Você está na página 1de 5

Penal I – Classificação dos Delitos Fabíola Kocemba

C) DELITO DE MÃO PRÓPRIA


1. QUANTO AO BEM JURÍDICO
 Entende-se como aquele que só pode ser
A) DELITO UNIOFENSIVO
cometido pelo autor em pessoa e de forma direta;
 Lesa somente um bem jurídico;  Exemplos:
 Exemplos: - art. 123 – infanticídio;
- art. 121 – homicídio; - art. 342 – falso testemunho ou falsa perícia;
- art. 129 – lesão corporal; - arts. 66, 67, Lei 9.605/1998;
- art. 155 – furto; - arts. 187, 188 – deserção – CPM – Decreto-lei
1.001/1969;
B) DELITO PLURIOFENSIVO
D) DELITO DE CONCURSO NECESSÁRIO
 Lesa mais de um bem jurídico;
 Exemplos:  Exige o tipo legal para sua configuração a
- art. 157 – roubo; presença de duas ou mais pessoas;
- art. 199 – atentado contra a liberdade de  Exemplos:
associação; - art. 137 – rixa;
- art. 329 – resistência. - art. 235 – bigamia;
- art. 288 – associação criminosa;
2. QUANTO AO SUJEITO - art. 354 – motim de presos.
A) DELITO COMUM
3. QUANTO À CONDUTA
 O sujeito ativo é indeterminado, podendo ser
A) DELITO COMISSIVO
pratica por qualquer pessoa;
 Exemplos:  Satisfaz-se com o simples agir – atividade positiva;
- art. 121 – homicídio;  Exemplos:
- art. 155 – furto; - art. 121 – homicídio;
- art. 157 – roubo; - art. 129 – lesão corporal;
- art 171 – estelionato. - art. 155 – furto;
- art. 171 – estelionato;
B) DELITO ESPECIAL - arts. 41, 50, Lei 9.605/1998.
 O tipo legal circunscreve os possíveis autores, em
B) DELITOS OMISSIVOS
razão de certa qualidade pessoal;
 Exemplos:  Próprios: consuma-se com a omissão de uma
- art. 123 – infanticídio; atividade legalmente exigida. Apresenta
- art. 312 – peculato; similitude com o delito de mera atividade no
- art. 316 – concussão; particular aspecto de que ambos não exigem um
- art. 317 – corrupção passiva; resultado natural para o perfazimento do tipo
- art. 319 – prevaricação ; objetivo;
- art. 320 – condescendência criminosa;  Exemplos:
- art. 342 – falso testemunho ou falsa perícia. - art. 135 – omissão de socorro;
 O delito especial se divide em: próprio (o tipo - art. 244 – abando material;
exige como autor apenas determinadas pessoas, - art. 246 – abandono intelectual;
especialmente caracterizadas) e impróprio (pode - art. 359-F – não cancelamento de restos a pagar;
ser praticado por qualquer pessoa. Todavia, a - arts. 69, 73, 74, Lei 8.078/1990.
autoria quando qualificada implica agravação de  Impróprios: omissivo impróprio ou comissivo por
pena (ex.: arts. 311, §1º e 2º); omissão – há um resultado causado por uma
omissão do autor (delito de resultado, que tinha
Penal I – Classificação dos Delitos Fabíola Kocemba
nas circunstâncias o dever de impedi-lo, pois - art. 180 – receptação;
ocupava posição de garante (art. 13, §2º, CP) – - art. 217-A – estupro de vulnerável;
omissão relevante). A omissão, nos delitos - art. 218-A – satisfação de lascívia mediante
omissivos impróprios, é equivalente à ação (ex.: presença de criança ou adolescente;
mão que deixa propositalmente de alimentar o - arts. 40, 64, 65, Lei 9.605/1998);
filho menor, produzindo-lhe a morte).  Há duas teorias que tratam do conceito de
resultado: 1) teoria naturalística: resultado vem a
4. QUANTO À UNIDADE OU PLURALIDADE DE ser o efeito natural da conduta previsto no tipo,
AÇÕES
ligado pelo nexo de causalidade. Admite a
A) DELITO DE AÇÃO ÚNICA distinção entre delitos de resultado e delitos de
mera atividade; 2) teoria jurídica: resultado é o
 O tipo contém apenas uma forma de conduta; efeito da conduta que lesa ou põe em perigo o
 Exemplos: objeto protegido pela norma penal, O resultado
- art. 121 – homicídio; (jurídico) está presente em todos os delitos. Esta
- art. 129 – lesão corporal; última não é a melhor concepção, visto que
- art. 359-D – ordenação de despesa não confunde resultado com desvalor do resultado.
autorizada;
- art. 3º, Lei 7.492/1986. B) DELITO DE MERA ATIVIDADE OU CONDUTA

B) DELITO DE AÇÃO MÚLTIPLA (OU DE CONTEÚDO  O comportamento exaure o conteúdo do tipo


