Você está na página 1de 12

grátis | ano 2019 | nº2 | Junho

EXISTEM
SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS
NO SEU LOCAL DE TRABALHO?
Página 3

FACTOS E NÚMEROS
2019© UGT - União Geral de Trabalhadores

DADOS SOBRE
SINISTRALIDADE LABORAL
Página 6

CADERNO PRÁTICO:
DIREITOS DOS
TRABALHADORES NA
SEGURANÇA E SAÚDE
NO TRABALHO
Página 9

EDIÇÃO
ONLINE
LEIA E FAÇA
DOWNLOAD
DA REVISTA EM
http://bit.ly/2DeS5ct
EDITORIAL

Índice

Iniciativas Importantes
VANDA CRUZ
UGT debateu o futuro dos inspetores do trabalho Secretária Executiva UGT-Portugal
a nível Europeu | 2 Coordenadora do Departamento de Segurança e
Existem substâncias perigosas no seu local de Saúde no Trabalho da UGT
trabalho? | 3
POLÍTICA EUROPEIA DE
Temáticas em Destaque
SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO
Relembrar os principais marcos de referência da

N
evolução da Segurança e Saúde no Trabalho | 3
Refletir sobre... Incumprimento do SNS na o próximo dia 12 de Junho, completam-se 30 anos desde a
vigilância da Saúde dos Trabalhadores | 5 aprovação, pelo Conselho das Comunidades Europeias, da
Diretiva 89/391/CEE, de 12 de Junho de 1989, relativa à aplicação
Factos e Números de medidas destinadas a promover a melhoria da segurança e da saúde
dos trabalhadores no trabalho - «Diretiva-Quadro» que constitui até hoje o
Dados sobre sinistralidade laboral | 6 grande quadro de referência normativa da política europeia de Segurança e
Organização de serviços de SST e Programas Saúde no Trabalho •
de Prevenção | 6

Iniciativas a Desenvovler
INICIATIVAS IMPORTANTES:
Estudo “O Burnout no setor Financeiro” | 7

Outros Temas
UGT DEBATEU O FUTURO DOS
Consumo nocivo de Álcool debatido no Fórum INSPETORES DO TRABALHO A
Nacional de Álcool e Saúde| 8
Aconteceu... | 8 NÍVEL EUROPEU
Newsletter Internacional Trabalho+Seguro | 9
Caderno Prático: Direitos dos Trabalhadores na
Segurança e Saúde no Trabalho | 9

A
UGT, representada pela A UGT é um dos parceiros que,
Secretária Executiva, desde o primeiro momento, participa
FICHA TÉCNICA
Vanda Cruz, participou ativamente neste organismo, por
Propriedade: numa mesa redonda dedicada intermédio do Conselho Consultivo
União Geral de Trabalhadores - NIF 501 093 982
aos parceiros sociais no âmbito da da Autoridade para as Condições do
Conteúdos: Departamento de Segurança e Saúde no campanha europeia, promovida pelo Trabalho (ACT).
Trabalho da UGT Comité dos Altos Responsáveis das O contributo da Central
Coordenação: Vanda Cruz
Textos: Maria Vieira Inspeções do Trabalho (SLIC). nesta mesa redonda e na
Revisão de Textos: Maria do Carmo campanha especificamente
Imagens: Nuno Lima e Paulo Rocha
Grafismo e Paginação: Renato Nunes Este comité foi criado em 1995 dedicada aos trabalhadores
Produção: com o objetivo de aconselhar a temporários e trabalhadores
Rua Vitorino Nemésio, nº5 - 1750-306 Lisboa
tel. 213 931 200 | fax. 213 974 612
Comissão Europeia, a pedido desta transfronteiriços prendeu-se
Correio eletrónico: geral@ugt.pt ou por sua iniciativa, em todas as com as questões que se dedicam
Periodicidade: Bimensal questões referentes à aplicação do ao futuro dos inspetores de trabalho
direito comunitário sobre Segurança no âmbito da Segurança e Saúde do
e Saúde no Trabalho nos Estados- Trabalho e da aplicação da legislação
membros. comunitária neste campo •

