Você está na página 1de 68

STAD

STAD

STAD

STAD
STAD

STAD

STAD
T ítulo :
Contrato Colectivo de Trabalho para o Sector das Empresas Prestadoras de Ser viços de Vigilância Privada

I mpressão e ac abamentos :

STAD
Várzea da Rainha Impressores, S. A.
Rua Empresarial nº 19
Zona Industrial da Ponte Seca
2510­‑ 752 Gaeiras – Óbidos
Telef.: +351 262 098 008
Fax: +351 262 098 582
www.varzeadarainha.pt

Janeiro de 2019

A seleção e o conteúdo literário desta obra é da inteira


e exclusiva responsabilidade do seu autor.
STAD

STAD
REVISÃO PARCIAL PARA 2019 - 2020
DO
CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO
PARA O
SECTOR
DAS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DE

VIGILÂNCIA
STAD
PRIVADA

STAD
2019
STAD

STAD

STAD

STAD
STAD

STAD

STAD

STAD
5
STAD

STAD

STAD

STAD
6
STAD
Revisão Parcial para 2019 - 2020 do Contrato coletivo

STAD
de trabalho entre a AES – Associação de Empresas de
Segurança, STAD –Sindicato dos Trabalhadores dos
Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas
e Actividades Diversas e o SINTTAV – Sindicato
Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e
Audiovisual – Alteração salarial e outras. (Revisão parcial
do CCT publicado no BTE nº 38, de 15/10/2017)

STAD
NOTA MUITO IMPORTANTE:
ESTA PUBLICAÇÃO SOMENTE INCLUI AS
ALTERAÇÕES REALIZADAS NO CCT PARA
ENTRAREM EM VIGOR EM 2019. AS RESTANTES
CLÁUSULAS DO CCT (QUE NÃO ESTÃO AQUI
INCLUIDAS) MANTÉM O TEXTO DE 2017

ESTA REVISÃO PARCIAL PARA 2019 - 2020 FOI

STAD
PUBLICADA NO BTE Nº 48 DE 29/12/2018

7
STAD

STAD

STAD

STAD
STAD CAPÍTULO I

Área, âmbito e vigência

Cláusula 1.ª

STAD
Área e âmbito

1. O presente contrato coletivo de trabalho, adiante


designado por CCT, aplica­‑se a todo o território nacio‑
nal e obriga, por um lado, as empresas representadas
pela AES – Associação de Empresas de Segurança e
por outro, os trabalhadores ao seu serviço represen‑
tados pelo STAD – Sindicato dos Trabalhadores dos

STAD
Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas
e Actividades Diversas e o SINTTAV – Sindicato
Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e
Audiovisual .

2. As partes obrigam­‑se a requerer, em conjunto, ao


Ministério responsável pela área laboral, a extensão
deste CCT, por alargamento de âmbito, a todas as
empresas que se dediquem à prestação de serviços de

STAD
segurança privada e prevenção, ainda que subsidiária
ou complementarmente à sua atividade principal, e
aos trabalhadores ao seu serviço representados pelos
organismos sindicais outorgantes.

9
STAD
3. No setor da segurança o número de entidades
empregadoras é de 92 e o número total de trabalha‑
dores é de 39268.

4. O âmbito do sector de atividade profissional é

STAD
o de Atividades de Segurança, a que corresponde o
CAE n º 80100.

Cláusula 2.ª
Vigência, denúncia e revisão

1. O presente CCT entra em vigor em 1 de janeiro


de 2019 e vigora até 31 de dezembro de 2020,

STAD
aplicando­‑se nos anexos os períodos de vigência
respetivos, renovando­‑se por períodos de 12 meses.

2 a 6. (Mantêm a redação em vigor.)

Cláusula 12.ª
Deveres e condições especiais de trabalho

1 e 2. (Mantêm a redação em vigor)

STAD
3. A Entidade empregadora, em posse da docu‑
mentação referida no número anterior, entregue
pelo trabalhador, tem o dever de a enviar à entidade
responsável pela emissão do cartão profissional, desde

10
STAD
que a documentação lhe seja entregue entre 90 e 30
dias antes do termo do prazo de validade do cartão
profissional.

3. (passa a 4)

STAD
4. (passa a5)

5. (passa a 6)

6. (passa a 7)

STAD

STAD
11
STAD CAPÍTULO V

Vicissitudes Contratuais

Cláusula 14.ª

STAD
Sucessão do posto de trabalho

1. A presente cláusula regula a manutenção dos


contratos individuais de trabalho em situações de
sucessão de empregadores na execução de contratos
de prestação de serviços de segurança privada, tendo
por principio orientador a segurança do emprego, nos
termos constitucionalmente previstos e a manutenção

STAD
dos postos de trabalho potencialmente afetados pela
perda de um local de trabalho ou cliente, pela empresa
empregadora e, desde que, o objeto da prestação
de serviços perdida tenha continuidade através da
contratação de nova empresa ou seja assumida pela
entidade a quem os serviços sejam prestados e quer
essa sucessão de empresas na execução da prestação
de serviços se traduza, ou não, na transmissão de
uma unidade económica autónoma ou tenha uma

STAD
expressão de perda total ou parcial da prestação de
serviços.

2. Para efeitos da presente cláusula definem­‑se os


seguintes conceitos:

12
STAD
Prestadora de serviço cessante – A empresa que
cessa a atividade de prestação de serviços de segurança
privada, na totalidade ou em parte, num determinado
local ou ao serviço de um determinado cliente;

STAD
Nova prestadora de serviços ‑­ A empresa que
sucede à prestadora de serviços cessante na execução
total ou parcial da prestação de serviços de segurança
privada;

Beneficiária – A empresa utilizadora dos serviços


prestados pela Prestadora de serviços cessante e/ou
nova prestadora de serviços.

STAD
3. A mera sucessão de prestadores de serviços
num determinado local de trabalho, ou cliente, não
fundamenta, só por si, a cessação dos contratos de
trabalho abrangidos, nomeadamente por caducidade,
extinção do posto de trabalho, despedimento coletivo,
despedimento por justa causa, ou, ainda, o recurso à
suspensão dos contratos de trabalho.

STAD
4. Nas situações previstas no número um da pre‑
sente cláusula mantêm–se em vigor, agora com a nova
prestadora de serviços, os contratos de trabalho vigen‑
tes com os trabalhadores que naquele local ou cliente
prestavam anteriormente a atividade de segurança

13
STAD
privada, mantendo–se, igualmente, todos os direitos,
os deveres, as regalias, a antiguidade e a categoria
profissional que vigoravam ao serviço da prestadora
de serviços cessante.

