Você está na página 1de 3

1

Instituto Superior Politécnico de Songo


Primeiro Teste Cursos: Engenharia Elétrica, Termotécnica e Hidraúlica
Disciplina: Matemática I Duração: 120 min
Data: 21.03.2011 Ano: Primeiro

Nome do aluno Curso:

Atenção!! É permitido, somente, o uso de material de escrita e calculadora. Durante


o teste o estudante está proibido de ir à casa de banho, falar com os colegas e pedir
emprestado qualquer material. BOM TRABALHO!

Correcção
1
1. (1.25+1.25 Valores)Considere as funções f (x) = √ e f (x) = x. sin x.
3x − x2
1
a) Determine o domı́nio da função f (x) = √ .
3x − x2
Resolução
a) A função dada é uma fracção em que o denominador é um radical de ı́ndice par, deste
modo, o domı́nio é dado por:

Df = {x∈R : 3x − x2 6=0} = {x∈R : 3x − x2 > 0} = (0; 3)¥.

b) Analise a paridade da função g(x) = x. sin x.

Resolução
Primeiro método: O domı́nio da função é um conjunto simétrico, pois, trata-se do
conjunto <. Assim, temos que
g(−x) = (−x). sin(−x) = x. sin x = g(x), logo a função g(x) = x. sin x é par.

Segundo método: Aplicamos a propriedade 4, sobre funções pares e ı́mpares, que


diz o seguinte: O produto de duas funções ı́mpares é uma função par. Deste modo,
concluimos que a função g(x) = x. sin x é par, pois as funções y = x e y = sinx são
ı́mpares ¥.


2x + 1 − 3
2. (2.5 Valores).Calcule lim √ √ .
x→ 4 x−2− 2
Resolução ¯ ¯
¯0¯
É claro que o limite dado leva-nos a uma indeterminação do tipo ¯¯ ¯¯ . Assim, multipli-
0
cando o numerador e o denominador pelos conjugados do numerador e do denominador
temos:
√ √ √ √ √
2x + 1 − 3 ( 2x + 1 − 3)( 2x + 1 + 3)( x − 2 + 2)
lim √ √ = lim √ √ √ √ √ =
x→ 4 x−2− √ 2 x→ 4 (√ x − 2 − √ 2)( x − 2 + 2)( 2x + 1 + 3)
2(x − 4)( x − 2 + 2) 2 2
= lim √ = ¥
x→ 4 (x − 4)( 2x + 1 + 3) 3
2

3. (2.5 Valores).Analise a continuidade, e classifique os pontos de descontinuidade, caso


x+3
existam, da função f (x) = 2
x − x − 12
Resolução
x+3 x+3
f (x) = 2 =
x − x − 12 (x + 3)(x − 4)
Assim, os pontos que suscitam dúvida quanto à continuidade são x = −3 e x = 4.
x+3 1
lim f (x) = lim = − 6= f (−3) porque a função não está definida no
x→−3 x→−3 (x + 3)(x − 4) 7
ponto x = −3.
Deste modo, concluimos que o ponto x = −3 é ponto de descontinuidade do 1◦ Tipo,
ou seja, ponto de descontinuidade evitável.
x+3 1
lim+ f (x) = lim+ = lim+ = +∞
x→4 x→4 (x + 3)(x − 4) x→4 x − 4
x+3 1
lim− f (x) = lim− = lim− = −∞
x→4 x→4 (x + 3)(x − 4) x→4 x − 4

Deste modo, o ponto x = 4 é ponto de descontinuidade do segundo tipo ¥

1
4. (2.5 Valores). Aplicando a definição, ache a derivada da função f (x) =
x2
Resolução
1 1
f (x + ∆x) − f (x) (x+∆x)2
− x2 −∆x(2x + ∆x) 2
lim = lim = lim 2
= − 3 = f 0 (x)¥
∆x→0 ∆x ∆x→0 ∆x ∆x→0 ∆x[x(x + ∆x)] x