2 | Junho 2019 | TRABALHO+SEGURO


INICIATIVAS IMPORTANTES

EXISTEM SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS


NO SEU LOCAL DE TRABALHO?
Campanha Locais de Trabalho Saudáveis:
Gerir substâncias perigosas 2018-2019
Materiais de Informação
Ficha Informativa: aconselhamento sobre os instrumentos práticas de reduzir a exposição dos
Ferramentas e Orientações práticas e as orientações práticas que estão à trabalhadores a substâncias perigosas.
relativas a substâncias perigosas no disposição dos empregadores e dos
local de trabalho. trabalhadores para os ajudar na gestão
dos riscos colocados pelas substâncias

N
Aceda ao
o âmbito da Campanha perigosas no local de trabalho. Instrumento
“Locais de Trabalho aqui:
Saudáveis: Gerir substâncias A utilização de ferramentas e www.bit.ly/2IiVIQA
perigosas” foi publicada esta orientações já existentes permite
ficha informativa que oferece poupar tempo, além de oferecer formas Q.R. CODE

TEMÁTICAS EM DESTAQUE:
RELEMBRAR OS PRINCIPAIS MARCOS DE
REFERÊNCIA DA EVOLUÇÃO DA SEGURANÇA
E SAÚDE NO TRABALHO

E
porque este mês se assinalam dos Trabalhadores e ao Ambiente • Os Governos devem, assim,
30 anos desde a aprovação de Trabalho (ratificada por Portugal definir políticas nacionais
Conselho das Comunidades através do Decreto – lei n.º 1/85, de 16 de Segurança e Saúde no
Europeias da Diretiva Quadro, de Janeiro). Trabalho;
aproveitamos para fazer uma reflexão • Para o desenvolvimento de tais
sobre a evolução da SST no nosso A importância desta Convenção políticas, os Estados devem
país, percurso esse que se iniciou, resulta da sua natureza de documento desenvolver os seguintes
como sabemos, pela transposição normativo de enquadramento da sistemas;
deste normativo comunitário para o Segurança e Saúde do Trabalho, seja • Sistema legislativo de
ordenamento jurídico interno. no que se refere à definição de uma Segurança e Saúde no
política pública, seja na definição de Trabalho;
Enquadramento e Evolução da uma política de empresa. • Sistema de Inspeção das
Segurança e Saúde no Trabalho Condições de Trabalho;
Principais marcos de referência. Esta Convenção veio estabelecer, • Sistema de sanções a aplicar no
em síntese, os seguintes princípios âmbito do incumprimento das
O PAPEL DA OIT - No âmbito fundamentais: regras relativas às condições
das normas criadas pela OIT para a de trabalho;
Segurança e Saúde no Trabalho merece • Todas as atividades devem • Sistema de informação de
especial destaque a Convenção n.º 155 dispor de políticas de Segurança apoio a trabalhadores e
da OIT, relativa à Segurança, à Saúde e Saúde no Trabalho; empregadores no âmbito das

