Você está na página 1de 37

PIRACICABA

BIOENERGIA
PRODUÇÃO DE
ETANOL DE MILHO
PIRACICABA BIOENERGIA
Parceria entre dois dos maiores players brasileiros de
tecnologia em etanol de cereais para a construção de plantas
industriais de etanol, ração animal, óleo vegetal e energia
elétrica, utilizando a biomassa como combustível e tendo o
milho como matéria prima.
PIRACICABA ENGENHARIA MAIZ ETANOL DE CEREAIS
SUCROALCOOLEIRA
• Empresa com 28 anos de história nos processos • Desenvolveu a tecnologia da primeira usina de
de produção de etanol e açúcar de cana. etanol de milho no Brasil.

• Desenvolveu centenas de projetos de ampliação


e construção de novas plantas. • Possui expertise em todos os processos da cadeia
de transformação do milho em etanol , desde a
• Desenvolveu em 2009/2010 o projeto de etapa agrícola até a produção final dos derivados
implantação da primeira usina de etanol de milho deste cereal.
no Brasil e suas ampliações até 2017/2018.
+ =
97,8 bilhões
Produção mundial de etanol em
2016 (em litros)

83,1 bilhões
De litros é a produção de etanol de
EUA + Brasil (85% da produção
mundial)

100%
Do etanol produzido nos EUA é
proveniente do milho

26,45 bilhões
Previsão da produção no Brasil (2018)
hidratado + anidro
2018

- De 2010 a 2017, demanda crescente e baixos investimentos = Brasil se torna importador de


etanol.

- Criação do CBIO (Crédito de Descarbonização por Biocombustíveis). Será um ativo financeiro,


negociado em bolsa, emitido pelo produtor de biocombustível, a partir da comercialização
(nota fiscal).

- Deverá ser o maior programa de incentivo aos biocombustíveis da história do Brasil.

- Produção de Etanol deve chegar a 50/54 bilhões de litros em 2.030, duplicando a produção
atual.
-
Milho x Cana-de-Açúcar
Vantagens do Milho
Milho Cana-de-açúcar

Dependendo da Planta, funciona o ano todo. Não para por Funciona durante 07 a 08 meses/ano. O restante do tempo fica
Funcionamento chuva. Aproveitamento do tempo é de 98 a 100%. parada.

Adquire dos produtores que são muitos. Não é necessario Produzida pela própria Usina em ciclos longos – no mínimo 05 anos
Materia prima possuir custosas estruturas agrícolas. em terras próprias e/ou arrendadas.

Não pode ser armazenada. Precisa ir direto da colheita para a


Armazenamento Pode ser armazenado por longos períodos: 2 a 3 anos.
moagem.

Pouca oscilação. Impurezas são mínimas (≤2,%), facilmente Qualidade oscila muito. Impurezas podem chegar de 10% a 15%
Qualidade separáveis. exigindo custosos sistemas de separação.

1 tonelada produz 400 a 430 litros de etanol, além da ração


Produção animal e óleo vegetal.
1 tonelada produz 70 a 90 litros de etanol.

Processo mais simples, não exige mão-de-obra de alta


Processo Industrial qualificação.
Processo mais complexo. Exige especialização técnica.

Produz sua própria biomassa para gerar a energia que necessita no


Biomassa Necessita de energia suplementar.
seu processamento. Pode ter excedente de biomassa produzida.

Processo totalmente automatizado, com apenas poucos Exige quantidade de funcionários cerca de 50% superior à da planta
Mão-de-Obra operadores. de milho.

Pode ser instalada anexa a uma planta de cana (usina ou Uma usina de cana-de açúcar é ideal p/ integrar uma usina de etanol
Instalação destilaria) ou unidade autônoma, podendo funcionar o ano de milho, pois pode gerar todo o vapor e energia elétrica que a usina
todo. de milho necessita. Todo o complexo pode ser autossuficiente.
MODELOS DE
PLANTAS
MODELOS DE
PLANTAS

FLEX INTEGRADA AUTÔNOMA (FULL)

• Anexa a uma destilaria ou • Planta independente


• Anexa a uma destilaria ou
usina de cana
usina de cana
• Produz o vapor e energia
• Recebe vapor e energia elétrica que necessita.
• Recebe vapor e energia
elétrica da usina de cana Exporta excedentes de energia
elétrica da usina de cana
elétrica.
• Funciona somente na • Funciona o ano todo
• Necessita de biomassa p/
entressafra da cana
• Maior rentabilidade geração de vapor/energia

