Você está na página 1de 16

ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

MÚSCULOS ESPINAIS
GRUPO INTERNO|PROFUNDO MÚSCULOS ESPINAIS
SISTEMA LONGITUDINAL GRUPO INTERNO|PROFUNDO
EB 23S DE CAMINHA SISTEMA LONGITUDINAL

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO GESTÃO DESPORTIVA INTERESPINHOSOS


INTERESPINHOSOS DO PESCOÇO
INTERESPINHOSOS LOMBARES
ESTUDO DO MOVIMENTO ACÇÃO
BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA|TRONCO
EPI-ESPINHOSOS
MIOLOGIA UNILATERAL FLEXÃO HOMOLATERAL
EPI-ESPINHOSO DA NUCA
EPI-ESPINHOSO DO TORÁX
ANATOMIA MUSCULAR
INTERTRANSVERSÁRIOS ACÇÃO
INTERESPINHOSOS DO PESCOÇO BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA E TRONCO
INTERESPINHOSOS LOMBARES UNILATERAL FLEXÃO HOMOLATERAL
ACÇÃO
2011/12 BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA|TRONCO

PROFESSOR PEDRO CÂMARA UNILATERAL FLEXÃO HOMOLATERAL

MÚSCULOS ESPINAIS MÚSCULOS ESPINAIS


GRUPO INTERNO|PROFUNDO GRUPO INTERNO|PROFUNDO MÚSCULOS ESPINAIS
SISTEMA OBLÍQUO SISTEMA OBLÍQUO
GRUPO INTERNO|PROFUNDO
SISTEMA OBLÍQUO

TRANSVERSÁRIO ESPINHOSO MULTIFIDIOS


SEMIESPINHOSO
ROTADORES LONGOS|CURTOS
ACÇÃO SEMIESPINHOSO DA CABEÇA | GRANDE COMPLEXO
ROTADORES PESCOÇO|TORAX|LOMBAR BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA|TRONCO SEMIESPINHOSO DO PESCOÇO
SEMIESPINHOSO DO TORÁX
FLEXÃO LATERAL CABEÇA|TRONCO
ACÇÃO UNILATERAL ACÇÃO
ROTAÇÃO HETEROLATERAL CABEÇA|TRONCO
BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA|TRONCO BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA|TRONCO
FLEXÃO LATERAL CABEÇA|TRONCO
FLEXÃO LATERAL CABEÇA|TRONCO UNILATERAL
ROTAÇÃO HETEROLATERAL CABEÇA|TRONCO
UNILATERAL
ROTAÇÃO HETEROLATERAL CABEÇA|TRONCO

ANATOMIA MUSCULAR 1
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

MÚSCULOS ESPINAIS MÚSCULOS ESPINAIS MÚSCULOS ESPINAIS


GRUPO EXTERNO|SUPERFICIAL GRUPO EXTERNO|SUPERFICIAL GRUPO EXTERNO|SUPERFICIAL
MASSA COMUM MASSA COMUM

LONGO DORSAL ESPLÉNIOS


ILIO-COSTAL PEQUENO COMPLEXO
TRANSVERSÁRIO DO PESCOÇO
ESPLÉNIO DA CABEÇA
ILIOCOSTAL DO PESCOÇO ESPLÉNIO DO PESCOÇO
LONGO DORSAL DO TORÁX
ILIOCOSTAL DO TORÁX ACÇÃO
ACÇÃO
SACRO-LOMBAR EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA
BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO DO TRONCO BILATERAL
EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO COLUNA CERVICAL
ACÇÃO
UNILATERAL FLEXÃO LATERAL FLEXÃO HOMOLATERAL CABEÇA|PESCOÇO
BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO DO TRONCO UNILATERAL
INCLINAÇÃO CABEÇA|PESCOÇO
UNILATERAL FLEXÃO LATERAL

MÚSCULOS POSTERIORES MÚSCULOS ANTERO-LATERAIS


MÚSCULOS CURTOS DA NUCA DO TRONCO|PESCOÇO DO PESCOÇO

PEQUENO DENTADO
MÚSCULOS SUBOCCIPITAIS POSTERIOR SUPERIOR
PEQUENO OBLÍQUO DA CABEÇA LOCALIZADOS NA TRANSIÇÃO DA COLUNA CERVICAL PARA
GRANDE OBLÍQUO DA CABEÇA A COLUNA DORSAL. MÚSCULOS PRÉVERTEBRAIS
PEQUENO RECTO POSTERIOR DA CABEÇA ACÇÃO GRANDE RECTO ANTERIOR DA CABEÇA
GRANDE RECTO POSTERIOR DA CABEÇA BILATERAL ELEVAÇÃO DAS COSTELAS LONGO DO PESCOÇO
4 PARES DE MÚSCULOS DA CAMADA PROFUNDA DA COLUNA
ACÇÃO CERVICAL.
BILATERAL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO CABEÇA
PEQUENO DENTADO ACÇÃO
FLEXÃO LATERAL DA CABEÇA
UNILATERAL
ROTAÇÃO DA CABEÇA POSTERIOR INFERIOR ESTABILIDADE ARTICULAR DA COLUNA CERVICAL
MANUTENÇÃO DA LORDOSE CERVICAL
UNEM AS VÉRTEBRAS LOMBARES COM AS ÚLTIMAS
COSTELAS.

ACÇÃO
BILATERAL DEPRESSÃO DAS COSTELAS

ANATOMIA MUSCULAR 2
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

REGIÃO ANTERO-LATERAL REGIÃO ANTERO-LATERAL


MÚSCULOS ANTERO-LATERAIS DO PESCOÇO DO PESCOÇO
DO PESCOÇO

MÚSCULOS PRÉVERTEBRAIS
RECTO LATERAL DA CABEÇA
PEQUENO RECTO ANTERIOR DA CABEÇA
MÚSCULOS HOIDEUS MÚSCULOS HOIDEUS
4 PARES DE MÚSCULOS DA CAMADA PROFUNDA DA COLUNA CONJUNTO DE 8 MÚSCULOS QUE SE INSEREM NO OSSO HIÓIDE (E CONJUNTO DE 8 MÚSCULOS QUE SE INSEREM NO OSSO HIÓIDE (E
CERVICAL. ESTRUTURAS ANEXAS). ESTRUTURAS ANEXAS).

ACÇÃO SUPRAHIOIDEUS SUPRAHIOIDEUS


DIGÁSTRICO|ESTILOHIOIDEU|MILOHIOIDEU|GENIHIOIDEU DIGÁSTRICO|ESTILOHIOIDEU|MILOHIOIDEU|GENIHIOIDEU
ESTABILIDADE ARTICULAR DA COLUNA CERVICAL
MANUTENÇÃO DA LORDOSE CERVICAL INFRAHIOIDEUS INFRAHIOIDEUS
ESTERNOHIOIDEU|ESTERNOTIROIDEU|OMOHIOIDEU|TIROHIOIDEU ESTERNOHIOIDEU|ESTERNOTIROIDEU|OMOHIOIDEU|TIROHIOIDEU
ACÇÃO ACÇÃO
MOVIMENTOS DA LARINGE | DEGLUTIÇÃO MOVIMENTOS DA LARINGE | DEGLUTIÇÃO

REGIÃO ANTERO-LATERAL REGIÃO ANTERO-LATERAL REGIÃO ANTERO-LATERAL


DO PESCOÇO DO PESCOÇO DO PESCOÇO

MÚSCULOS HOIDEUS
CONJUNTO DE 8 MÚSCULOS QUE SE INSEREM NO OSSO HIÓIDE (E
MÚSCULOS HOIDEUS MÚSCULOS HOIDEUS ESTRUTURAS ANEXAS).
CONJUNTO DE 8 MÚSCULOS QUE SE INSEREM NO OSSO HIÓIDE (E CONJUNTO DE 8 MÚSCULOS QUE SE INSEREM NO OSSO HIÓIDE (E SUPRAHIOIDEUS
ESTRUTURAS ANEXAS). ESTRUTURAS ANEXAS). DIGÁSTRICO|ESTILOHIOIDEU|MILOHIOIDEU|GENIHIOIDEU
SUPRAHIOIDEUS SUPRAHIOIDEUS
DIGÁSTRICO|ESTILOHIOIDEU|MILOHIOIDEU|GENIHIOIDEU DIGÁSTRICO|ESTILOHIOIDEU|MILOHIOIDEU|GENIHIOIDEU INFRAHIOIDEUS
ESTERNOHIOIDEU|ESTERNOTIROIDEU|OMOHIOIDEU|TIROHIOIDEU
INFRAHIOIDEUS INFRAHIOIDEUS ACÇÃO
ESTERNOHIOIDEU|ESTERNOTIROIDEU|OMOHIOIDEU|TIROHIOIDEU ESTERNOHIOIDEU|ESTERNOTIROIDEU|OMOHIOIDEU|TIROHIOIDEU
MOVIMENTOS DA LARINGE | DEGLUTIÇÃO
ACÇÃO ACÇÃO
MOVIMENTOS DA LARINGE | DEGLUTIÇÃO MOVIMENTOS DA LARINGE | DEGLUTIÇÃO