TRABALHO+SEGURO | Junho 2019 | 3


TEMÁTICAS EM DESTAQUE

condições de trabalho; se muito inovadoras, A NIVEL NACIONAL - O Acordo


• Os Estados devem, ainda, nomeadamente: Económico e Social de 1990, subscrito
desenvolver a regulamentação • O termo «condições de por todos os Parceiros Sociais, em Julho
e práticas administrativas trabalho» foi definido em de 1991, impôs o desenvolvimento da
de controlo nos domínios conformidade com a convenção ação no domínio da dinamização da
da Segurança e Saúde no n.º 155 da Organização melhoria das condições de Segurança,
Trabalho; Internacional do Trabalho e Higiene e Saúde nos locais de trabalho,
• Em simultâneo, os Estados estabelece uma abordagem pelo reforço da capacidade técnica da
devem, ainda, dinamizar moderna, que tem em conta Administração do Trabalho.
a Segurança e Saúde no a segurança técnica e a
Trabalho nos seguintes eixos: prevenção geral dos problemas Como consequência deste Acordo,
1. Investigação; de saúde. em 1991, é aprovado um documento
2. Educação; • A diretiva visa estabelecer um histórico no domínio das condições
3. Formação especializada. nível de segurança e saúde de trabalho em Portugal: O Acordo
• No plano da ação a desenvolver igual, que beneficie todos os de Segurança, Higiene e Saúde no
pelas empresas, a Convenção trabalhadores (com exceção Trabalho, onde são acordadas as
veio destacar os seguintes dos empregados domésticos e bases do que viria a ser a Lei-Quadro
domínios: determinados serviços públicos da Segurança e Saúde no Trabalho em
• Integração da Segurança ou militares). Portugal.
e Saúde nos processos de • A diretiva obriga as entidades
seleção dos componentes do patronais a tomarem medidas Nos termos deste Acordo, o Governo
trabalho; de prevenção adequadas e os Parceiros Sociais consideraram
• Prevenção dos riscos que melhorem a Saúde e a como objetivo nuclear “promover a
profissionais associados aos Segurança no Trabalho. humanização das condições em que
agentes físicos, químicos e • Uma das principais inovações o trabalho é prestado e a proteção
biológicos; que a diretiva introduziu foi social, de forma a contribuir para
• Equipamentos de proteção; o princípio da avaliação dos melhorar progressivamente e de
• Cooperação na prevenção riscos e a definição dos seus forma sustentada as condições de
das empresas que operem no principais elementos (por vida dos portugueses, num quadro de
mesmo local de trabalho; exemplo, identificação dos desenvolvimento da competitividade
• Organização da ação de perigos, participação dos das empresas, finalidades económico-
emergência; trabalhadores, introdução de sociais que se compatibilizem com a
• Participação dos trabalhadores medidas adequadas com a modernização da economia nacional”.
(informação, consulta, prioridade de eliminar os riscos
formação, cooperação e na origem, documentação
ação dos representantes dos e reavaliação periódica dos Este Acordo tinha um vasto alcance,
trabalhadores). perigos existentes no local de pois abrangia medidas nos domínios
trabalho). da prevenção, da reparação e da
reabilitação e, por esse motivo revelou-
Todas estas premissas se um marco importante, assente em 4
vieram revelar-se fundamentais Esta Diretiva veio assumir-se como linhas de ação:
na consagração da formulação a responsável pela introdução de novos
da Segurança e Saúde no valores que se revelaram o ponto de • Desenvolver o conhecimento
Trabalho, as quais são, ainda viragem na evolução da Segurança e sobre os riscos profissionais e
hoje, uma referência obrigatória. Saúde no Trabalho. Sob a égide dos as técnicas de prevenção;
princípios estruturantes nela contidos, • Formar e qualificar para a
A POLÍTICA EUROPEIA - A foram publicadas várias diretivas de prevenção de riscos;
Diretiva 89/391 CEE, de 12 de prescrições mínimas nos mais variados • Desenvolver as condições
Junho de 1989, relativa à aplicação domínios, abrangendo todos os em que o trabalho é prestado
de medidas destinadas a promover a trabalhadores em todos os setores de para melhorar a qualidade de
melhoria da Segurança e da Saúde dos atividade. vida nos locais de trabalho e a
trabalhadores no trabalho. competitividade das empresas;
A legislação nacional, • Organizar a prevenção e
• Em 1989, algumas disposições necessariamente, que acompanhou assegurar a vigilância da saúde
da Diretiva-Quadro revelaram- esta evolução. nos locais de trabalho.