STAD
5. Para os efeitos do disposto no número anterior,
não se consideram ao serviço normal da exploração,
e como tal a posição contratual do respetivo empre‑
gador não se transmite ao novo prestador de serviços:

a) os trabalhadores que prestem serviço no


local há 90 ou menos dias, relativamente à
data da sucessão;

STAD
b) os trabalhadores cuja remuneração ou
categoria profissional tenha sido alterada
há 90 ou menos dias, desde que tal não
tenha resultado diretamente da aplicação
de instrumento de regulamentação coletiva
de trabalho;

c) os trabalhadores que não reúnam os requisi‑

STAD
tos legais para o desempenho da função que
lhes esteja cometida;

d) os trabalhadores que, nos termos da presente


cláusula, tenham acordado com a prestadora

14
STAD
de serviço cessante manter­‑se ao serviço da
mesma.

6. Com o acordo do trabalhador a prestadora de


serviços cessante poderá manter o trabalhador ao seu

STAD
serviço. Este acordo ocorrerá antes do prazo previsto
no número seguinte.

7. A prestadora de serviços cessante fornecerá à


nova prestadora de serviços, no prazo de dez dias
úteis, contados desde o conhecimento da perda de
local de trabalho ou cliente, a listagem dos trabalha‑
dores transferidos para a nova prestadora de serviços,

STAD
constando dessa listagem a indicação da categoria
profissional de cada um deles, a antiguidade dos mes‑
mos, a retribuição mensal auferida e o local ou locais
de trabalho a que estavam afetos.

8. A prestadora de serviços cessante é obrigada, a


comunicar, expressamente e por escrito, ao novo pres‑
tador de serviços no posto de trabalho, até ao 10º dia
útil anterior ao início da prestação do serviço por este,

STAD
os trabalhadores que, por acordo se manterão ao seu
serviço, e, em simultâneo, a fornecer­‑lhe os seguintes
elementos referentes aos trabalhadores abrangidos
pela sucessão:

15
STAD
(i) Nome, morada e contacto telefónico;

(ii) Número de segurança social, de cartão de


vigilante e validade, número de identificação
fiscal e data de nascimento;

STAD
(iii) Categoria profissional e função desempenhada;

(iv) Horário de trabalho;

(v) Antiguidade;

(vi) Antiguidade na categoria e na função;

STAD
(vii) Situação contratual (a termo ou sem termo)

(viii) Cópia do contrato de trabalho, cópia do


Cartão de Cidadão, cópia do cartão profis‑
sional e cópia do último registo criminal;

(ix) Mapa de férias do local de trabalho;

STAD
(x) Indicação de férias vencidas e não gozadas;

(xi) Extrato de remunerações dos últimos 90


dias, incluindo e discriminando, nomeada‑
mente, subsídios de função, transpor te,

16
STAD
acréscimos de remuneração por trabalho
em domingos e feriados, trabalho noturno,
trabalho suplementar e prémios e regalias
com caráter permanente.

STAD
(xii) Informação relativa ao pagamento de sub‑
sídio de férias e/ou subsídio de Natal, caso
já tenha ocorrido;

(xiii) Cópia da ficha de aptidão médica;

(xiv) Mapa de escalas efetivas no local de tra‑


balho com identificação dos trabalhadores,

STAD
relativo aos últimos 90 dias;

(xv) Informação sobre os trabalhadores sin‑


dicalizados com referência aos respetivos
Sindicatos;

(xvi) Informação sobre os trabalhadores que


desempenhem funções de delegado ou
dirigente sindical.

STAD
9. Caso a prestadora de serviços cessante não tenha
conhecimento da perda da prestação do serviço e ou
da identidade da nova prestadora e por isso não possa
cumprir o prazo previsto no número anterior deve,

17
STAD
logo que tenha conhecimento dos elementos referidos
nos dois números anteriores, dar cumprimento ao que
aí se acha previsto.

10. As comunicações previstas nos números 7 e 8

STAD
anteriores serão remetidas para os sindicatos repre‑
sentativos dos trabalhadores, devendo, para tanto, ser
obtido o consentimento dos trabalhadores abrangidos.

11. A requerimento de algum dos trabalhadores


abrangidos ou algum dos sindicatos outorgantes, a nova
prestadora de serviços realizará, no prazo máximo
de 5 dias úteis contado das comunicações referidas

STAD
nos números 7 e 8, uma reunião com os referidos
Sindicatos, para esclarecimento de eventuais alterações
a introduzir nos contratos de trabalho vigentes com
os trabalhadores abrangidos pela sucessão, alterações
que não poderão afetar os direitos de filiação sindical
ou de aplicabilidade das convenções coletivas vigentes
que se mantêm nos termos da lei.

12.Tratando­‑se de transferência parcial da prestação

STAD
do serviço com vários postos de trabalho num deter‑
minado cliente, os trabalhadores cujos contratos de
trabalho são transmitidos terão uma antiguidade con‑
tratual cuja média deve ser igual ou superior à média

18
STAD
da antiguidade contratual daqueles que permanecem
ao serviço da prestadora de serviços cessante.

13. O trabalhador abrangido pela mudança de


empregador nos termos previstos na presente cláusula

STAD
poderá opor­‑se à mudança, caso demonstre que esta
lhe pode causar prejuízo sério, por razões ligadas à
sustentabilidade da nova prestadora de serviços.

14. O trabalhador que pretenda opor­‑se à mudança,


deverá comunicá­‑lo fundamentadamente por escrito, à
prestadora de serviço cessante, no prazo de dez dias
contados desde o conhecimento da comunicação da

STAD
sucessão.

15. A prestadora de serviços cessante e a nova pres‑


tadora de serviços são solidariamente responsáveis
pelo pagamento dos créditos devidos aos trabalhado‑
res, vencidos e não pagos até à data da sucessão.

16. A responsabilidade prevista no número anterior


não afeta o direito de regresso da nova prestadora

STAD
de serviços relativamente à prestadora de serviços
cessante.

19
STAD Cláusula 24.ª
Regime de turnos

1. (Mantém a redação em vigor.)

STAD
2. As escalas de turnos só poderão prever mudanças
de turno após o período de descanso semanal.

3 a 5. (Mantêm a redação em vigor)

STAD

STAD
20
STAD CAPÍTULO XV

Regras específicas para os Vigilantes de


Transporte de Valores

STAD
Cláusula 69ª
Seguro de acidentes pessoais

Os vigilantes de transportes de valores têm direito


a um seguro de acidentes pessoais, cobrindo o risco
profissional e garantindo, em caso de morte ou inva‑
lidez total e permanente, com um capital para o ano
2019 de 64,726,35€ e para o ano 2020 de 66,829,96€.

STAD
É anualmente revisto em função da percentagem de
aumento previsto para a tabela salarial do CCT.