• Menor Investimento • Funciona o ano todo

• Maior investimento
A PLANTA FLEX
Safra de cana Entressafra

Etanol de cana Etanol de milho


PROCESSO DA
USINA FLEX

Vapor

Usina de Cana Usina de Milho

Energia Elétrica

IMPORTANTE nas Usinas de Cana:

“A Usina de Cana deve estar preparada para receber a Planta de Etanol de Milho para que não haja comprometimento
de seu processo industrial.”
Produtividade

Integrada

Flex

Apenas Cana

Rentabilidade
PRODUTOS

Etanol: Rendimento de 400 litros de etanol


hidratado/ton de milho. Dependendo da qualidade
do milho (teor de amido), pode chegar a 420/430 L
de EHC/ton de milho.

Óleo: 15 a 20 kg/t de milho.

Ração Seca (DDG): 200 a 250 kg /t


milho, com 10 a 12% de umidade e teor de proteína
de 30 a 35%.
O DDG

╺ Ração animal de ALTO VALOR PROTEICO

╺ Enquanto no milho o percentual de proteína varia entre 9% a 12%, no

DDG esse índice varia entre 30% a 35%;

╺ Valor proteico elevado transforma o DDG no produto de melhor


relação custo-benefício para o pecuarista.

╺ Grande demanda nas regiões criadoras de gado de corte que vêm


substituindo a pecuária extensiva pela criação em confinamento.

╺ Vem atraindo o interesse dos criadores de aves, suínos e da pecuária


leiteira.
DRIVERS DE
RENTABILIDADE

Custo da matéria prima

A planta deve ser instalada em


regiões onde a matéria-prima é
abundante e barata. Tecnologia de ponta
Regiões promissoras: norte,
nordeste e centro oeste. Tecnologia desenvolvida e
Boa demanda do etanol nestas aperfeiçoada para as condições
regiões e excelente p/ o DDG. brasileiras, com produtividade
estre as maiores do mundo.

Custo de Implantação

Equipamentos 100% nacionais para


atender a realidade brasileira
Custo de implantação 50% inferior
ao de plantas importadas.
TECNOLOGIA PIRACICABA ENGENHARIA X PLANTAS IMPORTADAS

TECNOLOGIA PIRACICABA ENGENHARIA PLANTA IMPORTADA

• OPEN BOX – O Usineiro / Investidor tem completo acesso • CAIXA PRETA – o Usineiro / Investidor não tem acesso ao
aos projetos, sabendo previamente todas as especificações projeto completo de engenharia, sob justificativa de
sobre a engenharia conceitual e os equipamentos que serão confidencialidade, e não tem a plena garantia das
instalados, podendo acompanhar todas as etapas do eficiências e rendimentos a obter.
processo de implantação.
• FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS – não permite a
• MONTAGEM ON SITE – Nossos projetos permitem que aquisição individual de equipamentos . Mesmo
diversos equipamentos sejam fabricados e montados na equipamentos simples de calderaria devem ser comprados
própria obra, o que reduz em cerca de 30 a 40% os custos de prontos, encarecendo significativamente o projeto.
implantação.
• PROJETO ELABORADO PARA A REALIDADE AMERICANA –
• AQUISIÇÃO INDIVIDUAL DE EQUIPAMENTOS – Permite uma necessita de diversas adaptações que acarretam maiores
melhor negociação com fornecedores, podendo padronizar custos e maiores prazos de montagem.
os diversos equipamentos (bombas, redutores, motores,
etc.). • PLANTAS AUTÔNOMAS, desenvolvidas p/ o mercado
americano, sendo praticamente 100% importadas.
• PROJETO ELABORADO PARA AS CONDIÇÕES BRASILEIRAS:
Com equipamentos e processos desenvolvidos • KNOW HOW – Empresas não possuem know how para
exclusivamente para o ambiente nacional, podendo ser integrar estes modelos de plantas em usinas e destilarias
100% adquiridos no mercado brasileiro. do Brasil, gerando a necessidade de contratação de
empresas nacionais.
• PLANTAS MODELOS FLEX-SC E FLEX-360, desenvolvidas p/
serem instaladas em usinas de açúcar e destilarias do Brasil.
Nosso projeto contempla toda a preparação da usina de
cana para receber a planta de milho.
ETAPAS DO
PROJETO

ELABORAÇÃO DA ENGENHARIA CONCEITUAL

IDENTIFICAÇÃO DE LOCAL PARA INSTALAÇÃO

VALUATION E DEMAIS CÁLCULOS DE VIABILIDADE FINANCEIRA

ELABORAÇÃO DE PROJETO BÁSICO

IMPLANTAÇÃO
RECEITA
Óleo– 1,80%

DDG– 12,7%

Etanol – 85,5%

Etanol DDG Outros


CRONOGRAMA

Projeto Conceitual e
Estudos de Licenças Ambientais Projetos de Detalhamento e
Viabilidade Implantação
Variável – depende do local e
60 a 90 dias tamanho da planta 180 a 360 dias
Mínimo 120 dias
PROJETO DESENVOLVIDO
EM 3 ETAPAS:

1- Projeto Conceitual Básico:

• Estudos de viabilidade financeira


• Balanços de massa, de vapores e hídricos
• Estimativas de CAPEX e OPEX
• Levantamentos de cargas e sistemas elétricos
• Relação de equipamentos e construções necessárias
• Elaboração de layout da indústria
• Cronograma de Engenharia
PROJETO DESENVOLVIDO
EM 3 ETAPAS:

2- Engenharia de detalhamento de projetos:

• Dimensionamentos, balanços e fluxogramas


• Projetos de equipamentos a serem fabricados
• Projetos de estruturas metálicas, desenhos de montagem e lista de materiais
• Projetos de instalações de equipamentos
• Projeto civil, elétrico e de instrumentação - fluxogramas, guia civil e de cargas
• Projeto ambiental
• Projetos de interligações de plantas e isométricos
PROJETO DESENVOLVIDO
EM 3 ETAPAS:

3- Serviços externos:

• Acompanhamento e inspeção de fabricação dos equipamentos novos nas


empresas fabricantes
• Inspeção e liberação das fases da montagem diretamente na obra
• Treinamento para os operadores
• Coordenação e acompanhamento dos testes em vazio e da posta em marcha
• Coordenação e execução do treinamento operacional no início da safra
• Acompanhamento e verificação da performance de produção
Planta Financeiramente viável

Ser instalada em regiões onde a


Conter tecnologia de Baixo custo de Escala de
matéria-prima é abundante e
ponta implantação produção
barata

Regiões
promissoras: Norte, Dentro da realidade
Alta Produtividade Mínimo 400 TMD
Nordeste e Centro brasileira
Oeste
CASE - USIMAT
USIMAT

Foi a tecnologia desenvolvida pela Piracicaba Engenharia


que tornou o etanol de cereais uma realidade no Brasil. O
projeto da primeira planta FLEX (que processa cana e
milho), localizada em Campos de Júlio - MT foi da
Piracicaba Engenharia, e é considerado um sucesso, se
tornando o benchmark do mercado de etanol de milho no
país.

A partir de então nossa empresa se especializou em desenvolver plantas de milhos com


um grande diferencial: plantas totalmente adaptadas à realidade nacional, que podem
ser FLEX (processando cana-de-açúcar e milho alternadamente), INTEGRADAS
(Processando cana-de-açúcar e milho ao mesmo tempo) ou AUTÔNOMAS (processando
apenas milho).

No momento mais 3 plantas de milhos estão sendo construídos com o projeto da nossa
empresa.
USIMAT
2011 2017 2018
- Planta Integrada (Flex
360)

- Início de
funcionamento - Instalação de nova
- Planta Flex
caldeira de 120 ton/h e
2 geradores de 7,5 MW
- Planta Flex

- 1.000 TMD - Processando 488.313


- 400 TMD toneladas de milho no
ano

- Produção de 195.500
m³ de etanol hidratado
USIMAT

DADOS JAN/18 ATÉ 28/05 PREVISÃO ATE DEZ/2018


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
MOAGEM DE MILHO (ton) 162.313 420.0000 -------

PRODUÇÃO DE ETANOL ANIDRO (m³) ---- ----

PRODUÇÃO DE ETANOL HIDRATADO (m³) 65.197 169.000

PRODUÇÃO DE DDG (ton) 31.164 84.000


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Obs.: P/ 2018 a produção de etanol anidro será feita somente com a cana.
IMAGENS
A seguir imagens de equipamentos similares a serem instalados na Planta de Etanol de Milho

Armazenagem de grãos
Plataforma de descarga de grãos
Moinho de Martelos Dorna em fermentação /
Dorna fermentada (detalhe óleo de milho)
Tanques de mistura e cozimento

Dornas em fermentação

Trocadores de calor para mosto e fermentação


Decanters
Turbo geradores
Coluna de destilação

Secador de DDG

Torres de resfriamento de água


Armazém de DDG

Etanol e derivados do processamento do milho


www.piracicabaengenharia.com.br