4 | Junho 2019 | TRABALHO+SEGURO


TEMÁTICAS EM DESTAQUE

Assim, será apenas nesse ano que, A ATUALIDADE - O Código de n.º 102/2009, de 10 de Setembro, que
com o Decreto-Lei n.º 441/91, de 14 Trabalho de 2009, através do seu artigo aprovou o regime jurídico da promoção
de Novembro, se faz a transposição 284º, legislou sobre a elaboração de um da Segurança e Saúde no Trabalho.
da Diretiva - Quadro para Portugal. novo regime jurídico da promoção da
Segurança e Saúde no Trabalho e de Uma das alterações mais relevantes
Este diploma conferiu um novo um novo regime jurídico de reparação ocorreu em matéria de consulta dos
enquadramento social e organizacional de acidentes de trabalho e de doenças representantes dos trabalhadores para
à SST e permitiu a construção de todo profissionais. a Segurança e Saúde, para efeitos de
o “edifício” contemporâneo da SST em emissão de parecer, designadamente
Portugal. Esses regimes jurídicos foram no que diz respeito à periodicidade do
regulamentados através da Lei n.º cumprimento desta obrigação a cargo
É em torno do acervo de princípios 102/2009, de 10 de Setembro e da do empregador, a qual deixou de ser
contidos no Decreto-Lei n.º 441/91 Lei n.º 98/2009, de 4 de Setembro, realizada duas vezes por ano, para ser
que o ordenamento jurídico nacional se respetivamente. A Lei n.º 102/2009 uma consulta anual.
articula em matéria de SST, sendo que veio substituir o Decreto-Lei n.º 441/91
foram pela primeira vez estipuladas as e constituir-se como o novo referencial A Resolução do Conselho de
obrigações da entidade patronal em para a SST em Portugal, até porque Ministros n.º 77/2015 veio publicar a
matéria de promoção das condições congrega num só documento toda “Estratégia Nacional para a Segurança
de Segurança e Saúde no Trabalho, a legislação que até à data estava e Saúde no Trabalho 2015 – 2020 – Por
prevista a informação, consulta e dispersa. um Trabalho Saudável e Produtivo”,
formação dos trabalhadores, bem instrumento que veicula a política
como a eleição nas empresas dos seus A Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro, nacional em matéria de prevenção de
representantes para a SST. procedeu à segunda alteração à Lei riscos profissionais até 2020 •

REFLETIR SOBRE...
Incumprimento do SNS na vigilância da
Saúde dos Trabalhadores

N
ão podemos deixar de permitir que, caso o deseje, cada para o ordenamento jurídico a Diretiva
aproveitar esta oportunidade, trabalhador possa submeter-se a Quadro.
em que se assinalam 30 um controlo de saúde a intervalos
anos da aprovação da Diretiva 89/391/ regulares; A previsão que consta do número
CEE, para enfatizarmos uma matéria 3. O controlo de saúde pode estar 1 do artigo mencionado de que a
que reiteramos como inaceitável, que incluído num sistema nacional de “promoção e vigilância da saúde
é precisamente a transposição do saúde. podem ser asseguradas através das
artigo 14.º – Controlo da Saúde – da unidades do SNS, de acordo com
referida Diretiva, o qual para um melhor Tal articulado encontra-se, pois, legislação específica aprovada pelo
entendimento, passamos a assinalar: parcialmente aplicado no nosso país, ministério responsável pela área da
fundamentando-se esta afirmação no saúde…”não definiu prazo para a sua
1. Serão tomadas medidas persistente incumprimento do Serviço elaboração, posto que sabemos que
destinadas a assegurar a Nacional de Saúde relativamente às esta deveria existir desde a entrada em
vigilância adequada da saúde dos obrigações que lhes estão acometidas vigor do Decreto–Lei n.º 26/ 94, de 1
trabalhadores em função dos riscos na promoção e vigilância da saúde dos de Fevereiro.
para a sua Segurança e Saúde no trabalhadores, matéria que se encontra
local de trabalho, de acordo com as plasmada no artigo 76.º da Lei n.º Com efeito, afigura-se
legislações e/ou práticas nacionais; 102/2009, de 10 de Setembro, com imprescindível que esta matéria seja
2. As medidas referidas no as alterações conferidas pela Lei n.º cumprida, já que volvidos tantos anos,
número anterior serão de molde a 3/2014, de 28 de Janeiro, que transpõe continuamos à espera do referido

