Você está na página 1de 24

XIX

Compasso
MED, Bohumil - Teoria da Música - 5ª edição
Compasso
• É a divisão de um trecho musical em séries regulares de tempos;
• É o agente métrico do ritmo;
• É unidade métrica musical formada por grupos de tempos iguais;
• É um trecho musical no qual há uma alternância regular de tempos
fortes e fracos.

Obs: O termo compasso originou-se nas palavras “com o passo”,


quando o regente marcava a tésis (tempo forte) com o pé

Pesquisar: Lully
Ritmo é a maneira como se sucedem os valores da música.

A melodia:

O ritmo desta melodia:


Os compasso são separados por uma linha vertical, chamada barra de
compasso ou travessão.

A barra de compasso atravessa todo o pentagrama, da quinta à


primeira linha.
Compasso (battuta em italiano) é o espaço entre duas barras.

1) Não se grafa a barra inicial no


primeiro compasso do pentagrama.

2) Não se usa barra antes da clave


quando a música é escrita num só
pentagrama.

3) A barra de compasso começou a ser usada na passagem do século


XVI para XVII.
A divisão da música em compassos facilita a leitura e a execução da
partitura.

Barra auxiliar é uma barra pontilhada que indica a subdivisão do


compasso.
Barra dupla ou travessão final
Quando são usados dois pentagramas para o mesmo instrumento (por
exemplo piano) ou para um grupo de instrumentos ou vozes, os
pentagramas são unidos por chave no início da pauta. As barras são
comuns para os dois pentagramas e, antes da clave, é grafada mais
uma barra.
Na partitura de uma música para conjunto ou para orquestra completa,
a primeira barra de compasso une, geralmente, todos os pentagramas.
As barras seguintes são individuais para pauta do solista e para piano.
Na partitura orquestral as barras identificam os grupos instrumentais,
por exemplo madeiras, metais, cordas, coro, percussão e outros,
facilitando assim a leitura da partitura.

http://ks4.imslp.net/files/imglnks/usimg/8/88/IMSLP24856-PMLP06225-Schubert_Mass_No.6,_D.950_Kyrie.pdf
Fórmula de compasso

A fórmula de compasso, colocada no começo de cada peça musical,


indica, geralmente por números em forma de fração, o tamanho do
compasso e também sugere as possíveis interpretações.
O numerador indica quantas figuras cabem no compasso e o
denominador a sua espécie*

3 QUANTIDADE de Valores
4 QUALIDADE de Valores
* Teoria francesa
Compasso 2_ - Leia-se dois por quatro.
4

A fórmula de compasso é escrita uma única vez: no início da música.


Vigora até o final da música ou até a indicação de um compasso
diferente.
A fórmula de compasso é escrita após a clave e a armadura.
Geralmente se suprime a linha separatória da fração quando grafada
no pentagrama, pois esta coincide com a terceira linha da pauta.
Quando grafada fora do pentagrama, não há razão para suprimir esta
linha separatória.
A fórmula de compasso deve enquadrar-se no pentagrama. Os
números são grafados um exatamente embaixo do outro.
Havendo mudança de compasso no início de uma nova pauta,
grafa-se a fração indicativa do novo tipo de compasso também no final
da pauta anterior, após a barra dupla.
Evita-se interromper um compasso no fim do pentagrama para
continuá-lo no pentagrama seguinte.
A indicação do tipo de compasso surgiu na notação mensural no séc.
XIV.
Os compassos ternários eram considerados perfeitos. Os compassos
binários e quaternários eram considerados imperfeitos.
Exercícios

Complete os compassos
Separar os compassos
Unidade de compasso (U.C.)

Unidade de compasso é o valor que preenche, se possível sozinho, um


compasso inteiro. Para encontrar a unidade de compasso soma-se o
número de figuras indicadas pelo denominador reduzindo-as a uma só
ou ao menor número possível de figuras.
A unidade de compasso, representada por valor pontuado ou por
valor resultante da combinação de várias figuras, é chamada por
alguns teóricos de “unidade de som” em vez de “unidade de
compasso”.

Exercício:
Determine a unidade de compasso (U.C.).
Unidade de Tempo (U.T.)
Unidade de tempo ou tempo é o valor que se toma por unidade de
movimento. Por sua vez, o tempo se divide em partes de tempo.
Tempo é o elemento unitário em que se “decompõe” o compasso.
Tempo é a pulsação musical, unidade essencial de um compasso.
Teoricamente, qualquer valor pode ser empregado como unidade de
tempo.
unário 1 tempo senário 6 tempos

binário 2 tempos setenário 7 tempos

ternário 3 tempos octonário 8 tempos

quaternário 4 tempos nonário 9 tempos

quinário 5 tempos decenário 10 tempos


Obs.: O compasso de um tempo (unário ou unitário) é contestado
por alguns teóricos; todavia ele é bastante comum nas obras de
compositores modernos (B. Bartók, I. Stravinsky, E. Widmer e outros).
Este compasso só tem tempo forte, não há o tempo fraco.
Classificação dos compassos

Existem basicamente, duas teorias, divergentes entre si, de


classificação de compassos. Uma teoria compara os compassos com
tempos representados pelo valor simples e valor pontuado. É bastante
divulgada na França, Rússia e no Brasil. A outra teoria classifica os
compassos conforme o número de tempos fortes neles existentes. Esta
teoria é predominante na Alemanha e nos países que adotam a teoria
alemã. Nos livros de teoria musical é analisada geralmente, uma ou
outra teoria, mas quase nunca, as duas teorias conjuntamente. Não
existe um nome oficial para as duas teorias. Para diferenciá-las será
adotada, neste livro, a nomenclatura: Teoria Francesa e Teoria Alemã.
Teoria Francesa de Compassos
Compassos simples é aquele que tem por unidade de tempo uma
figura simples (não pontuada). Apresenta como característica principal
uma subdivisão binária ou quaternária dos seus tempos.