Você está na página 1de 33

BOLO, O NEGÓCIO - PLANEJAR E EMPREENDER

Conceito de Empreendedor:
“o empreendedor é um indivíduo capaz de pensar e agir de forma inovadora,
identificando e criando oportunidades, inspirando, renovando e liderando processos,
tornando possível o que parece impossível, entusiasmando pessoas, combatendo a
acomodação à rotina e assumindo riscos calculados em favor do lucro.”
Empreendedor e ser uma pessoa extraordinária?
Não! “empreendedores são pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias.”
Empreendedores não nascem prontos. É preciso construir-se um!”

Carlos Hilsdorf, autor dos best-sellers “Atitudes vencedoras” e


“51 atitudes essenciais para vencer na vida e na carreira”.
Business Model Canvas
Descrição
O Business Model Canvas ou "Quadro de modelo de negócios" é uma ferramenta de
gerenciamento estratégico, que permite desenvolver e esboçar modelos de negócio
novos ou existentes. É um mapa visual pré-formatado contendo nove blocos do modelo
de negócios. Wikipédia

1. Segmento de Clientes.
Para quem criamos valor? Quais são nossos clientes mais importantes? Quem
poderia comprar e ainda não compra?
2. Proposta de Valor.
Que valor proporciono ao meu cliente?
3. Canais (Distribuição e Comunicação).
Que meios preferem utilizar nosso segmento de mercado? (Ex Loja física, Virtual)
Como estabelecer contato com os clientes? (quais os canais de comunicação)
4. Relacionamento com clientes.
Que tipo de relacionamento que cada segmento de cliente espera ter para
estabelecer e manter sua preferencia? Quais as 3 principais coisas que seu
negócio faz que atendem as necessidades das pessoas? Qual é a solução que
você traz? (não existe um negócio que não resolva um problema. ” pessoas são
lembradas pelos problemas que elas criam e que elas resolvem”)
5. Receitas.
Porque valor os nossos clientes realmente estão dispostos a pagar? Como
gostariam de pagar?
6. Recursos Chave.
Que recursos físicos, humanos, intelectuais ou econômicos são essenciais?
Coisas Imprescindíveis?
7. Atividades Chave.
O que devemos Saber e fazer?
8. Parcerias Chave.
Quem são nossos parceiros e provedores fundamentais?
9. Custos.
Quais são os custos mais importantes do modelo de negocio (Recursos e
Atividades chaves)

VAMOS COMEÇAR DO INÍCIO DE TUDO


Onde eu estou?
Responda cada território dando notas de 0 a 5 (sendo 0 a menor nota e 5 a maior) para
o seu desempenho em cada um deles. Ao final de cada território, some as notas de
todos os itens do bloco.

Território 1
• Eu sei aonde eu quero chegar com o meu negócio? Nota:____
• A minha rotina está organizada? Nota:____
• Eu sei priorizar o que é mais importante? Nota____
• Eu sei pedir ajuda quando o negócio precisa? Nota: ____
Soma do território 1:_____

Território 2
• A estética dos meus produtos é boa? Nota: ____
• Eu sou uma boa vendedora? Nota: ____
• A comunicação do meu negócio está boa? Nota: ____
• Eu estou cuidando bem dos meus clientes? Nota: ____
Soma do território 2:_____

Território 3
• O que eu ganho hoje é justo pelo tanto que eu trabalho? Nota: ____
• Eu sei cobrar pelos meus produtos/serviços? Nota: ____
• Eu misturo minhas finanças pessoais com as finanças do meu negócio? Nota:
____
• Eu controlo bem meus custos? Nota: ____
Soma do território 3:_____

Território 4
• A matéria prima que eu uso é de qualidade? Nota: ____
• O resultado final do meu produto é de qualidade? Nota: ____
• Se a vigilância sanitária aparecesse na minha casa, que nota eles dariam (de 0
a 5)? Nota: ____
• Do ponto de vista da culinária, quão boa tecnicamente eu sou? Nota: ____
Soma do território 4:_____

RESULTADO:
Some as notas de cada bloco e anote:
• De 0 a 10 pontos: ATENÇÃO! Você deve tomar cuidado com essa área e se
empenhar mais para superar os obstáculos.
• De 10 a 15 pontos: ESTOU NO CAMINHO. Você está no caminho certo, mas ainda
pode melhorar.
• De 15 a 20 pontos: PARABÉNS. Você brilha nessa área.

Coloque os resultados abaixo:

Território 1: Área de planejamento e gestão. Resultado: _______


Território 2: Área de marketing e comunicação. Resultado: _______
Território 3: Área de finanças. Resultado: _______
Território 4: Produto. Resultado: _______

QUAL É O SEU PRINCIPAL DESAFIO?

Dicas: - Está ligado ao resultado do seu território - Tem que ser claro e específico - Resumir
em uma frase.

Exemplo ruim: Não consigo ganhar dinheiro com o meu negócio hoje, tenho dificuldade
em saber quanto cobrar e também não sei vender direito. (LAMENTAÇÃO)

Exemplo bom: Melhorar minha comunicação para encontrar clientes e vender mais.
(OBJETIVO)

VAMOS CONHECER MELHOR O SEU CLIENTE (1)

1. Segmento de Clientes.
Para quem criamos valor? Quais são nossos clientes mais importantes?
Quem poderia comprar e ainda não compra?

Como identificar:
Os clientes são o coração de qualquer Empresa. Sem clientes, nenhuma empresa pode
sobreviver por muito tempo. Para melhor satisfazer os clientes, uma empresa pode
agrupá-los em segmentos distintos, com necessidades comuns,
comportamentos comuns, ou outros atributos.

Um modelo de negócios pode definir um ou vários Segmentos de clientes, grandes ou


pequenos.
Uma organização deve fazer uma decisão consciente sobre quais segmentos a servir e
que segmentos deve ignorar. Uma vez que esta decisão é tomada, um modelo de
negócio pode ser cuidadosamente projetado em torno de um forte entendimento de
especificações do cliente e suas necessidades.
A famosa afirmativa “quem vende para todo mundo, não vende para ninguém” é
levada a sério no Business Model Canvas.

O que é persona ou avatar?


Juliana, mãe de dois meninos.
Débora, viciada em docinhos e café da tarde.
Arthur, o namorado dedicado.

Você sabe para qual dessas pessoas você quer vender seus doces, seu bolo seu
produto?
Pessoas tem gostos e preferências dos mais variados, cada uma tem uma história,
problemas, sonhos, objetivos…

Definir, ou melhor, identificar as personas do negócio do seu cliente é uma das principais
e primeiras atividades de um projeto de Inbound Marketing*. É a partir disso que todo o
trabalho se desdobra mais facilmente. Entende-se quem são aqueles que adquirem os
produtos/serviços da empresa para a qual você trabalha, como chegaram até ela, o que
os motivou, em quais canais estão presentes e como se comunicar com eles.

*Inbound marketing ou marketing de atração é uma forma de publicidade on-line na


qual uma empresa se promove através de blogs, podcasts, vídeo, e-Books, newsletters,
whitepapers, SEO e outras formas de marketing de conteúdo.

¿MAS, POR QUE PRECISAMOS DISSO?