TRABALHO+SEGURO | Junho 2019 | 5


TEMÁTICAS EM DESTAQUE

Plano de Adaptação do SNS, situação inadequado para garantir a qualidade com a revogação da Portaria n.º
que evidencia o incumprimento dos cuidados de saúde prestados a 112/2014 não foi estabelecido um
da legislação nesta matéria e de estes grupos de trabalhadores, tendo regime substitutivo que garanta a
incumprimento de um dos direitos sido posteriormente revogada pela estes trabalhadores e trabalhadoras
básicos dos trabalhadores – a proteção Portaria n.º 121/2016, de 4 de Maio. condições de vigilância da saúde
e a vigilância da saúde de um vasto equiparadas aos trabalhadores das
conjunto de trabalhadores. Esta Portaria veio indicar como restantes organizações.
justificação para a revogação, o facto
Acrescentamos, porém, que em das consultas de vigilância da saúde Efetivamente, com esta revogação,
2014, pela primeira vez, se registou no trabalho efetuadas no SNS não por mais justificada que ela seja,
uma tentativa de regulamentar a saúde poderem ser asseguradas por persiste o vazio regulamentar do
do trabalho através do SNS, prevista especialistas de medicina geral e artigo 76.º da Lei n.º 102/2009, de 10
na Portaria n.º 112/2014, de 23 de familiar, por se tratarem de funções de Setembro, na redação que lhe foi
Maio, que veio regular a prestação específicas da especialidade de conferida pela Lei n.º 3/2014, de 28 de
de cuidados de saúde primários do medicina do trabalho, para as quais Janeiro •
trabalho através dos agrupamentos aqueles profissionais não se encontram
Maria Vieira
de centros de saúde (ACES) - ensaio devidamente habilitados. Socióloga/ Departamento de SST da UGT
esse, que se mostrou totalmente Gostaríamos de sublinhar que Técnica Superior de SST

FACTOS E NÚMEROS:
ATUALIZAÇÃO DE DADOS ORGANIZAÇÃO DE SERVIÇOS
SOBRE SINISTRALIDADE DE SST E PROGRAMAS DE
LABORAL PRESENÇÃO

P
Segundo os dados publicados no site da ACT, ocorreram em orque se assinalam 30 anos da aprovação da
Portugal, entre Janeiro e Maio de 2019, 31 acidentes de Diretiva-Quadro relembramos que este normativo
trabalho mortais e 72 acidentes de trabalho graves • comunitário veio incluir os princípios gerais
relativos à prevenção dos riscos profissionais e à proteção
da Segurança e da Saúde, à eliminação dos fatores de risco,
à informação, à consulta, à participação, à formação dos
trabalhadores e seus representantes, assim como linhas
gerais para a aplicação dos referidos princípios.

Assim sendo, encontram-se abaixo três gráficos que


demonstraram a evolução da organização de serviços de
SST, bem como os estabelecimentos com programas de
intervenção que concretizam atividades na promoção da
saúde e na prevenção de riscos profissionais.

Fonte: ACT (Informação atualizada a 31 de Maio de 2019)

Aceda a esta
informação:
www.bit.ly/2QKxu5u
Q.R. CODE

Nota: As estatísticas sobre acidentes de trabalho, aqui apresentadas,


referem-se apenas aos acidentes de trabalho que são objeto de ação
inspetiva no âmbito da atuação da ACT. Fonte: GEP ( www.bit.ly/2WiKrEG)

6 | Junho 2019 | TRABALHO+SEGURO


FACTOS E NÚMEROS

No que respeita à Organização dos Serviços de e 2017. A valência da segurança tem mantido uma tendência
Segurança e Saúde no Trabalho verifica-se que, desde 2011, de crescimento constante, registando um crescimento Maior
a valência da saúde tem sido aquela que tem manifestado de 2016 para 2017.
um Maior crescimento, principalmente no ano de 2014, 2015

Fonte: GEP ( www.bit.ly/2WiKrEG)

Relativamente à atividade dos serviços salienta-se o aumento loja, entreposto, etc.) situada num local topograficamente identificado. Nesse
do número de unidades locais que realizaram programas de local ou a partir dele exercem-se atividades económicas para as quais, regra
geral, uma ou várias pessoas trabalham (eventualmente a tempo parcial),
prevenção e de promoção e vigilância da saúde • por conta de uma mesma empresa. O número de estabelecimentos inclui
sempre a sede da empresa.
Nota: Estabelecimento/Unidade local - Entende-se por estabelecimento
(unidade local) a empresa ou parte dela (fábrica, oficina, mina, armazém,

