Você está na página 1de 12

APOSTILA

PSICOLOGIA
ORGANIZACIONAL

- REPRODUÇÃO PROIBIDA –
ÍNDICE

1. Unidade I: Introdução à Psicologia Organizacional: Aspectos teóricos


sobre a teoria sistêmica e gestão de pessoas------------------------------- Página 05
1.1 Primeiras palavras----------------------------------------------------------------------------05
1.2 Texto Base--------------------------------------------------------------------------------------05
1.2.1 O que é psicologia organizacional?----------------------------------------------------05
1.2.2 Taylorismo e Fordismo – Início do século XX---------------------------------------07
1.2.3 Cibernética e Teoria Geral dos Sistemas--------------------------------------------09
1.2.4 Gestão de Pessoas------------------------------------------------------------------------12
1.3 Atividades--------------------------------------------------------------------------------------13

2. Unidade II: Os cinco subsistemas da Administração de Recursos


Humanos-----------------------------------------------------------------------------------Página 14
2.1 Primeiras palavras----------------------------------------------------------------------------14
2.2 Texto Base-------------------------------------------------------------------------------------14
2.3 Os cinco subsistemas da Administração de Recursos Humanos (RH) ---------14
2.3.1 Subsistema de Suprimento--------------------------------------------------------------14
2.3.1.1 Recrutamento----------------------------------------------------------------------------16
2.3.1.2 Seleção de Pessoas -------------------------------------------------------------------17
2.3.1.3 Seleção por competências------------------------------------------------------------18
2.3.2 Subsistema de Aplicação ---------------------------------------------------------------19
2.3.2.1 Descrição e análise de cargos ------------------------------------------------------19
2.3.2.2 Avaliação de desempenho -----------------------------------------------------------20
2.3.3 Subsistema de manutenção ------------------------------------------------------------23
2.3.4 Subsistema de Desenvolvimento-------------------------------------------------------25
2.3.4.1 Treinamento e desenvolvimento de pessoal -------------------------------------25
2.3.4.2 Desenvolvimento organizacional ----------------------------------------------------28
2.3.5 Subsistema de Controle de Recursos Humanos -----------------------------------28
2.3.5.1 Auditoria de Recursos Humanos-----------------------------------------------------29
2.4 Atividades---------------------------------------------------------------------------------------30

3. Unidade III: Conceitos importantes em Psicologia Organizacional--------------


-------------------------------------------------------------------------------------------------Página 30
3.1 Primeiras palavras-----------------------------------------------------------------------------30
3.2 Cultura organizacional------------------------------------------------------------------------30
3.3. Clima organizacional-------------------------------------------------------------------------32
3.4 Liderança nas organizações ---------------------------------------------------------------33
3.5 Poder nas organizações --------------------------------------------------------------------36
3.5.1 Empowerment ------------------------------------------------------------------------------37
3.6 Motivação -------------------------------------------------------------------------------------39
3.6.1 Teoria da Hierarquia das Necessidades ---------------------------------------------39
3.6.2 Teoria do Dois Fatores de Herzberg --------------------------------------------------40
3.6.3 Teoria X e Y --------------------------------------------------------------------------------41
3.6.4 Modelo contingencial de motivação --------------------------------------------------41
3.6.5 Teoria de campo --------------------------------------------------------------------------42
3.6.6 A abordagem fenomenológica da Logoterapia -----------------------------------42
3.6.7 Técnicas Motivacionais -----------------------------------------------------------------43
3.7 Coaching ---------------------------------------------------------------------------------------44
3.8 Comunicação nas organizações ---------------------------------------------------------46
3.9 Grupos ------------------------------------------------------------------------------------------46
3.9.1 Formação de grupos ----------------------------------------------------------------------46
3.9.2 Dinâmicas de grupo -----------------------------------------------------------------------48
3.10 Mediação de conflitos ----------------------------------------------------------------------51
3.11 Orientação, acompanhamento e readaptação de profissionais -----------------55