Posso dizer que entender quem é a sua persona é essencial se você quer:
Criar conteúdo de qualidade que atraia e gere interesse dos seus seguidores e
prospectos (pessoas que ainda não compraram seus produtos e que são possíveis
clientes);
Desenvolver produtos e serviços que as pessoas realmente estejam buscando;
Se comunicar com seus clientes de forma certeira, de forma que eles sintam que te
conhecem a muito tempo;
E basicamente qualquer outra coisa que tenha a ver com aquisição e retenção de
clientes.
Para facilitar sempre que escrevermos ou falarmos com nossos clientes.
Você imagina a persona e escreve ou fala com ela! (Espécie de amigo imaginário rs).

Que Tipos de Dados Você Precisa Para Criar Personas?


Você pode criar Personas através de entrevistas com sua audiência, que inclui quem já
é seu cliente (se você já estiver no mercado) e pessoas que se encaixam no perfil que
você definiu como público alvo.
Quando for fazer essas entrevistas, é importante ter em mente que tipo de informação
vai ser relevante para você e seu negócio. Existem algumas categorias que são
importantes para deixar o perfil da persona o mais completo possível, que mudam de
acordo com o ramo.
Veja algumas ideias de perguntas para personas em gastronomia:
(Selecione entre 05 e 10 pessoas com o perfil., explique o motivo da conversa e convite)

Dados Demográficos
Qual o seu nome?
Qual a sua idade?
Tem filhos?
Qual seu estado civil?
Onde mora?

Informações Profissionais
Qual é sua profissão?
Em qual ramo você trabalha?
Para quem você responde e quem responde à você no trabalho?
Qual o tamanho da empresa que você trabalha?
Qual a sua média salarial?
Qual a sua formação? Que escolas você cursou? Porquê você escolheu estudar
esse ramo?

Informações Pessoais
Quais as suas responsabilidades em casa? E no trabalho?
O que significa ser bem-sucedido para você?
Você consome conteúdo de que tipo? Vídeo, texto, música?
Onde você consome esse conteúdo? Revistas, blogs, redes sociais?
Quais redes sociais você usa com mais frequência?
Qual o seu papel em casa?
Como é o seu dia normal? Corrido? Tranquilo?
O que costuma fazer quando está de folga?
O que você costuma comprar quando vai presentear alguém especial?
Qual seu maior medo?
Qual seu maior sonho?
Em que aparelho você costuma acessar a internet?

Preferências de Compra
O que você espera quando consome meu produto? (Você pode formular assim
também: O que você espera quando consome brigadeiros?)
Você costuma usar a internet para pesquisar antes de comprar algo? Se sim,
como você busca essa informação?
Como você prefere interagir com uma loja (email, telefone, pessoalmente, redes
sociais)?
O que faz você querer consumir meus produtos?
Descreva sua última compra. Porque você considerou comprar, qual foi o
processo de avaliação para comprar o produto ou serviço?

Com essas perguntas, você vai mapear e entender os comportamentos e atitudes dos
seus potenciais clientes.

Outras sugestões de roteiro:


Pergunte o que ele achou do negócio.
Já conhece ou ouviu falar em algo parecido?
O que mais gostou e o que não gostou?
O que esse negócio resolveria na sua vida?
Como você contaria sobre esse negócio para um amigo?
No que exatamente o(a) [empresa/produto] te ajudou?
Quais foram suas reais motivações ao procurar o(a) [empresa/produto]?
Como você estava antes de procurar o(a) [empresa/produto]?
No que exatamente o(a) [empresa/produto] te ajudou?
Existe alguém que influenciou em sua decisão por procurar pelo(a)
{empresa/produto}?
Se você pudesse mudar 3 coisas nesse negócio, quais seriam?

Importante: essas perguntas compõem um template/guia. É necessário,


logicamente, realizar algumas adaptações e moldá-las de acordo com as
especificidades de cada produto, empresa ou forma de contratação do
produto ou serviço. Assim, sugiro adequar sempre as perguntas para melhor se
encaixarem no contexto do seu cliente.

Com 5 pessoas você já consegue dados interessantes para montar uma persona.

Aqui algumas ideias de onde começar:

Se você já tem clientes esse é um ótimo lugar para se começar. Olhe para os dados
que você coleta deles (ou colete do zero) e tente descobrir tendências de como eles
encontraram e consumiram seu produto

Entreviste clientes e prospectos, seja pessoalmente, por telefone ou pela internet, para
descobrir detalhes sobre o gosto deles em relação ao produto ou serviço que você
oferece

Se você está começando, você não deve ter clientes e nem prospectos. Uma boa dica
é procurar em grupos nas redes sociais e fazer entrevistas lá. Explique que está
começando um negócio e ofereça algum benefício para o entrevistado (ofereça uma
amostra do produto que você vai comercializar e enquanto a pessoa experimenta você
pergunta se ela poderia responder algumas perguntas)

É importante deixar claro para o entrevistado que não se trata de vendas. Quando as
pessoas pensam que alguém está tentando vender algo para elas, automaticamente
elas levantam um bloqueio e inventam uma desculpa.

SUGESTÕES DA CARACTERÍSTICAS

Como ela é?

❑ Extrovertida ❑ Consumista ❑ Tímida ❑ Econômica


❑ Come o que tem vontade ❑ Jovem ❑ Preocupada com saúde
❑ Mãe ❑ Não trabalha ❑ 45+
❑ Trabalha ❑ 45-

Quais são suas carências?


❑Tempo ❑Dinheiro ❑ Habilidade ❑ Prazer ❑Oferta nas
proximidades
O que ela busca para resolver suas carências?
❑Praticidade ❑Pagar menos ❑ Aprender ❑ Satisfação ❑Conveniência

Exemplo da persona da Confeitaria da Iara:


Como ela é?
✓ Extrovertida
✓ Come o que tem vontade
✓ Trabalha
✓ Mãe
✓ Econômica
✓ Dá valor ao artesanal

Quais são suas carências?


✓ Dinheiro.
✓ Oferta nas proximidades

O que ela busca para resolver suas carências?


✓ Bom custo x benefício
✓ Conveniência

Continue criando uma história pra ela... (o Instagram ajuda a conhecer o seu público
com enquetes)

2. Proposta de Valor.
Que valor proporciono a nossos clientes?
Que problemas de nossos clientes estão solucionados?
(pessoas serão lembradas pelos problemas que elas criam e que elas resolvem).

Aqui vamos descreve o conjunto de produtos e serviços que criam valor para um
segmente de mercado especifico. A proposta de valor é o fator que faz que um cliente
escolha entre uma e outra empresa. sua finalidade é solucionar um problema o
satisfazer uma necessidade do cliente. As propostas de valor são um conjunto de
produtos ou serviços que satisfazem as necessidades de um segmento de mercado
determinado. Neste sentido, a proposta de valor constitui uma serie de vantagens que
uma empresa oferece aos clientes.
Essa reflexão também é fundamental para que você analise seus diferenciais frente a
seus concorrentes.

Algumas propostas de valor podem ser inovadoras e outras podem ser parecidas a
ofertas já existentes.
Perguntas Chaves.

1. Qual é a nossa proposta de valor que nós entregamos para o cliente?

2. Que problemas de nossos clientes estamos ajudando resolver?


3. Quais são as necessidades que estamos satisfazendo?

4. Que pacotes de produtos e serviços que estamos oferecendo para cada


segmento de clientes?

A Proposta de Valor cria diferenciais para um segmento de clientes através de uma


combinação distintos elementos.

Valores podem ser quantitativos (Por exemplo, velocidade, preço do serviço)


ou
Valores qualitativos (Por exemplo, Design, experiência do cliente).

Faça uma lista não exaustiva dos valores que podem contribuir para a criação de
diferenciais para o cliente.

