Você está na página 1de 10

MÓDULO PNAE

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

Cheila Rosana Teixeira Ramires

AÇÃO FISCALIZADORA

Tutora: Dislei Aparecida Jorge Bento


Maringá/2018

MÓDULO PNAE
PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

Cheila Rosana Teixeira Ramires

AÇÃO FISCALIZADORA

Conhecimento do funcionamento e fiscalização por parte


de todos os segmentos escolares a fim de colaborar e
acompanhar o programa visando atingir seu
desenvolvimento e buscando uma educação completa e
de qualidade.

Tutora: Dislei Aparecida Jorge Bento


Maringá
2018

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 04

ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO ESTADO DO PARANÁ 05

ANÁLISE DE DADOS 07

PROPOSTA DE SOLUÇÃO 08

CONCLUSÃO 09

BIBLIOGRAFIA

10
INTRODUÇÃO

Em 1955, foi assinado o Decreto Nº 37.106. Este Decreto instituía a


Campanha de Merenda Escolar, subordinada ao Ministério da Educação. Dos anos
50 até o final dos anos 70, a merenda escolar passou por momentos de
reorganização, onde, recebeu apoio do Programa Mundial de Alimentos da
Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO/ONU).
Apenas em 1979 é que a denominação Programa Nacional de Alimentação Escolar
(Pnae) foi escolhido. O Pnae garante, por meio da transferência de recursos
financeiros, a alimentação escolar dos alunos, inclusive das escolas indígenas,
matriculados em escolas públicas e filantrópicas.
O Pnae visa atender as necessidades nutricionais dos alunos durante sua
permanência em sala de aula, contribuindo para o crescimento, o desenvolvimento,
a aprendizagem e o rendimento escolar dos estudantes, bem como promover a
formação de hábitos alimentares saudáveis. Seu caráter é suplementar, em
consonância com o artigo 208, incisos IV e VII da Constituição Federal, que coloca o
dever do Estado com a educação a ser efetivada mediante a garantia de
atendimento em creche e pré-escola às crianças até cinco anos de idade e ao
educando no ensino fundamental, através de programas suplementares de material
didático-escolar, transporte, alimentação e assistência à saúde.
O Pnae tem por objetivo contribuir para o crescimento e desenvolvimento
biopsicossocial a aprendizagem, o rendimento escolar e a formação de hábitos
saudáveis dos estudantes, por meio de ações de educação alimentar e nutricional e
da oferta de refeições que cubram as suas necessidades nutricionais durante o
período em que permanecem na escola. São objetivos complementares do
Programa o envolvimento de todos os entes federados (estados, Distrito Federal e
municípios) na execução do Programa, estimular o exercício do controle social,
propiciar à comunidade escolar informações para que possam exercer controle
sobre sua alimentação, dinamizar a economia local, contribuindo para geração de
emprego de renda e respeitar os hábitos alimentares e vocação agrícola locais.
A tarefa de garantir a qualidade da alimentação deve ser coletiva. Dela
participa não só o nutricionista, mas também o CAE, os merendeiros, a direção da
escola, os professores, os alunos, os pais, enfim, todos que fazem parte da
comunidade escolar. Cabe a EEx - Entidade Executora exerce o papel de assegurar
a execução do programa no município mediante ao acompanhamento e fiscalização
do Controle Social através do CAE. As atividades da EEx representam a efetivação
do Pnae: o processo de recebimento e uso do dinheiro e a prestação de contas. O
CAE tem importância relevante neste processo, pois elabora soluções possíveis às
problemáticas identificadas pela EEx, visando melhor aproveitamento dos recursos
transferidos pelo FNDE à EEx de acordo com a forma de gestão de cada município:
centralizada, semidescentralizada, descentraliza ou terceirizada.