(2 − x2 ).(1 − x)2
5. (2.5 Valores). Ache a derivada da função f (x) =
3 − x2
Resolução

Aplicando as regras de derivação do quociente e do produto de funções vem que:

[(2 − x2 ).(1 − x)2 ]0 .(3 − x2 ) − (2 − x2 ).(1 − x)2 .(3 − x2 )0


f 0 (x) = =
(3 − x2 )2
{(2 − x2 )0 .(1 − x)2 + (2 − x2 ).[(1 − x)2 ]0 }.(3 − x2 ) − (2 − x2 ).(1 − x)2 .(3 − x2 )0
(3 − x2 )2
2(1 − x)[(2x − x − 2)(3 − x ) + x(2 − 2x − x2 + x3 )]
2 2
2(x − 1)(x4 − 6x2 + x + 6)
= = =
(3 − x2 )2 (3 − x2 )2
2(x2 − 1)(x3 − x2 − 5x + 6)
¥
(3 − x2 )2

Nota: A derivada logarı́tmica também pode ser aplicada para a resolução deste ex-
ercı́cio.
3

1 − x2
6. (2.5 Valores). Ache a derivada da função f (x) = arctan
1 + x2
Resolução
³ ´0
1−x2 (1−x2 )0 (1+x2 )−(1−x2 )(1+x2 )0
1+x2 (1+x2 )2 −2x(1 + x2 ) − 2x(1 − x2 ) 2x
f 0 (x) = ¡ 1−x2 ¢2 = 2 )2 = 2 2 2 2
=− ¥
1+ 1 + (1−x (1 + x ) + (1 − x ) 1 + x4
1+x2 (1+x2 )2

7. (2.5 Valores). Ache a derivada da função f (x) = sin[sin(sin x)] + ln(ln x)

Resolução

(lnx)0 1
f 0 (x) = cos[sin(sin x)].[sin(sin x)]0 + = cos[sin(sin x)].cos(sin x).(sinx)0 + =
ln x xlnx
1
= cos[sin(sin x)].cos(sin x).cosx + ¥
xlnx

2
8. (2.5 Valores). Ache a derivada da função f (x) = xx + (cos x)sin x + (sin x)cos x

Resolução
π
Suponhamos que 0 < x < .
2 2
Seja f (x) = m(x)+n(x)+g(x), onde m(x) = xx , n(x) = (cos x)sin x e g(x) = (sin x)cos x

x2 m0 (x)2 x2
1) m(x) = x ⇒ ln m(x) = x ln(x)⇒ = 2xlnx+ ⇔m0 (x) = m(x)(2xlnx+x)⇔
m(x) x
0 x2 +1 2
m (x) = x (lnx + 1)

n0 (x) −sinx
2) n(x) = (cos x)sin x ⇒ ln n(x) = sinxln(cosx)⇒ = cosxln(cosx) + sinx. ⇔
n(x) cosx
n0 (x) = (cos x)sin x [cosxln(cosx) − sinx. tan x]

g 0 (x) cosx
3) g(x) = (sin x)cos x ⇒ ln g(x) = cosxln(sinx)⇒ = −sinxln(sinx) + cosx. ⇔
g(x) sinx
g 0 (x) = (sin x)cos x [−sinxln(sinx) + cosx.cotanx]

De f (x) = m(x) + n(x) + g(x)⇔f 0 (x) = m0 (x) + n0 (x) + g 0 (x).


2
Assim, de 1), 2) e 3) concluimos que f 0 (x) = xx +1 (lnx2 + 1) + (cos x)sin x [cosxln(cosx) −
sinx. tan x] − (sin x)cos x [sinxln(sinx) − cosx.cotanx]¥

Os docentes

dr. Nabote A. Magaia dr. Coutinho J. Mataca

————————————— ————————————–

Typeset by LATEX 2ε