Novidades
Performance (Desempenho)
Personalização
(Adequar os produtos e serviços, para as necessidades especificas individuais dos
clientes tem sido uma boa estratégia na criação de valor. (ex. criar a arte do bolo). Esta
abordagem permite a personalização de produtos e serviços.)
Foco no Resultado
Design.

Valor.
Marca / Status
(Os clientes podem encontrar valor, no simples ato de usar o exibir uma marca
especifica).
Preço
Redução do Risco
(Os clientes valorizam a redução dos riscos que incidem na compra de produtos ou
serviços).
Acessibilidade
(Tornar os produtos e serviços disponíveis para os clientes que anteriormente não tinham
acesso a eles, é outra forma de criar valor. Um produto/serviço anteriormente
inalcançável para a maioria dos clientes).
Conveniência / Usabilidade

Tarefa.
Qual e a sua vantagem Competitiva
Vamos escrever o que é o seu negócio e por que as pessoas vão te escolher (e não o
seu concorrente).
Para escrevermos sobre o seu negócio, começaremos mapeando seu jeito único de
fazer as coisas.
Ela se torna única a partir do momento que você pratica com consistência

¿O QUE É O SEU NEGÓCIO E POR QUE AS PESSOAS VÃO TE ESCOLHER?

Diferencial da Confeitaria da Iara


1. Artesanal (artístico, cuidado, capricho, atendimento)
2. Conveniente (eu oferecer a entrega com segurança, não gosta de fazer, falta
de tempo)
3. Bom custo x benefício (Sabor, Facilidade, Substituir o industrial)

¿Como deixar claro para o seu cliente esse diferencial?


O Seu cliente tem que perceber isso, por ex.
Como Cake Designer eu coloco meu cliente a par de todo o processo de criação do
bolo.
Como professora, faço questão que o aluno também participe do processo da aula

Pensando na solução, qual o seu jeito de fazer as coisas?


Quais são as 3 maiores qualidades do seu negócio?

COMO EU FAÇO MELHOR (A DOR QUE EU RESOLVO)


Eu quero que as pessoas se lembrem de mim quando… ?

O CLIENTE COMPRA O SEU JEITO DE FAZER AS COISAS E NÃO SÓ O PRODUTO EM SI!


Quando a Confeitaria da Iara ira ser lembrada?
Quando houver uma comemoração especial ou uma simples festa em casa mas quero
algo Lindo (ARTÍSTICO ÚNICO) pra tal. Lembrando o problema que ela resolve.

Seu discurso de venda


O (a) __ (nome da sua empresa) _ é um(a) __ (empresa, confeitaria, aplicativo,
foodtruck, loja, escola culinária...) _que (o que entregarei. Qual o produto ou serviço)
de um jeito______, _____, (quais os seus 3 jeitos de fazer as coisas. Meus 3 diferenciais)
________.

Quando vão se lembrar da Confeitaria da Iara?


Escrevendo de um jeito mais gostoso: Meu Exemplo
“Quando tiver uma festa seja ela grande ou pequena, a Confeitaria da Iara irá lhe
entrega o mais lindo Bolo e doces artísticos e artesanais no local da sua festa com um
custo benefício irresistível. “

Quando_____________________ O (a) ______________________ _ é um(a)


_______________________ que _____________________ de um
jeito___________________________, __________________,____________________.

Para provocar e simplificar...


Se você tivesse que escrever num outdoor uma única frase sobre sua marca, qual seria?
Sou
3. Canais (Distribuição e Comunicação)
Que meios preferem utilizar nosso segmento de mercado? (Ex. Loja física, Virtual)
Como estabelecer contato com os clientes?

Nesta parte denominada Canais se descreve como uma empresa se comunica e


atinge o seu Segmentos de clientes para entregar uma proposta de valor. Os Canais de
distribuição, comunicação e vendas estabelecem o contato da empresa com os
clientes. São pontos de contato com os clientes que desempenham um papel
importante na experiência do cliente.

Os Canais têm várias funções, elas são:

Apresentação aos clientes sobre uma companha de produtos e serviços.


Ajudar os clientes a avaliar Proposição de valor da empresa.
Permitir que os clientes comprem produtos e serviços específicos.
Entregar uma proposta de valor para os clientes.
Oferecer um suporte Pós-venda ao cliente.

Perguntas Chaves

Que canais preferem nosso segmento de mercado?


Como estabelecer contato com os clientes?
Como é a integração de nossos canais? Quais funcionam melhor?
Quais são os mais eficientes x custos?
Como se integram ao dia a dia de nossos clientes?

Alguns ex. de assuntos que podemos levar para os canais (redes sociais):

Bastidores da cozinha
Dicas de confeitaria {exe.: você sabia que o chocolate não deve ser
conservado na geladeira?}.
Frases doces {exe.: a vida é doce, comece pela sobremesa}.
O Canva (https://www.canva.com) e um site que vc pode usar pra artes.
Inspirações {livros, outros perfis que você segue, chefs...onde eu vou buscar
minhas inspirações}
Divulgação dos produtos!
(comece com uma escassez por ex. O mais vendido, o nosso carro chef. E
termine o post com um convite)
Campanhas de datas especiais {ex: dia das mães, etc.)
Os canais tem cinco fases distintas. Cada canal pode cobrir algumas ou todas essas
fases. Podemos diferenciar entre os canais diretos e indiretos, assim como canais
próprios e Canais parceiros.

Encontrar a combinação certa de canais para satisfazer de como os clientes querem


ser abordados é crucial em trazer uma proposta de valor para o mercado. Uma
organização pode escolher entre chegar aos seus clientes através de seus Canais
próprios, através de canais de parceiros, ou através de uma mistura de ambos.

1. Canais diretos próprios podem ser, uma loja em casa ou um site.


2. Canais indiretos, podem ser lojas próprias ou operados por uma
organização.
3. Canais parceiros são indiretos e abrangem uma ampla gama de opções,
tais como distribuição completa, varejo, ou algum parceiro proprietário de
cerimoniais.

Utilizando canais parceiros obtemos margens menores, mas eles permitem expandir
uma organização e reduz o custo operativo. Canais de próprios têm margens mais altas,
mas podem demandar um custo muito elevado para instalar e operar o lugar. O truque
é encontrar o equilíbrio entre os diferentes tipos de Canais, integrá-los de forma de criar
uma grande experiência ao cliente..

Fases de Canais

Como elaborar um bom plano de comunicação


Por mais que a ideia de elaborar um plano de comunicação sugira algo grande e
complexo, saiba que ele pode ser justamente o contrário. Afinal, a proposta é criar
diretrizes para facilitar o processo de comunicação com seus potenciais clientes.
Para deixá-lo mais fácil, trabalhe o plano de modo que as informações contidas sejam
claras e objetivas, com prazos possíveis de serem cumpridos, além de conter detalhes
das ações que precisam ser realizadas para a sua execução, bem como os
responsáveis por elas. Com essa ideia em mente, basta seguir os seguintes passos:

1º Determine o que será divulgado


Como dito anteriormente, a mensagem pode ser para a divulgação de um novo
serviço, produto, ou mesmo para o lançamento da sua marca. Assim, cada mensagem
tem um objetivo, e para que o plano seja eficiente é necessário trabalhar cada uma
delas de maneira particular.