Cláusula 69ª – A
Responsabilidade social em caso de assalto ou tentativa de assalto

1. Em caso de assalto ou tentativa de assalto, para


além das garantias prestadas pelo seguro de acidentes
de trabalho, a entidade patronal assegura ainda ao

STAD
trabalhador:

a) Aconselhamento e patrocínio jurídico em


processo de natureza penal e pedidos
indemnizatórios;

21
STAD
b) Apoio psicológico no âmbito da medicina
do trabalho, até ao termo da vigência do
contrato de trabalho ou pelo prazo medi‑
camente estabelecido, após o evento que
lhe der causa, que não pode ser cumulativo

STAD
com o mesmo apoio prestado em sede de
acidente de trabalho;

c) Não determina a perda de quaisquer direitos,


incluindo quanto à retribuição e são conside‑
radas como prestação efetiva de trabalho, as
seguintes ausências do trabalhador:

STAD
i. Até 2 dias seguintes ao incidente;
ii. As ausências, pelo tempo estritamente
necessário, para tratamento de assuntos
legais relacionados com o incidente,
desde que devidamente comprovadas
por documento a emitir pela autoridade
judiciária;
iii. Pagamento das despesas de deslocação,
devidamente comprovadas, a tribunal ou

STAD
a autoridade judiciária relacionada com
o incidente, de acordo com os critérios
previstos no número 6 da cláusula 18ª.

22
STAD Cláusula 69ª – B
Critérios a aplicar em caso de despedimento coletivo e indemnização

1. Em caso de despedimento coletivo dos traba‑


lhadores abrangidos pelos capítulos XV e XVI, serão

STAD
aplicados as seguintes regras e critérios:

a) As empresas procurarão, num primeiro


momento, rescindir por mútuo acordo com
qualquer trabalhador que o pretenda fazer,
independentemente da sua antiguidade;

b) Caso não existam rescisões por mútuo

STAD
acordo ou estas sejam insuficientes para
o número de trabalhadores envolvidos no
despedimento coletivo, a empresa aplicará
o critério segundo o qual cinquenta por
cento dos trabalhadores envolvidos serão
aqueles que possuem menor antiguidade
na categoria profissional por área geográ‑
fica da delegação em que se proceder ao
despedimento.

STAD
2. Em caso de despedimento coletivo o valor da
indemnização a receber por cada trabalhador será o
correspondente a um mês de retribuição por cada
ano de antiguidade na empresa e contando­‑se toda a
antiguidade.

23
STAD Cláusula 69ª – C
Participação sindical nos processos de despedimento coletivo

1. Em caso de despedimento coletivo dos trabalha‑


dores abrangidos pelos capítulos XV e XVI, a empresa

STAD
deverá obrigatoriamente comunicar ao sindicato a sua
realização num prazo nunca inferior a quinze dias.

2. A empresa fornecerá ao sindicato todos os


fundamentos económicos para a realização do despe‑
dimento, bem como outros da mesma natureza que
venham a ser solicitados pelo sindicato.

STAD
Cláusula 70ª
Regime Supletivo

1. Em tudo o que não esteja previsto no presente


capítulo, aplica­‑se o estabelecido neste CCT.

2. Sem prejuízo do previsto no número anterior,


manter­‑se­‑ão em vigor as cláusulas 66ª e 67ª, com a
redação que lhes foi dada pelo CCT publicado no BTE

STAD
nº 38, de 15 de outubro de 2017.

24
STAD CAPÍTULO XVI

Regras específicas para os Operadores de


Valores

STAD
Cláusula 75.ª
Regime Supletivo

1. Em tudo o que não esteja previsto no presente


capítulo, aplica­‑se o estabelecido neste CCT.

2. Sem prejuízo do previsto no número anterior,


manter­‑se­‑ão em vigor as cláusulas 72ª e 73ª, com a

STAD
redação que lhes foi dada pelo CCT publicado no BTE
nº 38, de 15 de outubro de 2017.

STAD
25
STAD Capítulo XX

Disposições finais

Cláusula 85.ª

STAD
Normas transitórias

1. Para os trabalhadores com as categorias de


Vigilante Aeroportuário APA­‑A, Telefonista, Vigilante,
Contínuo e Porteiro/Guarda fica suspenso durante um
período de vinte e quatro meses, com início em 1 de
janeiro de 2019 e términus em 31 de dezembro de
2020, aplicando­‑se durante o período de suspensão

STAD
os seguintes valores percentuais:

a) Cláusula 38ª, nº 2, alínea a) – 37,5 %;

b) Cláusula 42ª, nº 2 – 50%.

2. Decorrido que seja o período de suspensão


previsto no número anterior, a partir de 1 de janeiro
de 2021 as cláusulas em questão retomarão a redação

STAD
que vigorava antes do período de suspensão.

26
STAD

STAD

STAD
Anexos

STAD
27
STAD

STAD

STAD

STAD
STAD ANEXO II

TABELAS SALARIAIS A
Entrada em vigor a 01.01.2019

STAD
Nível Categorias jan/19

I Diretor de Serviços 1301,90


Analista de Sistemas
II 1229,62
Contabilista / Técnico de Contas
III Gestor Aeroportuário 1194,80
Chefe de Serviços
IV 1157,37
Chefe de Serviço de Vendas
V Supervisor Aeroportuário 1088,66
Chefe de Divisão

STAD
VI Programador de Informática 1085,59
Técnico Principal de Eletrónica
VII Vigilante de Transporte de Valores 1054,12
Chefe de Secção
VIII Chefe de Vendas 1012,84
Secretario de gerência ou de administração
IX Chefe de Brigada / Supervisor 980,60
X Chefe de Grupo Aeroportuário 976,70
Encarregado de eletricista
Encarregado de Armazém

STAD
XI Técnico de eletrónica 961,92
Vigilante chefe de TVA
Técnico de Telecomunicações
Técnico Administrativo Principal
XII 896,76
Secretario de Direção
XIII Vigilante Chefe / Controlador 839,30
XIV Oficial Eletricista de sistemas de Alarme 823,31

29
STAD
Nível Categorias jan/19

XV Vigilante Aeroportuário/APA­‑A 816,69


XVI Técnico Administrativo de 1ª Classe 816,20
XVII Operador de Valores 814,77
Caixa

STAD
Operador Informático
XVIII 789,27
Encarregado de serviços auxiliares
Vendedor/ Consultor de Segurança
Fiel de Armazém
XIX 751,06
Técnico administrativo 2ª classe
Empregado de Serviços Externos
XX Prospetor de Vendas 738,02
Rececionista
XXI Cobrador 717,87
XXII Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 2º ano 707,21

STAD
Telefonista
Vigilante
XXIII 694,39
Continuo
Porteiro / Guarda
Estagiário de 1ª classe
XXIV Empacotador 612,45
Servente ou auxiliar de armazém
Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 1º ano
Trabalhador de Limpeza
Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 2º ano

STAD
Estagiário de 2ª classe
XXV Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 1º ano a)
Paquete
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 2º
período
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 1º
período
(a) aplica­‑se o valor da retribuição mínima mensal.

