Você está na página 1de 5

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA CIDADELA

Português – 11.º ano outubro de 2020

1.ª Ficha de Gramática

Nome _____________________________________ N.º ____ Turma ______ Data _______________

Avaliação _______________________ Professora ________________________________________

Processos fonológicos
1. Associa as evoluções de palavras da coluna A aos processos fonológicos de supressão
da coluna B.1

A B
a. asinum > asno
b. magis > mais 1. aférese
c. vinrá > virá 2. síncope
d. nudam > nua 3. apócope
e. inamorare > namorar

2. Seleciona, na caixa à direita, a alínea correspondente ao fenómeno fonológico destacado


em cada uma das palavras seguintes e preenche a coluna em branco.

Fenómenos Fonológicos
a. aférese
supressão

1. LUNA > LUA b. síncope


2. SCUTU > ESCUDO c. apócope
3. TARDE > ENTARDECER d. prótese
adição

4. IPSO > ISSO e. epêntese


5. SEMPER > SEMPRE f. paragoge
6. LEGALE > LEGAL g. assimilação
h. dissimilação
alteração

i. redução vocálica
j. metátese

Funções Sintáticas
3. Lê as frases seguintes e transcreve as funções sintáticas internas ao grupo nominal
verificáveis em cada uma delas2. Segue o exemplo.

O pai da Inês ofereceu-lhe um livro fantástico.

Complemento do nome Modificador restritivo Modificador apositivo


“da Inês” “fantástico” --------------

1 Uma palavra pode ter mais do que uma evolução.


2 Pode haver mais do que uma expressão para determinada função sintática.

1
a. As tuas amáveis palavras, doces como sempre, deram-me vontade de rir!

Complemento do nome Modificador restritivo Modificador apositivo

b. A obra poética de Almeida Garrett, escritor romântico, retrata o sentimento íntimo de


um eu lírico atribulado e desconcertante.

Complemento do nome Modificador restritivo Modificador apositivo

c. A sinceridade da noite, que é trémula como as folhas, traz-me a calma que procuro.

Complemento do nome Modificador restritivo Modificador apositivo

d. Ninguém de bom senso entra na inútil discussão sobre essa matéria!

Complemento do nome Modificador restritivo Modificador apositivo

4. Assinala as alíneas que apresentam frases com complemento do adjetivo.

a. As tuas palavras são difíceis de compreender.


b. A encenação foi verdadeiramente formidável naquela noite.
c. Ninguém fica feliz com a desgraça dos outros.
d. Os efusivos aplausos do público deixaram o elenco petrificado.
e. Estou muito preocupado com o que pode suceder!
f. Espero que a nossa maravilhosa conversa tenha sido conclusiva.
4.1. Transcreve os constituintes que desempenham a função sintática de
complemento do adjetivo.
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

2
5. Procede à leitura do excerto seguinte.

Afonso era um pouco baixo, maciço, de ombros quadrados e fortes: e


com a sua face larga de nariz aquilino, a pele corada, quase vermelha, o cabelo
branco todo cortado à escovinha, e a barba de neve aguda e longa — lembrava,
como dizia Carlos, um varão esforçado das idades heroicas, um D. Duarte de
Meneses ou um Afonso de Albuquerque. E isto fazia sorrir o velho, recordar ao
neto, gracejando, quanto as aparências iludem!
Não, não era Meneses, nem Albuquerque, apenas um antepassado
bonacheirão que amava os seus livros, o conchego da sua poltrona, o seu whist
ao canto do fogão. Ele mesmo costumava dizer que era simplesmente um
egoísta: — mas nunca, como agora na velhice, as generosidades do seu coração
tinham sido tão profundas e largas. Parte do seu rendimento ia-se-lhe por entre
os dedos, esparsamente, numa caridade enternecida.

Queirós, Eça de, 2016. Os Maias. Porto: Porto Editora (p.14) (1.ªed.:1888)

5.1. Para responderes a cada um dos itens de 5.1.1. a 5.1.5., seleciona a única opção que
permite obter uma afirmação correta.