ANATOMIA MUSCULAR 3
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

REGIÃO ANTERO-LATERAL REGIÃO POSTERIOR DO TRONCO ANGULAR DA OMOPLATA


DO PESCOÇO CAMADA SUPERFICIAL LOCALIZA-SE NA FACE POSTERO-LATERAL DO PESCOÇO,
IMEDIATAMENTE ABAIXO DA PORÇÃO SUPERIOR DO TRAPÉZIO.
ORIGEM APÓFISES TRANSVERSAS DAS VÉRTEBRAS CERVICAIS (C2-C5)
INSERÇÃO ÂNGULO SUPERIOR DA OMOPLATA
TRAPÉZIO ACÇÃO
O MÚSCULO APRESENTA-SE DIVIDIDO EM 3 PORÇÕES: TRAPÉZIO 1 ELEVAÇÃO DA OMOPLATA
SUPERIOR CUJAS FIBRAS DESCENDEM OBLIQUAMENTE DESDE A
ORIGEM ATÉ À OMOPLATA E CLAVÍCULA. O TRAPÉZIO MÉDIO, COM 2 ADUÇÃO DA OMOPLATA
FIBRAS ORIENTADAS HORIZONTALMENTE, E O TRAPÉZIO INFERIOR A
CUJAS FIBRAS ASCENDEM OBLIQUAMENTE DESDE A COLUNA
3 ROTAÇÃO INFERIOR DA OMOPLATA
VERTEBRAL ATÉ À ESPINHA DA OMOPLATA.

MÚSCULOS HOIDEUS OCCIPITAL | LINHA CURVA OCCIPITAL SUPERIOR


ORIGEM LIGAMENTO VERTEBRAL COMUM POSTERIOR ROMBÓIDES
CONJUNTO DE 8 MÚSCULOS QUE SE INSEREM NO OSSO HIÓIDE (E APÓFISES ESPINHOSAS DAS VÉRTEBRAS DE C7 A D10
ESTRUTURAS ANEXAS). OS ROMBÓIDES (SUPERIOR E INFERIOR) LOCALIZAM-SE POR BAIXO DA
PORÇÃO MÉDIA DO TRAPÉZIO, OCUPANDO O ESPAÇO ENTRE AS
SUPRAHIOIDEUS INSERÇÃO ESPINHA DA OMOPLATA OMOPLATAS.
ACRÓMIO | FACE POSTERIOR3 EXTERNO DA FACE SUPERIOR
DIGÁSTRICO|ESTILOHIOIDEU|MILOHIOIDEU|GENIHIOIDEU
ACÇÃO ORIGEM APÓFISES ESPINHOSAS DAS VÉRTEBRAS CERVICAIS DESDE C7
INFRAHIOIDEUS ATÉ D4
ESTERNOHIOIDEU|ESTERNOTIROIDEU|OMOHIOIDEU|TIROHIOIDEU 3 PORÇÕES ADUÇÃO DA OMOPLATA INSERÇÃO BORDO INTERNO DA OMOPLATA
ROTAÇÃO SUPERIOR DA OMOPLATA
ACÇÃO TRAP SUP ACÇÃO
ELEVAÇÃO DA OMOPLATA
MOVIMENTOS DA LARINGE | DEGLUTIÇÃO 1 ELEVAÇÃO DA OMOPLATA
TRAP INF DEPRESSÃO DA OMOPLATA
OII BIL EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO DA CABEÇA 2 ADUÇÃO DA OMOPLATA
OII UNIL ROTAÇÃO HETEROLATERAL 3 ROTAÇÃO INFERIOR DA OMOPLATA

REGIÃO LATERAL DO PESCOÇO REGIÃO LATERAL DO PESCOÇO


CAMADA SUPERFICIAL CAMADA SUPERFICIAL

GRANDE DORSAL
MÚSCULO TRIANGULAR DE BASE INTERNA, PARCIALMENTE ESCALENOS
COBERTO PELO TRAPÉZIO E QUE SE ESTENDE DESDE A REGIÃO 3MÚSCULOS LOCALIZADOS DE CADA LADO DA COLUNA CERVICAL
LOMBAR ATÉ AO BRAÇO. AJUDA A FORMAR A PAREDE POSTERIOR QUE UNEM AS APÓFISES TRANSVERSAS COM A 1ª E 2ª COSTELAS.
DA AXILA.
APÓFISES ESPINHOSAS DAS VÉRTEBRAS D6 A L5
ESCALENO ANTERIOR
ORIGEM APÓFISES TRANSVERSAS C3 A C6 | TUBÉRCULO ANTERIOR
ESTERNOCLEIDOMATOIEO
ORIGEM CRISTA SAGRADA MÚSCULO DIVIDIDO EM 2 PORÇÕES: ESTERNAL E CLAVICULAR
CRISTA ILÍACA INSERÇÃO 1ª COSTELA | TUBÉRCULO DE LISFRANC
GOTEIRA BICIPITAL DO ÚMERO (AS FIBRAS CONVERGEM ORIGEM PORÇÃO ESTERNAL > MANÚBRIO DO ESTERNO
ESCALENO MÉDIO PORÇÃO CLAVICULAR > 1/3 INTERNO DA CLAVÍCULA
INSERÇÃO EM DIREÇÃO AO ÚMERO APRESENTANDO-SE TORCIDAS
ORIGEM APÓFISES TRANSVERSAS C2 A C7 | TUBÉRCULO POSTERIOR
SOBRE O GRANDE REDONDO, ANTES DA INSERÇÃO) INSERÇÃO APÓFISE MASTÓIDE DO TEMPORAL
INSERÇÃO 1ª COSTELA | ATRÁS TUBÉRCULO DE LISFRANC OCCIPITAL | LINHA CURVA OCCIPITAL SUPERIOR
ACÇÃO
ESCALENO POSTERIOR ACÇÃO
1 ADUÇÃO DO BRAÇO
ORIGEM APÓFISES TRANSVERSAS C4 A C6 | TUBÉRCULO POSTERIOR ACÇÃO UNIL ROTAÇÃO DA CABEÇA | CONTRALATERAL
2 ROTAÇÃO INTERNA DO BRAÇO
INSERÇÃO 2ª COSTELA ACÇÃO BIL EXTENSÃO | HIPEREXTENSÃO DA CABEÇA
3 HIPEREXTENSÃO DO BRAÇO
ACÇÃO OII INSPIRAÇÃO
OII EXTENSÃO DO TRONCO ACÇÃO
ACÇÃO INSPIRAÇÃO
ACÇÃO OIIU FLEXÃO LATERAL DA CABEÇA
ACÇÃO OIIB FLEXÃO DA CABEÇA

ANATOMIA MUSCULAR 4
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

REGIÃO COSTAL REGIÃO ANTERO-LATERAL DO TÓRAX


CAMADA SUPERFICIAL

GRANDE PEITORAL
MÚSCULO AMPLO E SUPERFICIAL QUE COBRE A GRANDE DENTADO
INTERCOSTAIS PORÇÃO SUPERIOR DO TÓRAX. FORMA A PAREDE
ANTERIOR DA AXILA. AS DIFERENTES ORIGENS EXTENSA MASSA QUADRILÁTERA QUE CONTORNA
PREENCHEM O ESPAÇO ENTRE AS COSTELAS. ESTÃO ORGANIZADOS PERMITEM DIVIDI-LO EM 3 PORÇÕES: LATERALMENTE O TÓRAX. AS SUAS FIBRAS NASCEM NA FACE
EM CAMADAS DA SUPERFÍCIE PARA A PROFUNDIDADE: CLAVICULAR LATERAL DA GRELHA COSTAL, DIRIGEM-SE PARA TRÁS E
ESTERNAL PASSAM ENTRE A OMOPLATA E A GRELHA COSTAL.
INTERCOSTAIS EXTERNOS SÃO OS MAIS SUPERFICIAIS E TÊM AS SUAS
FIBRAS ORIENTADAS PARA BAIXO E PARA A FRENTE. CONDRAL
ORIGEM FACE EXTERNA DAS 10 PRIMEIRAS COSTELAS |
INTERCOSTAIS MÉDIOS E OS INTERCOSTAIS INTERNOS ORIENTAM- 2/3 INTERNOS DO BORDO ANTERIOR DA ATRAVÉS DE DIGITAÇÕES MUSCULARES
SE PARA BAIXO E PARA TRÁS, E LOCALIZAM-SE NA CAMADA MAIS CLAVÍCULA INSERÇÃO BORDO INTERNO DA OMOPLATA
PROFUNDA. ORIGEM ESTERNO | FACE ANTERIOR DO CORPO
ORIGEM BORDO INFERIOR DA COSTELA DE CIMA 6 PRIMEIRAS CARTILAGENS COSTAIS | FACE ACÇÃO
INSERÇÃO BORDO SUPERIOR DA COSTELA DE BAIXO ANTERIOR 1 ABDUÇÃO DA OMOPLATA
INSERÇÃ GOTEIRA BICIPITAL DO ÚMERO | VERTENTE 2 DEPRESSÃO DA OMOPLATA
ACÇÃO O EXTERNA
FORNECEM ESTABILIDADE À GRELHA COSTAL PARA QUE OS 3 ROTAÇÃO SUPERIOR DA OMOPLATA
POTENTES MÚSCULOS QUE ATUAM AO NÍVEL DA CINTURA ACÇÃO
ESCAPULAR E MEMBRO SUPERIOR TENHAM UMA ORIGEM ESTÁVEL. 1 ADUÇÃO DO BRAÇO
2 FLEXÃO DO BRAÇO
3 ROTAÇÃO INTERNA DO BRAÇO