30
STADTABELAS SALARIAIS B
Entrada em vigor a 01.07.2019

Nível Categorias jul/19

STAD
I Diretor de Serviços 1301,90
Analista de Sistemas
II 1229,62
Contabilista / Técnico de Contas
III Gestor Aeroportuário 1194,80
Chefe de Serviços
IV 1157,37
Chefe de Serviço de Vendas
V Supervisor Aeroportuário 1088,66
Chefe de Divisão
VI Programador de Informática 1085,59
Técnico Principal de Eletrónica

STAD
VII Vigilante de Transporte de Valores 1054,12
Chefe de Secção
VIII Chefe de Vendas 1012,84
Secretario de gerência ou de administração
IX Chefe de Brigada / Supervisor 980,60
X Chefe de Grupo Aeroportuário 976,70
Encarregado de eletricista
Encarregado de Armazém
XI Técnico de eletrónica 961,92
Vigilante chefe de TVA
Técnico de Telecomunicações

STAD
Técnico Administrativo Principal
XII 896,76
Secretario de Direção
XIII Vigilante Chefe / Controlador 839,30
XIV Oficial Eletricista de sistemas de Alarme 823,31
XV Vigilante Aeroportuário / APA­‑A 816,69
XVI Técnico Administrativo de 1ª Classe 816,20

31
STAD
Nível Categorias jul/19

XVII Operador de Valores 814,77


Caixa
Operador Informático
XVIII 789,27
Encarregado de serviços auxiliares

STAD
Vendedor / Consultor de Segurança
Fiel de Armazém
XIX 751,06
Técnico administrativo 2ª classe
Empregado de Serviços Externos
XX Prospetor de Vendas 738,02
Rececionista
Telefonista
Vigilante
XXI 729,11
Continuo
Porteiro / Guarda

STAD
XXII Cobrador 717,87
XXIII Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 2º ano 707,21
Estagiário de 1ª classe
XXIV Empacotador 612,45
Servente ou auxiliar de armazém
Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 1º ano
Trabalhador de Limpeza
Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 2º
ano
Estagiário de 2ª classe

STAD
XXV Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 1º a)
ano
Paquete
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 2º
período
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 1º
período
(a) aplica­‑se o valor da retribuição mínima mensal.

32
STADTABELAS SALARIAIS C
Entrada em vigor a 01.01.2020

Nível Categorias jan/20

STAD
I Diretor de Serviços 1340,96
Analista de Sistemas
II 1266,51
Contabilista / Técnico de Contas
III Gestor Aeroportuário 1230,64
Chefe de Serviços
IV 1192,09
Chefe de Serviço de Vendas
V Supervisor Aeroportuário 1121,32
Chefe de Divisão
VI Programador de Informática 1118,16
Técnico Principal de Eletrónica

STAD
VII Vigilante de Transporte de Valores 1088,38
Chefe de Secção
VIII Chefe de Vendas 1043,23
Secretario de gerência ou de administração
IX Chefe de Brigada / Supervisor 1029,63
X Chefe de Grupo Aeroportuário 1006,00
Encarregado de eletricista
Encarregado de Armazém
XI Técnico de eletrónica 990,78
Vigilante chefe de TVA
Técnico de Telecomunicações

STAD
Técnico Administrativo Principal
XII 923,66
Secretario de Direção
XIII Vigilante Chefe / Controlador 881,27
XIV Vigilante Aeroportuário / APA­‑A 857,52
XV Oficial Eletricista de sistemas de Alarme 848,01
XVI Operador de Valores 841,25

33
STAD
Nível Categorias jan/20

XVII Técnico Administrativo de 1ª Classe 840,69


Caixa
Operador Informático
XVIII 812,95
Encarregado de serviços auxiliares

STAD
Vendedor / Consultor de Segurança
Fiel de Armazém
XIX 773,59
Técnico administrativo 2ª classe
Telefonista  
Vigilante 765,57
XX
Continuo  
Porteiro / Guarda  
Empregado de Serviços Externos
XXI Prospetor de Vendas 760,16
Rececionista

STAD
XXII Cobrador 739,41
XXIII Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 2º ano 728,43
Estagiário de 1ª classe
XXIV Empacotador 630,82
Servente ou auxiliar de armazém
Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 1º ano
Trabalhador de Limpeza
Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 2º
ano
Estagiário de 2ª classe

STAD
XXV Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 1º a)
ano
Paquete
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 2º
período
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 1º
período
(a) aplica­‑se o valor da retribuição mínima mensal.

34
STADTABELAS SALARIAIS D
Entrada em vigor a 01.07.2020

Nível Categorias jul/20

STAD
I Diretor de Serviços 1340,96
Analista de Sistemas
II 1266,51
Contabilista / Técnico de Contas
III Gestor Aeroportuário 1230,64
Chefe de Serviços
IV 1192,09
Chefe de Serviço de Vendas
V Supervisor Aeroportuário 1121,32
Chefe de Divisão
VI Programador de Informática 1118,16
Técnico Principal de Eletrónica

STAD
VII Vigilante de Transporte de Valores 1088,38
Chefe de Secção
VIII Chefe de Vendas 1043,23
Secretario de gerência ou de administração
IX Chefe de Brigada / Supervisor 1029,63
X Chefe de Grupo Aeroportuário 1006,00
Encarregado de eletricista
Encarregado de Armazém
XI Técnico de eletrónica 990,78
Vigilante chefe de TVA
Técnico de Telecomunicações

STAD
Técnico Administrativo Principal
XII 923,66
Secretario de Direção
XIII Vigilante Aeroportuário/APA­‑A 891,82
XIV Vigilante Chefe/ Controlador 881,27
XV Oficial Eletricista de sistemas de Alarme 848,01
XVI Operador de Valores 841,25

35
STAD
Nível Categorias jul/20

XVII Técnico Administrativo de 1ª Classe 840,69


Caixa
Operador Informático
XVIII 812,95
Encarregado de serviços auxiliares

STAD
Vendedor/ Consultor de Segurança
Telefonista  
Vigilante 796,19
XIX
Continuo  
Porteiro/ Guarda  
Fiel de Armazém
XX 773,59
Técnico administrativo 2ª classe
Empregado de Serviços Externos
XXI Prospetor de Vendas 760,16
Rececionista

STAD
XXII Cobrador 739,41
XXIII Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 2º ano 728,43
Estagiário de 1ª classe
XXIV Empacotador 630,82
Servente ou auxiliar de armazém
Pré­‑oficial eletricista de sistemas de alarme do 1º ano
Trabalhador de Limpeza
Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 2º
ano
Estagiário de 2ª classe

STAD
XXV Ajudante de eletricista de sistemas de alarme do 1º a)
ano
Paquete
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 2º
período
Aprendiz de eletricista de sistemas de alarme do 1º
período
(a) aplica­‑se o valor da retribuição mínima mensal.

36
STAD ANEXO III

SUBSIDIOS DE ALIMENTAÇÃO
(valores em euros)

STAD
O subsidio de alimentação, por cada dia de trabalho
prestado é de:
1 de janeiro de 1 de janeiro
Categorias
2019 de 2020
Vigilante de Transporte de Valores 6.90 **
Operador de Valores 6.19 **
Restantes categorias 6.06 **

Os valores do subsídio de alimentação de 1 de janeiro de 2019 foram


definidos com a percentagem de IPC sem habitação em 2018 (0,95%)

STAD
** Os valores dos anexos III, IV, V, VI e VII serão actualizados
em Janeiro de 2020 de acordo com a percentagem
definida pelo IPC sem habitação.

