UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal

CAJU-DO-CERRADO

Mestrando: Alex Leonardo Tosta Profº: Ronaldo Veloso

INTRODUÇÃO
• O nome caju é oriundo da palavra indígena “acaiu”, que, em tupi, quer dizer “noz que se produz”;

• O cajueiro é uma planta tropical, originária do Brasil;
• O caju foi levado pelos portugueses do Brasil para a Ásia e a África; • O Brasil encontra-se como 4º maior produtor, ficando atrás apenas do Vietnam, Nigéria e Índia.

BOTÂNICA
• A família Anacardiaceae compreende 74 gêneros e o gênero Anacardium é composto por 10 espécies de árvores, arbustos e subarbustos rústicos, típicos de clima tropical:
• Anacardium humile conhecido como cajuí, caju-do-campo, caju-do-cerrado, cajuzinho-do-cerrado, caju-mirim, cajuzinho-do-mato e caju-anão; • Anacardium nanum: cajuzinho e caju-rasteiro; • Anacardium corymbosum: cajuzinho e caju-rasteiro (estado do Mato Grosso);

• Anacardium othonianum: cajuzinho e cajuí.

caju-de-árvore-do-cerrado,

PRODUÇÃO NO BRASIL
• Região Nordeste -> área plantada superior a 710 mil hectares, responde por mais de 99,5% da produção nacional;

• Estados do Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte e Bahia os principais produtores.

CAJU-DO-CERRADO
• O A. othonianum apresenta porte arbóreo, com altura entre 3 e 6 m. No cerrado goiano, foi observada a presença de plantas adultas com altura variando entre 0,90 m e 7,60 m, com média de 2,75 m.

FRUTO DO CAJU
• O fruto é um aquênio, cujo pedúnculo se desenvolve em pseudofruto, que tem forma variada e cor indo de amarela a vermelha. • A combinação do fruto (castanha) e do pseudofruto constitui o “duplo fruto” característico do gênero.

POLINIZAÇÃO
• As flores dos cajueiros são hermafroditas e unissexuais, sendo que as masculinas aparecem no início da floração, e as hermafroditas no fim. • As flores são polinizadas por abelhas e vespas.

ESTÁGIOS DE FORMAÇÃO DA CASTANHA
• A castanha de caju é um produto de grande valor econômico e social para a Região Nordeste do Brasil, com uma produção anual em torno de 200 mil toneladas nos Estados do Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte.

CLIMA E SOLO
• A temperatura média anual deve estar em torno de 27C (24ºC e 28ºC) com limites entre 22ºC e 32ºC;
• Chuvas requeridas entre 800 mm e 1600 mm distribuídos por 5 a 7 meses do ciclo; • Os solos devem ser profundos, bem drenados, com boa reserva de nutrientes, pH entre 5,5 e 6,5, areno-argilosos (argila 15-35%).

PROPAGAÇÃO
• Sementes: Maior vigor e longevidade. Demora mais que a propagação vegetativa;

• Propagação vegetativa: O processo de propagação vegetativa mais usado para o cajueiro é a enxertia por garfagem em fenda lateral ou por borbulhia em placa.

PROPAGAÇÃO DO CAJUEIRO
• Estaquia
• Alporquia • Enxertia

FORMAÇÃO DO POMAR
• Espaçamento: Para cajueiro comum de 10m x 10m até 15m x 15m (este mais próprio); • Plantio: deve ser feito no início do período chuvoso, em dias nublados;
• No semeio direto semeia-se 2 castanhas por cova a 3-6cm de profundidade calcando-se a terra com o pé para comprimir;

FORMAÇÃO DO POMAR
• Plantio de muda produzida em tubete;
• Irrigação microaspersão. por

TRATOS CULTURAIS
• Desbrota: eliminação de ramos laterais baixos (nascidos abaixo das folhas cotiledonares ou abaixo do ponto de enxertia); • Poda: retirar secos e doentes. galhos

PRAGAS
• • • • • Tripes Lagarta-saia justa Pulgão Traça das castanhas Mosca branca

DOENÇAS
• ANTRACNOSE • RESINOSE • OÍDIO

FLUXOGRAMA DO BENEFICIAMENTO DA CASTANHA DE CAJU

PRODUTOS DERIVADOS DA INDUSTRIALIZAÇÃO DA CASTANHA DO CAJU

CONSIDERAÇÕES FINAIS
• O cajueiro é uma cultura promissora, na geração de empregos e no aumento da renda de produtores.

OBRIGADO

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful