Você está na página 1de 2

PALAVRA DE CÉLULA

IBN MONTE SIÃO UMA IGREJA EM CÉLULA


PATERNIDADE E MATERNIDADE

Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus
discípulos. João 15.8

MEDITAÇÃO NA PALAVRA: I Samuel 1.1-28

INTRODUÇÃO:

Todas as vezes que Deus começou ele disse a mesma coisa: “sede fecundos, multiplicai
e enchei a terra”. Mas hoje Deus quer levantar entre nós, homens e mulheres que têm
o coração para exercer a paternidade tanto natural quanto espiritual. E nós vamos usar
como ilustração a história de uma mulher que teve uma experiência muito forte com
Deus em relação à maternidade. Nós vamos falar de Ana, a mãe de Samuel.

I – PRECISAMOS NOS POSICIONAR:

Mas, Ana posicionou-se e buscou a Deus intensamente e recebeu dele o milagre. Por
causa do seu posicionamento. Vamos às atitudes de Ana que demonstram o seu
posicionamento:

a) Inconformismos: (I Sm 1.15): O inconformismo de Ana era um reflexo do coração de


Deus em relação à condição espiritual de Israel. A paternidade não pode ser apenas
um desejo do coração de Deus, precisa ser também um desejo do nosso coração.

• Toda vez que houver inconformismo no seu coração, é Deus querendo leva-lo a
desejar o que está no coração dele. Deus está nos levantando como pais e mães e
espirituais de uma multidão de órfão!

b) Ação: (1 Sm 1:7); (I Sm 1.19): Ana não ficou passiva diante da sua esterilidade. Não!
Ela se levantou, preparou o seu sacrifício, subiu a Siló, ofereceu ações de graças. Ou
seja, o que estava ao seu alcance fazer, ele fez!

• Temos que nos levantar e propositadamente decidir acolher, adotar e nos tornar pais
e mães daqueles que estão órfãos espiritualmente. A paternidade exige de nós essa
ação.

c) Oração: 1 Sm 1.12a Ana orava constantemente sobre o mesmo assunto e de vez em


quando ela demorava mais ainda em sua oração. Ela perseverou em oração. A
paternidade exige de nós mais dependência de Deus. Mais oração ao Senhor. (I Sm
1.11a)

d) Consagração: 1 Sm 1.11 Ana consagrou Samuel a Deus antes mesmo de recebe-lo. A


princípio Ana queria ter um filho para ela porque se sentia mal diante das pessoas.
Mas à medida que ela buscou ao Senhor, decidiu pedir um filho para entregar a Ele.
Deus só lhe concedeu o que pediu depois que Ana deu a Deus o que Ele desejava, o
seu filho. O Senhor só libera a benção quando você entrega tudo a Ele.

II – PRECISAMOS INVESTIR:

Verdadeiros pais espirituais também investem na vida dos seus filhos espirituais. O
apóstolo Paulo diz que não são os filhos que acumulam para os pais, mas os pais para
PALAVRA DE CÉLULA
IBN MONTE SIÃO UMA IGREJA EM CÉLULA
os filhos. Portanto, temos que ter disposição de investir nos filhos que nos são
confiados por Deus. E como podemos fazer isso?

a) Investimos quando integramos os filhos na vida da igreja: (v. 24). Mesmo Samuel
sendo consagrado a Deus antes de nascer, ele precisou ser integrado na vida da igreja
daquela época. Cada mãe e pai precisa ser um instrumento nas mãos de Deus para
conduzir seus filhos a Deus, integrando-os a uma célula e nos cultos.

b) Investimos quando nos sacrificamos pelos filhos: 1 Sm 1:21, 22: Depois que Samuel
nasceu Ana sacrificou-se abrindo mão de desejos legítimos para dar a Samuel os
cuidados que ele precisava naquele momento.

• Se queremos que eles voem alto, que eles cheguem longe, precisamos estar
dispostos a sacrificar a nós mesmos para investir na vida deles. O verdadeiro coração
paterno se sacrifica pelos filhos.

c) Investimos quando apascentamos: 1 Samuel 1.22,23, 24: Ana disse que precisava
fazer duas coisas em relação a Samuel: amamenta-lo e apresenta-lo. Nosso trabalho é
duplo. Preparamos nossos filhos ensinando-lhes a Palavra, depois o enviamos para
servir ao Senhor, quando eles passam a liderar células por exemplo. Deus tem nos
dado um coração paterno!

III – A PATERNIDADE CELEBRA OS FILHOS:

No capítulo 2 de I Samuel encontramos o cântico de Ana depois que Samuel nasceu.


Ana estava tão feliz, que fez um cântico para celebrar o nascimento do filho tão
esperado. E o que nós podemos aprender com o cântico de Ana? Porque Ana
celebrou? I Samuel 2.1

a) Porque filhos trazem alegria: A gente sabe que filho dá trabalho, exige renúncia,
sacrifício, mas filhos também dá muita alegria. E nós podemos perceber essa alegria
em Ana, quando com o coração grato começa a louvar ao Senhor. Você precisa
redescobrir a alegria de gerar filhos para Deus!

b) Porque filhos trazem glória ao Senhor: (I Sm 2.1a): Quando foi entregar Samuel, Ana
disse que estava apenas devolvendo ao Senhor. Isso mostra que ela não o considerou
como sendo seu, mas de Deus e para a sua gloria.

c) Porque filhos envergonham o inimigo: (I Sm 2.1b). Enquanto estamos gerando e


preparando nossos discípulos nós enfrenamos muitas resistências, e o diabo não
poupa esforços para nos desmotivar. Mas depois, quando vemos os frutos, nossas
lágrimas se transformam em riso. É por isso que temos de celebrar, para desmascarar
nosso inimigo.

d) Porque filhos garantem a continuidade da obra: (I Sm 19.18,19): A entrega de


Samuel foi benção para toda a nação. Com ele, teve início um grande mover de Deus
naqueles dias: o ministério profético de Samuel, que trouxe arrependimento a toda a
nação de Israel. Existe uma geração órfã de pai e mãe nesses dias e Deus quer levantar
entre nós homens e mulheres dispostos a exercer a paternidade. Onde estão aqueles
que querem se levantar para exercer a paternidade nesse tempo?