2º Defina o objetivo
O que você espera alcançar com a mensagem? Aumentar o número de acessos,
melhorar a divulgação da sua marca, apresentar uma nova opção. Seja qual for o
objetivo é preciso sempre lembrar que ele deve ser S.M.A.R.T, ou seja, (em português)
específico, mensurável, atingível, realista, temporizável. Objetivos inalcançáveis só
tendem a frustrar toda a ação.

3º Escolha o alvo
Para quem a mensagem será direcionada? Essa é uma resposta muito importante que
pode, inclusive, determinar o sucesso da sua estratégia. De nada adianta ter um
planejamento incrível, com uma mensagem perfeita, se ela não for enviada a quem
realmente interessa.

4º Defina os canais que serão utilizados


Além de saber qual o público certo, saber qual o canal ideal para o envio da
mensagem é fundamental. Aqui, é preciso lembrar que cada rede social atende a uma
população específica, com linguagem bem particular, e formas de divulgação
diferentes.

5º Crie um cronograma
Ter as datas exatas para cada ação facilita, não apenas, a colocação do plano em
prática da maneira correta, mas também a alcançar os resultados esperados de
maneira mais eficaz.

Resultados obtidos com o plano de comunicação


Uma coisa importante a ter em mente é que, por mais que os passos citados facilitem a
elaboração e execução, o plano de comunicação não precisa ser permanente. Ou
seja, é importante ajustá-lo conforte perceba a necessidade, a fim de que todo o
trabalho alcance o esperado.
Também por isso, avaliar os resultados obtidos após sua implantação, além de apontar
se a estratégia está correta, permite identificar os pontos dentro do plano que precisam
de melhorias.
Com tudo funcionando perfeitamente, os resultados que se espera com o plano de
comunicação são:

1. aumento do número de leads e de conversão em novos clientes;


2. ampliação e melhora do relacionamento do público com a sua marca;
3. aprimoramento do serviço de comunicação da sua empresa;
4. fortalecimento e maior conhecimento da sua marca no meio digital;
5. aumento da credibilidade da sua empresa, bem como da reputação;
6. aumento das chances de se tornar autoridade digital no ramo de atuação se
tornando, inclusive, referência para outras empresas.
Com todas essas vantagens é impossível não desenvolver um plano de comunicação
para a sua empresa, não acha?

Todos esses canais devem estar padronizados, com a cara da sua marca.
Definido o que fazemos, vamos falar sobre qualidade
Concluímos que um produto é bom por muitas razões, algumas que todos podem ver.
Outras que não se vê, mas fazem toda a diferença.

PRODUTO GESTÃO
Sabor | Estética | Embalagem Liderança da equipe |
ATENDIMENTO Processos | Compras |
Ao vivo | Telefone | E-mail | Fornecedores
WhatsApp PLANEJAMENTO
CONVERSA DA MARCA Plano | Organização |
Redes sociais | E-mail | Site Agenda
ROUPAGEM FINANCEIRO
DA MARCA Precificação | Fluxo de Caixa
Cara (estética) | Material | Análise
Impresso

Nome Não consegue ser tudo

VISÍVEL
Nome (pedacinho do que e
visível)
INVISÍVEL
Sistema Visual (cores, embalagem
Valores (como e o seu
a carinha da marca).
relacionamento dentro da
Tag Line (assinatura da marca)
cozinha)
Ex. Itaú assina “feito pra você” a
Casas Bahia assina “dedicação
Equipe
total a você” .
Relacionamento
Comunicação (e como eu fala
Processos
sobre você.)
Entregas
Ambientação escritório (local
físico)

Implica escolha
Como pensar no nome
□ O que pode ajudar a entender a oferta
□ Simples - sem limitar a oferta
□ Ter personalidade
□ Você gostar
□ Não ter nenhum concorrente parecido
□ Ter domínio livre - comprar no www.registro.br

ESCOLHA SEMPRE UM NOME ONDE O caminho que não limita:


Mas, como eu penso no nome?
1. Pensar no seu público (na persona)
2. Quem sou “eu” (vantagem competitiva)
3. Qual e o meu produto ou serviço.
A Marca tem a ver com você
Nome, estética, atendimento…

As Marcas falam
A maneira como uma marca fala é uma escolha, e esta escolha deve ser coerente com
o que queremos ser como marca. Falam até quando não dizem nada. (você busca isso
também na sua vantagem competitiva)

Comunicação empática
Ter empatia não significa concordar com o outro. Você pode muito bem pensar de
forma completamente diferente, mas ainda assim expor sua opinião para criar um
caminho para o diálogo (a não ser, é claro, que você prefira o monólogo) e tentar
entender os sentimentos e emoções da outra pessoa. Empatia deriva do grego
‘empátheia’, ligada a sentimento, emoção. Ter empatia significa estabelecer uma
cognição a partir das referências internas do outro.

Mas estamos falando de linguagem, e como manifestar empatia num texto?


Bem, podemos pensar nos inúmeros textos que falam sobre crenças e valores que
estão em todo lugar: você escreve e compartilha diariamente nas redes sociais,
com colegas, amigos e familiares. Você já prestou atenção no tom desses textos?
São agressivos, irônicos, engraçados? Que tipo de sentimento você acha que
provocam? E que tipo de sentimento você gostaria que provocassem?
Não estou dizendo para escrever o que agrada ao outro, de jeito nenhum, só afirmo
que cabe uma auto-avaliação. Talvez você tenha muito a dizer, mas se está usando
uma linguagem que não atinge o alvo, para que serve o texto?
Porque desabafos que não dizem respeito a ninguém, a gente faz no diário secreto.
Ao publicar um texto, você espera uma reação. Vejo com muita frequência textos
que usam termos como ‘vagabundo’, ‘corja’, e quem escreve se espanta com
reações exacerbadas, a favor ou contra.
Será que é desta forma que colaboramos para uma sociedade crescer? Quando
você publica textos assim, consegue sentir que contribuiu com as pessoas ao seu
redor?

Para entender o que é o tom de voz da sua marca pessoal, preciso te dar o ex do
Caio.

Caio é um advogado recém formado do centro do Rio de Janeiro e, como se


espera de um profissional da lei, ele valoriza roupas que demonstram autoridade,
seriedade ao se comunicar e apreço pelo caso dos clientes.
Porém, mesmo que pessoalmente Caio consiga projetar e ser percebido com uma
boa imagem, ao falar no WhatsApp com clientes, ele utiliza uma linguagem muito
informal e até mesmo gírias que, segundo ele, “fazem com que a pessoa se sinta à
vontade”.
– Dr. Caio, quando é que você vai passar lá no Fórum para resolver o problema?
– Pergunta o cliente.
– Ah, meu parceiro, hoje mesmo. Pode ficar de boa.
No entanto, depois de alguns meses (e alguns possíveis clientes desistentes) ele
resolveu entrar em contato com pessoas que não contrataram ele para saber o
porquê.
Resultado: A maioria disse que é porque ele não passava CREDIBILIDADE E
SEGURANÇA ao se comunicar com eles online.
Ao analisar o caso dele, podemos notar que visualmente ele projetava a imagem
correta, mas não tinha o tom de voz ideal e coerente com sua marca pessoal.
Explicando em detalhes
Em resumo, a voz da sua marca é a expressão personalidade dela e até mesmo da
declaração de missão dela.
Podendo ser descrita através de adjetivos, como.
Séria
Divertida
Sincera
Otimista
Engraçada, etc.
E o tom de voz da sua marca é a aplicação dessa personalidade nos diferentes
canais de mídia, o que não significa que você vai se comunicar do mesmo jeito em
todos os lugares, mas que vai se comunicar de maneira mais indicada para sua
audiência baseado na sua autenticidade.
Por exemplo, ao postar uma foto no Instagram, você deve refletir o que a sua
audiência espera e como passar, através do seu conteúdo, as intenções e
características da sua marca pessoal.
O mesmo serve para o meio offline.
Ao conversar com alguém, você também deve refletir sobre o que essa pessoa
espera de você e como passar para ela os valores e a personalidade da sua marca.
Por isso meus caros que Congruência entre Imagem e identidade é tudo. Para não
criar uma persona fictícia seja na internet ou quando você vai em eventos, mas na
real… não é você, está apenas tentando agradar ou conseguir algo.
E, para compreender a aplicação do tom de voz na prática, veja o exemplo a
seguir:

