Você está na página 1de 39

HIDRÁULICA URBANA I

Adução

1º Semestre 2014-2015

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Transporte ou Adução de Água

Condutas adutoras – NP 837 (1971)

Por gravidade
Em pressão
Com bombagem

Adução

Com superfície livre

1
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Transporte ou Adução de Água / Escoamentos com Superfície Livre

canais aquedutos

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Aquedutos

2
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Transporte ou Adução de Água / Escoamentos com Superfície Livre

A adução através de canais e aquedutos requer a adaptação do traçado à


topografia do terreno. São problemas topográficos típicos:
Travessias de vales pronunciados sifões invertidos

Travessias de serras ou montanhas Túneis ou galerias

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Transporte ou Adução de Água / Escoamentos em pressão

adução gravítica ou por bombagem através de condutas em geral “enterradas”

3
Um rio construído artificialmente durante 11 anos na China. Transporta
água do sul para o norte ao longo de 1400 quilómetros

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Transporte ou Adução de Água / Escoamentos em pressão


Adução por bombagem

Aduções mistas:
gravidade e bombagem

4
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Condutas adutoras (em pressão) - traçado

deve ser criteriosamente analisado, sendo o mesmo condicionado pelas características


topográficas locais (obstáculos a transpor: linhas de água, vales e linhas de cumeada),
sendo também determinantes os aspectos relacionados com a facilidade de
construção, de reparação e de vigilância;

em planta
extensão o mais curta possível
grandes raios de curvatura, muito em particular nos grandes diâmetros
sempre que possível implantada ao longo de estradas e arruamentos

em perfil

deve ser regular, evitando-se sempre que possível os pontos altos


nunca devem ser executados troços de tubagem horizontais
Inclinações mínimas: troços ascendentes imin= 3 ‰ (3m/km)
troços descendentes imin= 5 ‰ (5m/km)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Condutas adutoras (em pressão) - traçado

v v

d d

v
Ventosas

funções expulsão do ar acumulado no interior de condutas


admissão de ar para permitir a descarga de um ou mais troços de conduta
orgão de funcionamento automático
localizam-se nos pontos altos
Artº 46 Dmin=20mm
Dv≥ Dc/8

5
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Condutas adutoras (em pressão) - traçado

v v

d d

Descargas d

função: esvaziamento parcial ou total da conduta (operações de limpeza,


reparações, etc)
orgão de funcionamento não automático
localizam-se nos pontos baixos da adutora ou em pontos intermédios no
Artº 47 a 49

caso de traçados muito longos


Dmin=50mm
Dd ≥ Dc/6
Lançamento das águas descarregadas: devem ser sempre
salvaguardados os riscos de contaminação

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Perfil longitudinal de conduta adutora gravítica (Water Supply and Waste-Water Disposal – Fair et al.)

ventosas
descargas

OBS: linha cargas estática determina as classes de resistência das tubagens em condutas
gravíticas e a linha de cargas dinâmica em condutas elevatórias

6
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras

Duração diária do transporte ou adução:

bombagem:
NP 837: período máximo diário de adução 16 h
(exceptuando-se casos especiais;
Adução por bombagem
A fiabilidade dos sistemas mecânicos permite,
hoje em dia e com razoável segurança, períodos
diários de adução 20 h ou até 24 h (no caso de
sistemas servidos por instalações de bombagem
com grupos elevatórios de reserva suficientes
para permitir uma ajustada rotatividade de
funcionamento dos grupos).

Adução gravítica
gravítico:

período máximo diário de adução de 24 h.

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras

o volume diário de água a transportar deve ser tal que, conjuntamente com os volumes
armazenados, permita fazer face aos consumos críticos no fim do período de utilização
da conduta (horizonte de projecto)

a capacidade de transporte ou adução determina a capacidade de armazenamento


requerida no sistema de abastecimento e, vice-versa.

baixas capacidades de transporte exigem grandes capacidades de armazenamento

“curva dos caudais diários requeridos ao sistema”


capacidade de reserva
requerida para regularização
inter-diária nula Qpd
Qpm

minímo teórico da Qm
capacidade diária de
transporte (exige grande
capacidade de reserva para
regularização inter-diária

Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

7
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Reserva
Reserva necessária para regularização anual (ou inter-diária)
VR1 / Cm
Fonte: Manual de Saneamento Básico - DGRN

Q aduzido / Qm

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras


Dimensionamento para o dia de maior consumo:
Qpd

Qdim = Qpd x ft + Qfa= [(Pop x Cap x fd + ΣCpdloc) + Qfd] x ft + Qfa

Cpd

Dimensionamento para o mês de maior consumo:

Qpm

Qdim = Qpm x ft +Qfa= [(Pop x Cap x fm + ΣCpmloc) + Qfd] x ft + Qfa

Cpm

em que:
ft – factor de duração de transporte = 24 h/nº de horas de transporte;
Qfd – caudal de fugas na distribuição (Qfd ≥ 0,10Qmou Qfd ≥ 0,11Cm )
Qfa – caudal de fugas na adução

NP837 indica Qfa ≥ 0,2 l/s (17 m3/dia)

8
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras – Perdas adução

…. uma vez que o índice de perdas traduz sempre uma relação percentual entre o volume
perdido e o volume produzido, faz todo o sentido avaliar as perdas na adução em termos do
caudal médio bombado (QmB)
OBS: QmB ≠ QB
QmB ≠ Qdim

Qfa = y QmB

E.E RES
QmB Qm Qm=Cm+Pd
Qfa

QmB = Qm + Qfa

Qfa = y QmB
Qfa = y/(1- y) Qm
Qm = (1- y) QmB

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras

Limitações à velocidade do escoamento :

Conduta elevatória: 0,6 m/s ≤ V ≤ 1,5 m/s

Conduta gravítica: 0,3 m/s ≤ V ≤ 1,5 m/s

alguns autores fixam, também para as condutas gravíticas, o


limite inferior da velocidade em 0,6 m/s.

Razões para a limitação da velocidade máxima:

i. Sobrepressões provocadas pelo regime variável;


ii. Perdas de carga excessivas e anti-económicas.

Razões para a limitação da velocidade mínima:

i. Qualidade da água nas condutas;


ii. Auto-limpeza e deposição de sólidos.

9
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras

Intervalo dos diâmetros tecnicamente viáveis:

Qdim
Vmin Vmax

DminT D1 D2 D3
DmaxT
DmaxT DminT

D1 ; D2; D3 = diâmetros comerciais no


4 Qdim 4 Qdim
Dmax T = Dmin T = intervalo [DminT; DmaxT]
π Vmin π Vmax

Diâmetro a selecionar ↔ o D económico

condutas gravíticas: menor diâmetro face à energia disponível


condutas elevatórias: estudo económico

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras gravíticas

Análise efectuada para o Qdim 40


Diâmetro económico é o menor dos diâmetros comerciais dentro do intervalo DminT e
DmaxT que permite transportar o Qdim 40 para a cota desejada, ou seja, que verifica ainda
a condição J ≤ ∆HD/L

D>DminT* DminT → diâmetro mínimo teórico que


verifica o critério da Vmax
Jmax ∆HD
DminT* DminT* → diâmetro minimo teórico
corrigido pelo critério do Jmax

D<DminT*

D económico = menor diâmetro comercial face à energia disponível

10
Problema (Adução gravítica)

Problema (Adução gravítica - continuação)

11
Problema (Adução gravítica - continuação)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Dimensionamento hidráulico de adutoras com bombagem

