Você está na página 1de 45

72 QUESTÕES PARA ESTUDO. ANALISE COM CUIDADO CADA UMA DELAS.

CAPRICHE E
INCREMENTE SEU JÁ VASTO CABEDAL DE CONHECIMENTOS. (19 Discursivas; de 53 de
Múltipla Escolha, sendo que, dentre estas, 14 EXIGEM CALCULADORA).

1) Considerando-se a normativa NHO-01 da FUNDACENTRO (Exposição


ocupacional a RUÍDO), é CORRETO se dizer que:
a) Com relação à aplicação de tal NHO, ela está voltada, em especial,
para a caracterização das condições de conforto acústico.

b) “Ciclo de exposição” é um conjunto de situações acústicas ao qual é


submetido o trabalhador, em sequência definida, e que se repete de
forma contínua no decorrer da jornada de trabalho.

c) “Critério de referência”, ou CR, é o nível médio para o qual a


exposição, por um período de 8 horas, corresponderá a uma dose de
50%.

d) “Dose” é um parâmetro utilizado para a caracterização da exposição


ocupacional ao ruído, expresso em porcentagem de energia sonora,
tendo por referência o valor mínimo da energia sonora diária
admitida.

e) “Grupo Homogêneo” corresponde a um grupo de trabalhadores que


receberam nomenclatura semelhante da Classificação Brasileira de
Ocupações – CBO.

2) Procurando se lembrar dos “EFEITOS DO RUÍDO NA SAÚDE DO SER


HUMANO”, discorra sobre os EFEITOS FISIOLÓGICOS do Ruído no
Ser Humano, conforme apresentado em sala. (PG 15)
COMPROMETE A ATIVIDADE FISICA

SURDEZ

AUMENTO DA PRESSÃO SANGUINEA E FREQUENCIA CARDIACA

RESPOSTAS CARDIOVASCULARES, SEMELHANTES AO STRESS AGUDO

3) Procurando se lembrar das “Definições e Observações” sobre RUÍDO


CONTÍNUO OU INTERMITENTE (NR-15 – ANEXO 1), complete
adequadamente as seguintes frases: (PG 24 E 25)

1
Entende-se por Ruído Contínuo ou intermitente o
ruído _QUE NÃO SEJA RUIDO DE IMPACTO

Os níveis de ruído devem ser medidos em DECIBEIS (DB) com


instrumento de nível de pressão sonora operando no circuito de
compensação “A” e circuito de resposta LENTA (SLOW). As leituras
devem ser feitas próximas AO OUVIDO do trabalhador.

Não é permitida exposição a níveis de ruído acima de 115 dB (A) para


indivíduos que não estejam adequadamente protegidos.

Exposições a níveis de ruído (contínuo ou intermitente) superiores a 115


dB (A), sem proteção adequada, oferecerão RISCO GRAVE E
IMINENTE.

A expressão C1/T1 + C2/T2 + C3/T3 +...+ Cn/Tn deve ser utilizada quando
ocorrem, durante a jornada, dois ou mais períodos de exposição a ruídos de
diferentes níveis. O significado de “Cn” é TEMPO TOTAL
, enquanto “Tn” significa MAXIMA EXPOSICAO DIARIA
PERMITIDA (segundo o Quadro Geral do Anexo 1 da NR-15).

4) Procurando se lembrar das “Definições e Observações” sobre RUÍDO


DE IMPACTO (NR-15 – ANEXO 2), complete adequadamente as
seguintes frases: (PG 25 E 26)
Ruído de impacto é aquele que apresenta picos de energia acústica de
duração INFERIOR a HUM segundo, a intervalos SUPERIORES a HUM
segundo.

Os níveis de impacto serão medidos em DECIBEIS (DB), com medidor


de nível de pressão sonora operando no circuito LINEAR e circuito de
resposta para IMPACTO. As leituras devem ser feitas próximo AO
OUVIDO do trabalhador. O L.T. será de 130 dB (LINEAR)

Se não se dispõe de circuito de resposta para impacto, usa-se circuito de


resposta RAPIDA ( FAST ) e circuito de compensação “ C ”. Neste caso,
o L.T. será de 120 dB( C )

Exposições a níveis de ruído de impacto superiores a 140 dB (LINEAR)


ou 130 dB(C)- serão considerados RISCO GRAVE E IMINENTE.

5) Considerando-se a normativa NHO-01 da FUNDACENTRO, (Ruído


Contínuo e Ruído de Impacto), assinale a alternativa ERRADA:

2
a) Tal NHO introduz o conceito de nível de exposição como um dos
critérios para a quantificação e caracterização da exposição
ocupacional ao ruído contínuo ou intermitente.

b) Tal NHO introduz o conceito de nível de exposição normalizado para


interpretação dos resultados.

c) Tal NHO adota o valor "5" como incremento de duplicação de dose (q


= 5).

d) Tal NHO considera a possibilidade tanto da utilização de medidores


integradores quanto de medidores de leituras instantâneas.

e) “Nível de Ação” é o valor acima do qual devem ser iniciadas ações


preventivas de forma a minimizar a probabilidade de que as
exposições ao ruído causem prejuízos à audição do trabalhador e
evitar que o limite de exposição seja ultrapassado.

6) Considerando-se a NHO-01 em seus critérios de avaliação da exposição


ocupacional ao ruído contínuo ou intermitente; considerando-se o
emprego da seguinte fórmula:

Onde:
NE = nível de exposição;
D = dose diária de ruído em porcentagem;
TE = tempo de duração, em minutos, da jornada diária de trabalho;
resolva a seguinte questão: Para uma dose diária de ruído de 83,9%,
numa jornada de 7h e 20 min, qual o nível de exposição? a) NE = 83,91
dB
b) NE = 424,3%
c) NE = 84,48 dB
d) NE = 84,62 dB
e) NE = 84,70 dB

7) Considerando-se a NHO-01, especificamente quanto a Ruído de


Impacto; considerando-se a seguinte expressão: Np = 160 - 10 Log n
[dB] Onde:
Np=nível de pico, em dB(Lin), máximo admissível;
n = número de impactos ou impulsos ocorridos durante a jornada diária
de trabalho;
resolva a seguinte questão: Numa jornada de trabalho de 8,0 horas
diárias, sabendo-se que os impactos rotineiros (calculados como

3
990/hora) produzem um Nível de Pico (NP) de 125 dB, como fica a
situação ocupacional?
a) Aceitável, pois o Nível de Pico (NP) de 125 dB é superior ao Limite de
Tolerância de 121,01 dB.
b) Aceitável, pois o Nível de Pico (NP) medido (121,01 dB) é inferior ao
Nível de Pico Máximo Admissível calculado (125 dB).
c) Inaceitável, pois o Nível de Pico (NP) medido (125 dB) é superior ao
Nível de Pico Máximo Admissível calculado (121,01 dB).
d) Aceitável, pois o Nível de Pico (NP) medido (125 dB) é inferior ao
Nível de Pico Máximo Admissível calculado (130,04 dB).
e) Não calculável, em função da quantidade de impactos ultrapassar o
Limite de Tolerância de 900 impactos/hora.

8) Tratando de “Somatório de Fontes Sonoras”, imaginemos uma situação


teórica para cálculo. Sabendo-se que a jornada é de 8,0 horas diárias e:
1º – Que há uma sala na qual o Nível Equivalente de Ruído (ou
“Nível Médio de Ruído”) atual é de 84,1 dB(A);
2º – Que se pretende instalar nessa sala uma determinada
“Máquina X” cujo Nível Médio de Ruído é de 84,9 dB(A);
3º – Que a fórmula a utilizar para “Somatório de Fontes Sonoras”
é a seguinte:
NPSf = L1 + 10 x Log{1 + 10-[(L1-L2)/10]}
Onde:
. NPSf = Nível de Pressão Sonora final
. L1 = O MAIOR dos valores de Nível Equivalente (entre o Leq do
Setor e o Leq da máquina a adquirir)
. L2 = O MENOR dos valores de Nível Equivalente (entre o Leq do
Setor e o Leq da máquina a adquirir)
Pergunta-se: calculando-se o PROVÁVEL (e aproximado) nível de ruído
final da citada sala (ou o NPSf), APÓS a entrada em funcionamento da
Máquina X, qual resposta abaixo é a correta?

a) Chega-se a NPSf = 169 dB(A), ou seja, Risco Grave e Iminente.


b) Chega-se a NPSf = 84,5 dB(A), ou seja, acima do Nível de Ação,
mas abaixo do Limite de Tolerância.
c) Chega-se a NPSf = 849,8 dB(A), ou seja, valor tão acima do Limite
de Tolerância que torna proibitiva a instalação da Máquina X.
d) Chega-se a NPSf = 84,9 dB(A), ou seja, o mesmo valor imposto pela
Máquina X.
e) Chega-se a NPSf = 87,5 dB(A), ou seja, acima do Limite de
Tolerância.

9) Imaginando uma jornada de trabalho “anômala”, com 9,5 horas/dia


[diferente da jornada-padrão de 8,0 horas diárias, por exemplo, para

4
quem, segundo a NR-15, o LT = 85 dB(A) e o NA = 80 dB(A)] e
sabendo-se que:
1º – O nível de ruído medido é de 84,1 dB(A);
2º – Pode-se fazer uso da seguinte fórmula: LTN
= {[log (16/ Nh)] X 16, 60964} + 80 Onde:
. LTN = Limite de Tolerância para Ruído para uma jornada de “Nh” horas
diárias;
. Nh = Tempo da jornada (em horas).

Pergunta-se: Qual o LT (aproximado) para tal jornada anômala e o que


significa o nível de ruído medido?

a) O LTN é de 83,8 dB(A) e o nível de ruído medido [(84,1 dB(A)] aponta


para uma situação de Insalubridade.
b) O LTN é de 83,8 dB(A) e o nível de ruído medido [(84,1 dB(A)]
demonstra uma situação acima do NA [80 dB(A)], mas abaixo do LT
[85 dB(A)].
c) O LTN é de 84,999 dB(A) e o nível de ruído medido [(84,1 dB(A)]
demonstra uma situação acima do NA [80 dB(A)], mas abaixo do LT
[85 dB(A)].
d) O LTN é de 1.150, 73(Nh+80). Significa que não há como ter “nível de
ruído medido” numa jornada anômala.
e) O LTN é de 85,0 dB(A) e o nível de ruído medido [(84,1 dB(A)]
demonstra uma situação acima do NA, mas abaixo do LT.

10) Imaginando uma jornada de trabalho “anômala”, com 7h e 38 min/dia


[diferente da jornada-padrão de 8,0 horas diárias, por exemplo, para
quem, segundo a NHO-01, o LT = 85 dB(A) e o NA = 82 dB(A)] e
sabendo-se que:
1º – O nível de ruído medido é de 83 dB(A);
2º – Pode-se fazer uso da seguinte fórmula:
Dose NHO-01 (%) = TE/480 . 100 . 2[(LT-85)/3] Onde:
. TE = tempo da jornada em minutos

Pergunta-se: Qual o LT (aproximado) para tal jornada anômala e o que


significa o nível de ruído medido?

a) O LT é de 85 dB(A) e o nível de ruído medido [(83 dB(A)] aponta para


uma situação de Insalubridade.
b) O LT é de 83 dB(A) e o nível de ruído medido [(83 dB(A)] demonstra
uma situação exatamente igual ao LT.

5
c) O LT é de 85,2030 dB(A) e o nível de ruído medido [(83 dB(A)]
demonstra uma situação acima do NA [80 dB(A)], mas abaixo do LT
[85 dB(A)].
d) O LT não é calculável numa jornada de trabalho distinta de 06, 08 ou
12h/jornada.
e) O LT é de 85,2 dB(A) e o nível de ruído medido [(83 dB(A)]
demonstra uma situação abaixo do LT.