Como definir o melhor tom de voz da sua marca pessoal

1. Com quem você está falando?

Para definir o melhor tom de voz da sua marca pessoal é necessário levar em
consideração quem é o seu público.
Por exemplo,
se o seu
público é
jovem e
divertido,
não faz
sentido
entrar em
contato com
ele falando:

“Prezado,
cliente.
Estarei

amavelmente esperando a confirmação de vossa presença.”


Assim como também, não adianta falar de maneira jovial e divertida, se o seu
público espera uma postura diferente de você.

Uma vez definido o público, é necessário listar quais os canais de comunicação que
você utiliza.

Por exemplo.
Instagram.
Youtube.
Site.
Presencial.

Depois, listar cada um dos materiais produzidos para cada canal de comunicação.
Instagram: Posts em formatos de vídeos, imagens e frases.
Youtube: Vlog, vídeos com dicas e vídeos de interação com os inscritos.
Site: Textos das páginas e artigos para o blog.
Presencial: Conversas com clientes e prospectos.
Tendo em mãos todas essas informações, falta apenas adequar o seu tom de voz a
cada uma delas. Para assim, todo o seu conteúdo estar congruente com a voz da
sua marca.

Como alinhar o tom de voz?

Para alinhar o tom de voz da sua marca pessoal, pode usar a ferramenta a baixo
chamada de Termômetro de Atributos, a mesma também é utilizada em processos
de Corporate Branding.
Basta preencher onde os atributos da sua marca se encontram entre as duas
colunas, preenchendo o quadro onde define com maior ou menor proximidade
cada atributo.
3. Como acertar no tom de voz correto para sua marca?
Doug Kessler, co-fundador e diretor criativo da Velocity Partners, mostrou em sua
apresentação no Content Marketing World dicas para acertar no tom de voz
perfeito para sua marca, são elas:

2. Gerencie ativamente o tom de voz da sua marca pessoal.


3. Decida quem você é.
4. Use a voz para se diferenciar dos outros.
5. Escolha 3 características que definem sua marca.
6. Adapte o seu tom de voz para cada público, mas mantenha as características
que definem sua marca.
7. Elabore seu conteúdo.
8. Cuidado com a formalidade excessiva.
Ao colocá-las em prática, o tom de voz se torna um multiplicador de força para o
seu conteúdo e para sua marca.

O cuidado que você precisa ter no tom de voz da sua marca pessoal

É comum se adequar tanto ao público e esquecer de mostrar sua individualidade.


Por causa disso, o ideal é que o tom de voz da sua marca pessoal ainda mostre
você sendo você. Ou seja, ainda mostre autenticidade.
Afinal, de acordo com um estudo realizado na Universidade de Bangor, no País de
Gales, as pessoas respondem mais rápido a atitudes autênticas (como sorrisos
verdadeiros). Do contrário, reagem devagar e com menos resposta a atitudes não
verdadeiras.
No entanto, não quer dizer, por exemplo, que porque o seu tom de voz é sério que
você vai ter que sempre agir de maneira séria.
Ou porque o seu tom de voz é engraçado que você vai ter que ser engraçado o
tempo inteiro.
Dependendo do contexto e do canal de contato, você terá que fazer adaptações,
tanto ao que seu público espera, quanto para quem você é, encontrando o
equilíbrio entre esses dois fatores, como mostrado no gráfico compartilhando
anteriormente.

4. Relacionamento com clientes.


Que tipo de relacionamento que cada segmento de cliente espera
ter para estabelecer e manter sua preferencia?
Quais as 3 principais coisas que seu negócio faz que atendem as necessidades
das pessoas?
Qual é a solução que você traz?
(não existe um negócio que não resolva um problema)

O bloco do relacionamento descreve estratégias que evitam que seus clientes corram
para o concorrente por questões como “preço mais baixo”. Definir boas estratégias de
relacionamento é difícil, porém fundamental para a retenção de clientes.

Aqui vamos tratar do MÉTODO DE RELACIONAMENTO que é o quanto próximo ou


distante será para a minha empresa o relacionamento com o cliente.
Levando em consideração que uma empresa precisa de 3 aspectos para se manter
“entregando valor” (é diferente de apenas vender… rsrrs…):

1. Atrair clientes
2. Manter clientes
3. Aumentar clientes

Vamos então falar sobre a ATRAÇÃO do prospecto para se tornar um cliente e eu


particularmente gosto muito do método AIDA que é:

ATENÇÃO, para conseguir um cliente novo é muito simples pensar que dentre todos os
seus concorrentes você precisa CHAMAR A ATENÇÃO para que ele te veja melhor do
que vê os outros competidores no seu mercado, sendo assim, é necessário ter uma
comunicação realmente alinhada com o público, é aqui é onde está a importância do
ESTUDO DE MERCADO para que você saiba bem o que chama a atenção do seu
prospecto.

INTERESSE, depois de ter chamado a atenção é o passo de despertar o interesse do


prospecto em seu produto, perceba que é muito fácil ele ver a sua comunicação linda,
toda colorida e com fotos de banco de imagem, então, ele vai ao seu estabelecimento
ou site e é um MUQUIFO, com certeza o interesse dele evapora, para despertar o
interesse do prospecto é preciso apresentar que o seu produto/serviço RESOLVE O
PROBLEMA, fazer enxergar que tem um problema a ser resolvido e é você quem resolve
isso, mais uma vez, sem um bom estudo de mercado não vai rolar.

DESEJO, agora o seu prospecto já sabe que tem um problema a ser resolvido e você
tem uma solução, MAS… ele também sabe que o Zé ali da esquina resolve do mesmo
jeito, o que você vai fazer para despertar o desejo de comprar com você? Entregue
mais VALOR do que o Zé!!! Faça com que o cliente pense, “Puxa, no Zé é mais barato,
mas esse cara aqui tem TAL COISA que vai me ajudar mais do que o Zé…” e isso pode
ser uma infinidade de coisas que variam para cada negócio, é aqui que entra a
importância da PROPOSTA DE VALOR bem clara.

AÇÃO, o famosão FECHAMENTO, adorado por todos e só os mais fortes conseguem e


por incrível que pareça, nem sempre é o cara que vende mais barato, muitas vezes o
seu produto é bem mais barato e o prospecto se torna cliente do concorrente. PORÉM,
isso não é uma venda, é na verdade uma COMPRA, o prospecto decidiu comprar de
você e não foi você quem VENDEU pra ele, depois de chamar atenção, despertar
interesse e desejo no prospecto você realmente acredita que está vendendo pra ele?

É ELE QUEM DECIDIU COMPRAR DE VOCÊ!