Análise efectuada para o Qdim 20 e Qdim 40

Diâmetro económico : menor custo total (custos de instalação da tubagem +


respectivos encargos energéticos)
Qdim 40
Qdim 20

D1 D2

12
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Estudo económico de condutas elevatórias

aquisição e montagem
tubagem imposto de transacções
movimento de terras

construção civil quadro eléctrico


estações
posto de transformação
elevatórias equipamento electromecânico
bombas
motores eléctricos
Custos de instalação
ventosas
orgãos câmaras de perda de carga
acessórios válvulas de purga
válvulas redutoras de pressão
válvulas de seccionamento

reservatórios

energia
Custos de exploração encargos com pessoal
e manutenção manutenção

Custos 2011 (A. Borga)

Custos de Adutoras

PEAD C = 33 (PN + 4,5) DN^2 + 10 DN + 30

FFD C = K1 PN + K 2 K 1 = 5,6 DN^2 + 1,2 DN + 0,25 K2 = 430 DN^2 + 27 DN + 50

C - Custo por metro (€)


DN - Diâmetro nominal (m)
PN - Pressão de serviço (bar)

Custo de reservatórios

Construção civil: 85%


Equipamento: 15%

Apoiados: Elevados (20 m altura):


0,72
C = 18000 + 2400 V C = 98800 + 250 V + 0,443 V2

C - Custo (€)
V - Volume (m3)

13
Custos 2011 (A. Borga)

Custo de estações elevatórias

Construção civil Equipamento elecromecânico

Q <= 20 l/s C = 30495 + 265 Q + 0,14 Q H C = 20188 + 1567,5 Q0,769 H0,184 + 142,5 (Q H)0,305

Q > 20 l/s C = 37909 + 355 Q + 0,14 Q H C = 1251 Q0,769 H0,184 + 1987 (Q H)0,466
C - Custo (€)
Q - Caudal bombado (l/s)
H - Altura de elevação (m)

Custos de energia
Taxa de potência: CP = 1,8 P P - Potência instalada (kW)

Custo de energia: CE = 0,115 C P - Custo mensal fixo (€/mês)

C E - Custo da energia consumida (€/kWh)

Custos de manutenção

Construção civil: Ca = 0,0025 Co Ca - Custo anual da manutenção (€/ano)

Equipamento electromecânico: Ca = 0,005 Co Co - Custo de construção (€)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Estudo económico de condutas elevatórias: metodologia geral

- Construção civil da conduta (ano 0)


- Construção civil da estação elevatória (ano 0)
- Equipamento electromecânico (ano 0)
- Equipamento electromecânico (ano 20)
- Energia e manutenção (anos 1 a 40)
custos

… …
0 1 2 3 4 20 36 37 38 39 40

Como comparar soluções técnicas de abastecimento com diferentes valores de


investimento no tempo ( ) e, também, diferentes encargos de exploração ( )
associados?
comparam-se os custos totais actualizados
de cada solução

14
Taxa de actualização

parâmetro da análise económica de soluções técnicas de projecto


traduz uma valorização, pelo menos potencial

1 unidade monetária no momento presente permite criar riqueza e portanto,


• daqui a 1 ano valerá (1+ta).
• daqui a 2 anos valerá (1+ta)2
•…
• daqui a n anos valerá (1+ta)n
C0 - Custo actualizado
Cn
Cn = C0 (1 + t a )n C0 =
(1 + t a )
n n - ano do investimento
Cn - Custo no ano n
traduz o valor que se atribui num dado instante a um fluxo ta - taxa de actualização
monetário que se prevê vir a ocorrer no futuro

considerando ta=10%,
1000 €, dentro de 10 anos, valerão 1000 (1,1)10=2593 €

A fixação da taxa de actualização, ta, tem em conta, entre outros factores, a taxa de juro do
mercado, a disponibilidade de capitais, o risco associado ao projecto, a inflação esperada, etc.

1
(1 + t a ) n

Actualização / Capitalização

Num sistema de preços de mercado constantes, uma unidade monetária de hoje será
1
trocada por unidades monetárias daqui a n anos, da mesma maneira que uma
(1 + ta )n
unidade monetária daqui a n anos equivale a (1 + t a ) unidades monetárias de hoje,
n

sendo ta a taxa de actualização

15
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Estudo económico de condutas elevatórias : Custos de energia

em cada ano do período do projecto elevam-se diferentes volumes;


não é necessário conhecer o tempo de bombagem.