11) Considerando-se o Anexo nº 3 da NR-15, que versa sobre CALOR,


assinale a alternativa CORRETA:
a) A exposição ao calor é avaliada pelo “ÍNDICE DE BULBO ÚMIDO –
TERMÔMETRO DE GLOBO” (IBUTG), assim definido: a) Ambientes
internos ou externos sem carga solar = IBUTG = 0,7 tbn + 0,3 tg; b)
Ambientes externos com carga solar = IBUTG = 0,7 tbn + 0,1 tbs +
0,2 tg.

b) As medições devem ser efetuadas junto ao tórax do trabalhador


exposto, por ser esta a parte do corpo mais sensível à ação do calor
radiante.

c) Os Limites de Tolerância (LTs) adotados pelo Anexo 3 da NR-15


dizem respeito a três situações de campo distintas: 1) Períodos de
descanso ocorrendo no próprio local de prestação de serviço; 2)
Períodos de descanso ocorrendo em outro local, termicamente mais
ameno; e 3) Períodos de descanso ocorrendo em outro local,
termicamente mais agressivo.

d) Calcula-se a Taxa de Metabolismo e o próprio IBUTG baseando-se


na Média Aritmética entre os Tempos de Trabalho (Tt) e os Tempos
de
Descanso (Td), considerando-se a Jornada-Padrão Brasileira de até
48 horas semanais.

e) Os Tempos de Trabalho (Tt) e os Tempos de Descanso (Td) devem


ser escolhidos entre os mais críticos da jornada. Assim, a pior parte
de uma atividade às 08:00h da manhã pode ser somada à pior parte
de uma atividade às 11:00h e, ainda, somada à pior parte de uma
atividade às 15:00h, desde que a soma dos tempos atinja 60
minutos.

12) Considerando-se o Anexo 5 da NR-15 (Radiações Ionizantes),


assinale a alternativa ERRADA:
a) Para tais radiações, os LTs, os princípios, as obrigações e
controles básicos para a proteção do homem e do meio ambiente

6
são os constantes da Norma CNEN- NE-3.01 “DIRETRIZES
BÁSICAS DE RADIOPROTEÇÃO” de 07/1988.

b) são exemplos de atividades envolvendo radiações ionizantes


e/ou substâncias radioativas: Produção, utilização e
processamento de materiais radioativos; Operação com
irradiadores de radiação gama e beta; gerenciamento dos rejeitos
radioativos.

c) Embora Atividades com Radiações Ionizantes possam ser


geradoras de Insalubridade de Grau Mínimo, são também
geradoras de Periculosidade de Grau Médio, segundo a NR-16.

d) Microondas, ultravioletas e laser não podem ser consideradas


como radiações ionizantes.

e) Apenas uma das alternativas acima está errada.

13) Considerando-se a ACGIH em seu livreto “TLVs® e BEIs®”, quando


trata de Radiações Ionizantes, conforme comentado em sala,
assinale a resposta ERRADA:
a) A ACGIH adotou como Limite de Tolerância (o chamado TLV®)
para exposição ocupacional às radiações ionizantes conforme
recomendado pela International Commission on Radiation
Protection (ICRP, 2007).

b) A ACGIH adotou como Limite de Tolerância (o chamado TLV®)


para exposição ocupacional às radiações ionizantes conforme
recomendado pelo National Council on Radiation Protection and
Measurements (NCRP, 1993).

c) São incluídas como Ionizantes: Radiação corpuscular (partículas


alfa e beta de materiais radioativos e nêutrons, prótons e
partículas carregadas de aceleradores/reatores nucleares).

d) São tidas como Ionizantes: Radiação eletromagnética (raios


gama de materiais radioativos e raios-X de aceleradores de
elétrons e máquinas de raio-X).

e) As alternativas “a” e “d” estão erradas.

14) Considerando-se o Anexo Nº 7 da NR-15 (Radiações Não


Ionizantes), assinale a alternativa CORRETA:

7
a) As operações/atividades expostas a radiações não ionizantes,
sem proteção adequada, serão consideradas insalubres quando
ultrapassados os Limites de Tolerância da ACGIH.

b) São consideradas ionizantes as seguintes radiações:


microondas, laser e ultravioleta.

c) “Luz Negra” (ou seja, radiação na faixa de 400 a 320


nanômetros) não é considerada insalubre, por se tratar de
radiação ionizante.

d) As operações/atividades expostas a radiações não ionizantes,


sem proteção adequada, serão consideradas insalubres, via
laudo de inspeção.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

15) Considerando-se a ACGIH em seu livreto “TLVs® e BEIs®”, quando


trata de Radiações Ultravioletas, conforme comentado em sala,
assinale a resposta ERRADA:
a) Os Limites de Tolerância propostos (chamados TLVs®) se
referem à radiação ultravioleta não coerente (UV), com
comprimento de onda entre 180 e 400 nm, e representam
condições às quais, acredita-se, a maioria dos trabalhadores
saudáveis possa ser repetidamente exposta, sem efeitos agudos
adversos à saúde.

b) Algumas fontes cobertas por estes TLVs® são arcos de


soldagem e de carbono, descargas gasosas e em vapor,
lâmpadas fluorescentes, incandescentes e germicidas, assim
como radiação solar.

c) Estes TLVs® foram especialmente concebidos para controlar a


exposição de indivíduos fotossensíveis e de indivíduos afácicos
(privados de cristalino).

d) A probabilidade de desenvolvimento de câncer de pele depende


de uma variedade de fatores tais como: a pigmentação da pele; o
histórico de queimaduras causticantes (severas, com bolhas) e; a
dose acumulada de UV.

e) Trabalhadores que executam atividades a céu aberto, em


latitudes menores que ±40 graus, podem ficar expostos a níveis

8
acima dos TLVs®, em períodos tão curtos quanto 5 minutos, em
torno do meio dia, durante o verão.

16) Seja o setor de Soldagem da Empresa XYZ, onde está sendo


avaliada a Função de “Soldador” com referência à existência ou não
de
Radiações Ultravioletas (UV), fazendo-se uso de um Radiômetro UV.
Considerando-se o Anexo 7 da NR-15, bem como os LTs (TLVs®)
da ACGIH e sabendo-se que:
1º - TLV® = 6,0 mJ/cm2
2º - O Soldador está exposto a UV durante 20 minutos/jornada; 3º -
O Radiômetro indicou uma Irradiação (ou Irradiância) com valor
médio de 500 µW/cm2;
4º - A Efetiva Exposição Diária é calculada através da expressão:
ExpUV = {Irradiação x tEXP} / 1000.........[mJ/cm2] Onde:
Irradiação = direto do Radiômetro (em µW/cm2) tEXP =
Exposição DIÁRIA do colaborador (em segundos)

5º - A Exposição Máxima Permissível é calculada por:


tMAX = (0,006 / Eeff) x 1.000.000..........[seg]
Onde: tMAX = tempo máximo permissível por jornada (em
segundos) Eeff = Irradiação = direto do Radiômetro (em
2
µW/cm )

Pergunta-se: Qual a situação da Exposição Ocupacional e qual a


Exposição Máxima Permissível para o colaborador?
a) A Efetiva Exposição é de 10 mJ/cm2, ou seja, 1,67 vezes o LT
(ou TLV®). E a Exposição Máxima Permissível é de 12
segundos/hora.

b) A Efetiva Exposição é de 600 mJ/cm2, ou seja, 100 vezes o LT


(ou TLV®). E a Exposição Máxima Permissível é de 12
segundos/jornada.

c) A Efetiva Exposição é de 10 mJ/cm2, ou seja, 1,67 vezes o LT


(ou TLV®). E a Exposição Máxima Permissível é de 300
segundos/jornada.

d) A Efetiva Exposição é de 300 mJ/cm2, ou seja, apenas 60% do


o LT (ou TLV®). E a Exposição Máxima Permissível é de 02
dias/semana.

e) A Efetiva Exposição é de 6000 mJ/cm2, ou seja, 6,0 vezes o


LT (ou TLV®). E a Exposição Máxima Permissível é de 20
minutos (ou 1.200 segundos) por jornada.

9
17) Procurando se lembrar dos “EFEITOS GERAIS DAS VIBRAÇÕES NO
CORPO HUMANO”, especificamente para VIBRAÇÕES MÃO-BRAÇO,
cite em suas próprias palavras ao menos TRÊS efeitos componentes
da “SÍNDROME DOS DEDOS BRANCOS”.
Falta de sensibilidade e controle

Tremores dos dedos

Perda de tato

Destruição das artérias e nervos das mãos

18) Procurando se lembrar dos conceitos dados em sala sobre o efeito das
vibrações sobre o organismo, segundo a frequência, assinale a
alternativa CORRETA:
a) Vibrações de alta frequência (20 a 1000 Hz), originárias de aviões,
comboios, barcos e automóveis estimulam o labirinto do ouvido,
produzem o chamado “mal dos transportes” e podem produzir
náuseas e vômitos.

b) Vibrações de baixa frequência (1 a 20 Hz), típicas de veículos de


transporte de mercadorias e passageiros, tratores e máquinas
agrícolas, produzem perturbações osteoarticulares tais como artroses
e lesões de pulso, aumento da incidência de hemorroidas,
obstipação.

c) Vibrações oriundas de ferramentas manuais rotativas ou percussivas,


tais como polidoras, lixadeiras, motosserras, marteletes pneumáticos,
etc., podem produzir perturbações tendinosas, afecções
angioneurológicas das mãos, perturbações na sensibilidade.

d) Vibrações de alta frequência (100 a 1000 Hz), típicas de tratores e


máquinas agrícolas, entre outros veículos pesados, podem produzir
perturbações na visão, tais como diminuição da acuidade visual.

10
e) A chamada ‘Síndrome de Raynaud’ manifesta-se por crises de
coluna dorsal, representadas por perturbações osteoarticulares
observáveis radiologicamente.

19) Dentre as expressões abaixo, apenas uma contém informações


totalmente CORRETAS sobre a Síndrome de Raynaud (“Síndrome dos
Dedos Brancos”). Assinale-a:
a) Um dos efeitos do contato do trabalhador com vibrações
ocupacionais são problemas no sistema circulatório. Portanto, há
sintomas relacionados à má circulação sanguínea, como
formigamento e dormência nos locais afetados. E, por ser algo
aparentemente sem gravidade, não é dada a devida atenção.
b) Com a continuidade da exposição ao movimento vibratório nas mãos,
o trabalhador passa a adquirir tolerância, os sintomas vão se
reduzindo e a cor branca nos dedos vai sendo reduzida até
desaparecer, permitindo o trabalho normal com a ferramenta
vibratória.
c) Após determinado tempo de trabalho, o trabalhador exposto a
vibrações em mãos e braços adquire incremento de controle motor e
de sensibilidade, aperfeiçoando sua musculatura e,
consequentemente, sua capacidade de trabalho manual.
d) No estágio em que o colaborador adquire a “síndrome dos dedos
brancos”, ele deve incrementar o emprego da ferramenta vibratória,
visando atingir o estágio dos “dedos azuis”, o que indica a extrema
vascularização da região, que, regra geral, pela oxigenação
suplementar, elimina quaisquer sintomas nocivos.
e) Todas as informações acima estão corretas.

20) Lembrando-se das considerações sobre VIBRAÇÕES, em especial dos


dados para INTERPRETAR vibrações (segundo o Anexo 8 da NR-15 e
o próprio Decreto 3048/99 do INSS), assinale a alternativa ERRADA:
a) Na recentíssima mudança de legislação (agosto/2014), passou-se a
considerar para análise de INSALUBRIDADE para vibrações de
mãos e braços (VMB) um único limite de exposição ocupacional
diária, correspondente a um valor de “aceleração resultante de
exposição normalizada - aren”.
b) Igualmente, nessa mesma mudança de legislação, passou-se a
considerar para análise de INSALUBRIDADE para vibrações de
corpo inteiro (VCI) um único limite de exposição ocupacional diária,
correspondente a um valor de “dose de vibração resultante - VDVR”.
c) Para fins de percepção de benefício previdenciário (aposentadoria
especial por vibrações, segundo o Decreto 3048 do INSS) valem
apenas as atividades definidas como “trabalhos com perfuratrizes e
marteletes pneumáticos”, desde que haja interação do equipamento

11
com o operador no âmbito dos membros superiores e/ou do corpo
inteiro.
d) A NR-9, a partir de agosto/2014, cita que os procedimentos de
avaliação quantitativa para VCI e VMB são aqueles estabelecidos
nas Normas de Higiene Ocupacional publicadas pela
FUNDACENTRO.
e) Apenas uma das frases acima está errada.

