Você está na página 1de 70

CAPÍTULO I

Conhecendo a sua calculadora HP-12C


Depois de tantas contas feitas no braço, chegou a hora de resolvê-las usando a HP-12C.
A diferença entre uma HP-12C e as calculadoras convencionais está na forma de
entrada dos dados. As calculadoras convencionais executam cálculos de uma forma
direta, ou seja, obedecendo à seqüência natural da Matemática. Para fazermos a
operação 2+3, tecla-se primeiro 2, depois o +, e em seguida o 3 e, finalmente, a tecla=.
Resultado: 5. Que coisa mais difícil !!!!

Na HP-12C, você vai se cansar de procurar a tecla = e não vai achar. (Se a sua tiver,
pode leva-la para casa e vende-la como raridade...)
A HP-12C opera com o sistema de entrada de dados RPN (Notação Polonesa Reversa),
onde introduzimos primeiro os dados, separados pela tecla ENTER ( aquela grande aí
no meio do teclado), e depois as operações. Tal sistema torna os cálculos extensos muito
mais rápidos e simples.
Vamos pôr a mão na massa, fazendo a operação 2 + 3 na HP-12C:
 Primeiro ligue a máquina, né!!! ( pressione a tecla ON) Achou? (Aquela do canto
inferior esquerdo)
 Caso o visor apresente um número diferente de zero, limpe-o usando a tecla CLX.
(Clear x = limpa o visor)
 Depois pressione a tecla f (aquela douradinha ou amarelinha depois que desbotou) e
a seguir a tecla 2 para o visor apresentar 2 casas decimais
 Agora aperte 2, pressione ENTER e em seguida 3. Por último, a tecla +. Resultado
5. Deu o mesmo que antes ! A calculadora calcula certo mesmo !!!
OBS:- Ela não é mais difícil que as calculadoras convencionais, ela é diferente. Por ser
diferente não estamos acostumados com esse processo.
Por ser diferente é que vamos estuda-la em detalhes. Ah! Por falar nisso,
provavelmente aquele 5 ainda continua no visor. Desligue a máquina
(pressionando ON de novo) e o visor se apagará. Agora aperte novamente oON (ligando
a máquina). Pimba na chulipa!! Lá está o 5 de novo. Grande memória tem essa máquina
!! Esses segredinhos é que fazem a diferença da HP. Vamos descobri-los passo a passo.
OBS:- Sua HP-12C está equipada com um sistema de memória contínua que mantém os
dados guardados, mesmo com a calculadora desligada. Para tanto, ela possui 4 registros de
pilha operacional e 5 registros financeiros (a sua memória RAM, hehehehehe), além de 20
registros de memória e armazenamento (o seu HD- Winchester, hehehehehehe).
Vamos agora conhecer o teclado e suas funções. Olhe atentamente para ele (o 5
continua lá). Mas quem pediu para você olhar para o visor? Olhe para o teclado cara.
Observe que uma mesma tecla pode ter até 3 funções diferentes, reconhecidas
pelos caracteres impressos:
 Em branco (face superior da tecla)
 Em azul (abaixo da tecla)
 Em dourado (acima da tecla)
Procure a tecla FV. Ela tem as seguintes funções:
IRR ....... função dourada. Serve para calcular a taxa interna de retorno (Nossa!!!!!)
FV......... função branca. Serve para calcular o valor futuro (Future Value)
Nj.......... função azul. Serve para entrada de fluxo de caixa (Ave-Maria)
Por isso a calculadora é pequena ! Uma mesma tecla é capaz de fazer várias coisas !!!!!
Para utilizarmos as funções alternativas dourada ou azul de determinada tecla,
basta pressionarmos antes as teclas de prefixo correspondentes f (dourada) e g (azul).
OBS:- Não se preocupe com as possíveis indicações do visor (BEGIN, DMY, C, etc.), elas
serão discutidas no decorrer do curso.
Conhecido os códigos das cores, vamos conhecer as funções do teclado mais
utilizadas no nosso cotidiano.
Tudo pronto ? Então, vamos à apresentação de mais alguns segredos da HP-12C
COMO FIXAR O NÚMERO DE CASAS DECIMAIS?
Basta pressionarmos a tecla de prefixo f e o número de casas decimais que
desejamos após a vírgula. Ex:
f 2 – fixa duas casas decimais após a vírgula
f 4 – fixa quatro casas decimais após a vírgula
simples não !!!!
COMO LIMPAR SUA CALCULADORA ?

Teclas Significado
CLX Limpa os valores contidos no visor
f CLEAR REG (f CLX) Limpa “tudo”, exceto a memória de programação
f CLEAR Limpa os registros estatísticos, os registros da pilha operacional e o
visor
f CLEAR FIN Limpa os registros financeiros
f CLEAR PRGM Limpa a memória de programação (quando no modo PRGM)

TROCAR PONTO POR VÍRGULA


Efetue a operação abaixo:
1252.32 ENTER
No visor de sua calculadora o valor acima, digitado com duas casas decimais após a
vírgula, poderá estar representado de duas formas:
 1.252,32 (Sistema Brasileiro – vírgula separando as casas decimais)
 1,252.32 (Sistema Americano – ponto separando as casas decimais)
Para realizarmos a troca do ponto pela vírgula e vice-versa, devemos proceder da
seguinte forma:
 desligue a calculadora
 com a calculadora desligada, pressione ao mesmo tempo as teclas ON e . (ponto)
 Solte a tecla ON e logo após a tecla . (ponto)
Para encerrar essa introdução vamos dividir o teclado em setores:

SETOR DE ENTRADA DE DADOS - Essas teclas permitirão a você introduzir os


dados dos seus problemas na máquina. O ponto substitui a nossa vírgula

SETOR DE OPERAÇÕES BÁSICAS - Essas operações são as velhas conhecidas, não


é mesmo ?

SETOR DE POTÊNCIA E RAIZ -


yx Eleva um número y qualquer (base) a um número x qualquer (expoente)
Exemplo: Para efetuar 23, siga os passos:
• Introduza a base - digite 2 e tecle ENTER
• digite o expoente 3;
• calcule a potência - pressionando yx.
1/x Calcula o inverso de um número
Exemplo: Calcular o inverso de 2.
• digite 2;
• pressione a tecla 1/x ;
Raiz quadrada de x - Calcula a raiz quadrada de um número x
Exemplo: Calcule a raiz quadrada de 144.
• digite 144 ;
• pressione as teclas g e raiz de x .
Obs: Essa função calcula apenas a raiz quadrada de um número. Raiz cúbica, quarta, etc., só
através do artifício matemático de elevar um número a um expoente fracionário

SETOR DE PORCENTAGEM - Veremos mais tarde. Não se afobe, você vai passar o
resto de sua vida apertando essas teclas. Por isso espere um pouco

SETOR DE LIMPEZA - Já vimos o que cada tecla faz.

SETOR FINANCEIRO - Aguarde até o ano que vem. Em Matemática Financeira você
passará o ano todo apertando essas teclinhas.
SETOR CALENDÁRIO - Veremos logo mais em detalhes

SETOR ARMAZENAMENTO DE DADOS - Aqui esta o winchester da sua HP12C.


Explicaremos o seu funcionamento nos exercícios mais adiante

SETOR TROCA-TROCA - Será visto a seguir nos exercícios


CAPÍTULO II
CÁLCULO DE OPERAÇÕES ARITMÉTICAS
PILHA OPERACIONAL
1. OPERAÇÕES ARITMÉTICAS SIMPLES
As teclas ÷¸ x + -
EXEMPLO: Fazer a operação 4 + 8 = ?
Seqüência Pressione Visor
Introduza o primeiro número 4 4,
Pressione a tecla ENTER para separar o primeiro número do 4,00
segundo ENTER
Introduza o segundo número 8 8,
Pressione a operação desejada + 12,00
COMO LIMPAMOS O VALOR DO VISOR ?
Aperte a tecla CLx
EXERCÍCIOS
1. 3 + 2 =?
2. 4 x 5 = ?
3. 8 ÷ 2 = ?
4. 9 – 3 = ?
Como as coisas se processam dentro da calculadora?
Bem, isso é complicado! Mas precisamos aprender para tirarmos o máximo proveito
dela e compensarmos o investimento quando da compra da calculadora.
A HP-12C é dotada de 4 registros chamados PILHA OPERACIONAL (Obs:- não é a
pilha elétrica que faz a calculadora funcionar, não !!!!)
Vamos ser mais claros. A sua máquina deveria ter, na verdade, quatro visores. Assim

OBS:- A danada da economia de espaço levou o fabricante a botar só 1 visor ! Isso


complica um pouco, mas em contrapartida a calculadora cabe no bolso !!!

T, Z, Y e X .......São os apelidos dos registros (memórias) A ordem é importante !


Para efetuar qualquer cálculo, é fundamental saber como introduzir dados nestes
registros (compartimentos) e como eles se relacionam.
Nada mais fácil que retornarmos àquela conta 4 + 8 (lembra?). Vamos refaze-la
e vendo como vão ficando os 4 registros internos da PILHA OPERACIONAL.
Tecla Pressionada Registros Comentários
T CLx . Limpa o visor
CLx Z
Y
X 0,00 visor
T O número 2 aparece no visor
2 Z
Y
X 2, visor
T O número 2 foi empurrado para Y, deixando uma
ENTER Z cópia provisória em X
Y 2,00
X 2,00 visor
T O número 3 substituiu a cópia provisória em X.
3 Z
Y 2,00
X 3, visor
T Os conteúdos de X e Y são somados e o resultado
+ Z aparece em X
Y
X 5,00 visor
Obs:- Posso usar esse resultado para ir fazendo mais operações se tivesse !!!
OUTRO EXEMPLO
Tecla Pressionada Registros Comentários
T O númro 12 apareceu no visor
12 Z
Y
X 12, visor
T O número 12 foi empurrado para Y, deixando uma
ENTER Z cópia provisória em X (os registros Z e T continuam
limpos)
Y 12,00
X 12,00 visor
T O número 8 substitui a cópia provisória no visor
8 Z
Y 12,00
X 8, visor
T Os valores de X e Y fundiram-se no resultado final
- Z 4,00, e este ficou arquivado em X. Os registros Y, Z e
T ficam “zerados”
Y
X 4,00 visor
Toda operação aritmética é realizada nos conteúdos de Y e X
Para que serve o Z e o T? Calma ! Só estamos resolvendo cálculos simples.
Relaxe ! Faça uma pausa, tome um cafezinho e em seguida retorne ao assunto.
Pronto ? De agora em diante faremos cálculos em cadeia para usarmos o Z e o T.
Fique frio que ninguém irá preso !
EXEMPLO: Fazer o cálculo da expressão numérica abaixo:
(2 + 3) + (12 – 8) x (7 – 1)
Se fôssemos usar uma calculadora convencional (credo!) deveríamos resolver as
operações de cada parêntese, anotando num papel os resultados parciais: 5 + 4 x 6.
Concorda
Estamos diante de um novo problema. Precisamos introduzir o 4 para ser
multiplicado por 6, e depois somar o 5. Olhe que a nossa conta é simples! Imagine os
cálculos financeiros do seu dia - dia de Contador.
Seria uma loucura ... Com a HP-12C, é “vapt-vupt” !
Agora aqueles registros Z e T vão entrar em ação e nos prestarão um grande
serviço: fazem para nós as anotações dos resultados parciais, ou seja, armazenam o 5, o
4 e o 6, deixando-os prontos para os cálculos.
Na HP-12C então:
f REG ....limpando todos os compartimentos (registros)

Por que não f CLx ? Por que ela só limpa o registro X (mostrado no visor!)
2 ENTER 3 + 12 ENTER 8 - 7 ENTER 1 - x +
1º parêntese 2º parêntese 3º parêntese
Resultado: 29
Tecla Pressionada Registros Comentários
T O número 2 apareceu no visor
2 Z
Y
X 2, visor
T O número 2 foi empurrado para Y, deixando uma
ENTER Z cópia provisória em X (os registros Z e T continuam
limpos)
Y 2,00
X 2,00 visor
T O número 3 substitui a cópia provisória no visor X
3 Z
Y 2,00
X 3, visor
T Os valores de X e Y fundiram-se no resultado final
+ Z 5,00, e este ficou arquivado em X. Os registros Y, Z e
T ficam “zerados”. Até aqui temos o resultado parcial
Y do 1º parêntese em X
X 5,00 visor
T O 12 assume o registro X e empurra o 5 para Y (sem
12 Z precisar do ENTER. Isto só acontece pois o 5 é
resultado de operação. Caso contrário, se o 5 tivesse
Y 5,00 sido digitado, ao digitarmos o 12, ficaria 125 em X
X 12,00 visor
T Agora o 12 foi empurrado para Y, empurrando
ENTER Z 5,00 automáticamente o 5 para Z e deixando cópia em X
Y 12,00
X 12,00 visor
T O 8 substitui a cópia de 12 que estava em X. Não
8 Z 5,00 alterou o restante da pilha operacional
Y 12,00
X 8, visor
T Aparece o novo resultado 4 em X, o 5 que estava em
- Z 0,00 Z cai de volta para Y que ficou desocupado após a
operação - .
Y 5,00
X 4,00 visor
T O 7 agora empurra o 4 para cima (lembre-se que este
7 Z 5,00 4 não foi digitado, ele é resultado)
Y 4,00
X 7,00 visor
T 5,00 Todos os registros estão preenchidos
ENTER Z 4,00
Y 7,00
X 7,00 visor
T 5,00 O 1 assume o registro X no lugar do 7 provisório
1 Z 4,00
Y 7,00
X 1,00 visor
T 5,00 O 6 (resultado) assume a X. Repare que o 5 ficou de
- Z 5,00 cópia em T. Isso vai acontecer sempre !!!
Y 4,00
X 6,00 visor
x T 5,00
Z 5,00
Y 5,00
X 24,00 visor
T 5,00 FIM de PAPO
Z 5,00
Y 5,00
X 29,00 visor
Veja como ficou a pilha operacional passo a passo:
Teclas 2 ENTER 3 + 12 ENTER 8 - 7 ENTER 1 - x +
T 0 0 0 0 0 0 0 0 0 5 5 5 5 5
Z 0 0 0 0 0 5 5 0 5 4 4 5 5 5
Y 0 2 2 0 5 12 12 5 4 7 7 4 5 5
X 2 2 3 5 12 12 8 4 7 7 1 6 24 29
Então? Ficou fácil de entender ? Se ficou, ótimo ! Mas se restou alguma dúvida, volte e
refaça cuidadosamente todas essas operações. Esperamos que você tenha entendido tudo
com bastante clareza.
Vamos treinar um pouco?
EXERCÍCIOS SOBRE PILHA OPERACIONAL
Os quadros abaixo representam os conteúdos da pilha operacional,
quando pressionamos as teclas mencionadas. Você deve acompanhar. Passo
a passo, tentando descobrir os valores ou teclas representadas pela
interrogação (?)
a.
T