Alimentação Escolar no Estado do Paraná

Com um histórico de quase seis décadas, o Programa Nacional de


Alimentação Escolar representa um dos maiores programa de alimentação e
nutrição do mundo. No Paraná, inúmeros alunos de mais ou menos 399 municípios
são beneficiados com a alimentação escolar diariamente. É inegável a participação
do Programa no contexto da escola paranaense, contribuindo para que o processo
de aprendizagem ocorra com maior efetividade.
O objetivo do Programa Nacional de Alimentação Escolar é buscar
continuamente qualidade e diversidade na alimentação escolar destinada à clientela
da rede pública estadual de ensino, contribuindo para o crescimento, o
desenvolvimento, a aprendizagem, o rendimento escolar e a formação de práticas
alimentares saudáveis
O Paraná cumpre, com destaque, a legislação que obriga os estados e
municípios a adquirirem, ao menos, 30% dos recursos repassados pelo Governo
Federal na compra de gêneros advindos da agricultura familiar para serem utilizados
na alimentação escolar.
A seleção dos fornecedores, Empreendedores Familiares Rurais, que
comercializam seus produtos através de cooperativas e associações, é realizada
através de Chamada Pública.
A problemática escolhida diz respeito ao não conhecimento de como funciona
a merenda escolar dentro das escolas estaduais, pois é imprescindível que haja uma
mobilização dentro e fora da comunidade escolar, a fim de tornar público todos os
passos do processo que vai desde a elaboração do cardápio por nutricionista,
processo licitatório para aquisição dos alimentos, armazenagem adequada e os
cuidados com a higiene e a preparação dos alimentos dentro das escolas.
Para que os problemas sejam localizados, apontados e corrigidos, e o
Programa funcione cada vez melhor, é preciso acompanhar bem de perto sua
execução.
ANÁLISE DE DADOS

Tomando como base a terceira unidade do módulo Pnae que aborda


assuntos referentes a alimentação e nutrição e enfatiza, que a tarefa de garantir a
qualidade da alimentação deve ser coletiva. Dela participa não só o nutricionista,
mas também o CAE, os merendeiros, a direção da escola, os professores, os
alunos, os pais, enfim, todos que fazem parte da comunidade escolar.
O Governo do Estado do Paraná disponibiliza informações sobre a
agricultura familiar recebida pelas escolas estaduais através do seu site, lá também
é possível encontrar informações sobre a avaliação nutricional, a horta escolar,
como funciona a prestação de contas feita pelas escolas, instruções normativas,
dicas orientações bem como receitas para merendeiras.
Mesmo tendo todas essas informações é comum perceber que a maioria dos
seguimentos escolares, pais e alunos das escolas estaduais não procuram tomar
conhecimento de onde vem, de como chega às escolas nem de como é feita essa
merenda nem tão pouco, de como é realizada a prestação de conta da mesma.
Sendo assim, este trabalho será mais um veículo de informação para que
possamos esclarecer, de forma simplificada, todos aqueles que possam e queiram
saber um pouco mais sobre a alimentação escolar, os programas e projetos
disponibilizados a todos.
PROPOSTA DE SOLUÇÃO

Tendo em vista que a alimentação escolar é um dos fundamentos para uma


educação de qualidade e que ela contribui para a melhoria no desempenho dos
alunos, sua permanência em sala de aula, contribuindo para o crescimento, o
desenvolvimento, a aprendizagem e o rendimento escolar dos estudantes, bem
como a formação de hábitos alimentares saudáveis.
A sugestão seria um trabalho voltado para a capacitação dos participantes
dos segmentos escolares, esclarecimento junto aos pais e alunos, de maneira a
esclarecer de onde vem a merenda recebida, como é adquirida e qual os programas
e projetos que fazem parte do nosso estado.
Todos os profissionais que fazem parte do contexto escolar devem colaborar
e fiscalizar tudo o que diz respeito a alimentação escolar, visto que todos somos
responsáveis em acompanhar o desenvolvimento do programa e com isto garantir
uma educação completa e de qualidade e, de forma direta ou indireta, participar das
tomadas de decisões e fiscalizar tudo o que é destinado à educação e alimentação
escolar.
CONCLUSÃO

O referido trabalho tem como pressuposto objetivar que o Pnae atua, não só
na busca da garantia da alimentação escolar de qualidade e em quantidade
suficiente a todos os alunos, mas, também, no desenvolvimento de hábitos
saudáveis no contexto escolar, ou seja, a colaboração do Pnae, no sistema
educacional é fundamental no desenvolvimento da educação e do educando, visto
que quando o sujeito é alimentado adequadamente, certamente a produção do
saber será satisfatória.
Todos os profissionais que fazem parte do contexto escolar devem colaborar
com o programa, visto que, somos responsáveis em acompanhar o desenvolvimento
do programa para com isso, atingir uma educação completa e de qualidade. Somos
todos agentes do saber, portanto, suficientemente capazes de participar das
tomadas de decisões que permeiam este programa tão importante para educação
brasileira.
O programa é embasado no direito e no respeito aos alunos da rede pública
de ensino e, é imprescindível que tenhamos a certeza de que o mesmo será
elaborado, fiscalizado e desenvolvido mediante as normas e leis estabelecidas na
Constituição Brasileira, buscando resolver ou minimizar o problema da alimentação
escolar no Brasil.
BIBLIOGRAFIA

Formação pela Escola - Módulo PNAE - Programa Nacional de Alimentação Escolar /


FNDE

www.comunidade.diaadia.pr.gov.br

www.gestaoescolar.pr.gov.br