21) Procurando se lembrar do comentado em aula sobre “VIBRAÇÕES


(NR15 – ANEXO 8...Atualizado a 14/08/2014)”, especificamente sobre
o ““NOVO” ANEXO 1 DA NR9 (PPRA)”, cite: a) ao menos QUATRO
componentes obrigatórias de uma “AVALIAÇÃO PRELIMINAR da
exposição às VMB e VCI” e b) informe que tipo de avaliação deve ser
feita, se a citada avaliação preliminar não for suficiente para permitir a
tomada de decisão sobre medidas preventivas e corretivas.
A) Ambiente de trabalho, processos, operações e condições de
exposição; características das máquinas e ferramentas de
trabalho; informações fornecidas pelos fabricantes sobre os
níveis de vibração gerados; condições de uso e estado de
conservação; exposição diária.

B) Avaliação quantitativa.

22) Segundo o Anexo 1 da NR-9 (PPRA) que versa sobre VIBRAÇÕES e


suas medidas preventivas e corretivas, conforme citado em sala,
assinale a alternativa CORRETA:
a) Entre as medidas preventivas, podem ser citadas: avaliação
periódica da exposição, substituição de ferramentas e acessórios e
redução do tempo e da intensidade de exposição diária à vibração.

b) Medidas corretivas típicas enquadram orientação dos trabalhadores


quanto aos riscos, vigilância da saúde dos trabalhadores e adoção
de procedimentos de trabalho alternativos.

c) Medidas corretivas, em caso de exposição a Vibrações de Corpo


Inteiro (VCI), podem contemplar reprojeto de plataformas de
trabalho, alterações das rotinas do trabalho, adoção de assentos
antivibratórios.

12
d) No caso de Vibrações em Mãos e Braços (VMB), medidas
corretivas podem obrigar a melhoria das condições e das
características dos pisos e pavimentos.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

23) Lembrando do comentado em sala sobre Vibrações em Mãos e Braços


(VMB), segundo a Fundacentro, em sua NHO-10, assinale a alternativa
ERRADA:
a) Em última análise, o que é necessário ser sabido na análise de
VMB? Simples: se o “resultado” da avaliação quantitativa de
determinada Operação/Função está acima ou abaixo do “limite de
tolerância”.

b) O Limite de Tolerância é dado por um valor em “aren” (= 5,0 m/s 2 =


aceleração resultante de exposição normalizada), sendo essa
exposição dita “normalizada” por se referir a uma jornada-padrão de
8h diárias.

c) Precisamos sempre do cálculo de are (sendo are = aceleração média


resultante representativa da exposição ocupacional diária,
considerando os três eixos ortogonais (x, y, z) e as diversas
componentes de exposição (ou “TAREFAS”) identificadas.

d) Precisamos sempre do cálculo de arepi (sendo arepi = aceleração


média resultante representativa da exposição ocupacional relativa à
cada uma das “TAREFAS” ao longo da semana útil de 48 horas,
ocorrida em uma parcela de tempo da jornada semanal,
considerando o ‘pior’ dos três eixos ortogonais.

e) A alternativa “a” está correta.

24) Seja a avaliação de uma Parafusadeira A, com relação à existência ou


não de exposição de seu operador a Vibrações de Mão e Braço,
utilizando os conceitos da NR-15 em seu Anexo 8. Assim, sabendo-se:
1º - Que a Jornada Diária de Trabalho do operador = 7h 43min/dia;
2º - Que a Efetiva Exposição (tempo real com o “motor ligado”) =
4h/dia;
3º - Que o Limite de Tolerância LT = 5,0m/s2 (dado em
aceleração resultante de exposição normalizada)
4º - Que o Nível de Ação NA = 2,5m/s2 (dado em aceleração
resultante de exposição normalizada)
5º - Que, para INTERPRETAR a situação, utiliza-se a seguinte
fórmula:

13
Onde: aren = aceleração resultante de exposição (are) convertida para
uma jornada diária padrão de 8 horas;
are = aceleração média resultante (representativa da exposição ocupacional
diária, considerando os três eixos ortogonais - x, y e z);
T = tempo de duração da Jornada Diária de Trabalho;
T0 = tempo-padrão (8h ou 480 minutos, sempre)
6º - Que, após efetuados todos os cálculos, obteve-se uma
aceleração média resultante are = 2,6 m/s2.
Pergunta-se: Qual das alternativas abaixo está CORRETA?

a) aren = 2,6 m/s2, ou seja, ABAIXO do NA.


b) aren = 2,6 m/s2, ou seja, ACIMA do LT.
c) aren = 2,70 m/s2, ou seja, ABAIXO do LT, mas ACIMA do NA.
d) aren = 1,97 m/s2, ou seja, ACIMA do LT.
e) aren = 2,55 m/s2, ou seja, ABAIXO do LT, mas ACIMA do NA.

25) Considerando-se a normativa da Fundacentro, relacionada a Vibrações


de Corpo Inteiro (VCI), em sua NHO-09, assinale a alternativa
CORRETA:
a) Em última análise, o que é necessário ser sabido na análise de
VCI?
Simples: se os “resultados” da avaliação quantitativa de
determinada Operação/Função estão acima ou abaixo dos dois
“limites de tolerância” considerados.

b) O primeiro Limite de Tolerância é dado por um valor em “aren” (=


1,1 m/s2 = aceleração resultante de exposição normalizada) e diz
respeito a potenciais de impactos, choques ou solavancos.

c) O segundo Limite de Tolerância é dado por um valor em “VDVR” (=


21,0 m/s1,75 = dose de vibração resultante) e diz respeito às
vibrações propriamente ditas, normalmente de alta frequência.

d) Calculando-se o aren (sendo aren = aceleração resultante de


exposição (are) convertida para uma jornada diária padrão de 8
horas), se tal resultado der abaixo do Limite de Tolerância, tem-se
sempre para o veículo analisado uma situação Salubre.

e) Calculando-se o VDVR (sendo VDVR = valor da dose de vibração


representativo da exposição ocupacional diária, considerando a
resultante dos três eixos de medição), se tal resultado der abaixo do

14
Limite de Tolerância, tem-se sempre para o veículo analisado uma
situação Salubre.

26) Seja a avaliação de um Carrinho Elétrico E, com relação à existência


ou não de exposição de seu operador a Vibrações de Corpo Inteiro,
utilizando os conceitos e Limites de Tolerância da NR-15 - Anexo 8
e/ou da NHO-09 (Fundacentro). Assim, sabendo-se:
1º - Que a Jornada Diária de Trabalho do operador = 8h/dia;

2º - Que a Efetiva Exposição (tempo real com o “motor ligado”) =

4h/dia; 3º - Que há DOIS Limites de Tolerância (LT), assim definidos:

1º) LTaren = 1,1 m/s2 (sendo “aren” = aceleração resultante de


exposição normalizada);
2º) LTVDVR = 21,0 m/s1,75 (sendo “VDVR” = valor da dose de
vibração resultante).
4º - Que há DOIS Níveis de Ação (NA), assim definidos:
1º) NAaren = 0,5 m/s2 (sendo “aren” = aceleração resultante de
exposição normalizada);
2º) NAVDVR = 9,1 m/s1,75 (sendo “VDVR” = valor da dose de
vibração resultante).
5º - Que, para cálculo da aren (aceleração resultante de exposição
convertida para uma jornada diária padrão de 8 horas), utiliza-se a
fórmula:

Onde:
are = aceleração média resultante (representativa da exposição ocupacional
diária, considerando os três eixos ortogonais (x, y, z) e as diversas
componentes de exposição identificadas);
T = tempo de duração da Jornada Diária de Trabalho;
T0 = tempo-padrão (8h ou 480 minutos, sempre)

6º - Que, para cálculo da VDVR (dose de vibração representativa da


exposição ocupacional diária, considerando-se resultante dos três
eixos de medição – x, y e z), utiliza-se a fórmula:

Onde:
VDVexpj = valor da dose de vibração da exposição, representativo
da exposição ocupacional diária no eixo “j” (sendo j = x, y ou z)
7º - Que, após efetuados os cálculos intermediários, os resultados
obtidos foram os seguintes:

15
are = 0,428m/s2
Eixo X Eixo Y Eixo Z
VDVexpj 3,727 m/s1,75 4,007 m/s1,75 9,460 m/s1,75
Pergunta-se: Frente aos resultados para aren e VDVR acima
obtidos (calculados por você), qual das alternativas abaixo está
CORRETA?

a) aren = 0,428 m/s2; VDVR = 9,460 m/s1,75. Ou seja, ambos ABAIXO


dos respectivos LTs.
b) aren = 1,1 m/s2; VDVR = 21,0 m/s1,75. Ou seja, ambos IGUAIS aos
respectivos LTs.
c) aren = não calculável para VCI; VDVR = 9,59 m/s1,75. Ou seja,
VDVR ABAIXO do LTVDVR, mas ACIMA do NAVDVR.
d) aren = 0,428 m/s2; VDVR = 9,59 m/s1,75. Ou seja, aren ABAIXO do
NAaren, enquanto VDVR ABAIXO do LTVDVR, mas ACIMA do NAVDVR.
e) aren = 3,727 m/s1,75; VDVR = 4,007 m/s1,75. Ou seja, ambos ABAIXO
do VDVexpj.

27) Considerando-se as Vibrações em Mãos e Braços (VMB), segundo a


ACGIH, conforme apresentando em sala, assinale a alternativa
ERRADA:
a) O Limite de Tolerância (TLV®) apresentado pela ACGIH refere-se à
exposição diária (em 8 h) à vibração que representa as condições
às quais se acredita que a maioria dos trabalhadores possa ser
repetidamente exposta sem evoluir para além do estágio 1 do
Sistema de Classificação do Workshop de Estocolmo para os
Dedos Brancos Induzidos pela Vibração (VWF).

b) Segundo o Sistema de Classificação para Vibrações em Mãos e


Braços (SVMB/HAVS) do Encontro de Estocolmo para Sintomas
Vasculares Periféricos e Sensorioneurais Induzidos pela Vibração, o
Estágio 1 é de grau Moderado e normalmente leva a crises
ocasionais afetando as falanges distal e média de um ou mais
dedos.

c) Segundo o Sistema de Classificação para Vibrações em Mãos e


Braços (SVMB/HAVS) do Encontro de Estocolmo para Sintomas
Vasculares Periféricos e Sensorioneurais Induzidos pela Vibração, o
Estágio 1 (Sensoneural) tem como sintomas adormecimento
intermitente, com ou sem formigamento.

d) Seria adequado recomendar para o controle da síndrome de


vibração: ferramentas com características anti-vibratórias; luvas
antivibração; manter aquecidos mãos e corpo do trabalhador,

16
minimização do acoplamento mecânico entre o trabalhador e
ferramenta vibratória.

e) Exposições agudas a componentes de acelerações ponderadas em


frequência, valor rms, iguais ou superiores ao TLV® por períodos de
tempo não frequentes (por exemplo, intermitência: 1 dia por semana
ou vários dias no período de duas semanas) pode ser MENOS
PREJUDICIAL que uma exposição contínua.

