Você está na página 1de 6

AVC – AVALIAÇÃO CONTÍNUA

FOLHA DE RESPOSTA

Disciplina: Desenvolvimento e Aprendizagem - EAD


Disci

CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO NAS ATIVIDADES

A Avaliação Contínua (AVC) é uma atividade que compreende a elaboração de uma produção discursiva, podendo ser uma resenha,
estudo de caso ou resposta de uma pergunta. Esta avaliação vale até 3,00 pontos.

Atenção1: Serão consideradas para avaliação somente as atividades com status “enviado”. As atividades com status na forma de
“rascunho” não serão corrigidas. Lembre-se de clicar no botão “enviar”.

Atenção2: A atividade deve ser postada somente neste modelo de Folha de Respostas. Obrigatoriamente na versão Pdf.

Importante:
Sempre desenvolva textos com sua própria argumentação. Lembre-se de indicar quais foram as fontes de referência de
pesquisa. Nunca copie e cole informações da internet, de outro colega ou qualquer outra fonte como sendo sua produção, já
que essas situações caracterizam plágio e invalidam sua atividade.

CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES - DISCURSIVA

 Forma: 1,00 ponto


Linguagem e clareza: o texto deve estar correto quanto à ortografia, ao vocabulário e às terminologias, e as ideias devem ser
apresentadas de forma clara, com introdução, desenvolvimento e conclusão, sem incoerências. (1,00)

 Conteúdo: 2,00 pontos


Raciocínio: o trabalho deve seguir uma linha de raciocínio que se relacione com o material didático. (0,50)
Coerência: o trabalho deve responder às questões propostas pela atividade. (1,00)
Embasamento: a argumentação deve ser sustentada por ideias presentes no conteúdo da disciplina. (0,50)

Pontuação total da Avaliação Contínua (AVC) – 3,00 pontos

CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES - CÁLCULO

 Raciocínio: 1,50 Ponto


O trabalho deve seguir uma linha de raciocínio e coerência do início ao fim. O aluno deve colocar todo o desenvolvimento da
atividade até chegar ao resultado final.

 Resultado Final: 1,50 Ponto


A resolução do exercício deve levar ao resultado final correto.

Pontuação total da Avaliação Contínua (AVC) – 3,00 pontos

1
Resolução / Resposta
ANÁLISE DO FILME “A MAÇÔ SOB A ÓTICA PIAGETIANA

O filme “A maçã” conta a história de duas crianças, Massoumeh e Zahra, que


ficam presas em sua casa dos dois aos treze anos. Seus pais, uma mulher cega, e um senhor
pobre que recebe doações por orações, acham que deixando as meninas trancadas estariam
lhes protegendo dos perigos mundanos. Aos treze anos, as garotas não sabem falar, não
sabem interagir socialmente, não sabem escrever, e não tem coordenação psicomotora que
condiz à sua idade. Os vizinhos, ao ver que os pais mantinham as garotas em cárcere
privado, fazem um abaixo-assinado e enviam para a assistência social, que exige que as
meninas sejam reabilitadas ao convívio social. Ao voltarem, as garotas são ensinadas pelo
pai a cozinhar, limpar a casa, e finalmente descobrem, do seu jeito, cada pequeno detalhe
do mundo, fazendo suas primeiras amizades e apreciando coisas simples como brincar, se
admirar no espelho, e comprar um picolé.
A plasticidade cerebral é a capacidade que o cérebro tem de mudar ao longo da
vida. É a capacidade que os neurônios têm de se reorganizar estruturalmente e
funcionalmente quando estimulados. A neuroplasticidade é maior nos primeiros anos de
vida até a adolescência, e conforme envelhecemos o cérebro vai perdendo esta capacidade.
Quando a criança, na primeira infância, é bem estimulada, crescendo em um ambiente
lúdico com sons, cores e brinquedos interessantes, um ambiente com afeto, sendo desafiada
e bem nutrida, terá capacidade de se desenvolver muito bem, e caso estes pontos não sejam
satisfeitos, terá seu desenvolvimento de maneira atrasada, tendo problemas de
aprendizagem, fala e coordenação motora, tendo a idade mental menor que a cronológica.
A epistemologia genética é a teoria em que Piaget discorre que a evolução
humana tem origem biológica e é ativada pela ação e interação do ser humano com o meio
ambiente físico e social que o rodeia. Piaget estudou o desenvolvimento humano desde o
nascimento até a fase adulta. Na concepção piagetiana, a aquisição de conhecimento só
ocorre mediante a consolidação das estruturas de pensamento e, portanto, sempre se dá
após a consolidação do esquema que a suporta, da mesma forma a passagem de um estágio
a outro depende da consolidação e superação do anterior. Para Piaget, o desenvolvimento
ocorre de forma que as aquisições de um período sejam necessariamente integradas nos
períodos posteriores, e sua teoria depende de 4 elementos, sendo estes: a maturação do
sistema nervoso central; experiências físicas e lógico-matemáticas; a transmissão social e a

