Você está na página 1de 1

O LETRAMENTO

Maria Bianca Sousa Costa¹


Regina Célia Melo²

RESUMO: O presente trabalho tem por finalidade apresentar um estudo sobre o


letramento como requisito da disciplina Fundamentos da Linguagem ministrada pela
Professora Mestra Regina Célia Melo. Realizado por meio da metodologia bibliográfica.
Na década de 1980, iniciou-se pesquisas investigativas nos campos da educação e
linguística aplicada, visando analisar os aspectos sociais que interferem no processo de
desenvolvimento da linguagem, desta forma surgiu o conceito de letramento que se
tornou o termo que define a aprendizagem e utilização da leitura e escrita no meio social,
assim discutindo a indissociabilidade entre linguagem e sociedade. Segundo
Bakhtin(1992), “letramento envolve também as apropriações de leitura e da escrita
realizadas à margem da escola”. Soares (2004) considera letramento como assimilação
sócio-histórica das habilidades de leitura e escrita em contextos informais, para fins de
interação social. Para Bagno (2002) letramento não é condição apenas de quem sabe ler
e escrever, mas de quem interage socialmente. Ou seja, Letramento é a ação de
interação com o meio social por meio de ferramentas de linguagem, fazendo com que o
indivíduo se adapte ao meio, mesmo não tendo o domínio total da língua. O referencial
teórico foi elencado com os seguintes autores: BAKHTIN (1992), BAGNO (2002),
SOARES (2004,2006) MARCUSCHI(2001). A percepção de analfabetos letrados do e no
mundo letrado inclui práticas sociais que vão além da decodificação do signo verbal
escrito. Para isso, indivíduos, analfabetos ou não, desenvolvem variadas estratégias para
interagirem socialmente em espaços fortemente marcados pela escrita ortográfica. Para
Marcuschi (2001) a alfabetização diz respeito à apropriação da escrita, em contextos
informais. Portanto as noções de práticas sociais de letramento ultrapassa o modelo de
ensino-aprendizagem da língua em contextos escolares e questiona a categoria de
sujeitos iletrados, pois todo ser humano que convive em sociedades grafocêntricas,
mesmo que não seja alfabetizado, possui um grau de letramento, visto que identificam
valores, fazem cálculos e argumentam a favor de ideias, porém não escrevem e não
lêem. Segundo Marcuschi(2001) “letrado é o indivíduo que participa de forma significativa
de eventos de letramento e não apenas o que faz uso formal da escrita.” São as práticas
de letramento, que revelam os modos de interação verbal, realizados através da língua
oral e/ou escrita, efetuados por sujeitos sócio-histórico e culturalmente situados”.

PALAVRAS-CHAVE: Analfabetos letrados. Escrita. Letramento. Práticas Sociais.

1- Aluna do curso de Licenciatura em Pedagogia pelo IVA;

2- Professora Mestra em Gestão Educacional.