28) Considerando-se as Vibrações de Corpo Inteiro (VCI), segundo a


ACGIH, conforme apresentando em sala, assinale a alternativa
CORRETA:
a) É altamente recomendável que sejam implementadas ações
visando à mitigação da vibração para reduzir a exposição de
qualquer operador ou ocupantes, cujas exposições, dentro de um
período de 168 horas (a Semana Útil), fiquem dentro da região
delimitada pelo TLV® e NA/ALs.

b) As curvas de TLV® (Limite de Tolerância) e NA/ALs (Nível de Ação)


oferecidas pela ACGIH devem ser utilizadas não só como um guia
no controle da exposição à VCI, mas, especialmente, devem ser
consideradas como linhas divisórias entre níveis seguros e
perigosos.

c) Os Limites de Tolerância (TLVs®) utilizados pela ACGIH referem-se


às acelerações máximas ponderadas para uma determinada
duração de exposição às quais se acredita que a maioria dos
operadores e ocupantes de veículos terrestres, aéreos e aquáticos
possa ser repetidamente exposta num período de 24 horas com
baixa probabilidade de riscos à saúde.

d) Os procedimentos descritos na “Documentação” (da edição 2016 do


“TLVs® e BEIs®”) não se aplicam às acelerações de “operador ou
ocupantes SENTADOS na posição vertical”.

e) Os Limites de Tolerância (TLVs®) e Níveis de Ação (NA/ALs)


propostos pela ACGIH tem o objetivo de ser utilizados em
edificações fixas, estruturas marítimas e em grandes embarcações.

29) Considerando-se o procedimento reduzido para as medições de


Vibrações de Corpo Inteiro (VCI), conforme apresentado em sala,
assinale a resposta ERRADA:
a) Três acelerômetros leves (ou acelerômetro TRIAXIAL), cada qual
com sensibilidade no eixo transverso inferior a 10%, são montados
17
ortogonalmente no centro de um disco de borracha rígido. O peso
total de disco de borracha instrumentado e cabos NÃO PODE
exceder a 400 gramas.

b) Para uma avaliação de risco à saúde, pode-se posicionar o disco de


borracha instrumentado na superfície do assento do operador, na
interface entre as nádegas e a superfície de contato desta com o
assento. Para uma avaliação de conforto, o disco instrumentado de
borracha pode ser posicionado entre as costas do operador e o
encosto do assento.

c) O controle da VCI pode incluir: assentos com suspensão a ar;


cabines com suspensão; manutenção do sistema de suspensão dos
veículos e da calibração dos pneus; bancos com descanso para os
braços; apoio lombar; ajuste do assento e do apoio para as costas.
d) Para cada medição no assento, a obtenção da aceleração contínua
deve ser feita simultaneamente e registrada para os três eixos
ortogonais (X, Y e Z). Já a duração da medição não deve ser
inferior a 1 minuto, nem superior a 10 minutos, de modo a garantir a
acurácia da avaliação.

e) Apenas uma das alternativas acima está errada.

30) Procurando se lembrar do apresentado em aula sobre os “três eixos


ortogonais (Coordenadas Biodinâmicas X, Y e Z)” constantes para
medições de Vibrações de Corpo Inteiro (VCI), complete
CORRETAMENTE a) a FOTO e b) o DESENHO a seguir, apontando
QUAIS EIXOS (x, y ou z) dizem respeito a cada situação:

a) ( x )X ( )Y ( )Z

18
b)

31) Seja a avaliação de uma Empilhadeira M, com relação à existência ou


não de exposição de seu operador a Vibrações de Corpo Inteiro,
utilizando os conceitos e Limites de Tolerância da NR-15 - Anexo 8
e/ou da NHO-09 (Fundacentro). Assim, sabendo-se:
1º - Que a Jornada Diária de Trabalho do operador = 7h20/dia;
2º - Que a Efetiva Exposição (tempo real com o “motor ligado”) =
6h/dia;
3º - Que há DOIS Limites de Tolerância (LT), assim definidos:
1º) LTaren = 1,1 m/s2 (sendo “aren” = aceleração resultante
de exposição normalizada);
2º) LTVDVR = 21,0 m/s1,75 (sendo “VDVR” = valor da dose de
vibração resultante).
4º - Que há DOIS Níveis de Ação (NA), assim definidos:
1º) NAaren = 0,5 m/s2 (sendo “aren” = aceleração resultante
de exposição normalizada);
2º) NAVDVR = 9,1 m/s1,75 (sendo “VDVR” = valor da dose de
vibração resultante).
5º - Que, para cálculo da aren (aceleração resultante de
exposição convertida para uma jornada diária padrão de 8
horas), utilizase a fórmula:

Onde: are = aceleração média resultante (representativa da exposição


ocupacional diária, considerando os três eixos ortogonais (x, y, z) e as diversas
componentes de exposição identificadas);
T = tempo de duração da Jornada Diária de Trabalho;
T0 = tempo-padrão (8h ou 480 minutos, sempre)

19
6º - Que, para cálculo da VDVR (dose de vibração representativa
da exposição ocupacional diária, considerando-se resultante
dos três eixos de medição – x, y e z), utiliza-se a fórmula:

Onde:

VDVexpj = valor da dose de vibração da exposição, representativo da


exposição ocupacional diária no eixo “j” (sendo j = x, y ou z)

7º - Que, após efetuados os cálculos intermediários, os resultados


obtidos foram os seguintes:
are = 0,85m/s2

VDVexpj Eixo X Eixo Y Eixo Z

23,55 m/s1,75 19,25 m/s1,75 29,26 m/s1,75

Pergunta-se: Frente aos resultados para aren e VDVR acima


obtidos (calculados por você), qual das alternativas abaixo está
CORRETA?

a) aren = 0,85 m/s2; VDVR = 2,91 m/s1,75. Ou seja, ambos ABAIXO dos
respectivos LTs.
b) aren = 1,1 m/s2; VDVR = 21,0 m/s1,75. Ou seja, ambos IGUAIS aos
respectivos LTs.
c) aren = não calculável para VCI; VDVR = 32,94 m/s1,75. Ou seja,
VDVR ABAIXO do LTVDVR.
d) aren = 0,85 m/s2; VDVR = 32,94 m/s1,75. Ou seja, aren ACIMA do
NAaren, mas ABAIXO do LTaren e VDVR ACIMA do LTVDVR.
e) aren = 0,81 m/s2; VDVR = 32,94 m/s1,75. Ou seja, aren ACIMA do
NAaren, mas ABAIXO do LTaren e VDVR ACIMA do LTVDVR.

32) Seja a avaliação de um Martelete S, com relação à existência ou não


de exposição de seu operador a Vibrações de Mão e Braço, utilizando
os conceitos da NR-15 em seu Anexo 8. Assim, sabendo-se:
1º - Que a Jornada Diária de Trabalho do operador = 8,5h/dia;

2º - Que a Efetiva Exposição (tempo real com o “motor ligado”) =


5h/dia;

20
3º - Que o Limite de Tolerância LT = 5,0m/s2 (dado em aceleração
resultante de exposição normalizada);

4º - Que o Nível de Ação NA = 2,5m/s2 (dado em aceleração


resultante de exposição normalizada)

5º - Que, para INTERPRETAR a situação, utiliza-se a seguinte


fórmula:

Onde: aren = aceleração resultante de exposição (are) convertida para uma


jornada diária padrão de 8 horas;
are = aceleração média resultante (representativa da exposição ocupacional
diária, considerando os três eixos ortogonais - x, y e z);
T = tempo de duração da Jornada Diária de Trabalho;
T0 = tempo-padrão (8h ou 480 minutos, sempre)

6º - Que, após efetuados todos os cálculos, obteve-se uma


aceleração média resultante are = 86,43 m/s2.
Pergunta-se: Qual das alternativas abaixo está CORRETA?

a) aren = 89,09 m/s2, ou seja, ACIMA do LT.


b) aren = 86,43 m/s2, ou seja, ACIMA do NA.
c) aren = 68,33 m/s2, ou seja, ACIMA do LT.
d) aren = 5,0 m/s2, ou seja, IGUAL ao LT.
e) aren = 1,84 m/s2, ou seja, ABAIXO do NA.

33) Imaginando-se que você já tenha feito avaliação de Vibração de


Corpo Inteiro (VCI) num caminhão de seu cliente e, agora, quer lhe
oferecer valores estimativos para tempos máximos aceitáveis de
exposição a VCI. Então você resolve fazer uso das seguintes fórmulas
empíricas: 1º) Em função da “aren” (aceleração resultante de exposição
normalizada), há a seguinte: TExp = (LTaren2 / arep2) x 8 Onde:
. TEXP = tempo máximo aceitável para atingir o LTaren; ou tempo máximo
aceitável para atingir o NAaren;
. LTaren = Limite de Tolerância = 1,1 m/s2; ou = Nível de Ação = 0,5
m/s2; . arep = aceleração resultante de exposição parcial = calculado
por você e = 0,9 m/s2.

2º) Em função do VDVR (valor da dose de vibração resultante), há a


seguinte: TExp = (LTVDVR2 / VDVRprojetado2) x 8 Onde:
. TEXP = tempo máximo aceitável para atingir o LTAREN; ou tempo
máximo aceitável para atingir o NAAREN;

21
. LTVDVR = Limite de Tolerância = 21,0 m/s1,75; ou = Nível de Ação = 9,1
m/s1,75;
. VDVRprojetado = valor da dose de vibração resultante para a “pior”
situação de campo (exposição ao tempo integral da jornada), calculado
por você e = 21,5 m/s1,75.

Então, pergunta-se: Qual das respostas abaixo você ofereceria a seu


cliente?
a) Exposição Máxima Aceitável para respeitar o LT = 11h+57min; ou
Exposição Máxima Aceitável para respeitar o NA = 1h+28min.

b) Exposição Máxima Aceitável para respeitar o LT = 7h+37min; ou


Exposição Máxima Aceitável para respeitar o NA = 1h+25min.

c) Exposição Máxima Aceitável para respeitar o LT = 1h+28min; ou


Exposição Máxima Aceitável para respeitar o NA = 1h+25min.

d) Exposição Máxima Aceitável para respeitar o LT = 8h; ou Exposição


Máxima Aceitável para respeitar o NA = 4h.

e) Substituir o equipamento, pois o atual caminhão não permite


utilização, já que os valores de VCI entraram em patamar de Risco
Grave e Iminente.

34) Com relação ao Anexo 9 da NR-15, que trata de FRIO, assinale a


alternativa CORRETA:
a) Serão consideradas insalubres as atividades ou operações
executadas no interior de câmaras frigoríficas, independentemente
de haver ou não proteção para os trabalhadores expostos.

b) Atividades ou operações executadas em locais que apresentem


condições de exposição de trabalhadores ao frio, do ponto de vista
do Anexo 9 da NR-15, serão consideradas insalubres, quando não
houver proteção para os trabalhadores e em decorrência de laudo
de inspeção.

c) Avaliando-se exposição a frio, segundo a CLT, IBGE e


FUNDACENTRO, conforme mostrado em sala, não haveria
diferenças de Limites de Tolerância entre situações de exposição
entre o Rio Grande do Norte e o Rio Grande do Sul.

d) Segundo citado pelo Artigo 253 da CLT, o Brasil é considerado


como totalmente imerso na 4ª Zona Climática (“sub-quente”) e
apenas temperaturas inferiores a 12OC são potencialmente
geradoras de insalubridade por Frio.
22
e) Segundo citado pelo Artigo 253 da CLT, o Brasil é considerado
como fazendo parte das 1ª, 2ª e 3ª Zona Climática (“quente”) e
apenas temperaturas inferiores a 15OC são potencialmente
geradoras de insalubridade por Frio.