3 perdas diárias no ano i


m / dia
64 74 8
∀i = (Cm i + Pi ) × 365
Volume elevado no ano i C m i = Popi × Capi + ∑ Cm loc (m 3 / dia)

Pi = Pdist + Paduc (m 3 / dia )

γ ∀i H elev
Energia consumida no ano i Ei =
η

preço unitário da energia

Custos de energia no ano i C E i = Ei p = K ∀i


γ H elev p
com K =
η
9,8 H elev p
expressando-se p [ € / kWh] e Helev [m] K=
3600 η

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Estudo económico de condutas elevatórias : Custos de energia

escala do tempo
0 1 2 n

Volumes bombados seguem uma lei geométrica

∀0
∀1 = ∀0 (1 + t g )
∀2 = ∀2 (1 + t g ) = ∀0 (1 + t g ) 2

∀3 = ∀ 2 (1 + t g ) = ∀0 (1 + t g ) 3
1

∀ n = ∀0 (1 + t g ) n  ∀ n
t g =  n  − 1
 ∀0 

(20 anos) (20 anos)


avaliados: ∀0 ∀ 20 ∀ 40

1 1
 ∀  20−0  ∀  40 −20
t g 0−20 =  20  −1 t g 20−40 =  40  −1
 ∀0   ∀ 20 

16
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Estudo económico de condutas elevatórias : Custs de energia actualizado

 γ H elev p 
Valores real e actualizado dos custos da energia anuais  K = η

 

valor real valor actualizado


ano 0 K ∀0 K ∀0 (1 + t a )

K ∀1 K ∀1 (1 + ta )
2
ano 1

K ∀2 (1 + ta )
3
ano 2 K ∀2

K ∀3 (1 + t a )
4
ano 3 K ∀3

K ∀n (1 + ta )
n +1
ano n K ∀n

∑ [K ∀ (1 + t ) ]
n
n +1
Custo energia actualizado n a
i =0

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Estudo económico de condutas elevatórias (slide de apoio aos trabalhos práticos)


Para cada solução caracterizam-se:

- Perdas de carga com o caudal bombado 0-20 e 20-40

- Altura de elevação e potência dos grupos 0-20 e 20-40

- Volumes anuais bombados em cada ano de exploração (1,...,40)


γ ∀ anual H elev
- Energia consumida em cada ano de exploração (1,...,40) Eanual =
η
Custo total actualizado da solução = somatório das seguintes parcelas
- Custo da construção civil da conduta (ano 0)
- Custo da construção civil da estação elevatória (ano 0), calculado com o caudal
bombado e a altura de elevação do ano 40
- Custo do equipamento electromecânico da estação elevatória (ano 0), calculado
com o caudal bombado e a altura de elevação do ano 20

- Valor actualizado do custo do equipamento electromecânico da estação


elevatória (ano 20), calculado com o caudal bombado e a altura de elevação do
ano 40
- Valor total actualizado dos custos da energia e da manutenção em cada ano de
exploração (1,2,...40)

17
Problema (Adução com bombagem)

Curva característica da bomba instalada (φ 309 mm)

Desprezando as perdas de carga localizadas, avalie a


capacidade máxima diária de adução (m3/dia) e discuta
a consideração desse valor para fazer face a uma situação
excepcional ou para situação corrente de exploração do
sistema. Considere perdas na conduta ~200 m3/dia

Problema (Adução com bombagem)

18
Problema (Adução com bombagem)

Problema (Adução com bombagem)

121m3/h entrados em R2

19
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Tubos e juntas

Betão armado (*) caíram em desuso: tubos de betão têm um elevado peso e portanto baixo
rendimento de montagem e reparações: tubos de fibrocimento são muito
Fibrocimento frageis ao choque e a fibra de amianto integra a sua constituição
(problemática de saúde pública)
Aço

Ferro fundido

PVC

PEAD

Poliéster reforçado

Juntas: boca e anel de borracha


tubos em betão
Acessórios: em betão (curvas), outros em ferro fundido ou em aço.

