Você está na página 1de 2

TEORIAS FENOMENOLÓGICAS:

A fenomenologia surgiu na Alemanha por Edmundo Husserl, que recebeu


influências do pensamento de Platão, Descartes e Brentano. O termo fenomenologia
significa estudo dos fenômenos, daquilo que aparece a consciência, buscando explorá-
lo. Seu principal objetivo é investigar e descrever os fenômenos enquanto experiência
consciente. A fenomenologia de Husserl ganhou impulso no final do século XIX,
princípio do século XX, durante a crise do subjetivismo e do irracionalismo. O enfoque
fenomenológico compreende o humano enquanto ser no mundo, na situação de estar
lançado sendo presente e presença, ser em sua subjetividade enquanto ser existencial,
valorizando-o e se permitindo ser presença no lidar com o outro, considerando-o em sua
vivência, a seu modo, o ser em si. Estuda a essência das coisas e como é percebida pelo
mundo, a consciência é um ato intencional e a sua essência é a intencionalidade, assim
como a significação é o corelato da intenção, toda consciência é consciência de alguma
coisa, o mundo e a realidade existem apenas pra um sujeito para o “eu”. Husserl via o
mundo como um fenômeno que precisa ser revelado, que esta ali. A consciência é vista
por ele é como plástica, é mutável, é flexível, adaptável conforme o tempo.
Os seres humanos vêm de realidades diferentes e absorvem as informações de
forma diferente também, dando significados singulares a cada uma delas. Os psicólogos
fenomenológicos concentram-se em entender o “si mesmo” – o Self. Conceito interno
do indivíduo que vai evoluindo conforme a interação uns com os outros. Adotam uma
visão holística, dependendo de observações clinicas: analisando como o individuo diz se
sentir, como pensa e percebe.
Segundo o psicólogo humanista Carl Rogers autor da Teoria do Self, o ser humano é
dotado de uma natureza essencialmente positiva e que nos movemos em busca da
autorrealização, o individuo percebe o mundo de maneira única. As percepções que o
individuo tem pode ser percepções conscientes que são as que pensamos e refletimos
objetivamente e são determinantes no nosso comportamento, e as percepções
inconscientes que são as que escapam a capacidade de pensar de forma objetivas. Carl
entendeu que o paciente quando expressa seus problemas e atitudes usando os próprios
termos, tende a conversar em termos de si mesmo. (“Sinto que não estou sendo eu
mesmo”, “Sinto-me bem em me soltar e ser eu mesmo aqui”) - Eu verdadeiro Auto
conceito - Auto Imagem.
 Quando uma experiência viola uma auto-imagem, os fatos podem ser
distorcidos. Para Rogers, lutamos para mantermos as percepções de experiências
consistentes com a auto-imagem. “Conhecer a sim mesmo” uma grande base
dessa teoria. Os principais aspectos relatados por Rogers:
 A infância e suas relações como sendo crucial para o desenvolvimento da
personalidade,
 As interações,
 A observância sobre o que cada um fala de si,
 Seus estudos avaliaram mudanças através da análise de entrevistas gravadas e
testes de personalidade chamados Técnica Q.

Um teste objetivo de personalidade, elaborado por Willian Stephenson, na decada de 1950. (uso de palavras, frases ou s
As criticas para essa teoria da personalidade é referente à dificuldade de se testar
com precisão. Além de que, seria perigoso confiar exclusivamente no que a pessoa fala
de si mesma. Muitos psicólogos acham que essa técnica seria para tratar pessoas
moderadamente perturbadas.

Livro Introdução a Psicologia- Personalidade: Teorias e Teses, Cap.12, pág.521-


524.
Artigo Pepsic- Fenomenologia e teoria do conhecimento em Husserl
-http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-
68672007000200005.
Revista Brasileira de Enfermagem- REBEn- FENOMENOLOGIA- Brasilia
2008, mar-abr; 61(2): 254-7.
Video- Método fenomenológico Método científico - https://www.youtube.com/watch?
v=ppNszDTNJ1M.
Video - EDMUND HUSSERL (Fenomenologia) | Resumo de Filosofia para o Enem -
https://www.youtube.com/watch?v=pEf1YX6CiIE.
Video CARL ROGERS - TEORIA DA PERSONALIDADE CENTRADA NA
PESSOA- https://www.youtube.com/watch?v=a0RYUICrnUE.