35) Procurando se lembrar do comentado em sala de aula sobre o Anexo


10 da NR-15 (que versa sobre UMIDADE), assinale a alternativa
ERRADA:
a) Embora um par de botas impermeáveis possa proteger os pés do
trabalhador de umidade externa, há que se considerar a
possibilidade do suor ser uma fonte de umidade interna às botas.

b) Atividades ou operações executadas em locais alagados, capazes


de produzir danos à saúde dos trabalhadores, serão consideradas
insalubres em decorrência de laudo de inspeção.

c) Atividades ou operações executadas em locais encharcados, com


umidade excessiva, capazes de produzir danos à saúde dos
trabalhadores, serão consideradas insalubres em decorrência de
laudo de inspeção.

d) A avaliação de umidade normalmente se dá por avaliação


qualitativa, onde o julgamento profissional do técnico de campo
deve ter o maior peso no laudo de inspeção.

e) Todas as alternativas estão erradas.

36) Lembrando-se das definições e considerações sobre Higiene do


Trabalho, Perícias Técnica ou Judicial e situações correlatas, assinale
a alternativa CORRETA:
a) As três fases da Higiene do Trabalho são Reconhecimento,
Avaliação e Antecipação.
b) A Perícia Judicial se preocupa com a fase da Higiene Ocupacional
conhecida como de “Controle dos riscos ambientais”. Ou seja,
levanta problemas e –principalmente- propõe soluções e medidas de
controle que normalmente abrangem a coletividade dos
trabalhadores.
c) “Higiene do Trabalho” pode ser definida como: ciência e arte que se
dedica à antecipação, ao reconhecimento, à avaliação e ao controle
dos riscos ambientais que podem ocasionar alteração na saúde,
conforto ou eficiência do trabalhador.
d) Auxiliando na Antecipação e Reconhecimento dos riscos, há o
Levantamento Preliminar, que é um estudo sumário, procurando

23
apenas riscos reais (transmitidos ao trabalhador) e observando
exclusivamente o ‘modus operandi’ dos trabalhadores.
e) Todas as frases acima estão corretas.

37) Procurando se lembrar dos conceitos dados em sala, cite, em suas


palavras, as principais DIFERENÇAS entre “PERÍCIA TÉCNICA” e
“PERÍCIA JUDICIAL”.
1 – PERÍCIA TÉCNICA: Preocupa-se com as quatro fases da Higiene do
Trabalho (Antecipação, Reconhecimento, Avaliação e CONTROLE dos
riscos ambientais). Ou seja, não levanta somente problemas, mas –e
principalmente- propõe soluções e medidas de controle. Faz levantamentos
que abrangem a coletividade dos trabalhadores, assim como cada um de
per si.
2 – PERÍCIA JUDICIAL: Normalmente indicada por intimação oriunda de
processo de análise de Insalubridade ou Periculosidade, acaba por fazer
tão somente o Reconhecimento e a Avaliação. Quanto ao Controle, registra
os processos, métodos e equipamentos de proteção existentes no ambiente
de trabalho (os quais acabam por definir a existência ou não de
Insalubridade ou Periculosidade). Os levantamentos dizem quase sempre
respeito a uma única função/cargo.
38) Procurando se lembrar dos conceitos dados em sala (e com
referência a avaliações quantitativas de agentes físicos e/ou
químicos), dê, em suas palavras, uma definição adequada para
LIMITE DE TOLERÂNCIA.
- DEFINIÇÃO LIMITE DE TOLERÂNCIA: É A
INTENSIDADE/CONCENTRAÇÃO MÁXIMA, RELACIONADA COM A
NATUREZA E O TEMPO DE EXPOSIÇÃO AO AGENTE
FÍSICO/QUÍMICO, QUE NÃO CAUSARÁ DANO À SAÚDE DA MAIORIA
DOS TRABALHADORES EXPOSTOS, DURANTE A SUA VIDA
LABORAL.
39) Com relação à Antecipação e Reconhecimento de Riscos, discorra
sobre como pode ser feito um bom LEVANTAMENTO PRELIMINAR
de riscos.

ESTUDO BIBLIOGRÁFICO PRÉVIO


LEVANTAMENTO PRELIMINAR
MONTAGEM DO PLANO DE
AMOSTRAGEM
PRELIMINAR
MONTAGEM DO PLANO DE
AMOSTRAGEM FINAL
24
40) Procurando se lembrar dos conceitos dados em sala (e com
referência a avaliações quantitativas de agentes físicos e/ou
químicos), discorra sobre o chamado NÍVEL DE AÇÃO.
- UM NÍVEL DE AÇÃO CORRESPONDENTE A 0,5 DO L.T. TEM O SEGUINTE
SIGNIFICADO (ESTATISTICAMENTE BASEADO):

. SE UMA EXPOSIÇÃO DIÁRIA ESTIVER ABAIXO DO NÍVEL DE AÇÃO, EXISTE


UMA PROBABILIDADE –COM 95% DE CONFIANÇA- DE QUE NÃO MAIS QUE 5%
DOS DIAS DE TRABALHO ESTEJAM ACIMA DO L.T..

41) Seja uma avaliação de ruído com uso do “Audiodosímetro X” para a


Função de Operador de Máquina. Sabendo-se que:
1º - A avaliação seguiu os conceitos do Anexo 1 da NR15;

2º - O operador cumpre uma jornada de 8,0 horas diárias;

3º - A Dose de Ruído pode ser calculada pela expressão:


D(%) = {Inv Log[(Leq – 85)/16,60964]} x 100 Onde:
. D(%) = Dose de Ruído, projetada para a jornada de 8,0 horas
diárias; . Leq = nível equivalente de ruído da Função analisada, dado
pelo audiodosímetro, que acusou 89 dB(A).

Calcule a Dose de Ruído e assinale abaixo a alternativa que contem


a melhor definição da Situação de Exposição do Operador de
Máquina: a) Dose de Ruído = 89%. Situação de Exposição: Acima do
Nível de Ação, mas Abaixo do Limite de Tolerância.

b) Dose de Ruído não calculável, em função do valor [(Leq –


85)/16,60964] ter resultado em número negativo.

c) Dose de Ruído = 1,74%. Situação de Exposição: Abaixo do Nível


de Ação.

d) Dose de Ruído = 174,1%. Situação de Exposição: Acima do Limite


de Tolerância.

e) Dose de Ruído = 1.741,0%. Situação de Exposição: Acima do


Limite de Tolerância.

42) Considerando-se os conceitos explanados em sala de aula sobre


SOMATÓRIO DE FONTES SONORAS, assinale a alternativa
ERRADA:
a) Se uma Fonte Sonora que produz ruído no valor de 80 dB for
introduzida num ambiente em que o ruído medido também é de 80

25
dB, pode-se supor, academicamente, que o valor final será de 83
dB.

b) Se uma Fonte Sonora que produz ruído no valor de 96 dB for


introduzida num ambiente em que o ruído medido é de 80 dB,
podese supor, academicamente, que o valor final será de 16,1 dB.

c) Na fórmula mostrada em sala de aula,


NPSf = L1 + 10 x Log{1 + 10-[(L1-L2)/10]}
. NPSf = Nível de Pressão Sonora final
. L1 = O MAIOR dos valores de Nível Equivalente (entre o Leq do
Setor e o Leq da máquina a adquirir)
. L2 = O MENOR dos valores de Nível Equivalente (entre o Leq do
Setor e o Leq da máquina a adquirir)

d) Diz-se que o somatório de fontes sonoras é um cálculo acadêmico


(ou seja, mais atrelado à teoria do que à prática), porque há outros
fatores a serem considerados, além dos Níveis de Pressão Sonora
(NPSs) originais e da “nova” fonte sonora a introduzir, tais como os
materiais que compõem pisos e paredes em ambos os locais (o
ambiente original e aquele onde foi medido o NPS da “nova” fonte.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

43) Seja a Função de Supervisor, para a qual está sendo avaliada a


exposição a RUÍDO. Sabendo-se que:
1º - São utilizados os conceitos do Anexo 1 da NR-15;

2º - A avaliação se deu via DECIBELÍMETRO;

3º - O Supervisor cumpre uma jornada de 8,0 horas diárias;

4º - O Supervisor não utiliza proteção auditiva;

5º - Ele distribui seu tempo (suas 8,0 horas) da seguinte forma:


. Galpão A = 2,0h.....Ruído medido = 88 dB(A)
. Galpão B = 2,0h.....Ruído medido = 95 dB(A)
. Galpão C = 1,0h.....Ruído medido = 100 dB(A) .
Galpão D = 3,0h.....Ruído medido = 85 dB(A);

6º - Pode-se calcular a Dose de Ruído através da seguinte expressão:


D(%) = (C1/T1 + C2/T2 + C3/T3 +...+ Cn/Tn) x 100 Onde:
. Cn = tempo total de exposição a determinado nível de ruído e

26
. Tn = a máxima exposição diária permissível a tal nível (segundo o
Quadro Geral abaixo);

7º - A NR-15 em seu Anexo 1 oferece o seguinte Quadro Geral:


Máxima Exposição Diária
Nível de Ruído dB (A)
Permissível
85 8 horas (*)
86 7 horas
87 6 horas
88 5 horas
90 4 horas (*)
92 3 horas
95 2 horas
100 1 hora
105 30 minutos
110 15 minutos
115 7 minutos

Pergunta-se: Após calcular a Dose de Ruído, qual alternativa abaixo


melhor representa a situação de campo?
a) Dose de Ruído = 277,5%. Situação de Exposição: Acima do Limite
de Tolerância, sem proteção adequada.

b) Dose de Ruído = 716,7%. Situação de Exposição: Acima do Limite


de Tolerância, sem proteção adequada.

c) Dose de Ruído = não calculável com Decibelímetro. Obrigatório


emprego de Audiodosímetro.

d) Dose de Ruído = 77,5%. Situação de Exposição: Acima do Nível


de
Ação, mas abaixo do Limite de Tolerância, sem proteção
adequada.

e) Dose de Ruído = superior a 100%. Situação de Exposição: Acima


do Limite de Tolerância, mas não necessitando de proteção
auditiva, tendo em vista o rodízio entre Galpões.

44) Seja a avaliação de CALOR da Função de Operador de Caldeira,


visando definir existência ou não de Sobrecarga Térmica. Sabendo-se
que:
1º - São utilizados os conceitos do Anexo-3 da NR-15;
2º - Para a avaliação é utilizado o Medidor de Estresse Térmico
X;

2º - O operador permanece no local da atividade durante toda a


jornada;
27
3º - Que, em tal local, ele realiza suas atividades (na chamada “pior
hora”) segundo o seguinte esquema:
Descrição das Tempo IBUTG M IBUTG Kcal Situação de
Atividades (min) (ºC) (Kcal/h) (Médio) (Médio) Exposição
- Abastecer a
caldeira com casca 20’ 29,0 440
de arroz, via pá
- Circular ao redor,
observando
30’ 24,0 175
manômetros e
registros
- Limpar o cinzeiro,
8’ 30,0 300
com ancinho.......
- Dar descarga de
2’ 29,0 220
fundo....................
Sendo:
. Tempo (min) = tempo despendido em cada atividade;
. IBUTG (oC) = resultado do Medidor de Estresse Térmico em cada
atividade;
. M (Kcal/h) = Taxa de Metabolismo estimada em cada atividade; .
IBUTG (Médio) = resultado final para o IBUTG da Função (média
ponderada no tempo);
. Kcal (Médio) = resultado final para o M da Função (média ponderada
no tempo).