OBS: muitas das grandes condutas existentes são em betão armado e, pese
embora tenha caído em desuso a sua aplicação em novos sistemas, estas
grandes condutas são alvo de :
intervenções de manutenção e reparação
Intervenções de desvios de traçado
Intervenções para constituição de nós de derivação

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Tubos e juntas
resistências à pressão interior, à
compressão e à flexão

resistência à corrosão
às propriedades mecânicas, hidráulicas, físicas e químicas
escolha à disponibilidade de mercado e de pessoal especializado
ao custo

PVC PRFV Aço

FFD

PEAD

20
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Tubos de aço

Fabricado por laminagem a quente, sem costura ou com soldadura longitudinal


Podem ser dimensionadas com várias espessuras, sendo possível a sua
utilização em trechos com elevadas pressões e em trechos não enterrados.

Europipe (por exemplo)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Tubos de aço

Muito boa resistência mecânica (pressão interna, compressão e flexão)


Leve e apresenta facilidade de montagem
As ligações por soldadura asseguram a fácil resolução de múltiplas situações em obra,
com vantagem importante deste tipo de material
Facilmente atacado pela corrosão química e electroquímica, pelo que requer conveniente
revestimento interior e exterior (produtos de natureza betuminosa, resinas, ….)

juntas: soldadura, flanges, juntas flexíveis tipo “Dresser “ ou “Gibault” (uniões roscadas
em pequenos diâmetros)
classes de pressão de 3,2 MPa a 4,0 Mpa
DN (Dint): 150; 200; 250; 300; 350; 400; 450; 500; 600; 700; 800; 900; 1000; …

21
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Tubos em ferro fundido dúctil
Fabrico: grafite na forma esferoidal oferece grande ductibilidade (resistência mecânica)

Saint -Gobain (por exemplo)

grande durabilidade (longevidade)


grande resistência a pressões (internas e externas)
grande resistência aos imactos

Antigamente o ferro fundido era obtido com a grafite na forma lamelar,


sendo este vulgarmente designado de “ferro fundido cinzento”, muito
frágil ou muito fraca resistência aos impactos

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Tubos em ferro fundido
Fabrico: grafite na forma esferoidal oferece grande ductibilidade (resistência mecânica)

A deflexão das juntas flexíveis permite estabelecer –


exclusivamente com a montagem dos tubos (sem
acessórios) - curvas longas com um raio mínimo de
curvatura, Rmin ,
comprimento
L do tubo
Rmin =
∆θ
2 sin
2
revestimentos internos: argamassa de cimento, produtos betuminosos e resinas sintéticas
revestimentos externos: betuminosos, mantas de polietileno para envolvimento da tubagem
classes de pressão de 3,2 MPa a 4,0 Mpa
DN (Dint): 150; 200; 250; 300; 350; 400; 450; 500; 600; 700; 800; 900; 1000; … (mm)

22
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Tubos em ferro fundido: juntas tipo (…. entre outras)
Junta automática flexível (mais comum) compressão radial do
anel de vedação

Junta travada (assegura a transmissão longitudinal de esforços )

Junta flangeada (rígida) (*)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Tubos em PVC

Fabrico: policloreto de vinilo rígido

classes de pressão

PN6 (kgf/cm2) (0,6 MPa);


PN10 (kgf/cm2) (1,0 MPa);
PN16 (kgf/cm2) (1,6 MPa).