PAREDE ANTERO-LATERAL
SUBCLÁVIO DO ABDÓMEN
PEQUENO MÚSCULO DE FORMA CILÍNDRICA
LOCALIZADO ENTRE A 1ª COSTELA E A CLAVÍCULA. GRANDE OBLÍQUO DO ABDÓMEN
ORIGEM CARTILAGEM COSTAL DA 1ª COSTELA É O MAIS AMPLO DOS MÚSCULOS ABDOMINAIS. AS SUAS FIBRAS
ORIENTAM-SE OBLIQUAMENTE PARA BAIXO E PARA DENTRO, EM DIREÇÃO
INSERÇÃO CLAVÍCULA | GOTEIRA SUBCLÁVIA NA FACE AO GRANDE RECTO. QUANDO ENCONTRA O BORDO EXTERNO DESTE
MÚSCULO, O GRANDE OBLÍQUO CONTINUA-SE POR UMA APONEVROSE
INFERIOR

ACÇÃO
GRANDE RECTO DO ABDÓMEN QUE PASSA À FRENTE DO GRANDE RECTO E SE UNE NA LINHA ALBA À
MÚSCULO SUPERFICIAL DE FORMATO LONGO QUE SE ESTENDE DESDE APONEVROSE DO GRANDE OBLÍQUO DO LADO CONTRÁRIO.
1 DEPRESSÃO DA CLAVÍCULA O PÚBIS ATÉ AO TÓRAX, APRESENTANDO-SE DIVIDIDO EM 3 OU 4 CRISTA ILÍACA
EXPANSÕES APONEVRÓTICAS TRANSVERSAIS. AS SUAS FIBRAS ESTÃO ORIGEM ARCADA CRURAL
ORIENTADAS VERTICALMENTE. A SEPARAR OS 2 RECTOS
ENCONTRAMOS UMA BANDA FIBROSA – A LINHA BRANCA OU ALBA PÚBIS
– QUE RESULTA DA UNIÃO DAS APONEVROSES DOS MÚSCULOS
PEQUENO PEITORAL LARGOS DA PAREDE ANTERO-LATERAL DO ABDÓMEN. INSERÇÃO
FACE EXTERNA DA 5ª À 12ª COSTELA, ATRAVÉS DE 8 DIGITAÇÕES
MUSCULARES (ESTAS DIGITAÇÕES CONTINUAM -SE PELAS FIBRAS
PEQUENO MÚSCULO LOCALIZADO NA FACE ANTERIOR ORIGEM PÚBIS DO GRANDE DENTADO)
DO TORÁX E TOTALMENTE COBERTO PELO GRANDE
PEITORAL. INSERÇÃO APÊNDICE XIFÓIDE ACÇÃO
5ª, 6ª E 7ª CARTILAGENS COSTAIS UNILATERAL FLEXÃO COM ROTAÇÃO HETEROLATERAL DO TRONCO
ORIGEM FACE EXTERNA DA 3ª, 4ª E 5ª COSTELAS
INSERÇÃO APÓFISE CORACOIDE | PORÇÃO HORIZONTAL ACÇÃO BILATERAL FLEXÃO DO TRONCO
ACÇÃO FLEXÃO DO TRONCO OII RETROVERSÃO
ACÇÃO
ACÇÃO OII RETROVERSÃO
1 BASCULAÇÃO ANTERIOR DA OMOPLATA
OII MÚSCULO INSPIRADOR

ANATOMIA MUSCULAR 5
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

DIAFRAGMA
PEQUENO OBLÍQUO DO ABDÓMEN TRANSVERSO DO ABDÓMEN MÚSCULO AMPLO QUE SEPARA A CAVIDADE TORÁCICA DA
CAVIDADE ABDOMINAL. É FORMADO POR 2 PARTES: UMA
LOCALIZA-SE LOGO ABAIXO DO GRANDE OBLÍQUO, APRESENTANDO FIBRAS É O MÚSCULO ABDOMINAL MAIS PROFUNDO. A SUA APONEVROSE, CENTRAL DE CONSTITUIÇÃO ESSENCIALMENTE FIBROSA, O
COM UMA ORIENTAÇÃO OBLÍQUA PARA CIMA E PARA DENTRO. QUANDO QUANDO ENCONTRA O BORDO EXTERNO DO GRANDE RECTO, PASSA PELA CENTRO FRÉNICO, E OUTRA PERIFÉRICA CONSTITUÍDA POR
ENCONTRA O GRANDE RECTO FORMA UMA APONEVROSE QUE, NOS TRÊS FRENTE DESSE MÚSCULO NOS ¾ SUPERIORES E POR TRÁS NO 4ª TECIDO MUSCULAR CUJAS FIBRAS CONVERGEM DA COLUNA
QUARTOS SUPERIORES SE DIVIDE EM DOIS FOLHETOS: UM PASSA Á INFERIOR. AS SUAS FIBRAS ESTÃO ORIENTADAS HORIZONTALMENTE, VERTEBRAL E DO CONTORNO INTERIOR DA CAIXA TORÁCICA
FRENTE E OUTRO ATRÁS DO GRANDE RECTO. NO QUARTO INFERIOR A FUNCIONANDO COMO “CINTA MUSCULAR” DO ABDÓMEN. A PARA O CENTRO FRÉNICO.
APONEVROSE PASSA TODA PELA FRENTE DESSE MÚSCULO. PARTICIPAÇÃO NO MOVIMENTO É REDUZIDA.
PORÇÃO ESTERNAL
CRISTA ILÍACA CRISTA ILÍACA FACE POSTERIOR DO APÊNDICE XIFOIDE DO ESTERNO
ORIGEM ARCADA CRURAL
ORIGEM ARCADA CRURAL ORIGEM PORÇÃO COSTAL
PÚBIS APÓFISES TRANSVERSAS DAS VÉRTEBRAS LOMBARES FACE INTERNA DAS CARTILAGENS COSTAIS 7-15
VÉRTEBRAS LOMBARES | ATRAVÉS DA APONEVROSE LOMBAR INSERÇÃO 6 ÚLTIMAS COSTELAS E CARTILAGENS COSTAIS PORÇÃO VERTEBRAL
PILARES DO DIAFRAGMA | COLUNA LOMBAR
INSERÇÃO 4 ÚLTIMAS COSTELAS E CARTILAGENS COSTAIS | ATRAVÉS DE ACÇÃO
DIGITAÇÕES INSERÇÃO CENTRO FRÉNICO
REDUÇÃO DO DIÂMETRO DA CAVIDADE ABDOMINAL
ACÇÃO ACÇÃO
EXPIRAÇÃO FORÇADA
UNILATERAL FLEXÃO COM ROTAÇÃO HOLATERAL DO TRONCO PRINCIPAL MÚSCULO INSPIRADOR
BILATERAL FLEXÃO DO TRONCO A CONTRAÇÃO DAS VÁRIAS PORÇÕES DETERMINA A DESCIDA DO
OII RETROVERSÃO CENTRO FRÉNICO NUMA PRIMEIRA FASE, E A ELEVAÇÃO DAS ÚLTIMAS
COSTELAS, NUMA FASE POSTERIOR. DESTE MODO, DÁ-SE O
AUMENTO DO VOLUME DA CAVIDADE TORÁCICA COM A
CONSEQUENTE DIMINUIÇÃO DA PRESSÃO INTRAPULMONAR E A
ENTRADA DE AR PARA OS PULMÕES.