INICIATIVAS A DESENVOLVER:
ESTUDO:
“O BURNOUT NO SETOR FINANCEIRO”

A
s mudanças significativas ao agravamento de riscos de origem com menos qualidade de vida familiar
que têm ocorrido na psicossocial. e de lazer.
cultura organizacional das
empresas portuguesas, Neste sentido, a UGT propõem-se
nas últimas décadas, têm resultado As recentes estatísticas realizar um estudo de caráter científico
na identificação de riscos ocorridos no demonstram que, em Portugal, o setor subordinado ao tema do Burnout no
campo do bem-estar dos trabalhadores financeiro é um dos mais atingidos por setor financeiro, de modo a aferir quais
e trabalhadoras conduzindo, além de problemas do foro psicológico, sendo as causas e consequências deste
riscos físicos, químicos e biológicos, ainda os bancários os trabalhadores flagelo para a vida dos trabalhadores e

TRABALHO+SEGURO | Junho 2019 | 7


INICIATIVAS A DESENVOLVER

trabalhadoras, bem como definir estratégias de combate às com vista proteger a saúde destes trabalhadores, dotando
mesmas. movimento sindical de knowhow para definir estratégias de
defesa de trabalhadores em risco, nomeadamente ao nível
Com este produto, pretende a Central munir-se de da definição de boas práticas negociais •
instrumentos que visem o desenvolvimento de medidas

PARTICIPAÇÕES INSTITUCIONAIS:
CONSUMO NOCIVO DE ÁLCOOL DEBATIDO
NO FÓRUM NACIONAL ÁLCOOL E SAÚDE

D
ecorreu no passado dia 11 de assume-se atualmente como um dos A UGT é membro fundador do FNAS
Abril, em Loures, a reunião instrumentos do Plano Nacional para a e foi nesta qualidade que estivemos
ordinária do Fórum Nacional Redução dos Comportamentos Aditivos presentes nesta reunião anual.
Álcool e Saúde (FNAS). O FNAS é e Dependências. À semelhança do que
uma plataforma em que um conjunto acontece a nível europeu, este Fórum Ao longo do dia, foram debatidos
alargado de entidades aderem a uma apresenta-se, fundamentalmente, temas pertinentes como o “álcool na
carta de compromisso, que concorre como um espaço aberto de discussão estrada”, tendo sido ainda feito um
para conjunto de objetivos com base onde são debatidos, pelos vários ponto da situação relativamente ao
nas metas do Plano Nacional para a interessados, os aspetos relacionados consumo de álcool em Portugal e
Redução dos Comportamentos Aditivos com a abordagem a esta matéria na Europa e realizado um ponto da
e Dependências. constituindo-se, assim, como uma situação do FNAS relativamente aos
plataforma de entendimento alargada seus membros, ações e metodologias •
Sublinhamos que o FNAS foi criado facilitadora de um compromisso
no âmbito das atividades desenvolvidas entre os vários atores empenhados
pelo Plano Nacional para a Redução em reduzir os danos causados pelo
dos Problemas Ligados ao Álcool e consumo nocivo de álcool.

ACONTECEU:

A
UGT Castelo Branco promoveu no dia 24 de Maio
um workshop / seminário sobre Acidentes de
Trabalho e Doenças Profissionais, que decorreu
na Biblioteca Municipal de Castelo Branco.

Nesta iniciativa, a UGT fez-se representar pela Secretária


Executiva, responsável pelo pelouro da Segurança e Saúde
no Trabalho (SST), Vanda Cruz, e na sessão de encerramento
pelo Secretário-geral Adjunto, Sérgio Monte que, na sua
intervenção, destacou a importância da Concertação Social
e o papel da central sindical na implementação das políticas
de SST •

8 | Junho 2019 | TRABALHO+SEGURO


PUBLICAÇÕES:
PUBLICAÇÕES SOBRE PREVENÇÃO DE
RISCOS PROFISSIONAIS EM DESTAQUE...
Já conhece a nossa Newsletter Internacional Importa, igualmente, evidenciar boas práticas
Trabalho + Seguro? apresentadas por outras estruturas sindicais filiadas na CES.