STAD
37
STAD ANEXO IV

SUBSIDIOS DE FUNÇÃO
(valores em euros)

STAD
Os trabalhadores que desempenhem as funções
abaixo indicadas terão os seguintes subsídios por mês:
1 de Janeiro 1 de janeiro
Função
de 2019 de 2020
Chefe de Grupo 49.91 **
Escalador 167.18 **
Rondista Distrito 124.24 **
Operador de Central 63 **
Chefe de Equipa Aeroportuário 41.13 **

STAD
Fiscal de Transporte Público 63 **

Os valores do subsídio de alimentação de 1 de janeiro de 2019 foram


definidos com a percentagem de IPC sem habitação em 2018 (0,95%)
** Os valores dos anexos III, IV, V, VI e VII serão actualizados
em Janeiro de 2020 de acordo com a percentagem
definida pelo IPC sem habitação.

STAD
38
STAD ANEXO V

ABONO PARA FALHAS


(valores em euros)

STAD
Os trabalhadores que desempenhem as funções
abaixo indicadas terão os seguintes abonos por mês:
1 de Janeiro de 1 de janeiro de
2019 2020
Caixa 44.11 **
Operador de Valores 44.11 **
Empregado de serviços externos 39.47 **
Cobrador 39.47 **
** Os valores dos anexos III, IV, V, VI e VII serão actualizados

STAD
em Janeiro de 2020 de acordo com a percentagem
definida pelo IPC sem habitação.

STAD
39
STAD ANEXO VI

SUBSÍDIO DE DESLOCAÇÃO
(valores em euros)

STAD
1 de Janeiro de 1 de janeiro de
2019 2020
Almoço ou Jantar 11.05 **
Dormida e Pequeno -almoço 33.68 **
Diária Completa 55.78 **

** Os valores dos anexos III, IV, V, VI e VII serão actualizados


em Janeiro de 2020 de acordo com a percentagem
definida pelo IPC sem habitação.

STAD

STAD
40
STAD ANEXO VII

SUBSÍDIO DE TRANSPORTE

1. Os VAP/APA – A, terão direito a auferir um subsí -

STAD
dio de transporte no valor de 40,83 €, pagos durante
onze meses ao ano.
2. Este subsídio será pago a partir de 01 de julho
de 2019.
3. O valor do subsídio de transporte será atualizado
a 01 de janeiro de 2020, pelo IPC sem habitação.

1 de Julho de 1 de janeiro de

STAD
2019 2020
S ubsídio de Transporte 40.83 **

** Os valores dos anexos III, IV, V, VI e VII serão actualizados


em Janeiro de 2020 de acordo com a percentagem
definida pelo IPC sem habitação.

As percentagens de aumento do IPC referidos nos


anteriores anexos III, IV, V, VI e VII referem -se à taxa de

STAD
variação média sem habitação do ano anterior, fixada
pelo INE, cujos respetivos valores serão estabelecidos
em reunião de comissão paritária que se realizará em
janeiro do ano seguinte para seguidamente ser publicada
em BTE.

41
STAD
Lisboa, 30 de Novembro de 2018

Pela AES – Associação de Empresas de Segurança

__________________________

STAD
Pedro Monteiro Fernandes, na qualidade de mandatário

Pelo STAD –Sindicato dos Trabalhadores dos Serviços


de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades
Diversas

__________________________
Rui Manuel de Melo Tomé, na qualidade de mandatário

STAD
Pelo SINTTAV – Sindicato Nacional dos Trabalhadores das
Telecomunicações e Audiovisual

__________________________
Manuel Francisco Anselmo Coelho Gonçalves, na qualidade de mandatário

STAD
42
STAD

STAD
TABELAS DOS CÁLCULOS

STAD
DOS VALORES DE PAGAMENTOS DE
RETRIBUIÇÕES PARA AS PRINCIPAIS
CATEGORIAS PROFISSIONAIS

STAD
43
STAD

STAD

STAD

STAD
STAD
1. TRABALHO NORMAL ­‑ TRABALHO
REALIZADO DENTRO DO HORÁRIO
NORMAL

i) Para os trabalhadores a tempo inteiro em período

STAD
normal de trabalho (40 horas semanais ) ‑­ cláusula
19ª,
ii) Para os trabalhadores em regime de adapatabili‑
dade, com 40 horas semanais­‑médias em cada período
de seis meses, no máximo, não podendo ultrapassar
50 horas semanais nem 10 horas/dia, nem ser inferior
a 6 horas/dia ­‑ cláusula 22ª;
ENTRADA EM VIGOR

STAD
1.Jan. 1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Gestor Aeroportuário 1194.80 1230.64
Supervisor
1088.66 1121.32
Aeroportuário
Vigilante de Transporte
1054.12 1088.38
de Valores
Chefe de Grupo
976.70 1006.00
Aeroportuário
Chefe de Brigada/
Retribuição 980.60 1029.63
1a) Supervisor
mensal
Vigilante Chefe de
961.92 990.78
TVA

STAD
Vigilante Chefe/
839.30 881.27
Controlador
Operador de Valores 814.77 841.25
Vigilante
816.69 857.52 891.82
Aeroportuário/APA­‑A
Vigilante 694.39 729.11 765.570 796.19

45
STAD 1.Jan.
ENTRADA EM VIGOR
1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Gestor Aeroportuário 6.89 7.10
Supervisor
6.28 6.47
Aeroportuário
Vigilante de Transporte

STAD
6.08 6.28
de Valores
Chefe de Grupo
5.63 5.80
Aeroportuário
Chefe de Brigada/
5.66 5.94
1b) Valor/Hora Supervisor
Vigilante Chefe de
5.55 5.72
TVA
Vigilante Chefe/
4.84 5.08
Controlador
Operador de Valores 4.70 4.85
Vigilante
4.71 4.95 5.15
Aeroportuário/APA­‑A

STAD
Vigilante 4.01 4.21 4.42 4.59

Gestor Aeroportuário 55.12 56.80


Supervisor
50.24 51.76
Aeroportuário
Vigilante de Transporte
48.64 50.24
de Valores
Chefe de Grupo
45.04 46.40
Aeroportuário
Chefe de Brigada/
45.28 47.52
1c) Valor/Dia Supervisor
Vigilante Chefe de
44.40 45.76

STAD
TVA
Vigilante Chefe/
38.72 40.64
Controlador
Operador de Valores 37.60 38.80
Vigilante
37.92 39.60 41.20
Aeroportuário/APA­‑A
Vigilante 32.08 33.68 35.36 36.72

46
STAD 1.Jan.
ENTRADA EM VIGOR
1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Valor/hora
nocturna Gestor Aeroportuário 8.61 8.88
(cláusula 41ª,
ponto 4):

STAD
Supervisor
i) para os 7.85 8.09
Aeroportuário
trabalhado‑
res admiti‑
Vigilante de Transporte
dos até 15 7.60 7.85
de Valores
de Julho
de 2004,­‑o
período Chefe de Grupo
7.04 7.25
nocturno Aeroportuário
refere­‑se às
horas das Chefe de Brigada/
7.08 7.43
20h00 às Supervisor
1d) 7h00 do dia
seguinte; Vigilante Chefe de
6.94 7.15

STAD
ii) para TVA
os traba‑
lhadores Vigilante Chefe/
6.05 6.35
admitidos Controlador
apartir de15
de Julho
Operador de Valores 5.88 6.06
de 2004,­‑o
período
nocturno Vigilante
refere­‑se às 5.89 6.19 6.44
Aeroportuário/APA­‑A
ho­ras das
21h00 às
6h00 do dia Vigilante 5.01 5.26 5.53 5.74

STAD
seguinte.