4º - Sendo os Limites de Tolerância passíveis de ser encontrados em


UM dos seguintes quadros:
1. Se eventuais períodos de descanso ocorrem no próprio
local de prestação de serviço, os L.T.s e o Regime de Trabalho
são:
Tipo de Atividade
Regime de Trabalho
Leve Moderada Pesada
Trabalho contínuo até 30,0 ºC até 26,7 ºC até 25,0 ºC
45 min trabalho x
30,1 a 30,6 ºC 26,8 a 28,0 ºC 25,1 a 25,9 ºC 15
descanso
30 min trabalho x
30,7 a 31,4 ºC 28,1 a 29,4ºC 26,0 a 27,9 ºC 30
descanso
15 min trabalho x
31,5 a 32,2 ºC 29,5 a 31,1 ºC 28,0 a 30,0 ºC 45
descanso
Proibido o trabalho sem
acima de acima de acima de adoção de medidas
de
32,2 ºC 31,1 ºC 30,0 ºC controle.
Ou
2. Se eventuais períodos de descanso ocorrem em outro local
(de descanso, termicamente mais ameno), os L.T.s são:
M (Kcal/h) Máximo IBUTG

28
175 30,5 ºC
200 30,0 ºC
250 28,5 ºC
300 27,5 ºC
350 26,5 ºC
400 26,0 ºC
450 25,5 ºC
500 25,0 ºC

5º - Sendo as definições de Trabalho LEVE, MODERADO ou


PESADO dadas pela seguinte tabela de Taxa de Metabolismo por
Tipo de Atividade:
Tipo de Atividade Kcal/h
SENTADO EM REPOUSO 100
TRABALHO LEVE
- Sentado, movimentos moderados com braços e tronco (ex.: datilografia) 125
- Sentado, movimentos moderados com braços e pernas (ex.: dirigir) 150
- De pé, trabalho leve, em máquina ou bancada, principalmente com os
150
braços
TRABALHO MODERADO
- Sentado, movimentos vigorosos com braços e pernas 180
- De pé, trabalho leve em máquina ou bancada, com alguma 175
movimentação
- De pé, trabalho moderado em máquina ou bancada, com alguma
220
movimentação
- Em movimento, trabalho moderado de levantar ou empurrar 300
TRABALHO PESADO
- Trabalho intermitente de levantar, empurrar ou arrastar pesos (ex.:
440
remoção com pá)
- Trabalho fatigante 550

Pergunta-se: Após calcular o IBUTG (Médio) e o Kcal (Médio), qual a


alternativa abaixo que melhor define a Situação de Exposição?
a) IBUTG (Médio) = 28,0ºC; Kcal (Médio) = 283,8 Kcal/h. Com uso do
Quadro 1 acima, sendo Atividade Moderada (conforme tabela de
Taxa de Metabolismo), o Regime de Trabalho é de 45 min de
trabalho x 15 min de descanso.

b) IBUTG (Médio) = 26,6ºC; Kcal (Médio) = 281,5 Kcal/h. Com uso do


Quadro 1 acima, sendo Atividade Moderada (conforme tabela de
Taxa de Metabolismo), o Regime é de Trabalho Contínuo.

c) IBUTG (Médio) = 28,0ºC; Kcal (Médio) = 283,8 Kcal/h. Com uso do


Quadro 2 acima, sendo M (Kcal/h) entre “250” e “300”, o Máximo
IBUTG deveria estar entre “28,5” e “27,5ºC”. Como o IBUTG
(Médio) é superior ao Máximo IBUTG, esta é uma situação de
Insalubridade.

d) IBUTG (Médio) = 26,6ºC; Kcal (Médio) = 281,5 Kcal/h. Com uso do


Quadro 2 acima, sendo M (Kcal/h) entre “250” e “300”, o Máximo

29
IBUTG deveria estar entre “28,5” e “27,5ºC”. Como o IBUTG
(Médio) é inferior ao Máximo IBUTG, esta é uma situação salubre.

e) Situação de Exposição atingindo condição de Risco Grave e


Iminente. A Função deve ser imediatamente automatizada.

45) Seja a avaliação de exposição a FRIO para um Operador de Capina,


realizando beneficiamentos ao longo do acostamento de uma rodovia
no Sul do Brasil, durante o Inverno. Sabendo-se que:
1º - São usados os conceitos do Anexo 9 da NR-15, bem como as
instruções vistas na CLT, IBGE e FUNDACENTRO;

2º - O Operador cumpre uma jornada de 7,0 horas diárias a céu


aberto em região do Brasil considerada como Zona Climática
Mesotérmica;

3º - A medição de Temperatura de Bulbo Seco (Tbs) oscilou entre 5,0


e 9,0ºC durante a jornada (e você estimou a temperatura média em
7,0ºC);

4º - Segundo o Artigo 253 da CLT, considera-se artificialmente frio o


que for:
. inferior a 15ºC nas Zonas Climáticas Quentes;
. inferior a 12ºC na Zona Climáticas Sub-Quente;
. inferior a 10ºC na Zona Climáticas Mesotérmicas;

5º - Que o Operador faz uso de vestimentas contra o frio,


consideradas por você como necessárias e suficientes;

6º - Que a Máxima Exposição Diária Permissível a Frio está assim


definida:
Máxima Exposição Diária Permissível para
Faixa de
pessoas adequadamente vestidas para
Temperatura de Bulbo Seco (ºC)
exposição ao frio
15,0 a –17,9......(Zona Climática Quente) Tempo total de trabalho no ambiente frio de 6
12,0 a -17,9.......(Z. C. Sub-Quente) (seis) horas e 40 (quarenta) minutos, sendo
quatro períodos de 1 (uma) hora e 40
(quarenta) minutos alternados com 20 (vinte)
10,0 a -17,9.......(Z. C. Mesotérmica) minutos de repouso e recuperação térmica
fora do ambiente frio.
Tempo total de trabalho no ambiente frio de 4
(quatro) horas, alternando-se 1 (uma) hora de
-18,0 a –33,9 trabalho com 1 (uma) hora para recuperação
térmica fora do ambiente frio.
Tempo total de trabalho no ambiente frio de 1
(uma) hora, sendo em dois períodos de 30
(trinta) minutos, com separação mínima de 4
-34,0 a -56,9 (quatro) horas para recuperação térmica fora
do ambiente frio.

30
Tempo total de trabalho no ambiente frio de 5
(cinco) minutos, sendo o restante da jornada
-57,0 a -73,0 cumprido obrigatoriamente fora de ambiente
frio.
Não é permitida exposição ao ambiente frio,
Abaixo de –73,0 seja qual for a vestimenta utilizada.

Pergunta-se: Qual das alternativas abaixo oferece a melhor definição


para a situação de exposição do Operador de Capina?
a) Com Tbs = 7,0ºC, sendo a Zona Climática Mesotérmica, poderia
haver uma situação inicial de Insalubridade. Contudo, sendo
atividade a céu aberto, não há configuração de insalubridade legal
(o agente agressivo é natural).

b) Mesmo havendo o Tbs = 7,0ºC, a Zona Climática é Mesotérmica e


pressupõe-se a condição de aclimatação para o Operador.
Aliandose vestimentas adequadas, como é o caso, não há
insalubridade.

c) Com Tbs = 7,0ºC, sendo a Zona Climática Mesotérmica, tem-se


uma situação inicial de Insalubridade. Embora o Operador use
vestimentas necessárias e suficientes, ele não respeita os tempos
de trabalho ou os tempos de recuperação térmica. Logo tem direito
ao Adicional de Insalubridade.

d) Com Tbs = 7,0ºC, sendo a Zona Climática Mesotérmica, tem-se


uma situação inicial de Insalubridade. Contudo, como o Operador
usa vestimentas necessárias e suficientes, não importam os
tempos de trabalho, nem os tempos de recuperação térmica. Logo,
Insalubridade Neutralizada.

e) Com Tbs apontando para situação de Insalubridade Legal e o


colaborador não respeitando os tempos de trabalho ou os tempos
de recuperação térmica, a condição aponta para mecanização da
capina.

46) Procure se lembrar dos conceitos dados sobre “Amostragem de


Agentes Físicos”, quando tratamos de Representatividade, Exatidão e
situações correlatas. Assim, assinale a alternativa ERRADA:
a) Para uma boa representatividade da amostra, há que se definir e
manter sob controle o plano de amostragem, que poderá conter: os
dados físicos a obter, os equipamentos a utilizar, o método de
análise dos dados, os pontos de amostragem e o tempo de
amostragem.
b) Quanto a Tipos de Amostragem, podem-se citar as INSTANTÂNEAS
e as CONTÍNUAS.

31
c) Ciclo de Trabalho seria um conjunto de atividades desenvolvidas
pelo trabalhador em uma sequência definida, o qual se repete de
forma contínua no decorrer da jornada de trabalho.
d) Pode-se reduzir o número de amostragens, desde que sejam
agrupados os trabalhadores com iguais características de exposição
(físicas, temporais e funcionais).

e) Todas as informações acima estão erradas.

47) Procurando se lembrar da AMOSTRAGEM DE AGENTES FÍSICOS,


em especial RUÍDO e VIBRAÇÕES, e com ênfase em
REPRESENTATIVIDADE DA AMOSTRA, dê, em suas palavras,
DEFINIÇÕES ADEQUADAS para os seguintes “CONCEITOS
BÁSICOS”:
- Ponto/Posto de Trabalho: TODO E QUALQUER LOCAL
ONDE O TRABALHADOR PERMANECE DURANTE O CICLO DE
TRABALHO.

- Ciclo de Trabalho: CONJUNTO DE ATIVIDADES


DESENVOLVIDAS PELO TRABALHADOR EM UMA SEQÜÊNCIA
DEFINIDA, O QUAL SE REPETE DE FORMA CONTÍNUA NO
DECORRER DA JORNADA DE TRABALHO.

- Zona Auditiva: REGIÃO DO ESPAÇO QUE COMPREENDE UMA


DISTÂNCIA DE, APROXIMADAMENTE 15,0cm (±5,0 cm) A
PARTIR DOS OUVIDOS.

- Grupos de Representatividade: PODE-SE REDUZIR O


NÚMERO DE AMOSTRAGENS, DESDE QUE SEJAM
AGRUPADOS OS TRABALHADORES COM IGUAIS
CARACTERÍSTICAS DE EXPOSIÇÃO (FÍSICAS, TEMPORAIS E
FUNCIONAIS). USUALMENTE, ISSO É CONSEGUIDO PARA
UMA MESMA FUNÇÃO OPERACIONAL.

32
48) Procurando se lembrar dos “Fundamentos de
Amostragem Quantitativa” e em suas próprias palavras, descreva
simplificadamente abaixo os “FATORES ESTRATÉGICOS BÁSICOS
A CONSIDERAR” numa amostragem de campo.
. LOCAÇÃO (ONDE AMOSTRAR)
. TIPOS E DURAÇÃO DE AMOSTRAGEM
. QUANDO AMOSTRAR
. NÚMERO DE AMOSTRAS

49) Considerando-se o comentado em sala de aula, com relação às


características de DECIBELÍMETROS e AUDIODOSÍMETROS,
assinale a alternativa CORRETA:
a) Um decibelímetro é plenamente aceitável para coletar níveis de
ruído em ambientes administrativos e em operadores fixos a seus
postos de trabalho, desde que sem variações significativas de ruído.

b) O uso de um audiodosímetro é tolerável quando de coletas de


níveis de ruído em ambientes fabris, mas não deve ser utilizado em
trabalhadores que circulam rotineiramente por ambientes diversos.

c) Para fundamentação de perícias é imprescindível o uso de


decibelímetros, dada sua facilidade de uso, rapidez no fornecimento
de resposta e confiança merecida pelo Juízo.

d) O grande trunfo do decibelímetro em detrimento do audiodosímetro


é que o primeiro fornece Doses de Ruído e permite maior precisão
nos resultados.

e) Decibelímetros e audiodosímetros são basicamente nomenclaturas


diferentes para o mesmo tipo de equipamento. “Decibelímetro” vem
do Inglês (Decibelimether), enquanto “Audiodosímetro” tem origem
no Francês (Acoustiquedosimetre).