Passamos agora para o passo de MANTER o cliente e aqui está um complemento do


AIDA que é um S de SATISFAÇÃO.
Se seu produto ou serviço não satisfazem o cliente ele não vai permanecer com você
e não estamos falando aqui de produtos de venda recorrente, você pode ser uma
confeitaria com uma alta rotatividade e ainda assim manter o cliente na sua base de
dados, pois, se ele comprou uma vez ele COMPRARÁ DE NOVO quando o ciclo de vida
do produto estiver terminando.

Com isso, pensamos nas estratégias de RETENÇÃO além da satisfação com a qualidade,
precisamos sempre pensar em manter o cliente “aquecido” de informações, vendo seu
nome com frequência, tendo contato com a marca e de certa forma com produtos, o
que pode ser programas de fidelidade, pesquisas de uso e satisfação, Newsletter com
dicas de utilização, informações nas redes sociais, mídias locais, digitais, premiações
com estratégias promocionais entre outros. (vamos falar mais sobre isso no modulo
Canal)

E finalmente, agora vamos falar sobre o último pilar que é AUMENTAR o número de
vendas (não necessariamente de clientes).
Esse ponto é superinteressante em qualquer tipo de negócio saudável, pois você pode
aumentar as vendas com negócios que exigem clientes novos a todo momento ou
venda para os mesmos clientes.
Isso se dá de maneira bem simples até INDICAÇÃO, DEPOIMENTOS e PRÓXIMA VENDA.

INDICAÇÃO – Muito simples, quantas vezes você recomenda um filme, uma comida ou
lugar que você teve uma EXPERIÊNCIA fantástica?
Sendo assim, é isso que você precisa provocar no seu cliente para ele te indicar…
DEPOIMENTOS – Elogiar uma pessoa ou empresa publicamente é algo feito apenas por
pessoas que realmente aprovam sua empresa e seu produto, se você consegue
depoimentos eles são um passo a mais para aquisição de novos clientes que verão o
depoimento e VALIDARÃO que você cumpre o que promete.
PRÓXIMA VENDA – Chamamos de ESTEIRA de produtos, é como se você comprasse um
vídeo game, apenas com a plataforma ele não tem utilidade, você precisa comprar
jogos e além disso, você compra a versão nova do vídeo game sempre que pode para
atualizar gráficos e EXPERIÊNCIA de diversão. Crie produtos que agreguem ao seu
produto principal.
5. Receitas.
Porque valor os nossos clientes realmente estão dispostos a pagar?
Como gostariam de pagar?

Por onde começar?


Primeiro Passo:
Comece olhando para o mercado
1. Quem é o seu consumidor?
2. Quanto ele está disposto a pagar?
3. Olhar para o seu concorrente.
Quando há um comparável você vai precificar comparativamente a ele. Se o seu
produto vira commodities* você precifica comparativamente aos demais
Quando você e o único no mercado livre de comparação você define o preço
4. Quanto ele está cobrando por seu produto?
5. O meu produto deve ser posicionado acima ou abaixo dele?
6. Quanto acima? Quanto abaixo?
7. A partir dessa análise, qual deve ser o seu preço de venda?

*Commodities é uma palavra em inglês, é o plural de commodity que significa mercadoria. Esta palavra é
usada para descrever produtos de baixo valor agregado. Commodities são artigos de comércio, bens que
não sofrem processos de alteração (ou que são pouco diferenciados), como frutas, legumes, cereais e alguns
metais.

Precificação é crucial para a sobrevivência da empresa. Ter o correto posicionamento


de preço é a maneira mais fácil de maximizar a sua rentabilidade. É uma ferramenta
que precisa estar alinhada à estrategia da empresa. Seja a sua estratégia de volume,
margem, imagem de sofisticaçãoo, etc. Não existe uma ciência para precificar. Ele é a
parte financeira mais subjetiva da empresa. Quanto mais testes você faz, mais conhece
do mercado e do seu consumidor, mais correto você vai precificar.
Quem ama, cuida!

Fazer a precificação de produtos de forma adequada é uma decisão estratégica para


qualquer negócio. Muitas vezes, é isso que determina o sucesso ou a falência de uma
empresa.
Nem sempre os empresários tomam essas decisões com base nos atributos certos, o que
pode causar perda da competitividade.
Encontrar o equilíbrio entre a margem esperada e a satisfação do cliente não é uma
tarefa fácil.
Para facilitar esse processo, vamos explicar quais fatores devem ser considerados na
hora de estabelecer o preço dos produtos e quais são as técnicas de precificação e as
melhores práticas para que o seu cliente perceba um valor justo pelo produto ou serviço
que está sendo oferecido.
Quais fatores influenciam a precificação?
Em primeiro lugar, você deve saber que a precificação dos produtos é influenciada por
dois lados que são essenciais para a sobrevivência de qualquer empresa: custos e
clientes.
Ou seja, o empreendedor deve estabelecer o preço visando obter lucro de forma a
superar o valor gasto com custos fixos e variáveis. Além disso, é preciso estar atento ao
mercado e à concorrência.
Temos então um tema complexo, que costuma deixar qualquer empresário em dúvidas
sobre como agir. É relevante lembrar que, para melhorar a situação da sua empresa,
não basta apenas vender mais. É preciso calcular o preço ideal para garantir o lucro.
Para isso, você deve se atentar aos seguintes fatores que impactam diretamente o
preço dos produtos:
custos fixos;
custos variáveis;
despesas;
comissões;
taxas de cartões de débito e crédito;
impostos.

Quais técnicas são utilizadas para a precificação de produtos?


As técnicas mais utilizadas para precificar produtos são o valor percebido, a análise da
concorrência e a margem de contribuição. Vamos explicar melhor cada uma delas.

Valor percebido
A técnica conhecida como valor percebido funciona por meio da estimativa de valor
agregado do produto que é percebido pelo cliente. Nesse caso, é possível precificar
de acordo com a expectativa do consumidor em relação a um produto.
Aqui, é importante destacar a diferença que existe entre preço e valor. O preço é algo
bem objetivo, enquanto o valor é algo subjetivo, considera a percepção do cliente
sobre algo.
Esse valor é o que leva uma pessoa a pagar o dobro, o triplo do preço em um produto
devido a sua marca, ou design, ou até mesmo pelo atendimento recebido em um local.

Muitos aspectos influenciam essa decisão, como a marca, a embalagem, o


atendimento. Isso quer dizer que existe um diferencial agregado ao produto, o que
impacta em uma valorização do preço de venda.
A limitação dessa técnica é a tentativa em valorizar um preço antes de o cliente
perceber o valor agregado que o produto oferece. Por isso, é fundamental fazer uma
análise de mercado para saber o quanto o cliente está disposto a pagar antes de
lançar.

Análise da Concorrência
Quando se tem um negócio situado em um ambiente de alta concorrência, a
precificação costuma ser baseada no preço praticado pelos concorrentes. Essa é a
técnica mais arriscada, pois pode resultar em prejuízo ao final do mês. É preciso
averiguar o motivo do preço baixo praticado pelos concorrentes. Pode ser que ele
tenha conseguido uma otimização em sua linha de produção ou um preço melhor junto
aos fornecedores.