DN (ou Dext)

63; 75; 90;110; 125; 140; 160; 200; 250; 315; 400; 500; 630 (mm)
(espessura da parede do tubo é função da classe de pressão)

Juntas: boca e anel de borracha


flange

Politejo (por exemplo)

23
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
PEAD (polietileno de alta densidade)
Fabrico: polimerização do gás etileno

Juntas: soldadura topo a topo (por termofusão)


electrofusão
flanges na extremidade do tubo é soldade um terminal em
colarinho (em PEAD), no qual se aplica uma flange
louca em aço.
Classes de pressão
PN4 kgf/cm2 (0,4 MPa) a PN16 kgf/cm2 (1,6 MPa)

DN (ou Dext):

63; 75; 90;110; 125; 140; 160; 200; 250; 315; 400; 500; 630 (mm)

Politejo (por exemplo)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Tubos PEAD

soldadura topo a topo (por termofusão)

24
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Tubo PEAD

União por electrofusão


união em polietileno que tem
incorporada uma resistência eléctrica

… as paredes do tubo, em contacto com a


união, fundem, assegurando uma completa
estanquidade à junta de ligação.

terminais aplicam uma


tensão eléctrica (39,5 v)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Tubos em PRFV
(poliéster reforçado com fibra de vidro)

Fios contínuos
Fios descontínuos

Fabrico: Resina de poliester + filler (cabornato de sódio) + Areia de sílica + Fibra de vidro.
(Processo de centrifugação. Camadas diferenciadas)

Juntas: soldaduras, uniões de PRFV com anéis plurilabiais de borracha

Classes de pressão : 0,2 MPa a 2,5 MPa

DN (ou Dint): 150; 200; 250; 300; 350; 400; 450; 500; 600; 700; 800; 900; 1000;
1100;…; 2400 (mm)
Flowtite (por exemplo)

25
Sistemas de abastecimento e distribuição de água
Peças acessórias
(compatíveis com o material do tubo e respectivas juntas) Por exemplo:

Tês de derivação
Cruzetas
Cones de redução
Juntas cegas
Curvas (normalizadas: 11.25º ; 22.5º; 45º; 90º)

Raios mínimos em curvas longas:

Tubos flexíveis (p.ex. PEAD):


valor indicado pelo fabricante, em
função do material e diâmetro
∆θ
Tubos rígidos:
L 2
(deflexão nas juntas) Rmin =
∆θ
2 sin
2

∆θ

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Classes de resistência da tubagem

Conduta gravítica: altura piezométrica estática

R1

PN 6

PN 10

PN 16

R2
PN 20

26
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Dimensionamento hidráulico de adutoras: classes de resistência da tubagem

Conduta elevatória: altura piezométrica dinâmica

R2

PN 6

PN 10

PN 16

R1
PN 20

Sistemas de abastecimento e distribuição de água


Vala para assentamento da tubagem
≥ 0,20

27
Sistemas de abastecimento e distribuição de água
Assentamento da tubagem
Maciços de amarração Maciços de amarração
(curvas, cones, tês, etc … em planta) (curvas em perfil)

Maciços de ancoragem

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: válvulas de seccionamento


entre outros modelos

borboleta
cunha

globo esfera

28
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: válvulas de seccionamento

Campos de aplicação:

montante e jusante dos grupos elevatórios


secções de condutas de adução e redes
(NP837: adutores devem ser seccionado em troços de 2 a 4 km
ramais de condutas
entrada e saída de reservatórios
descargas de fundo

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: Ventosas


pontos altos das condutas
montante ou jusante das válvulas de
seccionamento
Efeito duplo (ou triplo)
Efeito simples (purga) purgador de grande orifício
(funcionando a pressão muito baixa,
assegura a expulsão e a admissão de
expulsão grandes quantidades de ar,
nomeadamente durante o enchimento e
esvaziamentode condutas)

purga
purgador de pequeno orifício
(assegura a desgazeificação da conduta
em regime normal de exploração)

admissão

29
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: Descargas


A instalar em todos os pontos baixos

adutor

encaminhamento
a destino final

derivação para
descarga

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: Descargas

A instalar em todos os pontos baixos

30
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: Dispositivos redutores de pressão


