Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE

MINAS GERAIS

PARECER CONSUBSTANCIADO DO CEP

DADOS DO PROJETO DE PESQUISA

Título da Pesquisa: O sensível e o insensível na sala de parto: a construção das relações entre o
profissional de saúde e a mulher
Pesquisador: Claudia Maria de Mattos Penna
Área Temática:
Versão: 2
CAAE: 32524714.2.0000.5149
Instituição Proponente: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
Patrocinador Principal: Financiamento Próprio

DADOS DO PARECER

Número do Parecer: 791.265


Data da Relatoria: 16/09/2014

Apresentação do Projeto:
Segundo as pesquisadoras, a institucionalização do parto associada ao avanço da antibioticoterapia e a
disponibilidade da tecnologia, contribuiram para a organização da assistência ao parto como uma linha de
produção, transformando um evento da vida privada em um evento médico e hospitalar, estabelecendo uma
relação de hierarquia e poder entre o médico e a usuária. O Brasil convive hoje com dois cenários absoletos
e perigosos de assistência ao parto: a cesárea de rotina no setor privado e o parto normal com intervenções
rotineiras no setor público. O país tem a mais alta taxa de cesarianas do mundo 56,7% e, pode-se constatar
que 78,6% das mortes durante o parto têm como causa direta a qualidade da assistência. Neste sentido nas
últimas décadas emerge todo um movimento contrário à medicalização do parto, liderado por mulheres e
ativistas do parto, cresce o número de Blogs e ONG’s em defesa do parto normal e das casas de parto e o
Ministério da Saúde intensifica as ações na tentativa de rediscutir este modelo de assistência e garantir o
acesso às práticas de saúde baseadas em evidências científicas e o reconhecimento da autonomia das
gestantes. Entretanto, apesar de toda esta movimentação, observa-se que muitos obstáculos têm dificultado
os avanços na assistência ao parto. O trabalho analisará os discursos sobre a assistência ao parto, na
perspectiva de gestantes e profissionais de saúde de uma rede pública de saúde da macrorregião oeste de
Minas Gerais, destacando situações

Endereço: Av. Presidente Antônio Carlos,6627 2º Ad Sl 2005


Bairro: Unidade Administrativa II CEP: 31.270-901
UF: MG Município: BELO HORIZONTE
Telefone: (31)3409-4592 E-mail: coep@prpq.ufmg.br

Página 01 de 05
UNIVERSIDADE FEDERAL DE
MINAS GERAIS

Continuação do Parecer: 791.265

positivas e negativas vivenciadas na interação construída durante o trabalho de parto e parto.


Trata-se de pesquisa qualitativa para elaboração de Dissertação de Doutorado. A abordagem metodológica
utilizada será a Análise Critica do Discurso- ACD. O cenário da pesquisa serão as maternidades públicas(7),
das cidades da macrorregião Oeste de Minas Gerais. Participarão da pesquisa puérperas entre 15 e 45
anos, admitidas em trabalho de parto nas maternidades selecionadas e profissionais de saúde (médicos e
enfermeiros) que prestaram assistência direta á mulher durante o trabalho de parto e parto. As
investigadoras acreditam que a realização deste trabalho contribuirá para dar visibilidade ao problema da
violência institucional presente na assistência ao parto, discussão da política pública de atenção à mulher,
reflexão do profissional de saúde envolvido no cuidado ao parto e melhoria da qualidade da assistência
materno-infantil. O número total de participantes é de 80 mulheres ( 15 a 45 anos), sendo 10 por
maternidade e 20 na Maternidade São João de Deus.
Critério de Inclusão: - Parturientes: admitidas no serviço selecionado com diagnóstico de trabalho de parto,
ter tido parto normal ou cesárea, ter recebido assistência por um período de no mínimo 06 horas e idade
entre 15 e 45 anos.
- Profissionais de saúde: ser enfermeiro obstetra ou médico obstetra; pertencer ao quadro de funcionários
da maternidade pública e prestar assistência direta à mulher em trabalho de parto, parto e ao nascimento.
Todos os participantes deverão aceitar participar da pesquisa e assinar TCLE; para as participantes com
menos de 18 anos, o TCLE será assinado pelo seu representante legal conforme Resolução 466/2012 (
CNS/MS)
Critério de Exclusão: Serão excluídas as Puérperas que tiverem qualquer tipo de impedimento de ordem
física ou psicológica e os Profissionais que no momento da coleta de dados estiverem afastados das suas
atividades profissionais, por motivo de férias ou licença médica para tratamento de saúde, licença
maternidade, afastamento para capacitação profissional, ou outras afins.
O cenário da pesquisa será sete maternidades públicas de cidades da macroregião Oeste de Minas Gerais
(Divinópolis, Itaúna, Bom Despacho, Formiga , Pará de Minas, Nova Serrana e Santo Antônio do Monte).
Participarão da pesquisa puérperas e profissionais de saúde (médicos e enfermeiros) que prestaram
assistência direta á mulher durante o trabalho de parto e parto.
Para coleta de dados serão utilizados os seguintes instrumentos:
- Entrevistas ( puérperas e profissionais da saúde) com roteiro norteador/questionário.
- Diário de Campo com registro da observação participante, durante o trabalho de parto e durante