PAREDE POSTERIOR DO ABDÓMEN CINTURA


ESCAPULAR

PSOAS ILÍACO QUADRADO DOS LOMBOS


MÚSCULO FORMADO POR DUAS PORÇÕES: O ILÍACO, LOCALIZADO MASSA MUSCULAR DE FORMA QUADRILÁTERA SITUADA
NO INTERIOR DA BACIA E O GRANDE PSOAS QUE SE SITUA JUNTO À COLUNA LOMBAR ENTRE A BACIA E AS COSTELAS
LATERALMENTE À COLUNA LOMBAR. ESTAS DUAS PORÇÕES, DEPOIS
DE SE JUNTAREM, PASSAM POR BAIXO DA ARCADA CRURAL PARA ORIGEM CRISTA ILÍACA
TEREM UMA INSERÇÃO COMUM NO FÉMUR.
INSERÇÃO 12ª COSTELA
DELTÓIDE
GRANDE PSOAS > VÉRTEBRAS (CORPO E APÓFISES APÓFISES TRANSVERSAS L1 A L4 MÚSCULO MULTIPENADO QUE DÁ A FORMA ARREDONDADA AO OMBRO E EM QUE SE
ORIGEM TRANSVERSAS) E DISCOS INTERVERTEBRAIS LOMBARES DISTINGUEM TRÊS PORÇÕES: ANTERIOR, MÉDIA E POSTERIOR.
ILÍACO > FOSSA ILÍACA INTERNA
ACÇÃO
1 ELEVAÇÃO DA BACIA PORÇÃO ANTERIOR > 1/3 EXTERNO DO BORDO ANTERIOR DA CLAVÍCULA
INSERÇÃO PEQUENO TROCANTER DO FÉMUR ORIGEM PORÇÃO MÉDIA > ACRÓMIO | BORDO EXTERNO
OII ANTEVERSÃO DA BACIA PORÇÃO POSTERIOR > ESPINHA DA OMOPLATA |LÁBIO INFERIOR
ACÇÃO
1 FLEXÃO DA ARTICULAÇÃO COXO-FEMURAL INSERÇÃO FACE EXTERNA DA DIÁFISE DO ÚMERO | “V” DELTOIDEO
2 ROTAÇÃO EXTERNA DA COXO-FEMURAL ACÇÃO
OII ANTERVERSÃO DA BACIA 3 PORÇÕES ABDUÇÃO DO BRAÇO
DELTÓIDE ANT FLEXÃO DO BRAÇO
ROTAÇÃO INTERNA DO BRAÇO
DELTÓIDE POST HIPEREXTENSÃO DO BRAÇO
ROTAÇÃO EXTERNA DO BRAÇO

ANATOMIA MUSCULAR 6
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

COIFA DOS ROTADORES

SUPRAESPINHOSO
MÚSCULO QUE PREENCHE TODA A FOSSA SUPRAESPINHOSA
ORIGEM FOSSA SUPRAESPINHOSA

SUBESCAPULAR CORACOBRAQUIAL INSERÇÃO TROQUITER | FACETA SUPERIOR


PEQUENO MÚSCULO QUE UNE ANTERIORMENTE A OMOPLATA ACÇÃO
MÚSCULO QUE COBRE TOTALMENTE A FOSSA SUBESCAPULAR E COM O ÚMERO 1 ABDUÇÃO DO BRAÇO
QUE AJUDA A FORMA A PAREDE POSTERIOR DA AXILA.
ORIGEM APÓFISE CORACÓIDE 2 ROTAÇÃO EXTERNA DO BRAÇO
ORIGEM FOSSA SUBESCAPULAR
INSERÇÃO FACE INTERNA DA DIÁFISE DO ÚMERO
INSERÇÃO TROQUINO
ACÇÃO
ACÇÃO
1 FLEXÃO DO BRAÇO
1 ROTAÇÃO INTERNA DO BRAÇO
2 ADUÇÃO DO BRAÇO INFRAESPINHOSO
LOCALIZADO NA FOSSA INFRAESPINHOSA
ORIGEM FOSSA INFRAESPINHOSA | 2/3 INTERNOS
INSERÇÃO TROQUITER | FACETA MÉDIA
ACÇÃO
1 ROTAÇÃO EXTERNA DO BRAÇO

COIFA DOS ROTADORES REGIÃO ANTERIOR DO BRAÇO


PEQUENO REDONDO
MÚSCULO LOCALIZADO INTIMAMENTE UNIDO AO INFRAESPINHOSO
ORIGEM FOSSA INFRAESPINHOSA | AO LONGO DO BORDO AXILAR
INSERÇÃO TROQUITER | FACETA INFERIOR BICÍPETE BRAQUIAL
ACÇÃO MÚSCULO SUPERFICIAL DA FACE ANTERIOR DO BRAÇO, CONSTITUÍDO POR
DUAS PORÇÕES, LONGA E CURA, QUE DESCEM EM CONJUNTO DESDE A
BRAQUIAL ANTERIOR
1 ROTAÇÃO EXTERNA DO BRAÇO OMOPLATA ATÉ FORMAREM UM TENDÃO COMUM QUE PASSA À FRENTE MÚSCULO DA FACE ANTERIOR DO BRAÇO SITUADO IMEDIATAMENTE POR BAIXO
DA ARTICULAÇÃO DO COTOVELO E TERMINA NO RÁDIO. DO BICÍPITE, NA METADE INFERIOR DA DIÁFISE DO ÚMERO. O SEU TENDÃO
TERMINAL CRUZA ANTERIORMENTE O COTOVELO PARA SE INSERIR NO CÚBITO.
CURTA PORÇÃO > APÓFISE CORACÓIDE | PORÇÃO EXTERNA DA
GRANDE REDONDO ORIGEM EXTREMIDADE
LONGA PORÇÃO > POR CIMA DA CAVIDADE GLENÓIDE DA
ORIGEM PORÇÃO ANTERIOR DA DIÁFISE DO ÚMERO | METADE INFERIOR
INSERÇÃO APÓFISE CORONÓIDEIA DO CÚBITO
MÚSCULO FUSIFORME LOCALIZADO JUNTO AO PEQUENO OMOPLATA
REDONDO E QUE AJUDA A FORMA A PAREDE POSTERIOR DA AXILA
INSERÇÃO TUBEROSIDADE BICIPITAL DO RÁDIO
ACÇÃO
ORIGEM ÂNGULO INFERIOR E BORDO AXILAR DA OMOPLATA | ACÇÃO
1 FLEXÃO DO COTOVELO
PORÇÃO INFERIOR
1 FLEXÃO DO COTOVELO
INSERÇÃO GOTEIRA BICIPITAL DO ÚMERO | VERTENTE EXTERNA,
JUNTO AO TENDÃO DO GRANDE DORSAL 2 SUPINAÇÃO DO ANTEBRAÇO
ACÇÃO
1 ROTAÇÃO INTERNA DO BRAÇO
2 HIPEREXTENSÃO DO BRAÇO
3 ADUÇÃO DO BRAÇO

ANATOMIA MUSCULAR 7
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

REGIÃO POSTERIOR DO BRAÇO

TRICÍPETE BRAQUIAL
MÚSCULO DA FACE POSTERIOR DO BRAÇO, CONSTITUÍDO POR 3
PORÇÕES: INTERNO, VASTO E EXTERNO. ESTAS PORÇÕES APRESENTAM ANCÓNEO
BRAQUIO-RADIAL ORIGENS DIFERENTES MAS EM CONJUNTO FORMAM UM TENDÃO
ACHATADO QUE PASSA ATRÁS DO COTOVELO E TERMINA NO CÚBITO.
PEQUENO MÚSCULO TRIANGULAR DA REGIÃO POSTERIOR DO
COTOVELO INTIMAMENTE ASSOCIADO AO TRICÍPETE
MÚSCULO SUPERFICIAL DA PORÇÃO EXTERNA DO
CURTA PORÇÃO > DIÁFISE DO ÚMERO | METADE SUPERIOR DA ORIGEM EPICÔNDILO | FACE POSTERIOR
ANTEBRAÇO. ESTENDE-SE DESDE A EPIFISE DISTAL DO
ÚMERO ATÉ À EPÍFISE DISTAL DO RÁDIO, PASSANDO À FACE POSTERIOR
FRENTE DA ARTICULAÇÃO DO COTOVELO. ORIGEM VASTO INTERNO > DIÁFISE DO ÚMERO | METADE INFERIOR DA INSERÇÃO CÚBITO | OLECRÂNEO E ¼ SUPERIOR DA FACE
FACE POSTERIOR POSTERIOR
ACIMA DO EPICÔNDILO | BORDO EXTERNO DA
ORIGEM LONGA PORÇÃO > ABAIXO DA CAVIDADE GLENOIDE DA ACÇÃO
EPÍFISE DISTAL DO ÚMERO
OMOPLATA | TUBÉRCULO INFRAGLENOIDEO
INSERÇÃO APÓFISE ESTILOIDE DO RÁDIO 1 EXTENSÃO DO ANTEBRAÇO
INSERÇÃO OLECRÂNEO | FACE SUPERIOR
ACÇÃO ACÇÃO
1 FLEXÃO DO COTOVELO 1 EXTENSÃO DO BRAÇO