1
equilibração das estruturas cognitivas. Piaget também demarcou quatro fases de
desenvolvimento das crianças, sendo de 0 a 1 ½ ou 2 anos o período sensório-motor; de 1
½ ou 2 anos até 6 ou 7 anos o período pré-operatório; de 7 ou 8 anos até 11 ou 12 anos o
período operatório concreto; e de 11 ou 12 anos em diante o período operatório formal.
O interacionismo é uma teoria apresentada por Piaget, que leva em
consideração a influência do ambiente no desenvolvimento da criança, tendo a criança um
papel ativo interagindo com os estímulos do ambiente, e dando significados a eles. Nesta
teoria, Piaget destaca que a criança interage a todo o tempo com o ambiente, objetos e
pessoas. Estas interações propiciam o aprendizado da criança, fazendo-a construir novos
esquemas mentais quando exposta aos desafios. Nessa teoria, Piaget cita a assimilação e a
acomodação. A assimilação ocorre quando o objeto de estímulo pode ser facilmente
compreendido, porque ele é familiar. A criança apenas classifica o novo evento em um
esquema existente, em estruturas cognitivas já existentes. A criança, neste caso, apenas
amplia seus esquemas utilizando estruturas que já possui, sem destruí-los e sem a
necessidade da criação de novos esquemas. A acomodação acontece quando a criança não
consegue assimilar o estímulo a nenhum esquema existente, tendo que criar um novo
esquema, ou modificar o esquema existente, modificando ou criando uma estrutura
cognitiva. Sendo modificado ou criado um novo esquema, a criança tenta assimilar o novo
estímulo, e desta vez consegue.
No filme, Massoumeh e Zahra claramente têm um atraso mental, atém de
grande dificuldade de se comunicarem e grande falta de coordenação psicomotora, visto
que na etapa em que seus cérebros deveriam ter sido mais estimulados e desafiados, elas
estavam trancadas com sua mãe cega, e seu pai que claramente não as estimulava. Além
disso, as crianças estavam magras, provavelmente não tendo sido bem alimentadas devido à
pobreza da sua família. As crianças, mesmo tendo seu sistema nervoso central maduros,
não tiveram experiencias lógicas, ficando com sua motricidade e sua capacidade intelectual
prejudicadas, e nem participaram da etapa da transmissão social, pois estavam trancadas,
sempre em contato com o mesmo meio. Este meio ainda era desestimulante, não
favorecendo seu desenvolvimento, e nem tiveram equilibração, pois seu meio não era
desafiador, então não propiciava um pensamento cada vez mais complexo. O período em
que teriam maior facilidade de aprendizado, visto a facilidade da plasticidade cerebral, foi
perdido. Entre os dois e treze anos, que compreendem os períodos pré-operatório e
operatório concreto, é desenvolvido todo o pensamento lógico, é desenvolvida a linguagem,
a formulação do pensamento, a coordenação motora, a comunicação, e a criança situa o seu

1
“eu” no mundo. Sem a interação com o meio ambiente e sem a interação social,
Massoumeh e Zahra têm um retardo mental, causado pelos onze anos mantidas em cárcere
privado. Com poucos esquemas cognitivos formados, apenas ao serem libertadas, elas
acomodarão novos esquemas mentais, e assimilarão novos conhecimentos, visto que serão
expostas a uma infinidade de estímulos, tanto sociais quando ambientais, de que estavam
privadas.
Depois de soltas, com o auxílio correto, Massoumeh e Zahra ainda podem se
desenvolver e tentar equiparar a sua idade mental à cronológica, porém com certeza com
grande dificuldade, visto que não desenvolveram a neuroplasticidade na fase em que teriam
maior facilidade, e perderam as fases de desenvolvimento naturais, estando aos treze anos
ainda no estágio de desenvolvimento pré-operatório. O filme mostra a importância de a
criança passar corretamente por todos os estágios de desenvolvimento, e de ser
corretamente estimulada pelo ambiente e pela sociedade em que vive, e o desastre que pode
ser a vida da criança caso isso não aconteça, acarretando consequências graves para o resto
da vida.

1
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

A maçã. Youtube. Direção de Samira Makhmalbaf. Irã. 1999. 126 min. Disponível em
<https://www.youtube. com/watch?v=buhLlfTVPw>I. Acesso em 30 de abril de 2019.

DIREITO À Palavra - Plasticidade Cerebral. TVPUC. Youtube. 2 de novembro de 2017.


28min14s. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=oqSNcgRaPIg>. Acesso
em 30 de abril de 2019.

A Plasticidade Cerebral | Adriana Foz. Casa do Saber. Youtube. 10 de novembro de 2016.


5min59s. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=TJdn4QjFYi8>. Acesso em
30 de abril de 2019.

Piaget (2): Equilibração Majorante - Assimilação E Acomodação. Didatics. Youtube. 18 de


julho de 2017. 8min1s. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=TL-
_LCvtaPg>. Acesso em 30 de abril de 2019.

Pensadores na Educação: Jean Piaget. Instituto NET Claro Embratel. Youtube. 16 de


janeiro de 2018. 12min35s. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=
MwKEO2pkLP8>. Acesso em 30 de abril de 2019.

Portal Educação. Teoria de Piaget. Disponível em: <https://www.portaleducacao.com.


br/conteudo/artigos/esporte/teoria-de-piaget/45255>. Acesso em 30 de abril de 2019.

FERREIRA, Natália. Teoria Interacionista: cognitivismo de Piaget. Disponível em:


<http://amigadapedagogia.blogspot.com/2010/08/teoria-interacionista-cognitivismo-
de.html>. Acesso em 30 de abril de 2019.

TEIXEIRA, Hélio. O que é epistemologia genética? Disponível em: <http://www


.helioteixeira.org/ciencias-da-aprendizagem/o-que-e-epistemologia-genetica/>. Acesso em
30 de abril de 2019.

1
NITZKE, J. A.; CAMPOS, M. B.; LIMA, M. F. P. Teoria de Piaget. Disponível em:
<http://penta.ufrgs.br/~marcia/teopiag.htm#assimi/>. Acesso em 30 de abril de 2019.

SOBRINHO, Marcos Fernandes. Resenha: A Teoria do Desenvolvimento Cognitivo de


Piaget. Disponível em: <https://meuartigo.brasilescola.uol.com. br/educacao/resenha-
teoria-desenvolvimento-cognitivo-piaget.htm>. Acesso em 30 de abril de 2019.