4. Unidade IV: Tipos de gestão----------------------------------------------------Página 58


4.1 Primeiras palavras ----------------------------------------------------------------------------58
4.2 Planejamento e gestão estratégica -------------------------------------------------------58
4.2.1 Balanced Scorecard (BSC) ---------------------------------------------------------------59
4.2.2 Definindo o negócio a partir do planejamento estratégico ------------------------62
4.3 Gestão de desempenho ---------------------------------------------------------------------63
4.4 Gestão do conhecimento --------------------------------------------------------------------65
4.5 Gestão por competências -------------------------------------------------------------------67
4.5.1 Definir e desenvolver competência ----------------------------------------------------70
4.5.2 Indicadores de competência--------------------------------------------------------------71
4.5.3 Remuneração por competência ---------------------------------------------------------72
4.5.4 Modelo de competência -------------------------------------------------------------------72
4.5.5 Aprendizagem contínua -------------------------------------------------------------------74
4.5.6 Avaliação por competência ---------------------------------------------------------------77
4.6 Gestão participativa ---------------------------------------------------------------------------78
4.6.1 Categorias ------------------------------------------------------------------------------------78
4.6.2 Vantagens -------------------------------------------------------------------------------------81
4.6.3 Como implantar ------------------------------------------------------------------------------82

5. Unidade V: Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho--------------------Página 84


5.1 Primeiras palavras ----------------------------------------------------------------------------84
5.2 Ergonomia --------------------------------------------------------------------------------------84
5.3 Doenças ocupacionais ----------------------------------------------------------------------85
5.3.1 Karoshi ----------------------------------------------------------------------------------------86
5.3.2 LER/DORT -----------------------------------------------------------------------------------86
5.3.3 Burnout ----------------------------------------------------------------------------------------87
5.4 Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) --------------------------------------------------88

6. Unidade VI: Ética e Psicologia -------------------------------------------------Página 89


6.1 Primeiras palavras ----------------------------------------------------------------------------89
6.2 Aspectos éticos do trabalho do psicólogo organizacional --------------------------89
6.2.1 Código de Ética Profissional do Psicólogo -------------------------------------------90

7. Unidade VII: Exercícios e gabaritos -----------------------------------------Página 100


7.1 Testes retirados de provas de concursos ----------------------------------------------100
7.2 Gabarito dos testes --------------------------------------------------------------------------105
7.3 Gabarito das questões dissertativas ----------------------------------------------------105

8. Referências Bibliográficas------------------------------------------------------Página 111

PSICOLOG IA ORG AN IZAC IONAL


Autor: Rafael Santos Vaz de Lima 1

1. UNIDADE I – INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL: ASPECTOS


TEÓRICOS SOBRE A TEORIA SISTÊMICA E GESTÃO DE PESSOAS

1.1 Primeiras palavras: Nesta Unidade estudaremos definições diversas da


psicologia organizacional. Os momentos históricos e a interface com a função do
psicólogo nas empresas, pontos teóricos que permeiam o pensamento sistêmico e
aspectos sobre gestão de pessoas.