GRANDE PALMAR
REGIÃO ANTERO-INTERNA MÚSCULO DA CAMADA SUPERFICIAL QUE SE ESTENDE EM DIAGONAL
DO ANTEBRAÇO DESDE O ÚMERO ATÉ À MÃO. NO SEU TRAJETO O VENTRE MUSCULAR
CONTINUA-SE POR UM TENDÃO ACHATADO QUE PROGRESSIVAMENTE SE
TRANSFORMA NUMA CORDA FIBROSA PALPÁVEL NA FACE ANTERIOR DO
PUNHO E QUE CONSTITUI UMA REFERÊNCIA PARA A LOCALIZAÇÃO DA
REDONDO PRONADOR ARTÉRIA RADIAL (PARA DETERMINAÇÃO DO PULSO RADIAL)
ORIGEM EPITRÓCLEA DO ÚMERO | FACE ANTERIOR CUBITAL ANTERIOR
MÚSCULO DA CAMADA SUPERFICIAL CONSTITUIDO POR 2 FEIXES COM É O MÚSCULO MAIS INTERNO DA CAMADA SUPERFICIAL. O
ORIGENS DIFERENTES (ÚMERO E CÚBITO) QUE NO SEU TRAJETO, INSERÇÃO 2º METACARPO | EXTREMIDADE SUPERIOR
VENTRE MUSCULAR OCUPA A METADE SUPERIOR DA PORÇÃO
ENTRE O LONGO SUPINADOR E O GRANDE PALMAR, SE UNEM PARA
TEREM UMA INSERÇÃO COMUM.
ACÇÃO ANTERIOR E INTERNA DO ANTEBRAÇO. O SEU TENDÃO DESCE
AO LONGO DO CÚBITO, APOIA-SE NA SUA APÓFISE ESTILOIDE
1 FLEXÃO DO PULSO E INSERE-SE LOGO ABAIXO.
ORIGEM EPITRÓCLEA | FACE ANTERIOR
APÓFISE CORONOIDEIA DO CÚBITO 2 ABDUÇÃO DO PULSO
ORIGEM EPITRÓCLEA DO ÚMERO | FACE ANTERIOR
INSERÇÃO DIÁFISE DO RÁDIO | PORÇÃO MÉDIA DA FACE EXTERNA OLECRÂNEO DO CÚBITO

ACÇÃO INSERÇÃO PISIFORME


1 PRONAÇÃO DO ANTEBRAÇO PEQUENO PALMAR ACÇÃO
PEQUENO MÚSCULO INCONSTANTE POSSUIDOR DE UM EXTENSO TENDÃO 1 FLEXÃO DO PULSO
QUADRADO PRONADOR QUE CRUZA TODA A FACE ANTERIOR DO ANTEBRAÇO PELA LINHA MÉDIA.
O TENDÃO TERMINAL, QUANDO EXISTE, PODE SER UTILIZADO COMO GUIA 2 ADUÇÃO DO PULSO
ÚNICO MÚSCULO DA 4ª CAMADA, É O MAIS PROFUNDO DA REGIÃO ANTERO- PARA LOCALIZAR, À SUPERFÍCIE DO PUNHO, O NERVO MEDIANO QUE
INTERNA. APRESENTA UMA FORMA QUADRILÁTERA, UNINDO PASSA EXTERNAMENTE A ELE.
ANTERIORMENTE O QUARTO INFERIOR DAS DIÁFISES DO CÚBITO E DO RÁDIO. ORIGEM EPITRÓCLEA DO ÚMERO | FACE ANTERIOR
ORIGEM DIÁFISE DO CÚBITO | QUARTO INFERIOR DA FACE ANTERIOR INSERÇÃO APONEVROSE PALMAR
INSERÇÃO DIÁFISE DO RÁDIO | QUARTO INFERIOR DA FACE ANTERIOR ACÇÃO
ACÇÃO
1 CRIA TENSÃO NA APONEVROSE PALMAR DURANTE OS
1 PRONAÇÃO DO ANTEBRAÇO MOVIMENTOS DA MÃO

2 AUXILIAR NA FLEXÃO DA MÃO

ANATOMIA MUSCULAR 8
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

FLEXOR COMUM SUPERFICIAL FLEXOR COMUM PROFUNDO


DOS DEDOS DOS DEDOS
ÚNICO MÚSCULO DA 2ª CAMADA. CONSTITUÍDO POR 2 FEIXES, MÚSCULO DA 3ª CAMADA. FORMA 4 TENDÕES QUE DEPOIS DE
RADIA E ÚMERO-CUBITAL, FORMA QUATRO TENDÕES QUE PASSAREM EM CONJUNTO PELO TÚNEL CÁRPICO, SE SEPARAM FLEXOR PRÓPRIO DO POLEGAR
ATRAVESSAM EM CONJUNTO O TÚNEL CÁRPICO EM DIREÇÃO AOS DIRIGINDO-SE PARA OS 4 ÚLTIMOS DEDOS. AÍ, PASSAM PELA
QUATRO ÚLTIMOS DEDOS. CADA TENDÃO BIFURCA-SE AO NÍVEL DA BIFURCAÇÃO DO TENDÃO DO FLEXOR SUPERFICIAL, RECEBENDO MÚSCULO DA 3ª CAMADA, LOCALIZADO EXTERNAMENTE AO
1ª FALANGE (PARA DEIXAR PASSAR O TENDÃO FLEXOR COMUM DOS A DESIGNAÇÃO DE “TENDÃO PERFURANTE”. FLEXOR COMUM PROFUNDO DOS DEDOS
DEDOS) RECEBENDO A DESIGNAÇÃO “TENDÃO PERFURADO”.
ORIGEM CÚBITO | FACE ANTERIOR ORIGEM DIÁFISE DO RÁDIO | FACE ANTERIOR
EPITRÓCLEA | FACE ANTERIOR LIGAMENTO INTERÓSSEO LIGAMENTO INTERÓSSEO
ORIGEM CÚBITO | APÓFISE CORONOIDEIA INSERÇÃO FALANGETA DO POLEGAR
RÁDIO | BORDO ANTERIOR INSERÇÃO FALANGETA DOS 4 ÚLTIMOS DEDOS ATRAVÉS DE 4
TENDÕES ACÇÃO
INSERÇÃO FALANGINHA DOS 4 ÚLTIMOS DEDOS ATRAVÉS DE QUATRO ACÇÃO 1 FLEXÃO DE TODAS AS ARTICULAÇÕES DO POLEGAR
TENDÕES

ACÇÃO 1 FLEXÃO DA ARTICULAÇÃO INTERFALÂNGICA DISTAL 2 ABDUÇÃO DO PULSO


1 FLEXÃO DA ARTICULAÇÃO INTERFALÂNGICA PROXIMAL 2 FLEXÃO DA ARTICULAÇÃO INTERFALÂNGICA PROXIMAL 3 FLEXÃO DO PULSO
2 FLEXÃO DA ARTICULAÇÃO METACARPO-FALÂNGICA 3 FLEXÃO DA ARTICULAÇÃO METACARPO-FALÂNGICA

3 FLEXÃO DO PULSO 4 FLEXÃO DO PULSO

REGIÃO POSTERO-EXTERNA
DO ANTEBRAÇO
SEGUNDO RADIAL
CUBITAL POSTERIOR EXTERNO
É O MÚSCULO MAIS INTERNO DOS
APRESENTA UM TRAJETO SEMELHANTE AO DO SUPINADOR
1º RADIAL. O SEU VENTRE MUSCULAR SURGE, MÚSCULO PROFUNDO FORMADO POR 2 PORÇÕES: UMA
SUPERFICIAIS DO COMPARTIMENTO POSTERO-
PRIMEIRO RADIAL EXTERNO EXTERNO
NO ENTANTO, MAIS CURTO E MAIS
PROFUNDO.
COM ORIGEM NO ÚMERO E OUTRA NO CÚBITO. AS FIBRAS
DE AMBAS AS PORÇÕES ENROLAM-SE DURANTE O SEU
MÚSCULO SUPERFICIAL DO COMPARTIMENTO POSTERIOR QUE SE TRAJETO CONTORNANDO POSTERIORMENTE O RÁDIO.
ESTENDE DESDE O ÚMERO ATÉ À FACE DORSAL DA MÃO, PASSANDO ORIGEM EPICÔNDILO DO ÚMERO ORIGEM EPICÔNDILO DO ÚMERO
CÚBITO | BORDO POSTERIOR
NO ANTEBRAÇO AO LONGO DO BORDO EXTERNO DO RÁDIO. NO
INSERÇÃO 3º METACARPO | FACE DORSAL DA ORIGEM EPICÔNDILO DO ÚMERO
SEU TRAJETO CAMINHA PARALELAMENTE AO BRAQUEO-RADIAL INSERÇÃO 5º METACARPO | EXTREMIDADE EXTREMIDADE SUPERIOR CÚBITO | BORDO EXTERNO
PODENDO, EM ALGUNS CASOS, CONFUNDIR-SE COM ELE. SUPERIOR
ACÇÃO INSERÇÃO RÁDIO
ORIGEM EPICÔNDILO DO ÚMERO | PORÇÃO INFERIOR DO BORDO ACÇÃO
EXTERNO EXTENSÃO (ACTIVA) DO PULSO
1 EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO DO 1 HIPEREXTENSÃO (PASSIVA) DO ACÇÃO
INSERÇÃO 2º METACARPO | FACE DORSAL DA EXTREMIDADE PULSO PULSO
SUPERIOR 1 SUPINAÇÃO DO ANTEBRAÇO
2 ADUÇÃO DO PULSO 2 ABDUÇÃO DO PULSO
ACÇÃO
1 EXTENSÃO (ACTIVA) DO PULSO
HIPEREXTENSÃO (PASSIVA) DO PULSO

