAL subseqüente ao mês de
Cadastro Geral de Sistema de Informações Folha de Pagamento
Lei nº 4.923/65 regime competência Ministério do Trabalho
Empregados e do Ministério do Trabalho (Patrocinadora)
CLT obs: aplica-se para
Desempregados
alterações no quadro de
funcionários

17
Anexo 2: Processo de Comunicação: Órgãos Governamentais
Comunicação Tipo Periodicidade Público Alvo Canal de Comunicação Responsável
LEGAL
Lei nº 9528, de
10/12/19997
MENSAL
GFIP Decreto 2803, de
Até o dia 07 do mês Ministério de Previdência Sistema de Informações Folha de Pagamento
Guia de Recolhimento do 20/10/1998
subseqüente ao mês de Social MPS do MPS (Patrocinadora)
FGTS Circular CEF 321, de
competência
20/05/2004
IN SRF 09, de 24/11/2005
IN SRF 11, de 25/04/2006

LEGAL
Decreto nº 76.900, de
23/12/1975
Port MTE nº 500, de
RAIS 22/12/2005 ANUAL
Sistema de Informações Folha de Pagamento
Relação Anual de Port MTE nº 27, de Prazo estabelecido pelo Ministério do Trabalho
do Ministério do Trabalho (Patrocinadora)
Informações Sociais 16.03.2006 Ministério do Trabalho
Port MTE nº 205, de
21/12/2006
Porat MTE - 651, de
28/12/2007

18
8. DISPOSIÇÕES FINAIS

A implantação desta norma e suas futuras alterações será aprovada pelo Conselho
Deliberativo da Entidade.

A presente norma, depois de aprovado pelo Conselho Deliberativo, entrará em vigor em até
30 (trinta) dias após sua divulgação pela Entidade.

A norma deverá ser reavaliada anualmente e divulgada internamente a todos os


Conselheiros, Diretores e Colaboradores.

Os demais detalhamentos ou itens aqui não tratados poderão ser revistos em outras
normas ou procedimentos específicos se julgado necessário.

19