Margem de contribuição
A margem de contribuição é uma das técnicas mais recomendadas para quem quer
precificar produtos de maneira adequada e manter a empresa competitiva.
Essa técnica determina o quanto “sobra” dentro do custo de venda após serem
descontados os custos e as despesas variáveis. A fórmula para se chegar a esse valor é:
Margem de contribuição = Valor de venda – Custos e Despesas variáveis diretas do
produto (impostos, comissões, taxas).
Essa técnica tem a vantagem de ser flexível, pois permite a alteração da margem em
períodos mais competitivos, sem descobrir os custos

Recomendações para a precificação adequada


Em primeiro lugar, é essencial conhecer o ponto de equilíbrio do seu negócio. Ou seja,
quanto é preciso vender para pagar todos os gastos do negócio? Para isso, é preciso
conhecer toda a estrutura de custos e despesas inerentes ao negócio.
Em segundo lugar, é preciso definir uma margem de lucro esperada para o negócio.
Isso facilita a definição das estratégias de preços e garante a sobrevivência e
crescimento do negócio de forma competitiva.
Lembre-se sempre de que preços muito baixos comprometem o equilíbrio da empresa,
enquanto preços altos afastam os clientes. É preciso atender a expectativa do cliente
com preços adequados para se manter competitivo.
Outra recomendação é estar sempre atento às tendências do seu setor e
sazonalidades, de forma a não perder venda para os clientes por uma falta de atenção
quanto ao mercado e a concorrência.
Por fim, percebemos que o valor do produto está muito relacionado à percepção do
cliente, o que o torna subjetivo. Para saber como oferecer um diferencial ao cliente,
recomenda-se conhecer o comportamento dos clientes, bem como suas preferências
e expectativas, para então oferecer um produto ou um serviço que atenda a essa
demanda.
Assim, você pode praticar preços mais valorizados, aproveitando o diferencial
acrescido ao seu produto como fonte de lucratividade.
Manter preços competitivos é de fundamental importância para a saúde financeira de
qualquer empresa, o que garante sua permanência no mercado. Além disso, os clientes
buscam por valor agregado, então, se você almeja melhorar os resultados e o
faturamento da sua empresa, uma boa recomendação é oferecer um diferencial ao
seu produto, para então praticar preços mais valorizados.

6. Recursos & Parcerias Chave.


Que recursos físicos, humanos, intelectuais ou econômicos são essenciais?
Coisas Imprescindíveis?

Vamos tratar especificamente do que é preciso para fazer o negócio funcionar, para
atender o cliente. Deve-se atentar que em alguns aspectos pode-se haver confusão
para distinguir do bloco de Canais, por exemplo, um serviço de atendimento telefônico
é um canal, e os equipamentos que compõem a infraestrutura são os recursos chave.
Para preencher adequadamente esse bloco é sugerível responder as seguintes
questões:

Quais são os recursos chaves que será necessário adquirir de terceiros?

Quem serão nossos principais parceiros?

Quais serão nossos principais fornecedores?

Como será a distribuição de atividades que os parceiros irão realizar?

Estes recursos podem ser:


Intelectuais: Pessoas com nível de especialização superior em determinadas
áreas, tais como: Marketing, designers...;
Físicos: equipamentos, mobílias, imóveis e automóveis;
Humanos: Funcionários sem a necessidade de um elevado nível de
especialização para ações mais operacionais;
Recursos Financeiros: empréstimos, investidor anjo, capital próprio, familiares e
venda antecipada.
A escolha dos parceiros e fornecedores devem priorizar a otimização do modelo
de negócio adotado, reduzindo o tempo, os custos, os riscos e permitir focar nos
recursos de maior impacto. Os tipos de parcerias podem ser:
Parcerias com os concorrentes: para aumentar o poder de negociação
comprando em grandes quantidades;
Parcerias complementares: que visam suprir uma carência de capacidade
estrutural ou intelectual da sua empresa, portanto serão parcerias feitas com
não concorrentes, como por exemplos empresas focadas produção que
trabalha com empresas de logística;
Parcerias com fornecedores e compradores: utilizando a negociação e trabalho
conjunto, como por exemplo, empresas que vendem o produto de seus
fornecedores direto para os seus clientes, fazendo com que o produto parta
diretamente do estoque do seu fornecedor para o seu cliente, reduzindo os
custos com armazenagem e frete;

Duas observações importantes são: primeiro evite depender apenas de um fornecedor


para produtos ou serviços, embora a alta demanda em um mesmo fornecedor lhe
permita fazer melhores negociações, é arriscado manter apenas um fornecedor, pois
caso ele tenha algum problema, isso irá impactar diretamente em seus resultados.
Segundo, no caso dos parceiros, como o laço de relação será ainda mais estreito, crie
um plano de contingencia, para o caso de haver algum problema os impactos
negativos poderão ser controlados.
Muitas vezes os recursos acabam se tornando sócios ou a empresa já surge com esse
formato, onde pessoas com capacidades distintas se unem para um propósito em
comum. Empreendedores individuais tendem a querem suportar o máximo de
atividades possível para evitar a dependência de terceiros a fim de reduzir os custos. No
entanto, isso pode muitas vezes fazer com que a qualidade e o tempo sejam
prejudicados.

7. Atividades Chave.
O que devemos Saber e fazer?
Custos.
Quais são os custos mais importantes do
modelo de negocio (Recursos e Atividades chaves)

Finalizando os módulos do Canvas, a “Estrutura de Custos” visa levantar todos os


recursos necessários para o funcionamento da empresa, desde a escolha do segmento
de clientes, proposta de valor, relacionamento com o cliente de toda a cadeia de
fornecedores e parceiros para o devido funcionamento do seu negócio.
Para esse bloco, é recomendável responder as seguintes perguntas:
Quais são os custos mais importantes do seu modelo de negócio?
Quais são os recursos chave de maior impacto financeiro?
Quais são as atividades de maior custo necessárias?

Value Cost: o foco é em gerar o valor ao produto, melhorar a percepção que o cliente
tem, visando alto grau de qualidade, status da marca e aceitação do seguimento de
cliente escolhido.

Um fator importante é que a boa administração dos custos, pode fazer com que a
empresa alavanque, tendo um melhor diferencial competitivo, oferecendo produtos e
serviços com melhor qualidade e com um preço que pode atrair os clientes.
Dependendo do seu nicho de mercado, às vezes pode ser vantajoso abrir mão de um
cliente, devido a sua volumetria de compra e o valor negociado, para focar no
atendimento de outro cliente com mais destaque para o seu fluxo de caixa.

Explorar aumento e composição do portfólio (modelo de negocio)

O que mais você pode fazer com o que você sabe fazer?

Será que tem alguma outra necessidade que seu produto poderia resolver e que até
hoje você não pensou?

UM NOVO PROBLEMA
A Confeitaria da Iara descobriu que muitas mamães faziam festa na escola para driblar
a crise.

MAIS UMA SOLUÇÃO:


Kit Festeira com bolo e doces decorados lindos, com valor acessível e uma aparecia
incrível! Além do sabor claro!

Novas fontes de receita


Quais outros produtos eu posso oferecer?

• O que mais se consome na mesma ocasião de uso do seu produto ou serviço?


(por exemplo: festa, bolo, doce, lembrancinhas, bebidas...)
• Seu produto ou serviço poderia ser consumido em outras ocasiões com poucas
adaptações? (por exemplo: kit festas escolares)
• Tem outro tipo de público que você poderia atender com o mesmo produto?
(Por exemplo, empresas, cupcakes personalizados para festas na empresa)
• Você ocupa seu espaço o tempo todo? Poderia alugar para alguém em
horários em que está vago?
• Você sabe e gosta de ensinar o que faz? Acha que tem gente que gostaria de
aprender?
• Sabe fazer algo a mais que combina com o seu produto ou serviço? É boa de
artesanato? Por que não vender caixas de brigadeiro presenteáveis?