2 ABDUÇÃO DO PULSO

ANATOMIA MUSCULAR 9
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

EXTENSOR COMUM DOS DEDOS


MÚSCULO SUPERFICIAL QUE CAMINHA INTERNAMENTE AO 2º RADIAL EXTERNO. O
VENTRE MUSCULAR TERMINA NA METADE INFERIOR DO ANTEBRAÇO PARA FORMAR 4
TENDÕES QUE CRUZAM O PUNHO PELA FACE POSTERIOR. ESTES TENDÕES SEPARAM-
SE DEPOIS, PARA SE DIRIGIREM PARA OS 4 ÚLTIMOS DEDOS. CADA TENDÃO, AO
ATINGIR O DEDO RESPETIVO, DIVIDE-SE EM 3 LINGUETAS, TERMINANDO UMA FACE
POSTERIOR DA 2ª FALANGE E AS OUTRAS 2 NAS FACES LATERAIS DA 3ª FALANGE.
ORIGEM EPICÔNDILO DO ÚMERO
LONGO ABDUTOR DO POLEGAR
INSERÇÃO 2ª E 3ª FALANGES DOS 4 ÚLTIMOS DEDOS, ATRAVÉS DE 4 TENDÕES
MÚSCULO PROFUNDO SITUADO ABAIXO DO CURTO SUPINADOR NA LONGO E CURTO
FACE POSTERIOR DO ANTEBRAÇO.
ACÇÃO FACE POSTERIOR DO CÚBITO
EXTENSORES DO POLEGAR
ORIGEM FACE POSTERIOR DO RÁDIO SÃO 2 MÚSCULOS PROFUNDOS DA FACE POSTERIOR DO
1 EXTENSÃO DA ARTICULAÇÃO INTERFALÂNGICA DISTAL E PROXIMAL ANTEBRAÇO POSSUIDORES DE UMA MESMA ORIGEM E DE
LIGAMENTO INTERÓSSEO UMA AÇÃO SEMELHANTE. A INSERÇÃO DÁ-SE EM LOCAIS
2 EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO DA ARTICULAÇÃO METACARPO-FALÂNGICA
INSERÇÃO 1º METACARPO | FACE EXTERNA DA EXTREMIDADE SUPERIOR DIFERENTES DO POLEGAR.
3 EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO DO PULSO
ACÇÃO FACE POSTERIOR DO CÚBITO
ORIGEM FACE POSTERIOR DO RÁDIO
1 ABDUÇÃO DA ARTICULAÇÃO PRIMO CARPO METACÁRPICA LIGAMENTO INTERÓSSEO
EXTENSOR PRÓPRIO DO 5º DEDO 2 ABDUÇÃO DO PULSO
INSERÇÃO CURTO > FALANGE DO POLEGAR
PORÇÃO DESTACADA DO EXTENSOR COMUM DOS DEDOS QUE LONGO > FALANGETA DO POLEGAR
REFORÇA A AÇÃO DESTE AO NÍVEL DO 5º DEDO.
ACÇÃO
ORIGEM EPICÔNDILO DO ÚMERO
1 EXTENSÃO DO POLEGAR
INSERÇÃO FALANGETA DO 5º DEDO | UNE-SE AO TENDÃO DO EXTENSOR
COMUM QUE SE DIRIGE AO 5º DEDO
ACÇÃO
REFORÇA A AÇÃO DO EXTENSOR COMUM DOS DEDOS AO NÍVEL DO 5º DEDO

MÚSCULOS DA MÃO
REGIÃO PALMAR INTERNA REGIÃO PALMAR EXTERNA
PALMO-CUTÂNEO OPONENTE DO POLEGAR
OPONENTE DO 5º DEDO CURTO FLEXOR DO POLEGAR
FLEXOR DO 5º DEDO CURTO ABDUTOR DO POLEGAR
EXTENSOR PRÓPRIO DO ABDUTOR DO 5º DEDO ADUTOR DO POLEGAR
INDICADOR ACÇÃO ACÇÃO
MÚSCULO DE REDUZIDO VENTRE MUSCULAR, SITUADO NA
METADE INFERIOR DO ANTEBRAÇO. O SEU TENDÃO ATUAM EM MOVIMENTOS DIVERSOS DO 5º DEDO. ATUAM EM MOVIMENTOS DIVERSOS DO POLEGAR
TERMINAL UNE-SE AO TENDÃO DO EXTENSOR COMUM DOS
DEDOS DESTINADO AO INDICADOR.
ORIGEM FACE POSTERIOR DO CÚBITO
LIGAMENTO INTERÓSSEO
INSERÇÃO FALANGETA DO 2º DEDO
ACÇÃO
1 EXTENSÃO DO 2º DEDO

ANATOMIA MUSCULAR 10
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

CINTURA PÉLVICA
PIRAMIDAL DA BACIA|OBTURADOR INTERNO|OBTURADOR EXTERNO|GÉMEO SUPERIOR|GÉMEO INFERIOR|QUADRADO CRURAL
ACÇÃO
EQUILÍBRIO DA BACIA | ESTABILIDADE DA COXO-FEMURAL | ROTAÇÃO EXTERNA DA COXA | RETROVERSÃO | FIXAÇÃO DA BACIA

REGIÃO PALMAR MÉDIA REGIÃO PALMAR MÉDIA


LOMBRICOIDES INTERÓSSEOS
ORIGEM TENDÕES DO FLEXOR COMUM DOS ORIGEM O SSOS DO METACARPO
DEDOS TENDÕES DOS EXTENSORES
INSERÇÃO TDOS
ENDÕES DO EXTENSOR COMUM
DEDOS
INSERÇÃO TENDÕES DO EXTENSOR COMUM
DOS DEDOS
ACÇÃO ACÇÃO
FLEXÃO DA 1ª FALANGE MANTENDO AS OUTRAS INTERÓSSEOS PALMARES > UNEM OS DEDOS
DUAS EM EXTENSÃO INTERÓSSEOS DORSAIS > AFASTAM OS DEDOS

CINTURA PÉLVICA
PLANO SUPERFICIAL

GRANDE GLÚTEO
É O MAIS VOLUMOSO E SUPERFICIAL DOS GLÚTEOS.
COBRE A TUBEROSIDADE ISQUIÁTICA E O NERVO PEQUENO GLÚTEO
CIÁTICO.
O MAIS PEQUENO E PROFUNDO DOS GLÚTEOS.
SACRO | FACE POSTERIOR APRESENTA UMA FORMA TRIANGULAR COM FIBRAS
CONVERGENTES DESDE O OSSO COXAL ATÉ AO FÉMUR.
ORIGEM COCCIX | FACE POSTERIOR
FOSSA ILÍACA EXTERNA
MÉDIO GLÚTEO
PARTE POSTERIOR DA CRISTA ILÍACA MÚSCULO TRIANGULAR DE BASE SUPERIOR QUE SE ORIGEM FOSSA ILÍACA EXTERNA | À FRENTE DO
MÉDIO GLÚTEO
ENCONTRA COBERTO PARCIALMENTE PELO GRANDE GLÚTEO
TRIFURCAÇÃO DA LINHA ÁSPERA DO FÉMUR
INSERÇÃO GRANDE TROCANTER DO FÉMUR | BORDO
INSERÇÃO (CRISTA EXTERNA) JUNTO AO GRANDE ORIGEM PORÇÃO MÉDIA DA FOSSA ILÍACA EXTERNA | À ANTERIOR
TROCANTER FRENTE DO GRANDE GLÚTEO

INSERÇÃO GRANDE TROCANTER DO FÉMUR | FACE EXTERNA


ACÇÃO
ACÇÃO 1 ROTAÇÃO INTERNA | COXO-FEMURAL
1 ROTAÇÃO EXTERNA | COXO-FEMURAL ACÇÃO
2 FLEXÃO | COXO-FEMURAL
1 ABDUÇÃO | COXO-FEMURAL
2 EXTENSÃO E HIPEREXTENSÃO | COXO- 3 ABDUÇÃO | COXO-FEMURAL
FEMURAL
3 ABDUÇÃO | COXO-FEMURAL 4 ANTEVERSÃO