Endereço: Av. Presidente Antônio Carlos,6627 2º Ad Sl 2005


Bairro: Unidade Administrativa II CEP: 31.270-901
UF: MG Município: BELO HORIZONTE
Telefone: (31)3409-4592 E-mail: coep@prpq.ufmg.br

Página 02 de 05
UNIVERSIDADE FEDERAL DE
MINAS GERAIS

Continuação do Parecer: 791.265

o parto. A entrevista é considerada o procedimento mais usual em trabalho de campo, quando o


pesquisador deseja obter informações contidas nos discursos dos atores sociais. No momento da coleta de
dados todas as observações e impressões realizadas pela pesquisadoraConsidera-se uma amostra
representativa aquela que permite uma análise lógica de uma parte da população, sem perder informações
que traduzam a sua totalidade, sendo considerada ideal a amostra que evidencia múltiplas facetas do
fenômeno. As entrevistas serão gravadas ( se permitido pelo participante) e transcritas na íntegra, para
análise e interpretação dos discursos, a partir das falas dos autores, de forma a garantir a integridade e
fidedignidade das informações. O material gravado será armazenado sob a responsabilidade das
pesquisadoras e destruído em 5 anos.
Objetivo da Pesquisa:
Objetivo Primário: Analisar os discursos sobre a assistência ao parto na perspectiva de gestantes e
profissionais de saúde de uma rede pública de saúde da macrorregião oeste de Minas Gerais, destacando
situações positivas e negativas vivenciadas na interação construída durante o trabalho de parto e parto.
Objetivos Secundários: - Identificar o discurso dos atores sociais na relação construída entre o profissional
de saúde e a mulher na assistência ao parto; - Compreender se a relação hierárquica de poder entre o
profissional de saúde e a mulher pode ser geradora de violência.

Avaliação dos Riscos e Benefícios:


Riscos: A pesquisa apresenta riscos mínimos aos participantes, como a lembrança de situações dolorosas
vividas, o que pode causar algum desconforto ou constrangimento durante a entrevista. E caso ocorra este
incomodo ou constrangimento, o mesmo será informado á pesquisadora, podendo o sujeito deixar de
participar da pesquisa em qualquer momento que desejar.É importante enfatizar que os benefícios justificam
estes riscos mínimos e que os riscos poderão ser amenizados com a escuta atentiva a orientação individual
e os encaminhamentos necessários. É importante também salientar que como a população de mulheres a
ser estudada é considerada vulnerável, as puérperas serão adequadamente informadas dos riscos e
benefícios a elas mesmas, às futuras gestações, à sua prole subsequente e à sua fertilidade por meio da
leitura do TCLE, como determina a diretriz 17 das Diretrizes Éticas Internacionais para a Pesquisa
Biomédica em Seres Humanos de 2002, do Conselho de Organizações Internacionais de Ciências Médicas
(CIOMS). Tais diretrizes também recomendam que a pesquisa deva ser restrita às questões relacionadas à
saúde feminina, materna e fetal.
Benefícios: possibilidade de contribuir para compreender o tipo de assistência recebida pela mulher e seu
recémnascido, durante o trabalho de parto, o parto e nascimento, na perspectiva de