50) Procurando se lembrar do comentado dobre “Confiabilidade da


Amostragem” e em suas próprias palavras, teça considerações sobre
o chamado EXPOSTO DE MAIOR RISCO (ou MRE – MAXIMUM
RISK EMPLOYEE).
HAVENDO EVIDÊNCIA DE POSSÍVEL EXPOSIÇÃO, ULTRAPASSANDO
O NÍVEL DE AÇÃO, DEVE-SE AVALIAR A EXPOSIÇÃO DO
INDIVÍDUO SUPOSTAMENTE MAIS EXPOSTO.
É O CONCEITO DE “MRE”. (INFORMALMENTE, SE O MRE
APRESENTAR CONCENTRAÇÕES ABAIXO DO LT, OS DEMAIS
TRABALHADORES TAMBÉM APRESENTARÃO.)
- COMO EVIDENCIAR O MRE:
. PROXIMIDADE DA FONTE DO AGENTE AGRESSIVO/ CONTAMINANTE
. MOBILIDADE NO AMBIENTE
33
. LINHAS DE CORRENTE DE AR NO RECINTO
. DIFERENÇAS EM HÁBITOS OPERACIONAIS
- É MUITO IMPORTANTE A OBSERVAÇÃO DA OPERAÇÃO E A
EXPERIÊNCIA ACUMULADA DO HIGIENISTA.
- MRE NÃO EVIDENTE ? PARTIR PARA A AMOSTRAGEM
SISTEMÁTICA. DIFÍCIL REDUZIR O NÚMERO DE AMOSTRAGENS.

51) Procurando se lembrar dos “Tipos de Amostras” possíveis e em suas


próprias palavras, trace paralelos entre AMOSTRA ÚNICA DE
PERÍODO COMPLETO, AMOSTRAS CONSECUTIVAS DE
PERÍODO CMPLETO, AMOSTRAS CONSECUTIVAS DE PERÍODO
PARCIAL e AMOSTRAS “PONTUAIS” DE CURTA DURAÇÃO.
- AMOSTRA ÚNICA DE PERÍODO COMPLETO:
. TOMADA SOBRE TODA A BASE DE TEMPO DO LIMITE=JORNADA.
. SEGUNDA FORMA MAIS INDICADA,SE EXISTIR METODOLOGIA...

- AMOSTRAS CONSECUTIVAS DE PERÍODO COMPLETO:


. VÁRIAS AMOSTRAS QUE ABRANGEM A BASE DE TEMPO DO LIMITE.
. MELHOR FORMA DE ESTIMATIVA, MAIOR BENEFÍCIO ESTATÍSTICO.
. MAIORES CUSTOS.

- AMOSTRAS CONSECUTIVAS DE PERÍODO PARCIAL:


. SE A BASE É 8 HORAS, DEVEM COBRIR DE 4 A 8 HORAS.
. SÃO CONSECUTIVAS NO SENTIDO EM QUE NÃO SÃO SUPERPOSTAS,
PORÉM NÃO SÃO NECESSARIAMENTE ADJACENTES.
. TERCEIRA MELHOR FORMA.
. DIFICULDADE: COMO TRATAR O PERÍODO NÃO AMOSTRADO?
. DEVE ALCANÇAR DE 70 A 80% DA BASE DE TEMPO DO LIMITE.

- AMOSTRAS “PONTUAIS” DE CURTA DURAÇÃO:


. PODEM LEVAR POUCOS SEGUNDOS, VIA INSTRUMENTOS DE LEITURA
DIRETA.
. OPÇÃO MENOS APROPRIADA.
. PRODUZ LIMITES DE CONFIANÇA INADEQUADOS.
. A DURAÇÃO DA AMOSTRAGEM “PONTUAL” NÃO INTERFERE NA
PRECISÃO DA ESTIMATIVA. DEVE, PORÉM, PERMITIR COLETAR
AMOSTRAS SUFICIENTES PARA O MÉTODO ANALÍTICO.

34
52) Procurando se lembrar do “Roteiro de Amostragem” e em suas
próprias palavras, comente sobre a) RECONHECIMENTO DOS
RISCOS, b) PREPARAÇÃO DO INSTRUMENTAL DE CAMPO, c)
AMOSTRAGEM DE CAMPOS d) analise dos resultados obtidos
a) RECONHECIMENTO DOS RISCOS:
Estudo preliminar
Planejamento de Avaliação de Campo

b) PREPARAÇÃO DO INSTRUMENTAL DE CAMPO:


Coletores de amostras
Bombas coletoras
Demais aparelhos

c) AMOSTRAGEM DE CAMPO
Coleta de amostras

d) ANÁLISE DOS DADOS OBTIDOS E DAS AMOSTRAS


Preparo das amostras para análise laboratorial
Recepção e análise dos resultados

53) Com relação a procedimentos específicos de medição de ruído


contínuo ou intermitente, conforme instrui a NHO-01, assinale a
alternativa ERRADA:
a) Com utilização de medidor integrador de uso pessoal, deve-se
realizar os ajustes preliminares no equipamento e sua calibração,
com base nas instruções do manual de operação e nos parâmetros
especificados NA NHO-01.

b) Deve-se colocar o medidor no trabalhador a ser avaliado e fixar o


microfone na zona auditiva (até 30 cm da orelha). Em seguida,
posicionar e fixar qualquer excesso de cabo de microfone, para
evitar inconvenientes ao usuário.

c) Deve-se adotar medidas necessárias para impedir que o usuário, ou


outra pessoa, possa fazer alterações na programação do
equipamento, comprometendo os resultados obtidos.

d) Deve-se iniciar o processo de integração somente após o microfone


estar devidamente ajustado e fixado no trabalhador. Analogamente,
só se retira o microfone do trabalhador após a interrupção da
medição.

e) Deve-se checar o dosímetro periodicamente, durante a avaliação,


para assegurar que o microfone está adequadamente posicionado e
que o equipamento está em condições normais de operação.

35
54) Lembrando-se dos procedimentos específicos de medição de ruído de
impacto, segundo a NHO-01, assinale a alternativa CORRETA:
a) Deve-se realizar os ajustes preliminares no equipamento e sua
calibração, com base nas instruções do manual de operação e
parâmetros especificados na NR-16.

b) Deve-se manter o microfone do medidor dentro da zona auditiva do


trabalhador (até 30 cm da orelha) e posicioná-lo de forma a
minimizar a interferência na medição.

c) Deve-se acompanhar a movimentação do trabalhador no exercício


de suas funções, de forma a manter o microfone posicionado dentro
da zona auditiva, durante todo o período de medição.

d) Deve-se efetuar de 01 a 03 medições para determinar os níveis de


impacto a que fica submetido o trabalhador avaliado, seguindo o
padrão de confiabilidade estatística da AIHA.

e) O número de impactos e os níveis medidos somente serão obtidos


quando a amostragem acompanhar a totalidade da jornada de
trabalho, de forma a oferecer valores representativos de toda a
exposição do trabalhador.

55) Procurando se lembrar dos “Critérios de Julgamento e Tomada de


Decisão” da NHO-01 para Ruído Contínuo ou Intermitente e em suas
próprias palavras, cite quais são as ATUAÇÕES RECOMENDADAS
para as seguintes DOSES DIÁRIAS DE RUÍDO: a) De 0 a 50%; b) De
50 a 80%; c) De 80 a 100%; e d) Acima de 100%.

a) Manutenção de condição existente


b) Adoção de medidas preventivas
c) Adoção de medidas preventivas e corretivas visando redução de
dose diária
d) Adoção imediata de medidas corretivas

56) Com relação às medidas de controle de ruído, conforme citado pela


NHO-01, especificamente quanto à intervenção sobre a fonte
emissora, assinale a alternativa ERRADA:
a) Intervenções sobre a fonte emissora podem consistir em: aumento
da distância da fonte emissora; redução da concentração das
máquinas; substituição por máquinas mais silenciosas.

36
b) Para controlar o ruído de máquinas e equipamentos, pode-se:
escolher fontes de energia e de transmissão que permitam
regulagens de velocidade; utilizar modelos de ventiladores mais
silenciosos; substituir partes metálicas por partes plásticas.

c) Com relação à manutenção, algumas medidas podem ser tomadas:


manter lubrificadas e em bom estado as engrenagens; reduzir a
altura de queda dos produtos para recipientes; amortecer os
choques com uso de revestimentos de borracha.

d) Ainda com relação à manutenção, algumas propostas devem ser


evitadas, tais como: aumentar a rigidez dos contentores; amortecer
os choques com uso de revestimentos de plástico de grande
resistência a desgastes.

e) Nos sistemas de transporte de materiais, pode ser uma opção


inteligente a substituição dos transportadores de rolo por
transportadores de tela, já que estes são mais silenciosos.

57) Com relação às medidas de controle de ruído, conforme citado pela


NHO-01, especificamente quanto à intervenção sobre a propagação,
assinale a alternativa CORRETA:
a) Quando se fala em intervenções sobre a propagação, uma boa
solução é o emprego de blindagens e barreiras. Quando do uso de
blindagem exterior, sugere-se chapa metálica, fina e leve.

b) Se a opção for utilizar material absorvente de som no interior,


devese evitar lã de vidro e lá de rocha por sua alta condutividade de
calor e de chama.

c) A energia sonora é absorvida todas as vezes que a onda sonora se


encontra com um material poroso. Regra geral, se a superfície
absorve totalmente o som (não reflete nada), ela tem um coeficiente
de absorção = 0 e se a superfície é totalmente refletiva (não
absorve nada) tem o coeficiente = 1.

d) Quando um som incide sobre uma barreira fonoabsorvente, uma


grande proporção de energia sonora a atravessa. Pequena parte
deste som é absorvida, a depender do coeficiente de absorção do
material que forma a barreira.

e) Materiais porosos podem absorver de 50 a 90% da energia sonora


incidente. Se uma sala, por exemplo, é formada por paredes lisas e
duras, a absorção será insuficiente e o nível sonoro poderá ser igual
em qualquer ponto da sala.

37
58) Com relação às medidas de controle de ruído, conforme citado pela
NHO-01, especificamente quanto à intervenção sobre o operador,
assinale a alternativa ERRADA:
a) Intervenções sobre o operador, tipicamente, são as seguintes:
alteração no ritmo de funcionamento da máquina; melhoria da
manutenção preventiva; alteração na fonte emissora.

b) Para proteger o indivíduo, pode-se pensar em cabines isolantes


(barreiras ao som), em protetores auriculares (tais como os
circumauriculares e os de inserção).

c) Protetores circum-auriculares são recomendados para exposições


intermitentes, sendo, contudo, inadequados para exposição
contínua, onde o pressionamento da área circum-auditiva apresenta
grande desconforto.

d) Protetores de inserção pré-moldados são fabricados em material


flexível como silicone, PVC, etc.. Os de silicone são os que
apresentam maior durabilidade e resistência à deformação e ao
endurecimento.

e) Apenas uma das alternativas acima está errada.

59) Com relação à chamada “dupla proteção” contra RUÍDO (“plug” +


“concha”, ou “protetor de inserção” + “protetor circum-auricular”),
assinale a alternativa CORRETA:
a) A dupla proteção se torna necessária quando a atenuação do
abafador não for suficiente para reduzir o ruído a níveis satisfatórios
de exposição. Para 95 dB de exposição, a dupla proteção é quase
uma imposição.

b) A atenuação dada pela dupla proteção (plug + concha) não é


simplesmente a soma da atenuação individual proporcionada pelos
dois EPIs. De forma aproximada, calcula-se a atenuação total do
conjunto como sendo a melhor atenuação acrescida de 20%.

c) Por exemplo, se o trabalhador fizer uso conjunto de um plug com


NRRsf = 20 e de uma concha com NRRsf = 10, a atenuação total
do conjunto deve ficar em torno de 30.

d) Corrigindo-se a alternativa “c” acima, se o trabalhador fizer uso


conjunto de um plug com NRRsf = 20 e de uma concha com NRRsf

38
= 10, a atenuação total do conjunto deve ficar em torno de 15, ou
seja, a média entre os dois valores.

e) A NR-15 é clara com relação ao uso da chamada “dupla proteção”:


ela é proibida em Território Nacional, dada a impossibilidade
matemática de consideração da atenuação total do conjunto.