Z
Y 5,00 ¿ 17,00 17,00 -
136,00
X 5, 5,00 12, 17,00 8, -8, - ¿ -68,00
136,00
TECLAS 5, ENTER 12 + 8 ¿ x 2 ÷

b.
T

Z ¿ 15,0 15,0 15,0


0 0 0

Y 150,00 ¿ ¿ 15,00 23,00 23,0 ¿ 12,0


0 0

X 150, ¿ 100, 1,50 10, 15,00 23, 23,00 12, 23,0 0,00
0

TECLAS 150 ENTER 100 ÷ 10 x 23 ENTER 12 x y ¿

c.
T
18,00 18,00 ¿ 18,00 18,00 18,00

Z ¿ 18,00 18,00 5,00 5,00 18,00 18,00 18,00 18,00

Y 13,00 13,00 18,00 21,00 21,00 ¿ 5,00 100,00 100,0 5,00 18,00 94,00 18,00
0

X 13, 13,00 5, ¿ 21, 21,00 16, 5,00 100, ¿ 11, 89,00 94,00 18,00 5,22

TECLAS 13 ¿ 5 + 21 ENTER ¿ - 100 ENTER 11 - + ¿ ÷

Conseguiu fazer todos? Legal ! mas que os três visores fazem falta, fazem.
Como verificar se os valores armazenados em Y, Z e T estão corretos?
A HP-12C, pequena grande máquina, pensou em tudo e criou R que está no
setor troca-troca. Imagine uma tecla que traga para o visor os números guardados em Y,
Z e T. Que beleza, hein? Veja bem, o visor não se movimenta; através do R os números
rolam e vão assumindo os novos compartimentos (registros). Teste em sua calculadora:
a. digite 3
b. pressione ENTER
c. digite 17
d. pressione ENTER
e. digite 74
f. pressione ENTER
g. digite 1
A pilha ficou assim:
T 3,00
Z 17,00
Y 74,00
X 1,00
Agora pressione R . No visor apareceu 74. Pressione R novamente. Agora apareceu 17.
Outra vez R. Agora ficou o 3. E ainda outra vez. 1, não? Percebeu que quando
pressionamos R os números aparecem no visor X, rolando o anterior para T.

EXERCÍCIO
CAPÍTULO III
CALCULANDO ....
Se a calculadora foi feita para calcular, vamos aproveitar e fazer isso para
compensar o investimento dela.
Neste capítulo, vamos colocar em prática todos os temas abordados até aqui e
avançar nos outros setores do teclado para calcularmos porcentagens, calendário, etc.
BRINCANDO COM AS DATAS (As funções de Calendário)
As teclas D.MY, M.DY, ∆ DYS e DATE
Ligue a sua calculadora. Senão nada poderá ser feito!
Prepare sua calculadora para operar no sistema brasileiro, pressionando as teclas g
D.MY (dia-mês-ano), ela se encontra na tecla 4.
Detalhe = nos exercícios com datas, utilizamos 6 casas decimais. Você se lembra como
fazer isso? Dica: pressione f e 6. Pronto? Vamos lá, então...
Obs:- A HP está programada para trabalhar com datas no intervalo de 15 de Outubro de 1582
até 25 de Novembro de 4.046. É sério mesmo...
a. NÚMERO DE DIAS ENTRE DUAS DATAS (A função ∆ DYS)
Exemplo: Data de referência – 30.06.97
Data futura - 25.10.99
Lembrete: Antes limpe a máquina: f REG
Cálculo:
 Digite a data de referência na forma DD.MMAAAA, ou seja, 30.061997;
 Pressione ENTER
 Digite a data futura, 25.101997
 Pressione a seqüência de teclas g e ∆ DYS
Veja bem: Logo após os dígitos referentes ao dia, teclamos um ponto.É necessário teclar
2 dígitos do mês (0 e 9) e os quatro do ano (1997), OK?
EXEMPLO 2 – Data de Referência – 07.09.91
Data passada - 09.06.54
 Digite 07.091991 (data de referência)
 Pressione ENTER
 Digite 09.061954 (data passada)
 Pressione a seqüência de teclas: g e ∆ DYS
Resultado: - 13.604 dias Obs:- o sinal negativo indica que se artiu para uma data
anterior
Viu como é fácil?
EXERCÍCIOS
Vamos calcular o número de dias decorridos:
1. Entrada na FAFICA como calouro : 14.02.2000
Saída da FAFICA como Contador: 15.12.2003
2. Hoje é 13.03.2000
Data passada: 01.01.45
3. Quantos dias você viveu até hoje?
4. Quantos dias de vida você vai ter quando se formar?
b. DIA DO MÊS E DA SEMANA (A função DATE)
Auxilia determinar uma data passada ou futura, a apartir de uma data conhecida e do
número de dias entre essas datas.
OBS:- Limpe a máquina antes f REG
EXEMPLO: Hoje é 13.03.2000
Que data e dia da semana será daqui a 93 dias?
 Digite a data 13.032000
 Pressione a tecla ENTER
 Digite o número de dias (93)
 Pressione as teclas g e depois DATE
OBS:- O número que aparece ao lado é o dia da semana. Assim,
1 – Segunda-Feira 2 – Terça-Feira 3 – Quarta-Feira 4 – Quinta-Feira
5 – Sexta-Feira 6 – Sábado 7 – Domingo
EXEMPLO 2 – Uma aplicação financeira por 60 dias está
vencendo hoje, 13.03.2000. Qual a data em que foi efetivado
o negócio?
 Digite a data do vencimento: 13.032000
 Pressione ENTER
 Digite o número de dias (60) e a tecla CHS (tempo passado é negativo)
 Pressione as teclas g e DATE
EXERCÍCIO 3 – Que dia da semana foi 24.10.91?
 Digite a data 24.101991
 Pressione ENTER
 Digite zero (quando não existir o número de dias)
 Pressione as teclas g e DATE
EXERCÍCIOS PARA CASA
1. Apliquei no dia 23/06/97 determinada quantia em CDB
por prazo de 92 dias. Qual a data e o respectivo dia
da semana do resgate? Resp: 23.09.97 terça-feira
2. Verifique qual a data e o dia da semana correspondente
a 132 dias passados da data de 20/09/97 Resp:
11/05/97 domingo
3. Qual o dia da semana correspondente a 28 de fevereiro
de 1986?
4. Qual o dia da semana você nasceu?
USANDO PERCENTUAIS
EXEMPLO 1- Na compra com cartão de crédito, uma loja oferece 10% de
desconto sobre o preço de etiqueta de suas mercadorias. Qual o valor
do desconto a ser obtido sobre a compra de uma camisa que custa R$
22,50?
 Primeiro limpando com f REG
 Digite 22.5
 Pressione ENTER
 Digite 10
 Pressione a tecla %
No visor aparecerá o valor do desconto !
E quanto pagaremos pela camisa?
Sabemos que, para chegar ao resultado, basta subtrairmos o desconto do preço original.
Mas a HP-12C nos preparou uma surpresa. Quer ver? Pressione a tecla x y...lá está o
preço original (R$22,50). Pressione novamente x y, e o valor do desconto está de volta.
Agora vamos ver o que temos:
 Em Y 22,50
 Em X 2,25
Então, só nos resta pressionar a tecla – e o Resultado será R$ 20,25
Faça sozinho:
Um cliente quitou no Banco Fartura 3 duplicatas na apresentação, tendo
feito jus aos seguintes percentuais de desconto:
a. sobre R$ 242,00 – 5% b. sobre R$ 362,00 – 8%
c. sobre R$ 188,00 – 4%
Qual foi o total dos descontos obtidos?
EXERCÍCIOS
1. O valor de um título em setembro de 97 era R$ 401,67 e em setembro
de 98, R$ 2.392,06.Qual foi a variação percentual no período?
 Digite 401.67
 Digite ENTER
 Digite 2392.06
 Pressione ∆ % Resp: 495,53%
2. Um investidor comprou ações por R$ 1.350,00 e as vendeu por R$
1.250,00. Qual o percentual do prejuízo?
 Digite 1350
 Pressione ENTER
 Digite 1230
 Pressione ∆ % Resp: - 8.89%
Obs:- O sinal negativo refere-se ao decréscimo ocorrido na operação!
Tente você:
O valor da cota FUNDO-XYZ (Fundão) em 18.10.91 era de R$ 115,569773 e
em 22.10.91, R$ 117,497364. Qual foi o percentual de valorização das
cotas no período?
EXERCÍCIOS
1. Dois amigos montam uma empresa com capitais diferentes: o
primeiro entra com R$ 2.650.000,00, e o segundo com R$
3.350.000,00. Qual o percentual de participação dos dois sócios
no lucro da empresa?
 Digite 2650000 ENTER 3350000 + (visor – 6.000.000,00 é o capital
da empresa)
 Digite 2650000 (capital do sócio 1)
 Pressione %T (no visor 44,17 – participação percentual do sócio 1)
 Pressione CLx (“zeramos” o X para continuar com 6.000.000 em Y)
 Digite 3350000 (capital do sócio 2)
 Pressione %T (no visor 55,83 – participação percentual do sócio 2)
Curiosidade: Adicione os percentuais. Quanto encontrou? Está de acordo?
Agora é com você
O saldo de captação de agência do Banco Papa-Tudo em 30.06.98 tinha a
seguinte composição:
Depósito à vista .................... R$ 1.800,00
Poupança – CHIC...................... R$ 3.500,00
Depósito a Prazo .................... R$ 650,00
Aplicações a curto prazo ............ R$ 500,00
__________
TOTAL R$ 6.450,00
Qual a participação de cada rubrica?
Esse foi moleza, não acha?
A seguir você encontrará uma série de exercícios para recapitular e fixar a
matéria. Além desses, você pode bolar outros, envolvendo as funções de calendário e
percentuais. Vá com calma e não se afobe.
Boa sorte !!!!
Bertolo
Treinamento e Consultoria

Palestras: ► Planejamento Financeiro Pessoal ► Redução de Custos

Página Principal ►Cursos a Distância Artigos


Quem somos Análise
Fale conosco ►Próximos Treinamentos (Rio de Janeiro): Seu bolso
Cursos Estudos
Contas a Pagar e Receber
Consultoria Índices
Matemática Financeira
Cadastre-se Links

CÁLCULOS FINANCEIROS COM A HP 12C

1. Dicas sobre a HP 12C


2. Programa para cálculo de taxas equivalentes na HP 12C

3. Comparação entre o cálculo do VPL feito com o Excel e com a HP 12C


4. Algumas perguntas e respostas sobre aprendizagem de Matemática Financeira

5. Dicas de Matemática Financeira para concurso público

6. Comparação das calculadoras HP 12C, HP 12C Platinum e HP 12C Prestige

7. Porque não encontro o resultado certo no cálculo financeiro?

8. Programa para cálculo do Custo Efetivo Total – CE


....................................................................................
1. Dicas sobre a HP 12C

1.1 Letra C no visor

Para utilizar as funções financeiras da HP 12C em cálculos envolvendo juros compostos (uso de n, i, PV e FV),
deve conter na parte inferior do lado direito do visor a letra C. Com esse indicador no visor, caso existam período
também serão calculados pelo sistema de juros compostos, como normalmente se deseja. Caso a letra C não c
tecle (STO EEX) para fazê-la surgir e deixar a calculadora no modo normal de operação denominado convenção e

1.2 Apresentação de Todos os Dígitos Internos do Número do Visor


Para apresentar os dez dígitos internos do número contido no visor são necessários os seguintes passos:
- pressione a tecla (f)
- pressione e mantenha pressionada a tecla PREFIX.
Enquanto a tecla PREFIX estiver pressionada, os dez dígitos serão mostrados no visor, sem ponto e sem vírgula.
1.3 Introdução de números com mais de 10 dígitos
O visor da HP-12C comporta até 10 dígitos. Para introduzir um nú mero com mais de dez dígitos, proceda da segu
- Escreva à parte o número em notação científica
- Tecle a mantissa
- Pressione a tecla EEX
- Tecle o expoente
Exemplo: introduzir o número 500.000.000.000
Sua notação científica é 5 x 1011 onde 5 é a mantissa e 11 o expoente.
TECLE VISOR
5 5,
EEX 5, 00
11 5, 11
1.4 Teste rápido de funcionamento