1
Psicólogo formado pela UNESP e Pós-graduado em Gestão Empresarial pela FGV.
1.2 Texto Base

1.2.1 O Que é Psicologia Organizacional?

A psicologia organizacional é um campo de atuação do psicólogo no qual os


fenômenos, processos e as relações advindas do mundo do trabalho, e das
organizações, são estudadas e trabalhadas.
Neste campo o psicólogo pode atuar a fim de minimizar os conflitos
organizacionais, potencializar as relações humanas, aumentar a qualidade das
produções e contribuir para diminuir o esvaziamento dos trabalhos, aumentando a
satisfação e realização do ser humano.
Temos na citação abaixo uma definição concisa e objetiva sobre a psicologia
organizacional, através dela podemos ter um panorama deste campo de atuação do
psicólogo que cada vez ocupa mais espaço e importância estratégica e tática dentro
das organizações.
Segundo ROBBINS, 2005:
“Psicologia é a ciência que busca medir, explicar e
algumas vezes, modificar o comportamento dos seres
humanos e animais. Os psicólogos dedicam-se ao estudo e ao
esforço de compreender o comportamento individual. Os
cientistas que contribuem nesta área do conhecimento são os
que estudam as teorias relativas ao processo de aprendizagem
e à personalidade, os psicólogos e, principalmente, os
psicólogos organizacionais e industriais.
Inicialmente, os psicólogos organizacionais e industriais
estudavam os problemas da fadiga, falta de entusiasmo e
outros fatores relevantes para as condições de trabalho que
poderiam impedir o desempenho eficiente. Mais recentemente,
sua contribuição se expandiu para incluir estudos sobre
aprendizagem, percepção, personalidade, emoções,
treinamento, eficácia de liderança, necessidades e forças
motivacionais, satisfação com o trabalho, processos de tomada
de decisões, avaliação de desempenho, mensuração de
atitudes, técnicas de seleção de pessoal, planejamento do
trabalho e estresse profissional.” (ROBBINS, 2005 p.08)
Os fundamentos, técnicas e procedimentos usuais da psicologia, como por
exemplo: percepção, auto-desenvolvimento, consciência e visão holística da empresa
e do mercado, integração, mudanças, liderança, grupo e conflitos, inteligência
emocional, qualidade de vida, testes seletivos, dinâmicas de grupos, entrevistas e
observação técnica, podem contribuir no contexto organizacional à medida que
viabiliza a compreensão das variadas funções que acontecem dentro da organização
(SIQUEIRA NETO, S/D).
Assim, os conhecimentos do psicólogo permitem que ele, na organização,
lance um olhar sobre as relações humanas, os comportamentos dos indivíduos e a
partir de então realize ou possibilite realizar ações de capacitação, desenvolvimento e
retenção dentro do seu trabalho na organização.
No cenário social atual, o conhecimento é algo imprescindível e por isso essa
sociedade ficou conhecida como “sociedade do conhecimento”. Neste cenário a
produção e o desenvolvimento de conhecimento e de tecnologia estão cada vez mais
acelerados e há, cada vez mais, a exigência de que as pessoas absorvam estes
conhecimentos para utilizá-los em suas vidas e no trabalho, necessitando para isso de
uma maior e melhor qualificação e capacitação (GOULART JR; CANÊO e
LUNARDELLI, 2006).
Neste contexto o psicólogo organizacional surge sendo o profissional com
conhecimento em comportamento humano que pode assim contribuir dentro das
organizações com a capacitação, treinamento e educação das pessoas no ambiente
organizacional. Além disso, também há o trabalho de saúde que deve ser realizado, na
prevenção de doenças de ordem ocupacional que serão trabalhadas nas próximas
unidades.

1.2.2 TAYLORISMO E FORDISMO – Início do século XX

O sistema econômico e de produção de bens ao qual estamos inseridos desde


a revolução industrial é o capitalismo, é neste contexto histórico que a psicologia inicia
seu desenvolvimento, nas instituições produtivas, inicialmente em um contexto
industrial atrelada ao pensamento da época. Para o entendimento do início desta
atuação do psicólogo se faz necessário o entendimento das teorias da Administração
Científica criada por Frederick Winslow Taylor (1856-1915) e a linha de montagem de
Henry Ford (1863-1947).
Frederick W. Taylor, engenheiro norte-americano foi criador da chamada
Administração Científica. Em seus estudos Taylor parte do princípio de que a
administração deve ser tratada como uma ciência. No período de seus estudos os
operários eram pouco instruídos e o tratamento para com eles era negligente. Isto
ocorria devido ao contingente de pessoas que supostamente poderiam tomar os
postos de trabalho. Assim Taylor inicia suas pesquisas da camada operária até atingir
os níveis mais altos da hierarquia, ou seja, ele realiza as pesquisas do chão de fábrica
até a diretoria das fábricas.
Através de seus estudos, Taylor percebeu que instruindo de forma sistemática
os trabalhadores eles poderiam produzir cada vez mais e melhor, isto refletiria em uma
redução de custos e através de um controle de procedimentos e a construção de
normas específicas para as atividades os trabalhos pré-programados diminuiriam os
erros operacionais. No taylorismo o trabalhador passa a ser monitorado e tornar-se
uma extensão da máquina que está operando. Individualmente suas tarefas são
monitoradas, cronometradas. Assim o bom operário neste modelo é aquele que
Continua...
8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
UNIDADE I:
BEZERRA, Ana Lúcia Queiroz. Os desafios em gestão de pessoas. Revista
Eletrônica de Enfermagem. Goiânia, Vol.06, No 02, 2006. Disponível em:
<http://www.fen.ufg.br/Revista/revista6_2/editorial.html>. Acesso em 05 agosto de
2008.

CALIL, Vera Lúcia Lamanno. Terapia Familiar e de Casal. São Paulo: Summus,1987.

CAPRA, Fritjof. O Ponto de Mutação: A Ciência, a Sociedade e a Cultura emergente.


São Paulo: Editora Cultrix, 2005. Vigésima Oitava Edição.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: Edição Compacta. São Paulo: Editora


Atlas, 1988. Primeira Edição, Oitava Tiragem.

FILOMENO, Karina. Da Cibernética à Teoria Familiar Sistêmica: Um Resgate dos


Pressupostos. <http://www.sistemica.com.br/docs/Karina%20Filomeno.doc>.
Acessado em 30 de julho de 2008.