60) Com relação aos problemas típicos envolvendo protetores auditivos,


assinale a alternativa ERRADA:
a) 10 a 15% dos indivíduos que usam protetores tem atenuação
abaixo do limite inferior da capacidade de redução dos protetores
(em função de erros no posicionamento, manutenção e trocas
inadequadas, tempo efetivo de uso).

b) Habitualmente são fornecidos aos trabalhadores protetores de


inserção muito pequenos e conchas sem boa aderência e
desconfortáveis.

c) Sujeira ou mesmo envelhecimento dos protetores auditivos tem


pouca influência sobre a eficiência de tais EPIs. Analogamente,
curtos tempos de interrupção no uso não reduzem de maneira
significativa a eficácia de proteção.

d) Em indivíduos com audição normal e naqueles com hipoacusia


grave o uso de protetores influi muito pouco na capacidade auditiva.
Já para indivíduos com alterações médias pode ocorrer redução da
inteligibilidade que varia de 10 a 40%.

e) O uso de protetores auriculares também interfere na percepção da


localização do som, fato relevante para permitir o reconhecimento
de sinais de alarme.

61) Procurando se lembrar dos exemplos práticos de controle de ruído,


conforme citado no material do curso, dê ao menos um exemplo
para: b)
a) Substituição por máquinas ou atividades mais silenciosas;
Alterações na fonte emissora; c) Distanciamento da fonte
emissora; d) Situações gerais de controle.
a) Em ventiladores substituir por unidades com menor velocidade e
maior diâmetro
b) Em prensas Utilizar punções com seções angulares em relação ao
plano de trabalho
c) Modificações de layout, a cada duplicação de distancia da fonte, o
nível de pressão sonora se reduz em 6 dB.

39
d) Em pressões utilizar anteparo de vidro de segurança, sem prejuízo
a atividade

62) Procurando se lembrar dos “Critérios de Julgamento e Tomada de


Decisão” da NHO-09 para Vibrações de Corpo Inteiro e em suas
próprias palavras, cite quais são as ATUAÇÕES RECOMENDADAS
para as seguintes CONDIÇÕES DE CAMPO: a) aren (m/s2) de 0 a
0,5; b) aren (m/s2) de 0,5 a 0,9; c) aren (m/s2) de 0,9 a 1,1; e d) aren
(m/s2) acima de 1,1.
a) Manutenção da condição existente
b) Adoção de medidas preventivas
c) Adoção de medidas preventivas e corretivas visando a redução da
exposição
d) Adoção imediata de medidas corretivas
63) Segundo a NHO-09, sobre Vibrações de Corpo Inteiro (VCI), no
tocante a medidas preventivas, conforme constante do material do
curso, assinale a alternativa CORRETA:
a) Visando sua proteção mental, os trabalhadores devem se manter
alheios aos riscos decorrentes da exposição a vibrações de corpo
inteiro.

b) Cuidados e procedimentos para redução da exposição às VCI,


como, por exemplo, ajustar o assento do veículo em relação ao
posicionamento e ao peso do usuário, normalmente tem resultados
mais estéticos do que práticos.

c) Deve-se aproveitar os períodos logo após a exposição às VCI, já


que o corpo está aquecido, para solicitar esforços, tais como
levantar pesos e fazer movimentos de torção ou flexão de coluna.

d) Eventuais limitações de proteção das medidas de controle, incluídos


sua importância e seu uso correto, devem ser informações
repassadas pelo empregador aos trabalhadores.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

64) Procurando se lembrar dos “Critérios de Julgamento e Tomada de


Decisão” da NHO-10 para Vibrações Localizadas ou em Mãos e
Braços (VMB) e em suas próprias palavras, cite quais são as
ATUAÇÕES RECOMENDADAS para as seguintes CONDIÇÕES DE
CAMPO: a) aren (m/s2) de 0 a 2,5; b) aren (m/s2) de 2,5 a 3,5; c) aren
(m/s2) de 3,5 a 5,0; e d) aren (m/s2) acima de 5,0.
a) Manutenção da condição existente
b) Adoção de medidas preventivas

40
c) Adoção de medidas preventivas e corretivas visando a redução de
exposição diária
d) Adoção imediata de medidas corretivas

65) Segundo a NHO-10, sobre Vibrações Localizadas ou em Mãos e


Braços (VMB), no tocante a medidas corretivas, conforme constante
do material do curso, assinale a alternativa ERRADA:
a) Podem ser citadas entre as diversas medidas corretivas:
substituição de ferramentas e acessórios, a reformulação ou a
reorganização de bancadas e postos de trabalho, a alteração das
rotinas ou dos procedimentos de trabalho.

b) Podem ser citadas entre as diversas medidas corretivas:


manutenção das ferramentas, em especial aquelas com eixo
excêntrico, de forma a mantê-las em bom estado de conservação.

c) Podem ser citadas entre as diversas medidas corretivas: troca de


componentes gastos ou defeituosos, tais como: discos, rebolos,
ponteiras, correntes de corte, mancais, rolamentos e acoplamentos.

d) Podem ser citadas entre as diversas medidas corretivas: troca de


componentes novos quando identificado que estes produzem
vibração excessiva, resultante, por exemplo, de defeitos de
fabricação ou da má qualidade dos produtos.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

66) Segundo a NR-16 em seu Anexo 1 (Periculosidade para Explosivos),


conforme constante do material do curso, assinale a alternativa
CERTA:
a) O trabalhador cuja atividade esteja enquadrada nas atividades
periculosas enquadradas em tal Anexo faz jus ao adicional de 30%
sobre seu salário nominal, mas sem acréscimos resultantes de
gratificações, prêmios ou participações nos lucros da empresa.

b) É ressalvado ao trabalhador exposto o direito de opção por


Adicional de Insalubridade ou Adicional de Periculosidade.
Normalmente o trabalhador opta pelo de Insalubridade, em função
da vantagem pecuniária imediata.

c) São consignadas as mesmas Áreas de Risco para pólvoras


químicas, artifícios pirotécnicos, fogos de artifício, explosivos de
ruptura e pólvora mecânica.

41
d) Quando se tratar de depósitos barricados ou entrincheirados de
explosivos iniciadores, as distâncias previstas para as Áreas de
Risco podem ser reduzidas à metade.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

67) Segundo a NR-16 em seu Anexo 2 (Periculosidade para Inflamáveis),


conforme constante do material do curso, assinale a alternativa
ERRADA:
a) O exercício de trabalho em condições de periculosidade por
Inflamáveis assegura adicional de 30%, incidente sobre o salário,
sem os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou
participação nos lucros.

b) O transporte de inflamáveis líquidos ou gasosos liquefeitos, em


quaisquer vasilhames e a granel, é considerado em condições de
periculosidade quando de transporte por caminhão ou caminhonete,
independentemente da quantidade transportada.

c) Inflamáveis contidos nos tanques de consumo próprio dos veículos


não são considerados para efeito de periculosidade.

d) Considera-se líquido combustível todo aquele que possua ponto de


fulgor maior que 60ºC e menor ou igual a 93ºC.

e) Apenas uma das alternativas acima está errada.

68) Segundo a NR-16 em seu Anexo 3 (Periculosidade para Segurança


Pessoal ou Patrimonial), conforme constante do material do curso,
assinale a alternativa CERTA:
a) Segundo o artigo 193 da CLT, qualquer trabalhador exposto a
roubos ou outras espécies de violência física fará jus a Adicional de
Periculosidade no valor de 30% de seu salário nominal.

b) Na eventualidade do profissional de segurança pessoal ou


profissional já receber algum outro adicional de mesma natureza,
poderá haver a acumulação dos benefícios, até o limite de dois
Adicionais.

c) Podem ser considerados, de fato, profissionais de segurança


pessoal ou patrimonial os empregados das empresas prestadoras
de serviço nas atividades de segurança privada.

42
d) Para empregados que exercem atividades de segurança patrimonial
em instalações ferroviárias, rodoviárias e portuárias deve ser
oportunizado obrigatório e gratuito registro e autorização do
Ministério da Justiça, conforme lei 7.102/1983.

e) Todas alternativas acima estão erradas.

69) Segundo a NR-16 em seu Anexo 4 (Periculosidade para Eletricidade),


conforme constante do material do curso, assinale a alternativa
ERRADA:
a) Tem direito ao adicional de periculosidade o trabalhador que
executa atividades ou operações em instalações ou equipamentos
elétricos energizados em alta tensão.

b) Pode ter direito a adicional de periculosidade o trabalhador que


realizar atividades ou operações em instalações ou equipamentos
elétricos energizados em baixa tensão no sistema elétrico de
consumo - SEC.

c) Normalmente tem direito a adicional de periculosidade o trabalhador


que opera em instalações ou equipamentos integrantes do sistema
elétrico de potência - SEP, seja ele trabalhador orgânico ou
terceirizado.

d) Tem direito ao adicional de periculosidade o trabalhador que


executa atividades ou operações no sistema elétrico de consumo,
mesmo em equipamentos energizados e liberados para o trabalho,
mesmo sem possibilidade de energização acidental.

e) As alternativas “b” e “c” acima estão corretas.

70) Segundo a NR-16 em seu Anexo 5 (Periculosidade para Atividades


em Motocicleta), conforme constante do material do curso, assinale a
alternativa CERTA:
a) As atividades laborais com utilização de motocicleta ou motoneta no
deslocamento de trabalhador em vias públicas são sempre
consideradas perigosas, no sentido de outorga de Adicional de
Periculosidade.

b) São consideradas perigosas, pare efeito do Anexo 5 da NR-16, a


utilização de motocicleta ou motoneta no percurso da residência ao
local de trabalho e vice-versa.

c) Consideram-se periculosas as atividades profissionais em


quaisquer veículos motorizados dotados de duas rodas, mesmo que
43
não necessitem de emplacamento ou carteira nacional de
habilitação.

d) Serão consideradas periculosas, para efeito do Anexo 5 da NR-16,


as atividades em motocicleta ou motoneta em locais privados,
desde que exercidas de forma habitual.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

71) Segundo a NR-16 em seu Anexo * (Periculosidade para Radiações


Ionizantes ou Substâncias Radioativas), conforme constante do
material do curso, assinale a alternativa ERRADA:
a) São atividades periculosas: produção, utilização, processamento,
transporte, guarda, estocagem e manuseio de materiais radioativos,
desde que não selados, sólidos, de forma química instável e
artificiais.

b) São consideradas perigosas, pare efeito do Anexo * da NR-16,


atividades com aparelhos de raios-X, embora haja exceções para
equipamentos móveis.

c) Podem ser consideradas periculosas em virtude de Radiações


Ionizantes as seguintes atividades: diagnóstico médico, radiografia
industrial, irradiação de alimentos.

d) Serão consideradas áreas de risco, para efeito do Anexo * da NR-


16 as salas de irradiação e de operação de aparelhos de raios-X,
embora possam haver exceções para equipamentos móveis.

e) Apenas uma alternativa acima está errada.

72) Segundo a Lei Nº 11.901/2009 (Periculosidade para Bombeiro Civil),


conforme constante do material do curso, assinale a alternativa
CORRETA:
a) Considera-se Bombeiro Civil todo aquele que, conforme a citada
Lei, exerça, em caráter habitual ou eventual, função exclusiva,
remunerada ou não, de prevenção e combate a incêndio.

b) No atendimento a sinistros em que atuem, em conjunto, os


Bombeiros Civis e o Corpo de Bombeiros Militar, a coordenação e a
direção das ações caberão, com exclusividade e em qualquer
hipótese, à corporação militar.

c) Entre as funções de Bombeiro Civil está classificada a de Bombeiro


Civil, nível básico, desde que combatente direto do fogo.

44
d) A jornada do Bombeiro Civil é de 08 (oito) horas de trabalho por 16
(dezesseis) horas de descanso, totalizando não mais do que 48
(quarenta e oito) horas semanais.

e) Todas as alternativas acima estão erradas.

45