A área da Segurança e Saúde no Trabalho reveste um Esta é, pois, a missão desta mais recente publicação do
caráter internacional extremamente rico, ou seja, é um campo Departamento de Segurança e Saúde da UGT.
em que estão permanentemente a surgir novas orientações,
atualizações técnicas, legislação e recomendações, estudos,
dados estatísticos, bem como instrumentos de informação e
sensibilização provenientes de várias fontes, considerando Newsletter Internacional – 1.º edição
que fazemos parte da Confederação Europeia de Sindicatos www.ugt.bmeurl.co/8BC3102
(CES), do Instituto Sindical Europeu (ETUI), da Agência
Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, do Comité Newsletter Internacional – 2.º edição
do Luxemburgo. www.ugt.bmeurl.co/8BDEC52

CADERNO PRÁTICO:
DIREITOS DOS TRABALHADORES NA
SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

S
ublinhamos que o direito à participação dos • Os riscos para a Segurança e Saúde inerentes à
trabalhadores e trabalhadoras e dos seus atividade desenvolvida;
representantes no domínio da Segurança e Saúde • As medidas de prevenção e proteção existentes, relativas
no Trabalho assenta, num conjunto de direitos específicos, ao posto de trabalho ou função e, em geral, à empresa,
todos interligados à Prevenção de Riscos nos locais estabelecimento ou serviço, e a forma como se aplicam;
de trabalho, tendo sido previstos na Diretiva – Quadro e • As medidas e instruções a adotar em caso de perigo
posteriormente transpostos para a legislação nacional. grave e eminente;
• As medidas de primeiros socorros, de combate a
Podemos referir que a participação dos trabalhadores e incêndios e de evacuação de trabalhadores em caso
trabalhadoras nos domínios da Segurança e da Saúde no de sinistro, bem como a informação sobre quem é
Trabalho é exercida através dos seguintes direitos: encarregado de as colocar em prática.

• Direito à vigilância da saúde;


Artigo 19.º da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro com as alterações
• Direito de representação; conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro.
• Direito à formação;
• Direito à informação;
• Direito à consulta e proposta;
• Direito a solicitar a intervenção das autoridades Direito à Formação
responsáveis pela inspeção e o direito à vigilância da
saúde. O trabalhador deve receber uma formação adequada no
domínio da SST, tendo em atenção o posto de trabalho que
Direito à Informação ocupa e o exercício de atividades de risco elevado, sendo
esta formação assegurada pela entidade patronal.
O trabalhador tem direito a dispor de informação
adequada e atualizada sobre as seguintes matérias: A formação em SST deve ser assegurada aos

TRABALHO+SEGURO | Junho 2019 | 9


trabalhadores, de modo a que não resulte qualquer prejuízo, assiste aos trabalhadores e os seus representantes o direito
material ou outro, para os mesmos. de poderem formular propostas que visem a eliminação ou a
redução dos riscos profissionais.
A entidade empregadora deve, ainda, formar em número
suficiente tendo em conta a dimensão da empresa e os riscos Assim, após o processo de consulta assiste o direito
existentes, os trabalhadores responsáveis pela aplicação aos trabalhadores e seus representantes de emitirem as
das medidas de primeiros socorros, de combate a incêndios propostas que considerarem necessárias tendo em vista a
e de evacuação de trabalhadores. eliminação e minimização dos riscos profissionais.