A calculadora pode não estar funcionando normalmente apesar de responder ao acionamento das teclas. Um t
seguinte:
- Desligue a calculadora.
- Pressione e mantenha pressionada a tecla (ON) e ao mesmo tempo pressione e mantenha pressionada a
multiplicação (x).
- Solte a tecla (ON).
- Solte a tecla de multiplicação (x).
Se a máquina estiver OK, após 25 segundos, durante os quais a palavra RUNNING ficará piscando no visor
apresentar:
-8,8,8,8,8,8,8,8,8,8,
Além disso, os seguintes indicadores de estado aparecerão no visor:
USER f g BEGIN GRAD D.MY C PRGM
Se o visor apresentar a mensagem ERROR 9 ou apagar-se, a máquina está com defeito.
Topo da página
2. Programa para cálculo de taxas equivalentes na HP 12C
Embora o cálculo de taxas de juros equivalentes seja usado com muita frequência, não há nas calculadoras fi
função embutida para realizá-lo.
O programa seguinte permite o cálculo de taxas equivalentes pelo regime de juros compostos. Por exemplo, dad
juros mensal calcular a taxa anual equivalente ou, dada uma taxa anual, calcular a taxa mensal equivalente.
Caso você cometa algum erro ao teclar as instruções seguintes e não esteja familiarizado com os recursos
programas da calculadora financeira HP 12C, a melhor forma de contornar o problema é recomeçar a teclar as ins
o início.
Para gravar o programa na calculadora financeira HP 12C, os passos são os seguintes:
TECLE VISOR
f P/R 00 -
g x=0 01 - 43.35
g GTO 04 02 - 43.33 04
g GTO 07 03 - 43.33 07
RCL n 04 - 45.11
1/x 05 - 22
n 06 - 11
RCL i 07 - 45 12
1 08 - 1
% 09 - 25
1 10 - 1
+ 11 - 40
RCL n 12 - 45 11
Yx 13 - 21
1 14 - 1
- 15 - 30
1 16 - 1
0 17 - 0
0 18 - 0
x 19 - 20
f P/R número pré-existente
UTILIZAÇÃO DO PROGRAMA:
1. Tecle a taxa de juros dada, sob a forma percentual, em seguida i
2. Tecle o número de períodos menores (*), em seguida n
3. Tecle 0 se quiser a taxa equivalente menor ou 1 se quiser a taxa equivalente maior.
4. Tecle R/S
(*) – O número de períodos menores indica quantos períodos a que se refere a taxa menor estão contidos no
refere a taxa menor. Assim, se as taxas de juros a serem convertidas forem anual e mensal, n será 12, pois um
meses. Se as taxas forem mensal e diária, n será 30, pois um mês tem 30 dias..
Exemplo 1: Calcular a taxa anual equivalente a 3% ao mês.
TECLE VISOR COMENTÁRIO
CLX f 4 0,0000 Limpa o visor e o deixa com 4 decimais

3 i 3,0000 introduz a taxa de juros


12 n 12,0000 introduz o número de períodos menores (1 ano = 12 meses).
1 R/S 42,5761 taxa equivalente maior calculada
Exemplo 2: Calcular a taxa trimestral equivalente a 24% ao ano.
TECLE VISOR COMENTÁRIO
CLX f 4 0,0000 Limpa o visor e o deixa com 4 decimais
24 i 24,0000 introduz a taxa de juros
4 n 4,0000 introduz o número de períodos menores (1 ano = 4 trimestres).
0 R/S 5,5250 taxa equivalente menor calculada
Topo da página
3. Comparação entre o cálculo do VPL feito o Excel e com a HP 12C
Para calcular o VPL com o Excel é necessário montar o fluxo de caixa e depois utilizar a função financeira VPL
português), informando a taxa de desconto sob a forma unitária e depois os valores do fluxo de caixa ou o interv
que contém os valores do fluxo de caixa.
Diferentemente da HP 12C (e das outras calculadoras financeiras), o VPL calculado pelo Excel baseia-se em f
futuros. Isto significa que o VPL calculado pelo Excel refere-se a um período antes do primeiro fluxo de caixa. As
fluxo de caixa na data zero (geralmente há o valor do investimento), esse investimento deverá ser excluído do fl
somado ao VPL calculado sem ele. Outra opção é calcular o VPL com o fluxo de caixa da data zero e depois mu
calculado por 1+i (i é a taxa de desconto utlizada).
Seja calcular o VPL referente ao seguinte fluxo de caixa, considerando uma taxa de desconto de 16% ao ano:

ANO $

0 - 30.000,00

1 14.000

2 14.000

3 14.000

Cálculo com a HP 12C:

f REG 30000 CHS g CFo 14000 g CFJ 3 g Nj 16 i f NPV

Resultado: (refere-se à data zero): 1.442,45

Cálculo com o Excel (com ajuste no fluxo de caixa):


VPL calculado das entradas de caixa: 31.442,45
VPL do fluxo de caixa (entradas e saídas de caixa):
31.442,45 – 30.000,00 = 1.442,45
Cálculo com o Excel ( sem ajuste no fluxo de caixa):
O VPL calculado pelo Excel com o fluxo de caixa original é 1.243,49. Como esse VPL refere-se à data -
multiplicado por 1,16 ( esse multiplicador é igual a 1 + a taxa de desconto) para se chegar ao VPL na data zero:
1.243,49 x 1,16 = 1.442,45
Topo da página
4. Algumas perguntas e respostas sobre aprendizagem de Matemática Financeira

a) Qual é o elemento chave para um aprendizado eficaz de Matemática Financeira?

- É a metodologia didática utilizada. Ela deve ser simples, sem banalizar o conteúdo. Precisa valorizar os aspec
do tema e não priorizar apenas a abordagem matemática. Acima de tudo, deve ser aplicável às situações encont
dia, para que o estudante se sinta motivado.

b) A utilização das calculadoras financeiras, principalmente na fase inicial, empobrece o aprendizado, robotizando

- Como regra, não. Desde que os fundamentos do cálculo financeiro sejam adequadamente transmitidos e compre
não exige excesso de fórmulas nem demonstrações matemáticas – o uso das funções financeiras embutidas na
financeiras não traz qualquer prejuízo para o estudante. O papel das calculadoras financeiras é dar produtividade
dos cálculos financeiros

c) Nas organizações, os cálculos financeiros são executados pelos sistemas informatizados. Mesmo ass
conhecimento de Matemática Financeira é tão valorizado?

– Em primeiro lugar, nenhum sistema informatizado jamais fará todos os cálculos financeiros. Sempre haverá um
contemplada inicialmente no desenvolvimento do sistema. Depois, há que se considerar que muitas vezes o pro
resume a calcular. Também é preciso interpretar o cálculo realizado e isto o sistema não faz.

d) A Matemática Financeira utilizada no Brasil é mais complicada do que aquela utilizada nos países desenvolvidos

– Sim. Apesar do fim da inflação alta desde 1994, ela ainda precisa ser considerada em boa parte dos cálcu
realizados no Brasil. Para dar um exemplo simples, quando se fala que a taxa de juros nos EUA está em 5% ao a
número definitivo. Aqui, quando dizemos que a SELIC é 16% ao ano, também é necessário saber qual é a taxa
isso é preciso escolher ou projetar um índice de inflação e fazer o cálculo da taxa real.

e) Uma pessoa que não gosta de Matemática pode aprender a fazer os cálculos financeiros satisfatoriamente?

– Sim. A maioria das pessoas conhece as operações aritméticas de soma, subtração, multiplicação e divisão.
Financeira usa principalmente uma operação pouco ou nada habitual para essas pessoas que é a potenciação.
que cria toda a mística da Matemática Financeira. É o calculo com potenciação – característico dos juros compo
com uma dívida que cresce 2% ao mês, depois de dez meses terá crescido 21,9% e não apenas 20%. Com u
metodologia didática, a pessoa aprende a fazer o cálculo, com uma fórmula ou com uma função específica de um
financeira, do modo que lhe parecer mais amigável.

Topo da página

5. Dicas sobre Matemática Financeira para concurso público

Na grande maioria dos concursos públicos não é permitido o uso de qualquer tipo de calculadora. Este fato
questões de Matemática Financeira tenham características especiais.

As questões formuladas podem dispor ou não de tabelas financeiras contendo os fatores auxiliares para os cálcu

Não havendo as tabelas financeiras, as questões são elaboradas de forma a explorar ao máximo o domínio do
cálculo financeiro por parte do candidato, já que em termos de juros compostos praticamente nenhum cálculo pod
sem calculadora ou tabela financeira auxiliar.

Os temas sobre séries de pagamento, sistemas de amortização (tabela price, sistema de amortização consta
americano de amortização) e análise de investimentos são os mais apropriados para explorar o domínio dos
cálculos financeiros por parte dos candidatos, dispensando a utilização de calculadoras ou tabelas financeiras.

Caso a resolução das questões seja com a utilização de tabelas financeiras inseridas no caderno de prova, há um
para a realização de cálculos, embora com limitações.

Das considerações aqui expostas, podemos concluir que para concurso público que inclua Matemática Fin
fundamental importância que os candidatos dominem amplamente toda a base conceitual da Matemática Financeir

Os exemplos seguintes ilustram isso.

Questão 1: um financiamento R$ 100.000,00 foi contratado para ser pago pelo sistema de amortização constante
parcelas mensais, à taxa de juros 1% ao mês. O valor da prestação de número 11 será:

a) R$ 1.890,00

b) R$ 1.900,00
c) R$ 1.110,00

d) R$ 1.100,00

e) nenhuma das respostas acima.

Solução:

Com a utilização dos conceitos apropriados, a resposta à questão dispensa calculadora e também fórmula.

Cada parcela de amortização contida em todas as prestações é de R$ 1.000,00 (R$ 100.000,00, valor do principa
100 que é o número de prestações).

Antes da prestação de número onze ser paga, o devedor já amortizou R$ 10.000,00 (dez prestações) e, portanto
devedor de R$ 90.000,00.

Os juros de 1% sobre esse saldo devedor são R$ 900,00. Logo, o valor da prestação de número onze ser
(amortização) mais R$ 900,00 (juros), totalizando R$ 1900,00 (letra b).

2) Uma divida, sujeita à taxa de juros compostos de 2% ao mês, atingiu depois de cinco meses o valor de R$ 10.0
dívida tivesse seu prazo de pagamento alongado por mais por mais cinco meses, pela mesma taxa de juros com
ao mês, seu valor atingiria:

a) R$ 11.000,00.

b) R$ 11.040,80.

c) R$ 11.004,00.

d) R$ 10.900,00.

e) R$ 10.800,00.

Solução: Caso a dívida estivesse sujeita a juros simples, em cinco meses ela cresceria 10% ( 5 x 2%), atingi
(10.000,00 + 1.000,00 = 11.000,00). Como está sujeita a juros compostos, o valor do montante será maior do que R

Como constam dois valores maiores do que R$ 11.000,00, apenas um deles é o correto.

Em apenas dois meses, os juros compostos já seriam maiores do que 4% (2% ao mês, em dois meses, produ
4%)Isto significa que em dois meses, os juros compostos já excederiam os juros simples em mais de R$ 4,00.
10.000,00). Consequentemente, depois de cinco meses, a dívida será maior do que R$ 11.004,00. Logo, por exclus
correta é R$ 11.040,00 (letra b).

6. Comparação das calculadoras financeiras HP 12C, HP 12C Platinum e HP 12C Prestige

Os modelos de calculadora financeira HP 12C, HP 12C Platinum e HP12C Prestige não apresentam diferenças
poder de cálculo. As principais diferenças são a capacidade de armazenar programas, o tipo de notação utilizada
a velocidade de cálculos.

Uma maior capacidade para armazenar programas é interessante para quem pretende utilizar o recurso de pr
calculadora, o que permite automatizar e acelerar a execução de cálculos financeiros mais extensos ou com ma
dados. Os modelos HP 12C Platinum e Prestige permitem armazenar até 400 passos de programas contra 99
12C tradicional.
A HP 12C tradicional utiliza apenas a notação RPN (Reverse Polish Notation ou Notação Polonesa Reversa). Com
de cálculo, para fazer a soma de 3 mais 2 é necessário teclar 3 ENTER 2 e o sinal +. A notação RPN permit
encadeados sejam feitos mais rapidamente. A HP 12C Platinum e Prestige têm, além da notação RPN, o sistem
mais intuitivo, pois é modo tradicional de fazer cálculos. Para fazer a soma de 3 mais 2 é necessário teclar 3 +
igualdade). A qualquer momento, o usuário pode escolher entre o método RPN e o método algébrico.

Os modelos HP 12C Platinum e Prestige possuem maior velocidade cálculo do que a HP 12C tradicional, difere
sentir basicamente no cálculo de taxa de juros.

Em resumo, podemos dizer que os três modelos são excelentes produtos (deve ser lembrado que a HP 12C é suce
desde que foi lançada em 1981) e são fundamentais tanto para a aprendizagem como para a utilização prática
Financeira.

Topo da página

7. Porque não encontro o resultado certo no cálculo financeiro?


Ao realizar cálculos financeiros com a HP 12C dois tipos de erro podem acontecer:
1. Erro identificado a priori: está relacionado com a entrada de dados, é identificado por um número (o significad
encontrado no manual da calculadora) e impede a realização do cálculos.
2. Erro não identificado a priori: está relacionado com a não observação de determinados procedimentos sobre
antes da realização do cálculo. Este último é realizado, mas o resultado estará errado. As principais situações ca
esse tipo de erro são as seguintes:
2.1 O indicador C não está no visor
Na maioria dos cálculos financeiros, o indicador C deverá estar no visor, o que faz a calculadora utilizar o re
compostos tantos para períodos inteiros com para períodos fracionários. A menos que num mesmo cálculo se de
juros compostos para períodos inteiros e simples para períodos fracionários (operação raramente utilizada no Bras
C deverá estar no visor da calculadora, conforme mencionado no item 1 dessa página.
2.2 O indicador BEGIN (é mostrado no visor) ou END (não é mostrado no visor: se este não mostra BEGIN,
calculadora está no modo END) está em desacordo com os dados de cálculos que se pretende fazer. Por exemplo
a taxa de juros de um financiamento em que o pagamento da primeira parcela ocorre um mês após sua
calculadora deverá estar no modo END, portanto sem BEGIN no visor).
2.3 Não foi feito o apagamento dos registradores financeiros (f FIN) antes da introdução dos dados, no cas
envolvendo n, i, PV, PMT e FV.
2.3 Não foi feito o apagamento dos registradores financeiros e operacionais (f REG) antes da introdução dos d
dos cálculos envolvendo fluxos de caixa (cálculo de NPV ou IRR).
8. Programa para cálculo do Custo Efetivo Total – CET

O Conselho Monetário Nacional, por meio da resolução 3.516, de 06 de dezembro de 2007, estabeleceu que
financeiras e as sociedades de arrendamento mercantil, previamente à contratação de operações de crédito e de
mercantil financeiro com pessoas físicas, devem informar o custo total da operação, expresso na forma de taxa pe
calculada de acordo com uma fórmula constante da mesma resolução.