válvulas redutoras de pressão: asseguram que a pressão a jusante não seja superior a um valor
previamente estabelecido (a perda de carga introduzida pela
válvula é automaticamente adaptada em função das condições
existentes)

esquema de montagem
em caixa de alojamento

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança

Válvula redutora de pressão

Modo de funcionamento
i. Estado activo - sempre que a pressão a jusante for demasiado elevada é accionado a
válvula piloto de regulação, reduzindo o valor da pressão a jusante até ao valor
preestabelecido, abrindo no caso contrário ;
ii. Estado passivo - se a pressão a montante for inferior ao valor da preestabelecido para
jusante, a válvula abre totalmente, mantendo a continuidade da pressão a montante e a
jusante;
iii. Válvula fechada – se a pressão a jusante for superior à pressão a montante, a válvula
fecha totalmente (funciona como uma válvula de retenção, pois não permite a inversão do
escoamento).

31
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: Dispositivos redutores de pressão

Câmara de perda de carga (CPC)

a pressão do escoamento é anulada na


secção de instalação da CPC;
parte da energia hidráulica do escoamento é
dissipada, à entrada, através de uma válvula;
a energia hidraulica para jusante é definida
pela cota do nível de água na câmara
(pequeno reservatório) → nova cota de
referência para efectuar os cálculos para
jusante

Hjus

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Dispositivos redutores de pressão: funcionamento hidráulico

R1

R2

R1 R1

CPC

VRP
R2 R2

32
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução

Órgãos de manobra e segurança: Válvulas de limitação

Válvula limitadora de caudal (frequentemente


aplicada em redes de distribuição):
limita o caudal a um valor predeterminado
independentemente das variações ocorridas no
sistema
a válvula abre totalmente quando o caudal é inferior
ao limite estabelecido.

Válvula de sobrevelocidade (segurança)

A válvula fecha quando o caudal ultrapassa o


valor normal de funcionamento, por exemplo,
devido a una rotura da conduta. Posteriormente
a sua abertura é efectuada manualmente.

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Órgãos de manobra e segurança: Válvulas de retenção
(impedem um dado sentido do escoamento)

válvula de retenção com batente

válvula de retenção de bola

33
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Órgãos de manobra e segurança: Válvulas de flutuador

campos de aplicação:

regulação da entrada de água em reservatórios


regulação da entrada de água em câmaras de perda de carga

Sistemas de abastecimento e distribuição de água


Qualidade do assentamento

A. Prova regulamentares de carga para comprovação da qualidade do


trabalho de assentamento

Pressão interna de ensaio = 1.5 x Pressão serviço máxima


Pserviço
Num tempo ∆t=30 minutos deve registar-se ∆P <
5

B. Lavagem e desinfecção

Solução clorada

Solução de permanganato de potássio

34
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Problema 6

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Problema 6 - resolução

6%

35
Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução
Problema 7

No dia de maior consumo do ano, os grupos elevatórios associados a uma conduta adutora
por bombagem funcionaram 18.2 h. Sabe-se, ainda, que:
a potência dos os grupos possuem uma potência de 584 kW e funcionam com um
rendimento cerca de 73%;
os manometros imediatamente a montante e a jusante registam pressões de 0,5 bar e
9,2 bar, respectivamente.
os caudais de fuga na conduta ~ 0.025 m3/s
na rede de distribuição as perdas representam cerca de 13% dos volumes fornecidos
pelo reservatório

Considerando que, nesse dia de abastecimento, a rede de distibuição solicitou a totalidade


do volumes aduzidos ao reservatório, avalie:
a) as necessidades médias diárias de consumo a satisfazer pela rede de distribuição
b) o custo anual da energia consumida pelo sistema de bombagem (considere um
custo unitário p= 0.115 € /kWh)

Sistemas de abastecimento e distribuição de água Adução


Problema 7 - resolução

36
Problema 7 – resolução (cont.)

Problema 7 – resolução (cont.)

37
Problema 8

Problema 8 - resolução
a)

38
Problema 8 - resolução

39