Você está na página 1de 42

INFRAÇÕES INSERIDAS NO CTB PELA LEI

Nº14.071/2020

Cel PMSC - RICARDO ALVES DA SILVA


Novos Enquadramentos
PORTARIA Nº 366, DE 26 DE MARÇO DE 2021
Altera o Anexo IV - Tabela de Enquadramentos, da Portaria DENATRAN nº 59, de 25 de
outubro de 2007, com redação dada pelo Anexo I da Portaria DENATRAN nº 3, de 6 de
janeiro
de 2016.
Art. 148-A. Os condutores das categorias C, D e E deverão comprovar resultado negativo
em exame toxicológico para a obtenção e a renovação da CNH.

ART. 165-B. CONDUZIR VEÍCULO PARA O QUAL SEJA EXIGIDA HABILITAÇÃO NAS
CATEGORIAS C, D OU E SEM REALIZAR O EXAME TOXICOLÓGICO PREVISTO NO
§ 2º DO ART. 148-A DESTE CÓDIGO, APÓS 30 (TRINTA) DIAS DO VENCIMENTO DO PRAZO
ESTABELECIDO:
INFRAÇÃO - GRAVÍSSIMA; (R$ 1.467,35)
PENALIDADE - MULTA (CINCO VEZES) E SUSPENSÃO DO DIREITO DE DIRIGIR POR 3 (TRÊS)
MESES, CONDICIONADO O LEVANTAMENTO DA SUSPENSÃO À INCLUSÃO NO RENACH DE
RESULTADO NEGATIVO EM NOVO EXAME.

PARÁGRAFO ÚNICO. INCORRE NA MESMA PENALIDADE O CONDUTOR QUE EXERCE


ATIVIDADE REMUNERADA AO VEÍCULO E NÃO COMPROVA A REALIZAÇÃO DE EXAME
TOXICOLÓGICO PERIÓDICO EXIGIDO PELO § 2º DO ART. 148-A DESTE CÓDIGO POR OCASIÃO
DA RENOVAÇÃO DO DOCUMENTO DE HABILITAÇÃO NAS CATEGORIAS C, D OU E.
EXAME TOXICOLÓGICO

1. O exame toxicológico é OBRIGATÓRIO para todos os condutores com CNH de


categoria C, D ou E, independentemente de exercerem ou não atividade remunerada;

2. Além de ser exigido na obtenção ou renovação destas categorias, também é obrigatório


que se faça a cada 2 anos e 6 meses, até completar os 70 anos de idade (a partir dos 70,
faz só na renovação);
3. O exame periódico (ou intermediário), a cada 2 anos e 6 meses, (exigido desde 2015, Lei n. 13.103/15)
não sendo novidade da Lei n. 14.071/20, a qual apenas criou 2 infrações de trânsito relacionadas à não
realização do exame, no artigo 165-B – uma para a CONDUÇÃO (caput) e outra para a RENOVAÇÃO
(parágrafo único) , CRITÉRIOS:

a. Se estiver conduzindo veículo para o qual se exija categoria C, D ou E, independente de exercer ou


não atividade remunerada, cometerá a infração do caput do artigo 165-B, sujeito à multa de R$
1.467,35 e suspensão do direito de dirigir por 3 meses (OBS.: Não será infração se estiver
conduzindo veículo para o qual se exige categoria A ou B).
b. Independente de ter ou não conduzido veículo durante o período, o condutor com categoria C, D ou
E, que EXERCE atividade remunerada, terá QUE TER CUIDADOS: se não fizer o exame periódico,
quando for RENOVAR a CNH será multado pelo parágrafo único do artigo 165-B, pela não realização.
(OBS.: A infração do parágrafo único não se aplica ao condutor que NÃO exerce atividade
remunerada);
c. Quem alterar a categoria da CNH, retirando C, D ou E, e “rebaixando” para categoria B, até a data da
renovação da CNH, estará isento da sanção do parágrafo único do art. 165-B.
4. Para saber se o exame está válido ou não,
basta o interessado baixar (ou ATUALIZAR) o
aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT), que
vai constar a informação da validade. Da mesma
forma, para a FISCALIZAÇÃO, os agentes de
trânsito deverão consultar o sistema
informatizado, não sendo exigido que o condutor
porte o laudo do exame

5. Quem estiver com o exame toxicológico periódico em dia,


deve realizá-lo somente quando do seu vencimento, em até
30 dias após a data informada;
6. Regra de transição estabelecida pela Resolução n. 843/21, para quem estiver
com o exame toxicológico periódico vencido antes de 12 de abril de 2021:

a. foi dado prazo até 12 de maio (são 30 dias a contar da publicação da


Resolução n. 843/21), para realizá-lo e poder continuar CONDUZINDO
veículos que exigem categoria C, D ou E, sem configurar infração de trânsito
do caput do art. 165-B;
b. mesmo possuindo EAR, NÃO será penalizado quando da próxima renovação
da CNH, pois a infração de trânsito ainda não existia (mesmo havendo a
obrigatoriedade do exame periódico).
1ª) Para quem tem categoria C, D ou E, sem EAR na CNH, e que NÃO dirige os veículos que
exigem estas categorias, embora também obrigatória a realização do exame periódico, estará
de fora de ambas as infrações, independente se já venceu ou se está a vencer;

2ª) Quem tem categoria C, D ou E, e DIRIGE veículos que as exigem, deve ficar atento:
a. após 30 dias do vencimento do exame periódico (ou após 12 de maio para quem venceu
antes de 12 de abril), se dirigir tais veículos (com ou sem EAR), estará cometendo a
infração do caput do artigo 165-B;

3ª) Quem NÃO dirige veículos que exigem categoria C, D ou E (apesar de ter CNH nestas
categorias) e EXERCE atividade remunerada deverá realizar o exame periódico (ou “rebaixar”
para categoria B), para não incorrer na infração do parágrafo único do artigo 165-B, no
momento da renovação; entretanto, se já venceu antes de 12 de abril, estará isento das
penalidades deste dispositivo na próxima vez que for renovar sua CNH.
Art. 244
Art 244 II
NO CASO DE CONDUTOR E PASSAGEIROS, SERÃO DUAS
AUTUAÇÕES
Art. 244 V
Art. 244 V
Art. 244 X
RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 819, DE 17 DE MARÇO DE 2021
RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 819, DE 17 DE MARÇO DE 2021
RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 819, DE 17 DE MARÇO DE 2021
RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 819, DE 17 DE MARÇO DE 2021
RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 819, DE 17 DE MARÇO DE 2021
RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 819, DE 17 DE MARÇO DE 2021
“bebê conforto ou conversível”

1. Crianças com até um ano de


idade;

2. Crianças com peso de até


13kg, conforme limite
máximo definido pelo
fabricante do dispositivo.
“cadeirinha”

1. Crianças com idade


superior a um ano e
inferior ou igual a quatro
anos;

1. Crianças com peso entre 9


a 18kg, conforme limite
máximo definido pelo
fabricante do dispositivo.
“assento de elevação”

1. Crianças com idade superior


a quatro anos e inferior ou
igual a sete anos e meio;

2. Crianças com até1,45m de


altura e peso entre 15 a
36kg, conforme limite
máximo definido pelo
fabricante
“cinto de segurança do veículo”

1. Crianças com idade


superior a sete anos e
meio e inferior ou igual a
dez anos;

2. Crianças com altura


superior a 1,45m.