VARIADO) legal, isto é, a sua simples realização consuma o
delito. Esta espécie delitiva carece do resultado
 Refere-se o tipo a várias modalidades de conduta, como elemento do tipo objetivo (natural ou
mais, ainda que perpetrada mais de uma, tem-se material), e também no nexo causal;
apenas um único delito;  Exemplos:
 Exemplos: - art. 140 – injúria;
- art. 122 – induzimento, instigação ou auxílio ao - art. 147 – ameaça;
suicídio; - art. 150 – violação de domicílio;
- art. 136 – maus tratos - art. 153 – violação de segredo;
- art. 150 – violação de domicílio; - art. 216-A – assédio sexual;
- art. 161 – alteração de limites; - art. 233 – ato obsceno;
- art. 163 – dano; - art. 269 – omissão de notificação de doença;
- art. 211 – contrabando ou descaminho; - art. 319 – prevaricação;
- art. 359-H – oferta pública ou colocação de - art. 333 – corrupção ativa;
títulos no mercado; - arts. 52, 68, Lei 9.605/1998;
- art. 11, Lei 7.492/1986. - art. 70, Lei 8.078/1990

5. QUANTO AO RESULTADO C) DELITO DE RESULTADO CORTADO

A) DELITO DE RESULTADO  Consiste na realização de um ato visando a


produção de determinado efeito que fica fora do
 O tipo legal prevê um resultado típico, natural ou
tipo e sem a intervenção do autor;
material, vinculado à conduta pelo nexo causal;
 Exemplos:
 Exemplos:
- art. 131 – perigo de contágio de moléstia grave;
- art. 121 – homicídio;
- art. 134 – exposição ou abandono de recém-
- art. 123 – infanticídio;
nascido;
- art. 125 – aborto provocado por terceiro;
- art. 159 – extorsão mediante sequestro;
- art. 129 – lesão corporal;
- art. 171 – estelionato;
- art. 179 – fraude à execução;
Penal I – Classificação dos Delitos Fabíola Kocemba
D) DELITO MUTILADO DE DOIS ATOS OU VÁRIOS de espécie de delito de resultado, em que o bem
ATOS jurídico sobre um perigo real de lesão;
 Exemplos:
 Consuma-se quando o autor realiza o primeiro ato
- art. 134 – exposição ou abandono de recém-
com o objetivo de praticar o segundo ou os
nascido;
demais. O autor quer alcançar, após ter realizado
- art. 136 – maus tratos;
o tipo, um objetivo que fica fora dele;
- art. 250 – incêndio;
 Exemplos:
- art. 251 – explosão;
- art. 289 – moeda falsa;
- art. 154 – inundação;
- art. 290 – crimes assimilados ao de moeda falsa;
- arts. 42, 60, 61, Lei 9.605/1998;
- art. 273 – falsificação, corrupção, adulteração ou
- art. 70, Lei 8.078/1990;
alteração de produto destinado a fins
 Delito de perigo abstrato: o perigo constitui
terapêuticos ou medicinais.
unicamente a ratio legis, o motivo que dá lugar à
E) DELITO QUALIFICADO PELO RESULTADO vedação legal de determinada conduta.
Apreciável exante, o perigo é inerente à ação ou
 Conjuga o dolo – no antecedente – e a culpa – no omissão, não necessitando de comprovação;
consequente (art. 129. §3º - lesão corporal  Exemplos:
seguida de morte) ou a culpa – no antecedente – - art. 135 – omissão de socorro;
e o dolo – no consequente (art. 121, §4º - - art. 253 – fabrico, fornecimento, aquisição,
homicídio culposo), estabelecendo a lei uma posse ou transporte de explosivos ou gás tóxico,
agravação de pena para o resultado mais grave ou asfixiante;
causado no mínimo por culpa (art. 19, CP). - art. 283 – charlatanismo.
- art. 284 – curandeirismo;
6. QUANTO À MATERIALIDADE
- art. 286 – incitação ao crime;
A) DELITO DE LESÃO - art. 288 – associação criminosa;
- art. 25, Lei 11.105/2005.
 A conduta delitiva provoca um dano concreto ou
material. Trata-se de uma especificação do delito 7. QUANTO À CONSUMAÇÃO
de resultado;
A) DELITO PERMANENTE
 Exemplos:
- art. 121 – homicídio;  O momento consumativo se prolonga no tempo;
- art. 123 – infanticídio;  Exemplos:
- art. 129 – lesão corporal; - art. 148 – sequestro e cárcere privado;
- art. 155 – furto; - art. 149 – redução à condição análoga à de
- art. 158 – extorsão; escravo;
- art. 163 – dano; - art. 159 – extorsão mediante sequestro;
- art. 168 – apropriação indébita; - art. 229 – estabelecimento para a exploração
- art. 171 – estelionato; sexual;
- art. 217-A – estupro de vulnerável. - art. 230 – rufianismo;
- art. 244 – abandono material;
B) DELITOS DE PERIGO
- art. 288 – associação criminosa.
 Basta a existência de uma situação de perigo –
lesão potencial; B) DELITO INSTANTÂNEO