47
STAD
2. TRABALHO SUPLEMENTAR PRESTADO
NOS DIAS DE TRABALHO NORMAL
(para além do horário normal de trabalho diário) ­‑ cláusulas 38ª, 66ª e
72ª)

STAD
Tem um limite de 200 horas por ano que só pode
ser ultrapassado por motivos de força maior.
O trabalho nocturno só é considerado nos períodos
referidos no nº 1.d)
ENTRADA EM VIGOR
1.Jan. 1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Gestor Aeroportuário 10.34 10.65
Valor/HoraSupervisor
9.42 9.71

STAD
Diurna Aeroportuário
(Cláusula Chefe de Grupo
38ª) 8.45 8.70
Aeroportuário
(excepto Chefe de Brigada/
8.49 8.91
2a) para Supervisor
Vigilantes de Vigilante Chefe TVA 8.33 8.58
Transporte Vigilante Chefe/
da Valores, 7.26 7.62
Controlador
Operador Vigilante
6.48 6.81 7.08
de Valores) Aeroportuário/APA-A
Vigilante 5.51 5.79 6.08 6.31

STAD
48
STAD 1.Jan.
ENTRADA EM VIGOR
1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Valor/Hora Vigilante de Transporte
9.12 9.42
Diurna de Valores (1ª h)
(cláusula 66ªOperador de Valores
e 72ª 7.05 7.28
(1ª h)

STAD
Para Vigilante de Transporte
2b)
Vigilantes de de Valores (2ª h e 10.64 10.99
Transporte seguintes)
de Valores
Operador de Valores
e Operador 8.23 8.49
(2ª h e seguintes)
de Valores

Gestor Aeroportuário 15.07 15.53


Supervisor
13.74 14.15
Valor/Hora Aeroportuário
Nocturna Vigilante de Transporte
(cláusula 38ª) 15.20 15.70
de Valores

STAD
Só se consi‑ Chefe de Grupo
12.32 12.69
deram horas Aeroportuário
nocturnas as Chefe de Brigada/
2c) referidas em 12.38 12.99
Supervisor
1d) (para Vigilante Chefe TVA 12.14 12.51
vigilantes de
Vigilante Chefe/
transporte 10.59 11.11
Controlador
de valores
e Operador Operador de Valores 11.75 12.13
de Valores) Vigilante
10.30 10.83 11.27
Aeroportuário/APA-A
Vigilante 8.77 9.21 9.67 10.04
Nota: Não existe direito ao descanso compensatório por trabalho

STAD
suplementar realizado em dia normal

49
STAD
3. TRABALHO PRESTADO EM DIAS
FERIADOS (cláusula 42ª)

3.1 Pagamentos (para as categorias de vigilante


aeroportuário APA­‑A e vigilante, o pagamento dos

STAD
feriados a partir de 01 de Janeiro de 2021 será nova‑
mente de 100%)
ENTRADA EM VIGOR
1.Jan. 1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Gestor Aeroportuário 55.12 56.80
Supervisor
50.24 51.76
Aeroportuário
Para
Vigilante de Transporte
além da 48.64 50.24
de Valores
retribuição

STAD
Chefe de Grupo
normal do 45.04 46.40
Aeroportuário
mês se o
Chefe de Brigada/
3.1 trabalhador Supervisor 45.28 47.52
a) em dias Vigilante Chefe de
44.40 45.76
feriados, TVA
por cada Vigilante Chefe/
dia feriado 38.72 40.64
Controlador
trabalhado Operador de Valores 37.60 38.80
recebe mais
Vigilante
18.96 19.80 20.60
Aeroportuário/APA-A
Vigilante 16.04 16.84 17.68 18.36

STAD
50
STAD 1.Jan.
ENTRADA EM VIGOR
1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020

Gestor Aeroportuário 1.72 1.78


Valor/hora
se tiver

STAD
Supervisor
horas noc‑ 1.57 1.62
Aeroportuário
turnas - Só
se conside‑
ram horas Vigilante de Transporte
1.52 1.57
nocturnas as de Valores
referidas no
nº1.d) - Para Chefe de Grupo
além da 1.41 1.45
Aeroportuário
retribuição
normal do
mês se o Chefe de Brigada/
1.41 1.49
trabalhador Supervisor
3.1
trabalhar e

STAD
b)
dias feriados Vigilante Chefe de
e nesse dia 1.39 1.43
TVA
trabalhar
horas
nocturnas, Vigilante Chefe/
1.21 1.27
para além Controlador
da retri‑
buição do
Operador de Valores 1.18 1.21
dia referida
na alínea
anterior, por
Vigilante
cada hora 1.18 1.24 1.29
Aeroportuário/APA-A
nocturna

STAD
recebe mais
Vigilante 1.00 1.05 1.11 1.15

51
STAD
3.2. Descanso Compensatório

3.2a) ­‑ A partir de 1 de Janeiro de 2018, o trabalho


em dia feriado não dá direito a descanso compensató‑
rio, excepto nos casos referidos nos pontos seguintes:

STAD
(cláusula 42ª, alínea 2)

3.2b) ‑­ Os vigilantes transportes de valores e os


Operadores mantém o direito a um dia de descanso
compensatório por cada feriado trabalhado (cláusulas
67ª e 73ª)

3.2c) ­‑ Se o feriado coincidir com a folga do traba‑

STAD
lhador, o trabalhador tem direito a um dia de descanso
complementar a gozar num dos três dias seguintes,
auferindo ainda um acréscimo remuneratório de 200%
(cláusula 42ª nº4)

STAD
52
STAD
4. TRABALHO SUPLEMENTAR EM DIAS
FERIADOS
(para além do horário normal de trabalho) ­‑ cláusula 42ª

4.1 Pagamentos

STAD
1.Jan. 1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Gestor 4.1b) 20.68 21.30
Supervisor
18.84 19.42
Aeroportuário
Valor/Hora Chefe de Grupo
Diurna 16.90 17.40
Aeroportuário
(Excepto
Chefe de Brigada/
para 16.98 17.82
4.1 Supervisor
Vigilante de
a) Vigilante Chefe de
Transporte 16.66 17.16
TVA
da Valores e
Vigilante Chefe/

