Você está na página 1de 3

Apelação Digital n. 0016371-30.2012.8.22.

0002
Apelante: Município de Ariquemes
Apelado: José Laurindo Kochen
Relator: Des. Roosevelt Queiroz Costa

Vistos.

Trata-se de recurso de apelação interposto pelo Município de Ariquemes


contra decisão proferida pelo Juízo da 2 ª Vara Cível da Comarca de Ariquemes -RO, que
deu por quitada a dívida e julgou extinta a execução, nos termos do art.794, I, do CPC.

Insurge-se o agravante contra a decisão, afirmando que não houve o


pagamento integral do débito, havendo ainda um débito no valor de R$608,02 (seiscentos
e oito reais e dois centavos). Pugna pelo provimento do recurso para que seja reformada
a decisão do juízo a quo, tendo em vista que o executado ainda não quitou totalmente o
débito.
A apelada não apresentou contrarrazões.

É o breve relatório. DECIDO.

Analisando os autos, verifico que a execução tem valor inferior a 50 ORTN.

O art. 34 da Lei de Execuções Fiscais dispõe a respeito da matéria:

Art. 34 - Das sentenças de primeira instância proferidas em execuções de


valor igual ou inferior a 50 (cinqüenta) Obrigações Reajustáveis do Tesouro
Nacional - ORTN, só se admitirão embargos infringentes e de declaração.
Nota-se que o dispositivo legal é bem claro ao permitir somente os recursos
de embargos infringentes e de declaração das sentenças proferidas em execuções de
valor igual a 50 (cinquenta) ORTN's.
A título de ilustração, para admissão de recursos de apelação contra
sentenças proferidas em sede de Execuções Fiscais propostas em Novembro de 2015, o
valor mínimo de execução seria de R$863,33 (oitocentos e sessenta e três reais e trinta e
três centavos), sendo que as execuções fiscais de valor igual ou inferior a este, somente
se admitiria a oposição de Embargos Infringentes ou de declaração.
Na hipótese em análise, o valor do crédito tributário informado na CDA é de
R$675,29 (seiscentos e setenta e cinco reais e vinte e nove centavos), inferior ao valor de
alçada elencado no art. 34 da LEF.
Desse modo, incabível a interposição do recurso de apelação, sendo
possível tão-somente a interposição de embargos de divergência ou embargos de
declaração contra a sentença extintiva do feito, por expressa previsão legal.

Nesse sentido, vejamos o entendimento do eg. STJ, que pacificou a matéria


em sede de recurso repetitivo, nos termos do art. 543-C, do CPC:

PROCESSUAL CIVIL. RECURSO ESPECIAL REPRESENTATIVO DA


CONTROVÉRSIA. ART. 543-C, DO CPC. TRIBUTÁRIO. EXECUÇAO
FISCAL. VALOR DE ALÇADA. CABIMENTO DE APELAÇAO NOS CASOS
EM QUE O VALOR DA CAUSA EXCEDE 50 ORTN"S. ART. 34 DA LEI N.º
6.830/80 (LEF). 50 ORTN = 50 OTN = 308,50 BTN = 308,50 UFIR = R$
328,27, EM DEZ/2000. PRECEDENTES. CORREÇAO PELO IPCA-E A
PARTIR DE JAN/2001.
1. O recurso de apelação é cabível nas execuções fiscais nas hipóteses em
que o seu valor excede, na data da propositura da ação, 50 (cinqüenta)
Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional - ORTN, à luz do disposto no
artigo 34, da Lei n.º 6.830, de 22 de setembro de 1980.
2. A ratio essendi da norma é promover uma tramitação mais célere nas
ações de execução fiscal com valores menos expressivos, admitindo-se
apenas embargos infringentes e de declaração a serem conhecidos e
julgados pelo juízo prolator da sentença, e vedando-se a interposição de
recurso ordinário.
3. Essa Corte consolidou o sentido de que" com a extinção da ORTN, o
valor de alçada deve ser encontrado a partir da interpretação da norma que
extinguiu um índice e o substituiu por outro, mantendo-se a paridade das
unidades de referência, sem efetuar a conversão para moeda corrente, para
evitar a perda do valor aquisitivo ", de sorte que" 50 ORTN = 50 OTN =
308,50 BTN = 308,50 UFIR = R$ 328,27 (trezentos e vinte e oito reais e vinte
e sete centavos) a partir de janeiro/2001 , quando foi extinta a UFIR e
desindexada a economia ". (REsp 607.930/DF, Rel. Ministra Eliana Calmon,
Segunda Turma, julgado em 06/04/2004, DJ 17/05/2004 p. 206)

No mesmo sentido esta Corte também já se manifestou, in verbis:

PROCESSO CIVIL E TRIBUTÁRIO. EXECUÇÃO FISCAL. PRESCRIÇÃO.


DECRETAÇÃO LIMINAR. EXTINÇÃO DO FEITO SEM OITIVA DA FAZENDA
PÚBLICA. POSSIBILIDADE. INTERESSE DE AGIR. ALÇADA. ART. 34 DA
LEF. 50 ORTN (R$328,27). APELAÇÃO INCABÍVEL.

É possível a decretação liminar da prescrição em executivo fiscal, com


conseqüente extinção do feito, sem que haja necessidade de oitiva da
Fazenda Pública, salvo em se tratando de reconhecimento da prescrição
intercorrente, caso em que se aplica o procedimento previsto no art. 40, § 4º,
da Lei 6.830/80. O recurso cabível contra sentença extintiva de executivo
fiscal com valor inferior ao da alçada estabelecida no art. 34 da Lei de
Execuções Fiscais é o de embargos infringentes, a ser apreciado no juízo de
1º grau. (Apelação n. 100.101.2007.004077-6, Rel. Des. Renato Mimessi, j.
em 02.06.2008)

EXECUTIVO FISCAL. VALOR DE ALÇADA.


Em virtude do valor de alçada fixado pela Lei de Execução Fiscal, não se
conhece de apelação tirada de sentença que extingue execução de valor
inferior a 50 ORTN, da qual cabe somente embargos de declaração e
embargos infringentes para o próprio juiz da causa. (Apelação n. 2000674-
87.2002.822.0000, Rel. Des. Roosevelt Queiroz Costa, j. em 28.08.2002)

Em face do exposto, em razão do valor do crédito ser inferior a 50 ORTN's,


não conheço do recurso de apelação, o que faço monocraticamente nos termos do art.
932, III, do NCPC, devendo ser mantida a decisão de 1º grau que extinguiu a execução
fiscal.

Intimem-se, publicando.

Arquive-se após o trânsito em julgado.

Porto Velho, 02 de dezembro de 2016.

Desembargador Roosevelt Queiroz Costa


Relator