Você está na página 1de 2

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

GABINETE de APOIO
ao Deputado MENDES BOTA
Eleito em representação da Região do Algarve
Palácio de S. Bento 1249-068 Lisboa
Telef: 213 919 277 Mail: mendesbota@psd.parlamento.pt
Sítio electrónico: www.mendesbota.com

COMUNICADO Nº 7/XI

AGÊNCIA LUSA FAZ FALTA NO ALGARVE

O deputado Mendes Bota está preocupado com a possibilidade de encerramento da


delegação da Agência Lusa, no Algarve, aliás, na sequência do abandono de estruturas
do próprio Estado, e do recuo de delegações de órgãos de comunicação social privados
com representação na região.

As delegações de Évora e de Coimbra poderiam também cair, no âmbito de uma


estruturação interna da Agência Lusa, que estará a ser ponderada.

Mendes Bota questionou hoje o Ministro dos Assuntos Parlamentares sobre esta
questão, para saber se confirma ou não esta intenção. Eis o texto integral das Perguntas
hoje dirigidas ao Governo.

“A Agência Lusa faz parte do universo do sector empresarial do Estado, e tem


obrigações de serviço público vertidas nos seus estatutos e objectivos estratégicos, que
são a sua razão de ser e de existir.
Entre essas atribuições, a Agência Lusa tem particulares responsabilidades no
acompanhamento informativo do desenvolvimento regional e local, e mesmo na
promoção da coesão nacional.
Entre aquilo que se auto-propôs, a Agência Lusa obrigou-se a manter “delegações,
delegados ou correspondentes em todos os distritos”. Ao nível do continente, a Agência
Lusa apenas tem mantido delegações no Porto, Coimbra, Évora e Faro, fora de sede de
Lisboa.
Existem sérios motivos para acreditar que a Agência Lusa se prepara para encerrar a
delegação do Algarve, e que considera mesmo a hipótese de fazer o mesmo em Évora e
em Coimbra.
A acontecer, esta seria uma medida, eventualmente economicista, mas que mais
reforçaria ainda o movimento centralista que tem concentrado em Lisboa os serviços
públicos dependentes do Estado ou por ele tutelados. É difícil de acreditar que este
abandono, que tem tanto de físico como de simbólico, esteja a ser equacionado.
O Algarve tem sido, nos últimos anos, altamente penalizado com o encerramento de
serviços, e o seu acantonamento fora da região, mais longe da realidade e da população
da região.
Não é aceitável que, em nome da necessidade de acompanhar os tempos, e da
reconversão para o novo mundo das tecnologias da informação, que a agência pública
de comunicação portuguesa multiplique a abertura de delegações no exterior, e venha a

1
ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

proceder ao encerramento de delegações no território português. Poderá fazê-lo, e ter a


bênção do Governo, mas não passará sem um forte protesto deste deputado algarvio e
regionalista.
Já não nos bastava que, ao nível da comunicação social privada, o jornal Público tenha
encerrado a sua delegação, e as delegações do Diário de Notícias ou da TSF funcionem
abaixo dos mínimos exigidos para uma cobertura informativa adequada do Algarve.

Assim, ao abrigo do arsenal de disposições constitucionais, legais e regimentais em


vigor, requeiro a V. Exa. se digne obter da Presidência do Conselho de Ministros,
designadamente, do Ministro dos Assuntos Parlamentares, resposta às seguintes
perguntas:

1- Confirma, ou não, a intenção da Agência Lusa, de encerrar a delegação do


Algarve?

2- Essa intenção está também prevista para as delegações de Coimbra e de Évora?

3- Em caso afirmativo, quais os argumentos que sustentam tal intenção?”

Assembleia da República, 18 de Janeiro de 2010

PELO GABINETE DE APOIO


MAFALDA TEIXEIRA
Telefone: 213 919 277

Avaliar