Endereço: Av. Presidente Antônio Carlos,6627 2º Ad Sl 2005


Bairro: Unidade Administrativa II CEP: 31.270-901
UF: MG Município: BELO HORIZONTE
Telefone: (31)3409-4592 E-mail: coep@prpq.ufmg.br

Página 03 de 05
UNIVERSIDADE FEDERAL DE
MINAS GERAIS

Continuação do Parecer: 791.265

mulheres e profissionais de saúde. Dando visibilidade ao problema da violência institucional/ obstétrica


presente na assistência ao parto e discussão da política pública deatenção à mulher, possibilitando a
reflexão dos profissionais de saúde envolvidos no cuidado ao parto e a melhoria da qualidade da assistência
materno-infantil. Podendo contribuir para a formação profissional de acordo com os princípios da
integralidade e da humanização da assistência preconizados pelo Sistema Único de Saúde. É importante
enfatizar que as pesquisadoras se comprometem a dar uma devolução dos resultados do trabalho ás
instituições que participarem do estudo.
Comentários e Considerações sobre a Pesquisa:
Projeto relevante para as áreas de Enfermagem e Ginecologia e Obstetrícia. Metodologia adequada aos
objetivos. Garantido sigilo e confidencialidade. As pesquisadoras encaminharam em anexo as cartas de
anuência das maternidades que farão parte desta pesquisa e notificaram que a maternidade São Vicente de
Paulo de Campo Belo/MG não deseja participar do projeto sendo sua recusa respeitada. Justificaram que já
haviam sido inseridas cartas de anuência das maternidades. O COEP esclarece que está havendo
instabilidade na Plataforma Brasil, tendo ocorrido o mesmo fato com o projeto de outros pesquisadores e
que a mesma Plataforma nos informou que o DATASUS está tentando resolver o problema.
Foram feitas alterações na data do período de coleta de dados conforme solicitação do CEP.

Considerações sobre os Termos de apresentação obrigatória:


Presentes: Projeto de Pesquisa Plataforma Brasil, projeto de pesquisa detalhado, folha de rosto
(devidamente preenchida e assinada pela coordenadora da pesquisa e pela Vice- Diretora da Escola de
Enfermagem da UFMG), TCLE: em forma de convite, linguagem clara, em 3 versões: Voluntárias,
Profissionais da Saúde, Representante Legal, parecer consubstanciado com aprovação da Câmara do
Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública da UFMG, cartas de anuência das
maternidades de Divinópolis, Itaúna, Bom Despacho, Formiga , Pará de Minas, Nova Serrana e Santo
Antônio do Monte, roteiro de entrevista.
Recomendações:
Recomenda-se a aprovação do projeto de pesquisa.

Conclusões ou Pendências e Lista de Inadequações:


Somos favoráveis à aprovação do projeto "O sensível e o insensível na sala de parto: a construção das
relações entre o profissional de saúde e a mulher" da Pesquisadora Profa. Dra. Claudia Maria de Mattos
Penna.

Endereço: Av. Presidente Antônio Carlos,6627 2º Ad Sl 2005


Bairro: Unidade Administrativa II CEP: 31.270-901
UF: MG Município: BELO HORIZONTE
Telefone: (31)3409-4592 E-mail: coep@prpq.ufmg.br

Página 04 de 05
UNIVERSIDADE FEDERAL DE
MINAS GERAIS

Continuação do Parecer: 791.265

Situação do Parecer:
Aprovado
Necessita Apreciação da CONEP:
Não
Considerações Finais a critério do CEP:
Aprovado conforme parecer.

BELO HORIZONTE, 15 de Setembro de 2014

Assinado por:
Telma Campos Medeiros Lorentz
(Coordenador)

Endereço: Av. Presidente Antônio Carlos,6627 2º Ad Sl 2005


Bairro: Unidade Administrativa II CEP: 31.270-901
UF: MG Município: BELO HORIZONTE
Telefone: (31)3409-4592 E-mail: coep@prpq.ufmg.br

Página 05 de 05