 Dividem-se em: delito de perigo concreto: o  Consuma-se em um único instante ou momento


perigo integra o tipo como elemento normativo, determinado;
de modo que o delito só se consuma com a sua  Exemplos:
real ocorrência para o bem jurídico, isto é, o - art. 138 – calúnia;
perigo dever efetivamente comprovado. Trata-se
Penal I – Classificação dos Delitos Fabíola Kocemba
- 129 – lesão corporal; - art. 39, Lei 9.605/1998;
- art. 140 injúria;
- art. 146 – constrangimento ilegal; C) DELITO HABITUAL
- art. 157 – roubo;  É o que contém comportamentos idênticos e
- art. 171 – estelionato; repetidos, que só se perfazem em decorrência de
- art. 206 – aliciamento para o fim de emigração; uma ação reiterada;
- art. 216-A – assédio sexual;  Exemplos:
- art. 217-A – estupro de vulnerável. - art. 229 – estabelecimento para a exploração
sexual;
C) DELITO INSTANTÂNEO DE EFEITOS
PERMANENTES
- art. 230 – rufianismo;
- 282 – exercício ilegal da medicina, arte dentária
 Se consuma em um momento determinado, ou farmacêutica;
porém o resultado é duradouro e perdura no - 284 – curandeirismo
tempo;
 Exemplos: 9. QUANTO AO MODO DE EXECUÇÃO
- art. 121 – homicídio;
A) DE FORMA LIVRE
- art. 155 – furto;
- art. 235 – bigamia;  Admite qualquer meio de execução;
- art. 241 – registro de nascimento inexistente;  Exemplos:
- art. 244 – abandono material - art. 121 – homicídio;
- art. 129 – lesão corporal;
8. QUANTO AOS ATOS QUE COMPÕEM A FASE DE - art. 250 – incêndio;
EXECUÇÃO
- art. 63, Lei 9.605/1998.
A) DELITO UNISSUBSISTENTE
B) DE FORMA VINCULADA
 Consuma-se com a prática de um só ato, a fase de
 O tipo penal circunscreve os possíveis modos de
execução não pode ser fracionada em diversos
execução da conduta delitiva, ou seja, há
atos;
indicação expressa dos possíveis meios/modos de
 Exemplos:
execução;
- art. 130 – perigo de contágio venéreo;
 Exemplos:
- art. 154 – violação do segredo profissional;
- art. 284 – curandeirismo;
- art. 212 – vilipêndio a cadáver;
- art. 337-A;
- art. 71, Lei 8.078/1990
- art. 260;
B) DELITO PLURISSUBSISTENTE - arts. 42, 52, Lei 9.605/1998;
- art. 71, Lei 8.078/1990.
 O processo executivo pode ser fracionado em
etapas, já que é formado por diversos atos; 10. QUANTO À RELAÇÃO COM OS DEMAIS TIPOS
 Exemplos: DELITIVOS
- art. 121 – homicídio;
A) DELITO SUBSIDIÁRIO
- art. 123 – infanticídio;
- art. 124 – aborto provocado pela gestante ou  Verifica-se na inexistência de crime mais grave;
com seu consentimento;  Exemplos:
- art. 129 – lesões corporais; - art. 132 – perigo para a vida ou saúde de outrem;
- art. 137 – rixa; - art. 133 – abandono de incapaz;
- art. 157 – roubo; - art. 146 – constrangimento ilegal;
- art. 158 – extorsão; - art. 147 – ameaça;
- art. 168 – apropriação indébita; - art. 237 – conhecimento prévio de impedimento;
Penal I – Classificação dos Delitos Fabíola Kocemba
- art. 307 – falsa identidade;
- art 347 – fraude processual.

B) DELITO COMPLEXO

 É a reunião de condutas distintas que a lei


disciplina como uma só. Os seus elementos
constitutivos ou circunstâncias agravantes
representam de per si um outro crime, sendo seus
componentes expressamente descritos;
 Exemplos:
- art. 146 – constrangimento ilegal;
- art. 157 – roubo;
- art. 157, §3º - roubo qualificado;
- art. 158 – extorsão;
- art. 159 – extorsão mediante sequestro;
- art. 198 – atentado contra a liberdade de
contrato;
- art. 199 – atentado contra a liberdade de
associação;
- art. 329 – resistência;

C) DELITO PROGRESSIVO OU DE PASSAGEM

 Consiste na prática de atos de gravidade


ascendente contra um mesmo bem jurídico.
Passa-se do menos grave ao mais grave, por isso a
prática do delito de maior gravidade compreende
o de menor, sendo que este último está implícito
na execução daquele;
 Exemplos:
- arts. 129 e 121 – o delito de lesão corporal em
relação ao homicídio ou à lesão grave;
- arts. 148 e 149 – sequestro e redução a condição
análoga à de escravo;
- art. 235 – bigamia;
- art. 304 – uso de documento falso.