Essa medida passou a permitir que as pessoas possam comparar de forma simples e direta o custo financ
operações de crédito e leasing. Antes do mencionado dispositivo legal, a comparação não poderia ser feita dire
base nas taxas informadas, porque no cômputo dessas taxas não eram incluídos os encargos adicionais das oper
abertura de crédito, seguros e outras despesas).
A mencionada resolução contém a fórmula de cálculo do CET, que considera um ano de 365 dias e leva em co
entre as prestações em número de dias.

O programa seguinte permite calcular o CET de um financiamento pago em parcelas mensais iguais e sucessiva
primeira um mês após a contratação do financiamento. Esse programa permite calcular o CET com uma difere
0,5%.

Para colocar o programa na calculadora, tecle o seguinte:

f P/R

f FIN

g END

RCL 0 CHS PV

RCL 1 n

RCL 2 PMT

100

ENTER

12.167

Yx

100

f P/R

FUNCIONAMENTO DO PROGRAMA:

1. Colocar o valor do financiamento deduzido dos encargos na memória 0).

2. Colocar o número de meses na memória 1.

3. Colocar o valor da prestação na memória 2.

4. Teclar R/S para executar o programa.

Exemplo: Valor do financiamento: R$ 1.082,00

Encargos diversos: R$ 82,00

Valor líquido recebido: R$ 1.000,00


Número de prestações: 4

Valor das prestações: R$ 315,47

Uso do programa:

1000 STO 0

4 STO 1

315.47

STO 2

R/S

Resposta: 218,87%

Copyright © IEF - Instituto de Estudos Financeiros. Todos os direitos reservados.

Topo da página e-mail

iG

Parte superior do formulário

Faça sua busc

Parte inferior do formulário


• Assine
• E-mail
• SAC
• Canais
iBestBrTurbo

DEAL
INSTRUÇÕES E PRÁTICAS DE REALIZAR BOAS RELAÇÕES COMERCIAIS.

• Home
03/06/2009 - 11:26

Dicas de como usar a calculadora financeira


Matemática financeira está presente em várias situações cotidianas, no cálculo de juros
de aplicações financeiras, pagamentos atrasados ou adiantados, descontos de títulos,
financiamentos de moradia e automóveis, investimentos, valorização e desvalorização na
compra de ações e moedas estrangeiras, capitalizações, entre outros.
Para agilizarmos os cálculos matemáticos utilizamos ferramentas capazes de operar
certas situações matemáticas em fração de segundos, a calculadora financeira consiste
numa dessas ferramentas, vamos conhecer algumas teclas básicas e suas funções.
PV – valor presente
FV – valor futuro
PMT – valor das prestações
n – período das capitalizações (tempo)
i – taxa (%)
∆% – diferença percentual entre dois números
Utilizando a calculadora financeira

Exemplo 1
Qual o montante produzido por um capital de R$ 1.200,00 aplicado a uma taxa de 1,5%
a.m. durante 2 anos?
Aperte as seguintes teclas:

1.200 (PV)
1,5 ( i )
24 ( n )
(FV)
Resultado: -1.715,40 (o sinal negativo aparecerá, pois é uma saída de caixa, valor pago
pelo banco)
Exemplo 2
Uma mercadoria que custava R$ 210,00 sofreu um reajuste de 6%. Qual seu novo preço?
210 (ENTER)
6%+
Resposta: R$ 222,60
Exemplo 3
Uma televisão que custava R$ 840,00 passou a custar R$ 1.020,00. Qual foi o aumento
percentual sofrido?
840 (ENTER)
1020 ∆%
Resposta: 21,428%
Exemplo 4
Um dólar foi cotado no valor de R$ 1,95 e no dia seguinte seu valor era de R$ 1,89.
Calcule sua desvalorização.
1,95 (ENTER)
1,89 ∆%
Resposta: -3,076%
Exemplo 5
Quanto o Sr. Paulo deverá aplicar hoje para obter R$ 1.215,60, daqui a 4 meses, a uma
taxa de 4% a.m.?
1215,60 (FV)
4(n)
4(i)
PV
Resultado: -1.039,10
Exemplo 6
Pedro financiou o valor de R$ 15.520,00 referente ao preço de um carro, à taxa de 1,2%
a.m. durante 24 meses. Qual o valor das prestações?
15520 (PV)
24 ( n )
1,2 ( i )
PMT
Resultado: R$748,10
Exemplo 7
Por quanto tempo devo aplicar um capital de R$ 4.000,00 a uma taxa de 2,5%, para que
ele renda um montante de R$ 10.000,00?
4000 (CHS) (PV)
10000 (FV)
2,5 ( i )
(n)
Resultado: 38 meses.
Exemplo 8
Lucas irá depositar mensalmente em uma instituição bancária a quantia de R$50,00,
durante 24 meses a uma taxa de 2% a.m. Quanto ele irá sacar após 30 dias do último
depósito?
50 (PMT)
24 ( n )
2(i)
FV
Resultado: R$ 1.521,09
Por Marcos Noé
Graduado em Matemática
Equipe Brasil Escola

COMO USAR A CALCULADORA


FINANCEIRA HP-12C
CURSO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA
Caderno 1 de 4
Prof. Antonio Carlos M. Mattos
Material registrado na BNRJ
DIAGNÓSTICOS
PONTO E VÍRGULA DECIMAIS
NÚMERO DE CASAS DEPOIS DA VÍRGULA
TROCA DE SINAL
LÓGICA RPN (REVERSE POLISH NOTATION)
CÁLCULO DE EXPRESSÕES
ROTAÇÃO DA PILHA
TROCA DE X COM Y
LIMPEZA DO VISOR
ÚLTIMO X
NÚMEROS MUITO GRANDES OU MUITO PEQUENOS
MENSAGENS DE ERRO
PERCENTAGENS
FUNÇÕES MATEMÁTICAS
CALENDÁRIO PERMANENTE
LIMPEZA DAS MEMÓRIAS
MEMÓRIAS DE USO GERAL
ARREDONDAMENTO E TRUNCAMENTO
FUNÇÕES ESTATÍSTICAS
FUNÇÕES FINANCEIRAS: FLUXOS CONSTANTES
FUNÇÕES FINANCEIRAS: FLUXOS VARIÁVEIS
ADMINISTRAÇÃO DOS DADOS NA MEMÓRIA
O FLAG C
OUTRAS FUNÇÕES DA CALCULADORA
PROGRAMA DE CONVERSÃO DE TAXAS
EXERCÍCIOS DE VERIFICAÇÃO
SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS

DIAGNÓSTICOS
Para saber se a calculadora está com suas funções em ordem,
siga as sequências:
1. Com a calculadora desligada, execute:
X (segure) ON (liga) X (solte)
Aparece running no visor e depois -
8,8,8,8,8,8,8,8,8,8 com todos os flags (indicadores) ligados.
2. Com a calculadora desligada, execute:
÷ (divide) (segure) ON (solte) ÷ (divide)
Aperte em seguida todas as teclas em seqüência:
n i PV PMT etc
Ao final, deve aparecer o número 12 no visor.
Se os dois resultados acima não forem obtidos, leve a
calculadora para consertar.

PONTO E VÍRGULA DECIMAIS


Com a máquina desligada, execute:
. (ponto: segure) ON . (ponto: solte)
Isto muda o ponto decimal para vírgula, e vice-versa.

NÚMERO DE CASAS DEPOIS DA VÍRGULA


Execute f0 f1 f2 etc para controlar o número de casas
decimais.

TROCA DE SINAL
Coloque um número no visor e aperte CHS (change sign).
LÓGICA RPN (REVERSE POLISH
NOTATION)
A HP-12C usa a Notação Polonesa Invertida para efetuar as
operações. Enquanto que, para somar nas outras
calculadoras, se faz 3 + 2 =, para efetuar essa soma na 12C
se faz 3 ENTER 2 + obtendo 5. Por esta razão não é
necessário haver as teclas = e ( )
Com a Lógica RPN, os cálculos ficam mais rápidos.
Para se poder usar a Lógica RPN com eficiência é preciso
conhecer o mecanismo da pilha operacional (stack). É
constituída de quatro memórias internas, chamadas de X Y Z
T.
A memória X é a que se vê no visor. As demais são ocultas.
O quadro abaixo mostra como a 12C opera ao efetuar a
soma 3 + 2:
memória oculta T 9 7 1 1 1

memória oculta Z 7 1 4 4 1

memória oculta Y 1 4 2 2 4

visor X 4 2 2 3 5

ENTE
Programa --> 2 3 +
R

Os valores 9 7 1 4 já estavam na pilha (lixo).


Quando a pilha sobe, o valor que estava em T é perdido.
Quando desce, o valor de T é duplicado em Z.
A tecla ENTER duplica X em Y, levantando a pilha e
travando-a para o passo seguinte.
A digitação do 2 levanta a pilha.
A digitação do + soma o X com o Y, põe o resultado no X,
baixa a pilha e duplica o T.

CÁLCULO DE EXPRESSÕES
Para expressões mais longas, como abaixo, deve-se tomar o
cuidado de evitar que valores intermediários saiam
pelo T (stack overflow), o que produzirá resultados finais
com erro.
Exemplo de cálculo: ( 4,5 - 3,2 ) / { 8,4 - ( 1,3 x 6 ) }
T 1,00 4,00 8,00 8,00 8,00 8,00 9,00 9,00 1,30 1,30 1,30 1,30 1,30
Z 4,00 8,00 9,00 9,00 8,00 9,00 1,30 1,30 8,40 8,40 1,30 1,30 1,30
Y 8,00 9,00 4,50 4,50 9,00 1,30 8,40 8,40 1,30 1,30 8,40 1,30 1,30
X 9,00 4,50 4,50 3,20 1,30 8,40 8,40 1,30 1,30 6,00 7,80 0,60 2,20
programa --> 4,50 ENTER 3,20 - 8,40 ENTER 1,30 ENTER 6,00 x - ÷

O resultado final correto em f 9 é 2,166666667

ROTAÇÃO DA PILHA
A tecla R| (R flecha para baixo= Roll Down) permite
visualizar a pilha e posicionar um valor da pilha em X para ser
utilizado. É usada em programação.
Execute: 1 ENTER 2 ENTER 3 ENTER 4 R| R| R| R|
Os valores 1 2 3 4 vão aparecendo no visor.

TROCA DE X COM Y
A tecla X < > Y troca o valor de X com o valor de Y.
Exemplo: 5 / 2 = 2,5 2 ENTER 5 X < > Y ÷ (divide)

LIMPEZA DO VISOR
A tecla CLX (clear X) coloca zero no visor X, sem alterar o
resto da pilha.
Exemplo: multiplicar 0,5 2 3 e 4 pela constante 10:
10 ENTER ENTER ENTER 0,5 x CLX 2 x CLX 3 x
CLX 4 x
Note que o número que vem depois de CLX não levanta a
pilha, como também ocorre com o número que
vem depois de ENTER. Nos demais casos, a introdução de
um número no visorsempre levanta a pilha.

ÚLTIMO X
Executando g LST X (Last X), o valor de X antes da última
operação volta para X.
Exemplo: 2 ENTER 9 + g LSTX (o 9 volta para X)
NÚMEROS MUITO GRANDES OU MUITO
PEQUENOS
Para introduzir um número que tenha mais que 10
algarismos, como 16,55 bilhões, observe antes que 16,55
bilhões = 16.550.000.000 = 16,55 x 10 9, e introduza 16,55
EEX 9. (EEX = exponential of X)
Se for negativo: 16,55 CHS EEX 9 ENTER

Se o expoente for negativo: 16,55 CHS EEX 9 CHS


ENTER
Para ver os algarismos armazenados, execute f
PREFIX (segure).
Se quiser usar a notação exponencial permanentemente,
execute f. (f ponto), e para voltar à normal, execute f 2.

MENSAGENS DE ERRO
Execute 5 ENTER 0 ÷ (divide)
Aparece ERROR 0, pois se tentou divisão por 0.
Ver Manual da HP-12C (Condições de Erro, no Apêndice).

PERCENTAGENS
Para calcular um acréscimo de 10 % sobre 50, execute:
50 ENTER 10 % +
Note que, antes de apertar +, o 50 permanecia em Y.
Se um preço passou de $ 100 para $ 150, seu aumento
percentual foi de:
100 ENTER 150 Delta% ou 50 %
Veja que o 100 permanece em Y.
Se o total de vendas foi de $ 1.000, o valor $ 100
corresponde a 10% do total:
1000 ENTER 100 %T
e o valor $ 500 corresponde a 50 % do total: CLX 500 %T
Note que o total permanece em Y.