STAD
Operador 14.52 15.24
de Valores) Controlador
Vigilante
12.96 13.62 14.16
Aeroportuário/APA-A
Vigilante 11.02 11.58 12.16 12.62

Vigilante de Transporte
18.24 18.84
Valor/Hora de Valores (1ª h)
Diurna para Operador de Valores
14.10 14.56
Vigilante de (1ª h)
4.1
Trans-porte Vigilante de Transporte
b)
de Valores de Valores (2ª h e 21.28 21.98
e Operador seguintes)

STAD
de Valores Operador de Valores
16.46 16.98
(2ª h e seguintes)

53
STAD 1.Jan.
2019
1.Jul.
2019
1.Jan.
2020
1.Jul.
2020
Gestor Aeroportuário 30.14 31.06
Supervisor
27.48 28.30
Aeroportuário
Vigilante de Transporte
30.40 31.40
de Valores

STAD
Valor/Hora Chefe de Grupo
Nocturna 24.64 25.38
Aeroportuário
(Só se Chefe de Brigada/
4.1 consideram Supervisor 24.76 25.98
c) horas Vigilante Chefe de
nocturnas as TVA 24.28 25.02
referidas em Vigilante Chefe/
1d) 21.18 22.22
Controlador
Operador de Valores 23.50 24.26
Vigilante
20.60 21.66 22.54
Aeroportuário/APA-A
Vigilante 17.54 18.42 19.34 20.08

STAD
4.2. Descanso Compensatório (cláusula 42ª nº5)
O trabalho suplementar prestado em dia feriado
confere aos trabalhadores o direito a um descanso
compensatório remunerado correspondente a 25%
das horas de trabalho suplementar realizado.

STAD
54
STAD
5. TRABALHO PRESTADO EM DIA DE
DESCANSO SEMANAL OBRIGATÓRIO OU
COMPLEMENTAR
(cláusula 40ª)

STAD
5.1 Pagamentos
1.Jan. 1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Valor/ Gestor Aeroportuário 110.24 113.60
dia - Para Supervisor
além da 100.48 103.52
Aeroportuário
retribuição Vigilante de Transporte
Valor/dia - 97.28 100.48
de Valores
Para além Chefe de Grupo
da retribui‑ Aeroportuário 90.08 92.80
ção normal Chefe de Brigada/
do mês, se o Supervisor 90.56 95.04

STAD
trabalhador
5.1 Vigilante Chefe de
trabalhar 88.80 91.52
a) TVA
em dia de
Vigilante Chefe/
descanso 77.44 81.28
Controlador
semanal
obrigatório Operador de Valores 75.20 77.60
e comple‑ Vigilante
37.92 39.60 41.20
mentar, por Aeroportuário/APA-A
cada dia
recebe um
acréscimo Vigilante 32.08 33.68 35.36 36.72
retributivo
de 200%

STAD
55
STAD 1.Jan.
2019
1.Jul.
2019
1.Jan.
2020
1.Jul.
2020

Valor/ Gestor Aeroportuário 3.44 3.56


hora se
tiver horas
nocturnas Supervisor
3.14 3.24

STAD
- Só se Aeroportuário
consideram
horas
Vigilante de Transporte
nocturnas as 3.04 3.14
de Valores
referidas no
nº1,d) - Para
além da Chefe de Grupo
2.82 2.90
retribuição Aeroportuário
normal do
mês, se o Chefe de Brigada/
2.82 2.98
trabalhador Supervisor
5.1 em dia de
b) descanso
Vigilante Chefe de
2.78 2.86

STAD
semanal
TVA
obrigatório
ou comple‑
-mentar, e Vigilante Chefe/
2.42 2.54
nesse dia Controlador
trabalhar
horas noc‑
turnas, para Operador de Valores 2.36 2.42
além da
retribuição
referida em Vigilante
2.36 2.48 2.58
5.1 a), por Aeroportuário/APA-A
cada hora
nocturna

STAD
recebe mais Vigilante 2.00 2.10 2.22 2.30

56
STAD 1.Jan.
2019
1.Jul.
2019
1.Jan.
2020
1.Jul.
2020
Gestor Aeroportuário 13.78 14.20
Valor / Supervisor
12.56 12.94
hora - Se Aeroportuário
não chegar Vigilante de Transporte
a ter um dia 12.16 12.56
de Valores

STAD
completo Chefe de Grupo
de trabalho 11.26 11.60
Aeroportuário
para além Chefe de Brigada/
5.1 da retribui‑ 11.32 11.88
Supervisor
c) ção normal
Vigilante Chefe de
do mês, por 11.10 11.44
TVA
cada hora
Vigilante Chefe/
trabalhada 9.68 10.16
Controlador
em dia de
descanso Operador de Valores 9.40 9.70
semanal Vigilante
9.42 9.90 10.30
recebe mais Aeroportuário/APA-A
Vigilante 8.02 8.42 8.84 9.18

STAD
5.2 Descanso Compensatório (cláusulas 40ª)

5.2 a) ­‑ O trabalho prestado em dia de descanso


semanal obrigatório dá direito a um acréscimo retri‑
butivo de 200% e à concessão de um dia de descanso
complementar num dos três dias seguintes;

5.2 b) ­‑ O trabalho prestado em dia de descanso

STAD
complementar dá direito a um acréscimo retribuitivo
de 200%.

57
STAD
6. TRABALHO SUPLEMENTAR PRESTADO
EM DIA DE DESCANSO SEMANAL

Considera­‑se trabalho suplementar nos dias de


descanso semanal aquele que for prestado para além

STAD
do horário normal (cláusula 39ª)
1.Jan. 1.Jul. 1.Jan. 1.Jul.
2019 2019 2020 2020
Gestor Aeroportuário 31.02 31.95
Supervisor
28.26 29.13
Aeroportuário
Valor/Hora Chefe de Grupo
Diurna 25.35 26.10
Aeroportuário
(excepto
Chefe de Brigada/
para 25.47 26.73
Supervisor
6 a) Vigilante de
Vigilante Chefe de

STAD
Transporte 24.99 25.74
TVA
da Valores,
Operador Vigilante Chefe/
21.78 22.86
de Valores) Controlador
Vigilante
19.44 20.43 21.24
Aeroportuário/APA-A
Vigilante 16.53 17.37 18.24 18.93

Vigilante de Transporte
27.36 28.26
Valor/hora de Valores (1ª h)
diúrna para Operador de Valores
21.15 21.84
Vigilante de (1ª h)
6
Transporte Vigilante de Transporte

STAD
b)
de Valores de Valores (2ª h e 31.92 32.97
e Operador seguintes)
de Valores Operador de Valores
24.69 25.47
(2ª h e seguintes)

58
STAD 1.Jan.
2019
1.Jul.
2019
1.Jan.
2020
1.Jul.
2020
Gestor Aeroportuário 45.21 46.59
Supervisor
41.22 42.45
Aeroportuário
Vigilante de Transporte
45.60 47.10
Valor/Hora de Valores