Os trabalhadores com funções específicas nos domínios


Artigo 18.º, n.º 7, da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro com as
da SST devem ter acesso a formação permanente para o alterações conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro.
exercício das respetivas funções, sendo que o tempo de
formação conta como tempo efetivo de trabalho.
Direito à Interrupção do Trabalho
Artigo 20.º da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro com as alterações
conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro.
Aos trabalhadores é, ainda, conferido o direito de
interromper o trabalho e se afastarem do seu posto de
trabalho ou de uma área perigosa, ou de tomarem outras
Direito à Consulta medidas para a sua segurança e de terceiros no caso de
alguma situação de perigo grave e iminente, que não possa
O empregador deve consultar por escrito, pelo menos uma ser evitada, colocar em risco a sua integridade física.
vez por ano, previamente e em tempo útil, os representantes
dos trabalhadores ou, na sua falta, os próprios trabalhadores. Artigo 17.º, n.º1 e n.º2, da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro com
as alterações conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro.
Esta consulta visa a obtenção de um parecer por parte
dos trabalhadores ou dos representantes dos trabalhadores.
Direito à Representação
Os trabalhadores e seus representantes devem ser
consultados sobre as seguintes matérias: Os trabalhadores têm o direito a eleger Representantes
para a Segurança e Saúde no Trabalho. Os Representantes
• A avaliação dos riscos para a SST, incluindo os para a SST são eleitos pelos trabalhadores por voto direto
respeitantes aos grupos de trabalhadores sujeitos a e secreto. O representante dos trabalhadores é, pois, o
riscos especiais; trabalhador eleito nos termos da Lei para defender os direitos
• As medidas de SST antes de serem adotadas ou, logo dos trabalhadores nos domínios da Segurança e Saúde no
que possível, se forem de aplicação urgente; Trabalho.
• As medidas que, pelo seu impacte nas tecnologias e
funções, tenham efeitos a nível de SST; Não é um técnico, mas um trabalhador devidamente
• O programa e a organização da formação no domínio da legitimado pelo processo eleitoral, mandatado por um
Segurança e Saúde no Trabalho; período de 3 anos para exigir e defender os direitos dos
• A designação do representante do empregador que trabalhadores no que se refere à Segurança e Saúde nos
acompanha a atividade do serviço de SST; locais de trabalho.
• A designação e exoneração dos trabalhadores que
desempenham funções específicas nos domínios as Compete exigir o cumprimento dos direitos dos
atividades de organização da SST; trabalhadores em matéria de Segurança e Saúde no
• A designação dos trabalhadores encarregados de Trabalho.
colocar em prática as medidas de primeiros socorros, de
combate a incêndios e da evacuação dos trabalhadores,
a respetiva formação e material disponível. Artigo 21.º da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro com as alterações
conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro.

Artigo 18.º da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro com as alterações


conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro.

Direito a solicitar a intervenção das autoridades


responsáveis pela inspeção
Direito de Proposta
Os Representantes dos Trabalhadores para a SST ou
Sem prejuízo do direito à consulta e decorrendo deste, na sua falta os trabalhadores têm o direito de solicitar a

10 | Junho 2019 | TRABALHO+SEGURO


intervenção da ACT ou de outra autoridade competente se de saúde adequados a comprovar e avaliar a aptidão física
as medidas adotadas e os meios fornecidos pela entidade e psíquica dos trabalhadores para o exercício da atividade,
patronal forem insuficientes para assegurar as adequadas bem como a repercussão desta e das condições em que é
condições de Segurança e Saúde no Trabalho. prestada na sua saúde.

Artigo 14.º, n.º4 e n.º5, da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro com


Em contrapartida, é dever do trabalhador, comparecer
as alterações conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro. às consultas e exames médicos solicitados pelo médico do
trabalho.

Direito à Vigilância da Saúde


Artigo 44.º e Artigo n.º 108.º, da Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro
com as alterações conferidas pela Lei n.º 3/2014, de 28 de Janeiro.
O trabalhador tem o direito à vigilância da saúde,
devendo o empregador promover a realização de exames

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO:

UM DIREITO FUNDAMENTAL...

PREVENIR HOJE É

INVESTIR NO FUTURO!
Para mais informações, consulta de guias,
campanhas e dados estatísticos sobre
Segurança e Saúde no Trabalho pode
consultar:

website. www.ugt.pt
website HIV-SIDA. www.ugt.pt/hiv-sida
blog. www.sst-ugt.blogspot.com

UMA PUBLICAÇÃO DO
DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA
E SAÚDE NO TRABALHO DA UGT

TRABALHO+SEGURO | Junho 2019 | 12


2019© UGT - UNIÃO GERAL DE TRABALHADORES
TRABALHO+SEGURO - Publicação do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho da UGT-Portugal
Coordenação: Vanda Cruz | email. geral@ugt.pt | tel. 213 931 200 | fax. 213 974 612