FUNÇÕES MATEMÁTICAS
Passos na
Passos na HP-12C O que foi feito O que foi feito
HP-12C

2 g (Raiz (Raiz Quadrada de) 2


2 ENTER 3 yx 23 = 8
Quadrada de X) = 1,414...

2 ENTER 3
3 g ex e3 = 20,09 (Anti Ln 3) x
21/3 = 1,26
1/x y
- 4
1,2 ENTER 4 1,2 = 1 /
20,09 g LN Ln 20,09 = 3
CHS yx 1,24 = 0,48

4! = 4 x 3 x 2 =
10 1/x 1 / 10 = 0,1 4 g n!
24

CALENDÁRIO PERMANENTE
Se quiser datas sob a notação americana (como 06-28-1991)
execute g M.DY (month.day year)
Para a forma brasileira (como 28-06-1991), execute g
D.MY (day.month year).
Se um CDB de 184 dias foi adquirido em 28-jun-1991, qual a
data do resgate?
28,061991 ENTER 184 g DATE
(no Brasil, use sempre g D.MY, que fica indicado no visor)
Vence em 29-dez-1991, um domingo (e o aplicador perdeu 2
dias de remuneração).
Os dias da semana são:
1 = segunda
2 = terça
3 = quarta
4 = quinta
5 = sexta
6 = sábado
7 = domingo
Quantos dias decorreram entre as duas datas acima?
28,061991 ENTER 29,121991 g (Delta) DYS ou 184
dias.
Calcule agora a sua idade hoje em anos.
(Atenção: 1 ano médio = 365,25 dias)

LIMPEZA DAS MEMÓRIAS


Há cinco tipos de memórias (veja contra-capa do Manual da
HP-12C):
(a) Pilha operacional ( X Y Z T )
(b) Registradores de uso geral
(c) Registradores financeiros
(d) Memórias de programação
(e) Memórias estatísticas (registradores de uso geral
de 0 a 6)
Para limpar (zerar) Execute

Itens a b c (acima) f ClearREG

Item c f ClearFIN

Item d f P/R f ClearPRGM f P/R

Item e f Clear (Sigma)

Itens a b c d e ( = Reset ) - (segure) ON (segure) solte as duas

MEMÓRIAS DE USO GERAL


Há até 20 memórias (registradores). Execute g MEM (segure)
para saber quantas disponiveis existem.

Se houver menos que 20 (r-20) é porque há algum programa


carregado na memória de programação.
Para voltar a 20, limpe as memórias com - ON (Reset).

Para guardar 15 na memória 5 e 22 na memória 12, execute


(STO = Store): 15 STO 5 22 STO .2 (o ponto vale 1)
Para chamá-los de volta à pilha (RCL = Recall): RCL .2 RCL
5 (o ponto vale 1)
Para acumular 1 2 e 3 na memória 1, execute: 1 STO 1
3 STO + 1 2 STO + 1
A soma acumulada é obtida por RCL 1
Da mesma forma, também pode ser feito STO - ou STO
x ou STO ÷
As memórias que aceitam acumulação são apenas 0 1 2
3 e 4.
Tente executar 7 STO + 9

ARREDONDAMENTO E TRUNCAMENTO
Digite 123,456789

Execute f 3
Execute f RND (RND = Rounded)

Execute f 9
Foi arredondado para 123,457 na memória (e não apenas no
visor, como quando foi executado f 3).
Digite 12,34

Execute g FRAC (FRAC = Fractionary)


Restou apenas a parte fracionária na memória.
Digite 12,34

Execute g INTG (INTG = integer)


Restou apenas a parte inteira.

FUNÇÕES ESTATÍSTICAS
Previsão pelo método dos Mínimos Quadrados.
Sejam as vendas mensais:
Y = vendas ($) 100 200 300 400

X = mês 1 2 3 4

Execute f Clear (Sigma) e introduza os dados (siga


verticalmente):
Y >> 100 200 300 400

ENTER ENTER ENTER ENTER

X >> 1 2 3 4
Sigma+ Sigma+ Sigma+ Sigma+

Obs: Para corrigir um par errado após ter digitado Sigma+,


digite-o novamente seguido deSigma-
Para prever as vendas no mês 5, digite:
5 g ( y circunflexo ), r (previsão de $ 500)
X < > Y (r = 1,00)
O valor de r (coeficiente de correlação LINEAR) mostra se
a previsão LINEAR foi boa ou não:
1a 0,9 a 0,7 a
r ( sem o sinal ) >> abaixo de 0,6
0,9 0,7 0,6

Previsão >> ótima boa regular não usar a previsão linear

Para achar em que mês as vendas atingirão $ 600:


600 g ( x circunflexo
Mês 6
), r

r = 1,00 ( previsão ótima: note que os dados


X<>Y
pertencem a uma reta )

Os valores médios de x e y são:


g ( x médio ) 2,5 = (1 + 2 + 3 + 4) / 4

X<>Y 250 = (100 + 200 + 300 + 400) / 4

Média ponderada das vendas (Y), tendo como pesos (w =


weighted) os meses (X):

g (x médio) w 300 = (1 x 100 + 2 x 200 + 3 x 300 + 4 x


Média ponderada dos Y com
pesos X 400) / (1 + 2 + 3 + 4)

Exemplo:
Um lote com as três duplicatas abaixo foi apresentado ao
Banco.
Qual o prazo médio de vencimento ?
Valor $ Prazo em dias

100 30

100 60

100 90

Solução:
O prazo médio é a média ponderada dos prazos, tendo como
pesos os valores:
( (30 x 100) + (60 x 100) + (90 x 100) ) / ( 100 + 100 +
100) = 60 dias de prazo médio.
É um conceito baseado em juros simples, e muito usado.
f Clear Reg

Y 30 60 90

ENTER ENTER ENTER

X 100 100 100

Sigma+ Sigma+ Sigma+

g (x médio) w 60 dias

FUNÇÕES FINANCEIRAS:
FLUXOS CONSTANTES
Mantenha sempre o FLAG C ligado no visor,
executando STO EEX.

Caso contrário, o cálculo de períodos fracionários (0,45


meses, por exemplo) será feito por juros simples, o que é
errado.
Se o fluxo de caixa for postecipado (lançamentos sempre no
final do período), execute g END.

Se forem antecipados (no início) execute g BEG. Neste caso,


o flag BEG fica ligado no visor.
PV Present Value (Valor Presente)

FV Future Value (Valor Futuro)

i Taxa de juros constante em todo o fluxo, em %

PMT Payment (Pagamento ou Parcela)

n Número de períodos iguais do fluxo

No Apêndice do Manual da HP-12C estão indicadas as


fórmulas utilizadas pela calculadora.

ATENÇÃO:
• FV quando é um dado de entrada, não é o valor futuro
do fluxo,
mas apenas a sua última parcela.
• PV quando é um dado de entrada, não é o valor
presente do fluxo,
mas apenas a sua primeira parcela.

PAGAMENTO ÚNICO
(quando PMT = 0)
Se aplicarmos $ 100 a 10 % a/m, no fim de 3 meses teremos
$ 133,10 (juros compostos).
100 ENTER 10 % + 10 % + 10 % +
ou, o que dá na mesma, 100 x (1,10) 3
Usando as funções financeiras, esse cálculo é feito assim:
f ClearFIN 100 PV 10 i 3 n FV
Note que os sinais de PV e de FV devem
ser opostos (entra 100 sai 133,10; ou sai 100
eentra 133,10). Não importa se valor positivo significa
entrada ou saída: o que importa é que os sinais sejam
diferentes. Por exemplo, se o $ 100 acima fosse introduzido
como negativo, a calculadora forneceria FV como positivo.
Esta convenção de sinais vale em qualquer situação.

Aplicando $100 e recebendo $133,10 em 3 meses, a


rentabilidade será de 10% a/m:
f ClearFIN 100 CHS PV 133,10 FV 3 n i
Note que o período de referência da taxa (mês) e
a duração de cada período (mês) têm sempre a mesma
unidade de tempo. Não importa, para a calculadora, qual é
a duração de cada período nem o período da taxa. Assim,
fornecer o período em meses e taxa ao ano provoca
resultados errados. A taxa e o periodo sempre devem ter
a mesma unidade: mês com mês, ano com ano, dia com dia
etc.

Em quanto tempo $ 100 se capitaliza em $ 133,10, a 10 %


a/m ? Em 3 meses:
f ClearFIN 100 CHS PV 133,10 FV 10 i n
O valor de n é sempre arredondado para mais. Verifique,
fazendo FV = 133,20 cujo resultado correto é n = 3,008. A
calculadora fornecerá n = 4. Se convertermos essa taxa para
diária, o erro de arredondamento se reduz a 1 dia no máximo
(sobre a conversão de taxas de mês para dia, ver mais
adiante neste Caderno).
SÉRIES UNIFORMES
(quando PMT não é zero)
Para financiar $ 200 em 6 meses a 15 % a/m, as parcelas
serão de $ 52,85, se postecipadas:
g END f ClearFIN 200 PV 6 n 15 i PMT
ou de $ 45,95, se antecipadas, isto é, com g BEG
PMT (1 + 5 meses, na linguagem do comércio)
Note que f ClearFIN não foi executado no cálculo de (1+5),
pois os dados já estavamguardados na calculadora. Se
forem postecipadas, e além disso houver, junto com a última
parcela, uma de $200 (chamado pagamento balão), então as
mensalidades serão de $30:
g END 200 CHS FV PMT
O sinal de FV, é o mesmo de PMT, pois ambos são
pagamentos. As parcelas de $30 correspondem aos juros
mensais de 15% sobre $200 (PV), já que esse é o sistema
americano de amortização, onde o principal da dívida
(PV=$200) só é pago no final do prazo.
Se um preço à vista for de $150, e a prazo as parcelas
mensais forem de $44,09 em 1+3 vezes, então o custo do
financiamento será de 12% a/m (flag BEG agora ligado):
f ClearFIN 150 PV 44,09 CHS PMT 4 n i

FUNÇÕES FINANCEIRAS
FLUXOS VARIÁVEIS
TAXA INTERNA DE RETORNO
(Internal Rate of Return, IRR)

O custo mensal de uma dívida de $ 237,25, paga com o fluxo


de caixa abaixo, foi de 9,3% a/m:
fim do mês 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

valor pago $ 57 31 31 31 64 0 19 0 0 152


.

PASSOS NA CALCULADORA
(siga verticalmente)
f clearREG g CFj 64 g CFj 152

237,25 31 g CFj 0 g CFj

CHS g CFj 0 g CFj f IRR

g CFo 3 g CFj 2

57 g NJ 19 g Nj

Use CFo para introduzir a parcela da data zero.

Use CFj para as demais.


Mesmo que seja zero, a parcela deverá
ser também introduzida, pois a contagem dos períodos é
feita contando as parcelas introduzidas.
Essa contagem é feita na memória n (com RCL n pode-se ver
quantas vezes CFjfoi pressionado).
Se uma parcela se repete, use N j para indicar essa
repetição.

Atenção: Nem sempre existe uma taxa de retorno de um


fluxo.
Nesses casos, a calculadora apresenta ERRO.

VALOR PRESENTE LÍQUIDO


(Net Present Value, NPV)

No fluxo acima, qual o NPV? Execute f NPV sem limpar a


memória. O resultado é zero, pois toda a dívida foi
amortizada (paga). Aliás, essa é a própria definição de Taxa
Interna de Retorno: é aquela que zera o NPV.

ADMINISTRAÇÃO DOS DADOS NA


MEMÓRIA
Esta parte é útil quando se lida com fluxos de caixa
complicados.

Cada vez que CFj é pressionado, seu valor vai para a


memória de uso geral de ordem j. Sem ter limpado a
memória, execute RCL 0, RCL 1 etc., e veja os valores do
fluxo acima. Esses valores também podem ser alterados
via STO, sem que todo o fluxo tenha que ser novamente
introduzido.
O tamanho máximo do fluxo que pode ser armazenado
depende da memória disponível (execute g MEM). O valor
de r indica quantas vezes CFj pode ser pressionado. O fluxo
máximo terá 20 valores diferentes (CFj), sendo que cada
valor poderá ser repetido até 99 vezes (Nj). Se o valor
de r for menor que 20, significa que há programas
armazenados na memória de programação. Limpando
esta, r volta a 20.
Cada vez que CFj é pressionado, o valor de n aumenta de 1.
Quando o fluxo é calculado (IRR ou NPV), o valor de n indica
até onde, na memória, a calculadora irá buscar os valores do
fluxo. No caso acima, n = 7 (execute RCL n), pois CFj foi
pressionado 7 vezes. Por exemplo, executando 6 STO n e
depois f IRR, a taxa resultante não incluirá a parcela de $152
no fluxo acima.
O valor de NPV é armazenado
em PV e IRR em i (execute RCL PV, RCL i) .
Para alterar o valor de Nj, coloque em n o valor de j,
com STO n; digite o novo valor de Nj; execute STO g Nj;
restaure o valor de n com STO n. Para verificar o valor de Nj,
coloque em n o valor de j, com STO n; execute RCL g Nj;
restaure o valor de n com STO n.
Há casos em que IRR não existe, ou então possui vários
valores simultâneos. Isto geralmente ocorre quando o fluxo
possui mais de uma inversão de sinal (os lançamentos do
fluxo ora são positivos, ora são negativos). Em tais casos, o
cálculo de IRR poderá ocasionar mensagens de erro
(ERROR ...). Não use a IRRem tais situações. Prefira
o NPV ou outro método de análise financeira.

O FLAG C
O flag C (de Compound interest, ou juros compostos), que
aparece no visor quando se digita STO EEX, indica à
calculadora se os períodos fracionários de um fluxo serão
tratados usando taxas de juros simples ou compostas.
Mostraremos isto através de um exemplo.
Em 10 de abril, foi contratado um empréstimo para ser pago
em 2 parcelas mensais de $ 70, em 30 de maio e em 30 de
junho, a juros de 15 % a/m. Qual o valor do empréstimo se,
durante o período de carência de 20 dias, forem utilizadas
taxas de juros: (a) compostos; (b) pro rata tempore (em
proporção ao tempo, isto é, juros simples ou proporcionais) ?
O fluxo de caixa é o seguinte:
O valor do empréstimo em 30-4 é obtido por PV: f
ClearFIN 70 PMT 15 i 2 n PV ou $113,80.
Para computá-lo em 10-4, o valor deverá ser descapitalizado
por 20 dias (juros compostos) a uma taxa que depende do
caso (a) ou (b).
No caso (a), com a taxa convertida via juros compostos,
esta será de 9,765 % em 20 dias (no próximo item veremos
como se faz essa conversão de taxas).
Assim, o valor do empréstimo será de 113,80 / 1,09765 =
103,68 já que 103,68 mais 9,765 % de juros dá 113,80:
103,68 ENTER 9,765 % + (113,80)
No caso (b), juros simples, a taxa será de (15 / 30) x 20, ou
de 10 % em 20 dias.
O empréstimo será então 113,80 / 1,10 = 103,45 pois
103,45 mais 10 % de juros dá 113,80.
Assim, no caso (a) o valor do empréstimo será
de $103,68 enquanto que em (b) será de$103,45
Usando agora a calculadora, e lembrando que o prazo do
fluxo é de 80 dias, ou de 80 / 30 = 2,6666666 meses, o
cálculo fica:
f ClearFIN 70 PMT 15 i 2,66666 n PV
ou $ 103,45 com o flag C desligado,
e $ 103,68 com o flag C ligado.
Concluindo, no período fracionário (20 / 30 meses = 0,66666
meses) a calculadora usa taxa de juros proporcionais se o flag
C estiver desligado, e taxa de juros compostos com C ligado.