GALERA, S. A. F.; LUIS, M. A. V. Principais conceitos da abordagem sistêmica em


cuidados de enfermagem ao Indivíduo e sua família. Revista da Escola de
Enfermagem da USP, São Paulo, v. 36, n. 2, p.141-147, 2002.
GOULART JR., Edward; CANÊO, Luiz Carlos; LUNARDELLI, Maria Cristina F. (orgs.).
Aproximação à prática: Construindo a Identidade Profissional do Psicólogo.
Bauru: Joarte, 2006. Primeira Edição.

MION, Cíntia Renata (S/D). O papel do psicólogo na área de RH. Disponível em


http://www.redepsi.com.br/portal/modules/smartsection/item.php?itemid=413 acessado
em Agosto de 2010.

NETO, M.S., TRUZZI, O.M.S. Perspectivas contemporâneas em análise


organizacional.In. Gestão e Produção. V.9, n.1, p. 32-44, abr. 2002.

RABAGLIO, Maria Odete. Seleção por Competências. São Paulo: Educator, 2001.
Segunda Edição.

RAPIZO, Rosana. Terapia Sistêmica da Família: da instrução à construção. Rio de


Janeiro: Instituto NOOS, 2002. Segunda Edição.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2005. Décima Primeira Edição.

ROCHA-PINTO, Sandra Regina da; PEREIRA, Cláudio de Souza; COUTINHO, Maria


Teresa Correia; JOHANN, Sílvio Luiz. Dimensões Funcionais da Gestão de
Pessoas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. Reimpressão.

SIQUEIRA NETO, Armando Correa de. A abrangência do psicólogo em Recursos


Humanos. Disponível em: < http://www.via6.com/topico.php?tid=2389>. Acesso em 15
de agosto de 2008.

UNIDADE II:
CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: Edição Compacta. São Paulo: Editora
Atlas, 1988. Primeira Edição, Oitava Tiragem.

RABAGLIO, Maria Odete. Seleção por Competências. São Paulo: Educator, 2001.
Segunda Edição.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2005. Décima Primeira Edição.
UNIDADE III:
AGUIAR, Maria Aparecida Ferreira de Aguiar. Psicologia Aplicada à Administração:
Uma Introdução à Psicologia Organizacional. São Paulo: Editora Atlas, 1986.
Primeira Edição, Quinta Tiragem.

BUENO, Marcos. As teorias de Motivação Humana e sua contribuição para a


empresa humanizada. Revista do Centro de Ensino Superior de Catalão - CESUC -
Ano IV - nº 06 - 1º Semestre de 2002. Disponível <http://www.cesuc.br/revista/ed-
1/ASTEORIASDEMOTIVACAOHUMANA.pdf >. Acessado em: 25 de novembro de
2008.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: Edição Compacta. São Paulo: Editora


Atlas, 1988. Primeira Edição, Oitava Tiragem.

FERREIRA, J.C. B, Vilamaior, A.G., Gomes, B.M.A. O poder nas organizações –


Conceitos, Características e resultados.
http://www.iptan.edu.br/revista/artigos/texto6.pdf. Acessado em 27/01/2009.

GROHMANN, Márcia Zampieri. Novas Abordagens de Motivação no Trabalho:


Identificação do Nível de Conhecimento e Utilização. Disponível em:
<http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1999_A0182.pdf>. Acesso em: 30 de
julho de 2008.

KAPLAN, R. NORTON, D. - A estratégia em ação – Balanced ScoreCard. 6 ed. Rio


de Janeiro. Campus. 1997.

MACÊDO, Ivanildo Izaias de; RODRIGUES, Denize Ferreira; JOHANN, Maria


Elizabeth Pupe; Cunha, Neisa Maria Martins da. Aspectos Comportamentais da
Gestão de Pessoas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005. Sexta Edição.

MEDEIROS, V. (S/D) A entrevista. Disponível em


http://www.valdirmedeiros.com.br/medeiros/content/narti/07.php acessado em Abril de
2010.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento Organizacional. São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2005. Décima Primeira Edição.
ROCHA-PINTO, Sandra Regina da; PEREIRA, Cláudio de Souza; COUTINHO, Maria
Teresa Correia; JOHANN, Sílvio Luiz. Dimensões Funcionais da Gestão de
Pessoas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. Reimpressão.