OII RETROVERSÃO

ANATOMIA MUSCULAR 11
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

REGIÃO ANTERIOR DA COXA

TENSOR DA FASCIA LATA COSTUREIRO


LOCALIZADO NA FACE ANTERO-EXTERNA DA COXA, É UM PEQUENO
MÚSCUO QUE UNE O OSSO COXAL COM A BANDA ÍLIO-TIBIAL QUE MÚSCULO BIARTICULAR QUE CRUZA OBLIQUAMENTE A FACE
UM EPESSAMENTO DA FASCIA LATA (APONEVROSE QUE ENVOLVE ANTERIOR DA COXA DESDE A BACIA ATÉ AO JOELHO
TODOS OS MÚSCULOS DA COXA) QUE SE ESTENDE NA FACE
EXTERNA DA COXA, DESDE A CRISTA ILÍACA ATÉ AO JOELHO.
QUADRICÍPETE CRURAL ORIGEM ESPINHA ILÍACA ANTERO-SUPERIOR
MÚSCULO COMPOSTO POR 4 PORÇÕES: RECTO FEMORAL, VASTO
ORIGEM CRISTA ILÍACA INTERNO, VASTO EXTERNO E CRURAL. ESTAS PORÇÕES, COM ORIGENS INSERÇÃO TUBERSOIDADE INTERNA DA TÍBIA | ATRAVÉS DO TENDÃO
“PATA DE GANSO”
ESPINHA ILÍACA ANTERO-SUPERIOR DIFERENTES, TÊM UMA INSERÇÃO COMUM, ATRAVÉS DE UM TENDÃO QUE
ENVOLVE A RÓTULA, TENDÃO ROTULIANO, ANTES DE SE INSERIR NA TÍBIA. ACÇÃO
INSERÇÃO TUBEROSIDADE EXTERNA DA TÍBIA | PELA BANDA ÍLIO-
TIBIAL RECTO FEMORAL > ESPINHA ILÍACA ANTERO-INFERIOR 1 FLEXÃO | COXO-FEMURAL
VASTO INTERNO > LINHA ÁSPERA DO FÉMUR | CRISTA INTERNA
ACÇÃO ORIGEM
VASTO EXTERNO > LINHA ÁSPERA DO FÉMUR | CRISTA EXTERNA
2 ABDUÇÃO | COXO-FEMURAL
1 FLEXÃO | COXO-FEMURAL CRURAL > DIÁFISE DO FÉMUR | FACE ANTERIOR 3 ROTAÇÃO EXTERNA | COXO-FEMURAL
2 ABDUÇÃO | COXO-FEMURAL INSERÇÃO TUBEROSIDADE ANTERIOR DA TÍBIA 4 ROTAÇÃO INTERNA | COXO-FEMURAL
3 ROTAÇÃO | COXO-FEMURAL ACÇÃO OII ANTEVERSÃO
OII ANTEVERSÃO 1 FLEXÃO | COXO-FEMURAL
2 EXTENSÃO | JOELHO
OII ANTEVERSÃO

ADUTORES
SÃO NA REALIDADE 3 MÚSCULOS: O MAIS PROFUNDO, O
GRANDE ADUTOR, CONSTITUÍDO POR 2 FEIXES: UM
PECTÍNEO RECTO INTERNO
HORIZONTAL E OUTRO VERTICAL; O MAIS SUPERFICIAL, O
MÉDIO ADUTOR; PEQUENO ADUTOR, QUE SE ENCONTRA
MÚSCULO CURTO E ACHATADO QUE COBRE O PEQUENO COBERTO PELO PECTÍNEO E PELO MÉDIO ADUTOR.
ADUTOR. MÚSCULO ESTREITO E COMPRIDO POR TODA A REGIÃO PEQUENO
INTERNA DA COXA. CONSTITUI UM DOS TRÊS MÚSCULOS ADUTOR PÚBIS
ORIGEM PÚBIS E CRISTA PECTÍNEA CUJO TENDÃO FORMA A “PATA DE GANSO” (COM O ORIGEM RAMO ÍSQUIO-PÚBICO
COSTUREIRO E O SEMITENDINOSO). TUBEROSIDADE ISQUIÁTICA
INSERÇÃO ABAIXO DO PEQUENO TROCANTER, NA FACE GRANDE
ORIGEM PÚBIS
POSTERIOR DO FÉMUR
ADUTOR INSERÇÃO LINHA ÁSPERA DO FÉMUR
POR CIMA DO CÔNDILO INTERNO DO FÉMUR
ACÇÃO INSERÇÃO TUBEROSIDADE INTERNA | ATRAVÉS DO TENDÃO
1 ROTAÇÃO EXTERNA | COXO-FEMURAL “PATA DE GANSO” ACÇÃO
2 FLEXÃO | COXO-FEMURAL ACÇÃO 1 ADUÇÃO | COXO-FEMURAL
3 ADUÇÃO | COXO-FEMURAL 1 ADUÇÃO | COXO-FEMURAL 2 ROTAÇÃO EXTERNA | COXO-FEMURAL
2 ROTAÇÃO INTERNA | COXO-FEMURAL

ANATOMIA MUSCULAR 12
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

REGIÃO POSTERIOR DA COXA

BICÍPETE FEMORAL SEMITENDINOSO SEMIMEMBRANOSO


O MAIS EXTERNO DOS MÚSCULOS ÍSQUIO-TIBIAIS. É LOCALIZADO INTERNAMENTE AO BICÍPETE FEMORAL ESTENDE-SE APRESENTA CARATERÍSTICAS MUITO IDÊNTICAS AO
COMPOSTO POR 2 PORÇÕES QUE SE UNEM FORMANDO UM DESDE O OSSO COXAL ATÉ À TÍBIA ONDE TEM INSERÇÃO. SEMITENDINOSO PELO QUAL SE ENCONTRA COBERTO. O SEU
TENDÃO FORTE QUE SE INSERE NA CABEÇA DO PERÓNEO. TENDÃO DIVIDE-SE EM 3 FEIXES QUE TERMINAM NA TÍBIA E
ORIGEM TUBEROSIDADE ISQUIÁTICA NA PARTE POSTERIOR DA CÁPSULA ARTICULAR DO JOELHO.
LONGA PORÇÃO > TUBEROSIDADE ISQUIÁTICA
ORIGEM CURTA PORÇÃO > LINHA ÁSPERA DO FÉMUR | 1/3 INSERÇÃO TUBEROSIDADE INTERNA DA TÍBIA | ATRAVÉS DO ORIGEM TUBEROSIDADE ISQUIÁTICA
TENDÃO “PATA DE GANSO”
MÉDIO DA CRISTA EXTERNA INSERÇÃO TUBERSOSIDADE INTERNA DA TÍBIA
INSERÇÃO CABEÇA DO PERÓNEO ACÇÃO
ACÇÃO
ACÇÃO 1 EXTENSÃO E HPEREXTENSÃO | COXO-FEMURAL
1 EXTENSÃO E HPEREXTENSÃO | COXO-FEMURAL
1 2 FLEXÃO DO JOELHO
EXTENSÃO E HPEREXTENSÃO | COXO-FEMURAL 2 FLEXÃO DO JOELHO
2 3 ROTAÇÃO EXTERNA DO JOELHO
FLEXÃO DO JOELHO 3 ROTAÇÃO EXTERNA DO JOELHO
3 OII RETROVERSÃO DA BACIA
ROTAÇÃO EXTERNA DO JOELHO OII RETROVERSÃO DA BACIA
OII RETROVERSÃO DA BACIA

REGIÃO ANTERIOR DA PERNA EXTENSOR COMUM DOS DEDOS


LOCALIZADO EXTERNAMENTE AO TIBIAL ANTERIOR, FORMA UM TENDÃO
COMPRIDO QUE DEPOIS DE ATRAVESSAR O TORNOZELO, SE DIVIDE EM 4
TENDÕES QUE SE DIRIGEM PARA OS 4 ÚLTIMOS DEDOS.

EXTENSOR PRÓPRIO DO TÍBIA | TUBEROSIDADE EXTERNA


ORIGEM PERÓNEO | DIÁFISE

TIBIAL ANTERIOR DEDO GRANDE LIGAMENTO INTERÓSSEO


MÚSCULO PROFUNDO DO COMPARTIMENTO ANTERIOR, INSERÇÃO 2ª E 3ª FALANGE DOS 4 ÚLTIMOS DEDOS
É O MÚSCULO MAIS SUPERFICIAL E EXTERNO DO POSSUIDOR DE UM LONGO TENDÃO QUE ATRAVESSA O
COMPARTIMENTO ANTERIOR. POSSUI UM TENDÃO COMPRIDO E TORNOZELO PELO LADO INTERNO.
ACÇÃO
FORTE QUE ATRAVESSA A FACE ANTERIOR DO TORNOZELO EM 1 EXTENSÃO DOS ÚLTIMOS 4 DEDOS
DIREÇÃO À PARTE INTERNA DO DORSO DO PÉ. ORIGEM DIÁFISE DO PERÓNEO
LIGAMENTO INTERÓSSEO 2 EVERSÃO DO PÉ
ORIGEM FACE EXTERNA DA DIÁFISE DA TÍBIA INSERÇÃO 3ª FALANGE DO DEDO GRANDE
LIGAMENTO INTERÓSSEO
ACÇÃO
INSERÇÃO 1º CUNEIFORME
1º METATARSO | EXTREMIDADE POSTERIOR 1 EXTENSÃO DO DEDO GRANDE
PERONEAL ANTERIOR
ACÇÃO PEQUENO MÚSCULO INCONSTANTE QUE É O MAIS EXTERNO
2 FLEXÃO DORSAL DO PÉ DESTA REGIÃO.
1 FLEXÃO DORSAL DO PÉ 3 INVERSÃO DO PÉ
2 INVERSÃO DO PÉ ORIGEM PERÓNEO | PORÇÃO DISTAL DA DIÁFISE
LIGAMENTO INTERÓSSEO
INSERÇÃO 5º METATARSO | EXTREMIDADE POSTERIOR
ACÇÃO
1 FLEXÃO DORSAL DO PÉ
2 EVERSÃO DO PÉ