OUTRAS FUNÇÕES DA CALCULADORA


As funções AMORT (amortização de empréstimos pelo
método francês, ou Price), INT, 12xe 12÷ (juros
simples), BOND (títulos) e DEPRECIATION (depreciação
pela soma dos dígitos, linear e acelerada) podem ser
encontradas no Manual, bem como detalhes sobre a
elaboração de programas. Esses cálculos nem sempre são
iguais aos utilizados no Brasil.

PROGRAMA DE CONVERSÃO DE TAXAS


Suponhamos que um montante de $ 1000 tenha sido aplicado
durante 12 meses à taxa de 1 % a/m. Naturalmente, após
esse tempo, o montante (capital + juros) será de
f ClearFIN 1000 PV 1 i 12 n FV
ou $ 1126,83. Se, no entanto, pensarmos em termos de 1
ano, ao invés de 12 meses (o que obviamente dá na mesma),
a taxa anual de juros terá sido então de
1000 ENTER 1126,83 (Delta)%
ou 12,68% ao ano.
Assim, dizemos que a taxa de 1 % a/m é equivalente a
12,68 % a/a
(e não a 12 % a/a, como erroneamente às vezes se faz).
Notemos, que essas taxas, 12,68 % e 1 %, podem ser tanto
taxas de juros como taxas deinflação. O processo de
conversão é exatamente o mesmo nos dois casos. Assim,
12,68% a/a de taxa de inflação (ou de correção monetária,
ou de atualização monetária) equivale a uma taxa de
inflação mensal de 1%, e vice-versa.
Como problemas de conversão de taxas são muito comuns,
podemos automatizar esse procedimento, carregando na
calculadora o programa seguinte (que elimina o antigo uso de
fórmulas de conversão de taxas):
Atenção: Se o modelo da HP12C não for GOLD, é
necessário desligar o flag ALG(modo algébrico) para que o
programa abaixo possa ser executado.

SOFTWARE DE CONVERSÃO AUTOMÁTICA DE TAXAS


(siga verticalmente)

f P/R X<>Y + (mais) - (menos)


f PRGM EEX 2 X<>Y EEX 2
X<>Y
÷ (div) YX X (vezes)
(troca)
÷ (div) 1 1 f P/R

Em seguida verifique se o programa foi corretamente


carregado, executando o teste:
1 ENTER 30 ENTER 360 R/S
O resultado no visor, em f 5, deverá ser 12,68250.
Se este valor não tiver sido obtido, carregue e teste
novamente o programa, até funcionar.
Para utilizar o programa, convertamos 1 % a/m para % a/a:
Passos Exemplo

Digite a taxa a converter em % 1

ENTER ENTER

Digite o nº de dias da taxa a converter 30

ENTER ENTER

Digite o nº de dias da taxa convertida 360

Execute o programa de conversão


R/S
(Run/Stop)

O resultado será 12,68 % a/a, equivalente à taxa de 1 %


a/m, como já visto anteriormente.
Verifique, agora, alguns exemplos, como exercicio:
CONVERSÃO DE TAXAS DE JUROS COMPOSTOS
períodos comerciais ou civis
12,68 % a/a 1 % a/m

25 % a/m 1 355,19 % a/a

12 % a/m em janeiro (31 dias) 42,56 % em 97 dias corridos

500 % a/a civil (365 dias) 0,49 % a/d corrido

1,5 % a/quadrimestre 2,26 % a/semestre

20 % a/bimestre comercial 791,61 % a/biênio comercial

19,16 % a/m
0,8 % a/d
(overnight: 22 dias de compensação)

CONVERSÃO DE TAXAS DE INFLAÇÃO


períodos geralmente comerciais: meses com 30 dias
0,5 % a/d 502,25 % a/a

300 % a/a de Atualização


12,25 % a/m de Atualização Monetária
Monetária

50 % a/m (hiperinflação) 12 874,63 % a/a

10 % a/m 213,84 % a/a

Note que:
Ano comercial = 360 dias
Mês comercial = 30 dias
Ano civil = 365 ou 366 dias, ou 365,25 dias (para longo
prazo)
Mês civil = 28 ou 29 ou 30 ou 31 dias, ou 30,44 dias (para
longo prazo)

EXERCÍCIOS DE VERIFICAÇÃO
Os exercícios que se seguem servem para verificar se os
conhecimentos sobre a utilização da HP-12C foram
assimilados. Resolva-os primeiro e depois confronte com as
respostas corretas, que se encontram no fim deste
Caderno. Não se aprende Matemática Financeira sem resolver
muitos exercícios.
1. João contraiu um empréstimo de $ 1.732 para ser pago
daqui a 7 meses, a juros de 12 % a/m. Quanto deverá ser
pago no vencimento?
2. Pedro aplicou $ 7.212 numa Caderneta de Poupança que
rende 8,5 % a/m. Quanto poderá sacar daqui a 2 meses?
3. José comprou uma calculadora cujo preço à vista era de $
28.212. Como não possuía esse montante, resolveu pagar a
prazo, através de um plano de 10 prestações mensais iguais e
consecutivas, a juros de 7 % a/m. Qual o valor das
mensalidades?
4. Antonio aplica $ 39.000 em uma Caderneta de Poupança
que paga juros de 6,33 % a/m. Para poder retirar esse valor
em 12 parcelas iguais durante o ano, qual será o valor do
saque mensal ?
5. Uma empresa ingressa na Justiça, movendo ação de
perdas e danos. Se essa Causa for perdida, terá que pagar,
em 48 horas, a importância de $ 157.200, em moeda de
hoje. Para se precaver, resolve depositar uma certa quantia
em um Fundo de Investimentos, que rende 12,33 % a/a,
mais CM. Sabendo-se que esse Processo demora no mínimo
2,5 anos, quanto a empresa deverá depositar hoje no Fundo?
O valor de $ 157.200 é atualizado pela mesma CM do Fundo.
6. Raymundo pagou, através de Cartão de Crédito, a quantia
de $ 74.666, referente à compra de um sofá, realizada há 45
dias atrás. Sabendo-se que o custo do dinheiro foi de 9,3 %
a/m, por quanto poderia ter saído o sofá, se comprado à
vista?
7. Quando nasceu Chiquinha, seu pai resolveu depositar, todo
mês de dezembro, certa quantia em dinheiro, de tal modo
que tivesse, ao se casar com 25 anos, uma reserva de $
500.000, a valores de hoje. Se o dinheiro pode ser aplicado a
11 % a/a mais CM (depois do IR), de quanto deverão ser os
depósitos anuais, a valores de hoje?
8. Um estudante recebe uma Bolsa de Estudos mensal,
durante os 4 anos de Faculdade, para ser paga logo após esse
prazo, quando então sua dívida não poderá ter ultrapassado o
teto de 60 salários-mínimos. Se a taxa cobrada é de 3 % a/a
(real), qual o máximo valor anual dessa Bolsa?
9. No caso anterior, se a Bolsa devesse ser paga em 60
parcelas mensais iguais, a 0,25 % a/m, qual o valor das
mensalidades?
10. Uma empresa realiza uma compra para ser faturada em
30/60/90 ddl. Cada parcela vale $ 1 milhão. Se o custo do
dinheiro é de 15 % a/m, qual deveria ser o valor da compra
para pagamento à vista?
11. Uma mercadoria pode ser paga à vista com $ 70.000, ou
em 5 parcelas mensais postecipadas de $ 20.000. Qual o juro
cobrado?
12. No caso anterior, se o pagamento fosse de 1 + 4 parcelas
de $ 20.000, qual teria sido a taxa cobrada?
13. Se, no problema 11, a taxa fosse de 10 % a/m, quantas
parcelas mensais postecipadas de $ 20.000 seriam cobradas?
Verifique a resposta.
14. Um empréstimo de $ 70 foi liquidado em uma única
parcela de $ 103, a juros de 7 % a/m. Qual o prazo
decorrido?
15. Mensalmente, foi aplicado $ 49 em um Fundo, durante 27
meses, fornecendo ao final um saldo de $ 3.250. Qual a
rentabilidade mensal desse Fundo?
16. Um lote de ações foi adquirido por $ 172 e vendido 52
dias depois por $ 232. Qual a lucratividade mensal dessa
operação?
17. O valor da ORTN (correção monetária oficial) em dez-84
era de 22.110,46, e o de jun-85, 42.031,56. Qual a CM no 1º
semestre de 1985? Qual sua média mensal? Mantida essa
média, qual a previsão da ORTN para dez-85?
18. A taxa de câmbio do dólar em 7-10-85 era de 7.965 e em
26-11-85, de 9.195. Qual a correção cambial média mensal
nesse período?
19. Em fev-86, a taxa de juros do cheque especial em um
Banco era de 238 % a/a, capitalizada diariamente pela taxa
nominal, à qual deveria ser acrescido o IOF de 0,0041 % a/d.
Qual a taxa anual efetivamente paga pelo correntista?
20. Na Idade Média, era comum determinar a taxa de juros a
ser cobrada em um empréstimo em função do prazo desejado
pelo capitalista para dobrar o principal. A fórmula utilizada
era: Prazo para duplicação = 73 / Taxa de juros em %
(conhecida como Banker's Rule). Por exemplo, para dobrar o
capital em 6 meses, a taxa a ser cobrada deve ser de 73 / 6
= 12,2 % a/m. Verifique a validade da regra neste exemplo:
Em 18-set-2003 (Gazeta Mercantil, pg.1) o presidente do
Banco HSBC declarou: "Preciso dobrar o Banco a cada 5
anos". Verifique a taxa anual de crescimento prevista.
NOTA: Para taxas menores que 3%, use a fórmula N=70 /
taxa%.
Se for maior que 3%, use N=73 / taxa%.
Ver aqui.
21. Quando ainda não havia calculadoras, o cálculo das taxas
de retorno era feito de forma simplificada através das
fórmulas a seguir (PMT e PV positivos, pagamentos sempre
postecipados):

Verifique com um exemplo a validade dessas fórmulas.


22. Diz a História que a ilha de Manhattan, onde se localiza a
cidade de New York (EUA), foi comprada, em 1626, pelo
holandês Peter Minuit, que pagou por ela US$ 24.00 aos
índios Mahican, considerado pelos historiadores um valor
irrisório. Supondo que o terreno da ilha tenha se valorizado
em média à taxa de 7% ao ano, qual o valor da ilha em
2006 ?
23. Um jogador passou 70 anos apostando na Mega-Sena,
fazendo duas apostas de R$ 4.50 por semana (nas quartas-
feiras e nos sábados). Nunca ganhou nada (a chance de
ganhar é de uma em ~50 milhões de apostas = combinação
de 60 números não repetidos, tomados 6 a 6). Se ele tivesse
aplicado o valor dessas apostas a 1% ao mês, aplicando R$
9.00 toda semana, quanto teria ganho na aplicação, depois
desse tempo ?
24. Em um artigo da Folha de São Paulo, de 04-jun-2006, o
articulista diz: "No período de 1996 a 2005, a economia
mundial cresceu 3,8% ao ano; o Brasil cresceu 2,2%. Nesse
ritmo, o mundo dobrará a renda per capita em 30 anos; o
Brasil levará cem anos." Supondo que o crescimento da
economia mundial tenha sido medido pela variação da renda
per capita (~PIB / população), verifique a validade dessas
conclusões (30 anos e 100 anos).
25. Um fumante gasta R$ 2,80 por dia com um maço de
cigarros. Após 50 anos fumando (e continuando vivo), quanto
teria acumulado em R$ se aplicasse mensalmente seus gastos
com cigarros em um fundo a 1% ao mês ? Usar o mês
comercial.
26. Uma loja tem o seguinte anúncio colado em uma
geladeira: "Valor à vista: R$ 2.100,00 ou em 3 vezes sem
juros". Considerando que a loja cobra 8% a/m do
consumidor, como deveria ser esse anúncio, se fosse honesto
?
27. Segundo o jornal Valor Econômico de 13-mar-2008, os
Bancos captaram, em 2006 e 2007, no exterior, US$ 440
bilhões, permitindo aumentar as linhas de crédito para os
consumidores. Tomando como exemplo um carro de R$
40.000 à vista, taxa de 4.5% ao mês, e prazo de
financiamento de 0+90 meses, quantos carros o consumidor
terá que pagar para ter um carro ? Qual o faturamento do
Banco ?
28. Em abril de 2008, foram divulgadas a taxas de juros
vigentes no mercado. Verifique a validade (ou não) dos
pagamentos indicados pelo jornal:

Taxas de Juros Vigentes


Estadão, 18-abr-2008, p. B1

R$ 1.000 por 20 dias


Cheque especial 7,73% a/m
custa R$ 51,53

R$ 1.000 por 30 dias


Cartão de crédito 10,37% a/m
custa R$ 103,70

R$ 800 à vista sem entrada


Crediário 5,03% a/m custa R$ 12 x 95,58 = R$
1.145,96

R$ 1.000
Crédito pessoal 5,32% a/m custa 6 x R$ 199,04 = R$
1.194,24

R$ 25.000 sem entrada


Financiamento de CDC 3,01%
custa 60 x R$ 905,25 = R$
carro a/m
54.315,20
SOLUÇÃO DOS EXERCÍCIOS
• Ao iniciar um novo problema, limpe a memória
financeira com f ClearFIN.
• Também os flags C e D.MY deverão ser mantidos
ligados, e o flag BEG desligado.
• Essas inicializações não serão indicadas a cada novo
exercício, para evitar repetições.
1. 1732 PV 7 n 12 i FV (3.829)
2. 7212 PV 2 n 8,5 i FV (8.490)
3. 28212 PV 10 n 7 i PMT (4.017)
4. 39000 PV 12 n 6,33 i PMT (4.736)
5. 157200 FV 2,5 n 12,33 i PV (117.547)
6. 74666 FV 9,3 i 45 ENTER 30 (divide) n PV (65.342)
7. 500000 FV 25 n 11 i PMT (4.370)
8. 4 n 3 i 60 FV PMT (14,34)
9. 60 PV 0,25 i 60 n PMT (1,08 SM)
10. 3 n 1 PMT 15 i PV (2,28 milhões)
11. 70 PV 20 CHS PMT 5 n i (13,2 % a/m)
12. (sem limpar as memórias) g BEG i (21,9 % a/m)
13. (sem limpar) g END 10 i n (5 meses, arredondado para
mais)
4 n FV (9.667 dívida após pagamento da 4ª parcela)
10 % + (10.634 valor da 5ª parcela)
Resposta: 4 parcelas de $ 20.000 e a 5ª de 10.634.
Verificação: f ClearREG 20000 gCFj 4 gNj 10634 gCFj 10 i f
NPV
(70.000 valor presente da dívida amortizada).
14. 7 ENTER 30 ENTER 1 R/S (7 % a/m = 0,226 % a/d)
i 70 PV 103 CHS FV n (172 dias, arredondado para mais)
15. 49 PMT 27 n 3250 CHS FV i (6,26 % a/m)
16. 172 PV 52 ENTER 30 (divide) n 232 CHS FV i (18,8 %
a/m)
17. 22110,46 PV 42031,56 CHS FV 1 n i (90,1 % a/smt)
6 n i (11,3 % a/m média mensal)
RCL FV PV FV (79.901,19 previsão para dez-85)
18. 7.101985 ENTER 26.111985 g (delta)DYS (50 dias
decorridos)
30 (divide) n 7965 PV 9195 CHS FV i (9.00 % a/m, flag C
ligado)
19. 238 ENTER 360 divide 0,0041 + (0,6652 % a/d nominal)
1 ENTER 365 R/S (1.024,6 % a/a efetiva)
20. Taxa (Banker's Rule) = 73 / 5 = 14.6% a/a
1 PV 2 CHS FV 5 n i (14,9 % a/m, razoável)
21. Tomemos um financiamento de $560 para ser pago em 7
x $146,92. Custo desse empréstimo:

560 PV 7 n 146.92 CHS PMT i (18%, igual ao valor acima)


A vantagem desse método antigo é que o cálculo da TIR é
muito mais rápido.
Para ver como essa fórmula foi deduzida, consulte aqui.
22. 24 PV 7 i 2006 ENTER 1626 - n FV (US$ 3.5 trilhões)
23. Um ano tem 52 semanas, e 70 anos tem 3640 semanas.
Apostando R$ 9.00 por semana @ 0.25% a/semana (juros
reais liquidos): 3640 n 0.25 i 9 PMT FV (R$ 31.871.415,49,
ou ~32 milhões de reais constantes da data zero).
Naturalmente, quem ficou com esse ganho foi o banqueiro do
jogo, no caso, a Caixa Econômica Federal.
OBS: O cálculo do número de semanas (3640) esta'
simplificado. O valor exato é: número de dias por ano =
365,25 (incluindo os bissextos); número de semanas em 70
anos = (365,25/7) * 70 = 3.652,50. Usando este valor como
n, FV = 32.840.924,58.
24. Incorretas. A 3.8% ao ano, a economia mundial dobraria
em 19 anos (73/3.8, Banker's rule). A 2.2% a/a, a economia
brasileira dobraria em 33 anos (73/2.2, Banker's rule).
25. 2.80 ENTER 30 x PMT 50 ENTER 12 x n 1 i FV (3.28
milhões)
26. gBEG 700 PMT 3 n 8 i PV (Anúncio honesto: "R$
1.948,29 à vista ou em 1+2 vezes com juros compostos de
8% a/m". O único problema é que a população não entende
essa linguagem.)
27. Prestação mensal: fClearFIN 40000 CHS PV 90 n 4.5
i PMT (=1.834,93)
Total a pagar: RCL n x (=165.143,37)
Total a pagar em número de carros: RCL PV divide (=4,13)
Faturamento do Banco (4,13-1): 165.143,37 – 40.000 = R$
125.143,37 (3,13 carros)
Conclusão: O consumidor pagará 4,13 carros por um carro. A
concessionária receberá o valor de um carro (R$ 40.000) e o
Banco receberá o valor de 3,13 carros (R$ 125.143,37). Note
que os 4,13 carros pagos independe do valor à vista do carro,
isto é, vale para carros de qualquer valor à vista. Observe
também que quanto menor a prestação, maior o pagamento
total a ser feito.
28.

Taxas de Juros Vigentes Verificação Resultado


Estadão, 18-abr-2008, p. B1

1000 PV
0.6667 n
R$ 1.000 por 20 A taxa
7,73% 1051.53 CHS
Cheque especial dias paga é
a/m FV
custa R$ 51,53 maior
i = 7.83%
a/m

1000 ENTER
R$ 1.000 por 30 1103.70
Cartão de 10,37% Taxa
dias Delta%
crédito a/m correta
custa R$ 103,70 i = 10.37%
a/m

800 PV 12 n
R$ 800 à vista
95.58 CHS
sem entrada Taxa
5,03% PMT
Crediário custa R$ 12 x publicada
a/m gEND
95,58 = R$ i errada
= 6.03%
1.145,96 a/m

Crédito pessoal 5,32% R$ 1.000 1000 PV 6 n Taxa


199.04 CHS correta
a/m custa 6 x R$
PMT
199,04 = R$
gEND

1.194,24 i = 5.32%
a/m

25000 PV 60
R$ 25.000 sem n
CDC entrada 905,25 CHS
Financiamento Taxa
3,01% custa 60 x R$ PMT
de carro correta
a/m 905,25 = R$ gEND
i = 3.01%
54.315,20
a/m

Menu Introdução
Saída
Aqui estão reunidas as dúvidas mais comuns dos
alunos quanto à calculadora HP-12C. Para outras
informações, entre em contato (veja a Saída).

Testes de Funcionamento

Para verificar se sua calculadora está funcionando


corretamente, existem alguns testes que você poderá
fazer. Isso é particularmente útil no momento de adquirir
sua máquina com segurança. Realize em sua máquina os
seguintes testes:

• Se a calculadora não responde ao acionamento de


teclas
Pressione simultaneamente as teclas PMT e ON e as
solte.
• Para testar o teclado e o visor
Com a calculadora desligada, mantenha pressionada a
tecla • (ponto) e pressione a tecla ON com um outro dedo.
Isso fará com que quatro segmentos do visor fiquem
acessos. Inicie agora o pressionamento sucessivo de todas
as teclas, da esquerda para a direita e de cima para baixo,
a começar pela tecla n (n, i, PV, etc...). A
tecla ENTER será pressionada duas vezes: uma quando
estivermos percorrendo a terceira linha de teclas e outra
quando estivermos na quarta ou última linha de teclas. Ao
terminar o teste, quando devemos ter acabado de
pressionar a tecla +, deverá aparecer uma das duas
mensagens:

◊ o número 12 indicando que o teste foi bem sucedido e


que não há nenhum problema com o visor nem com o
teclado da máquina;
◊ a mensagem Error 9, indicando que alguma tecla foi
apertada fora de ordem ou que existe algum problema
com teclas ou visor. Repita o processo e verifique se a
ocorrência se repetirá.

• Para se testar o circuito eletrônico da máquina.


Com a calculadora desligada, mantenha pressionada a
tecla X e pressione a tecla ON com um outro dedo. A
calculadora entrará no modo de execução e a
mensagem running aparecerá no visor por alguns
segundos. Depois disso, todos os segmentos ficarão
acessos, formando a mensagem:
-8,8,8,8,8,8,8,8,8,8,
além dos indicadores de estado
USER f g BEGIN GRAD D.MY C PRGM
exceto o asterisco (*) indicador de bateria fraca.

Configurações

• Para trocar o ponto decimal pela vírgula decimal (e


vice-versa)
Desligue a calculadora. Agora com a tecla • (ponto)
pressionada, ligue-a. Aconselho ao aluno a deixar a
vírgula como separadora das casas decimais, pois este é o
modo adotado no Brasil.

• Para limitar o número de casas decimais


Pressione a tecla amarela f e, em seguida, a tecla
numérica indicadora do número de casas decimais com
que se deseja visualizar. Pronto. A calculadora mostrará
apenas o número de casas decimais especificado.
Aconselho ao aluno a utilizar 2 casas decimais
(digitando f 2), principalmente devido aos centavos.
Apesar disso, a HP continuará com o número de 9 casas
decimais em seu interior, mesmo mostrando apenas 2
casas. Quando precisar exibir mais de duas casas
decimais, digite f seguido do número necessário.
Atenção: Estes procedimentos arredondam o número
considerado. Vamos exemplificar:

Pressione Visor
f2 0,00
8.304 ENTER 8,30
8.305 ENTER 8,31
8.306 ENTER 8,31

Observe que o número digitado foi 8,304 mas a


calculadora o exibe como 8,30 (duas casas decimais). Já
os outros dois valores apresentam a terceira casa decimal
5 e acima de 5 (6). Isso faz com que as segundas casas
sejam arredondadas de 0 para 1 (sempre aumenta 1
unidade). A explicação do fato é que 8,306 está mais
próximo de 8,310 do que 8,300. Já 8,305 por estar no
meio, a máquina arredonda para cima, pois neste caso
tinha que escolher. No entanto, em qualquer caso, a
calculadora manterá o número original em seus cálculos,
a não ser que a função RND seja usada.

• Para utilizar um número como o mesmo é mostrado no


visor
Vimos que a calculadora pode mostrar um número de
forma diferente, como o usuário configurou com as
teclas f e o número de casas decimais desejado. Assim, a
fração 1/7 quando a máquina estiver mostrando apenas 2
decimais será:

Pressione Visor
1 ENTER 1,00
7 ÷ 0,14

embora se pressionarmos f 9, a calculado-ra exibirá mais


casas decimais:

Pressione Visor
f9 0,142857143
f4 0,1429

Agora, se as teclas f RND forem pressionadas, o número


interno ficará igual ao mostrado no visor:

Pressione Visor
f RND 0,1429
f9 0,142900000

Algumas Operações

• Para elevar à potência


Podemos utilizar a tecla y x para elevarmos um número y a
uma base x que está no visor:

34
Pressione Visor
3 ENTER 3,00
4yx 81,00

No entanto, quando o expoente for 2, podemos usar um


caminho mais curto:

12 2
Pressione Visor
12 ENTER X 144

• Para tirar a raiz quadrada

Pressione Visor

30 g 5,48

Taxa de Juros de um Financiamento

Uma das utilidades mais imediatas do dia a dia é o


cálculo da taxa cobrada pela empresa financeira, seja na
compra de um automóvel, seja na compra de um
liquidificador. Para se tornar um expert, é necessário, no
mínimo, um curso. No entanto, para resolver uma
situação simples, podemos, por enquanto, decorar os
passos abaixo:

Seja o financiamento de um automóvel no valor de R$


15.000,00. A entrada de 30% seré dada e o restante será
pago em 24 parcelas de R$ 620,00. Encontre a taxa
mensal de juros.

Pressione Visor
f CLEAR FIN (mantido)
15000 ENTER 15.000,00
30% - 10.500,00
PV 10.500,00
24 n 24,00
620 CHS PMT -620,00
i 3,00

Antes de digitar o que está acima, verifique se não se


encontra no visor a indicação BEGIN , indicadora do
modo de financiamento onde a entrada tem o valor das
parcelas (não é o caso). Se estiver, pressione as teclas g
END . Inicialmente, limpamos os registradores
financeiros com as teclas f CLEAR FIN . Depois,
introduzimos o valor do bem, 15.000 e descontamos a
entrada de 30%. Em seguida, o valor é armazenado no
registrador PV . Introduzimos 24 no registrador n ,
representando o prazo e o valor das parcelas, 620,00, com
o sinal negativo, indicando fluxo de caixa de saída
(portanto, negativo). Assim, pressionamos a tecla i e
finalizamos o problema, encontrando a taxa de juros de
3% ao mês.

HP-12C Financial Emulator

Aqui, você tem a opção de fazer o download do programa


que simula a calculadora HP-12C na tela de seu micro. O
arquivo VBRUN300.zip contém o arquivo Vbrun300.dll
que é necessário para rodar HP12c.exe, mas somente faça
download se você não conseguir rodá-lo. Atenção,
usuários em empresas: não se tem informações sobre este
programa quanto ao seu registro (se é shareware,
freeware, etc.). Quem me enviou este programa foi o
aluno do 6o semestre de Ciências Contábeis Sérgio.
Valeu, Sérgio!

Arquivo Tamanho
Hp12c.zip 89 Kbytes
VBRUN300.zip 226 Kbytes

Menu
Saída

Cálculos Básico na HP 12C (RPN)


Diferentemente das Cálculadoras convencionais, que utilizam o método algébrico convencional,
as HPs financeiras, utilizam o método Notação Polonesa Inversa, (RPN na sigla em inglês,
de Reverse Polish Notation), que permite uma linha de raciocínio mais direta durante a
formulação e melhor utilização da memória.
[editar]Cálculos básicos comuns
Por utilizar a notação RPN, a HP 12C exige um algoritmo (seqüência de passos) de cálculo
diferenciado para a sua utilização. Por exemplo, para que se possa somar dois valores é
preciso realizar a seguinte operação:

 primeiro valor

 Tecla [ENTER]

 segundo valor

 Tecla [+]
[editar]Cálculos financeiros básicos
Para a realização de cálculos financeiros básicos com a HP 12C (calculos de juros simples ou
compostos) é preciso estar ciente das seguintes teclas:

Indica o prazo que deve ser considerado. Pode ser dado em dias, meses, trimestres, anos,
desde que de acordo com a taxa de juros.