SILVA, R.C.A., DORNELAS, M.A., SANTOS, W.S. Fatores que definem o clima
organizacional entre os servidores técnico-administrativo do CEFET Bambuí. In.
I Jornada Científica e VI FIPA do CEFET Bambuí. Bambuí/ M.G. 2008.

STELNMANN, G., CALDEIRA, A. Tipos de liderança na relação dos gestores com


seus acessores. In.Cadernos de Pós Graduação em Administração de Empresas.
São Paulo. V. 3, n 1, p. 59-72, 2003.

WAAL, Paula de; TELLES, Marcos. A Teoria da Expectativa (Vroom) - Junho, 2004
Disponível em: <http://www.dynamiclab.com/moodle/mod/forum/discuss.php?d=432>.
Acessado em 30 de julho de 2008.

UNIDADE IV:
BALCEIRO, Raquel, FIGUEIREDO, Pedro. A Gestão de Competências nas
Organizações Virtuais. Disponível: www. www.crie.coppe.ufrj.br/ home/artigos/artigo ,
acessado em 27/06/05.

BRANDÃO, Hugo Pena. GUIMARÃES, Tomás de Aquino. Gestão de Competências


e Gestão de Desempenho. Revista RAE, FGV,v.41, n.1, jan./mar. 2001.

CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: Edição Compacta. São Paulo: Editora


Atlas, 1988. Primeira Edição, Oitava Tiragem.

FLEURY, AFONSO; FLEURY, MARIA TEREZA. Estratégias Empresariais e


Formação de Competências. Editora Atlas.2001.

KAPLAN, R. NORTON, D. - A estratégia em ação – Balanced ScoreCard. 6 ed. Rio


de Janeiro. Campus. 1997.

MOREIRA F.F., SEDRANI L.G.M., LIMA R.C. O que é o Balanced Scorecard. São
Paulo, 2005.
PRAHALAD, C. K., HANEL, G. A Competência Essencial das Organizações.
Harvad Business Review, 1990.

UNIDADE V:
BAPTISTA, Makilim Nunes; MORAIS, Paulo Rogério; INOCENTE, Nancy Julieta.
Depressão e Burnout: Principais relações, similaridades e diferenças. In: M. Zilah
da S. Brandão; Fátima C. de Souza Conte; Fernanda Silva Brandão; Yara Kuperstein
Ingeberman; Vera Lúcia Menezes da Silva; Simone Martin Oliani. (Org.). Sobre
Comportamento e Cognição. 1ª ed. Santo André SP: ESETec editores Associados,
2004, v. 14, p. 77-82.

FRANÇA, LIMONGI A. C. Qualidade de vida no trabalho: conceitos e práticas nas


empresas da sociedade pósindustrial. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

INOCENTE, Nancy Julieta; BAPTISTA, Makilim Nunes; MORAIS, Paulo Rogério .


Burnout: Conceito e prevenção. In: M. Zilah da Silva Brandão; Fátima C. de Souza
Conte; Fernanda Silva Brandão; Yara Kuperstein Ingberman; Vera Lúcia menezes da
Silva; Simone Martin Oliani. (Org.). Sobre Comportamento e Cognição. 1ª ed. Santo
André SP: ESETec Editores Associados, 2004, v. 14, p. 87-90.

KANIKADAN, Andréa Yumi Sugishita. Ergonomia em Serviços. Disponível em:


<http://www.ead.fea.usp.br/wpapers/2004/04-005.pdf>. Acessado em 25 de novembro
de 2008.

MERLO, Álvaro Roberto Crespo; JACQUES, Maria da Graça Corrêa; HOEFEL, Maria
da Graça Luderitz. Trabalho de Grupo com Portadores de Ler/Dort: Relato de
Experiência. Psicologia: Reflexão e Crítica. Psicologia: Reflexão e Crítica. Vol.14 No.1
Porto Alegre 2001. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?lng=en>.
Acessado em 18 de agosto de 2008.

SITES CONSULTADOS
Site do Conselho Federal de Psicologia www.pol.org.br

<http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/ergo7.htm>. Acessado em 30 de julho de


2008.

www.wikipedia.com.br
<http://www.geocities.com/Athens/Troy/8084/idx_psic.html>. Acessado em 18 de
agosto de 2008.

<http://www.mte.gov.br/legislacao/normas_regulamentadoras/nr_17.asp>. Acessado
em 25 de novembro de 2008.

www.vidadura.org/elciolaiter/tga2/gestao_participativa.doc

www.vidasimplesabril.com.br

<http://www.sobresites.com/psicologia/areas.htm >