STAD
Nocturna Chefe de Grupo
36.96 38.07
(cláusula 38ª Aeroportuário
e 66ª) Chefe de Brigada/
37.14 38.97
6 c) Só se consi‑ Supervisor
deram horas Vigilante Chefe de
36.42 37.56
nocturnas as TVA
referidas no Vigilante Chefe/
31.77 33.33
nº 1d) Controlador
Operador de Valores 35.25 36.39
Vigilante
30.90 32.49 33.81
Aeroportuário/APA-A
Vigilante 26.31 27.63 29.01 30.12

STAD

STAD
59
STAD

STAD

STAD

STAD
STAD

STAD

STAD
tabela das publicações dos
CCTs ao longo dos anos

STAD
61
STAD

STAD

STAD

STAD
STAD
Data da Portaria de
Publicação Efeitos OBS
Vigência Extensão
01/10/1975 a BMT 13
ACT
31/07/1978 - 15/07/76
01/10/1975 a BMT 13 Decisão
31/07/1978 - 15/07/76 Arbitral

STAD
01/08/1978 a BTE 16 BTE n.º 38 de
A 01/05/1979 ACT
31/05/1980 – 29/04/1979 15/10/1979
01/06/1980 a BTE 17 BTE n.º 30 de
A 01/06/1980 ACT
31/05/1981 – 08/05/1980 15/08/1980
01/06/1981 a BTE 29 BTE n.º 45 de
A 01/07/1981 ACT
31/12/1982 – 08/08/1981 07/10/1981
01/01/1983 a BTE 1 BTE n.º 21 de
A 01/07/1983 ACT
31/12/1983 – 08/01/1983 08/06/1983
01/08/1984 a BTE 2 BTE n.º 21 de
A 01/02/1984 ACT
31/12/1984 – 01/01/1984 08/06/1984
01/01/1985 a BTE 2 BTE n.º 20 de
A 01/02/1985 ACT
31/12/1985 – 15/01/1985 29/05/1985

STAD
01/01/1986 a BTE 2 BTE n.º 24 de
A 01/01/1986 ACT
31/12/1986 – 15/01/1986 29/06/1986
01/01/1987 a BTE 2 BTE n.º 27 de
A 01/04/1987 ACT
31/12/1987 – 15/01/1987 22/07/1987
01/01/1988 a BTE 2 BTE n.º 15 de
A 01/02/1988 ACT
31/12/1988 – 15/01/1988 22/04/1988
01/01/1989 a BTE 2 BTE n.º 12 de
A 01/02/1989 ACT
31/12/1989 – 15/01/1989 29/03/1989
01/01/1990 a BTE 1 BTE n.º 31 de
A 01/04/1990 ACT
31/12/1990 – 08/01/1990 22/08/1990
01/01/1991 a BTE 4 BTE n.º 23 de
A 01/02/1991 CCT
31/12/1991 – 29/01/1991 22/06/1991
01/01/1992 a BTE 4 BTE n.º 28 de
A 01/02/1992 CCT

STAD
31/12/1992 –29/01/1992 29/07/1992
01/01/1993 a BTE BTE n.º 13 de
A 01/02/1993 CCT
31/12/1993 4– 28/01/1993 08/04/1993
01/01/1994 a BTE 16 BTE n.º 25 de
A 01/03/1994 CCT
31/12/1994 – 29/04/1994 08/07/1994
01/01/1995 a BTE 15 BTE n.º 30 de
A 01/02/1999 CCT
31/12/1995 – 22/04/1995 15/08/1995

63
01/01/1996
31/07/1997
a
STAD
BTE 14
– 15/04/1996
CCT
01/08/1997 a BTE 5 BTE n.º 18 de
A 01/08/1997 CCT
31/12/1998 – 08/02/1998 15/05/1998
01/01/1999 a BTE 5 BTE n.º 24 de
A 01/02/1999 CCT
31/12/1999 – 08/02/1999 29/06/1999
01/01/2000 a BTE 5
CCT

STAD
31/12/2000 – 08/02/2000
01/01/2001 a BTE 5
CCT
31/12/2002 – 08/02/2001
01/01/2003 a BTE 10 BTE n.º 21 de
CCT
14/07/2004 – 15/03/2003 08/06/2003
15/07/2004 a BTE 26 BTE n.º 25 de
CCT
14/03/2006 – 15/07/2004 08/07/2005
15/03/2006 a BTE 10
CCT
14/02/2008 – 15/03/2006
15/02/2008 a BTE 06 BTE n.º 27 de
CCT
14/03/2009 – 15/02/2008 22/07/2008
15/03/2009 a BTE 10 BTE n.º 30 de
CCT
07/05/2011 – 15/03/2009 15/08/2009

STAD
08/05/2011 a BTE 17 DR 131/12
CCT
30/09/2017 – 08/05/2011 7/5/2012
01/10/2017 a BTE 38 BTE nº 44 de
A 1/11/2017 CCT
31/12/2018 – 15/10/2017 29/11/2017
01/01/2019 a BTE 48
31/12/2020 – 29/12/2018

STAD
64
STAD Índice

CAPÍTULO I

STAD
Área, âmbito e vigência 9

CAPÍTULO V
Vicissitudes Contratuais 12

CAPÍTULO XV
Regras específicas para os Vigilantes de Transporte de Valores 21

CAPÍTULO XVI
Regras específicas para os Operadores de Valores 25

STAD
Capítulo XX
Disposições finais 26

Anexos 27

ANEXO II
TABELAS SALARIAIS A 29
TABELAS SALARIAIS B 31
TABELAS SALARIAIS C 33
TABELAS SALARIAIS D 35

STAD
ANEXO III
SUBSIDIOS DE ALIMENTAÇÃO 37

ANEXO IV
SUBSIDIOS DE FUNÇÃO 38
STAD
ANEXO V
ABONO PARA FALHAS 39

ANEXO VI
SUBSÍDIO DE DESLOCAÇÃO 40

ANEXO VII

STAD
SUBSÍDIO DE TRANSPORTE 41

TABELAS DOS CÁLCULOS DOS VALORES


DE PAGAMENTOS DE RETRIBUIÇÕES
PARA AS PRINCIPAIS CATEGORIAS PROFISSIONAIS 43

1. TRABALHO NORMAL ­‑ TRABALHO REALIZADO


DENTRO DO HORÁRIO NORMAL 45

2. TRABALHO SUPLEMENTAR PRESTADO NOS


DIAS DE TRABALHO NORMAL 48

STAD
3. TRABALHO PRESTADO EM DIAS FERIADOS
(cláusula 42ª)

4. TRABALHO SUPLEMENTAR EM DIAS FERIADOS


50

53

5. TRABALHO PRESTADO EM DIA DE DESCANSO


SEMANAL OBRIGATÓRIO OU COMPLEMENTAR 55

6. TRABALHO SUPLEMENTAR PRESTADO

STAD
EM DIA DE DESCANSO SEMANAL 58

tabela das publicações dos CCTs


ao longo dos anos 61
STAD

STAD

STAD

STAD
STAD

STAD

STAD

STAD