Significa interest (juros, em inglês).Indica a taxa de juros usada no trabalho com o capital. Deve
estar de acordo com o indicador de tempo.

PV

Significa Present Value (valor presente, em inglês). É o capital inicial sobre o qual os juros,
prazos e amortizações serão aplicados.

FV

Significa Future Value (valor futuro, em inglês). É o montante final resultante da soma dos juros
acumulados com o Capital inicial, descontados os pagamentos, caso existam.

PMT

Significa Periodic Payment Amount (valor do pagamento periódico, em inglês. É o valor de uma
parcela que pode ser adicionada ou subtraída do montante a cada período.

Para realizar cálculos nessa modalidade é necessário informar pelo menos 3 informações
iniciais e obteremos uma outra como resposta. É importante ter em mente que [PV] e [FV] terão
sempre valores com sinais opostos, pois se um representar uma saída de caixa, o outro será
uma entrada de caixa. Caso o cálculo exija que sejam inseridos [PV] e [FV] simultaneamente
para a obtenção de [i], [n] ou [PMT], deve ser pressionado [CHS] (chang signal) antes da
inserção de um dos dois.

HP 12C gold
[editar]Exemplos

Se tenho R$ 1.500,00 aplicado na poupança e for colocando R$ 100,00 todos os meses


durante 10 anos (120 meses), quanto vou ter no final? (taxa anual de poupança: 6% a.a., que
convertido utilizando-se a taxa de equivalencia, pois se trata de juros compostos. A taxa ao
mês, fica em 0,4867% a.m.) Deve-se digitar os valores e apertar os botões indicados:

1500 <CHS> <PV>


100 <CHS> <PMT>
0.4867 < i >
120 <n>
<FV>

o Resultado sera de R$ 18.932,86.

Se nasci em 18 de maio de 1970, hoje completo quantos dias de existência? Deve-se digitar as
datas (com os pontos) e apertar os botões indicados:

<g> <D.MY>
18.051970 <Enter>
31.032009 <g> <ΔDYS>
[editar]Modelos

Atualmente existem 4 modelos diferentes da calculadora HP 12C no mercado:


normal, Platinum,Platinum 25th Anniversary Edition e Prestige. O modelo normal, também
chamado de Gold foi a primeira versão e continua a ser vendida na atualidade. Os outros
modelos dependem de disponibilidade na sua região, com exceção da primeira versão da
Platinum, que foi retirada dos mercados.
[editar]HP 12C
É o modelo clássico, dourado e preto com teclas pretas, lançado em 1981. Comumente é
chamado de 12C Gold. Apresenta apenas o modo de cálculo usando a notação RPN.
[editar]HP 12C Platinum (primeira versão)
Modelo lançado em 2003 com "quatro vezes mais memória, até seis vezes mais rápida e com
funções financeiras extras" [1]. Além disso, é a primeira da série a conter, além do RPN, o modo
Algébrico de cálculo (modo convencional usado nas calculadoras comuns).
[editar]HP 12C Platinum (segunda versão)
Modelo lançado logo após a sua primeira versão. Esta tem quase as mesmas características
da primeira, principalmente por não ter o defeito encontrado na primeira, conta também com
melhoria no cálculo de TVM, da adição de teclas Backspace e Undo e da possibilidade de se
controlar o contraste. Também apresenta abre e fecha parênteses nas teclas STO e RCL
respectivamente.
1. FUNÇÕES BÁSICAS DA HP-12C

Neste capítulo serão abordadas as principais funções da


calculadora HP-12C, ou seja, estaremos mostrando
os conceitos básicos relevantes ao desenvolvimento da
matemática financeira.

1.1 TECLA [ON]

Tem a função de ligar e desligar a calculadora, porém, se a calculadora permanecer


ligada sem uso, será desligada automaticamente entre 7 e 8 minutos aproximadamente.

1.2 TECLA [ . ]

Esta tecla permite que a calculadora opere em dois padrões de


moeda, o brasileiro e padrão dólar. Vamos considerar o seguinte
exemplo:

R$ 1.425,56 (padrão brasileiro)


US$ 1,425.56 (padrão dólar)

Esta conversão será feita da seguinte forma:

a) mantenha a calculadora desligada;


.
b) pressione a tecla [ ] e segure;
c) pressione a tecla [ON] e solte.
Se a calculadora estiver no padrão brasileiro passara para o padrão do dólar e vice-
versa.

1.3 TESTES DE FUNCIONAMENTO

A calculadora HP-12C possui três testes de verificação quanto ao seu funcionamento,


uma espécie de controle de qualidade, que permite ao usuário uma maior confiabilidade
do produto.

1.3.1 TESTE Nº 1 (usando as tecla [ON] e [x]).

Procedimentos:
1) mantenha calculadora desligada;
2) pressione a tecla [ON] e segure;
3) pressione a tecla [x] e segure;
4) solte a tecla [ON];
5) solte a tecla [x].

Ao final do procedimento aparecerá no visor a palavra “running” piscando,


significando que a calculadora está executando o TESTE Nº 1. E em alguns segundos
aparecerá no visor o seguinte:

- 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8,
USER f g GEGIN GRAND D.MY C PRGM

Se aparecer a mensagem “ERRO 9” significa que a calculadora precisa de reparos,


mas se o resultado for exatamente o resultado do TESTE Nº 1, a calculadora estará
pronta para o uso.

1.3.2 TESTE Nº 2 (usando as tecla [ON] e [+]).

Procedimento:
1) mantenha a calculadora desligada;
2) pressione a tecla [ON] e segure;
3) pressione a tecla [+] e segure;
4) solte a tecla [ON];
5) solte a tecla [+];
6) pressione e solte qualquer tecla, exceto a tecla [ON].

Na verdade o TESTE Nº 2 é muito semelhante ao TESTE Nº 1, diverge na duração de


execução, que é indeterminado, portanto, para completar o teste é necessário cumprir
o procedimento nº “6”, logo após aparecerá o seguinte:

- 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8, 8,
USER f g GEGIN GRAND D.MY C PRGM

Se você pressionar a tecla [ON] o teste será interrompido.

1.3.3 TESTE Nº 3 (usando as teclas [ON] e [:])

Procedimento:

1) mantenha a calculadora desligada;


2) pressione a tecla [ON] e segure;
3) pressione a tecla [:] e segure;
4) solte a tecla [ON];
5) solte a tecla [:].
6) Pressione todas as teclas da esquerda para direita , de cima para
baixo, ou seja, a 1ª tecla a ser pressionada será a tecla [n] e a última
será a tecla [+]. Lembre-se, deve-se pressionar todas as teclas
inclusive a tecla [ON] e a tecla [enter] será pressionada duas vezes,
tanto na linha 3, bem como na linha 4.

Após o procedimento concluído , aparecerá no visor o nº “12”, assim como nos testes
anteriores, a calculadora estará pronta para o uso. Mas se procedimento não for
realizado corretamente, aparece à expressão “ERRO 9”. Neste caso a calculadora
necessita de conserto.

1.4 TECLADO

O teclado da calculadora HP-12C, é multiuso, ou seja, uma mesma tecla poderá ser
utilizada de três maneiras.
1.4.1 A TECLA [f]

A tecla [f] (amarelo) possui duas funções básicas:

 1ª função: pressionado a tecla ou prefixo [f] poderemos acessar


todas as funções em amarelo da calculadora;
 2ª função: pressionado a tecla ou prefixo [f] seguida de um número,
será apresentado à quantidade casas decimais a ser mostrada no
visor.

Veja o exemplo:

Digite o número 2,428571435 e siga os procedimentos:

Procedimento Visor
(teclas)
[f] e [9] 2,428571435
[f] e [8] 2,42857144
[f] e [7] 2,4285714
[f] e [6] 2,428571
[f] e [5] 2,42857
[f] e [4] 2,4286
[f] e [3] 2,429
[f] e [2] 2,43
[f] e [1] 2,4
[f] e [0] 2,
[f] e [9] 2,428571435

1.4.2 TECLA [g]

Através da tecla ou prefixo [g] é possível acessar todas as funções em AZUL.

1.4.3 TECLADO BRANCO

Todas as teclas possuem em sua superfície informações em branco, na verdade tudo


o que é mostrado em branco nas teclas, não necessita de função auxiliar, como vimos
para funções em amarelo e azul.
1.5 LIMPEZA DE REGISTRO

Apresentaremos as principais formas de executar a limpeza dos registros ou


informações, que são armazenadas no teclado ou memórias da calculadora.

1.5.1 LIMPEZA DO VISOR

A utilização desta função é muito simples, basta pressionar a tecla [CLx] e o visor será
limpo.

1.5.2 LIMPEZA DOS REGISTROS ESTATÍSTICOS (“ 0 ” a “ 6 ”)

Com a seqüência de teclas [f] [∑] estaremos processando a limpeza dos registros
estatísticos, ou seja, estaremos limpando os registros armazenados nas teclas [1], [2],
[3], [4], [5] e [6].

1.5.3 LIMPEZA DOS REGISTROS FINANCEIROS

Registros Financeiros:
a) [n] prazo;
b) [ i ] taxa;
c) [PV] Present Value ou Valor Presente;
d) [PMT] Periodic Payment ou Prestação;
e) [FV] Future Value ou Valor Futuro.
A limpeza dos registros é feita através da seqüência de teclas [f] [FIN].

1.5.4 LIMPEZA DE TODOS OS REGISTROS

Com seqüência de teclas [f] [REG] é possível apagar todos os registros, ou seja, de
“0” a “9”, “.0” a “.9” e os registros financeiros, ficando apenas os programas sem serem
apagados.
1.6 TECLA [CHS] ou CHANGE SIGNAL

Esta tecla serve basicamente para trocar o sinal de um número, ou seja, trocar o sinal
negativo para o positivo e vice-versa.

1.7 TECLA [STO] ou (STORE)

Esta serve para guardamos valores nas memórias. A HP possui 20 memórias diretas;
“0” a “9” = 10 e “.0” a “.9” = 10.

Para introduzir um número na memória é muito simples.

Vamos considerar que o numero 145 deve ser guardado na memória, e que decidimos
guardar na memória “5” . Como fazer?.

Procedimento:
1) digite o número 145;
2) digite [STO];
3) digite [5].

1.8 TECLA [RCL] ou (RECALL)

Esta tecla serve para recuperar os números guardados nas memórias. Vamos verificar
sua aplicação com base nos dados do item 1.7.

Procedimento:
1) digitar [RCL];
2) digitar [5].

1.9 TECLA [YX]

Esta tecla pode ser utilizada tanto pra efetuarmos operações de potenciação e como
de radiciação.

1.9.1 Potenciação
270/360
c) 1,045
a) 1,056 b) 23

1,05 2 1,045

[ENTER] [ENTER]
1.9.2 Radiação 270 [ENTER]

1.9.2 Radiciação :

3 360
a) =9 b) = 27 c) = 1,6
1
9 2
5
2 7 3 (0 1 + 0 , 6 )

3 3 6 0
9 [ENTER] 5 3 0

1 [ENTER]

1.10 TECLA [1/x]

Esta tecla é normalmente utilizada para demonstrar o inverso de um número.

a) 1/8 b) 1,05
1
1 2

8 [ENTER]
[1/x] 1,05 [ENTER]
1.11 TECLA [%T] e [x><y]

A tecla [%T] é usada para calcular o percentual de um total, e a tecla [x><y] recupera o
valor base de cálculo.

a) Uma pessoa possui os seguintes gastos mensais:

• Moradia R$ 450,00
• educação R$ 500,00
• combustível R$ 150,00
• alimentaçãoR$ 200,00
• lazer R$ 250,00
Total R$ 1.550,00

Determinar quanto representa percentualmente cada valor em relação ao total dos


gastos.
Solução:

1.550 [ENTER]
450 [%T] 29,03%
[x><y] 500 [%T] 32,26%
[x><y] 150 [%T] 9,68%
[x><y] 200 [%T] 12,90%
[x><y] 250 [%T] 16,13%
100,00%

1.12 TECLA [∆ %]

Esta tecla nos ajuda a calculamos a diferença percentual entre dois números.
a) Considere que um produto possui um preço de R$ 132,75
em jan/XX, em fev/XX o preço desse produto passou para
R$ 155,71. Qual foi o percentual de aumento desse?

Dados:
Preço jan/XX: R$ 132,75
Preço fev/XX: R$ 155,71

Solução:
132,75 [ENTER]
155,71 [∆ %]
17,30%

b) No mês de março/XX o preço do produto passou para


R$ 141,00. Qual foi o percentual de desconto?

Dados:
Preço fev/XX: R$ 155,71
Preço mar/XX: R$ 141,00

Solução
155,71 [ENTER]
141,00 [∆ %]
-9,45%

1.13 TECLA [%]

Esta tecla serve exclusivamente para o calculo de percentagem.

a)Calcular 5% de R$ 10.450,00

Solução:
10.450 [ENTER]
5% [%]
R$ 522,50
1.14 CÁLCULO EM CADEIA

a) soma
25,82 + 1.852,25 + 156,68 = 2.034,75
25,82 [ENTER] 1852,25 [+] 156,68 [+] 2.034,75 [STO] 1

b) subtração
250 – 91,82 – 5,81 = 152,37
250 [ENTER] 91,82 [-] 5,81 [-] 152,37 [STO] 2

c) multiplicação
21 x 18,41 x 1,0562 = 408,34
21 [ENTER] 18,41 [x] 1,0562 [x] 408,34 [STO] 3

d) divisão
1.750,25 : 1,08 = 1.620,60
1.750,25 [ENTER] 1,08 [:] 1.620,60 [STO] 5

e) adição, subtração, multiplicação e divisão


(memória 1) – (memória 2) x (memória 3) : (memória .5)
[RCL] 1
[RCL] 2 [-]
[RCL] 3 [x]
[RCL] .5 [:]

474,30