5.1.1. O segmento “um pouco baixo, maciço, de ombros quadrados e fortes”


(l.1) desempenha a função sintática de

(A) predicativo do complemento direto.


(B) predicativo do sujeito.
(C) complemento direto.
(D) complemento oblíquo.
5.1.2. Relativamente ao nome “varão” (l.4), os constituintes “esforçado das idades
heroicas” desempenham a função sintática de

(A) complemento do nome.


(B) modificador apositivo.
(C) complemento oblíquo.
(D) modificador restritivo.

5.1.3. Em “recordar ao neto” (ll.5-6), o grupo preposicional desempenha a função


sintática de
(A) complemento oblíquo.
(B) complemento direto.
(C) complemento indireto.
(D) modificador.

3
5.1.4. A oração subordinada adjetiva relativa “que amava os seus livros, o
conchego da sua poltrona, o seu whist ao canto do fogão.” (ll.8-9)
desempenha a função sintática de

(A) complemento direto.


(B) modificador restritivo.
(C) modificador apositivo.
(D) complemento indireto.

5.1.5. A constituição sintática da oração “mas nunca, como agora na velhice, as


generosidades do seu coração tinham sido tão profundas e largas.”
(ll.10-11) é
(A) modificador + sujeito (nome + complemento do nome) + predicado
(núcleo verbal + predicativo do sujeito).
(B) sujeito (nome + complemento do nome) + predicado (núcleo verbal
+ predicativo do sujeito).
(C) modificador + sujeito (nome + modificador restritivo) + predicado
(núcleo verbal + predicativo do sujeito).
(D) modificador + sujeito (nome + complemento do nome) + predicado
(núcleo verbal + complemento direto).
Frase complexa: coordenação e subordinação
6. Procede à leitura das frases seguintes.
a. Hoje, pela manhã, choveu, pois a Maria traz um guarda-chuva na mochila.
b. Esperas por mim ou vais andando?
c. O mar mostra-se imenso e apazigua a minha alma.
d. O silêncio da noite embalava-me, logo adormeci com facilidade.
e. Estava muito cansada, mas ainda consegui ler o último capítulo do livro.
6.1. Classifica como verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmações que se apresentam
abaixo.
a. A frase da alínea a. apresenta uma oração coordenada explicativa.
b. A oração “ou vais andando”, na frase da alínea b., é coordenada
adversativa.
c. Na frase da alínea c., apresentam-se duas orações coordenadas, sendo
a segunda uma oração coordenada copulativa assindética.
d. A conjunção “logo”, presente na frase da alínea d., introduz uma oração
coordenada conclusiva.

4
e. A conjunção “mas”, na frase da alínea e., é um conector com valor de
oposição que inicia uma oração coordenada disjuntiva.

6.1.1. Corrige as afirmações falsas.


__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
__________________________________________________________________
7. Tendo em conta a presença de orações subordinadas em cada uma das frases seguintes,
associa as frases da coluna A à classificação correspondente das orações subordinadas,
apresentadas na coluna B.

A B
a. O livro que li no fim de semana é uma verdadeira
obra-prima. 1. Oração subordinada substantiva
completiva
b. Todas as respostas se encontram no Homem, 2. Oração subordinada substantiva
que está ao leme de si mesmo. relativa
c. Quem encontrar a serenidade terna das tardes de 3. Oração subordinada adjetiva
relativa restritiva
verão deixe-se levar por ela. 4. Oração subordinada adjetiva
d. A maioria das pessoas pensa que as coisas relativa explicativa
acontecem por acaso.
e. O silêncio, que envolve a noite, nasce da minha
mão aberta sobre a mesa.
f. Nada mais foi dito sobre o quadro que
desapareceu no mês passado.
g. Ainda não percebi onde queres chegar!
h. Não sei bem porquê, mas todos me perguntam se
estou bem.

Bom trabalho!!!!

A professora
Margarida Diniz

COTAÇÕES

1 2 3 4 4.1. 5 6.1 6.1.1. 7


10 12 20 3 3 25 5 6 16