Você está na página 1de 1

Era a primeira vez que estava tão próximo dela.

Poucos metros nos separavam, e eu passei


todos aqueles dias inquietos. Fora tudo planejado para que nada desse errado. por tanto tempo
eu esperara aquela hora em que eu pudesse te mirar os olhos e te falar todas as frases feitas
que eu vinha guardando no meu coração a muito tempo.queria falar de toda a minha dor em te
ter longe,mas acima de tudo,te escutar e saber se realmente compartilhávamos os mesmos
desejos e ambições para com aquele amor.

Os dias se passavam devagar e os empecilhos passaram a ser constantes em tua vida naquele
intervalo dos meus dias que eu havia esperado tanto tempo para compartilhar contigo. A cada
dia uma nova desculpa que, cada vez mais, pareciam menos elaboradas e, aos poucos,
revelavam algo que eu temia, mas não quis ver, e nem meu coração. Era bem mais fácil
acreditar que aquelas coisas realmente aconteciam na vida dela, e que o culpado era o destino,
minha falta de sorte ou qualquer coisa a qual eu pudesse atribuir injustamente aquela falta.

Mais dias se passaram e a certeza de estar tudo sobre meu controle aos poucos dava espaço a
tristeza e a revolta contra si mesmo. Não acreditava em como havia sido tão tolo em acreditar
que ela pudesse em algum momento, levado a sério meus sentimentos. O amor nos faz de tolos;
eu era só mais uma vítima dele. mas a vida nos enche de surpresa e ela me liga:diz que
poderíamos nos encontrar para nos ver e que não vê a hora.marca o local e o dia.bastou apenas
isso,apenas um telefonema,para que eu mudasse totalmente e acreditasse em tudo
novamente.o dia ficou até mais feliz.transparecia uma felicidade que contagiava as pessoas em
volta.ninguém nunca havia me visto daquele jeito,e nem eu mesmo conhecia aquele lado da
minha personalidade.

O dia chegou. Não via à hora de nos encontrarmos. Mas o que trouxe a felicidade agora trás a
má noticia. novamente ela inventou algo e desmarcou nosso encontro.eu fiquei sem saber o que
fazer.havia planejado novamente tudo,imaginado tudo e esperava que aquele sonho pudesse
torna-se realidade.mas simplesmente acabou como começou e chegou o dia em que tive de ir
embora,deixando para traz um antigo e deveras verdadeiro amor.é duro,mas eu sei que um dia
eu vou conseguir esquecer por algum tempo,mas não para sempre,disso eu sei.mas confesso
que este foi o meu primeiro erro:apostar em um amor que partirá de mim,e me joguei na primeira
brecha que o amor me deu pra tentar consquista-lá.mas fico também pensando que a pessoa
que mais falava que eu não lutava por aquele amor,foi a mesma pessoa que me iludiu tanto
tempo e quando foi o tempo de lutar realmente,ela desistiu de tentar.talvez esse tenha sido meu
segundo erro:lutar pelos que não querem lutar,e depois sofrer olhando para o descaso de quem
nem tentou ser feliz.este talvez seja o erro de muitos,não foi só eu que cometi este erro e nem
serei o ultimo a fazê-lo,mas,hoje eu tomo propriedade deste sentimento de sentir-se tolo.sentir-
se ludibriado e usado como um passatempo ou qualquer coisa que siga nesta mesma linha de
raciocínio.