Liste aqui todas as suas ideias

PARA ORGANIZAR O PORTFÓLIO

Está na dúvida se as pessoas vão querer Um produto ou serviço inovador que você
ou se você sabe fazer? acha que vai surpreender os seus clientes
É ponto de interrogação. e vai dar o que falar?
Pesquise antes de decidir fazer. É raro. É uma estrela. Gera vendas e
reputação. Cuide bem.

Dá muito trabalho e não dá para cobrar Você sabe fazer, sabe que as pessoas
um preço legal ou vai vender pouco? querem e vão comprar repetidamente.
É abacaxi! Evite É a vaca leiteira!
Tem que ter pelo menos uma.

Como definir metas de prospecção e fidelização


Já temos produtos, chegou a hora de ter e reter mais clientes
Regra de ouro para pequenos negócios| Cliente feliz é a melhor propaganda.
Ações para trazer novos clientes para a sua base
Garanta que seus atuais clientes estão felizes com a sua entrega. Se não
estiverem, conserte a relação com eles. Admita seus erros e acate a perceção
do cliente. (Presente ligação com pedido de desculpas, etc).
Estimule indicações. Ofereça alguma vantagem para os seus atuais clientes
caso eles te indiquem para amigos.
Faça isso de forma organizada.
Mantenha um registro de quem indicou e quem foi indicado.
(Descontos e Brindes Por WhatsApp, Via redes sociais Campo no site)
Esteja visível onde e quando as pessoas precisam de você. Onde há uma
concentração de pessoas que se parecem com os seus clientes?
Seja a opção mais prática. (Escolas | Empresas | Hospitais | Clubes)
Acompanhe!
Teste pelo menos 2 abordagens e calcule os resultados por três meses para saber o que
mais está dando resultado.

Métricas:
Número de novos clientes por mês; Número de novos clientes por ação;
Custo de aquisição dos clientes por mês; Custo de aquisição do cliente por ação

Quantidade de novos clientes

Fontes de receita

Quanto gastou nas ações de atração

Por que cuidar?


Clientes que não reclamam: 37% permanecem clientes.
Clientes que reclamam e NÃO têm a reclamação atendida: 46% permanecem clientes.
Clientes que reclamam e têm a reclamação resolvida: 70% permanecem clientes.
Clientes que reclamam e têm a reclamação resolvida rapidamente: 95% permanecem
clientes.
20% dos seus clientes podem ser responsáveis por 80% do seu faturamento.
Fonte: Bain & Company

Fotografia de comida com celular

Qual é a cara da sua marca nas fotos?


Qual é o clima da sua marca?

Você já ficou frustrado pelo fato do seu bolo não se parecer com os de revistas ou
aquelas lindas fotos na internet?
Alguma vez você já se perguntou como fotografar seu bolo para que ele se pareça
com eles?
Para quem tem ou está pensando em começar um negócio de cakedesign, você sabe
o quão importante é a fotografia para seu negócio?

A escolha do smartphone
Sem uma boa câmera não conseguimos tirar boas fotos.
Considere trocar seu aparelho para ter um bom resultado. Não é gasto, é investimento!

1. Gaste alguns minutos conhecendo sua câmera.


Estamos falando de uma câmera digital simples ou mesmo a câmera de seu
smartphone – todas as câmeras têm configurações ajustáveis. Brinque com a sua
câmera por um bom tempo. Pratique fotografando uma maçã em uma placa, ou o
que você ver por aí. Não se sinta intimidado, apenas brinque. Quanto mais você estiver
confortável com sua câmera e quanto mais você experimentar e experimentar o que
as diferentes configurações fazem, melhor.

2. Use luz natural.


Você tem algum local em casa ou em seu estúdio que seja uma boa fonte de luz
natural, como uma porta de vidro ou janela? Escolha uma hora do dia em que essa luz
seja brilhante. Evite a luz direta do sol e a luz do flash da sua câmera. Você pode usar
um lençol branco liso ou uma fina cortina branca para ajudar a filtrar a luz para uma
fotografia mais suave.
Evite tirar a foto com a luz ao fundo, pois isso vai escurecer seu bolo. O ideal é fazer com
que a luz natural incida na lateral do que está sendo fotografado, criando assim uma
sombra suave.

3. Eliminar objetos ao fundo que não façam parte do contexto da foto.


Nada arruína mais um belo bolo como um fundo confuso. Se você está fotografando o
seu bolo em sua mesa de cozinha, por exemplo, tente usar um grande pedaço de
cartolina, papéis coloridos ou tecidos atrás de seu bolo como pano de fundo. Você
também pode usar uma boa parede limpa em sua casa.
Além disso, certifique-se de remover toda a desordem (ou seja, potes e panelas, chaves,
revistas, copos, etc). Você não quer desviar a atenção do espectador ao que é mais
importante na foto: o seu bolo!
Certo: usar fundos de papel de parede ou tecidos lisos ou estampados, para dar beleza
e profissionalismo nas suas fotos, como na imagem a seguir:

Errado: utilizar flash e deixar objetos que não façam parte do contexto de uma boa e
profissional foto, como essa foto de uma torta de framboesas:

4. Use um tripé.
Nossas mãos se movimentam e tremem naturalmente quando tiramos uma fotografia.
Um tripé permite que você tire uma foto sem me de trepidação da câmera. Não tem
um tripé e não quer gastar dinheiro para conseguir um? Improvise! Utilize uma pilha de
livro ou mesmo a parte traseira de uma cadeira, ou alguma superfície ideal.

5. Alcance ainda mais luz por meio de reflexo.


Tente usar um grande pedaço de cartolina branca, ou um pedaço de isopor branco.
Se quiser um efeito bem profissional, você pode comprar um refletor de fotografia. Deixe
o bolo entre as duas fontes de luz, ou seja, o bolo ao centro, de um lado a janela e de
outro o refletor de luz. Isso vai fazer com que seu bolo se ilumine de uma forma suave e
natural, dando mais beleza à sua foto.

6. Adicione estilo ao seu bolo.


Você pode personalizar suas fotos e seus bolos conforme o contexto. Adicionar peças
de decoração, cortar o bolo e colocá-lo num prato, adicionar talheres, etc.

7. Brinque com os ângulos de câmera.


Tente dar uma visão panorâmica do seu bolo, ou mover a câmera perto de seu bolo
para um detalhe do close up. Tente tirar fotos vertical e horizontalmente e ver qual foto
que você gosta mais. Não economize nos cliques, quanto mais fotos você tirar, mais
recursos terá para escolher a melhor. Às vezes você pode abrir a foto afastando a
câmera para trás, para poder cortar somente o que interessar depois, destacar
detalhes, etc.

Então comece hoje mesmo a pensar criativamente sobre como tirar boas fotos de seus
bolos! E o mesmo vale para doces, chocolates, cookies, etc. Em breve você perceberá
que é muito simples tirar boas fotos, com aspecto profissional, e que isso vai permitir você
divulgar melhor seus produtos e, consequentemente, vender mais!

Agenda da próxima semana


Se tivermos que ser ainda mais detalhistas, nossa sugestão é olhar para a agenda da
semana que vem
• Para quem ligar
• Lista de entrevistados
• Teste de produto
• Pauta da semana nas mídias sociais
• Modelo de fotografia
• etc...

Planejamento + Sonho Grande


Agora que o seu negocio tá organizado, vamos tirar o sonho do papel?

MODELO

Mão na massa! Desejo Sucesso! Nessa nova etapa!

ANOTAÇÕES