ANATOMIA MUSCULAR 13
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

REGIÃO EXTERNA DA PERNA


REGIÃO POSTERIOR DA PERNA
LONGO PERONEAL LATERAL
MÚSCULO SUPERFICIAL QUE ACOMPANHA A FACE EXTERNA DO
PERÓNEO E SE CONTINUA POR UM LONGO TENDÃO QUE PASSA POR
TRÁS DO MALÉOLO EXTERNO E CRUZA OBLIQUAMENTE A PLANTA DO PÉ
EM DIREÇÃO AO SEU LADO INTERNO.
TRÍCIPETE SURAL POPLÍTEO
ORIGEM PERÓNEO | CABEÇA E FACE EXTERNA DA PORÇÃO SUPERIOR MÚSCULO PEQUENO DE FORMA TRIANGULAR LOCALIZADO NA
DA DIÁFISE
MÚSCULO CONSTITUÍDO POR 3 PORÇÕES: GÉMEOS REGIÃO POSTERIOR DO JOELHO
1º METATARSO | PORÇÃO POSTERIOR DA FACE PLANTAR (EXTERNO E INTERNO) E SOLEAR. COM ORIGENS
INSERÇÃO DIFERENTES, ESTAS 3 PORÇÕES POSSUEM UMA ÚNICA ORIGEM CÔNDILO EXTERNO DO FÉMUR | FACE EXTERNA
1º CUNEIFORME | FACE PLANTAR
INSERÇÃO NO CALCÂNEO ATRAVÉS DO TENDÃO DE AQUILES INSERÇÃO FACE POSTERIOR DA DIÁFISE DA TÍBIA | LINHA OBLÍQUA
ACÇÃO GÉMEOS INTERNO E EXTERNO
1 FLEXÃO PLANTAR DO PÉ POR CIMA DOS CÔNDILOS FEMURAIS INTERNO E
ACÇÃO
EXTERNO 1 ROTAÇÃO INTERNA DO JOELHO
2 EVERSÃO DO PÉ
ORIGEM SOLEAR 2 FLEXÃO DO JOELHO
TÍIBIA | LINHA OBLÍQUA
CURTO PERONEAL LATERAL PERÓNEO | CABEÇA E DIÁFISE
LIGAMENTO INTERÓSSEO
MAIS PROFUNDO QUE O LONGO PERONEAL LATERAL, ESTE MÚSCULO
POSSUI UM LONGO TENDÃO QUE PASSA POR TRÁS DO MALÉOLO INSERÇÃO CALCÂNEO | FACE POSTERIOR
EXTERNO EM DIREÇÃO AO 5º METATARSO.
ACÇÃO
ORIGEM PERÓNEO | FACE EXTERNA DA PORÇÃO INFERIO DA DIÁFISE
1 FLEXÃO DO JOELHO
INSERÇÃO 5º METATARSO | EXTREMIDADE POSTERIOR
2 FLEXÃO PLANTAR
ACÇÃO
1 FLEXÃO PLANTAR DO PÉ
2 EVERSÃO DO PÉ

TIBIAL POSTERIOR FLEXOR COMUM DOS DEDOS FLEXOR PRÓPRIO DO


MÚSCULO SITUADO IMEDIATAMENTE ABAIXO DO SOLEAR ENTRE MÚSCULO ALONGADO LOCALIZADO INTERNAMENTE AO TIBIAL DEDO GRANDE
OS MÚSCULOS FLEXORES DOS DEDOS. O SEU TENDÃO TERMINAL POSTERIOR. DESENVOLVE UM TENDÃO COMPRIDO QUE PASSA ATRÁS É O MAIS EXTERNO DOS MÚSCULOS PROFUNDOS. O SEU TENDÃO
PASSA POR TRÁS DO MALÉOLO INTERNO. DO MALÉOLO INTERNO EM DIREÇÃO À PLANTA DO PÉ, ONDE SE DIVIDE
EM 4 TENDÕES QUE SE DIRIGEM PARA OS 4 ÚLTIMOS DEDOS. TERMINAL PASSA ATRÁS DO MALÉOLO INTERNO EM DIREÇÃO À
PLANTA DO PÉ.
FACE POSTERIOR DA DIÁFISE DA TÍBIA | LINHA OBLÍQUA
ORIGEM FACE POSTERIOR DA DIÁFISE DA TÍBIA | LINHA OBLÍQUA
ORIGEM PERÓNEO
ORIGEM FACE POSTERIOR DA TÍBIA
LIGAMENTO INTERÓSSEO INSERÇÃO 3ª FALANGE (FACE PLANTAR) DOS 4 ÚLTIMOS DEDOS ATRAVÉS FACE POSTERIOR DO LIGAMENTO INTERÓSSEO
DE 4 TENDÕES
INSERÇÃO ESCAFÓIDE | FACE PLANTAR INSERÇÃO 3ª FALANGE DO 1º DEDO | FACE PLANTAR
ACÇÃO ACÇÃO ACÇÃO
1 FLEXÃO PLANTAR DO PÉ
1 FLEXÃO PLANTAR DO PÉ 1 FLEXÃO DO DEDO GRANDE
2 INVERSÃO DO PÉ
2 INVERSÃO DO PÉ 2 FLEXÃO PLANTAR DO PÉ
3 FLEXÃO DOS ÚLTIMOS 4 DEDOS
3 INVERSÃO DO PÉ

ANATOMIA MUSCULAR 14
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

MÚSCULOS DO PÉ MÚSCULOS DO PÉ REGIÃO PLANTAR DO PÉ

REGIÃO PLANTAR REGIÃO PLANTAR ADUTOR DO DEDO GRANDE


CURTO FLEXOR DO DEDO GRANDE ABDUTOR DO DEDO GRANDE 4 PORÇÕES:
CURTO FLEXOR DO 5º DEDO ABDUTOR DO 5º DEDO 3 PORÇÕES TRANSVERSAS
ACÇÃO ACÇÃO 1 PORÇÃO OBLÍQUA
FLEXÃO DOS DEDOS (1º E 5º) ABDUÇÃO DOS DEDOS (1º E 5º) NO SENTIDO INFERIOR ACÇÃO
RODA O DEDO GRANDE NA DIREÇÃO DO 5º DEDO
(AÇÃO FUNDAMENTAL NA LOCOMOÇÃO POIS SEM A
AÇÃO DO DEDO GRANDE SERIA MUITO DIFÍCIL ANDAR)

REGIÃO DORSAL DO PÉ REGIÃO PLANTAR DO PÉ REGIÃO PLANTAR DO PÉ

CURTO EXTENSOR DOS DEDOS INTERÓSSEOS DORSAIS INTERÓSSEOS PLANTARES


FORMA 4 TENDÕES QUE SE DIRIGEM PARA INSEREM-SE NOS OSSOS DO METATARSO E INSEREM-SE NOS OSSOS DO METATARSO E
AS FALANGES DOS 4 PRIMEIROS DEDOS NO TENDÃO EXTENSOR NO TENDÃO EXTENSOR
ACÇÃO ACÇÃO ACÇÃO
EXTENSÃO DOS 4 PRIMEIROS DEDOS AFASTAMENTO DOS DEDOS UNIÃO DOS DEDOS

ANATOMIA MUSCULAR 15
ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

TIBIAL ANTERIOR
LONGO
REGIÃO PLANTAR DO PÉ REGIÃO PLANTAR DO PÉ MÚSCULOS DO PÉ RETINÁCULO
EXTENSOR
FLEXOR
DOS DEDOS
TENDÕES E APONEVROSES INFERIOR
LONGO
LONGO FLEXOR
EXTENSOR POLEGAR
LOMBRICOIDES DO POLEGAR

ORIGEM TENDÕES DO FLEXOR COMUM DOS DEDOS CURTO FLEXOR PLANTAR


INSERÇÃO TENDÕES DO EXTENSOR COMUM DOS DEDOS É O MAIS SUPERFICIAL DOS MÚSCULOS DA PLANTA DO RETINÁCULO
ACÇÃO PÉ. DIVIDE-SE EM 4 TENDÕES QUE SE DIRIGEM PARA OS FLEXOR
4 ÚLTIMOS DEDOS.
FLEXÃO DA 1ª FALANGE MANTENDO AS OUTRAS EM TIBIAL
EXTENSÃO ACÇÃO ANTERIOR LONGO FLEXOR LONGO FLEXOR TIBIAL
POLEGAR DIGITAL POSTERIOR
FLEXÃO DOS 4 ÚLTIMOS DEDOS
RETINÁCULO EXTENSOR SUPERIOR

QUADRADO DE SYLVIUS LONGO EXTENSOR DOS DEDOS


MÚSCULO PROFUNDO TAMBÉM DENOMINADO RETINÁCULO
ACESSÓRIO FLEXOR COMUM DOS DEDOS POR SE PERONEAL RETINÁCULO EXTENSOR INFERIOR
INSERIR NOS TENDÕES DESTE MÚSCULO.
ACÇÃO
AUXILIAR DA FLEXÃO DOS DEDOS

LONGO
RETINÁCULO PERONEAL CURTO PERONEAL
PERONEAL INFERIOR CURTO EXTENSOR DOS DEDOS

BIBLIOGRAFIA

ANATOMIA MUSCULAR 16